ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO
21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB
WWW.ENSEAD2013.COM
________________...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Marina bezerra da silva

790

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
790
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
52
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Marina bezerra da silva"

  1. 1. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ Gestão Ambiental: Uma Análise Do Posicionamento E Dos Princípios Ambientais De uma Padaria Situada Na Cidade De Guadalupe-PI Marina Bezerra da Silva1 ÁREA TEMÁTICA: SUSTENTABILIDADE RESUMO A Gestão Ambiental tem se intensificado nos últimos períodos pelas diversas empresas e ramos de atividade. A panificação, porém, é uma atividade que em geral se encontra atrasada em relação à esta nova concepção. Esta pesquisa se caracteriza como bibliográfica e como um estudo de caso, onde se analisam pensamentos referentes à temática e se estuda uma Padaria de acordo com o Quadro de North (1992) e os Princípios de Gestão Ambiental, da CCI (1990). A empresa apresenta, de acordo com o Quadro de North, uma postura intermediária, de acordo com a escala de 1 a 5, não sendo totalmente amigável nem extremamente agressiva. De acordo com os Princípios da CCI, ainda está atrasada, tendo muito que melhorar em relação às ações ecologicamente corretas que devem ser adotadas. A pressão popular e governamental se faz necessária, através de uma mudança na conscientização, e ainda no incentivo em relação aos recursos ecologicamente corretos, tanto para a atividade de padaria, quanto para outros ramos empresariais, que também ainda se encontram em atraso. PALAVRAS-CHAVE: GESTÃO AMBIENTAL. QUADRO DE NORTH. PRINCÍPIO DE GESTÃO AMBIENTAL. ABSTRACT Environmental management hasintensified in recent times bythevariouscompaniesandindustries. The bakery, however, is an activity that is generally lagging behind this new design. This research is characterized as literature and as a case study, which analyzes thoughts regarding the issue and is considering a Bakery in accordance with the Framework for North (1992) and the Principles of Environmental Management, the ICC (1990). The company has, according to Table North an intermediate position, according to a scale of 1 to 5, being extremely aggressive or totally friendly. According to the principles of the ICC, is still lagging behind, with major improvements in relation to environmentally friendly actions that must be taken. Public pressure and government is necessary, through a shift in consciousness, and yet the incentive for environmentally friendly resources for both the bakery activity, and for other business branches, which also still in arrears. KEY-WORDS: ENVIRONMENTAL MANAGEMENT. NORTH TABLE. PRINCIPLE OF ENVIRONMENTAL MANAGEMENT. 1. INTRODUÇÃO 1 Discente de graduação do curso bacharelado em administração de empresas da ufpi/cafs
  2. 2. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ A humanidade tem se desenvolvido economicamente com atividades que provocam danos ambientais cada vez maiores. Isto tem feito com que novas correntes de pensamento e grupos de pressão acerca do assunto tenham aparecido nas últimas décadas a fim de amenizar as problemáticas ambientalistas. Conceitos como desenvolvimento sustentável e responsabilidade social apareceram para conscientizar a população e as organizações de que é necessário estar alerta aos futuros grandes impactos que podem se desenvolver. É necessária a consciência de que é possível concomitantemente ter-se a indústria, os serviços, e até mesmo a extração,em formatos saudáveis ao ambiente e, assim, responsabilizar-se pelo consumo ecologicamente correto dos recursos que se empregam nessas atividades. As panificadoras, de modo geral, são vistas de forma negativa em relação à causa ambiental, pois quase sempre utilizam processos poluentes e desperdiçam muitos materiais na sua área produtiva e de vendas. Apesar disso, com a adoção de algumas atitudes nessas organizações, é possível que se tenha a lucratividade e o beneficiamento da causa ambientalista. Assim, o presente trabalho tem como objetivo geral analisar um empresa do ramo de panificação, situada em Guadalupe, Piauí, a fim de observar os seus processos de gestão, de produção e de vendas, detectando as particularidades dos processos que interferem positiva e negativamente na causa ambiental. Tem ainda como objetivos específicos a classificação da mesma como amigável ou agressiva, de acordo com o quadro de Posicionamento de Empresas em relação à questão ambiental, de North (1992);explicar a origem, desenvolvimento e situação atual da empresa em relação às suas estruturas e à causa ambiental; e analisar a empresa em relação aos Princípios de gestão ambiental, da Câmara de Comércio Internacional (1990). A seguir será feita uma revisão acerca dos assuntos aqui tratados, como gestão ambiental, sustentabilidade, o Quadro de North (1992) e os Princípios de Gestão Ambiental da CCI (1990), e a história da Padaria. Posteriormente, será feito um estudo de caso nesta empresa, em relação às variáveis do Quadro de North e os princípios supracitados. 2. GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE
  3. 3. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ O papel das organizações temse expandido para uma maior abrangência e valorização das questões de caráter social e político (Donaire, 2009). É assim que vem sendo introduzida nas empresas a questão ecológica, através da qual o ambiente passa a ser tratado de um modo mais correto e menos prejudicial que antes. As funções administrativas, como planejamento, organização, controle e direção, são visualizadas em um novo prisma, onde a sustentabilidade e a gestão ambiental são levadas em consideração a cada atividade realizada. Barbieri (2007) afirma que Gestão Ambiental é o conjunto das diretrizes e atividades administrativas e operacionais realizadas com o objetivo de obter efeitos positivos sobre o meio ambiente, quer reduzindo ou eliminando os danos ou problemas causados pelas ações humanas, quer evitando que eles surjam. Donaire (2009), dessa, forma, afirma que as organizações interessadas em equacionar seu envolvimento com a questão ambiental necessitam incorporar em seu planejamento estratégico um adequado programa de gestão ambiental que possa compatibilizar os objetivos organizacionais com os demais objetivos da organização. A Sustentabilidade aparece também como um termo que vem a reforçar o planejamento e a execução ecologicamente corretos das atividades organizacionaisDe acordo com Azevedo (2012), é a gestão capaz de suprir as necessidades de uma sociedade, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. Floriano (2007), num mesmo sentido, afirma que sustentabilidade se trata da garantia de que os recursos naturais se mantenham com a qualidade e quantidade dos níveis originais ao longo do tempo epermita que as futuras gerações encontrem as mesmas condiçõespara sua sobrevivência que a atual. Surgem, dessa forma, vários métodose artifícios para se diagnosticarem e analisarem as políticas e ações de gestão ambiental das empresas, verificando seu posicionamento e alinhamento em relação à causa. Dentre eles estão o Quadro de North (1992) e os Princípios De Gestão Ambiental, elaborados pela CCI (1992). 2.1.1. QUADRO DE NORTH (1992) O Quadro de North, de 1992, faz uma análise relativa ao posicionamento da empresa em relação à questão ambiental, em vários aspectos da atividade operacional e
  4. 4. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ administrativa da mesma, classificando-a com amigável ou agressiva, numa escala de 1(um) a 5 (cinco). Donaire (2009) diz que o Quadro de North serve para se avaliar o perfil da organização segundo as variáveis que o mesmo considera, indicando-se para cada um destes quesitos colocados, se a empresa apresenta características amigáveis ou agressivas ao meio ambiente. De acordo com Zapparoliet al (2009), na extremidade direita do quadro de análise encontram-se empresas que possuem baixa poluição, denominadas por “empresas amigas” e cujo posicionamento pode ser caracterizado como pró-ativo, visto que elas desenvolvem políticas voltadas para a preservação do meio ambiente. Já na outra extremidade está o posicionamento das empresas que são mais avessas à causa ambiental e consequentemente, mais reativas em relação às pressões populares. Elas contam com uma alta poluição nos seus processos de produção como também dão pouca ou nenhuma ênfase à questão ambiental em sua política interna, denominadas por “empresas agressivas”. Dentre as variáveis analisadas estão: Ramo de atividade da empresa; produtos; processo; conscientização ambiental; padrões ambientais; comprometimento gerencial; nível de capacidade do pessoal; capacidade da área de P&D; e capital. 2.1.2. PRINCÍPIOS DE GESTÃO AMBIENTAL, DA CCI (1992) São Princípios criados pela Câmara de Comércio Internacional (CCI), reconhecendo que a proteção ambiental se inclui entre as principais prioridades a serem buscadas por qualquer negócio (Donaire, 2009). Para Filho (2000), eles possuem uma abordagem sistêmica da questão ambiental na empresa, partindo dessa estrutura o conceito de Sistema de Gestão Ambiental (SGA), onde a atividade ambiental está vinculada a todas as atividades da empresa. Pronvinciali e Saraiva (2010) afirmam que o objetivo da CCI foi obter o comprometimento das empresas com a melhoria do desempenho ambiental, o que eleva seu potencial competitivo. Estes princípios permitem avaliar o compromisso da empresa em relação ao ambiente. Os mesmos estão descritos no Quadro 1. Quadro 1 – Princípios de Gestão Ambiental, da CCI (1990)
  5. 5. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ PRINCÍPIOS DE GESTÃO AMBIENTAL – CCI (1990) Prioridade Organizacional - Reconhecer que a questão ambiental está entre as principais prioridades da empresa e que ela é uma questão-chave para o Desenvolvimento Sustentado. - Estabelecer políticas, programas e práticas no desenvolvimento das operações que sejam adequadas ao meio ambiente. Gestão Integrada - Integrar as políticas, programas e práticas ambientais intensamente em todos os negócios como elementos indispensáveis de administração em todas suas funções. Processo de Melhoria - Continuar melhorando as políticas corporativas, os programas e a performance ambiental, tanto no mercado interno quanto externo, levando em conta o desenvolvimento tecnológico, o conhecimento científico, as necessidades dos consumidores e os anseios da comunidade, tendo como ponto de partida as regulamentações ambientais. Educação do Pessoal - Educar, treinar e motivar o pessoal, no sentido de que possam desempenhar suas tarefas de forma responsável em relação ao ambiente. Prioridade de Enfoque - Considerar as repercussões ambientais antes de iniciar nova atividade ou projeto e antes de construir novos equipamentos e instalações adicionais ou de abandonar alguma unidade produtiva. Produtos E Serviços - Desenvolver e fabricar produtos e serviços que não sejam agressivos ao ambiente e que sejam seguros em sua utilização e consumo, que sejam eficientes no consumo de energia e de recursos naturais e que possam ser reciclados, reutilizados ou armazenados de forma segura. Orientação ao Consumidor - Orientar e, se necessário, educar consumidores, distribuidores e o público em geral sobre o correto e seguro uso, transporte, armazenagem e descarte dos produtos produzidos. Equipamentos e Operacionalização - Desenvolver, desenhar e operar máquinas e equipamentos levando em conta o eficiente uso de água, energia e matérias-primas, o uso sustentável dos recursos renováveis, a minimização dos impactos negativos ao ambiente e a geração de poluição e o uso responsável e seguro dos resíduos existentes. Pesquisa - Conduzir ou apoiar projetos de pesquisas que estudem os impactos ambientais das matérias-primas, produtos, processos, emissões e resíduos associados ao processo produtivo da empresa, visando à minimização de seus efeitos. Enfoque Preventivo - Modificar a manufatura e o uso de produtos ou serviços e mesmo os processos produtivos, de forma consistente com os mais modernos conhecimentos técnicos e científicos, no sentido de prevenir as sérias e irreversíveis degradações do meio
  6. 6. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ ambiente. Fornecedores e Subcontratados - Promover a adoção dos princípios ambientais da empresa junto dos subcontratados e fornecedores encorajando e assegurando, sempre que possível, melhoramentos em suas atividades, de modo que elas sejam uma extensão das normas utilizadas pela empresa. Planos de emergência - Desenvolver e manter, nas áreas de risco potencial, planos de emergência idealizados em conjunto entre os setores da empresa envolvidos, os órgãos governamentais e a comunidade local, reconhecendo a repercussão de eventuais acidentes. Transferência de Tecnologia - Contribuir na disseminação e transferência das tecnologias e métodos de gestão que sejam amigáveis ao meio ambiente junto aos setores privado e público. Contribuição ao Esforço Comum - Contribuir no desenvolvimento de políticas públicas e privadas, de programas governamentais e inciativas educacionais que visem à preservação do meio ambiente. Transparência de Atitude - Propiciar transparência e diálogo com a comunidade interna e externa, antecipando e respondendo a suas preocupações em relação aos riscos potenciais e impacto das operações, produtos e resíduos. Atendimento e Divulgação - Medir a performanceambiental. Conduzir auditorias ambientais regulares e averiguar se os padrões da empresa cumprem os valores estabelecidos na legislação. Prover periodicamente informações apropriadas para a Alta Administração, acionistas, empregados, autoridades e o público em geral. Fonte: CCI (1990, apud Donaire, 2009) 3. HISTÓRICO DA PADARIA A atividade empresarial da Padaria iniciou-se em 2004, com poucos funcionários, e adotando maquinário antigo, que produzia alto consumo de energia. Havia muitas perdas em suas matérias-primas. Em 2007, a empresa se mudou para sua nova sede, já com novas máquinas, mais econômicas que as passadas e com um novo gerente (com nível superior incompleto) que até hoje administra a empresa e seus 15 funcionários. Atualmente, produz em média 2000 pães, 100 bolos e 200 salgados, diariamente. Assim, para manter essa média ainda há muito consumo de energia (no entanto, menor que na antiga padaria) e muita produção de lixo, porém reutilizam e reciclam o que é possível.
  7. 7. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ Quanto à produção, hoje possuem medidas fixas para quase todos os materiais utilizados. No organograma da empresa, figura 1, percebe-se que não há um setor específico para o tratamento da causa ambiental. Porém, é no nível gerencial que se situam os principais incentivos que a empresa tem em relação à adoção do uso racional e eficiente de materiais e energia. Os demais níveis são compostos por pessoas de menor nível de escolaridade, que, em geral, ainda não se alertaram para a causa ambiental e de suas responsabilidades frente ao problema. Figura 1 – Organograma da Padaria,situada na Cidade de Guadalupe-Pi Fonte: Autora (2013) A empresa possui lixeiro próprio para o despejo de seus resíduos não reutilizados, que fica próximo à Padaria. Possui ainda lixeiros pela área interna. Isto significa que tenta implantar a educação ambiental entre seus clientes. 4. METODOLOGIA DA PESQUISA . 4.1. NATUREZA, TIPOLOGIA E AMPLITUDE DA PESQUISA A presente pesquisa se caracteriza como bibliográfica, visto que faz um levantamento teórico acerca dos assuntos aqui tratados. Configura-se, ainda, como um estudo de caso, pois faz a análise da Padaria, avaliando sua postura em relação à causa ecológica e ambiental, por meio de suas práticas de gestão e de ação operacional. Possui uma natureza qualitativa e quantitativa. É quantitativa, visto que para a Gerente Padeiro Confeiteiro Balconistas Sub-gerente
  8. 8. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ aplicação do Quadro de North sobre a empresa, é necessário em cada variável fazer a classificação da empresa numa escala que varia de 1 (mais amigável) a 5 (mais agressiva). É qualitativa visto que apresenta uma análise qualitativa da Padaria em relação a cada uma das variáveis do Quadro de North, e também dos Princípios de Gestão Ambiental da CCI. A tipologia da pesquisa é de caráter exploratório e descritivo. É exploratório, visto que a pesquisa se baseia num referencial teórico, que dá embasamento às análises realizadas. É, ainda, descritivo visto que faz uma análise onde mostra a situação da Padaria objeto deste estudo de caso. 4.2. COLETA DE DADOS Realizou-se ainda entrevista semiestruturada com o gerente e com o padeiro, para verificação das concepções gerais acerca do processo adotado e do ambiente. Foi relatado um breve histórico da empresa com suas respectivas melhorias e impactos, e traçado o organograma da empresa, para que se veja em que posição estáo atual pensamento relativo à responsabilidade social e ao desenvolvimento sustentável na empresa analisada. Verificaram-se, ainda, as condições das instalações físicas da empresa, observando a adequação ou não com as necessidades ambientalistas. 4.3. TRATAMENTO DOS DADOS O tratamento dos dados coletados na Padaria foi realizado com embasamento e aplicação dos mesmos no Quadro de North (1992) e na análise referente aos Princípios de Gestão Ambiental, CCI (1990). Nos dois modelos de análise, foram observados seus processos de produção e de vendas, verificando quais as atividades que influenciam positiva e negativamente nas causas ambientais. Os dados resultantes da aplicação das variáveis do Quadro de North na Padaria se encontram no Quadro 2. Quadro 2 – Posicionamento da empresa do ramo depanificação em relação à questão
  9. 9. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ ambiental Empresas agressivas Alta poluição Classificação Empresas agressivas Baixa poluição1 2 3 4 5 Variáveis Analisadas 1. Ramo de atividade X 2. Produtos MP não renováveis X MP renováveis Não há reciclagem X Reciclagem Não há aproveitamento de resíduos X Reaproveitamento de resíduos Poluidores X Não poluidores Alto consumo de energia X Baixo consumo de energia 3. Processo Poluente X Não poluentes Resíduos perigosos X Poucos resíduos Alto consumo de energia X Baixo consumo de energia Ineficiente uso dos recursos X Eficiente uso dos recursos Insalubre aos trabalhadores X Não afeta trabalhadores 4. Consciência ambiental Consumidores não conscientes X Consumidores conscientes 5. Padrões ambientais Baixos padrões X Altos padrões Não obediência das restrições X Obediência às restrições 6. Comprometimento gerencial Não comprometido X Comprometido 7. Nível de capacidade do pessoal Baixo X Alto Acostumado velhas tecnologias X Voltado para novas tecnologias 8. Capacidade de P&D Baixa criatividade X Alta criatividade Longos ciclos de desenvolvimento X Curtos ciclos de desenvolvimento
  10. 10. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ 9. Capital Ausência de capital X Existência de capital Pouca possibilidade de empréstimos X Alta possibilidade de empréstimos Fonte: Quadro de North (1992, apud Donaire, 2009), modificado pela autora (2013) na aplicação à empresa analisada. 5. RESULTADOS E ANÁLISE DOS DADOS 5.1. QUADRO DE NORTH (1992) – POSICIONAMENTO DA EMPRESA EM RELAÇÃO À QUESTÃO AMBIENTAL De acordo com todos os dados coletados e observação realizada foi feita a classificação através da escala de 1 a 5 das variáveis do Quadro de North. Cada classificação em relação às variáveis é explicada a seguir: 1- O ramo de atividade, a panificação, é um processo que em geral produz vários resíduos prejudiciais ao ambiente, como óleo de cozinha saturado, fumaça, plásticos de embalagens. Nesse caso, a padaria pesquisada adota algumas ações que minimizam as consequências negativas desses insumos, fazendo com que o seu ramo não seja o mais agressivo possível, ficando classificado com índice 2. 2- As variáveis de análise do produto ficaram distribuídas na zona intermediária, com predominância do índice 4. Em geral utilizam matérias-primas não renováveis, como trigo e óleo de cozinha. Porém,gastam pouquíssima energia, com exceção de alguns produtos que exigem baixa temperatura para conservação. A empresa sempre aproveita bem os resíduos obtidos dos produtos, fazendo sabão do óleo utilizado; adubo, das cinzas geradas;ração para animais, do pão vencido de acordo com o prazo de validade; torradas, farinha de rosca e manuê (uma espécie de bolo) para a revenda também são feitos a partir dos pães fora do prazo. Ainda é destacável a reciclagem que fazem conseguindo aproveitar algumas embalagens e as utilizando para a revenda. 3- O processo se posiciona nos índices 2 e 4. É poluidor visto que produz muita fumaça que não é filtrada, e que dele é gerado muito lixo; gasta muita energia, tanto elétrica (em média de R$ 1200,00 mensais) quanto energia proveniente da queima da lenha para assar os pães e demais produções, e havendo, ainda, insalubridade, com muita exposição a altas
  11. 11. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ temperaturas e muito ruído produzido pelas máquinas utilizadas. Não se produz muitos resíduos perigosos (somente as cinzas que ainda são reaproveitas) e há eficiente aproveitamento dos materiais utilizados. 4- Quanto aos consumidores deixam a desejar no quesito consciência ambiental, visto que a maioria dos consumidores que compram o produto o levando para casa ainda é dependente da sacola plástica e que a maioria dos que consomem no próprio ambiente ainda não tem o cuidado de depositar o lixo nos locais corretos, o deixando no chão ou sobre a própria mesa onde comem. Assim, foi atribuído o índice 2 a este quesito. 5- Em relação aos padrões ambientais adotados pela panificadora, estes ficaram com índice 2, visto que há baixos padrões, até mesmo devido às pouquíssimas pressões que a população municipal exerce. Não há ainda obediência às restrições ambientais no caso da chaminé, que não utiliza filtros contra os efeitos da fumaça. 6- O comprometimento gerencial ficou em nível 3, intermediário. A gerência tem buscado a redução do uso dos produtos descartáveis, evitado o desperdício dos materiais utilizados e ainda a redução do consumo de energia elétrica. 7- Quanto ao pessoal responsável pela produção, limpeza e vendas, ainda há baixa consciência ambiental. São pessoas que ainda acreditam que não há como evitar o desperdício, acostumadas a tecnologias intermediárias em termo de inovação. 8- Em relação à pesquisa e desenvolvimento, foi atribuído índice 1. A empresa não emprega esforços em modificar os processos a fim da redução do uso dos materiais e de novas formas e meios mais econômicos na sua produção. Somente uma vez mudou o procedimento de produção do pão, utilizando menos trigo e mais farinha de rosca (reaproveitada), porém esse procedimento reduziu a qualidade do pão produzido, e a panificadora decidiu não mais adotar esse método. 9- Quanto ao capital, foi identificada uma posse intermediária de capital, que, no entanto a empresa não demonstra interesse de investir em tecnologias mais limpas ou ecológicas de produção. Há, ainda, pouca possibilidade de empréstimo para a aquisição dessas tecnologias, visto que elas estão presentes em sistemas ainda caros, o que dificultaria o retorno econômico do investimento. Deste modo, de acordo com essa análise inicial, proposta por North, a Padaria se situa numa posição intermediária, pois não é altamente agressiva, mas também não adota uma postura totalmente amigável. Tem algumas ações ecologicamente corretas, mas ainda adota
  12. 12. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ alguns procedimentos agressivos ao meio ambiente, e que podem ser melhorado futuramente, como por exemplo, o uso de tecnologias mais limpas para a produção do pão. Estas mudanças dependem das ações gerenciais, relativas ao processo, pesquisa e desenvolvimento, treinamento do pessoal em relação às ações ambientalmente corretas, entre outros, mas também dependem de incentivos legais e econômicos, que podem existir por parte do governo, através do incentivo ao acesso a essas tecnologias mais limpas, e assim, mais amigáveis em relação ao ambiente. 5.2. PRINCÍPIOS DE GESTÃO AMBIENTAL DA CCI (1992) De acordo com as temáticas dos Princípios de Gestão Ambiental da CCI, a Padaria se encontra estruturada da seguinte forma: a) Prioridade organizacional: A prioridade da empresa é a lucratividade, independentemente dos desgastes ambientais que deve realizar para atingir seu objetivo. Porém tem realizado algumas ações que a ajudam em sentido econômico e ambiental, como a redução dos desperdícios, a redução do consumo de energia, entre outras. b) Gestão integrada: A gerência tenta conscientizar seus funcionários da importância de minimizar ao máximo possível o uso dos recursos. Porém tem percebido que é muito difícil, devido a aspectos culturais imbuídos em suas concepções. c) Processo de melhoria: Em exceção dos sacrifícios pela reciclagem de embalagens e reaproveitamento de resíduos, a panificadora não tem uma política voltada para a causa ambiental. Porém, tem possibilidades de melhorar ambientalmente em alguns aspectos. Uma das medidas mais fáceis hoje seria a redução do fornecimento de sacos plásticos (atualmente, 300 por dia) através de uma estratégia de conscientização dos consumidores. d) Educação do pessoal: Apesar de tentar a conscientização dos funcionários, não emprega esforços maiores nesse sentido, como por exemplo, o investimento em treinamentos voltados para a defesa da conscientização em relação à ambiental. e) Prioridade de enfoque: Como seu enfoque é na produção lucrativa de pães e demais produtos
  13. 13. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ alimentícios, não havendo uma assídua concorrência, ainda não há a tendência a modificações constantes nas atividades desempenhadas nem em novas instalações. Mas como há uma prioridade econômica no negócio, é possível que, caso necessário, as repercussões ambientais sejam ignoradas para consecução de seus objetivos. f) Produtos e serviços: Os produtos da empresa, de forma geral, não são agressivos ao meio ambiente, porém o processo adotado ainda é prejudicial. A poluição do ar, devido a fumaça, e a produção de lixo, por exemplo, são resultados dos métodos adotados. Não há ainda, na panificadora, um interesse pelo estudo de novos produtos mais adequados à causa ambientalista. g) Orientação ao consumidor: A empresa não procura o incentivo, nem a modificação de consciência de seu consumidor. h) Equipamentos e operacionalização: A empresa utiliza na produção em média três máquinas que consomem mais energia elétrica, que são a amassadeira e o cilindro trifásicos, e a modeladora monofásica. Há ainda vários freezers. Tem-se um alto consumo de energia elétrica, em média de 3000 kWh/mensais. Utilizam dois fornos, um turbo lenha, que consome pouca lenha e assa 200 pães por carregamento; e um forno a lenha, que utiliza quase o dobro de lenha e assa 300 pães por carregamento. Assim, o primeiro seria mais econômico em sentido de consumo e desgaste ambiental, mas a empresa utiliza com maior frequência o segundo forno.Os dois dão escape à fumaça produzida através de uma chaminé que não possui filtros. Em relação ao uso sustentável dos recursos, procura não perder muito, através de um uso racional e eficiente, reaproveitando o máximo que pode e reciclando o que é de possível venda ou reutilização. i) Pesquisa: Não há a realização de pesquisas que inovem o processo produtivo da empresa. j) Enfoque preventivo: Com exceção das ações concordantes com a causa ambiental que a gerencia tenta implantar na panificadora, não há interesse numa mudança de metodologia de processo produtivo em função do maio ambiente. k) Fornecedores e subcontratados:
  14. 14. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ Nenhum fornecedor busca a mudança de mentalidade em função do ambiente, o que vai ao encontro da ideia de busca constante que os mesmos têm pela lucratividade (quanto mais itens forem gastos, mais itens serão comprados e maiores lucros obtidos). A empresa também não pressiona os mesmos em relação a essa causa. l) Plano de emergência: Em caso de emergência em suas atividades devido à de instabilidade ambiental, a empresa não possuiria um plano de ação, o que se explica novamente pelas poucas pressões sociais exercidas em suas atividades. m)Transferência de tecnologia: A tecnologia utilizada na empresa é a mais comum, que ainda não é eficiente em termos ambientais. Assim, a empresa não pode considerá-la como recurso ambientalmente correto. Também não investe em novas tecnologias que possamser oferecidas à sociedade como alternativa. n) Contribuição ao esforço comum: A empresa não participa das políticas e campanhas realizadas por outras organizações, nem públicas nem privadas, em função da causa ambiental. o) Transparência de atitude: A Padaria nunca promoveu diálogos com a sociedade em relação a essa causa, somente buscando influenciar positivamente na parte interna, com seus próprios funcionários. p) Atendimento e divulgação: A empresa não mensura econômica nem ambientalmente o valor das ações que promove e que contribuem com o ambiente, visto que não é ainda uma ação planejada, mas apenas uma tentativa parcial da gerência a redução do consumo e o uso eficiente de materiais. Deste modo, verifica-se que em relação aos Princípios de Gestão Ambiental estabelecidos pela Câmara Internacional do Comércio, em 1992, a empresa ainda está atrasada. Não segue a grande maioria destes princípios e não demonstra um interesse em segui-los futuramente. Para que tenha uma postura diferente, seria necessária a conscientização populacional e governamental no município, a fim de se exercer uma pressão sobre a empresa analisada e sobre as demais da cidade, modificando este cenário atrasado em termos de gestão ambiental e sustentabilidade empresarial.
  15. 15. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ 6. CONCLUSÃO A Padaria analisada é uma empresa de nível intermediário na Classificação de North (1992). Em relação às demais padarias, não é uma empresa excessivamente poluente, visto a presença de algumas ações básicas, que aliviam os impactos causados pela sua presença. No histórico, percebe-se uma evolução positiva na forma como a empresa se projeta ambientalmente. Ainda que o conjunto de mudanças não seja muito grande, percebem- se modificações positivas em relação à causa ambientalista. Há ainda muito a ser feito, já que há o desperdício de alguns resíduos que poderiam ser reciclados e empregados em outras produções que não a alimentícia. Quanto aos princípios, também há, ainda, uma passividade generalizada relativa à adoção de tais medidas. A empresa já apresenta sinais positivos em relação ao meio ambiente, porém estes sinais ainda fazem parte somente de uma iniciativa, e não de ações e procedimentos concretizados por toda a empresa. Assim, percebe-se que o desenvolvimento de suas ações de forma positiva seria necessário para modificar sua estrutura de gestão ambiental. Através da adoção cada vez maior depequenas ações ecologicamente corretastambém se constrói um conjunto eficiente e eficaz em relação ao meio ambiente. Este desenvolvimento apresentaria benefícios incalculáveis em longo prazo, já que a vida humana depende em totalmente dos recursos ambientais, que já se fazem escassos. 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AZEVEDO, João Humberto de. Sustentabilidade: Crescimento econômico com responsabilidade social. Revista Brasileira de Administração, Ano XXI, n° 87, p. 34-38, 2012. BARBIERI, José Carlos. Gestão Ambiental Empresarial: Conceitos, modelos e instrumentos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2007. DONAIRE, Denis. Gestão ambiental na empresa. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
  16. 16. ENCONTRO SERTANEJO DOS ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO 21 A 24 DE JUNHO DE 2013 – PATOS/PB WWW.ENSEAD2013.COM _____________________________________ FILHO, José Carlos Lázaro da Silva. Gestão Ambiental Municipal: O Caso da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Dissertação de Mestrado apresentada à UFRGS. Porto Alegre, 2000. FLORIANO, Eduardo Pagel. Políticas de Gestão Ambiental. 3. ed. Santa Maria: UFSM- DCF, 2007. PROVINCIALLI, V. L. N.; SARAIVA, L. A. S. Gestão ambiental sob a ótica de frequentadores e empresários no setor de alimentos e bebidas da orla de Aracaju. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p.384-398, dez. 2011. ZAPPAROLI, I. D.; CAMARA, M. R. G.; LUIZ, L. A. C.; et al. A relação entre desenvolvimento sustentável empresarial e a gestão ambiental corporativa: análise do caso do Parque Estadual Mata dos Godoy em Londrina – PR. Revista de Gestão Social e Ambiental, v.4, n.2, p.96-117, 2010.

×