Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016

222 views

Published on

Relatório produzido pelo Observatório de Políticas Econômicas da FDC.

Published in: Economy & Finance
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
222
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016

  1. 1.  www.fdc.org.br  Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público Observatório de Políticas Econômicas|2016
  2. 2. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas IR  Quadro-Resumo  Necessidade de Financiamento do Setor Público  Resultado Primário  Evolução da Dívida Líquida do Setor Público  Dívida Bruta do Governo Geral  Evolução do Crédito no Brasil Publicação completa na NOTA DE CONJUNTURA BRASILEIRA, disponível em: http://www.fdc.org.br/professoresepesquisa/nucleos/Paginas/centro-de-referencia.aspx?Nucleo=Estrat%C3%A9gia%20e%20Neg%C3%B3cios%20Internacionais&Info=Materiais&CR=33 IR IR IR IR IR
  3. 3. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Quadro-Resumo (com relação ao período imediatamente anterior) Anterior Atual Variação NECESSIDADE DE FINANCIAMENTO DO SETOR PÚBLICO (MENSAL) (VALORES EM MILHÕES) R$ 52.827,24 (fevereiro de 2016) R$ 9.995,05 (março 2016) -81,08% RESULTADO PRIMÁRIO (MENSAL) (VALORES EM MILHÕES) R$ 23.039,95 (fevereiro de 2016) R$ 10.643,52 (março 2016) -46,12% NECESSIDADE DE FINANCIAMENTO DO SETOR PÚBLICO (ACUMULADO EM DOZE MESES) (VALORES EM MILHÕES) R$ 638.572,01 (fevereiro de 2016) R$ 579.317,79 (março 2016) -9,28% RESULTADO PRIMÁRIO (ACUMULADO EM DOZE MESES) (VALORES EM MILHÕES) R$ 125.139,14 (fevereiro de 2016) R$ 136.022,03 (março 2016) 8,70% DÍVIDA LÍQUIDA DO SETOR PÚBLICO (ACUMULADO EM DOZE MESES) (VALORES EM MILHÕES) R$ 2.186.771,34 (fevereiro de 2016) R$ 2.314.842,91 (março 2016) 5,86% DÍVIDA BRUTA DO GOVERNO GERAL (% DO PIB) R$ 4.017.298,54 (fevereiro de 2016) R$ 4.005.700,24 (março 2016) -0,29% EVOLUÇÃO DO CRÉDITO (% DO PIB) 53,36 (fevereiro de 2016) 53,6 (março 2016) 0,30 p.p. VOLTAR
  4. 4. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Necessidade de Financiamento do Setor Público (ACUMULADO EM 12 MESES – EM MILHÕES DE R$) 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600 650 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 nov/15 jan/16 mar/16 Milhares  NECESSIDADE DE FINANCIAMENTO DO SETOR PÚBLICO (NFSP)  Sobre as NFSP, nota-se que março de 2016 foi um mês atípico. Isso porque, as NFSP consolidadas no mês foram de R$ 9.995,05 milhões correntes, o que soma 18,92% do valor nominal das NFSP de março de 2016. Assim, o primeiro trimestre de 2016 encerrou com déficit nominal que somou R$ 91.127,72 milhões, totalizando R$ 579.317,80 milhões no consolidado de doze meses, cerca de 9,75% do PIB.  De acordo com o Banco Central do Brasil, financiou-se esse déficit nominal de janeiro de 2016 com expansão de R$70,2 bilhões na dívida mobiliária, compensando-se de modo parcial com queda da dívida bancária líquida (R$20,6 bilhões) e das demais fontes de financiamento interno (R$14,4 bilhões) e do financiamento externo líquido (R$6,9 bilhões). VOLTAR
  5. 5. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Resultado Primário (ACUMULADO EM 12 MESES – EM MILHÕES R$) -100 -80 -60 -40 -20 0 20 40 60 80 100 120 140 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 nov/15 jan/16 mar/16 Milhares  RESULTADO PRIMÁRIO  Março de 2016 encerrou com déficit primário de R$ 10.643,52 milhões. Nesse sentido, o primeiro trimestre de 2015 encerrou com déficit de R$ 365.560,02 milhões e acumulou déficit de R$ 136.022,03 milhões (2,28% do PIB). VOLTAR
  6. 6. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas 20 21 22 23 24 25 26 27 28 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 nov/15 jan/16 mar/16 Evolução da Dívida Líquida do Setor Público no Brasil (JANEIRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2015 – PERCENTUAL DO PIB) VOLTAR  DÍVIDA LÍQUIDA DO SETOR PÚBILCO (DLSP)  Em março de 2016, a divida líquida do setor público cresceu 2,1 p.p. com relação ao PIB, sendo a valorização cambial (10,61% a.m.) responsável por esse resultado. Em termos nominais, a DLSP foi de R$ 2.314.842,91 milhões, registrando crescimento de 5,86% com relação a fevereiro de 2016.
  7. 7. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Dívida Bruta do Governo Geral (JANEIRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2015 – PERCENTUAL DO PIB) 50,0 52,0 54,0 56,0 58,0 60,0 62,0 64,0 66,0 68,0 jan/13 mar/13 mai/13 jul/13 set/13 nov/13 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 nov/15 jan/16 mar/16 VOLTAR  DÍVIDA BRUTA DO GOVERNO GERAL  A dívida bruta do governo geral (que é soma consolidada das dívidas interna e externa) apresentou déficit de R$ 4.005.700,24 milhões em março de 2016, recuando 0,29% com relação a fevereiro. Já em termos de partição no PIB, a dívida bruta do governo geral foi de 67,3% do PIB (contração de 0,37 p.p.).
  8. 8. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução do Crédito no Brasil (RELAÇÃO CRÉDITO/PIB – JANEIRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2015) 50,0 50,5 51,0 51,5 52,0 52,5 53,0 53,5 54,0 54,5 55,0 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 nov/15 jan/16 mar/16  RELAÇÃO CRÉDTO/PIB  Em março de 2016 as operações de crédito do sistema financeiro teve retração de 0,7% com relação a fevereiro do mesmo ano, o que consolidou sua expansão de 3,3% em doze meses. Essa variação mensal é resultado do declínio no crédito para pessoas jurídicas (1,6% a.m.), mesmo a despeito da elevação de 0,3% a.m. nas operações com famílias. Dessa forma, a relação Crédito/PIB manteve o curso de recuo encerrando março de 2016 com recuo de 0,30% a.m. em sua participação no PIB, de modo que encerrou o primeiro trimestres a 53,06% do PIB. Ou seja, no primeiro trimestre de 2016, o crédito apresentou recuo consolidado em 0,91 p.p. no PIB. VOLTAR
  9. 9. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas  www.fdc.org.br  Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 – Nova Lima (MG) Campus Belo Horizonte Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho 30140-083 – Belo Horizonte (MG) Campus São Paulo Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.184 Vila Olímpia – 15º andar 04548-004 – São Paulo (SP) Campus Rio de Janeiro Av. Afranio de Melo Franco, 290 2º andar – Leblon 22430-060 – Rio de Janeiro (RJ) atendimento@fdc.org.br 0800 941 9200 Associados em todo Brasil

×