Petrobras e Neoenergia apresentamFilhos de João, O Admirável    Mundo Novo Baiano               um filme de Henrique Danta...
“Eu fiz um soneto, você um testamento”                      Solano Ribeiro, idealizador dos festivais de MPB de 1960“O Fil...
NOTAS       DE    IMPRENSA   “Mais que evocação de um grupo musical, evoca toda uma época, toda uma                       ...
APRESENTAÇÃOO documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano é a história dogrupo musical Novos Baianos. Prime...
SINOPSE           CURTAO documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano é a história dogrupo musical Novos Bai...
FICHA       TÉCNICARoteiro e Direção: Henrique DantasProdutor Executivo: Henrique DantasDiretor de Fotografia: Hans Harold...
ASSESSORIA               DE IMPRENSASALVADORHumberto Sampaio- humbsampa@yahoo.com.br(71) 8825-8087MAIS E MELHORESPaulo Alm...
DIREÇÃO - HENRIQUE DANTASMestre em Artes Visuais pela UFBA,                onde desenvolveu pesquisaintitulada Apropriaçõe...
Em que momento você teve percepção da importância do João Gilbertopara o grupo?Quando eu comecei as entrevistas eu percebi...
DIRETOR DE FOTOGRAFIA – HANS HEROLDHans Herold é diretor de fotografia, operador de câmera e fotógrafo. Atuando emcinema, ...
Uma das vertentes do trabalho da Pipa é viabilizar a exibição de filmes brasileirosem todo pais, promovendo eventos, mostr...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Pressbook Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano

1,527

Published on

Pressbook do documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano, que conta a história do grupo musical Novos Baianos.

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,527
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pressbook Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano

  1. 1. Petrobras e Neoenergia apresentamFilhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano um filme de Henrique Dantas 42º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO Candango de Melhor Filme do Júri Popular e Prêmio Especial do Júri VI Fest Cine Goiânia Melhor Direção de Longa Documentário Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe - Curta-SE Melhor Filme Júri Popular
  2. 2. “Eu fiz um soneto, você um testamento” Solano Ribeiro, idealizador dos festivais de MPB de 1960“O Filhos de João expõe com clareza e arte uma fase especialmente importanteda cultura brasileira no século XX. Faz essa exposição, com um sentido críticodespojado e moderno, através da música e do comportamento de músicos naprimeira metade da década 1970, essencialmente os Novos Baianos com suaproposta musical inovadora e seu estilo de vida comunitário.É uma reflexão audiovisual sobre o que aconteceu com a cabeça da juventudebrasileira logo após os impactos culturais dos anos 1960, que culminaram com omovimento hippie. Flagra um momento em que o sonho teimava em não acabar econvivia com a brutalidade de uma ditadura e a alternativa da guerrilha.Uma obra importante e oportuna, que nos faz entender melhor quem somos eporque somos assim. Estou muito feliz e agradecido por haver participado em umfilme ungido com tanta sensibilidade e inteligência.” Orlando Senna, cineasta
  3. 3. NOTAS DE IMPRENSA “Mais que evocação de um grupo musical, evoca toda uma época, toda uma mentalidade” Luiz Zanin, Estado de São Paulo“Vem carregado de uma nostalgia contagiante, com o encanto inerente a quase toda utopia” O Popular, Goiania “Aplausos em Cena Aberta no Festival de Brasília fizeram da sessão uma celebração sem ressalvas” João Sampaio, A Tarde “Uma reflexão descontraída e muito sutil que, nos anos 60 e 70, foram amplificadas por canções populares” Correio Brasiliense“O filme é um elogio as experiências libertárias que vieram a tona nos anos 70, sob o signo da cultura Hippie” André Dib, Diário de Pernambuco “Somos levados a conhecer desde o país refinado de João Gilberto até o país repressor de Emílo Garrastazu Médici” Folha de São Paulo
  4. 4. APRESENTAÇÃOO documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano é a história dogrupo musical Novos Baianos. Primeiro longa-metragem do cineasta baianoHenrique Dantas, o filme é uma rica viagem pelo universo de um dos maisirreverentes grupos musicais da história da Música Popular Brasileira.A realização deste projeto revela o universo estético e filosófico do grupo NovosBaianos e de sua ligação com uma das mais importantes figuras da culturabrasileira: o cantor, compositor e um dos criadores da Bossa Nova, João Gilberto.O filme se concentra em um dos períodos mais férteis e efervescentes daprodução musical brasileira – do final da década de 1960 até o fim da década de1970 – época em que o grupo eclodiu.Foi neste período que João Gilberto, recém chegado dos Estados Unidos, começoua conviver com os Novos Baianos, tornando-se uma espécie de guru, mudandoradicalmente toda a história do grupo e da MPB.A película conta com os depoimentos de Tom Zé, Orlando Sena, Rogério Duarte,Mário Luiz Thompsom de Carvalho, Joildo Góes, Nonato Freire, Solano Ribeiro,Armandinho e de alguns integrantes do grupo como Moraes Moreira, Galvão,Pepeu Gomes, Paulinho Boca de Cantor, Dadi, Jorginho Gomes, Gato Félix, BolaMoraes e Charles Negrita.A música dos Novos Baianos continua sendo atual mesmo após decádas do seulançamento. O tempo encarregou-se de reforçar a sua aura mística, aguçando acuriosidade em relação à história do grupo. Os Novos Baianos foram muito maisuma comunidade hippie, um time de futebol ou um grupo musical.A alegria musical aliada a uma postura essencialmnte subversiva fez dos NovosBaianos porta-vozes de toda uma geração que revolucionou a música e ocomportamento no Brasil.Com patrocínio da Petrobras, Neoenergia e Ancine, a estréia nacional será no dia27 de maio de 2011.SINOPSEO documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano conta a históriado grupo musical Novos Baianos. O filme se concentra em um dos períodos maisférteis e efervescentes da produção musical brasileira – final da década de 1960 –época em que o grupo eclodiu.Foi neste período que João Gilberto, recém chegado dos Estados Unidos, começoua conviver com os Novos Baianos, tornando-se uma espécie de guru.. Comextrema sensibilidade, e absoluta despretenção, transformou a mentalidadedaqueles jovens irreverentes e mudou o rumo da MPB.
  5. 5. SINOPSE CURTAO documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano é a história dogrupo musical Novos Baianos. A realização deste projeto revela o universoestético e filosófico da banda e de sua ligação com uma das mais importantesfiguras da nossa cultura: o cantor, compositor e um dos criadores da Bossa Nova,João Gilberto.TIJOLINHOFilhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano [Brasil, 2011], de HenriqueDantas (Pipa Distribuidora). Gênero: Documentário Elenco: Paulo “Boca deCantor”, Moraes Moreira, Pepeu Gomes, Galvão, Dadi, Tom Zé, entre outros.Sinopse: Documentário sobre a influência decisiva do músico João Gilberto naobra do grupo musical Novos Baianos. Duração: 75 min. Classificação: LivrePARTICIPAÇÕESPaulo Boca de CantorMoraes MoreiraPepeu GomesGalvãoDadiJorginho GomesGato FélixBola MoraesCharles NegritaTom ZéOrlando SenaRogério DuarteMário Luiz Thompsom de CarvalhoJoildo GóesNonato FreireSolano RibeiroArmandinho
  6. 6. FICHA TÉCNICARoteiro e Direção: Henrique DantasProdutor Executivo: Henrique DantasDiretor de Fotografia: Hans HaroldMontagem: Bau Carvalho e Henrique DantasProdução: Adler Paz, Bau Carvalho e Solange LimaSom: Nicolas Hallet e Paulinho SeabraProdutor de Finalização: Marcos Carvalho e Lula OliveiraFinalizador: Bau CarvalhoDesenhista de Créditos: Izqui (Joselito Cochran); Ricardo BertolConcepção Gráfica: Fabrício BrancoAssistente de Produção: Daniel FróesConsultoria Jurídica: Caio Mariano SennaDuração: 76 minutosFormato: Digital e 35mmSom: Dolby 5.1Janela: 1.85Ano de Produção: 2009Orçamento: R$ 500.000,00Certificado de Produto Brasileiro (CPB): 10012845Certificado de Registro de Títulos (CRT): 01010061690220102Classificação Etária: LivrePatrocínio: Petrobras e NeoenergiaViabilizado pela Lei de Incentivo do Audiovisual (Art. 1ºA)Este filme foi selecionado pelo Programa Petrobras Cultural
  7. 7. ASSESSORIA DE IMPRENSASALVADORHumberto Sampaio- humbsampa@yahoo.com.br(71) 8825-8087MAIS E MELHORESPaulo Almeida - paulo@maisemelhores.com.br(21) 2208 5952(21) 8197 5600PRÊMIOS E PARTICIPAÇÃO EM F E S T I V A I S:42º Festival de Brasília do Cinema BrasileiroCandango de Melhor Filme do Júri PopularCandango Prêmio Especial do JúriVI Fest Cine GoiâniaMelhor Direção de Longa DocumentárioFestival Iberoamericano de Cinema de Sergipe - Curta-SEMelhor Filme Júri PopularSeleção Oficial:5º Dockanema - Festival do Filme Documentário de MoçambiqueFilm Erzaehlt Musik - Alemanha (Festival Cinema Conta Música)12º Festival Internacional do Rio de Janeiro34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo17º Vitória Cine VídeoIX Araribóia CineFestival Internacional do Primeiro Filme de Timbaúba - PE
  8. 8. DIREÇÃO - HENRIQUE DANTASMestre em Artes Visuais pela UFBA, onde desenvolveu pesquisaintitulada Apropriações e Intervenções com as Sombras do Cotidiano, HenriqueDantas trabalha com audiovisual, atuando como diretor, roteirista e diretor dearte. Entre os seus principais trabalhos estão a direção, concepção e roteiro dodocumentário longa metragem, Filhos de João, O Admirável Mundo NovoBaiano, filme que recebeu quatro Candangos no 42º Festival de Cinema Brasíliano ano de 2009, entre eles o Prêmio Especial do Júri e o Prêmio do Júri Populare a direção de arte dos curtas metragem Lotação, Na Terra do Sol, Anjo Daltônicoe Apreço, e dos longas Estranhos(2008) e Trampolim do Forte(2009).Trabalha também nas linguagens de videoclipe e videoarte, realizando inúmerostrabalhos. Publicou artigo denominado Sombras do Cotidiano na Revista da Pós-Graduação da Escola de Teatro da UFBA e artigo denominado Apropriações eIntervenções com as Sombras do Cotidiano no caderno do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFBA. Mantém uma pesquisa que transita entre agravura e o cinema, passando pelo jornal impresso, o vídeo e a fotografia.Atualmente encontra-se a filmar A Peleja do Sertão Cinzento, filme que abordaráparte da vida do cineasta baiano Olney São Paulo, e as conseqüências que seufilme Manhã Cinzenta tiveram no período da ditadura. Alem do filme Galeria F,que trata das histórias dos presos políticos na Bahia nos anos de chumbo daditadura militar.ENTREVISTA COM O DIRETORComo surgiu a ideia de falar sobre os Novos Baianos?Foi após ver uma entrevista com o Paulinho Boca, onde ele comentava que ogrupo iria completar 30 anos de existência, busquei coragem para me dedicar aalgo mais complexo do que os trabalhos experimentais que eu praticava. Daprimeira entrevista até este momento, passaram-se onze anos. Quis mostrarlembranças das utopias que o país viveu, embora toda a repressão das décadasde 1960 e 70 não pertençam mais à mesma geração. As posteriores, que aindaacreditam em algumas daquelas crenças, ou às que se recusam a aceitar a“vitória do dragão da maldade” - e aí faço uma alusão direta ao filme ManhãCinzenta, de Olney São Paulo, um dos temas do meu filme. Quis mostrar tambémque todos somos “filhos de João” porque todos recebemos influências de JoãoGilberto. Não apenas os Novos Baianos ou os tropicalistas, mas todos os quemantêm suas identidades cruzadas com este momento histórico que o filmeaborda e retrata.Qual a sua relação com as músicas do grupo?Tudo começou com meu pai. Quando eu era menino ele ouvia muita música aosdomingos, sempre colocava os discos de João (Gilberto), dos Novos Baianos, do ACor do Som, e isso era muito legal. Eram nossos domingos musicais.
  9. 9. Em que momento você teve percepção da importância do João Gilbertopara o grupo?Quando eu comecei as entrevistas eu percebi que a figura do João Gilberto nãoera apenas a do inventor da Bossa Nova, ele teve importância fundamental natransformação do grupo. O primeiro disco deles, É Ferro na Boneca, é bemrock’n’roll, bem Jimi Henrix, guitarras pesadas. E foi o João quem mudou tudo eensinou o ‘caminho de casa’, o caminho do Brasil, o caminho para a músicapopular brasileira. Foi a partir deste momento que o filme tomou outras vertentese eu comecei a pesquisar a relação deles com o João Gilberto.Além da relação do João Gilberto com os Novos Baianos, de que maistrata o filme?O filme trata de outros assuntos transversais além de João Gilberto, comocarnaval e comportamento coletivo. É um filme musical. Nele está grande parteda obra do grupo, dos 10 anos de existência, com cenas belíssimas de arquivo.Qual momento do filme você mais gosta? Por quê?Não tenho um momento preferido. Mas o que me empolgou mesmo foi refazer ahistória dessas pessoas tão importantes, que muito contribuíram para aconstrução da identidade da minha geração com suas práticas artísticas.Qual foi sua maior dificuldade para realizar o filme?Tive uma dificuldade muito grande para fazer o filme porque estava trabalhandocom pessoas que são estrelas da musica pop do Brasil. E quando você faz umfilme sem uma produtora grande, se você não chega em uma van com umaequipe de 15 pessoas, chega apenas com mais dois ou três, as pessoas ficam nadúvida se você vai conseguir realmente ou não. Isso foi uma grande dificuldadeque eu tive.Há alguma história de bastidores sobre o filme (pré-produção oufilmagem ou finalização) que tenha te marcado?Embora não tenha preferência, todas as fases me marcaram muito. A conquistacrescente da credibilidade das pessoas que fizeram essa história acontecer foimuito interessante. É minha primeira produção de um longa-metragem. É umfilme independente, que carrega diversos problemas que encarei como desafios.Tudo acaba sendo marcante, mas, perder pessoas que muito colaboraram com ofilme foi impactante e aumentou minha responsabilidade com o trabalho.Entrevistei pessoas pelas quais nutria admiração: Bola Morais, Zé Baixinho, ocineasta Álvaro Guimarães, estes foram pessoas que me entristeceram com suaspartidas.Tirando a polêmica com Baby, como foi a receptividade dos artistas emrelação ao filme?Foi ótima, todos que viram o filme até então e estão no mesmo, ficaram felizes elisonjeados com a proposta apresentada sobre a vida deles... É claro que amemória é individual e essa construída é coletiva.
  10. 10. DIRETOR DE FOTOGRAFIA – HANS HEROLDHans Herold é diretor de fotografia, operador de câmera e fotógrafo. Atuando emcinema, televisão e vídeo, possui em seu currículo campanhas publicitáriaspremiadas, produções nacionais e internacionais de cinema como o El Milagre DelCandeal, de Fernando Truebas, e O Papel das Flores, de Edgard Navarro, queconquistou a prêmio de Melhor Direção de Fotografia no Festival de Cinema doCeará.REALIZAÇÃO – HAMACA PRODUÇÕESA Hamaca Produções Artísticas é uma produtora nova que chega ao mercadoaudiovisual assinando um longa-metragem premiado no 42º Festival de Cinemade Brasília. Os sócios da empresa, Henrique Dantas e Pedro Semanovisk sãoprofissionais atuantes no mercado cinematográfico baiano nas áreas de Direçãode Fotografia nos longas Isto Tudo me Parece um Sonho, de Geraldo Sarno eTrampolim do Forte, de João Rodrigo Mattos e a câmera de Eu Me Lembro, deEdgar Navarro e Direção de Arte em Estranhos, de Paulo Alcântara e Trampolimdo Forte.CO-PRODUÇÃO – DOCDOMA FILMSCriada em janeiro de 2005, a DocDoma Filmes nasceu do espírito empreendedorde um grupo de jovens profissionais das áreas de cinema e vídeo movidos pelointeresse no desenvolvimento do potencial audiovisual da Bahia. A DocDomaFilmes atua na produção de documentários, curtas e longas-metragens, vídeosinstitucionais e educativos além de produzir conteúdos para televisão e web.Entre seus principais trabalhos para o cinema estão a co-produção de Filhos deJoão, o admirável mundo novo baiano, de Henrique Dantas, Trampolim do Forte,de João Rodrigo Mattos, Cuíca de Santo Amaro – Ele, o Tal, de Joel de Almeida eJosias Pires, Agostinho da Silva – Um Pensamento Vivo, de João Rodrigo Mattos eo curta Cães, de Adler Paz.DISTRIBUIÇÃO – PIPA DISTRIBUIDORACriada em 2002, a Pipa Produções, é uma empresa pioneira na promoção,distribuição e lançamento de filmes independentes de forma criativa. A análiseindividual de cada produto sempre foi o grande diferencial da distribuidora:identificar, no mercado de produção cultural, ações diferenciadas para circulaçãodesses produtos.
  11. 11. Uma das vertentes do trabalho da Pipa é viabilizar a exibição de filmes brasileirosem todo pais, promovendo eventos, mostras e festivais, além de ser a únicaempresa do setor a ter um diagnóstico do circuito independente do Brasil.O conceito Distribuição Criativa idealizado pela Pipa Distribuidora tem três pilaresfundamentais: estabelecer estratégias de marketing direcionadas para cada filmedistribuído, fortalecer a rede exibidora e formar público, democratizando o acessoa espaços culturais.A Pipa Distribuidora foi contemplada pelo Programa Petrobras Cultural da com oprojeto Filhos de João, o admirável Mundo Novo Baiano na categoria difusão deLonga-Metragem 35mm para Salas de Cinema.

×