• Save
A Zona Costeira
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A Zona Costeira

on

  • 2,017 views

O Brasil apresenta uma extensa área costeira.Começa no Cabo Orange na Foz do Rio Oiapoque no Amapá até o ArroioChuí no Rio Grande do Sul. É quase toda voltada para o Atlântico Sul.Porém, uma ...

O Brasil apresenta uma extensa área costeira.Começa no Cabo Orange na Foz do Rio Oiapoque no Amapá até o ArroioChuí no Rio Grande do Sul. É quase toda voltada para o Atlântico Sul.Porém, uma pequena parcela é banhada peloMar do Caribe. Extensão: 8.698 km; Área total: Aproximadamente 388.000 km²; Amapá possui a maior área (12,3%); Piauí detém a menor área (0,2%);• Bahia é o estado com maior extensão (12,7%); Piauí possui a menor extensão (0,9%).

Statistics

Views

Total Views
2,017
Slideshare-icon Views on SlideShare
2,014
Embed Views
3

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 3

http://soueco.blogspot.com.br 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A Zona Costeira A Zona Costeira Presentation Transcript

    • O Brasil apresenta uma extensa área costeira.Começa no Cabo Orange na Foz do Rio Oiapoque no Amapá até o ArroioChuí no Rio Grande do Sul.
    • •É quase toda voltada para o Atlântico Sul.Porém, uma pequena parcela é banhada peloMar do Caribe.•Extensão: 8.698 km;• Área total: Aproximadamente 388.000 km²;• Amapá possui a maior área (12,3%);• Piauí detém a menor área (0,2%);• Bahia é o estado com maior extensão (12,7%);• Piauí possui a menor extensão (0,9%).
    • Na Costa Brasileira ocorrem diversos tipos de hábitats, formando uma enormediversidade de ecossistemas. Praias arenosas Manguezais Recifes de corais Dunas Costões rochosos
    • É a região costeira onde as ondas constantemente movimentam quantidadesde areia.
    • As águas que compõe os oceanos estão sujeitas à atração gravitacional doSol e da Lua; No lado do planeta em que a Lua se encontra a maré é alta. No lado oposto, a força gravitacional da Lua sobre a água é menor do que nos outros lados. Então, por inércia, a água tende a se afastar da Terra, dando origem neste lado também a uma maré alta.
    • Na Lua Nova e Cheia: a forçagravitacional da Lua está na mesmadireção do Sol, com isso, as marés altasficam mais altas e as marés baixas maisbaixas.Na Lua Crescente e Minguante: parteda força gravitacional da Lua é anuladapelo Sol, com isso, as marés baixas sãomenos baixas.
    • Faixa superior: apenas coberta pelo mar por ocasião de marés altas excepcionais, ressacas ou tempestades. Encontramos espécies melhor adaptadas à vida terrestre do que à aquática.Crustáceo - Grauçá, Insetos - Tesourinhavaza-maré, Maria-farinha Crustáceo - Tatuíra, tatu dágua e pulga do mar
    • Faixa mediana: sempre coberta e descoberta pelas marés duas vezes por dia;As espécies apresentam particularidades morfológicas oucomportamentais para impedir a perda de água durante a maré baixa. Crustáceo – Corrupto Molusco – Unha de moça
    • Equinodermo - Bolacha da Praia Molusco - Vôngole Poliqueto – Verme de fogo
    • Faixa inferior: quase sempre submersa, eventualmente expostadurante as marés baixas.Animais quase sem adaptações para a vida fora dágua Renilla (rim-do-mar)
    • Exploram a praia em busca de alimento. MaçaricosGaivotas Piru-piru
    • Animais trazidos à praia pelos ventos, ondas ou correntes Água-viva
    • Esgotos domésticosEspeculação imobiliária Crescimento desordenado do turismo
    • * Total de área de manguezais Brasileiros: 13.000 Km² a 25.000 Km² * Cabo Orange, no extremo norte do Amapá, até o rio Araranguá no litoral de Santa Catarina. • Em manguezais tropicais, * Temp. média acima de 20oC bactérias e fungos constituem * Mínimas a 15o C 91% da biomassa microbiana total.Nordeste: mangue seco, onde predominam •Algas 7% e os Protozoáriosárvores de pequeno porte e solo com alta 2%.salinidade.
    • Descrever uma variedade de comunidades costeiras tropicais dominadas por espécies vegetais, arbóreas ou arbustivas que conseguem crescer em solos com alto teor de sal. O termo "mangue" origina-se do vocábulo Malaio, "manggimanggi" e doinglês mangrove, servindo para descrever as espécies vegetais que vivem no manguezal.
    • A importância deste ecossistema reside na grandeprodutividade biológica com alta biodiversidade de peixes, crustáceos, moluscos, aves, répteis e mamíferos, sendo um dos ecossistemas mais produtivos de mundo.
    • Em virtude do solo salino e da deficiência de oxigênio, nos manguezais predominam os vegetais halófilosRhizophora mangle (mangue vermelho): Laguncularia racemosa (mangue branco):próprio de solos lodosos, com raízes aéreas; encontrado em terrenos mais altos, de solo mais firme, associado a formações arenosas;
    • Avicennia schaueriana (mangue preto, Conocarpus erectus (mangue decanoé): botão):Pertencente ao gêneroApresenta raízes horizontais e radiais a Conocarpus é menos freqüentepoucos centímetros abaixo da superfície na região Sudeste do Brasil. A espécie Laguncularia racemosa merece destaque por ser a única espécie típica de mangue encontrada no Arquipélago de Fernando de Noronha, num único manguezal localizado na Baía do Sueste
    • Sua biodiversidade tem significativa fonte de alimentos paraMero (Epinephelus itajara) as populações humanas. Nesses ecossistemas se alimentam e reproduzem mamíferos, aves, peixes, moluscos e crustáceos. Aves Moluscos Crustáceos* Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus)* Garça* Gavião-carrapateiro Animais Semi-residentes Mamíferos Ostra do mangue * Lontra (Crassostrea rhizophorae) * Golfinho Animais residentes *Peixe-boi-marinho Aratu (Aratus pisoni) Animais Semi-residentes Animais residentes
    • Os principais fatores que causam alterações nas propriedades físicas, químicas e biológicas do manguezal são: •Aterro e Desmatamento •Queimadas •Deposição de lixo •Lançamento de esgoto •Lançamentos de efluentes industriais •Dragagens •Construções de marinas •Pesca predatória
    • (Curral Velho) Acaraú-CE
    • FILO: Cnidários ou CoelenterataCLASSE: AnthozoeSUBCLASSE: ZoanthariaORDEM: MadreporariaDIÂMETRO DO PÓLIPO: cerca de 1 cmSEXO: Os indivíduos podem ser de qualquer dos sexos ou hermafroditasALIMENTAÇÃO: plancto.DISTRIBUIÇÃO: Águas não muito profundas, claras e quentes. Corais sãoencartados do Maranhão até o Alagoas e do sul da Bahia até Santa Catarina.
    • * São formados pela ação decomunidades de diversosorganismos, como as algascalcárias e corais, entre outrosorganismos.•Animais marinhos do grupo doscnidários, que possuemesqueleto calcário ou córneo.* Os recifes de corais são osambientes mais ricos eprodutivos do planeta,importantes para o ecossistemamarinho.
    • No mundo : 350 espécies de coraisCosta Brasileira: 18 Espécies Corais 8 espécies são consideradas endêmicas.Exemplo: Espécies gorgonácea, chifre-de-veado, alga verde, anêmona,margarida, sargaço, lírio do mar e cérebro.Os corais habitam cerca de 30% das espécies marinhas existentes no mundo e65% dos peixes. São inúmeras espécies como: Moréia, polvo, camarão, estrela-do-mar, ouriço-do-mar, siri, caracol, lesma do mar.
    • Os corais apresentam basicamente duas formas de reprodução: Assexuada: sem a participação de gametas (células sexuais) Sexuada: Com a presença de gametas.Na reprodução sexuada, os corais desenvolvem sistemas de fecundação que permitemaos gametas se encontrarem. Já a reprodução assexuada, não há a necessidade de outro indivíduo para gerar descendentes. GEMULAÇÃO ocorre por brotamento. O CORAL CISSIPARIDADE
    • Assim como servem de alimento, os recifes servem também para a proteção da linha de costa, evitando erosões decorrentes de fortes tempestades.Crescem verticalmente de 0,2 a São a base de sobrevivência de espécies, 8mm/ano. inclusive pelágicos, que não vivem nosOs moluscos e caranguejos se corais. alimentam dos corais ou seu muco. * Produção de alimento * Medicina * Indústria de cosméticosAlimentam por filtração da água, * Economia retirando dela os nutrientes * Lazer necessários. Eles se alimentam basicamente de zooplâncton - ou microanimais - que retiram da água preferencialmente à noite
    • O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, localizado no Sulda Bahia, é a maior reserva de recifes de coral do Brasil. Nesteambiente, uma espécie de coral que só ocorre na Bahia ,Mussismilia braziliensis (Verril), é a principal construtora dosrecifes.
    • • Poluição das águas • Desmatamento • Turismo marinho • PescaA pesca de arrasto e as bombas de dinamite com o intuito de matar ospeixes de fundo e trazê-los a superfície; extinguindo toda a fauna eflora presente. • Aumento de temperaturaSe a temperatura da água for superior a 29 graus centígrados, os corais sofrem "estresse térmico"
    • Uma das maiores ameaças aos recifes de corais é o chamado "branqueamentode corais", processo que leva à morte centenas de corais ao redor do mundo. Ofenômeno ocorre quando a temperatura da água aumenta, devido a causasnaturais.CO2 Colônia de Mussimilia Palythoa caribaeorum hispida(branqueada) (zoantídeo)
    • Vista aérea recifes Boipeba- BA Zoantídeo - Palythoa, Abrolhos - BA Abrolhos - BA Detalhe pólipo de coral, Abrolhos - BA
    • Anêmona-do-mar Mussismilia e são as principais construtoras dos recifes brasileirosEstrela-do-mar vermelha Gorgônia
    • Cientistas descobrem sete novas espécies de coral Novas espécies foram encontradas no Monumento Nacional Marinho Papahānaumokuākea. Cientistas dizem que há potencial para descobertas de outras espécies (Foto: Hawaii Deep-Sea Coral Expedition 2007/NOA ) Os cientistas encontraram uma árvore de corais amarela de quase dois metros, uma esponja gigante, duas espécies de esponja ainda não registradas, além de um "cemitério de corais". Os especialistas dizem que há potencial para descobertas de outras espécies.O "cemitério" cobre uma área de mais de três mil metros e fica localizado a cerca de 500 metros de profundidade. Os cientistas estimam que os corais tenham morrido a milhares de anos e as espécies não haviam sido registradas nos Estados Unidos.
    • São elevações de areia formadas pelos ventos que vêm do mar. Dunas de Genipabu - RN
    • As dunas costeiras formaram-se durante os últimos 5.000 anos pela interação entreo mar, o vento, a areia e a vegetação.Classificam-se de acordo com a sua mobilidade em:• Dunas fixas - quando a vegetação, principalmente, ou outro fator impede que ovento transfira as dunas de lugar;• Dunas móveis - quando a ausência de uma barreira faz com que o vento“carregue” as dunas.
    • Soterramento de via pública pela ação Soterramento da rodovia Cabo Frio -eólica das dunas - Cabo Frio - RJ Arraial do Cabo pela ação das dunas. As dunas de Peró, em Cabo Frio já avançaram cerca de 130 metros em 40 anos.
    • Lagoa do Abaeté - Salvador - BA Parque Nacional de Jericoacoara - CE Dunas de Natal - Natal - RN Dunas dos Lençóis Maranhenses - MA
    • Tavares - RSNo Rio Grande do Sul encontramos um dos maiores sistemas contínuos dedunas costeiras em todo o mundo. Já a duna mais alta do mundo, com 2.708metros acima do nível do mar, é a “Cerro Blanco” no Vale de Nazca, Peru.
    • Maria farinha Piru-piru
    • Estorno (Ammophila arenaria) Chorão (Carpobrotus edulis)
    • Impactos decorrentes da urbanizaçãodesordenada e do uso irracional dosrecursos naturais como colocação de lixo,retirada de areia, pastoreio e trânsito deautomóveis e motocicletas constituem asprincipais ameaças à conservação dosistema de dunas costeiras.
    • É o nome dado ao ambiente costeiro formado por rochas, situado natransição entre os meios terrestre e aquático. Vista aérea de uma baía formada por costa rochosa Fernando de Noronha, PE
    • Baía de São Marcos – MA Torres – RS
    • Cabo Frio – RJ
    • • Suas rochas possuem origem vulcânica;• O costões rochosos podem ser modelados por aspectos:Físicos: temperatura , erosão por batimento de ondas, ventos e chuvas;Químicos: reações da água do mar com os minerais que formam asrochas;Biológicos: causado por organismos habitantes ou visitantes do costão,como ouriços, esponjas e moluscos.
    • • Tipos de costões rochosos:Costões expostos: são aqueles que recebem maior impacto de ondas.Costões protegidos: são localizados onde o embate de ondas é suave.
    • Esponja-do-mar Anêmona Caranguejo Camarão Ouriço-roxo
    • Algas verdes Algas azuisAlgas vermelhas Algas pardas
    • A integridade ecológica da costabrasileira é pressionada pelo crescimento semplanejamento dos grandes centros urbanos, pelaespeculação imobiliária, pela poluição e peloenorme fluxo de turistas, na sua maioria aindasem consciência ambiental. A natureza vem dando sinais dedescontentamento, algumas vezes de formaamena e em outras de forma avassaladora,obrigando os homens a rever seusprocedimentos nos cuidados para com a Terra eseus habitantes.
    • http://www.ib.usp.br/ecosteiros/textos_educ/costao/index2.htmhttp://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=./agua/salgada/index.html&conteudo=./agua/salgada/ecossistemacosteiro1.htmlhttp://www.vivaterra.org.br/crustaceos.htm#caranguejoaranhahttp://www.vivaterra.org.br/moluscos.htmhttp://www.brasileitalia.info/forum/topic.asp?TOPIC_ID=7521http://www.deleibio.hpg.ig.com.br/biologia/biomas.html#A%20Zona%20Costeirahttp://www.infoescola.com/geografia/dunas/http://www.comciencia.br/reportagens/litoral/lit09.shtmlhttp://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=967&sid=2http://astro.if.ufrgs.br/fordif/node5.htmhttp://noticias.terra.com.br/educacao/vocesabia/interna/0,,OI3403001-EI8408,00.htmlhttp://astro.if.ufrgs.br/fordif/node3.htm#http://www.nema-rs.org.br/pags/pop_dunas.htmlhttp://mundoestranho.abril.com.br/mundoanimal/pergunta_286796.shtmlhttp://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=./agua/salgada/index.html&conteudo=./natural/biomas/praias.htmlhttp://br.geocities.com/saladefisica5/leituras/mares.htmhttp://www.ipaq.org.br/modules.php?name=Aquarioes&op=mostrar_especie&id=376&nome_map=d
    • Manguezal e Recifes de Corais:http://vivimarc.sites.uol.com.br/manguezal2.htmhttp://brasil.indymedia.org/pt/red/2004/09/289748.shtmlhttp://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/manguezais/manguezais-e-estuario.phphttp://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/corais/recifes-de-corais-3.phphttp://www.cnpma.embrapa.br/site_projeto_manguezais/http://brasil.indymedia.org/pt/red/2004/09/289764.shtmlhttp://www.naufragiosdobrasil.com.br/matrecifescoral2.htmhttp://curlygirl.no.sapo.pt/platelmintes.htmhttp://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/corais/recifes-de-corais-6.phphttp://www.naufragiosdobrasil.com.br/matrecifescoral2.htmhttp://www.faperj.br/boletim_interna.phtml?obj_id=368http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/corais/recifes-de-corais-3.phphttp://www.altiplano.com.br/Coral.htmlhttp://www.faunabrasil.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=114http://www.miramarmaragogiresort.com/blog/Recifes-Costeiros---Coral/index.htmlhttp://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/branqueamento-dos-corais/recifes-de-corais-5.phphttp://www.usp.br/cbm/index.php/artigos-acesso-livre/73-recifes-de-coral-e-branqueamento.html http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1033300-5603,00.html