Your SlideShare is downloading. ×
Neurointensivismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,011
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. MonitorizaçãoNeurológica em UTI
  • 2. Monitorização Neurológica em UTI Objetivos primários da Neuro-ICU: • 1- Manter fluxo sanguíneo cerebral fisiológico; • 2- Oxigenação cerebral adequada; • 3- Reduzir danos neurológicos secundários;
  • 3. Lesão NeurológicaTipos de Lesão Neurológica – Área Penumbra
  • 4. Risco HIC - TCE
  • 5. Monitorização Neurológica em UTI Pressão Perfusão CerebralPPC = PAM – PIC (Pv)Objetivos:1- Manter FCS adequado com PPC 60-70mmHg2- Reduzir probabilidade de isquemia cerebral
  • 6. Fluxo Sanguíneo Cerebral FLUXO SANGUINEO CEREBRAL
  • 7. Doutrina de Monroe-Kelie Crânio MASSAENCEFALICA LÍQUOR SANGUE HEMATOMA Águaintra/extracelular Doutrina de Monroe-Kelie
  • 8. Monitorização Neurológica em UTI PIC > 20mmHg = Hipertensão intracraniana moderada ≥ 40 > grave• Diversos autores encontraram melhores outcomes PIC<= 15mmHg• Uso de cateteres intraventriculares ou intraparenquimatosos Brock M.; University of Hannover.
  • 9. Tipo de Onda de PICNormal Aumentada
  • 10. Monitorização Neurológica em UTI Utilizar cateteres intraventriculares/ intraparenquimatos;Vantagens no intraventricular: • tratar hipertensão intracraniana atráves de retirada de LCR • Dosagens de lactato/piruvato – acompanhamento isquemia; • Dificuldades qdo edema cerebral com colabamento de ventriculos • Pico de taxa de infecção até o 5 dia após mantem um platô taxa 1,7%/d
  • 11. Tratamento da HIC
  • 12. Conduta Inicial UTI
  • 13. EEGCAnálise dos tipos de ondas
  • 14. Saturação Venosa Bulbo Jugular1- Avalia as condições de oxigenação cerebral global;2- Aumenta chances de bons outcomes em associação com PIC(Chesnut et al. Crit.Care Med1998)3- Fácil uso e manuseio – cateter jugular interna dir4- Uso intermitente avaliações sequenciais 6/6 ou 8/8hs ou contínua;5- Indicação precoce pois não é fidedigna após 72horas
  • 15. Saturação Bulbo Jugular
  • 16. Monitorização – PaCO2Alterações no FSC
  • 17. Monitorização Neurológica em UTI DOPPLER TRANSCRANIANO
  • 18. Doppler Transcraniano - TCEMartin et al. Characterization of cerebralhemodynamic phases following severe head trauma:hypoperfusion, hyperemia, and vasospasm. JNeurosurg 87:9-19, 1997 • Ocorrência de 3 fases distintas da hemodinâmica encefálica nas 2 primeiras semanas após TCE: Fase 1 (hipoperfusão): dia 0 Fase 2 (hiperemia): dias 1-3 Fase 3 (vasoespasmo): dias 4-15
  • 19. DOPPLER TRANSCRANIANO
  • 20. Monitorização BIS BIS
  • 21. Monitorização Neurológica em UTI BIS
  • 22. Hipotermia na UTI - InduçãoDiminuição doMetabolismoNeurológico;Diminuição LesãoSecundária;
  • 23. MONITORIZAÇÃO MULTIMODAL em UTI