• Save
Inforlena 45
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Inforlena 45

on

  • 1,006 views

Grupo Lena corporate magazine

Grupo Lena corporate magazine

Statistics

Views

Total Views
1,006
Slideshare-icon Views on SlideShare
1,006
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Inforlena 45 Inforlena 45 Document Transcript

    • INFOR LENA JULHO/DEZEMBRO 2012 N.º45 Confiança no FuturoDestaque: XIII Convenção Grupo LenaAMBIENTE e energia: Novo Ambiente +Grande Energia = Confiança no FuturoENGENHARIA, Construção e concessões: Lena Construções conclui último troço do IC9Imobiliária: Santa Luzia, um projeto de referência no FunchalIndústria e Serviços: Viamarca marca presença em obras de relevoAngola: Palácio da Luena em curso com a Lena AngolaARGÉLIA: Arranque da nova fase do Hospital de TamanrassetBrasil: Lançamento do projecto Morada Flor de LisVenezuela: Lena Venezuela inaugura primeira fábricaAUTOMÓVEIS: Apresentação do novo Peugeot 208Comunicação: Região de Leiria promove mais uma GalaTURISMO: Novo cartão preferencial para clientesOUTROS: Publicenso desenvolve promoção do Villa Sicó
    • 2 SumárioCon­se­lho Edi­to­ri­alAn­tó­nio Bar­ro­ca Ro­dri­gues EDITORIAL Confiança no futuro 3Jo­a­quim Bar­ro­ca Vi­ei­ra Ro­dri­guesJo­a­quim Pau­lo Con­cei­çãoDireção COMISSÃO EXECUTIVA Focalização com sentido 5An­tó­nio Bar­ro­ca Ro­dri­guesCo­or­de­na­ção DESTAQUE XIII Convenção Grupo Lena 7Direção de Marke­ing te Comunicação do Gru­ o Le­ a p n AMBIENTE E ENERGIA Novo Ambiente + Grande Energia = Confiança no Futuro 12De­signwww.publicenso.ptPro­pri­e­da­de Engenharia, ConstruçÃO e ConcessõesGru­po Le­na Trabalhos Arqueológicos na Barragem do Baixo Sabor 13Apartado 1004PC Santa Catarina da Serra2496-907 Santa Catarina da Serra IMOBILIÁRIA Medilena implementa projetos de dinamização comercial 15PORTUGALTel.: (+351) 244 749 100Fax: (+351) 244 749 110 INDÚSTRIA E SERVIÇOS Viamarca marca presença em obras de relevo 17E-mail: ge­ral@gru­po­le­na.ptSi­te: www.gru­po­le­na.ptDe­pó­si­to Le­gal ANGOLA Iniciada a reabilitação da estrada entre Lucusse e Lumbala N’ Guimbo 18N.º 226820/05Re­vis­ta semestral pu­bli­ca­dape­lo Gru­po Le­na ARGÉLIA Arranca com segunda fase da obrado Hospital de Tamanrasset 22To­dos os di­rei­tos re­ser­va­dosDis­tri­bui­ção gra­tui­ta BRASIL Lançamento do projeto Morada Flor de Lis 24 VENEZUELA Lena Venezuela inaugura primeira fábrica 26 Automóveis Lena Automóveis apresenta novo Peugeot 208 27 COMUNicação Região de Leiria promove mais uma Gala 29 Turismo Novo cartão preferencial para clientes 31 Outras participadas Publicenso desenvolve promoção do Villa Sicó 35 JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 3 EditorialConfiança no futuro A confiança mede-se todos os Temos por princípio fazer muito e dias. Demora quase sempre fazer bem. E ninguém está mais habili- a conquistar-se, mas tado do que as nossas pessoas para o jamais se perde se os saber e fazer. Por isso, num ano de alicerces forem fortes decisões difíceis em que toda a estru- e o compromisso tura teria que estar sensibilizada e assumido. envolvida nas adaptações necessárias, No Grupo Lena é confiámos aos melhores o comando assim. do Grupo Lena e delegámos nos Há um ano atrás com- CEO’s de cada área de negócio o prometemo-nos com cumprimento dos objetivos específi- a ação, anunciando um cos, assumindo claramente pela meri- plano de transformação tocracia o nosso valor de CONFIANÇA. interno que visasse, em E porque é com confiança que encara- equipa mas com lide- mos o futuro, nas mãos desta equipa ranças claras e uma esteve a definição e concretização de visão de futuro, sermos um plano de transformação que capazes de “fazer aconte- visasse redirecionar o Grupo para as cer, de agir e não de reagir, áreas core, cujo sucesso dependeria de construir um futuro mais amplamente do envolvimento dos sustentável”. parceiros internos e externos, colabo- radores e stakeholders em particular. Um ano difícil volvido, e 2011 foi mar- cado pela implementação da mudança através da profissionalização da gover- nance em todo o Grupo Lena em sintonia com os objetivos traçados, este foi o principal desafio conse- guido pela nova gestão do Grupo. Assumimos ser um dos princi- pais players nacionais no mer- cado das Obras Públicas, do Ambiente e Energia, ao mesmo tempo que desen- volvemos o nosso plano de internacionalização na procura de mercados que sustentem a nossa atividade e know-how, permitindo a conti- nuação do nosso continua... JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 4Editorial crescimento de negócios e resultados individualmente para salvar um todo. particularmente nos mercados do Sentimo-nos, contudo, reconhecidos Magreb, da Venezuela, de Angola, do pelo esforço conjunto e orgulhosos da Brasil, da Europa Central e de Leste, e equipa Grupo Lena que incansavel- também para lá as nossas equipas mente se mantém ao nosso lado… foram direcionadas, destacando mais Muito ainda há por fazer, é verdade, uma vez os melhores para cada mis- mas temos como um dos nossos valo- são, com a garantia de implementar res de base o RESPEITO pelos com- local e globalmente a cultura Grupo promissos que assumimos e, determi- Lena por quem já se embrenhara nela. nadamente, não nos desviaremos do Concluído o primeiro trimestre de caminho que nos levará onde almeja- 2012, verificamos que a nossa área mos. internacional, num desenvolvimento Afinal… particularmente nos últimos motivado pela aposta estratégica de dois anos, provámos que quando crescimento do Grupo, representa temos CONFIANÇA, o FUTURO agora mais de 50% do nosso negócio. acontece! É louvável o desafio de mobilidade Hoje somos um grupo com gestores que as nossas pessoas assumiram com profissionais determinados em imple- vista ao cumprimento dos objetivos mentar, controlar e valorizar todas as do Grupo, encarando-os como metas medidas com as quais nos compro- mínimas de desempenho! Afinal, sabe- metemos, não só com os acionistas mos que entregar-se mais do que pro- mas também com todos os stakehol- fissionalmente, pessoalmente a esta ders envolvidos neste processo de causa, não é de todo fácil, mas só pos- adaptação e mudança. É nosso com- sível com a dedicação e espírito de promisso concluir esta árdua cami- missão com que cada um se compro- nhada, só possível com as equipas de meteu genuinamente! gestão que criámos, com os parceiros A árdua caminhada que temos vindo a e colaboradores que temos e que ao fazer não nos deixa vaidosos; pelo longo dela têm avançado heroica- contrário, reconhecemos que temos mente. tomado decisões difíceis e que muito Obrigado a todos, que mostrais Con- sacrifício tem sido exigido a cada um fiança no Futuro do Grupo Lena! António Barroca Rodrigues Presidente do Conselho de Administração do Grupo LenaJULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 5 Comissão ExecutivaFocalização com sentidoTemos vindo a apresentar-vos os o presente e garantir confiança noprincipais objetivos que têm presidido futuro? Sem ser muito exaustivo, ten-à transformação do Grupo Lena (GL). tarei identificar as principais linhas deDiminuir a dívida, melhorar as mar- orientação para o GL.gens operacionais, aumentar a nossacarteira de negócios (com predomi- 1) Grupo Lena, uma multinacionalnância internacional), focalização em Como já vos referi, esperamos quenegócios core escolhidos e alienação 2102 nos traga quase 70% de negóciodos restantes, e simplificar a estrutura do exterior. Portugal, Espanha, Romé-societária, são os principais objetivos nia, Bulgária, Marrocos, Argélia,cumpridos e a cumprir presentes no Angola, Moçambique, Brasil e Vene-dia a dia da Comissão Executiva do zuela são os destinos atuais que que-GL. remos reforçar. Controlar negóciosO ponto de situação relativamente à com proximidade é difícil, geri-losconcretização de cada um dos objeti- com a barreira da distância só se con-vos referidos tem vindo a ser dado segue com grande profissionalismo naatravés das comunicações semanais gestão. O controlo de gestão e oque vamos fazendo. Por isso, nesta apoio às áreas internacionais terá umreflexão sobre o que nos dá confiança protagonista que será o mais impor-no futuro detalharei o que falta ainda tante veículo do Grupo, existente emfazer em geral, destacando o que Portugal, para os próximos anos: ateremos de fazer desde já. USP GL. Será o braço direito da LenaCom uma diminuição da dívida líquida SGPS para o apoio a todas as Comis-superior a 150 milhões nos dois últi- sões Executivas do GL, um prestadormos anos, com margens operacionais de serviços de excelência a todas asa subir face à performance internacio- nossas unidades de negócio.nal (destaque para Venezuela, Angolae Argélia), com quase 4 mil milhões 2)  cultura comum como “ele- Ade negócio em carteira (80% na área mento absorvente” da distânciainternacional) nas áreas core de Cons- A focalização em resultados e a ges-trução e Ambiente, e com vários pro- tão eficaz com o ónus da distância vãocessos de integração que levaram ao concretizar-se com o robustecimentodesaparecimento de mais de 40 da nossa cultura de Grupo. Os nossosempresas desde junho de 2010, trans- valores de Rigor, Solidez e Coopera-formámo-nos num Grupo com mais ção serão de aplicação universal, inde-negócio e margem, menos dívida, pendentemente da especificidade damenos administradores (menos 23 cultura de cada país onde estamos. Aem dois anos) e com metade dos nos- auditoria ao cumprimento no terrenosos colaboradores a trabalhar fora de dos valores que defendemos seráPortugal gerando mais de dois terços uma constante da nossa atuação. Estedos nossos negócios já este ano de cumprimento será a bitola principal2012. Hoje somos um Grupo NOVO, para analisar o desempenho das váriasa transformação foi REAL. O que já foi hierarquias do Grupo. Além do cum-feito é a primeira fonte de confiança primento dos princípios e normas deno futuro; sim porque para ter con- conduta, as nossas hierarquias serãofiança no futuro primeiro é preciso avaliadas pela capacidade de passaremgarantir o presente e esse requisito para as suas equipas uma visão cons-primário está concretizado. trutiva e positiva do nosso GL. TemosAssim, de uma forma pragmática, o motivos para ter confiança, no Joaquim Paulo Conceiçãoque precisamos fazer para consolidar entanto, existe sempre quem opte Presidente da Comissão Executiva do Grupo Lena JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 6Comissão Executivapela posição do “profeta da desgraça” do nosso chefe, da nossa empresa e uma imagem de grande dinamismo. Oe da desconfiança de tudo e todos, do nosso Grupo. Se este envolvi- contexto económico e o impacto deincluindo colegas, chefes, empresas, mento não existir o salário vira algumas opções levaram-nos a umaGrupo e acionistas. A confiança e o “mesada” para o colaborador e um luta intensa, que ainda não terminou,futuro constroem-se com líderes “imposto” para o empregador. Depois para retomarmos a prática dos nossosconstrutivos e positivos e não perma- da simplificação a que fomos obriga- valores mais relevantes: o Rigor e anentemente desconfiados e temero- dos, precisamos de estabilizar as equi- Solidez. Baixar a dívida, melhorarsos. Os Líderes GL são e serão cons- pas. Com a confiança no futuro ganha, negócios, margem e, sobretudo, atrutivos (do lado da solução e não do e sabendo com quem contamos, é liquidez, serão prioridades a manterproblema). Os Líderes GL são e serão obrigatório promover a satisfação das para garantir que cada vez maispositivos (e não destrutivos na “radio nossas equipas. O plano de formação dependeremos de nós mesmos (soli-alcatifa”). Os Líderes GL respeitarão orientado e as atividades motivacio- dez) para cumprir os diversos com-uma forte cultura comum assente no nais que desenvolveremos serão uma promissos que assumimos e assumire-Rigor, Solidez e Cooperação e serão, parte do esforço global que faremos mos (rigor). O Rigor e a Solidez têmsobretudo, construtivos e positivos. para fidelizar e satisfazer as nossas de ser visíveis nas nossas práticas eMas não queremos que ter cultura sig- equipas. nas nossas demonstrações financeiras.nifique rigidez à mudança. O Líder GL Esta visibilidade que retomámos é fun-inova. O Líder GL fomenta e acolhe 4) Cooperação a sério damental para a confiança no nossonovas ideias para melhoria de produ- Qualquer empresa e qualquer ativi- futuro. Os principais indicadores finan-tos e processos ou para promoção da dade do GL devem ser identificadas ceiros, que monitorizam a nossa estra-racionalização. Resumindo, os Líderes como o elemento de uma família. Isto tégia desde 2010, manter-se-ão foca-GL, cada vez mais longe em quilóme- para dizer que, enquanto tivermos dos na garantia de que a luta paratros, verão a distância anulada com jornais, hotéis, automóveis e outros reforçar o Rigor e a Solidez continuaum desempenho que potencie uma serviços, as suas vendas devem ser ao rubro.cultura de Rigor, Solidez e Coopera- potenciadas em todos os clientes e,ção, alimentada com atitudes constru- principalmente, em todos os fornece- Concluindo, enquanto reestruturámostivas, positivas e inovadoras. Depois dores do GL. Todos os administrado- e simplificámos o nosso Grupo, está-da produção de resultados, serão res deverão ter objetivos de venda de vamos a fazer história na internaciona-estes os traços principais que suporta- outros produtos do GL à sua base de lização da nossa economia. Somos umrão a nossa avaliação das hierarquias dados de clientes ou de fornecedores. dos Grupos nacionais com maiordo Grupo. Isto é, numa situação de crise pro- exposição internacional, que no pri- funda, vamos potenciar uma verda- meiro semestre de 2012 contribuiu3)  stabilizar as equipas e consolidar E deira Política Comercial GL. A partir com mais de 45 milhões de euros de a satisfação da Direção de Marketing, promovere- exportações só para a Venezuela. ADurante o período de transformação mos várias campanhas que visarão nossa capacidade comercial em Portu-constatámos que o principal fator his- melhorar a penetração de produtos gal foi reforçada e preparada paratórico de fidelização dos nossos cola- GL nos clientes atuais das nossas encarar as limitações do mercadoboradores tem sido o salário. É conhe- empresas. O aproveitamento da nossa doméstico, e a nossa capacidadecida a nossa opinião e a nossa ação no base de dados (de clientes e fornece- comercial externa tem reveladosentido de melhorar a cultura empre- dores) é, como sabem, um velho grande dinamismo. Temos custossarial e a qualidade da nossa gestão, sonho adiado que agora urge concre- reduzidos para mais negócios atuais epara que estas possam desvalorizar o tizar. Temos negócios do GL “cheios futuros, temos uma superior estruturaefeito das condições materiais na fide- de sede”, passa um rio a um passo de apoio dinamizadora de uma culturalização dos nossos melhores quadros. dos seus pés que é do mesmo dono que potencia o profissionalismo eNunca diremos que o salário não é mas tem tido acesso vedado. Quando encurta as distâncias, temos equipasimportante, ou até muito importante, nasce o rio Lena, nasce para todos, profissionais e emocionalmente com-mas não pode ser a única coisa que desde que usemos a água com res- prometidas que queremos fidelizar,liga o colaborador à empresa. Se ini- ponsabilidade. Com cooperação a temos uma base de contactos queciamos um namoro ou um casamento sério, não vai faltar água e a confiança será nascente de oportunidades,só pelo aspeto físico, esse relaciona- no futuro estará “saciada”. temos uma luta para intensificar quemento será sempre limitado. Precisa- assumimos com orgulho porquemos de envolvimento emocional. 5) A luta continua TEMOS TUDO para TER CON-Temos de gostar dos nossos colegas, Durante muitos anos conquistámos FIANÇA NO FUTURO.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 7 DestaqueFocalizaçãocom Sentidona XIIIConvençãodo Grupo LenaO Grupo Lena realizou no passado dia 20 de abril a sua XIIIConvenção. Este importante evento do grupo empresarialmais relevante da região Centro do País aconteceu noPalace Hotel Monte Real, reunindo mais de uma centena decolaboradores do Grupo Lena. Sob o tema “Focalizaçãocom Sentido”, o encontro serviu essencialmente para darnota sobre a recente evolução do Grupo e os desafios futu-ros.Os primeiros momentos passaram pelo discurso de aberturado Vice-Presidente do Conselho de Administração doGrupo Lena, Joaquim Barroca Rodrigues, e pela apresenta-ção do Filme Resumo sobre o ano 2011.Seguiu-se a entrega dos prémios Tableau de Bord relativo aoano 2011 onde se destacou o desempenho de algumasempresas do Grupo: o primeiro lugar no ranking pertenceu àempresa Lenaparts, o segundo à empresa Lena AbrantinaImobiliária, e o terceiro à Civilena. Recorde-se que o Tableaude Bord avalia as empresas num conjunto de indicadoresfinanceiros, de marketing e de recursos humanos considera-dos estratégicos para o Grupo Lena.O desempenho económico-financeiro foi apresentado deseguida pelo CFO do Grupo Lena, Paulo Silva Reis. Desta-cou-se que o Grupo atingiu em 2011 mais de 850 milhõesde euros de volume de negócios, representando a áreainternacional um total de 27,4% deste valor. A carteiranacional e internacional do Grupo Lena está próxima dos 4mil milhões de euros, um valor nunca antes alcançado porqualquer grupo empresarial português.O esforço de racionalização e aproveitamento de sinergias,encetado desde o início do processo de reestruturação hácerca de dois anos, foi bem visível nas palavras do CFO doGrupo Lena. Desde o início deste processo, o Grupo passoupor fusões, emagrecimento de estruturas e reduções signifi-cativas nos custos operacionais. De facto, as estruturas derecursos humanos diminuíram cerca de 35%, entre as quaisas estruturas de suporte que diminuíram 30%, provocando JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 8Destaqueuma poupança total anual estimada tégicos, fundiram-se catorze empresas momento da convenção com umaacima dos 26 milhões de euros. Para e dissolveram-se mais seis. E porque frase de Sophia de Mello Breyneralém disso, o total da frota do Grupo se considerou imprescindível conti- Andresen “…Por isso recomeço semLena reduziu 36%, alienaram-se doze nuar este ciclo de racionalização e cessar a partir da página em branco…”.negócios não core ou ativos não estra- simplificação, terminou-se este A terminar o rol de apresentações, Joaquim Paulo Conceição, CEO do Grupo Lena, deu a conhecer os desa- fios para 2012. A necessidade de capi- talização e integração de negócios, maior liquidez, flexibilização da estru- tura de custos, avaliação com sentido, prioridade da área internacional de onde deverá vir cerca de 70% do volume de negócios, são alguns dos desafios apresentados para este ano. Segundo Joaquim Paulo Conceição, “o Grupo Lena soube antecipar os tem- pos particularmente difíceis, ajus- tando-se com coragem e determina- ção. Precisamos de continuar a mudar necessariamente, fazendo mais com menos. É absolutamente fundamental perceber que precisamos de estar sempre abertos à mudança, aprofun- dando os nossos valores de Rigor, Solidez e Cooperação”. No final da ordem de trabalhos doJULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 9 Destaque dia, António Barroca Rodrigues, Presi- dente do Conselho de Administração do Grupo Lena, salientou a necessi- dade da continuidade na “focalização com sentido” por parte das adminis- trações e quadros do Grupo Lena. A XIII Convenção culminou com a realização de um jantar, onde foram distinguidas as Comissões Executivas do Grupo Lena que mais se destaca- ram num conjunto de indicadores que incluem Volume de Negócios, EBTIDA, Resultados Líquidos, Motiva- ção de Equipas, Cumprimento de Objetivos SMART, entre outros. Os primeiros lugares do ranking pertence- ram às Comissões Executivas da Lena Ambiente e Energia (primeiro), Lena Brasil (segundo), Lena Argélia (ter- ceiro) e Lena Angola (quarto).III Encontro de Quadros InternacionaisNo dia 19 de abril decorreu, tambémno Palace Hotel de Monte Real, o IIIEncontro de Quadros Internacionaisdo Grupo Lena. Participaram noencontro mais de 40 administradorese quadros, provenientes sobretudo daárea internacional.A abertura do encontro foi realizadapelo Vice-Presidente do Conselho deAdministração do Grupo Lena, Joa-quim Barroca Rodrigues, e o encerra-mento pelo Presidente do Conselhode Administração, António BarrocaRodrigues.Todas as Comissões Executivas daárea internacional (Argélia, Angola,Moçambique, Brasil, Marrocos, EuropaCentral e Venezuela) falaram doscompromissos assumidos e concreti-zados em 2011, e dos resultados pre-vistos para 2012. Sistemas de Informação, Financeira e apresentados na parte final do encon-Com uma importância crescente do Jurídica) referiram, assim, as linhas tro.peso da área internacional nos negó- gerais de atuação da respetiva área no Recorde-se que, atualmente, o Grupocios, é essencial que as equipas de apoio aos países. Lena encontra-se presente em trêssuporte existentes em Portugal se O modelo de débitos internacionais e continentes, tendo como principaisvirem também para estes mercados. os sistemas de reporting, que garantam sectores internacionalizados a Cons-Todas as Direções do Centro Corpo- harmonização da informação de ges- trução, Indústria, Ambiente, Automó-rativo (Recursos Humanos, Marketing, tão e monitorização atempada, foram veis, Turismo e Inovação. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 10DestaqueENGL dá início à formaçãoem Gestão de ObraNo âmbito do plano de formação daEscola de Negócios, no passado dia 4de maio teve lugar, no Auditório dasinstalações do Grupo Lena, a sessãosolene de abertura do itinerário forma-tivo para Gestores de Obra 2012, quecontou com a participação de 53 qua-dros.Este ambicioso programa de formação,que aparece na sequência do programa“Controlo de Gestão de Obra” reali-zado em 2011, é composto por trêsmódulos e um total de nove sessões deformação. Tem como grande objetivodesenvolver e consolidar as competên-cias dos nossos Diretores de Obra paraque possam desempenhar as suas fun- momento e demonstrando qual deve sam a todo o momento ter informaçãoções com maior abrangência e rigor, ser a atitude adequada de um Gestor de gestão rigorosa e atualizada.permitindo-lhes perceber claramente de Obra. Este exigente programa de Na sessão de abertura da formação,qual o impacto das suas decisões no formação garantirá ainda que toda a para além dos 53 participantes, estiveresultado final da empresa e dos negó- organização conhece e implementa os ainda presente a Administração, repre-cios que dirigem. procedimentos instituídos e que todos sentada por Amílcar Guerreiro e Joa-Deste modo, ao longo das sessões será dominam as ferramentas de gestão ao quim Paulo Conceição, os quais subli-percorrido todo o processo do negócio dispor na organização, e em especial os nharam a importância e carácterapós a adjudicação da obra, refletindo instrumentos de prestação de contas estratégico deste programa de forma-sobre as melhores práticas em cada para que, desta forma, as empresas pos- ção. Colaboradores entram na última etapa do RVCC No passado dia 13 de abril, teve início tendo-se seguido o processo de RVCC 12.º ano). Concluída esta fase, o processo de Reconhecimento, RVCC 9.º ano, processo esse que os formandos entram na fase final de Validação e Certificação de Compe- ficou concluído já em finais de 2010. reconhecimento e validação de com- tências (RVCC) de 18 colaboradores Em 2011, teve início a preparação petências, a qual deverá ficar conclu- da Equimetra, Lena Engenharia e para o nível de 12.º ano através da ída até outubro. Construção, e LEC – Gestão de Ser- aprendizagem de uma língua estran- Os benefícios que este esforço tem viços Partilhados, ACE. Até final de geira (exigência do referencial de trazido para os colaboradores e para julho, e com a ajuda de quatro forma- a empresa são inegáveis. De facto, dores e uma profissional de RVCC, este percurso tem permitido desen- os formandos irão desenvolver o seu volver competências que são críticas projeto com vista à obtenção do nos dias que correm, de que são diploma de reconhecimento de com- exemplo o conhecimento de meios petências de nível secundário (12.º informáticos e o domínio da língua ano). inglesa. Por fim, e não menos impor- Até aqui o percurso da maioria des- tante, há ainda a salientar os ganhos a tes formandos foi já longo e estrutu- nível de autoestima e o convívio rado. Começou em finais de 2009, entre colegas de trabalho que estes com a realização da Unidade de For- programas proporcionam. mação de Curta Duração (UFCD),JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 11 Destaque Colegas da área financeira da USP CONSTÂNCIA ZERE RIO ZÊ juntam-se numa descida do Rio Tejo CASTELO DE ALMOUROLVILA NOVA DA RIO TEJOBARQUINHA Foi no passado dia 23 de junho que descida do rio Tejo numa prazerosa descida realizaram um percurso adicio- alguns colegas dos departamentos de atividade de confraternização para nal de dois quilómetros e, chegados a tesouraria e de contabilidade, integra- todos. Vila Nova da Barquinha, regressaram a dos na Unidade de Serviços Partilha- O percurso teve início logo pela Constância para, merecidamente, dos do Grupo Lena, se juntaram para manhã em Constância e, iniciada a retemperar forças. Em Constância, uma descida de canoa no rio Tejo, descida, rapidamente se tornou ani- esperavam estes “aventureiros de seguida de almoço em Constância. mado com diversas brincadeiras entre canoa” mais alguns colegas para almo- A ideia de realizar um encontro entre colegas, como lançamentos de água çar. colegas surgiu após uma sessão de tra- ou choques de caiaque. De acordo com os participantes no balho no departamento de tesouraria, Os participantes também tiveram a convívio, foi um dia agradável pelo que tendo o convite sido alargado aos oportunidade de disfrutar da natureza todos demonstraram vontade de colegas da contabilidade. com várias paragens e mergulhos, nas repetir a experiência. Estes encontros Apesar da instabilidade meteorológica improvisadas praias fluviais, e uma são uma importante forma de aumen- na véspera do encontro, os 22 partici- visita ao Castelo de Almourol, cons- tar a proximidade entre colegas com pantes puderam aproveitar de um truído numa ilha em pleno rio Tejo. os quais se partilha grande parte dos agradável dia de Verão, o que tornou a Com a animação, os participantes na dias do ano. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 12Ambiente e EnergiaNovo Ambiente + Grande Energia =Confiança no Futuro Miguel dos Santos Henriques CEO AMBIENTE E ENERGIAFoi no início do mês de agosto que a pessoas que se deslocam de várias segundo semestre mais nos absorverá.Lena Energia e as suas participadas zonas geográficas. Daí que a disponibili- A reforçar a atividade em Espanha, quemudaram as instalações para a sede do dade psicológica da equipa para acom- cada vez se consolida com mais força, aGrupo Lena, concretizando assim o panhar os passos estratégicos do aposta nos mercados internacionaisobjetivo último da otimização de recur- Grupo é de louvável reconhecimento. segue com Angola como uma oportu-sos: a gestão centralizada da atividade. nidade francamente prometedora atéCentralizar para otimizar é uma priori- ao final deste ano, bem como com odade. Prioridade do Grupo como um Grande Energia Brasil, a Sérvia e a Argélia. É nesse sen-todo e prioridade da Lena Energia Mas mais mudanças poderiam significar tido que as nossas equipas se têm des-como subsidiária que cumpre assim os mais desgaste. Não, pelo contrário são locado e trabalhado nos novos merca-objetivos maiores de integração, quer sinónimo de mais e maior energia, dos, em sintonia com as comissõesfísica, quer administrativa e processual. motivação e entrega. A capacidade de executivas que operam em cada umAs alterações verificam-se também ao envolvimento das pessoas depende de deles. Consolidar parcerias nestes paí-nível humano. nós que, enquanto líderes, as incentiva- ses é prioritário para este ano ainda. mos. As reconhecemos. As louvamos. Se temos confiança no futuro? Sem E a performance desta área de negócio, dúvida. Num setor tão específicoNovo Ambiente em ritmo de crescimento e em contra- quanto o nosso, contar com o envolvi-No stricto sensus do termo, Novo ciclo com a conjuntura económica mento de cada um é fundamental. AAmbiente é sinónimo de novo atual, não seria possível se, no meio de experiência acumulada ao longo dosambiente de trabalho. A mesma alguma instabilidade acionista ocorrida últimos anos e o investimento em cadaequipa, um local diferente. Estamos no último ano, cada um não se sentisse um feito exigem dos nossos quadrosfinalmente mais próximos da estrutura envolvido e motivado. uma capacidade de adaptação e dee do poder central, integrados no seio mobilização, sem que isso seja um sacri-da grande família Lena e na rotina diária fício mas uma evolução natural. Precisa-de centenas de colaboradores de todas Confiança no futuro mos que essa experiência seja aprovei-as áreas de negócio do Grupo. A atividade da Lena Energia prevê gran- tada nos novos mercados, replicando láA capacidade de adaptação à mudança des desenvolvimentos nos próximos fora os resultados de sucesso que con-tem sido o grande ponto forte da tempos. Além da parceria com a seguimos cá dentro. E quem melhorequipa LAE, que em apenas alguns Fomentinvest que, já formalizada, segue para nos acompanhar e ajudar senãomeses esteve em Abrantes, Leiria e em frente com a atividade da Nouvelles aqueles que ao longo do tempo nuncaQuinta da Sardinha. Encarar estes pro- Environments, fazendo crescer significa- oscilaram nem duvidaram desta nossacessos de mudança com tamanha ligei- tivamente o negócio da Lena Ambiente, capacidade?reza tem sido impressionante, pois que teremos notícias a muito breve trecho Se temos confiança no futuro…? Nósna prática implica mexer com os hábi- sobre o projeto da energia das ondas. somos a confiança, nós construímos otos e rotinas diárias de uma série de Mas é a internacionalização que neste futuro!JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 13 Engenharia, Construção e ConcessõesTrabalhos arqueológicos na Barragemdo Baixo SaborA construção da barragem hidroelé-trica do Baixo Sabor encontra-se acargo da Lena Construções em parce-ria com a Odebrecht e envolve cercade 1.600 colaboradores, dos quais 196estão afetos aos trabalhos de acompa-nhamento arqueológico. A obra teveinício em 2008 para a EDP e situa-seno leito do rio Sabor, abarcando umavasta área do distrito de Bragança. Defacto, a albufeira desta barragemenglobará parte dos concelhos deTorre de Moncorvo, Alfândega da Fé,Mogadouro e Macedo de Cavaleiros.Um dos fatores marcantes no desen-volvimento desta obra tem sido osdiversos trabalhos arqueológicos quea mesma tem requerido. Dada aextensão do território submerso e asprofundas alterações na paisagem,houve necessidade de criar um Planode Salvaguarda do Património – PSP –com o objetivo de mitigar os impactos Sabor enquadrando-se no Paleolítico pológico de um pequeno territórioque a referida empreitada terá sobre o Superior (entre 40.000 a.C. e 10.000 localizado na margem direita do riopatrimónio. a.C.). A idade do Ferro (entre 1.200 Sabor – Cilhades. Neste pequenoDiversos estudos científicos têm sido a.C. e 27 a.C.) também se encontra lugar existem claras evidências de umacontemplados, recaindo sobre dife- bem representada através da arte ocupação continuada no tempo, ini-rentes áreas e categorias patrimoniais rupestre, com representações de ani- ciada na II Idade do Ferro, prolon-do vale do rio Sabor e englobando mais, cenas de caça e armas. gando-se pelo período romano euma ampla cronologia desde a pré- No estudo da pré-história (que se medieval e estendendo-se, pratica--história antiga até à época contempo- divide em quatro períodos – Paleolí- mente, até aos dias de hoje.rânea. tico, Neolítico, Calcolítico e Idade do O estudo dos elementos edificados eDe facto, desde o início da investiga- Bronze), salienta-se o sítio arqueoló- arquitetónicos no Baixo Sabor pre-ção arqueológica em 2008 foram des- gico encontrado na Pedreira de Relvas tende investigar a Paisagem Tradicio-cobertos mais de mil locais de inte- onde foram identificados materiais nal (entre a Idade Média Plena – séculoresse histórico e arqueológico, como fragmentos cerâmicos, indústria XI – até às décadas de 1950 e 1960),designados de Elementos Patrimoniais lítica lascada em quartzo e quartzito, a sua construção e transformações,(EP). Entre eles, contam-se gravuras um anel e um punção de metal. bem como as vivências atuais.paleolíticas, abrigos pré-históricos, for- No estudo sobre o período romano, O desenvolvimento destes diversostificações da Idade do Ferro, casais foram realizadas sondagens arqueoló- estudos levaram ainda à criação de umromanos, necrópoles medievais, siste- gicas em oito sítios aparentemente Gabinete de Espólio onde são trata-mas agrícolas modernos e contempo- romanizados, entre os quais se salienta dos todos os materiais decorrentesrâneos, entre muitos outros vestígios. o sítio do Cabeço da Grincha onde foi das escavações arqueológicas e dasComeçando pelo estudo da arte descoberto um conjunto de estruturas ações de acompanhamento arqueoló-rupestre (pintura e gravura), a gravura de cronologia romana. gico. Entre os diversos colaboradoresencontrada na rocha da Ribeira da A par dos outros estudos, foi também afetos a estes estudos, o PSP contaSardinha é, até ao momento, a mais equacionada a análise aprofundada ao ainda com uma equipa de antropólo-antiga evidência de arte na área do rio nível histórico, arqueológico e antro- gos culturais. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 14Engenharia, Construção e ConcessõesLena Construções concluiúltimo troço do IC9O último lanço do IC9, que liga Nazaré a Tomar, foi aberto euros, com uma extensão total de 110 quilómetros (cons-ao trânsito no passado mês de maio. Com a extensão total trução/exploração de 85 quilómetros mais exploração dede 40 quilómetros, fica integralmente concluída esta ligação, 25 quilómetros), mais dois quilómetros de alargamento. Decuja extensão completa é de 110 quilómetros. realçar que, esta via transversal no litoral oeste do país,A obra, na qual a Lena Construções esteve envolvida, per- abrange uma população residente de 400.000 habitantes,mite a ligação, sem portagem, entre a EN242 (Nazaré) e o distribuídos por nove concelhos, além de representar umaIC3 (Tomar), traduzindo-se numa redução significativa do importante redução do tempo de viagem e melhoria signifi-percurso em 34 quilómetros de extensão, além de repre- cativa das condições de segurança.sentar uma importante redução do tempo de viagem e Esta concessão constitui um forte impulso para o incre-melhoria significativa das condições de segurança rodoviária. mento de uma rota turística de excelência, ligando em redeAssim, as acessibilidades aos concelhos da Nazaré, Alco- vários itinerários turísticos que incluem os castelos de Leiriabaça, Batalha, Porto Mós, Leiria, Ourém e Tomar ficam e de Porto de Mós, os mosteiros de Alcobaça, da Batalha eagora muito mais facilitadas. o Convento de Cristo, em Tomar, classificados como Patri-Recorde-se que o IC9, parte da concessão Litoral Oeste, mónio Mundial, bem como a praia da Nazaré e o Santuáriocorresponde a um investimento total de 622 milhões de de Fátima.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 15 ImobiliáriaMedilena implementa projetosde dinamização comercialA Medilena implementou, no final do primeiro trimestre de2012, o projeto comercial INFOCO. Este projeto visamelhorar os resultados comerciais através de uma maiororientação e dinâmica, criando propostas de valor mais atra-tivas para os seus clientes.Foram, desta forma, criados ciclos de vendas focalizados emdeterminados produtos e segmentos de clientes, agregandode forma sistematizada em iniciativas e campanhas variáveiscomo o produto, a comunicação, o pricing e o timing.Durante o ano 2012, os comerciais Medilena têm, destaforma, uma agenda comercial composta por um conjuntode campanhas que representam importantes argumentos devenda e que se dirigem às necessidades dos seus clientes –proprietários, compradores ou arrendatários. De entre asvárias campanhas, destacam-se: Venda de Imóveis GrupoLena, Fox Invest, Moradias, Casa na Praia, Arrendamentopara Estudantes, entre outras.Para além deste projeto comercial INFOCO, a empresaimplementou uma iniciativa que convida os colaboradoresdo Grupo Lena a tornarem-se angariados imobiliários, viaCanal Lena. Por cada negócio de venda de imóvel concreti-zado com sucesso, a Medilena oferece um valor equivalentea 1,5% do negócio em produtos e serviços Grupo Lena. Ainiciativa reconhece a importância da colaboração dos qua-dros do Grupo.Jardim dos Plátanos com 100%de financiamento garantido Desde julho de 2012 que o empreendimento “Jardim dos Plátanos”, localizado em Alferrarede – Abrantes, apresenta uma importante vantagem para os potenciais compradores. A mesma passa pela possibilidade de se poder adquirir uma fração neste empreendimento, com financiamento da tota- lidade do valor de aquisição, com um spread reduzido e por um prazo mais dilatado. Tudo isto é possível graças a um protocolo estabelecido com o banco parceiro com vista à dinamização comercial do imóvel. O “Jardim dos Plátanos” possui em carteira apartamentos, lojas e escritórios para venda e arrendamento, com exce- lentes níveis de qualidade e com um design muito atual. Para além de representar um espaço tranquilo e bastante agradável, o local onde se insere é rico ao nível do comér- cio, serviços públicos, serviços de saúde, educação, acessibi- lidades e transportes públicos. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 16Imobiliária Santa luzia - um projeto de referência no Funchal O Edifício Santa Luzia, em pleno tante investimento, integrando dois res e com níveis de conforto, design centro do Funchal na Rua 5 de blocos de 30 apartamentos, um e segurança ao nível do que de Outubro, representa o principal pro- bloco de 30 escritórios, 11 lojas, dois melhor o mercado apresenta. Estas jeto em curso do Grupo Lena Imobi- edifícios de serviços e 500 estaciona- valências, associadas à localização liária. mentos. central, representam fatores chave Com o final de construção previsto Durante o ano 2011, o projeto foi na comercialização das várias fra- para o primeiro semestre de 2013, revisto, com acabamentos modernos ções, tendo já despoletado o inte- este projeto representa um impor- à base de vidro nas fachadas exterio- resse do mercado madeirense. Imóvel do Fundo comercializado no Funchal O Grupo Lena Imobiliária, em parceria com a sociedade Num momento em que o mercado imobiliário atravessa Norfin, gestora do Fundo de Investimento Imobiliário (FII) tempos de estagnação, esta foi uma operação importante, do Grupo Lena – Novimove – alienaram, no passado mês representando um reforço de liquidez bastante interes- de julho, o edifício de quatro pisos que o FII detinha no sante para o FII. Funchal.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 17 Indústria e ServiçosViamarca marca presençaem obras de relevoA Viamarca tem marcado presença em e melhora consideravelmente as acessi- 342, nó de Condeixa IC, lote 11 – adiversas obras de relevo em Portugal. bilidades da sua população. A cargo da Viamarca tem a seu cargo a implemen-Desde o início do ano, a empresa já foi sua empresa ficou também a sinalização tação e manutenção da sinalizaçãoresponsável pela sinalização vertical e vertical e horizontal de dois lanços do temporária. Um trabalho de elevadahorizontal em diversos lanços como no IC9 (um lanço pertencente à Novopca e importância uma vez que interfere comIC5 e no IC9, entre outros. Para além outro à Lena Engenharia e Construções), uma via de grande tráfego, o IC2.disso, tem sido responsável pela manu- assim como a ligação do IC9 à Nazaré. Para além disto, a empresa mantém ostenção da sinalização existente em Este troço do IC9 foi aberto ao trânsito seus trabalhos de conservação deoutros lanços e estradas. em maio e liga Tomar à Nazaré sem guardas de segurança na rede das Auto-Na Concessão do Douro Interior – IC5 portagens. -Estradas do Atlântico e várias emprei-– a Viamarca procedeu à sinalização Na Concessão do Baixo Tejo, a tadas de conservação de marcaçõesvertical e horizontal do Lote 8 com cerca Viamarca foi responsável por trabalhos rodoviárias para diversas empresasde 46 quilómetros, por um valor de de sinalização vertical em três lanços, dos privadas.cerca de 600 mil euros. Este Itinerário quais um deles já aberto ao trânsito. Esta A empresa realiza ainda trabalhos deComplementar, aberto ao trânsito na obra significou para a empresa cerca de manutenção de pinturas rodoviárias nasua totalidade em final de abril, liga os 2 milhões de euros. A25 e na A26, rede da ASCENDI, paradistritos de Vila Real, Bragança e Guarda Na Concessão do Pinhal Interior – EN a Mota-Engil. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 18InternacionalAngolaIniciada a reabilitação da estradaentre Lucusse e Lumbala N’ GuimboO Grupo Lena Angola iniciou em acesso à Zâmbia, sendo que a inter- assim como a criação de infraestrutu-maio a “Reabilitação da Estrada venção tem uma extensão de 225 ras para a produção de energia elé-Lucusse / Lumbala N’Guimbo”, na quilómetros. A obra consiste no alar- trica, captação e tratamento de águaprovíncia do Moxico. Esta é uma gamento da faixa de rodagem exis- e para a transmissão de comunica-empreitada do Instituto Nacional de tente de 4,5 metros para 9 metros, ções de dados e de voz.Estradas de Angola (INEA) enqua- bem como a execução de drenagem, Em termos de grandes números, estadrada no Programa de Reabilitação sinalização horizontal e vertical. obra envolve: 7 milhões m2 de desmi-de Infraestruturas Rodoviárias, com Devido à extensão da obra e uma vez nagens, 1,3 milhões m3 de terraplena-um prazo de execução de 36 meses e que se trata de um local remoto, será gens, 2,15 milhões de toneladas deum valor global de 331 milhões de necessário construir duas bases de sub-bases e bases granulares, 250 mildólares. vida com escritórios, laboratório, alo- toneladas de betuminosos e 700O troço em questão fará parte do jamentos, refeitórios, oficinas mecâni- metros de passagens hidráulicas.futuro eixo rodoviário prioritário no cas, lavandarias e postos de saúde,JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 19 Internacional AngolaGrupo Lena Angola Reabilitaçãoreforça presença do Paláciona província do Zaire de N’DalatandoO Grupo Lena Angola ganhou mais Zaire” avança a bom ritmo. Esta obraduas obras lançadas pelo Governo Pro- permitirá ampliar a oferta do serviçovincial do Zaire no âmbito do programa público em M’Banza Congo, com ade Plano de Investimento Público: a construção de um edifício com 3.175“Construção do Cartório Notarial de m2 destinado a serviços, conferênciasM’ Banza Congo” e a “Construção do ou outros eventos.Campo de Futebol do Noqui”. Os Muito aguardadas pelas populações,locais onde serão executadas estas terminaram duas obras, promovidas No seguimento dos bons resulta-obras já foram visitados por parte do pela Administração Municipal de dos apresentados em obra feitaGovernador da Província e de entida- M’Banza Congo, enquadradas no Pro- com qualidade e rigor, o Grupodes oficiais do Governo Provincial. grama Água para Todos. A “Ampliação Lena Angola tem também a seuEstão em curso obras de grande rele- da Rede de Água de M’Banza Congo” cargo a reabilitação e ampliaçãovância para a Província do Zaire, orça- e “Construção de 4 Captações de do Palácio do Governador da Pro-das em mais de 12 milhões de dólares, Água nas Comunas de Kalambata, víncia de Kwanza Norteenquadradas no Plano de Investimento Madimba, Kaluca e Sumpe” permitem (N´Dalatando).Público. o acesso a água potável a milhares de Com um valor de adjudicaçãoA empreitada de “Construção de uma pessoas. superior a 11 milhões de dólares,Cerâmica em M’Banza Congo” revela Promovida pelo Ministério do Urba- este projeto iniciou a 8 de maioparticular importância para o Governo nismo e Construção, terminou também de 2012, estando prevista a suaProvincial como futura geradora de a construção de dois Edifícios Públicos conclusão para meados denumerosos postos de trabalho. de Serviços para as Administrações novembro de 2012, antecipandoCom data de conclusão prevista para Municipais do Noqui e do Cuimba, o prazo contratual em dois meses.dezembro de 2012, a “Construção do num valor de mais de 5,7 milhões de As expectativas são muitas tendo2.º Edifício do Governo Provincial do dólares. por base o bom ritmo dos traba- lhos em curso. O Grupo Lena Angola está a reforçar a presença na Província de Kwanza Norte. Para além do Palácio, foram-lhe também adjudi- cadas as obras de “Reabilitação do Edifício Central Administrativo do Governo em N’Dalatando” e de “Execução do Pavilhão Multiusos em N’Dalatando”. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 20InternacionalAngolaPalácio de Luena em cursocom a Lena AngolaTomando o Palácio de Malange como cas da região, verificou o andamento do Palácio do Governo. Em visita àexemplo para outros edifícios gover- dos trabalhos em curso. No decurso obra durante o período eleitoral, anamentais em Angola, o ENEP decidiu da visita, o Vice-Governador salientou ENEP, na pessoa da arquiteta Ângelaadjudicar ao Grupo Lena Angola a a beleza da pérgula do edifício do Palá- Diogo e restante comitiva, congratu-empreitada de “Remodelação e cio, do sistema de vigas falsas dos lou a equipa pelo objetivo alcançado eAmpliação do Palácio do Governo do salões principais e para a qualidade das pela qualidade do trabalho executado.Moxico” (Palácio de Luena). carpintarias em execução. A segunda fase do projeto já se iniciou,No dia 13 de julho, a obra recebeu Mantendo um excelente ritmo de tra- consistindo na execução dos anexosuma visita formal do Governo do balho, foi possível concluir dentro dos do Palácio e arranjos exteriores.Moxico. A comitiva, liderada pelo prazos indicados a primeira fase, a qual No terreno, esta obra conta comVice-Governador para as obras públi- consistiu nas obras no edifício principal cerca de 120 colaboradores.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 21 Internacional AngolaObras de Luanda em bom ritmoCom data de conclusão prevista paraAbril de 2013, o loteamento daKamakosa avança em bom ritmo. Este éum investimento privado de mais de 30milhões de dólares, englobando a cons-trução de 34 moradias unifamiliares, umcentro comercial e um restaurante, numaárea total de implantação de cerca dequatro hectares. No terreno, a execuçãodos trabalhos conta com cerca de 120colaboradores.Para além daquela obra, o Grupo LenaAngola iniciou, em abril último, a Reabili-tação das Instalações dos Juízos Cíveisem Luanda. Esta é uma obra promovidapelo Ministério da Justiça e enquadradano Programa de Investimento Público.Esta obra, localizada na baixa de Luanda,compreenderá a remodelação integralde quatro pisos de um edifício constru-ído na década de 70, com previsão deduração da obra de seis meses. Edifício Moncada a finalizar vendas A Angola Investimento Imobiliária, um ritmo acima do esperado pelo zonas privilegiadas da cidade de S.A. está na fase final da comercializa- que se espera que todas estejam efe- Luanda: Coqueiros e Alvalade, encon- ção do Edifício Moncada Prestige, tuadas até ao final do ano. Em termos tram-se ambos em fase de licencia- localizado em pleno centro de Luanda, de vendas, em julho existiam apenas mento. Os dois projetos, com utiliza- no município da Ingombota junto ao três apartamentos por vender, numa ção mista para habitação, comércio e Largo Serpa Pinto. lista de espera que ascendia ao triplo serviços, representam uma área de A obra deste empreendimento foi das unidades disponíveis. construção superior a 31.000 m2 e concluída em setembro de 2011. As Para além deste projeto, existem têm início previsto para 2013. escrituras de venda estão a decorrer a outros dois também situados em JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 22InternacionalArgéliaGrupo Lena Algérie arrancacom segunda fase da obrado Hospital de TamanrassetO Grupo Lena Algérie, constituído 30.500 m3 de betão, 4.145 toneladas intensivos e imagiologia. Prevê tam-pela Construtora Abrantina e Lena de aço, 124.585 m2 de cofragem, bém a construção do edifício adminis-Engenharia e Construções, prepara-se 17.800 m2 de alvenarias de blocos, 9 trativo, torre de entrada, farmácias,para arrancar com novas obras na quilómetros de anéis de terra, 9.800 morgue, bloco de esterilização, lavan-área da saúde durante o quarto tri- m3 de escavações e 61.540 m3 de darias, cozinha, arquivos, galerias emestre de 2012. Uma dessas obras aterros, por um valor de 27,5 milhões zonas técnicas essenciais, contem-centra-se em Tamanrasset com a 2ª de euros. plando igualmente o fornecimento efase de construção de um hospital de Na 2ª Fase, de conclusão da obra, des- aplicação de equipamentos médicos e168 camas. taca-se a construção de blocos opera- correspondentes infraestruturas. AA obra denominada “Achèvement en tórios, unidades de urgências, consul- empreitada inclui ainda os arranjosTous Corps d’Etat et Equipement de tas programadas, medicina dentária, exteriores que integram os acessos,la Structure Régionale de Soins de 168 medicina interna, cardiologia, pedia- parques de estacionamento, heliporto,Lits à Tamanrasset / 6éme Région Mili- tria, obstetrícia, ortopedia, oftalmolo- portarias, arranjos paisagísticos e espa-taire” é uma empreitada que está con- gia, dialise, pneumologia, cuidados ços de lazer.tratada à Construtora Abrantina e àLena Construções pelo Ministério daDefesa Nacional Argelino, por umvalor aproximado de 180 milhões deeuros e com um prazo de 30 meses.O complexo hospitalar é compostopor 11 edifícios, com um a quatropisos por edifício, tendo uma áreatotal de construção de 35.000 m2. A 1ª Fase, que se encontra já conclu-ída, consistiu na realização de obras debetão e alvenaria onde se executaramJULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 23 Internacional ArgéliaHospital de Boumerdèsem fase de arranqueA execução do Hospital de Boumerdès de 240 camas é única e outros serviços como arquivos e sala de ginástica. Aoutra das empreitadas, na área da saúde, adjudicadas às empreitada inclui ainda os arranjos exteriores que integramempresas do Grupo Lena Algérie e que terá início no quarto os acessos, vias, parques de estacionamento, dois heliportos,trimestre de 2012. controlos de acesso, espaços verdes e arranjos paisagísticos.A obra foi entregue pela Direção da Saúde e da População No hospital destaca-se a dezena de blocos operacionais,de Boumerdès por um valor aproximado de 33 milhões de 10 salas de observação e diversos serviços, tais como neu-euros e com um prazo de execução de 24 meses. rologia, cardiologia, ortopedia e outros. Para além destesO complexo hospitalar será composto por 12 edifícios, com serviços existem lojas de comércio, salas e auditórios paradois a seis pisos por edifício, interligados por passerelles e reuniões e convenções, e um restaurante self-service paraesplanadas, englobando ao nível do subsolo uma garagem 50 pessoas. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 24InternacionalBrasilLançamento do projetoMorada Flor de Lis Pela primeira vez em Salvador, a LizConstruções vai lançar um projeto de demanda económica. A construtora é conhecida na cidade por construir em pontos nobres. No entanto, a procura por produtos mais económicos tem aumentado e, por esse motivo, surgiu a necessidade de entrar neste novo mer- cado. De facto, com o desaquecimento por empreendimentos de padrão mais elevado, as construtoras locais têm, cada vez mais, lançado projetos que se adequem à realidade imobiliária que a cidade vive atualmente. O empreendimento será chamado Morada Flor de Lis, estando a marca ainda em fase de finalização. O projeto conta com duas torres contendo 264 apartamentos, área de lazer completa que inclui piscina, salão de festas, churrasqueira, academia e parque infantil, entre outros. A equipa da LizConstruções acredita em mais um sucesso e uma exce- lente oportunidade de vendas. LENOBETÃO com nova filial em Vitória da Conquista A Lenobetão abriu uma nova filial na cidade de Vitória capacidade de 45m3/h, apresenta-se neste mercado da Conquista, a 500 quilómetros da capital baiana. Por com uma frota de seis betoneiras e uma auto-bomba. enquanto, situa-se no local da obra de um parceiro Segundo a Direção da empresa, “este crescimento onde deverá permanecer até ao final do ano. Apenas deve-se à equipa altamente comprometida e ao traba- nessa altura deverá instalar-se em terreno próprio. lho árduo que o grupo vem desenvolvendo na Bahia”. A filial marca a expansão da empresa em cidades do Prevê-se que a empresa aborde outros mercados até interior com vista à conquista de novos clientes. Neste ao final do ano. momento, com 14 colaboradores alocados e com umaJULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 25 Internacional BrasilVille de Mônaco - um empreendimentode alta qualidadeO Ville de Mônaco foi o primeiro pro- primeira fase com duas torres, do condomínio. Cada torre possuiduto de alto padrão lançado em devendo ainda este ano ser lançada a infraestruturas próprias de lazer, taisjaneiro deste ano pela LizConstruções, segunda fase com mais duas torres. como piscina, salão de festas, academia,em parceria com a construtora Bahia O projeto conta com uma estrutura parque infantil, churrasqueira, brinque-Forte, na cidade de Feira de Santana, completa de lazer e segurança dentro doteca e sala de jogos, entre outros.que fica a cerca de 150 quilómetros deSalvador. Com a economia aquecida ea com procura crescente por esse tipode produto, foi uma excelente oportu-nidade para a empresa.O empreendimento é um projetocompletamente inovador, e contacom seis torres ao todo, totalizando480 unidades. A Lizconstruções estra-tegicamente optou por lançar estasseis torres em fases de duas de cadavez. Assim, em janeiro, foi lançada a Novo site da Lizmetal A Lizmetal prepara a apresenta- ção do seu novo site em www. lizmetal.com.br, o qual deverá ser lançado em setembro. Com uma imagem mais moderna e atrativa, o novo site comtem- plará novos conteúdos, como o portofolio atualizado das obras a que a Lizmetal assiste com foto- grafias associadas. Para além disso, incluirá ainda indicação dos novos equipamentos disponibilizados pela empresa, como elevadores de cremalheira e mini-gruas. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 26InternacionalVenezuelaLena Venezuela inaugura primeirafábrica e prossegue obra da Gran MisiónVivienda VenezuelaO maior projeto de sempre do Grupo Executiva, Joaquim Paulo Conceição. à exportação de mais de 45 milhões deLena, iniciado em maio de 2011 na As restantes obras da primeira fase deste euros em materiais, equipamentos eVenezuela, viu inaugurada a primeira das projeto da Lena Venezuela integradas na serviços, empregando cerca de 40 expa-duas fábricas de produção de painéis Gran Misión Vivienda Venezuela decor- triados do Grupo Lena e 75 colaborado-pré-fabricados, situada em Cúa, no pas- rem a bom ritmo. A segunda fábrica, res locais. Tem sido também um impor-sado dia 9 de setembro, num evento localizada em Ocumare, está em fase de tante impulsionador para aorganizado pelas autoridades venezuela- conclusão e deverá estar totalmente internacionalização de empresas portu-nas. operacional durante o mês de outubro. guesas, muitas delas já fornecedorasA inauguração foi presidida pelo vice- Relativamente ao urbanismo, que prevê nacionais do Grupo, tendo-se estabele--presidente da Venezuela, Elías Jaua, num a construção de mais de 12.512 aparta- cido parcerias com mais de 40 empresasato em que esteve acompanhado, entre mentos, estão concluídas as fundações lusas com um valor contratado acimaoutros, pelo ministro venezuelano de de 30 edifícios e as estruturas metálicas dos 110 milhões de euros.Habitação, Ricardo Molina, o vice-minis- de 12 edifícios em Cúa, enquanto em Para além das obras decorrentes da pri-tro de Relações Exteriores para a Europa, Ocumare se iniciaram as fundações para meira fase do projeto, o Grupo LenaTemir Porras, o ministro dos Negócios implantação dos 15 primeiros edifícios. assinou recentemente uma carta deEstrangeiros de Portugal, Paulo Portas, e Para além do destaque dado pelas auto- compromisso com o Governo Venezue-o seu homólogo venezuelano, Nicolás ridades venezuelanas à inauguração da lano para a construção de mais duasMaduro, bem como o secretário de primeira fábrica, o projeto tem merecido fábricas de pré-fabricados e de maisEstado adjunto da Economia português, várias visitas ao terreno pelas entidades 12.512 apartamentos no âmbito doAlmeida Henriques. Para além destes, oficiais, nomeadamente do Embaixador projeto Gran Misión Vivienda Venezuela,estiveram ainda presentes no local o de Portugal na Venezuela, AICEP, Minis- totalizando assim quatro fábricas e maisPresidente do Conselho de Administra- tro da Habitação venezuelano e da de 25.000 apartamentos, para um valorção do Grupo Lena, António Barroca PDVSA. total estimado de dois milhões de dóla-Rodrigues, e o Presidente da Comissão Desde o início do ano, esta obra já levou res.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 27 AutomóveisLena Automóveis apresentao novo Peugeot 208Os concessionários Peugeot da LenaAutomóveis, LPM e Filipe Santos Silva,apresentaram no passado mês de abrilo novo Peugeot 208.Para além do habitual Portas Abertas eações de rua no fim de semana de 21 a22 de abril, o momento do lançamentofoi dinamizado em diversos locais ondeestes concessionários estão representa-dos: em Leiria no Bar Glam, em Tomarna Praça da República e Bar Paraíso, emPombal no Café Concerto, nas Caldasda Rainha no Bowling Caldas, em San-tarém na Discoteca Horta da Fonte. Osvários eventos contaram com diversosconvidados entre clientes, colaborado-res e amigos, e em Santarém tambémcom o ator José Melo. Todos os even-tos realizados foram considerados umsucesso, com mais de 100 contactos eensaios realizados à viatura e algumasvendas concretizadas.O novo Peugeot 208 é uma viatura dosegmento B, compacta e polivalente,declinada em duas carroçarias distintas(três e cinco portas). A Peugeot conse-guiu reinventar os códigos que estive-ram na base do sucesso das estrelas205, 206 e 207. Este novo modeloapresenta uma aerodinâmica melho-rada, novos equipamentos, novasmotorizações, entre outros aspetos,que permitem atingir uma redução deCO2 e melhorar desempenhos. Novo hÍbrido da Peugeot chega às concessões Lena Automóveis O primeiro semestre do ano, para os Monte Real, na Estalagem D. Gonçalo concessionários Peugeot LPM e Filipe e no Hotel Villa Batalha. Santos Silva, ficou também marcado Após o lançamento na primavera de pelo lançamento do novo Peugeot 508 2011 dos 508 Berlina e SW, o 508 RXH, cuja apresentação aconteceu RXH é o novo híbrido diesel da com um fim de semana de Portas Peugeot. O estilo deste modelo e a sua Abertas no passado mês de maio. inovadora motorização HYbrid4 Para além disso, e para promover este conferem-lhe prestações que permitem novo híbrido da Peugeot da classe, a aliar liberdade e prazer de condução LPM associou-se ao Ciclo de Confe- sob uma forma totalmente inédita no rências do Região de Leiria com expo- seu segmento. sição da viatura no Palace Hotel de JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 28AutomóveisDias do Cliente animam concessões A Servilena, concessionário Opel, e a Lizdrive, concessio- nário Ford, animaram as suas concessões com dias espe- cialmente dedicados aos seus clientes nos passados meses de maio e junho. Na Servilena, o Dia do Cliente ocorreu a 19 de maio em Tomar e Pedrome, e ofereceu um check-up às viaturas Opel, brindes e descontos em peças e mudanças de óleo. Sendo esta campanha já uma tradição da Opel em Portu- gal e uma forte aposta da marca, o dia foi um sucesso com mais de 120 visitas registadas nas duas instalações da empresa. Na Lizdrive, o Dia do Cliente ocorreu a 2 de junho nas concessões de Leiria, Pombal e Caldas da Rainha. Com mais de 42 visitas contabilizadas, os clientes puderam beneficiar de um check-up gratuito às suas viaturas Ford, descontos em peças e pneus, e receber brindes. Neste dia, a Lizdrive aproveitou ainda para lançar a sua mais recente novidade: o novo Ford Ranger.Lena Automóveis abre Colaboradornovo espaço em Santarém do Semestre na Lena Automóveis A holding dos Automóveis do Grupo Lena elegeu, no passado mês de maio, mais um Colabora- dor do Semestre. A distinção coube, desta vez, à colaboradora da área administrativa e financeira Ana Alves. Na base desta eleição, possível apenas para quadros não direti- vos e que se encontram numa das empresas há mais de um ano,A Lena Automóveis, através da sua das de automóveis no mercado portu- estão critérios tais como a notaconcessionária LPM, abriu no passado guês, a Lena Automóveis tem procu- da avaliação de desempenho, omês de março um novo espaço KIA rado diversificar a sua oferta. Tem nível de concretização de objeti-em Santarém. Com este novo stand, a também apostado fortemente em vos, o nível de satisfação e asLena Automóveis, que já tem repre- ações de dinamização comercial em angariações Canal Lena.sentação KIA nas Caldas da Rainha, todas as suas empresas e marcas, O vencedor recebe 250 euros epretende aumentar a área de atuação nomeadamente com fortes campanhas um fim de semana num dosdos seus concessionários com uma de lançamento e com diversas exposi- Hotéis Eurosol ao volante de umamarca que tem obtido dos maiores ções de viaturas novas e usadas das viatura comercializada pela Lenaníveis de crescimento na Europa. Em quais são exemplo a Feira Agrícola de Automóveis.Santarém, a LPM tem também a repre- Santarém entre 2 e 10 de junho com asentação Peugeot e Volvo desde 2010. LPM, ou a Expocasião na Batalha entreCom a forte quebra registada nas ven- 13 e 16 de abril com a Lizdrive.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 29 ComunicaçãoRegião de Leiria promove mais uma GalaA Gala do Região de Leiria realizou-se gue, a quatro associações de solidarie- vez, enalteceram valores da região deno passado dia 17 de maio no Teatro dade social da região, a verba recolhida Leiria premiando o mérito. Foram distin-José Lúcio da Silva. pelo Região de Leiria, durante a campa- guidos: o grupo de músicos Farratuga noPedro Tochas desconcertou a plateia nha de venda de jornais “Fazer o Bem Troféu Revelação, a empresa municipalcom tanto riso e boa disposição. Foram Olhando a Quem”. Este ano a receita “Nazaré Qualifica” no Troféu Valoriza-mais de três horas de pura diversão na total apurada na campanha foi de 8.680 ção Territorial, a Escola Secundária deGala do Região de Leiria que, como euros, que foi distribuída de igual forma à Domingos Sequeira no Troféu Educa-habitual, entregou os troféus Afonso Associação Coração Amarelo de Porto ção, a cantora Erica Buettner no TroféuLopes Vieira, num ambiente descontra- de Mós, Associação para as Perturba- “Há uma região que nos une”, o guarda-ído onde o humor pode servir propósi- ções do Desenvolvimento e Autismo de -redes Rui Patrício no Troféu Desporto,tos nobres como sensibilizar as pessoas Leiria, Delegação Centro Alzheimer Por- a personalidade Ricardo Charterse ainda motivá-las e estimulá-las com a tugal de Pombal e Loja Social da Batalha. d’Azevedo no Prémio Personalidade, ecrise e os problemas em geral. O Região de Leiria atribuiu ainda os tro- DJ Ride no Troféu Projeção Internacio-Foi também neste evento que foi entre- féus Afonso Lopes Vieira que, mais uma nal. Região de Leiria mantém organização de conferências Vários têm sido os exemplos de con- na “Agricultura, Alimentação e Flo- se iniciou em maio e deverá decorrer ferências organizadas pelo dinâmico resta – O Regresso à Terra é o até dezembro. Neste âmbito, ocorre- semanário Região de Leiria. Futuro” e juntou uma centena de agri- ram já as conferências sobre o México Em fevereiro, o tema foi “A Geração cultores e empresários em Pombal. (25 de maio), Colômbia (12 de junho) Seguinte… Hotelaria e Turismo em ‘Empresário’ e ‘agricultor ativo’ foram e Moçambique (29 junho). Fátima” numa conferência que se rea- dois conceitos que emergiram O objetivo principal deste ciclo de 10 lizou na Escola Profissional de Hotela- durante este encontro que pretendeu conferências é acompanhar a dinâ- ria e pretendeu transmitir que exis- traçar o diagnóstico do sector agrícola mica exportadora dos empresários tem motivos para sorrir no sector da e apresentar caminhos para o futuro. do distrito, tratando de mercados hotelaria e turismo em Fátima. O Os atributos empresariais e a proativi- relevantes não tradicionais mas com encontro contou com a presença de dade de quem se dedica ao trabalho um elevado potencial de crescimento. empresários locais do sector e tam- da terra foram apontados como han- Os representantes políticos e econó- bém com convidados especialistas dicaps do passado e a chave para o micos de cada país têm presença exteriores. Concluiu-se existir nitida- futuro. assegurada nesta iniciativa que conta mente uma geração seguinte na O Região de Leiria está também a ainda com a participação da AICEP, indústria em Fátima que marca a nova organizar, em parceria com a LPMG embaixadas e testemunhos de forma de estar no turismo religioso. Consultores, um ciclo de conferências empresas nacionais e regionais. Em março, a conferência centrou-se “O Nosso Mercado é o Mundo”, que JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 30ComunicaçãoIII Fórum Emprego e Formaçãorealiza-se em LeiriaMais de 3.000 pessoas passaram pela III edição do Fórum cia e fortemente valorizado por quem assistiu, o que repre-Emprego e Formação, organizado pelo Região de Leiria, que senta um retorno extremamente positivo quer para o Regiãoaconteceu nos dias 3, 4 e 5 de maio no Mercado de Santana de Leiria, quer para todos os seus parceiros.em Leiria. Entre os participantes, contaram-se mais de 1.000 O Guia Oficial, onde foram abordadas as principais questõesalunos de diversas escolas da região. relacionadas com o Emprego e Formação/Educação paraA qualidade e a diversidade dos expositores, dos workshops várias faixas etárias, jovens e adultos, empregados e desem-e tertúlias, das ofertas de emprego e de formação, bem pregados, alunos e pais, funcionou como um veículo decomo a orientação vocacional permanente, fizeram deste comunicação de excelência onde foi dada voz aos especialis-Fórum Emprego e Formação um evento de referência nesta tas sobre as mais diversas matérias – ofertas formativas, saí-área e na Região. das profissionais, orientação vocacional – e permitiu passarAs mensagens transmitidas pelos oradores convidados para informação útil sempre com o objetivo de servir bem anun-os diversos temas foram um contributo de elevada importân- ciantes e leitores.Segunda ediçãoda Aldeia da Saúde Região de Leiria distinguido com prémio de jornalismo Tendo por base um conjunto de reportagens realizadas em 2011 no âmbito do trabalho “Há uma região que nos une”, o semanário Região de Leiria foi distinguido em junho com o Prémio de Jornalismo Diversidade Cul- tural, na categoria de Órgãos de Informação Regionais e Locais.A mensagem voltou a passar naquela que foi a segunda edição da Os prémios são promovidos pelo Alto ComissariadoAldeia da Saúde. Cerca de 3.000 pessoas responderam ao con- para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI) e visamvite do Região de Leiria e, entre 1 e 3 de março, acorreram ao “distinguir trabalhos no âmbito da diversidade cultural,Mercado de Santana em Leiria, em pleno “coração” da cidade. realizados por jornalistas com título profissional”.Milhares de rastreios e avaliações foram realizados gratuitamente, O Região de Leiria apresentou uma candidatura coletivapermitindo aos visitantes aferirem o seu estado de saúde. No (trabalho de equipa), com a secção que, semanalmente,programa integrou-se ainda vários workshops, e uma grande alternava histórias de gente da região que se encontracaminhada pela cidade de Leiria que juntou várias centenas de no estrangeiro com histórias de pessoas de outras nacio-pessoas pelas margens do rio Lis. nalidades que se fixaram nesta região, tendo sido esta aO balanço global do certame foi muito positivo para o Região de vertente contemplada pelos prémios ACIDI.Leiria, parceiros e expositores.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 31 TurismoNovo Cartão Preferencial para clientesO Grupo Lena Turismo apresentouo novo Cartão Preferencial no pas-sado mês de agosto, destinado aosclientes mais assíduos da cadeia dehotéis que formam esta holding.Este cartão, entregue de imediatono momento da adesão porparte do cliente, permite acumu-lar pontos mediante as comprasfeitas em alojamento, restauran-tes, bares ou extras relacionadoscom os serviços dos hotéis, os quais podemser posteriormente trocados por outros consumos em pro-dutos e serviços nestes mesmos hotéis.Para além disso, com o novo formato apresentado, o clientepassa a ter a possibilidade de gerir o seu cartão através dos O Car-sites do Grupo Lena Turismo. Aqui pode aceder ao extrato tão Preferen-de membro, solicitar a alteração dos dados pessoais, aceder cial é mais uma apostaao regulamento do cartão e a preços especiais nas reservas na inovação do Grupo Lena Turismo para garantir umaonline. maior fidelização por parte dos seus clientes.Passatempo “Melhor SloganGrupo Lena Turismo” Novas funcionalidades nos sites Lena TurismoCom o objetivo de incentivar o preenchimento dos inquéritos Perante um mercado cada vez mais competitivo, ode satisfação nas empresas do grupo como ponto de partida Grupo Lena Turismo aposta na inovação. Atualmente épara a sua melhoria contínua, foi lançado o passatempo possível visitar os sites www.lenaturismo.pt, www.ter-“Melhor Slogan Grupo Lena Turismo”, que decorre entre 1 de masdemontereal.pt e www.eurosol.pt, e desfrutar dejulho de 2012 e 30 de junho de 2013. todas as funcionalidades implementadas com o intuitoPara participar basta ser cliente de um dos Hotéis Eurosol ou de reforçar a interatividade com clientes.do Palace Hotel de Monte Real, ficando alojado pelo menos Passou a estar disponível a versão mobile dos sites indica-uma noite numa das unidades abrangidas. Pretende, por um dos que permite navegar a partir do telemóvel em qual-lado, encontrar um slogan original e atrativo relacionado com quer lugar e consultar as disponibilidades da cadeia deas unidades hoteleiras e, por outro lado, incentivar os clientes a hotéis do grupo.darem a sua opinião sobre o seu grau de satisfação face a ser- A newsletter eletrónica é outra das novidades. Medianteviços prestados para se habilitarem a um prémio. adesão com preenchimento online de um formulário específico, o cliente pode receber periodicamente as novidades, promoções em curso e outras campanhas do grupo. O Grupo Lena Turismo também passou a poder ser acompanhado através das páginas de Facebook em www.facebook.com/grupolenaturismo e www.face- book.com/termasdemontereal, www.facebook.com HoteisEurosol, e ainda ser visualizada a página através do Youtube. Os mais novos também não foram esquecidos e para eles foi apresentado o site do Jorginho, www.clubedojor- ginho.com.pt. O site tem um formato lúdico e educacio- nal, sendo possível encontrar jogos, conteúdos de apren- dizagem sobre o ambiente e informações sobre a adesão ao Clube do Jorginho. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 32TurismoTermas de Monte Real celebramprotocolos com associações nacionaisAs Termas de Monte Real celebraram DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva ções governamentais têm sido retiradas.recentemente dois protocolos de coo- Crónica) e outras doenças respiratórias Estes protocolos permitem aos associa-peração com associações nacionais: um crónicas. dos de ambas as associações beneficiarcom a Myos – Associação Nacional con- A celebração dos mesmos visa apoiar os de descontos entre 5% a 15% no Ter-tra a Fibromialgia e Síndrome de Fadiga utentes destas associações de doentes malismo Clínico, Bem-Estar Termal, SPACrónica, e outro com a Respira – Asso- sem fins comerciais ou empresariais, Monte Real e alojamento no Palaceciação Portuguesa de Pessoas com num momento em que as comparticipa- Hotel de Monte Real.Animação familiar no Eurosol Leiria O Eurosol Leiria promoveu, no passado dia 29 de junho, um evento de animação familiar no Wine Bar, bar do Hotel. A ideia pretendeu promover o convívio familiar entre pais e filhos numa noite diferente. Existiu um espaço dedicado aos pais em que os adultos puderam descontrair, e um outro espaço para as crianças com atividades e histórias. O balanço geral da atividade foi positivo e as expetativas alcan- çadas, com comentários favoráveis no que se refere ao con- ceito e horário aplicado. É assim objetivo do hotel realizar mais iniciativas do género.Dinamização dos ginásios dos Hotéis EurosolA preocupação com a saúde e o bem-estar físico é, cada vez Eurosol Leiria & Jardim, iniciaram em junho as aulas de ginásticamais, uma máxima da população. Para corresponder a esta Keep Moving, que combina aulas de dança e pilates.procura crescente, os ginásios das unidades Eurosol estão a O Eurosol Estarreja Hotel & Spa desenvolveu também progra-promover diversas atividades de dinamização. mas especiais no seu ginásio, extensíveis a sócios, ex-sóciosO Eurosol Fitness Club, do Hotel Eurosol Residence em Leiria, que queiram reingressar no Eurosol Fitness Club e potenciaisfestejou no mês de junho o seu 8.º aniversário, tendo a data clientes. Foram incluídos serviços no valor das mensalidadessido celebrada com um jantar convívio entre sócios do ginásio pagas e concedidas condições especiais para a fidelização dosno Eurosol Lounge Café & Bar. Também em Leiria, no Hotel clientes.JULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 33 TurismoVolta a Portugal Renovação dasem Bicicleta passa pelos Certificações nos Hotéis Eurosolhotéis da Lena Turismo e concessão no Palace Hotel deÀ semelhança de edições anteriores, as passou por sete das unidades hoteleirasunidades Eurosol receberam várias do Grupo Lena Turismo: Hotel Eurosol Monte Realequipas da Volta a Portugal em Bicicleta Leiria, Hotel Eurosol Residence, Hotele jornalistas que a acompanham. A 74ª Eurosol Alcanena, Eurosol Estarrejaedição da Volta a Portugal em Bicicleta, Hotel & Spa, Hotel Eurosol Seiaque decorreu de 15 a 26 de agosto, Camelo, Hotel Eurosol Gouveia ebateu o recorde este ano uma vez que Palace Hotel Monte Real.Grupo Lena Turismoparticipa na Bolsade Turismo de Seia Os Hotéis Eurosol (Leiria, Residence, Alcanena, Estarreja, Seia Camelo e Gouveia) renovaram as certificações de Qualidade e Ambiente. A auditoria foi da responsabilidade da TÜV Rehinland, que renovou a certificação dos Hotéis Eurosol segundo as normas ISO 9001:2008 (Sistema de Gestão de Qualidade), ISO 14001:2004 (Sistema de Gestão Ambiental) e EcoHotel (Sistema de Gestão Aplicável à Indústria Hote- leira). A novidade em 2012 é a atri- buição do certificado da ISO 9001 e ISO 14001 no Palace Hotel Monte Real. Paulo Fernandes, Presidente do Conselho de Administração da Lena Turismo, acredita que “estamos con- tinuamente a trabalhar para alcançarA Bolsa de Turismo de Seia – BTSeia – é uma organização conjunta da Associação níveis de serviço com qualidadede Artesãos da Serra da Estrela, Câmara Municipal de Seia, Associação Empresarial superior no nosso mercado. A reno-da Serra da Estrela (AESE) e o Núcleo Empresarial da Região da Guarda (NERGA). vação das certificações de qualidadeO evento visa a promoção do Turismo na Região da Serra da Estrela, particular- e ambiente demonstra com evidên-mente das dinâmicas locais associadas ao turismo, hotelaria e restauração, artesa- cias a nossa forte aposta e compro-nato e produtos endógenos. misso cada vez maior na satisfaçãoO Grupo Lena Turismo associou-se ao evento deste ano, que se realizou de 27 a dos nossos clientes, na prestação de29 de julho, por se tratar de um espaço privilegiado para intensificar o potencial do serviços de qualidade superior e emsector e apresentar programas concretos de valor acrescentado, aos visitantes, nas simultâneo uma forte preocupaçãounidades do Grupo Lena Turismo. de natureza ambiental. Este patamarO Grupo Lena Turismo tem-se revelado na cidade de Seia no apoio a diversos só aumenta a nossa responsabilidadeeventos. Para além da presença na BTSeia, o grupo apoio o Seia Cup, um torneio em fazer cada vez mais e melhor”.de futebol europeu de alta competição infantil que decorreu entre 24 de junho e7 de julho. JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45
    • 34Outras ParticipaçõesPublicenso desenvolve diversosprojetos para promover o Eixo deRomanização villa sicóA Publicenso foi a agência escolhida para um dos municípios, como também esti- do dia, obrigando-nos a ‘reinventar’o desenvolvimento do stand da Associa- mular a comunicação intercultural” novas formas de comunicação. Nesteção de Desenvolvimento – Terras de garantindo que “as soluções criadas momento dispomos de inúmeras novasSicó, assim como o portal villasico.com. representam as áreas de atividade onde funcionalidades à nossa disposição queO objetivo destes projetos é a promo- a Publicenso tem apostado fortemente, têm alterado por completo a formação do Eixo da Romanização de sete tendo neste momento em curso vários como hoje se comunica”, conclui Carlosmunicípios da região Centro do País – projetos de Marketing Territorial, Criati- Conceição.Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, vidade, Produção e Estratégia”.Penela, Pombal, Soure e Tomar – pres- Recorde-se que a Publicenso tem vindotando informação aos mercados turísti- a alargar o âmbito da sua atividade que,cos, para um novo conceito de turismo tradicionalmente, se centrava em áreascultural e territorial, tanto a nível nacional como o design, eventos, produção grá-como internacional. fica e consultoria em marketing estraté-Para dar visibilidade à maturação do pro- gico.jeto, o stand Terras de Sicó já esteve No último ano, a empresa passou a dis-presente na BTL e na Bolsa de Inovação ponibilizar serviços em novas árease Turismo – BIT 12”, onde foi atribuída como o web marketing e desenvolvi-uma menção honrosa, concedida pela mento de software de gestão à medida,Universidade de Aveiro e pela Comissão numa resposta clara às necessidades doOrganizadora da Bolsa de Inovação e mercado atual e como forma de com-Turismo, cujo objetivo foi premiar a plementar o serviço integrado quevisão estratégica para o desenvolvimento presta aos seus clientes.de um novo produto turístico. “O mercado obriga-nos a uma evoluçãoSegundo Carlos Conceição, administra- constante na procura das soluções maisdor da Publicenso, “com o desenvolvi- competitivas e eficazes. Fatores distinti-mento destes projetos pretende-se não vos como facilidade de acesso e custo-apenas promover turisticamente cada mização estão cada vez mais na ordemJULHO / DEZEMBRO 2012N.º45
    • 35 Outras ParticipaçõesLiz On-Line lança loja On-LineA Liz On-Line acaba de lançar a sua Segundo Carlos Conceição, adminis- local pretendido, sem custos acresci-loja on-line – a Lizoffice, um projeto trador da Liz On-Line, “a Lizoffice dos”.inovador que encurta as barreiras físi- torna mais eficaz e eficiente as com- A Lizoffice está disponível através docas, permitindo adquirir material de pras efetuadas pelos nossos clientes, link www.lizoffice.com, podendo soli-escritório e economato com toda a garantindo rigor, transparência e citar as suas credenciais através dofacilidade e comodidade à distância racionalização dos gastos, com a des- website ou através do e-mail info@de um clique. Esta poderosa plata- burocratização dos processos de lizoffice.pt. Segundo Carlos Concei-forma de e-commerce assenta num aprovisionamento e com o preço ção, “trata-se de um plano impor-processo logístico de base eletrónica particularmente apelativo”. tante. Por um lado a notória reduçãobastante ágil e de custos queprático do as soluçõesponto de Ricoh acres- lizoffice.comvista do utili- centam àszador. empresas eA Liz On-Line aos custosdá mais um normais depasso em cópia efrente na apli- impressão,cação e dis- por outroponibilização de novas plataformas “Destacamos ainda a possibilidade de lado a importante poupança asso-tecnológicas através de uma lingua- efetuar compras por centro de custo, ciada ao consumo de energia, com agem simples e direta, que garante departamento ou utilizador, com vali- consequente redução no impactomais flexibilidade e rapidez, permi- dação posterior de acesso superior”, ambiental, aspetos importantes emtindo poupanças significativas em revela Carlos Conceição, garantindo clientes rigorosos e preocupados,tempo despendido e nos preços que “com a loja on-line fica tudo mais revelando-se como uma mais-valiacompetitivos apresentados, substan- simples: o cliente escolhe os produtos diferenciadora no mercado atual”.cialmente inferiores aos do mercado. no site, recebe-os comodamente noLiz On-Line continua a crescer e aumenta resultados líquidosA Liz On-Line obteve no final do ano -Line “a variação positiva nos indicado- Em 2012, a Liz On-Line continuará ade 2011 um acréscimo do resultado res financeiros foi fortemente impulsio- apostar forte na exportação dos seuslíquido em 193 mil euros, um aumento nada pela eficiência operacional e pela produtos e serviços. Recorde-se quemuito significativo de 115% face ao racionalização de custos, designada- em 2011, cerca de 20% do volumeperíodo homólogo. Este forte incre- mente pela redução da subcontratação total de negócios foi para o exterior.mento foi suportado pela consolidação externa”. Além disso, a Liz On-Line pretendedas atividades de desenvolvimento de “Para 2012 os objetivos estão traça- consolidar o seu mais recente projeto, asoluções de comunicação e internet, dos”, refere Carlos Conceição, acres- loja on-line Lizoffice, apostando “emcomercialização de equipamentos de centando que “o caminho encetado irá soluções de valor acrescentado para oscópia, impressão e gestão documental. continuar a produzir excelentes resulta- clientes, antecipando tendências e ino-Um dos prinicipais indicadores de ren- dos este ano, já que a Liz On-Line regis- vando na forma de fazer negócio, comotabilidade, o EBITDA, atingiu, em 2011, tou no primeiro quadrimestre de 2012 é caso deste projeto de carácter com-95 mil euros representando um cresci- uma subida das vendas comparado pletamente inovador”, explica Carlosmento de 198% face ao ano de 2010, com igual período de 2011. Sabemos Conceição, adiantando que “além doscomo reflexo dos enormes ganhos de que os desafios são enormes e que a bons resultados económico-financeiroseficiência produzidos pelos esforços de conjuntura se apresenta dificil, quer em também os clientes apresentam umcontenção de custos em todas as áreas termos de margens quer em termos de grau de satisfação superior a 85%,da empresa, após a fusão por incorpo- tesouraria. Mas estamos convictos e motivo de enorme orgulho e confiançaração realizada em 2010. bem seguros das opções estratégicas no futuro”.Segundo a administração da Liz On- tomadas, acrescenta” JULHO / DEZEMBRO 2012 N.º45