Pirelli - Inovação para performance e sustentabilidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Pirelli - Inovação para performance e sustentabilidade

on

  • 1,891 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,891
Slideshare-icon Views on SlideShare
1,864
Embed Views
27

Actions

Likes
0
Downloads
25
Comments
0

2 Embeds 27

http://www.revistaamazonia.com.br 25
https://twitter.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Pirelli - Inovação para performance e sustentabilidade Pirelli - Inovação para performance e sustentabilidade Document Transcript

    • CF1215Caso de InovaçãoPIRELLI - Inovação para Performance e SustentabilidadeCarlos Arruda, Anderson Rossi e Luisa RennóA EMPRESA Chegou ao Brasil em 1929, comprando uma pequena fábrica de condutores elétricos em Santo André. Em 1941, a primeira fábrica de pneus foiE m 1872, Giovanni Batista Pirelli fundou umafábrica de artefatos de borracha. O primeiro pneu, ativada, também em Santo André, e continua em funcionamento até os dias atuais. O início da produção de pneus na Argentina foi em 1951, epara bicicletas, surgiu em 1890. Pouco mais de na Venezuela em 1990.uma década depois, em 1901, o pneu “Ercole” era O Campo de Provas Pirelli, em Sumaré, foi umequipado nos primeiros automóveis. Mais um ano dos maiores investimentos em inovação feito noe a empresa expandiu as fronteiras para fora da país, em 1988. Mais de trinta anos se passaramItália, abrindo a primeira fábrica na Espanha. e, hoje, torna-se necessário um novo campo deA vitória na primeira competição automobilística, provas, projeto ainda em definição pela direção“Paris-Beijing”, veio em 1907, inaugurando uma da Pirelli no Brasil.tradição de participação em corridas, em duas ou São 24 fábricas em 12 países e presença em 160quatro rodas. países, contando com mais de 28 mil colaboradores.A participação em competições é um forte motor Cinco Centros de Pesquisa e Desenvolvimentopara a inovação. O desenvolvimento de um produto estão localizados na Itália, Brasil, Reino Unido,específico para uma competição pode trazer Alemanha e Romênia. Centros de P&D menoresum grande aprendizado que, posteriormente, localizam-se na China e nos Estados Unidos.será revertido para os produtos comerciais. O Centro de P&D do Brasil é o responsável peloExemplo disso é o pneu “Stella Bianca”, um desenvolvimento de pesquisa e novos produtosdos primeiros produtos inovadores produzidos para toda a América Latina. No entanto, suaespecialmente para uma prova, no período pré- capacidade vai além dessa meta, desenvolvendo-guerra. Apresentava uma banda de rodagem os para vários países fora do continente. A Pirelliapropriada, criada para automóveis modernos e Pneus Latam – braço do grupo Pirelli na Américapotentes. O “Stelvio”, do período pós-guerra, era Latina – tem uma estrutura de seis fábricas,conhecido como “o pneu da vitória”. quatro no Brasil, uma na Argentina e uma naDesde 2011, a Pirelli é o pneu oficial da Fórmula Venezuela, e 12 mil funcionários. Representa mais1. Para isso, montou um centro de pesquisa da metade dos resultados e cerca de um terçoespecializado na competição na Turquia, onde da produção da Pirelli no mundo. Cada uma dasalguns brasileiros trabalham, integrados numa fábricas da América Latina é especializada em umequipe formada por engenheiros e pesquisadores determinado modelo de pneu, desde bicicletas ede várias partes do mundo. motocicletas até pneus agrícolas e de caminhão.Na América Latina, a Pirelli está desde 1910. Além das quatro fábricas de pneus no Brasil, oA primeira investida foi uma visita ao Brasil, grupo Pirelli ainda conta com uma fábrica emo maior produtor de borracha da época, feita Sumaré, São Paulo, especializada em um dospelo fundador. Logo após, ao participar da Expo componentes da estrutura do pneu chamado deArgentina, comprou uma fábrica naquele país. “corda metálica”.
    • Os segmentos de produtos da Pirelli são pneus durabilidade e desempenho, via pesquisa depara carros de passeio, ônibus, caminhões, novos compostos de borracha e matéria-primas,motocicletas, bicicletas; pneus para agricultura; simulações computacionais, com comprovaçãocorda metálica e recauchutagem e reconstrução dos resultados no campo de provas.de pneus. A empresa é líder de mercado em vários O alto nível de qualidade em pesquisas que odesses segmentos. Centro brasileiro adquiriu ao longo dos anosAlém da liderança de mercado, a marca Pirelli tem motivado o convite para que a equipetambém é forte conceitualmente, tendo sido, brasileira desenvolva cada vez mais para alémpelos últimos oito anos consecutivos, a fabricante do mercado latino e faça produtos Pirelli para osde pneus mais lembrada do Brasil – Prêmio Top mercados mundiais mais exigentes. Isso porque asof Mind – e, nos últimos dois anos, a marca mais matérias-primas, as características e o ambientelembrada pelo público masculino dentre todos os desafiador do setor automobilístico no Brasil sãosegmentos, no mesmo prêmio. únicos no mundo: as dificuldades encontradas aqui, como o grande número de buracos, o asfalto precário em parte da malha rodoviária, as chuvas torrenciais, o clima de temperaturas elevadas e o modo de direção agressivo e veloz do brasileiro solicitam ao extremo o pneu, obrigandoPESQUISA E a equipe a trabalhar incessantemente na buscaDESENVOLVIMENTO por aperfeiçoamentos e inovações no produtoAs inovações em pneus marcaram a história da brasileiro. Essa competência e a capacidade deindústria automobilística e da própria Pirelli. No pesquisa e desenvolvimento ganharam o mundo,entanto, a empresa não possui uma área dedicada por exemplo, em modelos famosos como oexclusivamente à inovação. Ela é praticada em Chevrolet Camaro e o Ford Mustang. Os produtosdiversas áreas, sendo as principais os Centros desenvolvidos para o mercado norte-americanode Pesquisa e Desenvolvimento espalhados pelas receberam diversas homologações, além defábricas ao redor do mundo. prêmios de reconhecimento do desempenho da engenharia brasileira.Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Lei do Bem e Evolução do P&Dno Brasil A Pirelli faz uso de incentivos fiscais para a áreaO Brasil possui o segundo maior Centro de de Pesquisa e Desenvolvimento desde 2003,Pesquisa e Desenvolvimento da Pirelli no mundo pelo antigo PDTI, depois substituído pela atuale o único na América Latina, onde trabalham 180 Lei do Bem.profissionais, em laboratórios interligados com Os subsídios são utilizados para pesquisa de novosos da Alemanha, Itália, Reino Unido e Romênia. materiais e desenvolvimento de novas tecnologiasApesar do trabalho interligado, no entanto, a na área de projeto, processos industriais,Pirelli aposta na autonomia e independência dos simulações matemáticas e experimentação, quecentros de pesquisa e desenvolvimento, visto que servirão como base para o desenvolvimentocada um deles trabalha projetos e produtos com de novos produtos para o mercado interno ecaracterísticas e requisitos locais, por vezes bem exportação.diferentes de um lugar para o outro. O uso da Lei do Bem pela Pirelli também influenciaO Centro de Pesquisa e Desenvolvimento a formação de pesquisadores, engenheiros ebrasileiro desenvolve produtos para todo o tecnólogos. Essa atividade é fundada na análisemercado Latino-Americano e para a exportação. contínua das competências necessárias paraSão mais de 30 mil pneus testados, dez cada área de modo a manter a competitividademilhões de quilômetros rodados, 40 medidas da empresa. Parcerias com as universidades,novas1 e 50 homologações2 de montadoras por montadoras e outros centros de pesquisaano, realizados em laboratórios de teste de complementam o processo de formação de1 Cada pneu colocado no mercado tem uma medida especialistas.diferente.2 As montadoras verificam se o pneu atende as O gasto em pesquisa e inovação é crescente,especificações de conforto, durabilidade, performance, conforme se verifica no gráfico seguinte. Aruído etc., e então fazem a homologação do pneu. não ser pelo ano de 2009, em que o mercado Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 2
    • mundial encontrava-se em plena crise, as que os demais da Pirelli, inclusive no número deprojeções orçamentárias para a área estiveram funcionários, que mais que dobrou entre 2005 eem ascendência. A utilização de benefícios 2012 (GRAF. 2). O incentivo somado à qualidade dofiscais, como a Lei do Bem, fez com que o valor trabalho desenvolvido e aos resultados alcançadosreal investido fosse menor para a empresa podem tornar o Centro brasileiro maior do que ae, sendo menor, pode ser sempre crescente, matriz, na Itália.mesmo em 2009. Um ano de crise poderia terreduzido o investimento feito (situação previstano orçamento) em inovação; a Pirelli, no entanto, Gastos em P&Dpelo bom uso da Lei do Bem, manteve o nível deinvestimento, com ligeira elevação em relação aoano anterior. Além da crise econômica mundial,outros fatores como os altos custos da folhade pagamento, a formação de especialistas, osimpostos e os recursos para montar e manterlaboratórios especializados aumentaram muitoas despesas com Pesquisa e Desenvolvimento noBrasil. Sem os incentivos fiscais da Lei do Bem,seria difícil continuar o projeto de crescimento efortalecimento de P&D da Pirelli no Brasil.Para a Pirelli, a Lei do Bem garante a competitividadee o fortalecimento da empresa através da inovaçãoe do desenvolvimento de novos produtos. É umprocesso abrangente, que extrapola o resultado Pessoasfinanceiro e se materializa também em açõesde sustentabilidade e parcerias com a indústria Gráfico 2: Gastos em P&D - Pessoasautomobilística e com as universidades. Ajudaa empresa a cumprir uma ação social dedesenvolvimento do país. Gastos em P&D INOVAÇÃO PARA PERFORMANCE E SUSTENTABILIDADE A inovação na Pirelli sempre considerou o desempenho e a potência do veículo aliados à sua segurança e controle sobre o pavimento. Desde as primeiras evoluções do pneu, esse conceito de performance específico para esse produto pautou a inovação realizada pela empresa. Hoje, a inovação na Pirelli encara uma nova realidade, que considera a performance sustentável de seu produto e sua produção. A Pirelli é integrante dos principais índices de sustentabilidade e lidera o Índice Dow Jones entre as empresas fabricantes de autopeças pelas ações sustentáveis na produção: reaproveitamento de água e tratamento de esgoto, Orçamento Após incentivo menor geração de CO na produção, entre outras. Mas, além da sustentabilidade da produção, a Ano calendário sustentabilidade do produto é fundamental.Gráfico 1: Gastos em P&D - orçamento Para tornar o pneu um produto mais sustentável, a Pirelli investiu em inovação. O resultado da inovação é o Pneu Verde, que ajuda aA Lei do Bem fez com que o Centro de Pesquisa economizar combustível, diminuindo a resistênciae Desenvolvimento do Brasil crescesse mais do Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 3
    • ao rolamento em cerca de 25%. A redução da de CO2 por quilômetro rodado. Para manter essaresistência gera uma economia da ordem de 6% performance sustentável, o Pneu Verde não perdedo combustível, reduzindo 8 gramas na geração seu desempenho nos demais quesitos: conforto, frenagem, ruído, resistência estrutural etc.Figura 1: Pneu Verde (que normalmente é de 400 anos) de um pneuNo ciclo de vida dos pneus, aproximadamente 3% descartado incorretamente.da poluição gerada estão nas matérias-primas, A partir de 2012, o Inmetro lança um selo para1% está na logística de transporte, 5% estão no certificação dos pneus, avaliando quesitos comopós-consumo, ou seja, no destino dado aos pneus frenagem no molhado, ruído e economia denão apropriados para mais uso e 91% estão na combustível. A intenção da iniciativa é alertar osresistência ao rolamento. O objetivo da Pirelli consumidores, da mesma forma que já ocorre comé reduzir, até 2015, 25% da poluição gerada eletrodomésticos, sobre a segurança, economia eem todo o ciclo de vida. Além da resistência ao sustentabilidade daquele produto, influenciandorolamento, as pesquisas e inovações a serem na decisão de compra.implementadas no Pneu Verde vão buscar Outro estudo para economia de combustível que sematérias-primas renováveis, gerar menos CO2 na tornou uma importante inovação para ecoeficiênciaprodução e diminuir o tempo de biodegradação dos automóveis trata da calibragem dos pneus.do produto descartado. Pesquisas estão sendo Quando o pneu está sendo utilizado com a pressãorealizadas também para conversão de resíduos baixa – murcho –, o gasto de combustível pode serde outras produções em matéria-prima para a até 10% maior. Visualmente, é difícil o motoristafabricação de pneus, como é o caso da cinza detectar o que está ocorrendo. Dessa forma, aproduzida na queima da casca de arroz no sul do Pirelli investiu na pesquisa de soluções para opaís – a cinza tem 95% de sílica, que pode ser problema: 1. o pneu “Run Flat”, que consegueutilizada na fabricação de Pneus Verdes. rodar sem a pressão correta levando o veículo deNo ponto do descarte, o pneu no Brasil já tem forma segura ao seu destino; 2. sensores instaladosuma destinação correta, que é a reutilização de dentro do pneu que enviam uma mensagem paraparte do material do pneu na fabricação de novos o motorista informando as condições de pressão;pneus ou como insumo para outras indústrias, por 3. uma válvula para calibragem que muda de corexemplo, na fabricação de cimento. Mas existem quando a pressão está baixa. Novas pesquisasinovações no campo da biodegradabilidade: estão sendo realizadas para dar soluções aindaa Pirelli possui a patente de uma tecnologia mais inovadoras para a questão, como sensoresque reduz 10 vezes o tempo de biodegradação que informarão, além da pressão do pneu, o tipo de piso, a temperatura do pneu, se está sendo Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 4
    • bem utilizado e como agir para preservar melhor pneus. Na Engenharia Mecânica lançaram a basea sua integridade e durabilidade. de dados e uma série de informações sobre as características do solo em modelos matemáticosINOVAÇÃO ABERTA que incluíam os requisitos das máquinas, a estrutura dos pneus, entre outros. Junto comGrande parte da inovação pesquisada hoje as duas equipes, a Pirelli pode fazer simulaçõespela Pirelli é feita em parceria com clientes, com novos modelos de pneus que compactassemespecialmente montadoras de veículos e menos o solo e aumentassem a produtividade nauniversidades. A empresa segue a tendência lavoura.mundial em adotar a inovação colaborativa paraavançar nos processos de inovação. Parceria Pirelli – montadorasParceria Pirelli – universidades As montadoras, como clientes da Pirelli, constituemCom as universidades, a parceria ocorre por o elo mais importante de parceria em Openmeio de bolsas de graduação e pós-graduação, Innovation. São fundamentais para que os pneusinteração com professores, pesquisadores e sejam cada vez mais projetados de acordo com oestudantes em seminários promovidos dentro das melhor desempenho do conjunto automóvel-pneus.academias e projetos específicos demandados pela Dessa forma, serão produtos de desempenho cadaárea de P&D. vez maior para os consumidores, além de serem mais facilmente testados e homologados.As bolsas de graduação e pós-graduação nasuniversidades exigiram um nível diferente deinteração entre empresa e estudantes para que Caso Montadoras – resistência aos buracospudessem ser bem aproveitadas. Relatórios A grande quantidade de buracos existenteperiódicos e apresentações do andamento do nas ruas e estradas brasileiras fez com que aprojeto duas vezes ao ano, para gerência e diretores Pirelli procurasse montadoras parceiras paraligados à área estimulam o estudante e o mantêm o desenvolvimento de pneus que fossem maisem contato com a empresa e sua realidade. resistentes ao impacto causado pelas depressões eDificuldades recorrentes em parcerias indústria- verificação de qual era a influência na durabilidade,academia decorrem da falta de compreensão fadiga de componentes da suspensão do veículo.sobre a diferença de tempo de processamento O desafio foi levado para a área de modelagem,de um projeto entre a empresa e a universidade, em conjunto com uma montadora de veículos. Aalém da conciliação entre as necessidades, metas simulação realizada demonstrou o comportamentoe missões de cada parte da parceria. A Pirelli e a resistência do pneu e da roda sob diversasreconhece tais dificuldades e busca contorná-las situações de buraco. Em parceria, Pirelli ecom intensa interação entre seus pesquisadores montadora conseguem desenvolver juntas os pneuse engenheiros e professores e pesquisadores e os veículos que serão mais resistentes e fazer ada universidade. Eles buscam intercâmbios homologação das inovações primeiramente.producentes de artigos, estudos, ideias eindicações de estudantes e profissionais da área.Essa interação é fator diferencial na parceria,levando à confiança e ao sucesso da inovaçãomais rapidamente.Caso Unicamp – compactação do soloEm parceria com a Unicamp, a Pirelli estudoumaneiras de solucionar um dos graves problemasda mecanização crescente da agricultura brasileira,a compactação do solo pelos pneus das máquinasagrícolas. O desafio foi lançado para a EngenhariaMecânica e a Engenharia Agrícola da Unicamp. NaEngenharia agrícola reproduziram os diversos tiposde solos brasileiros e foram executados testes com Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 5
    • Figura 2 - Teste de resistência aos buracosPortal Pirelli o seu desenvolvimento através da troca de informações em Comunidades de Prática eA Pirelli investe na inovação do formato de Comitês.integração do conhecimento e das pesquisas epessoas que desenvolvem esse conhecimento. Um 4. Blog da Inovação – local aberto paraportal mundial na intranet, a partir de Milão, estará captação de ideias (Inovação Espontânea),integrado com diversos outros portais semelhantes, discussão de desafios do momentocada qual num país onde a empresa tem atividades, (Inovação Induzida), desenvolvimento eespecialmente de pesquisa e desenvolvimento. construção de ideias, através de postagensA gestão do conhecimento será feita por meio e comentários dos participantes.desses portais, conectando todas as informaçõesexistentes na empresa numa rede acessível aqualquer interessado dentro da Pirelli. O portal hoje ainda é só um espaço corporativo.No Brasil, o Portal será dividido em quatro A interação entre os diversos membros da rededimensões: precisa ser reforçada, para se obter melhores resultados. Ela se mostra importante, pois 1. W i k i l i b r a r y P i r e l l i – e s p a ç o d e somente no espaço interativo é que as informações compartilhamento do conhecimento, deixam de ser apenas informações e passam a em que funcionários de todas as áreas ser conexões e, consequentemente, ideias mais podem acessar explicações, dados, aulas lapidadas para se tornarem inovações para a e informações sobre as diversas áreas do empresa. conhecimento na empresa. 2. Páginas Amarelas do Conhecimento – descrevem quem é quem na empresa, Investimentos futuros quem detém o conhecimento, quais são Com planos de investimentos de aproximadamente os trabalhos e relatórios publicados e as US$ 1 bilhão entre 2012 e 2015, na América do principais atividades. Sul e México, a Pirelli pretende tornar-se líder 3. Fóruns – espaço para a discussão no segmento Premium, meta que faz parte da direcionada de temas selecionados, para estratégia global da empresa. Para isso, precisa Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 6
    • promover cada vez mais a integração dos seus Bibliografia,Centros de Pesquisa e Desenvolvimento com a entrevistas ematriz na Itália, especialmente no Brasil, onde referênciasdesenvolve inovações para toda a AméricaLatina e onde pretende introduzir mais avanços Apresentação de caso feita no dia 06/03/2012,e tecnologias nos produtos de modo a atingir o em São Paulo, durante o encontro do Centrosegmento almejado no continente. de Referência da Inovação, da Fundação Dom Cabral.As inovações devem se concentrar nas áreasque a empresa mais tem apostado: materiais Documento “Apresentação Pirelli”, apresentadorenováveis, recicláveis e sustentáveis e produtos no dia 06/03/2012, em São Paulo, durantedesenvolvidos para a performance sustentável, o encontro do Centro de Referência dacom economia de combustível, maior durabilidade Inovação, da Fundação Dom Cabralda peça e menores emissões de CO2. Consultas ao site “Pirelli – Sobre a Empresa”,Também está prevista a construção do novo acesso durante o mês de maio/2012, em:Campo de Provas na cidade de Elias Fausto, em http://www.pirelli.com/tyre/br/pt/companySão Paulo, onde os pesquisadores da Pirelli e das Reportagem “União faz Inovação”, publicadamontadoras de veículos poderão testar inovações na edição 01 – jan/fev 2012 do jornale experimentações indoor e outdoors. Engenhar – Anpei, acesso em: http://www.A Inovação Aberta, modalidade de inovação que anpei.org.br/wp-content/uploads/2012/02/tem trazido bons resultados para a empresa, engenhar2012_1.pdftambém deve ser reforçada, em especial com as Entrevista, por e-mail, com Argemiro Costa,montadoras e as universidades, cujas parcerias respondida em 10/07/2012.têm resultado em projetos inovadores e novaspatentes.A continuidade do uso eficiente da Lei doBem possibilitará que essas e outras metas einvestimentos estratégicos no futuro de curto emédio prazo da empresa se concretizem, mesmoem meio a turbulências financeiras no mercadomundial. Casos FDC - Nova Lima - 2012 - CF1215 7