Your SlideShare is downloading. ×
GAP-RJ Como fazer briefings
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

GAP-RJ Como fazer briefings

4,541
views

Published on

Como fazer briefings mais eficazes? Apresentação feita por Julieta Monteiro, Diretora de Atendimento da F/Nazca, no Curso de Fundamentos para Atendimento, realizado em novembro de 2009. Evento …

Como fazer briefings mais eficazes? Apresentação feita por Julieta Monteiro, Diretora de Atendimento da F/Nazca, no Curso de Fundamentos para Atendimento, realizado em novembro de 2009. Evento realizado pelo GAP-RJ. www.gaprj.com.br

Published in: Business, Technology

2 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • muito bom, parabéns!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Apresentação de Julieta Monteiro, Diretora de Atendimento da F/Nazca, no Curso de Fundamentos para Atendimento, realizado em novembro de 2009 pelo GAP-RJ. www.gaprj.com.br
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
4,541
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
432
Comments
2
Likes
7
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Desenvolvendo Briefings Eficazes Curso Fundamentos para Atendimento GAP-RJ – novembro 2009 Material Resumido da Aula de Julieta Monteiro, diretora de Atendimento da F/Nazca.
  • 2. 1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING O que é um Briefing ?
    • Um instrumento que ajuda e estimula uma boa propaganda, fazendo com que a mensagem atinja o alvo mais facilmente e de forma mais eficiente.
    • Uma síntese, que tem o objetivo de passar as informações do cliente com o menor ruído possível.
  • 3. 1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING Mas o que significa Brief Criativo?
    • Brief: Do inglês, curto, rápido, conciso.
    • Briefing: (to brief) Resumir, Instruir, dar instruções – Um relato breve e conciso. Um conjunto de dados fornecidos para atender as necessidades de quem os forneceu
    • Criativo: O que resulta da originalidade, imaginativo. Instigante, diferente , provocador.
    • Brief Criativo: Um resumo claro, conciso, instigante e provocador, que reúne os dados necessários para atender as necessidades do Cliente
  • 4. O que um Briefing deve ser
    • Conciso
    • Completo
    • Abrangente
    • Objetivo
    • Claro
    Conter um raciocínio lógico que visa um objetivo 1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING UM BOM BRIEFING DEVE SER CONTAR UMA HISTÓRIA
  • 5. 1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING Um bom briefing
    • Para alguns um Briefing poderia se resolver com apenas duas questões:
    • Com quem estamos falando?
    • O que estamos falando?
  • 6.
    • Mas bom briefing é apenas de Criação?
    • É de Produção
    • É de Mídia
    • É de Planejamento
    • É de Eventos
    • É Mktg Direto
    • E tudo mais que envolver o processo de Comunicação
    • É a definição dos caminhos, das possibilidades e dos limites do Cliente
    1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING Algumas questões
  • 7.
    • Como tirar do cliente o melhor Briefing?
    • Pensando à frente , questionando os pontos pouco conclusivos, pensando nos desdobramentos que aquele pedido vai ter e em como o consumidor vai reagir aquela mensagem.
    1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING Algumas questões Tudo Ok? ?
  • 8. 1- A IMPORTÂNCIA DE UM BOM BRIEFING Em resumo
    • Escrever um ótimo brief criativo não é uma tarefa fácil, exige trabalho, dedicação, conhecimento e porque não inteligência, mas pode ser extremamente recompensador.
    • Lembre-se que um anúncio ou campanha é quase sempre tão bom quanto os imputs que o brief criativo proporcionou.
  • 9. 2- FORMATOS
    • Alguns acham que:
    • Formatos podem limitar a interpretação do problema, a descrição da estratégia e passar o foco para a tarefa?
    • Sim podem, mas apenas se forem feitos como um simples preenchimento de formulário.
  • 10. 2- FORMATOS
    • Dos mais descritivos aos mais instigantes todos os formatos tem um objetivo comum
    • FAZER PENSAR
    • Por isto não importa o formato, o mais importante é o raciocínio
  • 11. 2- FORMATOS – Questões Básicas
    • Se avaliarmos a diferenças e as fomas de fazer pensar, vamos concluir que mesmo os mais simples e reflexivos instigam a pensar
    • Algumas vezes de forma inversa ao raciocínio comum, fazendo com que se tente pensar fora da caixa.
    • Outras de forma linear, mas encadeando o pensamento de forma a contar uma história.
    • Mas todos eles cumprem algumas etapas que são fundamentais para o exercício de uma boa propaganda
    • O que vamos falar
    • Por que vamos falar
    • Para quem vamos falar
    • Como vamos falar
    • Por que temos que falar desta forma
    Todo o resto de uma forma ou de outra esta inserido nestas grandes questões.
  • 12. 3- MODELO BÁSICO
    • TÍTULO DO BRIEF CRIATIVO?
    • Do que se trata o job.
    • CENÁRIO OU CONTEXTO ?
    • Aqui descreva as informações que contextualizam o momento, ou descrevem o background da marca. Descreva os dados de forma sucinta, e inclua apenas as informações que ajudarão a compreender o objetivo.
    • OBJETIVO DA COMUNICAÇÃO ?
    • O que o cliente espera conseguir com esta campanha? Qual seu objetivo? Tente encontrar um objetivo único e o mais especifico possível. Se concentre em tarefas que a propaganda possa resolver. Se necessário traduza os objetivos de marketing em objetivos de comunicação.
    • COM QUEM QUEREMOS FALAR ?
    • Mais do que “com quem” a marca quer falar, fale sobre “quem” é essa pessoa: descreva como ela se relaciona com a marca/produto/oferta, qual o grau de conhecimento e envolvimento, como a marca/produto/oferta está inserida em sua vida, etc, etc...
  • 13. 3- MODELO BÁSICO
    • QUEM É A NOSSA CONCORRÊNCIA?
    • Descreva não só os concorrentes diretos e fáceis de perceber, mas também aqueles que disputam a atenção e os sentimentos do consumidor. Podem estar na mesma categoria da nossa marca, ou apenas servir como alternativa racional ou emocional para o consumidor
    • ABORDAGEM ?
    • O que a comunicação deve mencionar. Qual o tom e a linguagem que devem ser usados. Que aspectos da personalidade da marca devem ser ressaltados
    • QUAL A RESPOSTA-CHAVE DO COMSUMIDOR ?
    • Defina em uma frase o que esperamos do consumidor, comprenda, assimile e verbalize ao ser exposto a comunicação. É o foco principal da mensagem
    • SUPORTE (REASON-WHY) ?
    • Descreva os motivos que fariam o consumidor acreditar na mensagem. Informações úteis e convincentes que suportem a resposta que esperamos. Descarte qualquer informação que não esteja diretamente relacionada com a mensagem.
  • 14. 3- MODELO BÁSICO
    • DESCRIÇÃO DO PRODUTO, SERVIÇO OU OFERTA?
    • Descreva de maneira simples e direta o produto, serviço ou oferta. Não são necessárias descrições técnicas, apenas os dados que ajudem a criação a entender a natureza do job. Se o pedido for para um produto ou serviço já conhecido da criação não há necessidade de preencher este item.
    • VERBA/PEÇAS A SEREM CRIADAS / INFORMAÇÕES DE MÍDIA
    • Peças online e off line
    • Período, Praças, Meios
    • Verba total e Restrições de verba
    • OBRIGATORIEDADES E LIMITAÇÕES
    • Marcas, logotipos, polices
    • Restrições de cor, formatos
    • Limitações de natureza política
    • ISTO PODE AJUDAR
    • Se houver necessidade, inclua aqui sugestões do Cliente, informações sobre projetos em andamento, ou qualquer outra informação que possa ajudar no caminho criativo
  • 15. 12-Dicas rápidas para um bom briefing 1. O briefing do cliente - histórico do produto / marca - posição do produto / marca frente a concorrência - objetivo pretendido com a campanha KIT BÁSICO 3. Desk research - análise de concorrência - comunicação/ investimento/ táticas) - internet - Publicações e dados de observação 2. Pesquisas AD-HOC ( feitas pelo cliente ou agência) - imagem da marca - atributos do produto/ categoria / marca - perfil e valores do consumidor E o mais importante... Trabalho em parceria Cliente & Agência 4- ALGUMAS DICAS
  • 16. 4- ALGUMAS DICAS 12-Dicas rápidas para um bom briefing
    • Pense simples e escreva com clareza Quanto mais sofisticado o brief, mais simples ele deve ser.
    • Muitos espaços para preencher acabam sendo uma grande oportunidade para poesia ruim. Evite definições teóricas e use uma linguagem no nível de 8a série.
    • Utilize frases claras e explicativas.
    • Teste o modelo de brief escolhido com produtos e serviços que você conhece bem. Se conseguir expor todas as idéias chave, já pode seguir em frente
    • Todo fato ou observação que você adicionar ao brief deve ser útil e levar à ação. Se não for, deixe de fora.
    • Não brife, Inspire. Seja tão criativo em seu “brifar” quanto as palavras que você colocou no seu brief .
  • 17. 12-Dicas rápidas para um bom briefing
    • Quando escreve um brief, você não está preenchendo um formulário. Você está contando a história do seu produto e a razão dele existir e se dar bem.
    • Mantenha seu brief livre de sacadinhas, frases de efeito, chavões, ou jargões.
    • Escreva seu brief com análises de mercado inteligentes e insights motivacionais sobre seu público-alvo.
    • Leia e releia quantas vezes forem necessárias, e só fique satisfeito quando a leitura for prazeirosa.
    • Se tiver dúvidas faça um contra brief isto evita surpresas no final do processo.
    • Tenha com você um kit básico de informações que ajudem a escrever o briefing
    4- ALGUMAS DICAS