01824d
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

01824d

on

  • 588 views

 

Statistics

Views

Total Views
588
Views on SlideShare
587
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 1

http://w3.comvir.org:6 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

01824d Document Transcript

  • 1. 03 de abril de 2008 CUSTO ZERO!? FOI ISSO QUE O SERPRO DISSE... Mais dúvidas surgem na transferência da que os interesses políticos e/ou pessoais estão área de Produção do Proderj para a Unidade do acima de qualquer coisa. Enquanto isso falta leitos, Serpro. Os responsáveis pelo projeto por parte da médicos, enfermeiros para combater uma EPIDEMIA empresa pública federal apresentaram a conta para anunciada de DENGUE que está matando 5 vezes a Direção do Proderj do custo na reforma do seu mais que a última registrada em 2001. prédio no Horto Florestal. Para atender todas as Por outro lado, na UERJ tudo está exatamente especificações que os técnicos do Proderj definiram como antes do incêndio. Todas as salas reformadas para que seja alocado todo o nosso parque do lado esquerdo atingidas pelo incêndio em computacional de grande porte o Serpro setembro de 2007 já estão prontas, e em fase final apresentou a conta num valor estimado em torno de acabamento apenas os banheiros do final do de R$ 230 mil (?) para as obras nos 120 m 2 Bloco 2F. Ou seja, é só ocupar o espaço reformado liberados para a Autarquia estatal se instalar com de graça para o Proderj e em melhores condições o computador central, as unidades de fita, as técnicas que antes, pois foi usado material mais controladoras, as impressoras, etc. Ora, para quem moderno nas novas instalações. E mais: a dizia como a ex-presidente do Proderj Tereza Porto Universidade tem interesse em fazer parceria com e o Diretor Executivo Julio da Hora, que a mudança o Proderj na formação de profissionais através de seria “CUSTO ZERO” para os cofres públicos há cursos de Extensão para a área de grande porte, muito que explicar agora com mais este gasto. Além basta o Governo ouvir o outro lado que são os dos R$ 360 mil gastos com a máquina alugada em trabalhadores e os profissionais de carreira do dezembro (sem licitação) com a empresa Big Blue suporte básico do Proderj a respeito do assunto e no apagar das luzes do ano de 2007, agora serão enxergar que o Rio de Janeiro pode vir a ser um mais R$ 360 mil referentes ao triênio março a maio modelo para todo o Brasil na formação destes perfazendo um total de R$ 720 mil. O Proderj profissionais para um mercado em expansão. Não aguardava um posicionamento da empresa federal é à toa que São Paulo ministra cursos e aqui no sobre a adequação do ambiente no Serpro além Rio outras Universidades já estão neste setor do processo de migração para o espelhamento da formando profissionais nas áreas de Mainframe. nossa máquina IBM que não está concluído. Numa matemática simples já temos quase R$ 1 milhão Falta transparência e verdade. O documento em verbas públicas direcionadas a um projeto sem desta parceria – Proderj & Serpro parece que não relevância ou interesse público. Esta insistência existe ou se existe, os trabalhadores do Proderj não em tirar o Centro de Tecnologia do Estado de podem ter acesso. dentro da Universidade Pública Estadual mostra
  • 2. 2 EDUCAÇÃO SOB AMEAÇA DE CORTE DE PONTO Enquanto isso, na Secretaria de Educação, a ex-presidente do Proderj sinaliza para os professores a mesma política de gratificação adotada na Autarquia. Na greve de 2001, enquanto reivindicávamos o descongelamento dos salários de 7 anos com um reajuste de 52 %, na intenção de acabar com a greve, Tereza Porto negociou com o Governo a pior forma de aumentar os ganhos dos trabalhadores: gratificação por produtividade e desempenho. Além de não contemplar os aposentados, os pensionistas e provocar o divisionismo entre os servidores, esta política está com seus dias contados no Governo Federal que aponta para o seu fim com as incorporações das gratificações após lutas históricas dos servidores federais com greves, marchas à Brasília, manifestações, enfim, todas as formas de luta que somente quem é explorado tem nas mãos. Em 2001 mantivemos a greve e rejeitamos a gratificação que nos foi imposta goela abaixo, mas conquistamos o Plano de Cargos. Depois da vitoriosa conquista, a Direção do Proderj usou uma gratificação do Plano de Cargos cuja finalidade é outra, para aumentar seu leque de manipulação com as ameaças claras por parte de Diretores e Gerentes do seu corte para àqueles que participassem de qualquer atividade reivindicatória que contrariasse ou expusesse sua gestão e a dos ocupantes dos cargos de confiança (na sua gestão a maioria extraquadro), que foi uma festa em sua passagem de 8 anos no Proderj. E para completar, cortou o ponto na greve de 2005, na luta justa que os servidores da Autarquia abraçaram pela aplicação integral do Plano de Cargos aprovado em 2002 pelo então Dep. Sérgio Cabral, Presidente da Alerj. As mãos de ferro e o apadrinhamento político lhe custou a indicação para a Educação. Agora, afirmar que “A GRATIFICACÃO PRODUZ MELHORIAS PARA O ENSINO” é tirar do administrador a responsabilidade da requalificação dos profissionais do setor, o acesso com segurança às escolas, as condições físicas das escolas e de suas salas de aula, a garantia de uma grade curricular ampla com a permanência do aluno em horário integral, alimentação, acesso a salas e centros culturais, enfim, há uma lista de melhorias para o ensino que passa ao largo da famigerada gratificação. ÚLTIMAS NOTÍCIAS No dia 01 de abril a diretoria da ASCPDERJ encaminhou um ofício ao presidente do Proderj, Paulo Coelho, solicitando um novo encontro para debater os seguintes pontos: 1. Realização do Pregão Eletrônico em 25 de março X Homologação do Concurso Público de 2002; 2. Mudança da área de produção do Proderj para as dependências do Serpro; 3. futura substituição do representante da pasta da Secretaria de Estado da Casa Civil e o futuro da nossa negociação; 4. Contratação de empresa e de terceiros, pela Seplag, para desenvolver um novo Sistema de Pagamento; 5. Prescrição do prazo de pagamento dos atrasados do Adicional de Titularidade e de Conhecimento referente ao ano de 2003; 6. Agendamento de uma data para reunião com os servidores do Proderj no auditório do 11º andar, conforme proposto na referida reunião acima citada.