Uploaded on

Tudo sobre a revolução industrial.

Tudo sobre a revolução industrial.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
566
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Escola Tecnica João Belarmino Liceu Trabalho de Historia Revolução Industrial Alunas do 2°D Gabriela Pereira, 13 Bruna de Oliveira, 06 Michele Fortunato, 31 Rodrigo Aguilar, 40 Carlos Roberto, 41 Prof.: José Gabriel Amparo 2013
  • 2. • Introdução A Revolução Industrial ocorrida na Inglaterra integra o conjunto das “Revoluções Burguesas” do século XVIII, responsáveis pela crise do Antigo Regime, na passagem do capitalismo comercial para o industrial. Os outros dois movimentos que a acompanham são a independência dos EUA e a Revolução Francesa, que sob influência dos principais iluministas, assinalam a transição da Idade Moderna para a Contemporânea. • Onde ocorreu a Revolução Industrial A revolução teve início no Reino Unido e em poucas décadas se espalhou para a Europa Ocidental e os Estados Unidos. Até 1850, a Inglaterra continuou dominando o primeiro lugar entre os países industrializados. Na Europa, os maiores centros de desenvolvimento industrial, na época, eram as regiões mineradoras de carvão; lugares como o norte da França, nos vales do Rio Sambre e Meuse, na Alemanha, no vale de Ruhr, e também em algumas regiões da Bélgica. Eram 39 pequenos reinos e dentre esses a Prússia, que liderava a Revolução Industrial. Fora estes lugares, a industrialização ficou presa: • • • • • às principais cidades, como Paris e Berlim; aos centro de interligação viária, como Lyon, Colônia, Frankfurt am Main, Cracóvia e Varsóvia; aos principais portos, como Hamburgo, Bremen, Roterdã, Le Havre, Marselha; a polos têxteis, como Lille, Região do Ruhr, Roubaix, BarmenElberfeld (Wuppertal), Chemmitz, Lodz e Moscou; e a distritos siderurgicos e indústria pesada, na bacia do rio Loire, do Sarre, e da Silésia. Após 1830, a produção industrial se descentralizou da Inglaterra e se expandiu rapidamente pelo mundo, principalmente para o noroeste europeu, e para o leste dos Estados Unidos. Porém, cada país se desenvolveu em um ritmo diferente baseado nas condições econômicas, sociais e culturais de cada lugar. Revolução Industrial Página 1
  • 3. • O processo da produção Nessa evolução, a produção manual que antecede a industrial conheceu duas etapas bem definidas dentro do processo de desenvolvimento do capitalismo: • Artesanato Foi a forma de produção característica da Baixa Idade Média, durante o renascimento urbano e comercial, sendo representado por uma produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão), possuía os meios de produção e trabalhava com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento final; ou seja, não havia divisão do trabalho ou especialização. • Manufatura Foi a forma de produção que predominou ao longo da Idade Moderna, resultando da ampliação do mercado consumidor com o desenvolvimento do comércio marítimo. Nesse momento, já ocorre um aumento na produtividade do trabalho, devido à divisão social da produção, onde cada trabalhador realizava uma etapa na confecção de um produto. Outra característica desse período foi a interferência do capitalista no processo produtivo, passando a comprar a matéria-prima e a determinar o ritmo de produção, uma vez que controlava os principais mercados consumidores. • A maquinofatura Na maquinofatura, o trabalhador estava submetido ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário. Foi nesta etapa que se consolidou a Revolução Industrial. A partir da máquina, fala-se numa primeira, numa segunda e até numa terceira Revolução industrial. Revolução Industrial Página 2
  • 4. • Primeira Fase (1760 a 1860): A Revolução Industrial ficou limitada, basicamente, à Inglaterra, o primeiro país europeu a conhecer um rápido processo de industrialização, baseado na utilização do carvão e do ferro e na fabricação de tecidos com a utilização do tear mecânico. Máquina a vapor usada em mina de carvão, no século XVIII • Segunda Fase (1860 a 1900): A industrialização espalhou-se por diversas regiões da Europa, atingindo países como França, Alemanha, Itália, Bélgica e Holanda. Em outros continentes, o processo de industrialização alcançou os Estados Unidos e o Japão. Nesse período, as principais inovações técnicas foram a utilização da energia elétrica e o desenvolvimento dos produtos químicos. As primeiras experiências com a então recém-descoberta eletricidade demonstraram que o corpo humano é um bom condutor elétrico. O menino suspenso por cordas isolantes recebe estímulos elétricos nos pés, os quais são transmitidos a outra criança (à esquerda) a quem está dando a mão. • Terceira Fase (1860 a 1900): 1900 até hoje – Surgem conglomerados industriais e multinacionais. A produção se automatiza; começa a produção em série e explode a sociedade de consumo de massas, com a expansão dos meios de comunicação. A indústria química e eletrônica, a engenharia genética e a robótica avançam. Revolução Industrial Página 3
  • 5. • • • • • • • • • • • Avanços da Maquinofatura 1767 –James Hargreaves inventa a “spinning janny”, que permitia a um só artesão fiar 80 fios de uma única vez. 1768 – Máquina a vapor Todas as invenções mecânicas ganharam maior capacidade quando passaram a ser acoplados à máquina a vapor, inventada por Thomas Newcomen (1712) e aperfeiçoada por James Watt. Com a gradativa sofisticação das máquinas, houve aumento da produção e geração de capitais, que eram reaplicados em novas máquinas. Após o setor têxtil, a mecanização alcançou o setor metalúrgico, impulsionou a produção em série e levou à modernização e expansão dos transportes. 1769 – Richard Arkwright inventa o Tear hidráulico ( water frame) 1779 – Samuel Crompton inventa a “mule” uma combinação da “water frame” com a “spinning jenny” com os fios finos e resistentes. 1785 - Edmond Cartwright inventa o Tear mecânico 1814 – George Stephenson idealizou a LOCOMOTIVA A VAPOR 1805 – O norte-americano Robert Fulton revoluciou a navegação marítima criando o BARCO A VAPOR. Reação dos Trabalhadores Os trabalhadores reagiram das mais diferentes formas. Podemos destacar alguns dos movimentos: Ludismo: foi um movimento que ia contra a mecanização do trabalho proporcionado pelo advento da Revolução Industrial. O nome deriva de Ned Ludd, personagem criada a fim de disseminar o ideal do movimento operário entre os trabalhadores, caracterizado pela destruição das máquinas. Cartismo : inicialmente fundou-se na luta pela inclusão política da classe operária, representada pela associação Geral dos Operários de Londres. Teve como principal base a carta escrita pelos radicais William Lovett e Feargus O'Connor intitulada Carta do Povo, e enviada ao Parlamento Inglês. Naquele documento percebem-se as seguintes exigências: Revolução Industrial Página 4
  • 6. • • • • • • Sufrágio universal masculino (o direito de todos os homens ao voto); Voto secreto através da cédula; Eleição anual; Igualdade entre os direitos eleitorais; Participação de representantes da classe operária no parlamento; E que os parlamentos fossem remunerados. • Trade-unions: associações de operários que evoluíram lentamente em suas reivindicações , originando os primeiros sindicatos modernos. É uma agremiação fundada para a defesa comum dos interesses de seus aderentes. Os tipos mais comuns de sindicatos são os representantes de categorias profissionais e de trabalhadores • Principais consequências da Revolução Industrial • Diminuição do trabalho artesanal e aumento da produção de mercadorias manufaturadas em máquinas; Aumento da produção de mercadorias em menos tempo; Maior concentração de renda nas mãos dos donos das indústrias; Avanços nos sistemas de transportes (principalmente ferroviário e marítimo) à vapor; Desenvolvimento de novas máquinas e tecnologias voltadas para a produção de bens de consumo; Surgimento de sindicatos de trabalhadores com objetivos de defender os interesses da classe trabalhadora; Aumento do êxodo rural (migração de pessoas do campo para as cidades) motivado pela criação de empregos nas indústrias; Aumento da poluição do ar com a queima do carvão mineral para gerar energia para as máquinas; Crescimento desordenado das cidades, gerando problemas de submoradias; Aumento das doenças e acidentes de trabalhos em função das péssimas condições de trabalho nas fábricas; Uso em grande quantidade de mão-de-obra infantil nas fábricas. • • • • • • • • • • • Pontos Positivos da Revolução Industrial A passagem da sociedade rural para a sociedade industrial, a mecanização da industria e da agricultura, o desenvolvimento do sistema fabril com o uso da energia a vapor, o desenvolvimento dos meios de transporte e das comunicações e a expansão do desenvolvimento dos meios de transporte e das comunicações e a expansão do capitalismo que passou a controlar quase todos os ramos da atividades economias. Revolução Industrial Página 5
  • 7. • • Pontos Negativos da Revolução Industrial As pessoas foram sendo substituidas pelas máquinas, gerando desemprego. O consumismo aumentou gerando lixo e descarte prejudicial a natureza. As pessoas foram se "modernizando" e esquecendo a VIDA em sua forma mais correta, foram deixando os produtos naturais de lado e usando produtos poluentes e nocivos a saúde, e prejudicando o Planeta Terra. • • A Segunda Etapa da Revolução Industrial A segunda etapa ocorreu no período de 1860 a 1900, ao contrário da primeira fase, países como Alemanha, França, Rússia e Itália também se industrializaram Criação e uso de novas tecnologias como, por exemplo, veículos automotores e aviões (carros, ônibus, etc). Houve também um significativo aperfeiçoamento nas tecnologias usadas nas máquinas industriais que se tornaram mais eficientes. Uso do petróleo e energia elétrica como fontes de energia principais. Avanços na área de telecomunicações como, por exemplo, telefone e rádio. • • • • • • • • • • • • • • • • A Terceira Etapa da Revolução Industrial Liderada também pelos Estados Unidos, teve inicio com o final da Segunda Guerra Mundial (meados do século XX). É a fase que vivemos até a atualidade. Introdução do uso de novas fontes de energia como, por exemplo, a nuclear. Desenvolvimento e início do uso da informática, principalmente por parte de empresas e governos. Posteriormente para todas as pessoas. Melhorias nas condições de trabalho com ampliação dos direitos trabalhistas. Fortalecimento do sistema capitalista. Crescimento econômico do Japão e da Alemanha que passam a figurar como potências econômicas na segunda metade do século XX. Desenvolvimento da Genética e da Biotecnologia, oferecendo novos recursos para a área médica e fortalecendo a indústria de medicamentos. Desenvolvimento da Globalização, principalmente após o fim da Guerra Fria, que trouxe um novo cenário nas relações econômicas e formas de produção. No final do século XX e começo do XXI, temos o desenvolvimento da Internet que alavancou o mundo do comércio e das finanças. Inicio, a partir da década de 1970, das preocupações com o Meio Ambiente (aquecimento global, efeito estufa, desmatamentos, extinção de espécies animais, buraco na camada de ozônio). Vale lembrar que grande parte destes problemas ambientais foram causados pela Revolução Industrial desde sua primeira fase. Aumento da importância, no cenário econômico global, dos países emergentes (China, Rússia, Brasil e Índia). Revolução Industrial Página 6