Your SlideShare is downloading. ×
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
A instrução pública
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A instrução pública

713

Published on

Published in: Education, Travel, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
713
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Portugal na segunda metade do século XIX
    H.G.P. 6º Ano
    A instrução pública
    Trabalho realizado por:
    Francisco Ferreira nº6 6ºA
    Liliana Loureiro nº13 6ºA
  • 2. Índice
    Introdução.
    O Analfabetismo.
    Reformas no ensino.
    Os professores.
    Responsáveis pela educação.
    Método de iniciação à leitura.
    Imagens.
    Conclusão.
    Bibliografia.
  • 3. Com este trabalho pretendemos apresentar-vos uma descoberta que aconteceu em Portugal no século XIX, no ensino português.
    Introdução
  • 4. O Analfabetismo
    Após a Revolução de 1820, os diferentes governos da Monarquia Constitucional vão tentar alterar a situação da instrução em Portugal.
    Era importante que os cidadãos participassem na vida cívica do país.
    No entanto a realidade não era a prevista pois 90% da população era analfabeta,isto é, não sabiam ler nem escrever.
  • 5. Reformas no ensino
    «A educação é mais ampla que a instrução, porque abrange todos os meios de desenvolver e cultivar todas as faculdades do homem…»
    Para diminuir o analfabetismo e formar cidadãos capazes de participar no desenvolvimento do país, efectuaram-se reformas no ensino criando:
    -Um grande número de escolas primárias e tornando o ensino gratuito e obrigatório.
    -Liceus em todas as capitais de distrito.
    -Escolas técnicas (comerciais, industriais e agrícolas).
  • 6. Os professores
    Mas com tanta coisa a formação de professores não foi esquecida.
    Depois de formados nas Escolas Normais vão ensinar para os Liceus Escolas criadas pelo país.
    No nível superior, a única universidade do país era a de Coimbra.
    Nessa mesma universidade foram formados os filhos dos grupos sociais mais ricos.
    Para aumentar a oferta de formação superior
  • 7. Curiosidade
    Alguns responsáveis pela educação:
    Passos Manuel – 1836
    Fontes Pereira de Melo – 1852
    D. António Costa – 1870
    Rodrigues Sampaio – 1878
    João Franco – 1891
    Afonso Costa disse:
    <- A pior herança que a monarquia nos deixou foi o analfabetismo.>
  • 8. Método de iniciação à leitura
    D. António Costa, que esteve à frente do primeiro Ministério da Instrução Pública, defendia, nessa época (1870), a necessidade e importância da instrução popular para o desenvolvimento do país.
    Em 1876, João de Deus, escreveu a Cartilha Maternal, onde apresentou um método de iniciação à leitura que foi utilizado durante vários anos.
    Mas, nem com estas medidas, a população deixou de ser analfabeta, pois no final do século XIX, 78% da população ainda era analfabeta.
  • 9. Imagens
  • 10. Conclusão
    Espero que tenham gostado do nosso trabalho.
  • 11. Júlio Coelho, Sebastião Marques e Prof. Luís Alves. Portugal: Um Presente com Passado . Edição ASA.
    www.google.pt
    Bibliografia

×