Plano De Av Sessao5

390 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
390
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano De Av Sessao5

  1. 1. O Modelo de Auto‐Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (Parte I)
  2. 2. Formanda - Filipa Neves Novembro 2009 O Modelo de Auto‐Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (Parte I)  DOMÍNIO – A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular  SUBDOMÍNIO – A.2. Promoção da Literacia da Informação, Tecnológica e Digital  INDICADORES TEMÁTICOS – A.2.3. Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola/agrupamento. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.  Linha Orientadora –INPUTS (instalações, equipamentos, financiamentos, staff, colecções...) PROCESSOS (actividades e serviços) OUTPUTS (visitas à biblioteca, empréstimos, consultas do catálogo, pesquisas bibliográficas; respostas do serviço de referência, materiais produzidos…)
  3. 3. OUTCOMES/IMPACTOS (valor atribuído pelos utilizadores, traduzido numa mudança de conhecimento, competências, atitudes, valores, níveis de sucesso…) A.2. 3. Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais na escola/agrupamento. Serviços disponibilizados pela BE na consulta/pesquisa/produção de informação no domínio da literacia tecnológica digital. Possibilidades que as TIC e a Web facultam nos projectos escolares e outras actividades, como recurso de aprendizagem. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. Este indicador ajudar-nos-á a verificar os efeitos do trabalho desenvolvido, assim como, conhecer qual a eficácia das acções propostas e as necessidades dos utilizadores.
  4. 4. Plano de Avaliação DOMÍNIO A SUBDOMÍNIO A.2 INDICADOR de PROCESSO A.2.3 INDICADOR de IMPACTO A.2.5 OPERACIONALIZAÇÃO DIAGNÓSTICA INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO META • Breve avaliação diagnóstica para Assegurar o seleccionar o domínio prioritário a avaliar, envolvimento da Julho ou Setembro tendo em conta vários factores: realidade comunidade da própria escola/metas Equipa da BE educativa na definidas/projectos/orientações aplicação do MAABE, externas/levantamento dos pontos fortes e Órgãos de Gestão como plano de fracos da BE. Pedagógica e melhoria do sucesso Executiva educativo e da melhoria de • Formalização do processo da AA da BE, no resultados. Setembro sentido de uma co-responsabilização de todos os intervenientes.
  5. 5. • Apresentação do Plano de Avaliação quanto aos objectivos e metodologias aplicadas à Concelho Implementar a AA da AA da BE; definir modos de colaboração na Pedagógico BE, sob a recolha (quantitativa/qualitativa) de Setembro/Outubro responsabilidade do evidências; calendarização; tratamento, (directora/ Encar.Ed./ profs. professor análise e comunicação de dados; de cada depart. e ciclos/ auxiliar de acção educativa bibliotecário, de um levantamento de necessidades. coordenadora da BE/ grupo responsável ao Psicóloga/ prof. avaliadora/ nível da • Organização de um grupo responsável pela educadora) escola/agrupamento. condução do processo de AA da BE, ao nível da escola/agrupamento e na produção e/ou adaptação da”bateria” de instrumentos de recolha de evidências disponíveis no MAABE e definir a quem Professor Outubro/Novembro aplicar bibliotecário e (questionários/entrevistas/grelhas/chekli equipa sts) OPERACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO META • Analisar os seguintes documentos: Professor Estabelecer um plano -Plano Anual de Actividades Escola bibliotecário e articulado e -Projecto Educativo Agrupamento Novembro equipa progressivo. -Projecto(s) Curricular(s) de Turma(s) (seleccionada(s)) -Regulamento da BE
  6. 6. • Aplicação de uma checklist à BE: -no apoio às actividades de consulta/pesquisa e produção de informação através das TIC ; Novembro/Dezembro -na colaboração e na dinamização de actividades de educação para e com os Professor Criar um conjunto de media; bibliotecário e orientações sobre as -disponibiliza aos utilizadores uma selecção equipa questões éticas e de recursos electrónicos; legais da utilização -na produção de materiais informativos e dos recursos de de apoio na utilização segura e responsável informação. dos recursos de informação(guias de procedimento/listas de apontadores /guiões de pesquisa/grelhas de avaliação de sites; -possui página na internet e/ou blogue -elabora estatísticas de utilização desses recursos. • Análise das estatísticas de utilização dos Dezembro a Maio recursos de informação. Professor Identificar • Dados estatísticos de formação de bibliotecário e necessidades utilizadores. equipa prioritárias • Dados estatísticos das actividades promovidas.
  7. 7. • Recolha, tratamento estatístico e análise de toda a informação recolhida acerca da aplicação deste subdomínio. OPERACIONALIZAÇÃO DO IMPACTO INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO META • Elaboração de grelhas de análise de trabalhos escolares dos alunos (02): - identifica fontes de informação Valorizar o papel dos -pesquisa informação na net e noutros procedimentos e formatos atitudes nos -produz materiais multimédia … processos de Professor Janeiro a Maio bibliotecário e aprendizagem • Grelhas de observação comportamental: -os alunos estabelecem entre si um equipa ambiente de confiança e de respeito mútuo, cumprindo normas de actuação Alunos -demonstram atitudes de curiosidade, iniciativa, criatividade e reflexão crítica -revelam valores de cooperação, autonomia e responsabilidade no uso das novas tecnologias … • Elaboração de actividades que envolvam alunos na vida da BE (Monitores da BE)
  8. 8. OPERACIONALIZAÇÃO DA PERFORMANCE INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO META • Análise sobre a performance da BE no domínio escolhido, identificando os pontos fortes e fracos que conduzirá a uma definição de priorização de acção de Concelho Junho/Julho Demonstrar junto da melhoria. Pedagógico comunidade, o contributo da BE para • Reflexão sobre os resultados obtidos para Professor a aprendizagem e os que se (re)defina novas estratégias e bibliotecário resultados escolares acções de melhoria, quer para as Equipa da BE aprendizagens, quer para o desempenho da equipa no futuro. • Identificar o nível de desempenho da BE, definido no MAABE. • Relatório final com a descrição e análise dos resultados obtidos, onde deve integrar o Relatório Anual de Actividades da Escola/ Agrupamento e o Relatório de Auto- Avaliação da Escola/Agrupamento. • Comunicação dos resultados da auto- avaliação no Conselho Pedagógico e posteriormente, a divulgação pública.
  9. 9. BIBLIOGRAFIA Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar (Novembro de 2009). (http://www.rbe.min-edu.pt/np4/?newsld=31&fileName=mod_auto_avaliacao.pdf) Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: instrumentos de recolha de dados http://www.rbe.min-edu.pt Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo para o relatório de avaliação da BE http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/Modelo_de_Relatorio.doc Texto da sessão. Disponível na Plataforma - O Modelo de Auto – Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operacionalização (Parte I)

×