3 tuberculose

5,786 views
5,654 views

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,786
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
170
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3 tuberculose

  1. 1. Tuberculose Geórgia Agostinho INFECTOLOGIA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí Especialização em Biologia Parasitária Módulo: Doenças Infecto-parasitárias
  2. 2. <ul><li>Doença mais comum da humanidade </li></ul><ul><li>Problema de saúde prioritário no Brasil </li></ul><ul><li>85 mil casos novos / ano </li></ul><ul><li>5 – 6 mil mortes / ano </li></ul><ul><li>Indivíduos economicamente ativos </li></ul><ul><li>H : M  2 : 1 </li></ul><ul><li>BR + 21 países : 80% dos casos mundiais </li></ul><ul><li>1/3 da população mundial infectada </li></ul><ul><li>Países desenvolvidos : idosos, minorias, imigrantes </li></ul><ul><li>Crescente nº casos TB + HIV </li></ul>Introdução
  3. 4. <ul><li>Mycobacterium tuberculosis (1882, Koch) </li></ul><ul><li>BAAR </li></ul><ul><li>Complexo MTB ( tuberculosis, bovis, africanum, microti ) </li></ul><ul><li>Tempo de multiplicação longo: 18 a 48 horas </li></ul><ul><li>Reservatório : homem </li></ul><ul><li>Fonte : indivíduo com TB pulmonar bacilífero (em 1 ano  10 a 15 pessoas) </li></ul><ul><li>Período transmissibilidade: eliminação de bacilos sem tratamento </li></ul>Etiologia e Transmissão
  4. 5. <ul><li>Transmissão </li></ul><ul><li>Pessoa-Pessoa através do ar </li></ul><ul><li>Gotículas pequenas dispersas em aerossóis </li></ul><ul><li>Período de incubação </li></ul><ul><li>4-12 semanas para lesões primárias </li></ul><ul><li> 12 meses para doença pulmonar </li></ul><ul><li>Probabilidade de infecção e adoecimento: nutrição, status imunológico, doenças crônicas, primo ou reinfecção, virulência do bacilo, genética do hospedeiro </li></ul>Etiologia e Transmissão
  5. 7. <ul><li>Primo-infecção </li></ul><ul><li>Alvéolos  reação inflamatória inespecífica (até 15 dias) </li></ul><ul><li>Multiplicação BK  via linfo-hematogênica  latentes X destruídos </li></ul><ul><li>A partir da 3ª semana  imunidade específica  foco primário + LN satélites (COMPLEXO PRIMÁRIO) </li></ul><ul><li>5% dos primo-infectados  TB foco pulmonar </li></ul><ul><li>foco LN </li></ul><ul><li>disseminação hematogênica </li></ul>Imunopatogênese
  6. 8. <ul><li>Infecção natural ou BCG prévios  imunidade já desenvolvida </li></ul><ul><li>Pode haver </li></ul>Imunopatogênese – Reativação endógena (5% dos primo-infectados) – Reinfecção exógena
  7. 9. <ul><li>Distribuição mundial </li></ul><ul><li>Ausência de variação sazonal </li></ul><ul><li>Maior prevalência em áreas de grande concentração populacional e precárias condições socio-econômicas </li></ul><ul><li>Mais sujeitos: imunodeprimidos, portadores de doença crônica, contatos de bacilíferos </li></ul><ul><li>Brasil 2001  81.432 casos novos, sendo 43.085 bacilíferos </li></ul><ul><li>72,2 % : cura </li></ul><ul><li>11,7% : abandono </li></ul><ul><li>7% : óbito </li></ul><ul><li>9,1% : transferência </li></ul>Epidemiologia
  8. 14. <ul><li>Febre, sudorese, perda ponderal </li></ul><ul><li>Forma pulmonar </li></ul><ul><li>Dor torácica, tosse produtiva, hemoptise </li></ul><ul><li>90% dos casos em > 15a </li></ul><ul><li>75% dos casos em < 15a </li></ul><ul><li>Rins, ossos, meninges, intestino, linfonodos, pleura </li></ul><ul><li>TB miliar </li></ul><ul><li>Seqüelas pulmonares </li></ul>Clínica
  9. 16. <ul><li>Baciloscopia : sensibilidade 70 a 80% </li></ul><ul><li>Imagem: Rx tórax  normal, seqüela, suspeito, outras doenças </li></ul><ul><li>Tomografia computadorizada </li></ul><ul><li>PPD: reação imunocelular pós inoculação ID de derivado protéico purificado do MTB </li></ul><ul><li>Evidencia infecção, não doença </li></ul><ul><li>Leitura 72 a 96 hs </li></ul><ul><li>0-4 mm: não reator (não infectado, infectado <2sem, imuno  ) </li></ul><ul><li>5-9 mm: reator fraco ( vacinado BCG , infectado) </li></ul><ul><li> 10 mm: reator forte ( infectado , recém-vacinado BCG) </li></ul>Diagnóstico laboratorial
  10. 17. <ul><li>Cultura: baciloscpia negativa, formas extrapulmonares, paciente HIV, resistência, outras micobactérias </li></ul><ul><li>Broncoscopia: baciloscopia negativa, TB endobrônquica, paciente HIV, outras doenças </li></ul><ul><li>Histopatológio: formas extrapulmonares </li></ul><ul><li>Sorologia </li></ul><ul><li>Biologia molecular </li></ul><ul><li>Bioquímico: líquidos cavitários (ADA) </li></ul><ul><li>SOROLOGIA ANTI-HIV </li></ul>Diagnóstico laboratorial
  11. 18. Tratamento <ul><li>Características do MTB que influenciam o tto: </li></ul><ul><li>Aerobiose </li></ul><ul><li>Multiplicação lenta </li></ul><ul><li>Mutantes resistentes </li></ul><ul><li>Regras do tto: </li></ul><ul><li>Associação medicamentosa </li></ul><ul><li>Tempo de tratamento adequado </li></ul><ul><li>Regularidade </li></ul>
  12. 19. Tratamento <ul><li>Doença grave, porém curável </li></ul><ul><li>Tratamento ambulatorial supervisionado </li></ul><ul><li>Associação de drogas, doses corretas, tempo suficiente </li></ul><ul><li>Estratégia DOTS </li></ul><ul><li>Indicações de internação </li></ul><ul><li>Esquema padrão para novos caso de TB </li></ul><ul><li>Eficácia 98% </li></ul><ul><li>Óbitos, Abandono  efetividade 83% </li></ul>
  13. 21. Tratamento <ul><li>Taxa de resistência primária pequena </li></ul><ul><li>TB multi-resistente </li></ul><ul><li>Efeitos adversos </li></ul><ul><li>menores: 5 a 20% </li></ul><ul><li>maiores: 2 a 8% </li></ul>
  14. 22. Doença de notificação compulsória <ul><li>Suspeito </li></ul><ul><li>Sintomático respiratório: tosse com expectoração por 3 semanas ou mais, febre, perda ponderal, inapetência </li></ul><ul><li>Imagem radiológica compatível </li></ul><ul><li>Confirmado </li></ul><ul><li>Clínico-laboratorial TB pulmonar bacilífera </li></ul><ul><li>TB pulmonar BK negativo </li></ul><ul><li>TB extrapulmonar </li></ul><ul><li>Clínico-epidemiológico </li></ul><ul><li>Descartado </li></ul>
  15. 23. Prevenção e controle <ul><li>Diagnóstico e tratamento precoce dos bacilíferos com controle de cura  identificação dos sintomáticos </li></ul><ul><li>respiratórios </li></ul><ul><li>Meta OMS: diagnóstico de 70% caos estimados TB </li></ul><ul><li>cura 85% </li></ul><ul><li>Investigação dos contatos </li></ul>
  16. 26. Prevenção e controle <ul><li>Vacina BCG </li></ul><ul><li>Quimioprofilaxia: isoniazida 6 meses (primária X secundária) </li></ul><ul><li>RN coabitantes de foco bacilífero </li></ul><ul><li>contactantes de bacilíferos <15 anos </li></ul><ul><li>indivíduos com viragem PPD em até 12 meses </li></ul><ul><li>indígenas expostos </li></ul><ul><li>imunossuprimidos </li></ul><ul><li>PPD reator forte sem TB ativa </li></ul><ul><li>co-infectados HIV-MTB </li></ul><ul><li>Controle intra-hospitalar </li></ul>
  17. 27. OBRIGADA

×