Ergonomia e seguranca_industrial_capitulo1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ergonomia e seguranca_industrial_capitulo1

on

  • 1,143 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,143
Views on SlideShare
1,143
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
21
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ergonomia e seguranca_industrial_capitulo1 Presentation Transcript

  • 1. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.1 - Origem e evolução da ergonomia1) O que é ergonomia ? (e não ergonometria e muito menos ergologia) Adaptação do trabalho ao ser humano: O trabalho tem todo um pano de fundo de sofrimento: * Em latim: trabalho = tripalium trabalhar= tripaliare (torturar com o tripalium) * Na bíblia: “ganharás o pão com o suor de teu rosto” * Na Grécia antiga: duplo sentido: ponos = penalidade ergon = criação No sentido etimológico do termo: Ergonomia significa estudo das leis do trabalho. 1
  • 2. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.1 - Origem e evolução da ergonomia2) Evolução histórica Não existe ainda uma história, propriamente dita, sobre ergonomia; Conjunto de conhecimentos referentes ao homem em atividade de trabalho permitiu o surgimento desta disciplina; Os primeiros estudos sobre o homem em atividade profissional foramrealizados por engenheiros, médicos do trabalho e pesquisadores de diversas áreas de conhecimento. 2
  • 3. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.1 - Origem e evolução da ergonomia O termo ergonomia foi utilizado pela primeira vez, em 1857, pelo polonês W. Jastrzebowski, que publicou um artigo intitulado “Ensaio de ergonomia ou ciência do trabalho baseada nas leis objetivas da ciência da natureza”. Quase cem anos mais tarde, em 1949, um engenheiro inglês chamado Murrel criou na Inglaterra a primeira sociedade nacional de ergonomia, a “Ergonomic Research Society”. 3
  • 4. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.1 - Origem e evolução da ergonomia Posteriormente, a ergonomia desenvolveu-se em numerosos países industrializados, como a França, Estados Unidos, Alemanha, Japão e países escandinavos. Em 1959 foi fundada a “International Ergonomics Association”. Em 31 de agosto de 1983 foi criada a “Associação Brasileira de Ergonomia”. Em 1989 foi implantado o primeiro mestrado do país no PPGEP/UFSC. 4
  • 5. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.1 - Origem e evolução da ergonomia3) O desenvolvimento atual da ergonomia Pode ser caracterizado segundo quatro níveis de exigências: As exigências tecnológicas: técnicas de produção As exigências econômicas: qualidade e custo de produção As exigências sociais: melhoria das condições de trabalho As exigências organizacionais: gestão participativa 5
  • 6. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.2 - Conceitos de ergonomia Conceito da Ergonomics Research Society (U.K.): “ A ergonomia é o estudo da relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução surgida neste relacionamento”. 6
  • 7. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.2 - Conceitos de ergonomia Conceito da International Ergonomics Association (IEA): “ A ergonomia é o estudo científico da relação entre o homem e seus meios, métodos e espaços de trabalho. Seu objetivo é elaborar, mediante a contribuição de diversas disciplinas científicas que a compõem, um corpo de conhecimentos que, dentro de uma perspectiva de aplicação, deve resultar em uma melhor adaptação ao homem dos meios tecnológicos e dos ambientes de trabalho e de vida”. 7
  • 8. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.2 - Conceitos de ergonomia Conceito da Associação Brasileira de Ergonomia (ABERGO): “A ergonomia é o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas e psicológicas do ser humano”. 8
  • 9. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.3 - As diferentes abordagens em ergonomia 1) Quanto a abrangência: Ergonomia do posto de trabalho: abordagem microergonômica Ergonomia de sistemas de produção: abordagem macroergonômica 9
  • 10. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.3 - As diferentes abordagens em ergonomia 2) Quanto a contribuição: Ergonomia de concepção: normas e especificações de projeto Ergonomia de correção: modificações de situações existentes Ergonomia de arranjo físico: melhoria de seqüências e fluxos de produção Ergonomia de conscientização: capacitação em ergonomia 10
  • 11. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.3 - As diferentes abordagens em ergonomia 3) Quanto a interdisciplinaridade: Engenharia: projeto e produção ergonomicamente seguros Design: metodologia de projeto e design do produto Psicologia: treinamento e motivação do pessoal Medicina e enfermagem: prevenção de acidentes e doenças do trabalho Administração: 11 projetos organizacionais e gestão de R.H.
  • 12. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.4 - Os diferentes tipos de ergonomia 1) Ergonomia de projeto X Ergonomia industrial: Ergonomia de projeto: é a ergonomia preventiva no estágio de projeto Ergonomia industrial: é a ergonomia corretiva de situações existentes 12
  • 13. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.4 - Os diferentes tipos de ergonomia2) Ergonomia do produto X Ergonomia da produção Ergonomia do produto: é a ergonomia de concepção de um dado objeto Ergonomia da produção: é a ergonomia de chão de fábrica 13
  • 14. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.4 - Os diferentes tipos de ergonomia 3) Ergonomia de laboratório X Ergonomia de campo Ergonomia de laboratório: é a pesquisa em ergonomia realizada em situação controlada de laboratório; Ergonomia de campo: é a pesquisa em ergonomia realizada em situação real de trabalho. 14
  • 15. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia A Teoria de Sistemas surgiu com os trabalhos do biólogo alemão Ludwig Von Bertalanffy, publicados entre 1950 e 1968. Pressupostos básicos da teoria de sistemas: Existe uma nítida tendência para a integração nas várias ciências naturais e sociais; Essa integração parece orientar-se no sentido de uma teoria de sistemas; 15
  • 16. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Essa teoria de sistemas pode ser uma abordagem mais abrangente de estudar os campos não-físicos do conhecimento científico; Essa teoria de sistemas aproxima-nos do objetivo da unidade científica; Os pressupostos anteriores podem promover a necessária integração na educação científica. Premissas básicas da teoria de sistemas: Os sistemas existem dentro dos sistemas; Os sistemas são abertos; As funções de um sistema dependem de sua estrutura. 16
  • 17. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE CIBERNÉTICA: Cibernética é a ciência da comunicação e do controle, seja dos seres vivos naturais (homem), seja dos seres artificiais (máquina). A comunicação: interação O controle: regulação Segundo BERTALANFFY (1975), “cibernética é uma teoria dos sistemas de controle baseada na comunicação (transferência de informação) entre o sistema e o meio ambiente, e dentro do próprio sistema, e do controle (retroação) da função dos sistemas com respeito ao ambiente”. O campo de estudo da cibernética são os sistemas. 17
  • 18. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE SISTEMA BERTALANFFY define sistema como um conjunto de unidades reciprocamente relacionadas. Desta definição decorrem dois conceitos: Objetivo do sistema: as unidades, bem como os relacionamentos, definem um arranjo que visa sempre um objetivo. Globalidade: o sistema sempre reagirá globalmente a qualquer estímulo produzido em quaisquer das suas unidades. Isto é, há uma relação de causa- efeito entre as diferentes partes do sistema. A definição de um sistema depende da focalização à ele dada pelo indivíduo que pretenda analisá-lo. Uma determinada situação de trabalho pode ser: um sistema; um sub-sistema; um super-sistema 18
  • 19. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Sistema é um conjunto de componentes (partes ou órgãos do sistema), dinamicamente interrelacionados entre si em uma rede de comunicações (em decorrência da interação dos diversos componentes), formando uma atividade (comportamento ou processamento do sistema), para atingir um determinado objetivo (finalidade do sistema), agindo sobre sinais, energia e materiais (insumos ou entradas a serem processadas pelo sistema), para fornecer informação, energia ou produto (saídas do sistema). ENTRADA Dados Informação SAÍDA Energia Energia PROCESSAMENTO Materiais Produtos 19
  • 20. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE ENTRADA (input): Entrada é o que o sistema importa do meio ambiente para ser processado. Pode ser: Dados: permitem planejar e programar o comportamento do sistema; Energia de entrada: permitem movimentar e dinamizar o sistema; Materiais: são os recursos a serem utilizados pelo sistema para produzir a saída. 20
  • 21. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE SAÍDA (output): Saída é o resultado final do processamento de um sistema. Pode ser: Informação: são os dados tratados pelo sistema; Energia de saída: é a energia processada pelo sistema; Produtos: são os objetivos do sistema (bens, serviços, lucros, resíduos,...) 21
  • 22. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE CAIXA PRETA (black box): Um sistema cujo interior não pode ser desvendado é denominado de caixa preta. Sistemas hipercomplexos Sistemas impenetráveis ENTRADA ∫ SAÍDA Ação Reação Estímulo Resposta Causa Efeito 22
  • 23. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE RETROAÇÃO (feedback): A retroação é um mecanismo de comunicação entre a saída e a entrada do sistema. As principais funções da retroação são: Controlar a saída do sistema; Manter o equilíbrio do sistema; Manter a sobrevivência do sistema. ENTRADA SAÍDA RETROAÇÃO 23
  • 24. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE HOMEOSTASIA A homeostasia é a capacidade que têm os sistemas de manterem um equilíbrio dinâmico,entre os diversos componentes ou partes, por intermédio do mecanismo de retroação(auto-controle ou auto-regulação). COMPETÊNCIA CONCEITO DE INFORMAÇÃO Conhecimento é a informação que, devidamente CONHECIMENTO tratada, muda o comportamento do sistema . Informação é um conjunto de dados com um determinado significado para o sistema. INFORMAÇÃO Dado é um registro a respeito de um determinado evento (um sinal) para o sistema. DADO 24
  • 25. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia CONCEITO DE REDUNDÂNCIA A redundância é a quantidade de informação excedente, correspondente aos sinais, cuja ocorrência pode ser prevista a partir de outros sinais. CONCEITO DE ENTROPIA O conceito de entropia vem da segunda lei da termodinâmica, segundo a qual “um sistema que não troca energias com o meio ambiente tende a entropia, isto é tende à degradação, à desintegração e, enfim, ao desaparecimento”. CONCEITO DE INFORMÁTICA A informática é a parte da cibernética que permite o tratamento racional e sistemático da informação por meios totalmente automáticos. 25
  • 26. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Um sistema de produção é aquele representado por todas as unidades e relações necessárias e suficientes para alcançar um determinado objetivo pré-fixado. O objetivo de um sistema de produção define a realidade para a qual foram ordenadas todas as unidades e relações do sistema, enquanto as suas restrições são as limitações introduzidas em sua operação, definindo assim as fronteiras do sistema e as condições dentro das quais o mesmo irá operar. Os sistemas podem operar, simultaneamente, em série ou em paralelo. Os sistemas existem em um meio ambiente e são por ele condicionados. Meio ambiente é o conjunto de todos os objetivos que, dentro de um limite específico, possam ter alguma influência sobre a operação do sistema. As fronteiras de um sistema são as condições ambientais dentro das 26 quais o sistema deve operar.
  • 27. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia A teoria da informação (segundo C. SHANNON & W. WEAVER) é uma teoria estatística que permite medir a quantidade de informação emitida (ou recebida) por uma fonte. A unidade de quantificação da informação é o BIT, que corresponde a quantidade de informação transmitida por uma fonte, cuja probabilidade de emissão é 1/2. Por convenção, os cálculos são efetuados no sistema logarítmico de base 2. Quando todos os sinais emitidos por uma fonte são independentes, uns dos outros, a entropia desse sistema (o valor médio da informação emitida) é dada pela relação: H = - Σ p log 2 p Onde: p é a probabilidade de ocorrência dos sinais emitidos pela fonte Se todos os sinais são equiprováveis, a entropia é máxima e igual a log2 n Onde: n é o número de sinais 27
  • 28. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Para SHANON, a informação é emitida por uma fonte sob a forma de mensagens que, para serem transmitidas, são codificadas por um emissor, que transforma estas mensagens em sinais. A transmissão é assegurada pela via de comunicação (canal) até o receptor que decodifica os sinais a fim de torná- los utilizáveis pelo destino. Toda a degradação da informação durante a comunicação é devida aos efeitos de ruído ou interferência. FONTE EMISSOR CANAL RECEPTOR DESTINO RUÍDO 28
  • 29. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Quanto a sua constituição os sistemas podem ser: Sistemas físicos ou concretos: quando compostos de hardwares; Sistemas abstratos: quando compostos de softwares. Os sistemas físicos (máquina) precisam de um sistema abstrato (programação) para poderem funcionar e desempenhar suas funções. Quanto à sua natureza os sistemas podem ser: Sistemas fechados: são sistemas cujo comportamento é totalmente determinístico e programável e que operam com pouco intercâmbio com o meio ambiente; Sistemas abertos: são sistemas cujo comportamento é probabilístico (as vezes estocástico) e não programável e que mantém uma forte interação com o meio ambiente. 29
  • 30. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia QUANTO A COMPLEXIDADE: Sistemas simples: dinâmicos; Sistemas complexos: altamente elaborados e bem inter- relacionados; Sistemas hipercomplexos: complicados e não descritivos. QUANTO A OCORRÊNCIA: Sistemas determinísticos: totalmente previsíveis; Sistemas probabilísticos: previsíveis segundo uma certa probabilidade; Sistemas estocásticos: totalmente imprevisíveis. 30
  • 31. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia SISTEMAS SIMPLES COMPLEXOS HIPERCOMPLEXOS DETERMINÍSTICOS Encaixe de janela Computador digital PROBABILÍSTICOS Jogos de dados Mercado de capitais Economia Nacional ESTOCÁSTICOS Movimento de uma lesma Reflexos condicionados Cérebro humano 31
  • 32. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia PROPRIEDADES: Os sistemas cibernéticos apresentam três propriedades: são sistemas complexos: focalizados como caixa preta; são sistemas probabilísticos: tratados estatisticamente; são sistemas auto-regulados: homeostáticos. HIERARQUIA: Sistemas simbólicos Sistemas sócio-culturais Homem Animais SISTEMAS ABERTOS Organismos inferiores Sistemas abertos Sistemas cibernéticos simples Sistemas dinâmicos simples SISTEMAS FECHADOS Sistemas estáticos 32
  • 33. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Os sistemas abertos podem ser entendidos como conjuntos de partes em constante interação (característica de interdependência das partes), constituindo um todo sinérgico (o todo é maior do que a soma das partes), orientados para determinados fins (comportamento teleológico) e em permanente relação de interdependência com o ambiente externo (influencia e é influenciado pelo meio ambiente externo); 33
  • 34. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Segundo a visão sistêmica, TAYLOR, FAYOL e WEBER abordaram as organizações dentro de uma perspectiva de sistema fechado: Os sistemas fechados são sistemas isolados das influências das variáveis externas, sendo, então, determinísticos; Um sistema determinístico é aquele em que uma mudança específica em uma de suas variáveis produzirá um resultado particular com certeza; Um sistema fechado requer que todas as variáveis sejam conhecidas e controláveis. 34
  • 35. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Os sistemas abertos estão em constante interação dual com o meio ambiente, atuando, a um só tempo, como variável independente e como variável dependente do ambiente; Os sistemas abertos tem capacidade de crescimento, mudança, adaptação ao meio e até auto-reprodução, sob certas condições ambientais; É contingência dos sistemas abertos competir com outros sistemas, o que não ocorre com o sistema fechado. 35
  • 36. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia As organizações têm seis funções principais mantendo estreita relação entre si: ingestão; processamento; reação ao ambiente; suprimento das partes; regeneração das partes; organização. 36
  • 37. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Características das organizações como um sistema aberto: Comportamento probabilístico e não-determinístico; As organizações como partes de uma sociedade maior e constituída de partes menores; Interdependência das partes; Homeostase e “estado estável”; Fronteiras ou limites; Morfogênese. 37
  • 38. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Sistemas vivos Sistemas organizacionais Nascem, herdam seus traços São organizados, adquirem sua estrutura estruturais. em estágios. Morrem, seu tempo de vida é Podem ser reorganizados, teoricamente limitado. têm uma vida ilimitada, podem ressurgir. Tem um ciclo de vida pré- Não têm ciclo de vida definido. determinado. São abstratos: podem ser descritos em São concretos: podem ser descritos em termos físicos e químicos. termos psicológicos e sociológicos. São completos: parasitismo e São incompletos: dependem da simbiose são excepcionais. cooperação com outras organizações. Doença é definida como um distúrbio Problema é definido como um desvio nas no processo vital normas sociais. 38
  • 39. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia MODELO: Modelo é a representação de alguma coisa. Os modelos físicos ou matemáticos são importantes para facilitar a compreensão do funcionamento dos sistemas. Segundo M. de MONTMOLLIN (1978), “modelo é um sistema de representação intencionalmente simplificada da realidade”. 39
  • 40. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Este sistema limita a representação à um número restrito de categorias, as quais comportam um número limitado de graus ou de variáveis. Os diferentes modelos estão relacionados à modelos mais amplos ou mais gerais, de entendimento da realidade, isto é, daquilo que os sociólogos chamam de ideologia. 40
  • 41. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Importância dos modelos: Manipulação da representação e não da realidade; Incerteza organizacional; Facilidade de elaboração de modelos. Tipos de modelos: Isomorfos: possuem formas semelhantes; Homomorfos: possuem formas proporcionais. 41
  • 42. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Os sistemas ser humano - máquinas SHM é um conjunto de postos de trabalho, articulados uns aos outros. Entrada H M H M H M Posto de trabalho H M Saída M H H M 42
  • 43. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia SITUAÇÃO DE TRABALHO ENTRADAS MÁQUINAS SAÍDAS I A A I I A Informações Informações HUMANO recebidas de transmitidas para outros postos outros postos 43
  • 44. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Evolução dos sistemas ser humano - máquinas: Estágio artesanal: percepção e respostas diretas Sinais MÁQUINA HOMEM Respostas 44
  • 45. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Evolução dos sistemas homens - máquinas: Estágio semi-automatizado: percepção e respostas indiretas Sinais Dispositivo Dispositivo MÁQUINA HOMEM sinalização comando Respostas 45
  • 46. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Evolução dos sistemas homem(s) - máquina(s): Estágio fortemente automatizado Meio ambiente I II Objeto de trabalho β γ α + Automatismos + δ Outra Sistema ε φ Sistema SIAD máquina sinalização comando 5 2 3 6 1 4 A C Operador X Operador Y Operador Z B D 46
  • 47. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Os sistemas homens - tarefas São mais ricos que os sistemas Homem(s)-Máquina(s); As tarefas compreendem não só as condições técnicas de trabalho, mas também as condições ambientais e organizacionais de trabalho. Os diferentes tipos de tarefa: Tarefa prescrita; Tarefa induzida ou redefinida; tarefa atualizada; 47
  • 48. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Ambiente Tecnologia Produção Atividades Homem Tarefa de Resultados sócio-econômicos Trabalho Organização Saúde ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA 48
  • 49. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Delimitação do sistema homem-tarefa: Definição da missão do sistema; Definição do perfil do sistema; Identificação e descrição das funções do sistema e sub-sistemas; Estabelecimento de normas; Atribuição de funções aos homens e às máquinas. Delimitação do sistema homem-tarefa: Qualquer que seja o sistema homem-tarefa a ser estudado, de um simples posto de trabalho à um sistema de produção complexo, funciona segundo quatro funções básicas, cada uma fornecendo normas de produção: 49
  • 50. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Funções do Sistema de Produção Normas de Produção Funções do sistema geral: Normas de ação, intervenção corretiva ou de retificação; Funções do sistema de produção Normas de rendimento, de considerado: tempo e de qualidade do trabalho; Funções dos subsistemas Normas de arranjo físico do entradas e saídas: posto de trabalho; Funções das conexões e relações Normas de bom relacionamento do sistema de produção: hierárquico e funcional. 50
  • 51. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Descrição das componentes do sistema homem- tarefa: É a identificação das exigências da tarefa Precisar o tipo de intervenção ergonômica e as diversas áreas envolvidas; Identificar os grandes processos (os modos operativos); Preparar planos de enquete (questionários, protocolos verbais, levantamentos posturais, etc.); Diagnosticar disfunções evidentes. 51
  • 52. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes ao homem: Trabalhador (ou trabalhadores) que intervém no posto e seu papel no sistema de produção; Formação e qualificação profissional; Número de trabalhadores trabalhando simultaneamente sobre cada posto e regras de divisão de tarefas (quem faz o que?); Número de trabalhadores trabalhando sucessivamente sobre cada posto e regras de sucessão (horários, modos de alternância de equipes); Características da população: idade, sexo, forma de admissão, remuneração, estabilidade no posto e na empresa, absenteísmo, turn- over, sindicalização,... 52
  • 53. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições técnicas (máquina): Estrutura geral da máquina (ou das máquinas); Dimensões características (croqui, foto, fluxo de produção); Órgãos de comando da máquina; Órgãos de sinalização da máquina; Princípios de funcionamento da máquina (mecânico, elétrico, hidráulico, pneumático, eletrônico,...); Problemas aparentes na máquina; Aspectos críticos evidentes na máquina. 53
  • 54. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições técnicas (entradas): Natureza das matérias-primas; Natureza dos produtos semi-acabados; Natureza das energias; Natureza das adições dos diversos produtos; Natureza das informações. Dados a coletar referentes às condições técnicas (saídas): Características dos produtos tratados, controlados ou fabricados pelo sistema de produção, em termos de qualidade e quantidade (este produto pode ser uma informação). 54
  • 55. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes aos seguintes sinais: Informais; Codificados; Verbais; Escritos. Dados a coletar referentes às ações: As ações imprevistas ou não programadas; Os principais gestos de trabalho realizado pelo operador; As principais posturas de trabalho; Os principais deslocamentos; As principais ligações sensório-motoras; As principais categorias de tratamento de informação; As principais decisões a serem tomadas; As principais regulações: do homem, posto e sistema; as principais ações do operador sobre: máquina, entrada e saída. 55
  • 56. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições ambientais: O espaço e os postos de trabalho; O ambiente térmico; O ambiente acústico; O ambiente luminoso; O ambiente vibratório; O ambiente toxicológico. 56
  • 57. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições organizacionais: Repartição de funções entre os diferentes postos; O arranjo físico das máquinas e sistemas de produção; A estrutura das comunicações; Os métodos e procedimentos de trabalho; As modalidades de execução do trabalho (horários, equipes, normas de produção, modo de remuneração, etc.); As modalidades de planificação e de tomada de decisão. 57
  • 58. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições técnicas (fontes de informação): Levantamento dos diferentes sinais úteis ao operador; Diferentes tipos de canais (visuais, auditivos, etc..); Variedade de suportes (cor, grafismo, letras,...); Frequência e repartição dos sinais; Intensidade dos sinais luminosos e sonoros; Dimensões dos sinais visuais (relação distância-formato); Discriminação dos sinais de um mesmo tipo (ex: sonoro); Riscos do efeito de máscara ou de interferência de sinais; Dispersão espacial das fontes; Exigência de sinais de advertência; 58 Importância das diferenças de intensidade a serem percebidas.
  • 59. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Dados a coletar referentes às condições técnicas (comandos): Número e variedade de comandos; Posição, distância relativa dos sinais e dos comandos; Grau de precisão da ação do operador sobre os comandos; Intervalo entre o aparecimento do sinal e dos comandos; Rapidez e frequência das ações realizadas pelo operador; Grau de compatibilidade nos movimentos de diferentes comandos, manobrados sequencial ou simultaneamente; Grau de realismo dos comandos; Disposição relativa dos comandos; Grau de correspondência entre a forma dos comandos e suas funções; Grau de coerência no sentido dos movimentos. 59
  • 60. 1. FUNDAMENTOS DA ERGONOMIA 1.5 - Abordagem sistêmica em ergonomia Descrição dinâmica do sistema homem-tarefa: Descrição lógico-temporal das operações do sistema. 60