UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA          CAMPUS I - SALVADOR   DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANASCURSO DE LETRAS INGLESAS E ...
ANTONIO FERNANDES DE CARVALHOA CONTEXTUALIZAÇÃO DO AMOR NA MÚSICA DO           GRUPO THE BEATLES                         M...
ANTONIO FERNANDES DE CARVALHO     A CONTEXTUALIZAÇÃO DO AMOR NA MÚSICA DO                GRUPO THE BEATLESMonografia apres...
“One thing weve found out is that love is a great   gift, like a precious flower. Youve got to be very careful with it. It...
Ao meu filho Gustavo Acharya Schutt Carvalho, àminha mãe Maria de Lourdes Andrade CarvalhoUcha e às minhas excelentes amig...
AGRADECIMENTOS       À minha orientadora, Sonia Maria Davico Simon, pelo que representa como mestre,pela dedicação, pelo e...
RESUMOPor décadas o amor tem sido o tema predominante nas letras das canções populares, de umamaneira que pode até ser dit...
ABSTRACTFor decades love has been the prevailing theme in the lyrics of popular songs, to an extentthat one could say that...
LISTA DE QUADROSQuadro 1 Periodização da produção lírica dos Beatles. …......................................................
SUMÁRIO1     Introdução …....................................................................................................
2.8.1 O surgimento dos seis Lovestyles em Rubber Soul ...................................................... 292.9 Para qu...
111 Introdução        Este trabalho tem como objetivo investigar os contextos em que o amor está presentenas letras das ca...
121.1 As características que diferenciam os seis estilos de amor        Eros: O amor romântico, caracterizado por uma pode...
13avalia todas as possíveis implicações antes de se envolver num romance. Se um namoroparecer ter futuro, ele investe. Se ...
141.2 A canção de amor e sua limitação na forma e conteúdo        O tema predominante nas letras de música popular sempre ...
15duração de dois ou três minutos foram, por meados de 1950, o modelo de música popular.Isso contribuiu na formatação da m...
161.5 Por que John Alan Lee?          John Alan Lee é um dos poucos pesquisadores cujas conclusões sobre a natureza doamor...
17Beatles tornando-se o produtor musical da banda. Ele produziu 12 dos seus 13 álbuns oficiaise é considerado o grande cat...
18corte de cabelo moptop8 usado pelos Beatles durante o período inicial de sua carreira é aindahoje em dia normalmente cha...
19através das quais a importância dos Beatles pode ser analisada e avaliada. Assim, de acordoàs idéias de Inglis:    •   E...
20disponíveis em sites de universidades de renomadas. E não menos importante, um fator queindica claramente a importância ...
21                        banda mais popular da época, a quem o povo ouvia. Um grande número de                        ban...
221.9 Procedimentos da pesquisa        Para classificar todas as canções dos Beatles nas categorias de amor apresentadas n...
232 As fases de composição        Entre o lançamento do primeiro compacto dos Beatles “Love Me Do / P.S. I LoveYou” (outub...
24um papel muito importante nas músicas dos Beatles.2.2 A música dos Beatles e o amor cortês        As letras das músicas ...
25loving to you’)20. Muitas dessas composições foram feitas durante o aprendizado dos Beatlesem Hamburgo, quando John Lenn...
26ponto de vista. Segundo ele as mudança são substancialmente perceptíveis somente à partirde Rubber Soul. Devido ao fato ...
27conjunto de mudanças relacionadas à década de 60 influenciou muitos aspectos da vida daspessoas. Como resultado disto, o...
28        be in love with you’ (‘Thank You Girl’)25        Jon Fitzgerald (In: Inglis, 2000, p.58) em seu artigo intitulad...
29Semântica Latente (LSA).27        O resultado desse estudo mostrou que a mudança maissignificativa que ocorreu na música...
30desses dois períodos tão distintas, mas também a sua linguagem. Não é aqui uma questão deum vago incremento de riqueza l...
31        Alguns psicólogos evolucionistas, entre eles Joseph Carroll (2005, p.943-944), têmsugerido que a obsessão humana...
32diferentes, é um feito de considerável inventividade criativa.           Cada uma delas éessencialmente sobre o sucesso ...
33There´s one for you, nineteen for meShould five per cent appear too smallBe thankful I don´t take it allCause Im the tax...
343 Os seis estilos de amor nas canções dos Beatles        A maior parte das canções de amor escritas e executadas pelos B...
35its true / ´Cause you like me too much and I like you”38.                      Seja cínica, narcisista oubrincalhona, a ...
36it alone / Believe me when I beg you dont ever leave me alone”43. Em ambos os casos, querapresente uma ameaça ou uma súp...
37uma forma de arte na qual o letrista usa as palavras como um meio para ilustrar sua imagemmental. O uso de linguagem cui...
38consciente de que a banda estava caminhando para a dissolução. Paul também trabalhou emprojetos paralelos, como produção...
393.2 O amor Eros em ‘Something’        George Harrison usou de grande liberdade quando escreveu ‘Something’ durante asses...
40other lover’51. Dentro do contexto de música romântica, woman (mulher) e lover (amante,amada) são símiles que não explic...
41conquista entre outras, ou faz promessas de amor eterno como é comum aos amantes lúdicos.A letra fala de coisas simples,...
423.3 O amor Ludos em ‘Ticket to Ride’        Esta letra foi escrita por John Lennon com alguma colaboração de Paul McCart...
43preocupação com os sentimentos do rapaz, nem pondera sobre as vantagens ou desvantagensde seu ato. O narrador pode ser c...
443.4 O amor Storge em ‘In My Life’        Embora já tivesse escrito canções de conteúdo pessoal como ‘Help!’, ‘I´m Loser’...
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles

2,634 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,634
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Contextualização do Amor na Música do Grupo The Beatles

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA CAMPUS I - SALVADOR DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANASCURSO DE LETRAS INGLESAS E LITERATURA DE LÍNGUA INGLESA ANTONIO FERNANDES DE CARVALHOA CONTEXTUALIZAÇÃO DO AMOR NA MÚSICA DO GRUPO THE BEATLES Salvador 2011
  2. 2. ANTONIO FERNANDES DE CARVALHOA CONTEXTUALIZAÇÃO DO AMOR NA MÚSICA DO GRUPO THE BEATLES Monografia apresentada ao Curso de Letras do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia como exigência parcial para a obtenção da graduação em Língua Inglesa e Literatura de Língua Inglesa. Orientadora: Profª Sonia Maria Davico Simon. Salvador 2011
  3. 3. ANTONIO FERNANDES DE CARVALHO A CONTEXTUALIZAÇÃO DO AMOR NA MÚSICA DO GRUPO THE BEATLESMonografia apresentada ao Curso de Letras do Departamento de Ciências Humanas daUniversidade do Estado da Bahia como exigência parcial para a obtenção da graduação emLíngua Inglesa e Literatura de Língua Inglesa.Banca examinadora:________________________________________Orientadora:Profª Mestre Sonia Maria Davico SimonUniversidade do Estado da Bahia______________________________________Prof. Dr. Décio Torres CruzUniversidade do Estado da Bahia________________________________________Profª Mestre Isabela L. de Santos VasconcelosUniversidade do Estado da Bahia Salvador, 31 de Julho de 2012
  4. 4. “One thing weve found out is that love is a great gift, like a precious flower. Youve got to be very careful with it. Its the most delicate thing you can be given”. John Lennon“Love is a force in society. It is not to be ignored”. Jacqueline Sarsby
  5. 5. Ao meu filho Gustavo Acharya Schutt Carvalho, àminha mãe Maria de Lourdes Andrade CarvalhoUcha e às minhas excelentes amigas Israilda SouzaAndrade e Astlê Guedes Barreto.
  6. 6. AGRADECIMENTOS À minha orientadora, Sonia Maria Davico Simon, pelo que representa como mestre,pela dedicação, pelo exemplo, pela paciência e por ter me possibilitado realizar dois sonhos: ode ser seu orientando e o de abordar o tema deste trabalho; aos meus colegas de universidadee em especial à maravilhosa amiga e colega de tantos semestres, seminários, trabalhosacadêmicos e estágios, Larissa Bruno de Sá; aos colegas Allan Castro e José Carlos Santana;aos funcionários e servidores da UNEB – Haroldo Vieira, Marli Santos Oliveira, AntonioRoque S. Ferreira, Maria José Sanches, Lucas Souza Seixas, Maria da Glória Silva (“DonaMaria” do cafezinho); ao meu irmão Elvino Andrade de Carvalho por sua ajuda valiosa naformatação desta monografia; aos insubstituíveis mestres Décio Torres, Iraci Simões, PaulaMontenegro, Jamile Caribé, Isolda Lisboa, Robélio Guimarães, Rosa Helena Blanco,Adelaide Oliveira, Cássio Jânio dos Santos Silva, Rita Luz, Ivete Sacramento, ValdileneFerreira, Jaciara Ornelas, Silvia Souza, Carla Bernardo, Sérgio Guerra, Fernando Sodré eArthur O. M. Caria Filho. Um agradecimento mais do que especial a Fernando Sodré queestimulou em mim a idéia de escrever sobre a obra dos Beatles, e a Arthur O. M. Caria Filhopor ter sido o pai da idéia: A Contextualização do Amor na Música dos Beatles.
  7. 7. RESUMOPor décadas o amor tem sido o tema predominante nas letras das canções populares, de umamaneira que pode até ser dito que a canção de amor é o arquétipo da música popular. Atipologia dos Lovestyles conforme proposta pelo psicanalista John Alan Lee foi aplicada naanalise das letras das canções do grupo inglês The Beatles, sendo encontradas diferençassignificativas na contextualização e abordagem do amor entre os trabalhos dos períodosinicial e posterior da carreira do grupo. Conclui-se que estas variações sejam resultantes daevolução profissional dos letristas da banda, bem como o reflexo de suas experiênciaspessoais.Palavras-chaves: Amor, letras de canções populares, canções de amor, contextualizaçãodo amor, Six Lovestyles, estilos de amor, John Alan Lee, rock, The Beatles.
  8. 8. ABSTRACTFor decades love has been the prevailing theme in the lyrics of popular songs, to an extentthat one could say that the love song is the archetype of popular music. The typology of “SixLovestyles” as it was proposed by the psychoanalyst John Alan Lee has been applied toanalyze the lyrics of the songs from the British rock group The Beatles, and significantdifferences were found in the contextualization and approach to love among works of theinitial and posterior period of the group´s career. It is discussed that these variations are due tothe professional development of the band´s songwriters, as well as the reflection of theirpersonal experiences.Keywords: Love, lyrics of popular songs, love songs, contextualization of love,Lovestyles, John Alan Lee, rock´n´roll, The Beatles.
  9. 9. LISTA DE QUADROSQuadro 1 Periodização da produção lírica dos Beatles. …................................................... 59Quadro 2 O abandono da visão otimista do amor em ‘Beatles For Sale’. ............................. 60Quadro 3 O abandono da visão otimista do amor em ‘Help!’ .….......................................... 61Quadro 4 Os Lovestyles nas canções dos Beatles - 1962-1970. ............................................ 62Quadro 5 Os Lovestyles nas canções dos Beatles - 1962-1965. ............................................ 62Quadro 6 Os Lovestyles nas canções dos Beatles -1966 -1970. ............................................ 62Quadro 7 Os estilos de amor em ‘Rubber Soul’ e ‘We Can Work It Out. ........................... 63Quadro 8 Os 6 estilos de amor em cada letra de autoria própria dos Beatles. ....................... 64
  10. 10. SUMÁRIO1 Introdução ….................................................................................................................. 111.1 As características que diferenciam os seis estilos de amor ............................................ 121.2 A canção de amor e sua limitação na forma e conteúdo …............................................ 141.3 Definição de canção de amor ......................................................................................... 151.4 Por que faz tanto sucesso uma canção de amor? ........................................................... 151.5 Por que John Alan Lee? ................................................................................................. 161.6 Por que os Beatles? ........................................................................................................ 161.7 A abrangente influência dos Beatles .............................................................................. 171.8 Por que estudar canções de amor? .................................................................................. 211.9 Procedimentos da pesquisa ............................................................................................ 222 As fases de composição .................................................................................................. 232.1 A influência da música negra na obra dos Beatles ......................................................... 232.2 A música dos Beatles e o amor cortês …......................................................................... 242.3 Canção de amor: Dois ou três minutos de afirmação, lamento pela perda ou reflexão sobre o amor …................................................................................................................. 252.4 De ‘Love Me Do’ a ‘Love is Everyone’….................................................................... 252.5 A música dos Beatles e a vigilância moralista dos anos 60 …....................................... 272.6 O fim da visão otimista do amor …................................................................................ 272.7 Mudanças no foco narrativo das letras …........................................................................ 282.8 O marco das mudanças .................................................................................................... 29
  11. 11. 2.8.1 O surgimento dos seis Lovestyles em Rubber Soul ...................................................... 292.9 Para que servem as canções de amor? …......................................................................... 302.9.1 Da previsibilidade ao inusitado …................................................................................. 313 Os seis estilos de amor nas canções dos Beatles …..................................................... 343.1 As Análises das letras das canções de amor dos Beatles …........................................... 363.2 O amor Eros em ‘Something’ …..................................................................................... 393.3 O amor Ludos em ‘Ticket to Ride’ ................................................................................ 423.4 O amor Storge em ‘In My Life’ …................................................................................ 443.5 O amor Pragma em ‘We Can Work It Out …......…....................................................... 463.6 O amor mania em ‘Girl’ ................................................................................................. 473.7 O amor Agape em ‘The Word’ ….................................................................................. 484 A maturidade na abordagem do amor …..................................................................... 504.1 A influência de Bob Dylan e do abandono das turnês …............................................... 514.2 Os Beatles refletem acerca de suas canções de amor ..................................................... 524.3 Considerações finais ...................................................................................................... 54Referências bibliográficas .................................................................................................. 55Referências eletrônicas ........................................................................................................ 57Apêndices ............................................................................................................................. 67
  12. 12. 111 Introdução Este trabalho tem como objetivo investigar os contextos em que o amor está presentenas letras das canções do grupo The Beatles. Para isso foi aplicada a tipologia dos“Lovestyles” conforme proposta pelo psicanalista John Alan Lee. Em seu livro The Colors ofLove (1973) Lee compara os estilos de amor às cores do círculo cromático. Assim comoexistem três cores primárias ou básicas, vermelha, azul e amarela, existem três estilosprimários de amor, que são: (1) Eros, o amor erótico, (2) Ludos, o amor jocoso e (3) Storge1,o amor pragmático. Continuando a analogia do círculo cromático, Lee propôs que, da mesmaforma como as cores primárias podem ser combinadas para criar as cores secundárias, laranja,verde e violeta, estes três estilos de amor quando combinados desdobram-se em mais trêsdiferentes estilos. Assim, a combinação de Eros e Ludos resulta em Mania (4), o amorobsessivo. Quando combinados, Ludos e Storge resultam em Pragma (5), e Agape (6) é o quesurge da combinação de Eros e Storge. Assim, os seis de estilos de amor na classificação deJohn Alan Lee são: Os três estilos primários : 1. Eros – Amor erótico por uma pessoa idealizada 2. Ludos – Amor como um jogo 3. Storge – Amor como amizade Os três estilos secundários: 4.. Mania (Eros + Ludos) – Amor obsessivo 5. Pragma (Ludos + Storge) – Amor prático e realista 6. Agape (Eros + Storge) – Amor autruísta1 Eros, Ludos, Storge, Mania, Pragma e Agape são palavras originais do idioma grego, que aparecerão nestetrabalho na forma como John Alan Lee as empregou em seu livro The Colors of Love.
  13. 13. 121.1 As características que diferenciam os seis estilos de amor Eros: O amor romântico, caracterizado por uma poderosa atração pela aparência físicado amado. Nele a experiência do amor à primeira vista não é incomum. Se for bem-sucedido, haverá um profundo e duradouro elo físico e deleite, ou se mal-sucedido, quando oerotismo não é mútuo, haverá um colapso do relacionamento ou a impossibilidade dacontinuidade deste. Eros é o amor que se liga de forma mais clara à atração física e ao prazer,e frequentemente compele as pessoas a manterem um relacionamento amoroso continuado(1973, p.11). Ludus: É o amor jocoso, onde o relacionamento não é encarado com seriedade, massim como um jogo, competição ou uma diversão. Flertar, caçoar, conquistar e manter aatenção do(s) parceiro(s) são as características centrais deste estilo de amor que é permissivoe pluralístico (1973, p.41). Storge: O amor construído em torno da amizade e da atenção, análogo ao respeito e aocuidado mantido por um irmão ou irmã. É um tipo de amor baseado na afeição desenvolvidalentamente e no companheirismo, com a prevenção de uma paixão desconfortável e aexpectativa de um relacionamento duradouro. O amante estórguico2 valoriza a confiançamútua, o entrosamento e os projetos compartilhados. O romance Storge começa de maneiratão gradual que os parceiros nem sabem dizer quando exatamente foi o seu início. A atraçãofísica não é o principal. Os namorados-amigos não tendem a ter relacionamentos calorosos,mas sim tranquilos e afetuosos. Preferem cativar a seduzir. E, em geral, mantêm ligaçõesbastante duradouras e estáveis. “O que conta, para os amantes-amigos é a confiança mútua eos valores compartilhados” 3(1973, p.67). Pragma: Neste estilo de amor é enfatizado o aspecto lógico e prático dorelacionamento. O amante pragmático tem por princípio que características como riqueza,educação, religião e idade são fatores importantes para um relacionamento dar certo. Pragmaé a palavra grega para “prática”, “negócio”. Como em um negócio, o amante pragmático2 Storge é o nome da deusa da amizade no panteão das divindades gregas. Lee usa a palavra para se referir auma categoria de amor em sua tipologia. O vocábulo não está dicionarizado em língua portuguesa, e nestetrabalho daremos preferência à sua utilização na forma como aparece no livro de John Alan Lee. O neologismo“estórguico” aparecerá à partir deste ponto para indicar as qualidades do amor ou do amante relacionadas aoestilo Storge.3 Com exceção do trabalho de Steve Turner intitulado “The Beatles: a história por trás de todas as canções”,todos os livros usados nesta pesquisa foram publicados em língua inglesa. Em vista disso, não usaremos aexpressão “tradução nossa” após cada citação de texto traduzido do Inglês para o Português, seja ele oriundo delivro impresso ou eletrônico. O mesmo procedimento será usado em relação às citações de transcrições deentrevistas disponíveis na Internet.
  14. 14. 13avalia todas as possíveis implicações antes de se envolver num romance. Se um namoroparecer ter futuro, ele investe. Se não, desiste. Cultiva uma lista de pré-requisitos para oparceiro ou a parceira ideal e pondera muito antes de se comprometer. É uma forma de amorque pode levar a um casamento como um contrato de interesses. Este amante prático erealista procura um bom pai ou uma boa mãe para os filhos e leva em conta o confortomaterial. Está sempre cheio de perguntas: O que será que a minha família vai achar? Se eume casar, como estarei daqui a alguns anos anos? Como minha vida vai mudar se eu mecasar? Segundo Lee, a mais notável característica do amor pragmático é “o cálculo racionalde um relacionamento de amor afiliativo dentro de um contexto social” (1973, p.135). O amor pragmático foi uma concepção de amor que predominou em séculos anteriorese era comum ser expresso nas antigas canções populares muito mais do que acontece nascomposições atuais. O amor nestas canções era realista e prático: os amantes planejavam teruma boa casa, boa progênie, e um futuro de convivência agradável e permanente. As cançõesmodernas também abordam o amor pragmático, mas nelas o amante pede ao seu par que sejamais sensível, que persista nas coisas ao invés de abandoná-las, que seja paciente e cuide dorelacionamento com carinho para ter a certeza de que o amor é verdadeiro. Uma cançãomoderna de amor pragmático pode sugerir ao ouvinte que destaque o que há de positivo emum relacionamento e elimine o que for negativo, calcule as perdas e possibilidades de ganho,e dessa maneira encontre um amor bem-aventurado e duradouro (1973, p.108). Mania: Possessividade, obsessão, idealização exagerada do ser amado e ciúme sãotraços que caracterizam este estilo de amor que é irracional, inseguro e ansioso. “As emoçõesdo amante maníaco4 muitas vezes estão além do controle e da compreensão, assim como suasdemandas por submissão e fidelidade incondicionais”. (1973, p.89) Agape: Este estilo de amor é altruísta e absoluto. O amor é oferecido leal ebondosamente, sem expectativa de reciprocidade. O conceito de amor como compaixão totalpelos outros é comumente encontrado em um contexto religioso ou espiritual. “É um estilo deamor gentil e cuidadoso; não há limite para sua lealdade, seu otimismo e sua continuidade”.(1973, p.156)4 As palavras “Mania” e “maníaco” empregadas aqui neste trabalho não têm o mesmo significado que quandousadas no contexto popular se referem a um hábito estranho, ridículo, ou a um gosto levado ao extremo, nem osignificado que na Psicopatologia indica um estado de super-excitação do psiquismo, caracterizado por exaltaçãodo temperamento e desencadeamento de impulsos instintivos e afetivos. Assim, quando escrevemos “Mania” ou“maníaco” estamos nos referindo a um tipo de amor ou amante, conforme a categorização usada por Lee.
  15. 15. 141.2 A canção de amor e sua limitação na forma e conteúdo O tema predominante nas letras de música popular sempre foi – e continua sendo atéos dias de hoje – o amor. Em seu trabalho “Music for Pleasure: Essays in the Sociology ofPop”, Simon Frith (1988) escreveu que há três abordagens para o amor nas cançõespopulares: (1) ele pode ser expresso em canções que falam do lamento pelo amor perdido ounão correspondido, (2) que celebram o amor mútuo, (3) ou que abordam a natureza e aimportância do amor. Estas três estiveram presentes nas letras das canções populares desde oinício do século XX, e sua convergência no início dos anos 1950, por meio do rock, levou aosurgimento de uma música popular contemporânea – ou pop – e a multiplicidade desubcategorias que dela derivam. Tradições musicais como o gospel, blues e o folkenfatizaram ou mantiveram os seus estilos temáticos de forma diferenciada, como o gospelcom suas reflexões sobre a virtude do amor, o blues com suas letras sobre a perda do amor e aangústia que disto resulta e as baladas do folk com o seu conteúdo em celebração ao amorromântico. Todas estas formas de música ajudaram a definir o amor como o tema adequado para amúsica popular. Esta tendência é única dentro das artes. Nem toda poesia é sobre o amor;nem todo filme é de amor, e nem todo obra classificada como romance conta uma história deamor. Entretanto, a canção popular é reconhecida como o contexto apropriado através doqual os diversos aspectos do amor podem ser explorados. Há neste caso uma associaçãoespecial entre o veículo (a canção) e o seu conteúdo (o amor) que não se repete em nenhumoutro lugar. De acordo a Frith (1988, p.119) esta associação foi consolidada na língua inglesa nosanos de 1950 graças ao trabalho dos principais compositores de música popular quepersistiram na seleção e promoção do amor como o tema dominante em seus trabalhos.Letristas profissionais como Doc Pomus, Mort Shuman, Jerry Leiber, Mike Stoller e CaroleKing compuseram poucas canções que não fossem, de alguma maneira, sobre o amor. Eoutros letristas como Roy Orbinson, Carl Perkins, Fats Domino e Chuck Berry, para citaralguns exemplos, mostraram a mesma tendência na escolha temática. Devido à necessidadede garantir sua execução pelas rádios, uma importante convenção foi estabelecida quanto àforma temporal da música popular: as canções teriam que ser de uma duração que astornassem atraentes aos produtores de rádios e disc-jockeys. Assim, uma canção muito longanão teria espaço para sua execução nem para sua divulgação. As canções de amor com
  16. 16. 15duração de dois ou três minutos foram, por meados de 1950, o modelo de música popular.Isso contribuiu na formatação da música e influiu muito na maneira de escrever as letras e naescolha dos temas.1.3 Definição de canção de amor Neste ponto é importante especificar quais são as características destas canções.Definiremos a canção de amor como aquela cuja letra refere-se, direta ou indiretamente, aconsiderações de um relacionamento íntimo, físico ou emocional de uma pessoa com outra ououtras, e às circunstâncias pelas quais esse relacionamento pode ser realizado, constrangidoou impedido. Tal definição é suficientemente flexível para dar igual valor aos temas deperda, afirmação ou de reflexão sobre o amor.1.4 Por que faz tanto sucesso uma canção de amor? O predomínio das canções de amor na música popular pode ser explicado peloreconhecimento e exploração da proeminência do amor por grande parte da audiência. Estascanções não somente refletem, mas também definem e estruturam as preocupações relativasao amor, tanto nos adolescentes quanto nos adultos. Como afirma Frith: “As canções de amorpopulares não refletem emoção, elas dão às pessoas os meios com os quais podem articular eexperimentar suas próprias emoções” (1988, p.123). O segredo da música popular talvezesteja na linguagem de suas canções, que pode reunir elementos triviais em suas letras e“desfamiliarizar” o familiar, ou seja, investir o banal com uma força afetiva não esperada peloouvinte, que passa a ver o comum como extraordinário. A canção de amor supre os ouvintescom um recurso cultural apropriado através do qual é possível tanto satisfazer quandoestimular a necessidade da audiência pela continuada reprodução de seus sentimentos.
  17. 17. 161.5 Por que John Alan Lee? John Alan Lee é um dos poucos pesquisadores cujas conclusões sobre a natureza doamor são obtidas tanto do exame de literatura ficcional quanto de não-ficcional. Ele reuniuaproximadamente 4000 declarações sobre o amor que vão de Platão a Freud, de São Paulo aD.H. Lawrence, do Livro de Rute a Doris Lessing (Lee, 1976, p.176). Após isso ele separouas declarações em tópicos como ciúme, possessividade e atração física. Dessa nova divisãoele chegou a reunir as declarações em cerca de uma centena de tópicos relacionados, que porum processo de cruzamento de dados foram estabelecidas as seis categorias, ou estilos deamor, de sua teoria. Por causa de suas origens, isto é, por ser fundamentada em textosficcionais e em não-ficcionais, a teoria dos Six Lovestyles pode ser perfeitamente adequada àanálise das representações do amor na música popular. Como Lee afirma: “A minhapreocupação não foi a definir o amor, mas distinguir claramente a expressão pessoal e socialdas diversas concepções de amor” (1973, 1976).1.6 Por que os Beatles? Os quatro integrantes dos Beatles, John Lennon (1940-1980), Paul McCartney (1942),George Harrison (1943-2001) e Ringo Starr (1940) nasceram e se encontraram na cidade deLiverpool, situada a noroeste da Inglaterra. Durante suas tentativas de sucesso iniciais comoos Quarry Men (Lennon, McCartney e Harrison) e os Silver Beatles, eles fizeram seusprimeiros concertos em Liverpool e na Escócia em 1960 (Britanic Encyclopedia On-line)5.Esta fase inicial envolveu mudanças do nome do grupo e de seus componentes. Em agosto de1960 eles foram contratados para 48 apresentações em Hamburgo, e a partir daí o grupo passaa ser chamado pelo nome definitivo “The Beatles”. Eles voltaram para Hamburgo no final doano de 1960 para mais apresentações, e o ano de 1961 foi quando a banda viu o seu sucessocomeçar a crescer. Em abril eles retornaram a Hamburgo, mas foi em novembro na volta àcidade de Liverpool que a banda teve o seu momento definidor quando Brian Epstein assistiuuma de suas apresentações no Cavern Club. Ele veio a se tornar o empresário da banda.Embora tenha falhado em sua tentativa de conseguir um contrato com a empresa fonográficaDecca, em 1962 ele fechou um contrato com a Parlaphone. Em agosto de 1962, Ringo Starringressou na banda como baterista. Neste mesmo ano George Martin assinou contrato com os5 Fonte: The Beatles: <http://www.britannica.com/EBchecked/topic/57495/the-Beatles> .
  18. 18. 17Beatles tornando-se o produtor musical da banda. Ele produziu 12 dos seus 13 álbuns oficiaise é considerado o grande catalisador das idéias musicais dos membros da banda. Segundovários autores especializados em música, e entre eles Chris Ingham (2009, p.241-244)6,Martin é, em grande parte, o responsável pela qualidade da obra dos Beatles. Durante a década de 1960 eles dominaram a mídia e o mercado fonológico alcançandonúmeros até hoje imbatíveis de vendas de discos. De acordo ao site Guiness World Records7,os Beatles venderam 400 milhões de elepês e compactos durante sua carreira ativa (umperíodo de 8 anos), o que faz deles a mais bem sucedida banda de todos os tempos. MichaelJackson, cuja carreira solo durou 28 anos, vendeu 350 milhões de discos. Em terceiro lugarestá Elvis Presley com 300 milhões de discos vendidos durante os 21 anos de sua carreiraativa.1.7 A abrangente influência dos Beatles Descrever todo o alcance da influência dos Beatles na música popular e na sociedadeem geral é uma tarefa quase impossível. Assim, ao invés de tentar fazer tal descrição, citamosaqui as palavras do musicólogo Peter Gammond (1993, p. 46) no início do verbete sobre osBeatles em seu compêndio ‘The Oxford Companion to Popular Music’, que confirmam oestatuto especial da banda: BEATLES, The - Grupo de rock britânico. Qualquer estudo histórico ou sociológico sobre a Grã-Bretanha na década de 1960 teria que incluir uma seção sobre o fenômeno dos Beatles. Claramente o grupo mais importante na história da música pop, sua influência é incalculável. Os Beatles são conhecidos em todo o mundo. Há pessoas que não conhecem suamúsica (embora não acreditamos que exista alguém no mundo ocidental que não tenha ouvido“She Loves You”, “Help”, “Hey Jude” ou “Something”), mas já ouviram falar sobre a banda eo nome Beatles lhes é familiar. As pessoas reconhecem os quatro artistas dos Beatles em fotos, e até conhecem osseus nomes – pelo menos os primeiros nomes: John, Paul, George e Ringo (muitas vezesnesta ordem fixa) – e há ainda os que podem dizer quem é quem entre eles. Na Europa o6 Professor da Anglia Ruskin University e autor de vários livros sobre música popular.7 Fonte: BIGGEST All-Times Sales For A Band. Guiness World Records, 2005. < http://www.guinnessworldrecords.com/content_pages/record.asp?recordid=50910>.
  19. 19. 18corte de cabelo moptop8 usado pelos Beatles durante o período inicial de sua carreira é aindahoje em dia normalmente chamado de ‘beatle-hairstyle’9. Alusões às canções dos Beatles eàs vidas de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr são semprepresença em filmes e seriados televisivos. E muito provavelmente, muitas pessoas queestudaram Inglês aprenderam a escrever beetle (besouro) com ‘ea’ em vez de‘ee’. Os Beatlestranscenderam o alcance da música popular e tornaram-se parte da história cultural do planeta. Tem sido dito milhares de vezes que “The Beatles é a melhor banda de todos ostempos”. Por mais que sejamos fãs dos Beatles devemos ver está declaração como, nomínimo, um exagero, pois não existe uma medida para calcular tal posição, nem mesmo umsentido para a existência desta medida. Mas o que é verdade é que os Beatles nunca “saíram”da moda e até nos dias de hoje, 42 anos após a dissolução da banda, tudo que leva o nome“Beatles” faz ressurgir o interesse pela banda e suas músicas. Devido às limitações de umamonografia não apresentaremos neste trabalho uma lista de exemplos que provam que asocorrências que são de alguma maneira relacionadas aos Beatles não são esporádicas nemestão restritas à musica, mas sim que penetram quase todas as esferas sociais e culturais, aoinvés disso citamos aqui as palavras de Hanif Kuheish (1991, p.81, grifo nosso) em seuensaio sobre os Beatles “Eight Arms to Hold You”: “ Certamente que eles são o único grupopop que você pode remover da história e sugerir que culturalmente, sem eles, as coisaspoderiam ter sido significantemente diferentes”. Na atualidade o legado dos Beatles é principalmente sua música. Muitos são os artistasque ainda encontram inspiração nas canções dos Beatles. Nas palavras de Billy Corgan, ovocalista e guitarrista da banda Smashing Pumpkins, “Você não pode ser mais grandioso queElvis10, mudar as coisas tanto quanto os Beatles fizeram, ou ser tão original quanto o LedZeppelin. Tudo que você pode fazer é imitá-los”11. Antes de 1963 os Beatles eram simplesmente uma banda popular em Liverpool e emHamburgo, e desconhecidos em qualquer outro lugar. Então, entre 1963 e 1966, elesalcançaram um enorme sucesso ao redor do mundo, e seus rostos foram os mais reconhecidossímbolos da década. Eles se tornaram – e continuam sendo – a imagem ícone dos anos 1960,e desde esta época o grupo tem sido objeto de persistentes avaliações que vão muito além docontexto musical de sua obra. Em seu trabalho intitulado Historical approaches toMerseybeat: Delivery, Affinity And Diversity, Ian Inglis (2007) lista várias abordagens8 O corte de cabelo usado pelos Beatles durante o período inicial de sua carreira, conhecido assim por causa desua semelhança com um ‘mop’ ou esfregão. É um penteado com uma franja reta que vai da testa ao pescoço.9 Literalmente: “o estilo de cabelo dos Beatles”.10 Elvis Presley.11 Fonte: Billy Corgan Quotes: <http://thinkexist.com/quotes/billy_corgan/>.
  20. 20. 19através das quais a importância dos Beatles pode ser analisada e avaliada. Assim, de acordoàs idéias de Inglis: • Economicamente, os Beatles são vistos como um dos grandes responsáveis pela evolução da música popular na Inglaterra, que progrediu de um pequeno ramo de negócio de entretenimento local para um dos mais rentáveis produtos de exportação da nação. • Industrialmente, eles demonstraram afirmações de independência que libertaram a eles e a outros artistas do modelo restritivo e paternalista de gerenciamento e organização que caracterizava os negócios na Inglaterra. • Musicalmente, eles introduziram elementos inovadores na construção e composição de suas canções que serviram como exemplo para outros artistas. • Historicamente, o grupo é visto como um dos momentos chaves da narrativa do Século Vinte. • Politicamente, eles demonstraram que entretenedores podem ser também permitidos ao papel de intelectuais. • Socialmente, sua popularidade global sem precedentes foi obtida em parte pela capacidade que eles e sua música tinham de sobrepujar as tradicionais distinções de nacionalidade, gênero, idade e classe social entre os seus fãs. • Culturalmente, eles deslocaram o consumo, a discussão e análise da música popular para círculos intelectuais nos quais estes eram anteriormente excluídos. Os Beatles não são mais os heróis e porta-vozes da juventude como foramconsiderados até o fim da década de 1960. Entretanto eles ainda são muito famosos e alusõesà sua obra e às vidas dos integrantes da banda podem ser encontradas em quase toda parte.Os Beatles estão profundamente enraizados na cultura popular, e são usados em diferentescontextos em vários campos culturais (especialmente em filmes, rádio e televisão). Hátambém uma quantidade enorme de trabalhos acadêmicos sobre os Beatles e sua obra
  21. 21. 20disponíveis em sites de universidades de renomadas. E não menos importante, um fator queindica claramente a importância dos Beatles no mundo atual, segundo nossa opinião, é aquantidade de livros novos lançados a cada ano tendo o grupo e sua obra como tema12. No Brasil os Beatles exerceram uma grande influência na música e cultura popular. Omovimento musical da Jovem Guarda foi a versão brasileira da Beatlemania, onde váriosgrupos e artistas como Roberto Carlos, Jerry Adriani, Wanderléia e Renato e Seus Blue Caps“imitavam” a música dos Beatles, seguiam sua moda e comportamento em público. A artedos Beatles também influenciou diretamente o movimento Tropicália. Em seu trabalho depós-graduação em Literatura “Sugar Cane Fields Forever: Carnavalização, Sgt. Peppers,Tropicália”, Lauro Meller (1998, p.9) analisa minuciosamente a relação entre o disco maisculturalmente impactante e aclamado dos Beatles, Sergeant Peppers Lonely Hearts ClubBand e o disco inaugural do Tropicalismo, Panis et Circensis. Segundo Meller: Muitos autores já mencionaram pontos de convergência entre a obra dos tropicalistas e a dos Beatles, mas quase sempre esses comentários não ultrapassam o nível da alusão, da referência. Esperamos que nossa leitura carnavalesca de Sgt. Peppers e de Panis et circensis constitua uma primeira contribuição, ainda que modesta, no sentido de examinar, de modo mais detido, essa relação. A influência dos Beatles também está diretamente relacionada às ocupaçõesprofissionais que têm o Inglês como ferramenta imprescindível (turismo, relaçõesdiplomáticas, tradução, para citar algumas) e à profissão de ensino da língua inglesa.Atualmente o mundo inteiro, incluindo nações tradicionalmente patrióticas como a França,canta em Inglês. Há, no entanto, muito poucas pessoas que percebem o quão imensamente osBeatles contribuíram para a anglicização da música popular. A Beatlemania reverberou emtodo o mundo na década de 1960, coroando um processo de anglicização e americanização damúsica, que começou com o rock and roll nos anos de 1950, e fez com que as pessoas depaíses de todas as línguas começassem a aprender Inglês. Rudolf Hecl (2006, p.25) em seutrabalho sobre a influência cultural dos Beatles escreve que: Naqueles dias, as músicas nos discos e rádios eram para muitas pessoas a única fonte de Inglês autêntico e muitas vezes eram aos Beatles, por serem a12 590 livros sobre os Beatles foram editados em língua inglesa durante o período de 1980 a 2004. Fonte:Beatles Unlimited On-line <http://www.beatles-unlimited.com/mamboarchive/SiteArchive/booklookuk.htm>.
  22. 22. 21 banda mais popular da época, a quem o povo ouvia. Um grande número de bandas começou a cantar em Inglês, já que a língua era considerado como algo especial e uma "garantia" de qualidade. Os Beatles são indispensáveis para qualquer um que deseja estudar a história damúsica popular bem como para quem está interessado na história recente da Grã-Bretanha ouna cultura britânica. Conhecer os Beatles é quase tão importante quanto conhecerShakespeare se você quer entender muitas anedotas e paródias no contexto britânico.Conhecer os Beatles é muito importante para alguém que queira, ou precise, entender acultura britânica.1.8 Por que estudar canções de amor? O estudo dos contextos em que o amor foi descrito e enaltecido na obra dos Beatles,além da importância no campo dos estudos das líricas, também pode ser apreciado nocontexto mais amplo da literatura do amor. Por exemplo, a demonstração de que mais de doisterços dos temas destas canções estão nas categorias de amor erótico e lúdico confirma osresultados de pesquisas como a de Steve Duck (1992) apresentadas no livro HumanRelationships. Neste trabalho Duck teoriza haver diferenças entre homens e mulheres no quese refere às atitudes amorosas: o amor masculino é tipicamente passional e descomprometido,havendo nele um traço marcante de competição associado ao romance, e o amor femininotende a ser fraternal e ao mesmo tempo pragmático. Esta presente análise das letras dascanções de amor dos Beatles também corrobora a tese de Hendrick e Hendrick, citada porAndréa Rotzein (1993) da Texas Tech University, na qual eles afirmam que: (1) homenstendem a ser mais lúdicos e (2) as mulheres tendem a ser mais estórguicas e pragmáticas doque eles; e que (3) Mania é geralmente o primeiro estilo de amor vivenciado por adolescentes. Levando em conta esses informações sobre a natureza da relação entre músicapopular e o amor, iremos investigar a contextualização do amor tal como aparece nas cançõesdos Beatles. Sendo reconhecidos como os mais influentes e bem sucedidos expoentes damúsica popular de todos os tempos, sua obra representa um assunto particularmente atrativopara um estudo, cujas conclusões podem, também, ser aplicáveis à avaliação do trabalho deoutros músicos.
  23. 23. 221.9 Procedimentos da pesquisa Para classificar todas as canções dos Beatles nas categorias de amor apresentadas natipologia dos Six Lovestyles foi necessário uma combinação de quatro atividades diferentes.A primeira foi realizar uma inspeção do conteúdo completo das letras. Para isso optamos porutilizar o catálogo The Little Black Songbook – The Beatles editado em 2005 pela WisePublications, inicialmente isolando do estudo as canções que não fossem de autoria dosBeatles. A segunda foi ouvir as músicas gravadas, o que permitiu uma percepção maisapurada dos significados e intencionalidades nas letras. Nesta etapa fizemos a separação emdois tipos de canções: as canções de amor e as que não podem ser assim consideradas. Aterceira foi utilizar a categorização de Lee de maneira que cada canção de amor pertencesse auma das seis categorias.13 Optamos pela adaptação da categorização de Lee como éencontrada no trabalho de Andréa Rotzien (1993) intitilado “A Confirmatory Factor Analysisof the Hendrick-Hendrick Love Attitudes Scale : Implications for Counseling”, por ter nosparecido mais prática e concisa. O material disponível na Internet sobre o grupo também foimuito valioso nesta pesquisa. E finalmente, foi importante ouvir e ler as opiniões dospróprios Beatles sobre sua música que estão acessíveis em várias fontes, especialmentebiografias e entrevistas. Os resultados alcançados através desta combinação de atividades é oque se vê nas páginas adiante.13 No quadro 8 (páginas 63 - 65) são apresentadas todas as canções de amor dos Beatles classificadas de acordoaos parâmetros estabelecidos pela teoria dos Six Lovestyles.
  24. 24. 232 As fases de composição Entre o lançamento do primeiro compacto dos Beatles “Love Me Do / P.S. I LoveYou” (outubro de 1962), e o seu álbum final “Abbey Road” (setembro de 1969), a produçãototal do grupo foi de 208 canções. Esse número se refere à produção encontrada nos álbunsoficiais produzidos pela E.M.I na Inglaterra e pela Capitol nos Estados Unidos, sem contar osrelançamentos, as gravações não-oficiais e a série de álbuns Anthology. Dessas 208 canções,196 (89%) foram compostas por membros do grupo (especialmente por John Lennon e PaulMcCartney) e 25 (11%) são versões cover de canções escritas ou executadas por outrosgrupos ou cantores individuais. Das 196 composições próprias, 112 (57%) são canções deamor ou que de alguma forma tratam do tema. O presente estudo se concentra nas formascomo o amor está contextualizado nas letras dessas canções.2.1 A influência da música negra na obra dos Beatles Embora estilos de música não sejam tópicos primários deste trabalho, julgamosnecessário escrever sobre as influências musicais que os Beatles receberam já que a forma e oconteúdo com que eles escreveram as letras de suas canções, sobretudo as letras das primeirascanções de amor, estão intimamente ligados aos estilos musicais predominantes em suaformação como músicos e letristas. O crítico musical Charles Gillett (1970) destaca em seuensaio The Sound od the City, no qual analisa a complexidade do rock and roll, o quanto ogrupo foi influenciado pela música negra – rock and roll, rhythm and blues, doo-wop – e oskiffle, um estilo derivado da música negra popular na Inglaterra dos anos 50. Nos anos 60 asbandas de Liverpool desenvolveram um som distintivo que foi chamado de Mersey Beat, ou osom de Liverpool. Era uma forma anglicizada de rhythm´n´ blues com uma batida dançante euma harmonia clara, que foi muito popular entre 1962 e 1965. Além dos Beatles, o estilo eraseguido por outras bandas como Gerry And The Pacemakers e os Searchers. The Beatles foio mais proeminente grupo de Mersey Beat, e assim continuou durante os seus dias de maiorfama, o período da Beatlemania14, que durou aproximadamente de 1963 a 1966. Somentedepois do lançamento do álbum Rubber Soul em 1965, é que eles começaram a mudarsignificativamente sua forma de fazer música e sua expressão lírica. As letras passaram a ter14 Beatlemania é um termo surgido durante a década de 1960 para descrever a intensa histeria que os fãs dosBeatles dirigiam ao grupo. A palavra é a junção de “Beatle” e “mania”, semelhante ao termo mais antigoLisztomania usado para descrever a reação dos fãs aos concertos do pianista Franz Liszt. Fonte: The Beatles:<www.newworldencyclopedia.org/entry/The_Beatles>.
  25. 25. 24um papel muito importante nas músicas dos Beatles.2.2 A música dos Beatles e o amor cortês As letras das músicas da fase inicial dos Beatles pertenciam, em sua maior parte, auma versão democrática do courtly love, o amor cortês, que sempre teve predomínio namúsica popular. De acordo a John Moore (1979, p.621-622), courtly love tem sua origem naexpressão francesa amour courtois, definição dada originalmente por Gaston Paris em umartigo escrito em 1883, "Études sur les romans de la Table Ronde: Lancelot du Lac, II: Leconte de la charrette", um tratado onde ele analisa Lancelote, o Cavaleiro da Carreta (1177) deChrétien de Troyes. O dito amour courtois de Paris era uma disciplina nobre e idealizadora.O amante (idealizador) aceita a independência de sua senhora e tenta fazer de si própriomerecedor dela, agindo de forma corajosa e nobre e fazendo quaisquer feitos que ela deseje.A satisfação sexual, escreveu Paris, pode não ser um objetivo ou mesmo o resultado final,mas o amor não era inteiramente platônico, visto que era baseado em atração sexual. No que se refere à forma de abordar o amor não há muita diferença entre as letrascompostas pelos Beatles no período inicial de sua carreira e as cantigas do courtly love. Opoeta inglês Blake Morrison corrobora tal idéia em seu artigo “The Sound Of The Sixties”(2000, p.422). O lamento devido aos tratamentos cruéis ou à inconstância (‘Now today I find/ you have changed your mind’)15, a afirmação da dor e sofrimento (‘The world is treating mebad, misery’)16, reprimendas causadas pelo sentimento de propriedade (‘It´s the second time Icaught you talking to him/ Do I have to tell you one more time I think it´s a sin’)17 e ainsistente afirmação e súplica amorosa (‘Love me do / You know I love you / So please, loveme do’)18 – são abordagens comuns na literatura do amor cortês e foram a importante basetemática das letras das primeiras canções dos Beatles. Algumas dessas canções foram escritas à semelhança de cartas, o que também mantémsua ligação com o estilo das canções do courtly love. São canções que falam da tristeza esaudade que o rapaz sente de sua amada, o desejo de reencontrá-la e a promessa de regresso eum “seremos felizes novamente” (‘I´ll be coming home again to you love / Until the day I dolove / PS I love you’19, ‘While I´m away / I´ll write home every Day / And I´ll send all my15 ‘Hoje eu descobri / Que você mudou sua mentalidade. (The Night Before).16 ‘O mundo está me tratando mal, miséria. (Misery).17 ‘Esta é segunda vez que eu lhe pego falando com ele / Eu tenho que lhe dizer mais uma vez que acho isso umacoisa errada? ( You Cant Do That).18 ‘Ama-me / Você sabe que eu te amo / Por favor, ama-me. (Love Me Do).19 ‘Eu vou voltar mais uma vez pra casa, pra você, amor / PS: Eu te amo. (PS I Love You).
  26. 26. 25loving to you’)20. Muitas dessas composições foram feitas durante o aprendizado dos Beatlesem Hamburgo, quando John Lennon estava separado de sua noiva Cyntia, e os outros Beatlesde suas famílias e namoradas, o que pode explicar essas ocasionais notas de solidão e auto-piedade. “No que se refere à forma de abordar o amor não há muita diferença entre as letrascompostas pelos Beatles no período inicial de sua carreira e as cantigas do courtly love.”(p.423)2.3 Canção de amor: Dois ou três minutos de afirmação, lamento pela perda ou reflexãosobre o amor Nos anos do período inicial de sua carreira os Beatles seguiram o modelo da tradiçãodo rhythm & blues, no qual as canções eram criadas para a execução ao vivo e para a dança.As letras das canções dos Beatles e de seus influentes predecessores como Carl Perkins,Chuck Berry ou Little Richards, referiam-se à dança ou a um possível diálogo entre um casalem uma pista de dança ou próxima desta. Na tradição oral as letras eram inseparavelmenteligadas à música e a audiência as ouvia como parte da experiência de um evento específico.Em tais eventos as palavras de uma canção eram difíceis de se distinguir e fáceis de seconfundir. O ritmo tinha um papel muito mais importante do que a letra em uma canção derock and roll. Portanto não era de se esperar que músicos de rock escrevessem letras maiscomplexas, que exigissem uma atenção mais cuidadosa ou uma apreciação crítica. Em 1967os Beatles lançaram o LP Sgt Pepper´s Lonely Hearts Club Band com várias inovações. Entreelas estava a adição das letras das músicas na capa. Segundo Allan Moore (1997, p. 28), estanovidade criada por eles é “uma indicação clara da importância que as letras das músicaspassaram a ter em sua obra”.2.4 De ‘Love Me Do’ a ‘Love is Everyone’ : as diferentes fases de produção das letras Como sugere Eerola (1998), a carreira dos Beatles pode ser dividida em dois períodos:o inicial (1962-1965) e o posterior (1966 -1970). As canções de cada período se diferenciampor sua adequação à execução pública, pelos instrumentos usados, pela natureza da música epelos temas abordados. Os Beatles começaram a experimentar novas idéias progressivamentedesde o início de sua carreira, mas é ‘Yesterday’, lançada em 1965 no álbum Help!, a cançãoque muitos consideram o marco da mudança estilística dos Beatles. Eerola discorda desse20 ‘Enquanto estiver fora / Escreverei pra você todo dia / E lhe enviarei todo o meu amor. (All My Loving).
  27. 27. 26ponto de vista. Segundo ele as mudança são substancialmente perceptíveis somente à partirde Rubber Soul. Devido ao fato de que neste álbum as mudanças no estilo musical foramacompanhadas do enriquecimente temático das letras e do surgimento de novas abordagenspara o amor, chegando a abranger todas as seis categorias da tipologia de Lee, decidimos usarnesta pesquisa a seguinte periodização da obra dos Beatles: Um período que se inicia em 1963com o lançamento do disco Please Please Me e termina em 1965 com Rubber Soul. E umsegundo período que começa em 1966 com o álbum Revolver e vai até o lançamento de LetIt Be em 1970. Chamaremos estes dois períodos de inicial e posterior21. As canções do período inicial podiam ser executadas pelos quatro componentes dosBeatles utilizando somente duas guitarras, um baixo e uma bateria. Uma melodia vocal comintermitente harmonia de canto era ordenada sobre um ritmo fixo pontuado pela guitarraelétrica. As canções desse período eram quase sempre sobre amor romântico. Já no segundoperíodo, devido à complexidade dos recursos utilizados em sua gravação, a maioria dascanções não podia ser facilmente executada ao vivo. O conjunto composto por uma guitarra,um baixo e uma bateria foi aumentado ou substituído, não somente por instrumentosfamiliares como piano, órgão e violino, mas também pelo sitar indiano, órgãos de tubos,orquestras, naipes de metais e gravações em fita magnética de sons exóticos e de solos deguitarra invertidos. Dessa forma a música dos Beatles tornou-se mais complexa e eclética, e as suas letraspassaram a tratar de tópicos imprevisivelmente variados: impostos, atrações de circo,diretores de escola, guardas de trânsito, acidentes de carro, pulp fiction, notícias de jornais,problemas familiares, o amor na terceira idade, a desesperança, guloseimas e extração dedentes, solteironas solitárias, morte, lugares de Liverpool e a luz do sol. O tema do amorcontinua aparecendo nas canções do segundo período, mas agora em uma variedade decontextos maior do que no período inicial onde as canções tratavam principalmente depaixões adolescentes.2.5 A música dos Beatles e a vigilância moralista dos anos 60 Os anos sessenta foram um período muito importante na história da Inglaterra. Foiuma época de novos insights, grandes transformações e busca pela liberdade. Um grande21 Quadro 1, p.58.
  28. 28. 27conjunto de mudanças relacionadas à década de 60 influenciou muitos aspectos da vida daspessoas. Como resultado disto, os velhos e tradicionais valores e ideologia da era Vitoriananão conseguiram resistir e foram substituídos por novas e mais aceitáveis atitudes. Nestecenário, onde conviviam a juventude rebelde desejosa de liberdade sexual e os pais quequeriam manter o controle sobre seus filhos e filhas, os Beatles aparecem como umcontraponto: Eles eram rebeldes, mas ao mesmo tempo cavalheiros; suas canções falavam deamor e sexo, mas sempre o assunto era abordado com uma sutileza que não assustava ossaudosistas defensores da moral vitoriana. Suas idéias eram sempre expostas comgenerosidade e sem imposição. E a combinação da mensagem contida nas músicas com a 22imagem bem-comportada dos quatro rapazes, com seus terninhos e cabelo moptop bempenteado, era digna de confiança. A esse respeito, Morrison (In: Evans, p.423) escreveu: Havia principalmente uma agradável familiaridade em relação a essas músicas, juntamente com a tranquilizadora imagem moptop grupo. Na época, início dos anos 1960, quando a moral sexual dos adolescentes estava sob intenso escrutínio público, aqui estava uma música que você pode confiar à sua filha: Querem segurar a mão dela e nada mais.2.6 O fim da visão otimista do amor A maioria das letras das músicas do período inicial da carreira dos Beatles ofereceuma visão simples, positiva e bastante otimista sobre o amor. Isto se torna evidente nostítulos de algumas canções como ‘Love me Do’, ‘I Want To Hold Your Hand’, ‘She LovesYou’, ‘I Saw Her Standing There’, ‘Thank You Girl’ e ‘P.S. I Love You’. Nestas canções deamor inocente era usada uma linguagem e um esquema de rimas muito simples: • ‘Love, love me do / You know I love you / I´ll always be true / So please love me do. (‘Love Me Do’)23 • ‘Oh yeah, I´ll tell you something / I think you´ll understand / When I say that something / I wanna hold your hand’ (‘I Want To Hold Your Hand’)24 • ‘You be good to me / You make me glad when I was blue / And eternally I´ll always22 Cf. nota de rodapé da página 19.23 Ama-me / Você sabe que eu te amo / Por favor, ama-me. (Ama-me).24 É, eu vou lhe dizer uma coisa / Eu acho que você vai entender / Quando eu disser tal coisa / Eu quero segurarsua mão. (Eu Quero Segurar Sua Mão)
  29. 29. 28 be in love with you’ (‘Thank You Girl’)25 Jon Fitzgerald (In: Inglis, 2000, p.58) em seu artigo intitulado “Lennon-McCartneyand the British Invasion” observa que essa tendência otimista nas letras dos Beatles tinhaparalelos com as de outros letristas da mesma época como Dave Clark e Ray Davies.Entretanto, a análise das letras revela que os temas otimistas deixaram de aparecer nas letrasdos Beatles no final de 1964. Com exceção de ‘Eight Days A Week’, todas as cançõespróprias em “Beatles For Sale” e as de 1965 referem-se ao fim de um relacionamento ou aproblemas a isso relacionados.262.7 Mudanças no foco narrativo das letras Como abordado no capítulo anterior, os trabalhos do período inicial dos Beatles foramcaracterizados por emoções positivas, com muitas canções celebrando as alegrias dos novosrelacionamentos românticos. Estas primeiras músicas tinham um tom emocional muitopositivo, e o eu poético predominante em suas letras era alternadamente autodiegético ehomodiegético. Tal característica durou até o lançamento do álbum Help! em 1965. Apóseste período o conteúdo emocional das letras passa a ser psicologicamente mais melancólico edistante, menos positivo, com muitas canções nostálgicas, voltadas para a lembrança detempos mais felizes. Também foi observado que, diferentemente ao que acontecia no período inicial, asletras do período posterior dos Beatles tornaram-se menos situadas no presente e no futuro.Juntamente com as alterações emocionais, ao longo do tempo, suas letras passaram a ser maisintelectuais e complexas. Enquanto as primeiras canções estavam relacionadas a sentimentose experiências pessoais, as canções posteriores foram mais frequentemente escritas sobreoutras pessoas, o que pode ser observado em canções com narrativa heterodiegética como"Shes Living Home", "Lady Madonna", "Get Back", “Mother Nature Son”, “RockyeRaccon”. Petri, Pennebaker e Sivertsen (2000), pesquisadores da Universidade do Texas,realizaram um minucioso estudo das letras dos Beatles utilizando a técnica da Análise25 Você é boa comigo / Você me fez feliz quando eu estava triste / E eu estarei sempre apaixonado por você.(Obrigado, garota)26 Os quadros 2 e 3 (páginas 59 e 60) listam as diversas formas como o amor foi abordado na canções de 1965.
  30. 30. 29Semântica Latente (LSA).27 O resultado desse estudo mostrou que a mudança maissignificativa que ocorreu na música dos Beatles foi o grau de auto-referenciação.2.8 O marco das mudanças Esta transição aconteceu rapidamente, embora o marco da mudança não tenha ummomento definitivo. Em Help! (1965), o quinto LP lançado pela banda, já aparecem algunstraços de mudanças. Por exemplo, a canção ‘Help!’ que intitula o álbum não énecessariamente sobre amor romântico; ‘You´ve Got To Hide Your Love Away’ tem,reconhecidamente, influência do estilo folk de Bob Dylan; ‘Yesterday’ é executada com umquarteto de cordas e violão acústico. O álbum seguinte lançado no mesmo ano, Rubber Soul,aborda temas variados ao som de instrumentos musicais até então inéditos no trabalho dogrupo e na enigmática canção ‘Norwegian Wood’ está o primeiro uso de sitar (cítara indiana)na música popular ocidental. O álbum, que não leva o nome do grupo na capa, parece apontarpara as duas fases de composição.2.8.1 O surgimento dos seis Lovestyles em Rubber Soul A análise dos resultados da classificação das canções dos Beatles revela que cinco dasseis categorias de amor que compõem a tipologia de Lee são encontradas nas letras de RubberSoul, ficando de fora somente Pragma, o amor prático e racional, que em toda a obra dosBeatles somente é abordado na canção ‘We Can Work It Out’(tabela 4). Esta canção, que foitambém produzida durante as sessões de Rubber Soul, ficou de fora do álbum sendo lançadaem três de dezembro daquele ano como compacto junto com Day Tripper. Rubber Soul é oúltimo álbum do período inicial dos Beatles, que compreende os anos que vão de 1962 até1965, e após o lançamento deste, o grupo encerra as apresentações ao vivo e passa a dedicar oseu tempo ao trabalho de estúdio e a composição de letras com temas mais complexos. Não foram somente a execução, os instrumentos e os temas que fizeram as canções27 Análise Semântica Latente (LSA) é uma técnica em processamento de linguagem natural que analisa asrelações entre um conjunto de textos e os termos que eles contêm, produzindo um corpo de conceitosrelacionados aos textos e termos.
  31. 31. 30desses dois períodos tão distintas, mas também a sua linguagem. Não é aqui uma questão deum vago incremento de riqueza linguística. Há também variações sutis e específicas nagramática e no vocabulário das canções que afetam a natureza de seu discurso. Enquanto ocontexto comunicativo abordado pelas canções do período inicial tendia a ser fundamentadoem conversas, disputas amorosas, solilóquios e fofocas, as canções do período posterior estãorelacionadas à narração de histórias e ao filosofar, por isso abarcaram uma variedade maior degêneros comunicativos – narrativa, poema, piada, sátira, texto religioso, texto deaconselhamento e outros. Segundo o que atesta Stephanie Murphy (2006, p.6) em seutrabalho “Identifying and Analyzing the Poetic Qualities of The Beatles’ Lyrics from 1965–1970”, esta fase de transição, o período de criação dos álbuns Rubber Soul e Revolver, é ummomento decisivo na produção lírica dos Beatles, pois a partir deste ponto ele passaram a darmais importância às letras e à mensagem que estas portavam. Tais mudanças na linguagem eno discurso parecem refletir a passagem cultural da austeridade à permissividade que foi umacaracterística dos anos 60.2.9 Para que servem as canções de amor? De acordo a Cook e Mercier (2000, p. 94) as canções do período inicial dos Beatlessão principalmente reflexões ou conversas acerca de três temas de interesse permanente paratodos nós: • Nossos estados emocionais e auto-estima • Nosso sucesso ou insucesso nos relacionamentos amorosos e sexuais • Nossa habilidade em prever o comportamento dos outros, especialmente no que se refere à lealdade e a traição. As canções populares são um tipo de “fofoca” ficcional, e como tal exercem naspessoas o mesmo tipo de influência que os gêneros como o jornalismo sensacionalista e astelenovelas (2000, p. 94). Na Inglaterra a telenovela EastEnders é assistida diariamente porum terço da população e os jornais sensacionalistas podem ser lidos por metade desta. Ascanções do período inicial dos Beatles foram vendidas aos milhões. O apelo das históriascom permutações psicológicas nos relacionamentos sexuais parece ser inesgotável.
  32. 32. 31 Alguns psicólogos evolucionistas, entre eles Joseph Carroll (2005, p.943-944), têmsugerido que a obsessão humana com a dinâmica dos relacionamentos tem sua origem nasdemandas da vida nas sociedades de coletores e caçadores da pré-história. Como os outrosanimais, os humanos são motivados pelo desejo de perpetuar seus próprios genes, e comooutros animais inteligentes, as pessoas em competição uma com as outras podem fazeralianças contra os inimigos, planejar estratégias e adiar os seus objetivos. Entretanto, muitomais do que qualquer outro animal, os humanos têm a capacidade de dissimular e enganar, deser fiel e infiel. Na medida em que as comunidades de hominídeos cresceram tornou-se cadavez mais imperativo compreender a psicologia dos outros, fazer predições corretas sobre ocomportamento dos outros, e estabelecer quem seria confiável ou não. A ficção, seja nasnovelas, filmes ou nos casos amorosos relatados nas canções, nos ajuda a desenvolver essacapacidade de predição, pois funciona como um modelo substituto da “realidade” através doqual contemplamos nossa própria vida. Porque as experiências de conflito e fim derelacionamento são tão comuns, as letras das canções populares têm um significado pessoalmuito importante. Como os personagens nas letras dos Beatles, nós precisamos pensarcuidadosamente sobre o que os outros pensam e sentem por nós. O custo dos erros é muitoalto, como está sugerido na canção de John Lennon:I thought that you would realiseThat if I ran away from youYou would want me tooBut I got a big surprise. (‘I´ll Be Back´)282.9.1 Da previsibilidade ao inusitado Todas as canções do período inicial da carreira dos Beatles (1962-1965) podem sercompreendidas como variações de um simples, fascinante e inesgotável tema: o amor.Algumas vezes as variações entre uma obra e outra são sutis – e dentro dos limites de cadagênero – altamente originais. Certamente que escrever, em um período de 3 anos, mais de 70canções, todas sobre relacionamentos românticos convencionais, mas todas sutilmente28 Pensei que você fosse entender / Que se eu fugisse de você / Você iria me querer também / Mas eu tenho umagrande surpresa. ("Eu Voltarei")
  33. 33. 32diferentes, é um feito de considerável inventividade criativa. Cada uma delas éessencialmente sobre o sucesso ou o insucesso no amor e a felicidade ou tristeza advindadestes. Em adição, as palavras, linhas e versos inteiros são repetidos muitas vezes em váriascomposições. Tudo isso ajudava a desviar o foco da atenção nas letras como textos edirecioná-la para a música e sua execução. Ainda que dentro um foco temático limitado aspalavras e os temas sejam em um sentido geral previsíveis, é possível referir-se a eles comcriatividade, de forma que desperte o interesse do ouvinte. Os Beatles foram habilidosos emsempre adicionar um elemento diferenciador em cada uma de suas composições. Já no primeiro grande hit da banda, “She Loves You”(1963), está a primeira granderevolução musical protagonizada pela banda. Até então o rock era composto basicamente por3 acordes simples, uma batida forte e insistente e uma melodia de fácil memorização. Nestacanção são utilizados acordes dissonantes que, até então somente eram encontrados no jazz.A incorporação da dissonância ao rock, foi o primeiro grande legado do grupo à músicapopular do século XX. A letra, embora romântica, foge da dicotomia "menino-menina", coma incorporação de um terceiro elemento: o protagonista, um rapaz que avisa ao amigo que anamorada o ama, e que, "with a love like that, you know you should be glad" 29. Tambémaqui está o uso da expressão “yeah”, que viria a tornar-se uma marca característica do rock. A constante busca dos Beatles em criar novos sons a cada gravação e a incorporaçãode elementos linguísticos variados em suas letras exerceu influência na maneira como suamúsica passou a ser gravada. No período posterior de composição (1966 – 1970), a previsibilidade dos temas epalavras acaba. “Taxman”30 , a canção de abertura de Revolver, o primeiro álbum do períodoposterior é um bom exemplo. Um assunto inédito e inesperado como a cobrança de impostos,em uma canção popular, é um fator que direciona a atenção para as palavras. E o texto éabsolutamente específico, não é sobre impostos em geral mas sobre uma específica e altíssimataxa de imposto para grandes fortunas (95%) em uma Inglaterra do Ministro do TrabalhoHarold Wilson e do líder do Partido Conservador Edward Heath, responsáveis pela criação desistema de tributação muito rigoroso. A letra faz até referência à moeda corrente inglesa, comsua idiossincrática libra de 20 shillings:Let me teel you how it will be29 Com um amor assim, você sabe que pode ser feliz.30 Cobrador de Impostos.
  34. 34. 33There´s one for you, nineteen for meShould five per cent appear too smallBe thankful I don´t take it allCause Im the taxmanTaxman Mr Wilson , Taxman Mr Heath. (‘Taxman’) 31. Com o surgimento de novos temas nas letras das canções dos Beatles, a variedade deestilos de amor em suas canções cresceu. Como citado acima, em Rubber Soul, ou melhor, naprodução das músicas deste álbum, todas as formas de amor da tipologia de John Alan Leesão encontradas.31 Deixe-me dizer como vai ser / É um pra você, dezenove para mim / Cinco por cento pode parecer muito pouco/ Seja grato por eu não levar tudo / Cobrador de impostos Sr. Wilson / Cobrador de impostos Sr. Heath /(Cobrador de Impostos)
  35. 35. 343 Os seis estilos de amor nas canções dos Beatles A maior parte das canções de amor escritas e executadas pelos Beatles está nacategoria de Eros, o amor erótico32. A atração física como fator que desencadeia o amor àprimeira vista é o que aparece nas linhas iniciais da canção de Paul McCartney ‘I Saw HerStanding There’: “Well, she was just seventeen / You know what I mean / And the way shelooked was way beyond compare”.33 De forma semelhante, a declaração de John Lennonacerca de um amor sensual que espera ser reconhecido é evidente em ‘Eight Days A Week’:“Ooh, I need your love, babe / Guess you know its true / Hope you need my love, babe / Justlike I need you”34. A qualidade erótica do amor está também na abertura da canção deHarrison ‘Something’, descrita por Frank Sinatra como “a maior canção de amor dos últimoscinquenta anos” (TURNER 2009: 305): “Something in the way she moves / Attracts me likeno other lover”35. Embora diferentes em suas formas – ‘I Saw Her Standing There’ pode serclassificada como um rock and roll padrão e ‘Something’ seja uma balada de amor – o queune estes e outros exemplos de amor erótico é a ênfase na alegria, no deleite, o romanceprazeiroso. Próximo de Eros, o amor erótico, está Ludus, o amor jocoso. O amor comocompetição ou brincadeira, um jogo casual feito por diversão, é revelado na promessa deLennon em ‘Ill Cry Instead’: “Ill come back again one day / And when I do youd better hideall the girls / Im gonna break their hearts all round the world”.36 As características associadascom Ludus que incluem a ausência de comprometimento e uma habilidade de mudarrapidamente de um relacionamento para outro são enfatizadas por McCartney na letra de‘Another Girl’: “Youre makin me say that Ive got nobody but you / And as from today,well, Ive got somebody thats new / I dont want to say that Ive been unhappy with you / Butas from today, well, Ive seen somebody thats new. / I aint no fool and I dont take what Idont want / For I have got another girl”37. Harrison também demonstra a mesma “jocosa”preocupação em sua canção ‘You Like Me Too Much’, na qual, apesar das altercações e daseparação temporária entre ele e sua amada, ele sabe que “I wouldnt let you leave me ´cause32 Quadro 4, p. 6133 Bem, ela tinha só dezessete anos / Você sabe que eu quero dizer / E o jeito com que ela me olhou estava alémde qualquer comparação.34 Eu preciso do seu amor, babe / Acho que você sabe que é verdade / Espero que você precise do meu amor,meu bem / Assim como eu preciso de você.35 Alguma coisa no jeito como ela se move / Atrai a mim como nenhuma outra amada.36 Eu vou voltar um dia / E quando o fizer é melhor esconder todas as meninas / Eu vou partir o coração de todaselas’.37 Você está me fazendo dizer que eu não tenho ninguém além de você / E a partir de hoje, bem, eu tenho umnovo alguém / Eu não quero dizer que eu fui infeliz com você / Eu não sou nenhum tolo e eu não aceito o quenão quero / Porque eu tenho uma outra garota .
  36. 36. 35its true / ´Cause you like me too much and I like you”38. Seja cínica, narcisista oubrincalhona, a idéia central nessas canções é que o amor, sendo um jogo, envolve regras etáticas, avanços e recuos conforme o jogo amoroso prossegue. Storge, o amor como amizade é expresso por McCartney na letra de ‘When Im Sixty-Four’39. Aqui ele aborda o tema do amor na maturidade, a fase da vida em que a cooperação,o cuidado mútuo e as gozosas recordações tomam o lugar das paixões arrebatadoras: “When Iget older loosing my hair / Many years from now / Will you still be sending me a valentine /Birthday greetings,bottles of wine?”. Esta letra de McCartney e sua apresentação como umpastiche das músicas de cabaré típicas dos anos de 1920 e 1930, refletem claramente aobservação de que “porque Storge foi a abordagem mais comum para o amor no passado, asmúsicas favoritas naquela época costumavam comemorar as atitudes tipicamenteestórguicas... ...as canções antigas falam de passear juntos, beijar timidamente, ou apaixonar-se por uma garota que encontra na rua” (LEE, 1973, p.93). Uma manifestação do amorStorge com traços mais modernos é o que ocorre na nostálgica ‘In My Life’ de Lennon: “Butof all these friends and lovers / There is no-one compared with you”40. Pragma, o amor racional e pragmático, ocorre somente em uma canção. Na letra de‘We Can Work It Out’, McCartney fala de um amante que aconselha sua amada a ser maislógica e sensível, e não ser apressada ou impetuosa: “We can work it out and get it straight, orsay goodnight / We can work it out, we can work it out”41. A letra expressa uma abordagemprática e realista do amor baseada na convicção de que um relacionamento pode ser feito paradar certo. Mania como forma de amor é concretizada através do ciúme e da possessividade.Como no conselho dado por Lennon em ‘Run For Your Life’: “Id rather see you dead, littlegirl / Than to be with another man”.42 Aqui a Mania é expressa na forma de uma ameaçapotencial de violência. Em outras letras a ansiedade e o desespero podem vir em forma desúplica, como fez McCartney em ‘Oh! Darling’: “Oh! darling, if you leave me, Ill never make38 Você Gosta Muito de Mim’/ Eu não deixaria você me largar, porque isso é verdade / Porque você gosta muitode mim e eu gosto de você .39 Quanto Eu Tiver Sessenta e Quatro / Quando eu ficar velho, perdendo meu cabelo / Daqui a muitos anos /Você vai continuar me enviando cartão do Dia dos Namorados / Felicitações de aniversário e garrafas de vinho?.40 Em Minha Vida / Mas de todos esses amigos e amantes / Não há nenhum que se compare a você.41 A Gente Pode Acertar / Podemos dar um jeito e acertar / Ou dizer boa noite / a gente pode dar um jeito, agente pode dar um jeito.42 Corra Por Sua Vida: “Eu prefiro vê-la morta, garotinha / Do que do que vê-la com outro homem”.
  37. 37. 36it alone / Believe me when I beg you dont ever leave me alone”43. Em ambos os casos, querapresente uma ameaça ou uma súplica, as letras demonstram claramente a insegurança dosuplicante. Agape, e sua característica de ser um amor imotivado e universal, que é semprepositivo e cheio de esperança, pode ser encontrado na canção ‘While My Guitar GentlyWeeps’44, de Harrison, na qual ele escreve que “I look at you all, see the love there thatssleeping”45. McCartney também contribuiu com reflexões gerais sobre o amor agápico, comopode ser apreciado em ‘The End’: “And in the end the love you take is equal to the love youmake”46. A canção na qual Lennon faz sua mais enfática referência referência ao amor Agapeé a famosa ‘All You Need Is Love’47, onde ele diz que “There´s nothing you can do that can´t be done / Nothing you can sing that can´t be sung / Nothing you can say but you can learnhow to play the game / It´s easy / All you need is love / All you need is love /Love is all youneed”.483.1 As Análises das letras das canções de amor dos Beatles Os Beatles consideravam a si mesmos artistas, não apenas intérpretes de músicas.John Lennon chegou a declarar que verdadeiros poetas como Shakespeare eram seus reaiscompetidores, e não os músicos populares (Murphy, 2006, p. 3). Alguns estudos indicam queas letras dos Beatles tornaram-se mais complexas à medida que a década de 1960 avançavapor influência da crescente valorização da importância da linguagem entre os membros dabanda. Como foi relatado no capítulo 2.2, o simples fato de terem os Beatles lançado o discoSergeant Pepper´s Lonely Hearts Club Band em 1967 com todas as letras expostas na parte detrás da capa (mais uma das inovações do grupo) mostra a importância que eles passaram a darao texto e sua mensagem. Como uma expressão da emoção, da atitude e do pensamento, a letra de uma canção é43 Oh! Querida: "Oh, querida, se você me deixar, eu nunca serei bem sucedido! / Acredite em mim quando eu teimploro / não me deixe mais sozinho’.44 Enquanto minha guitarra sussurra delicadamente’.45 Eu olho vocês todos, vejo o amor que está aí adormecido’.46 O Fim: “E no final o amor com o qual você fica é igual ao amor que você fez”.47 Tudo Que Você Precisa É Amor’.48 Não há nada que você possa fazer que já não tenha sido feito / Nada que você possa cantar que já não tenhasido cantado / Não há nada que se possa dizer, mas você pode aprender a brincar o jogo / É fácil / Tudo que vocêprecisa é amor / Tudo que você precisa é amor / O amor é tudo que você precisa .
  38. 38. 37uma forma de arte na qual o letrista usa as palavras como um meio para ilustrar sua imagemmental. O uso de linguagem cuidadosamente trabalhada expressa a voz do letrista etranscende a utilidade corriqueira da comunicação. As letras do período posterior da carreira dos Beatles (1965-1970) foramprofundamente influenciadas pelo uso de maconha e drogas psicodélicas pelos membros dabanda, o que indica uma transição para além do convencionalismo e da inocente cena musicalpop. Ringo Starr chegou a afirmar que o experimentalismo musical à partir Rubber Soulfoi influenciado pelo uso de drogas (Roylance, 2000). Nestas canções aparece a discussãocrítica ao Cristianismo, ao papel da mulher na sociedade, à guerra, à religião e filosofiaoriental, ao governo, ao materialismo, à música contemporânea, aos próprios Beatles e atémesmo ao sistema de impostos. Eram temas incomuns em uma época na qual a música falavaprincipalmente sobre histórias de amor romântico. Durante esse tempo os Beatles pararam de fazer shows e produziram músicas queeram impossíveis de serem executadas ao vivo. Embora algumas canções falem sobre asolidão, outras têm como tema a convivência. Este novo espírito de espírito de convivência éo do “companheirismo”, o de “estar junto com os seus pares”, que substituiu aquele da“convivivência familiar”. Paradoxalmente, para escrever essas letras de amor Storge eAgape, os três letristas dos Beatles, John Lennon, Paul McCartney e George Harrison, foramse tornando cada vez mais independentes uns dos outros. Isto parece ter contribuídopositivamente na composição das letras, acrescentando-lhes mais personalidade e variação naabordagem dos sentimentos. O companheirismo dos quatro componentes dos Beatles foi rapidamente dissolvidodurante os anos iniciais da segunda metade da década de 1960. Nesses anos derradeiros dacarreira, cada membro do grupo ocupava-se com seus projetos individuais, reunindo-sesomente para as sessões de gravação. George absorveu-se com a religião e a filosofia orientale focou sua energia em aperfeiçoar-se como e letrista e músico sem a ajuda de John ou Paul,pois esses verdadeiramente sufocavam sua capacidade de escrever. John tornou-se maisradical e envolvido com política, o que é refletido na maioria de suas canções do período.Com a vida focada em sua nova esposa, Yoko Ono, a partir de 1968 ele passou a trabalharcom ela em projetos paralelos como parte do movimento avant-garde. Paul continuou comolíder não declarado dos Beatles durante este tempo, gerenciando as finanças do grupo. Ele fezuma tentativa de convencer a banda a voltar às apresentações ao vivo, apesar de estar
  39. 39. 38consciente de que a banda estava caminhando para a dissolução. Paul também trabalhou emprojetos paralelos, como produção de trilhas sonora de filmes. Esses trabalhos de naturezaindividual, segundo a nossa opinião, afetaram positivamente a produção textual do grupo.Cada um dos três letristas passava para as canções suas próprias experiências de vida e suasreflexões sobre o amor. As canções de amor passaram a refletir sobre relacionamentosadultos e em uma variedade maior de estilos de amor, o que engrandeceu significativamente aobra dos Beatles. Após o clímax inicial que aconteceu entre 1964 e início de 1966, tempo em que elesproduziram dois filmes e alguns álbuns, os Beatles começaram a entender o poder e ainfluência que sua música exercia em seus ouvintes. Tendo como ponto de partida o discoRubber Soul e continuando com Revolver, as canções do período posterior diferenciaram-sedaquelas do período inicial por estarem mais focadas nas letras e na mensagem que elasportavam. Rubber Soul é marcado por canções contendo mensagens e letras com referênciassexuais escondidas por trás da imagem inocente dos Beatles. Revolver contém as mudançasapresentadas em Rubber Soul e letras que desafiam as convenções e discutem a cultura dosanos 60. Em seguida comentaremos seis canções dos Beatles, cada uma delas representandouma das seis categorias de amor conforme a tipologia dos Six Lovestyles.4949 As letras destas canções e suas respectivas traduções estão nos apêndices de A, B, C, D, E e F, páginas 66 -71.
  40. 40. 393.2 O amor Eros em ‘Something’ George Harrison usou de grande liberdade quando escreveu ‘Something’ durante assessões de ensaios e gravação de The Beatles (o “Álbum Branco”) em outubro de 1968. Alinha inicial da letra é o título de uma canção de James Taylor, que na época era um dosartistas contratados pela Apple Records.50 Em seu epônimo álbum de 1968, ele canta: “There´s something in the way she moves / Or looks my way or calls my name! That seems to leavethis trouble world behind.” A esse respeito James Taylor declarou: “Muitas vezes eu nototraços dos trabalhos de outros artistas em minhas canções. Se George, consciente ouinconscientemente, usou uma linha de uma de minhas canções, eu acho isso muito lisonjeiro”(BARBER,1994. In: Evans, 2004. 311). Ironicamente, a canção que precede ‘Something’ noálbum Abbey Road, ‘Come Together’, de autoria de John Lennon, começa com a linha inicialde ‘You Can´t Catch Me’, sucesso de Chuck Berry em 1956. ‘Something’ atrai interpretes como quase nenhuma outra canção. Depois de‘Yesterday’, é a canção mais regravada dos Beatles. Mais importante para o grupo, noentanto, foi que com ‘Something’ eles puderam realizar sua ambição de ter uma de suascanções gravadas por Frank Sinatra, que considerava ‘Something’ como “a melhor canção deamor dos últimos cinqüenta anos” (BARBER, 1994. In: Evans, 2004, p. 311). Esse poder deatração de ‘Something’, não está somente em sua qualidade como uma balada pop de melodiaagradável, fácil de acompanhar e por isso cativante, mas também por ela ser, liricamenteadequada a muitos tipos de leitura e interpretação. John Lennon uma vez classificou‘Yesterday’ como uma canção que “não se resolve”, isto é, uma canção que não revela osuficiente sobre a situação do protagonista (Turner, 128). No entanto, ‘Yesterday’ revela asituação do protagonista muito mais do que ‘Something’. Enquanto estava gravando o filme Let It Be, Harrison ainda não havia terminado oprimeiro verso da canção, que até então era simplesmente “Something in the way she moves /Attracts me like...”. Ele não estava encontrando a palavra que em sua opinião servisse paraconcluir a frase. A sugestão de Lennon foi que ele adicionasse, temporariamente, qualquerpalavra que lhe viesse à cabeça, até encontrar o termo adequado. Este era um procedimentoque eles adotavam quando estavam com dificuldade de terminar uma linha de uma novacanção. Então a letra foi por um tempo ‘Attracts me like a cauliflower’, depois ‘Attracts melike a pomegranade’, ‘Attracts me like no other woman’ e finalmente ‘Attracts me like no50 Nome da agência fonográfica pertencente à Apple Corps, a empresa fundada em 1968 pelos Beatles para aadministração dos negócios da banda.
  41. 41. 40other lover’51. Dentro do contexto de música romântica, woman (mulher) e lover (amante,amada) são símiles que não explicam nada sobre a atratividade da musa. A frase “Somethingin the way she woos me”52 é da mesma forma que a anterior, nada esclarecedora. Podemosentender “I don´t want to leave her now’ literalmente e a frase “You Know I believe andhow”53, não lança luz sobre o enigma desse amor mas serve ao propósito de rimar com a fraseanterior. A estrofe seguinte é ainda menos esclarecedora com a dupla negação “I don´t know,I don´t know”.54 A letra, com sua intrigante afirmativa “Somewhere in her smile she knows /That I don´t need no other lover”55, é tão vaga quanto o título sugere. Por isso mesmo é que acanção pode se adequar aos muitos estilos de intérpretes, e muitos ouvintes podem seidentificar com o seu texto. A aplicabilidade de ‘Something’ é universal. Segundo o que consta em sua autobiografia ‘I Me Mine’, George Harrison (2002,p.152) escreveu ‘Something’ com Ray Charles em sua mente, isto é, imaginando a cançãosendo cantada por ele. Harrison raramente comentava o seu trabalho preferindo que a músicafalasse por si mesma. Então, em muitas canções ele começou a igualar o amor entre umaalma e Deus ao amor entre um homem e uma mulher, ficando algumas vezes difícil decompreender sua intenção. Em seu livro ‘Here Comes The Sun – The Spiritual and MusicalJourney of George Harrison’ o historiador Joshua Greene (2006. 142) relata que Harrison,assim que terminou de escrever a canção, apresentou-a aos seus amigos monges que estavamhospedados em sua mansão na cidade de Londres, e declarou-lhes que a música era sobre aDivindade56. ‘Something’ é um exemplo perfeito do estilo Eros, o amor erótico, na obra dosBeatles. Aqui o amante ama a sua amada simplesmente porque ela o atraiu - como nenhumaoutra jamais havia feito. Não é um amor estórguico que tenha surgido com o passar dotempo, em consequência de amizade e convívio. Não há aqui um cálculo de uma possívelcompatibilidade entre os amantes, nem pensamento sobre o futuro da relação amorosa,portanto não é um sentimento de amor pragmático. Não é um amor Mania: o amante não estáobcecado pela amada, não exige reciprocidade ou fidelidade, não manifesta ciúme, nem dizque vai morrer sem o seu amor. Tampouco ele considera sua amada como mais uma51 Respectivamente: “Atrai a mim como uma couve-flor”, “Atrai a mim como uma romã”, “Atrai a mim comonenhuma outra mulher” e “ Atrai a mim como nenhuma outra amante / amada”.52 Alguma coisa no jeito que ela me cativa.53 Você sabe que eu acredito e muito54 Eu não sei, eu não sei.55 Em algum lugar de seu sorriso ela sabe / Que eu não preciso de nenhuma outra amante.56 Uma descrição mais detalhada do evento está no apêndice 07, página 69.
  42. 42. 41conquista entre outras, ou faz promessas de amor eterno como é comum aos amantes lúdicos.A letra fala de coisas simples, mas que denunciam um homem apaixonado: o encantamentopelo andar da mulher amada, pelo jeito como ela o olha, pelo seu sorriso. ‘Something’ é entreas canções dos Beatles uma das mais perfeitas representações do estilo de amor erótico, ouEros na tipologia de John Alan Lee.
  43. 43. 423.3 O amor Ludos em ‘Ticket to Ride’ Esta letra foi escrita por John Lennon com alguma colaboração de Paul McCartney.Ela descreve um caso de amor que está acabando e a moça some da vida do narrador. Aorigem da frase que intitula a canção é nebulosa. McCartney declarou que a frase significavauma passagem da British Railways para a cidade de Ryde, na Ilha de Wight, aonde ele sempreia em visita à sua prima Betty Robbins e o marido. Apesar de a música ser essencialmentesobre o fim de um romance, ele sabia o potencial de duplo sentido da frase. No começo desua carreira os Beatles tocaram em Hamburgo, onde na época as palavras “ride / riding” eramgírias que significavam “fazer sexo”. Don Short, jornalista que tinha viajado extensivamentecom os Beatles nos anos 1960, contou ter ouvido de John Lennon que a expressão tinha maisde um sentido. As prostitutas que trabalhavam nas ruas de Hamburgo precisavam ter umaficha médica limpa para que as autoridades de saúde dessem a elas um cartão declarando quenão tinham nenhuma doença venérea. De acordo ao livro de Turner (p.1220) Short declarou: Eu estava com os Beatles quando eles voltaram a Hamburgo em 1966. Foi lá que John me contou que havia cunhado a expressão ‘a ticket to ride’ para falar desses cartões. Ele podia estar brincando – era sempre preciso ter cuidado com o que dizia John –, mas ele me contou isso. Outros especialistas, como Chris Inghan, declaram que há vários níveis de significadono título, e um deles é a referência ao uso de drogas. De acordo a Inghan, a garota que estárompendo com o rapaz que a está “bringing her down” 57 tem um bilhete de viagem para Rydee foi inspirada a abandoná-lo por causa da “iluminação” sentida “riding so high”. 58 (2009,p.185). Assim, a maconha seria a sua passagem para uma nova vida. Independente dosignificado da canção – se ela for uma alusão à prostituição ou às drogas, podemos ver comoos Beatles usaram aqui de sutileza na abordagem de temas proibidos. Como veículo de expressão de sentimentos amorosos, ‘Ticket To Ride’ é um exemplode canção de amor Ludos. Em The Colors Of Love, Lee simplifica sua idéia a respeito deLudos com a expressão “O amor, como o álcool, pode ser desfrutado. Mas jamais se devepermitir que ele se torne uma necessidade.”(LEE, p.35) A garota da canção recusa-se a serdependente do narrador e está saindo da vida dele sem nenhum receio. Não demonstra57 Em tradução livre: “deixando-a mal”, ou em gíria brasileira “deixando-a em baixo-astral ”, ou “deixando-a nafossa”.58 Em tradução livre: “viajando alto”.
  44. 44. 43preocupação com os sentimentos do rapaz, nem pondera sobre as vantagens ou desvantagensde seu ato. O narrador pode ser classificado como um amante Pragma por dizer à moça que“pense duas vezes”, mas o núcleo da narrativa é ela. Ele não é um amante Maniaabandonado, apenas “acha que vai ficar triste”. Não promete continuar amando a moça até ofim dos tempos como faria um amante Agape. Ele apenas não compreende o amor lúdico desua ex-namorada.
  45. 45. 443.4 O amor Storge em ‘In My Life’ Embora já tivesse escrito canções de conteúdo pessoal como ‘Help!’, ‘I´m Loser’ e ‘IDon´t Want To Spoil The Party’, até ‘In My Life’ John Lennon nunca havia escrito umacanção de cunho autobiográfico tão evidente (Inghis, 189). Com isto John sentiu ter feito aruptura que Bob Dylan o encorajara a fazer quando sugeriu que se concentrasse em sua vidainterior. A observação que o jornalista inglês Kenneth Allsop fez em 1964 também teve umgrande impacto em Lennon. Kenneth era um dos rostos mais conhecidos da Inglaterra,apresentador do noticiário Tonight da BBC de Londres e escrevia diariamente para o jornalDaily Mail. Segundo o seu ponto de vista, as músicas de John e o seu recém lançado livro,‘In His Own Write’59, não tinham a mesma profundidade, e a leitura do livro fizera-o acreditarque Lennon teria mais a oferecer. Na primeira conversa de John Lennon com o jornalista,este lhe disse enfaticamente que não escondesse mais os seus sentimentos por trás dasconvenções da música pop. Allsop disse-lhe que não gostava muito das músicas dos Beatlesporque todas tendiam a ser ‘ela o ama’, ‘ele a ama’, ‘eles a amam’ e ‘eu a amo’. Ele sugeriu aLennon que escrevesse de forma mais autobiográfica, em vez de usar os velhos temassuperficiais. Isso ressoou dentro dele. A letra de ‘In My Life’ começou como um longo poema em que ele refletia sobre osseus lugares preferidos de sua infância em Liverpool. Era uma letra desconexa na qual Johnlistava a estação de trem Penny Lane, o relógio da torre, o cinema Abbey, a igreja SaintColumbus, o parque Calderstones e outras referências de sua infância, muitas das quaishaviam passado por transformações ou mesmo desaparecido. Como não estava apreciando oresultado, ele retirou todos os nomes de lugares e criou uma sensação de luto por umainfância e juventude perdidas, transformando assim uma canção que seria sobre a mudança napaisagem de Liverpool em uma canção universal sobre o confronto com a morte e adecadência. John Lennon declarou ao seu amigo Peter Shotton que quando escreveu o versoda canção que fala sobre os amigos mortos e vivos, estava pensando nele e em StuartSutcliffe, que morreu em 1962 em decorrência de um tumor cerebral.60 Segundo Steve Turner (2009, p. 150), a letra guarda uma “semelhança surpreendente”com o poema de Charles Lamb do século XVIII ‘The Old Familiar Faces’, com o qual JohnLennon pode ter deparado na antologia de poesia popular “Palgrave´s Treasure” de Francis59 Livro escrito por John Lennon em 1964, composto de poemas e desenhos de teor satírico, crítica social enonsense.60 Peter Shotton e Stuart Sutcliff foram integrantes dos Beatles antes da consagração mundial do grupo.

×