Materiais e tecnologia têxtil III

  • 40,626 views
Uploaded on

 

More in: Design
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Material interessante e produtivo... Apenas cuide: muitos erros de português!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
40,626
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
21

Actions

Shares
Downloads
858
Comments
1
Likes
18

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1
    BOOK TÊXTIL
  • 2. TRABALHO ELABORADO SOBRE A SUPERVISÃO DA PROFESSORA RENATA FOSTER COMO PRÉ-REQUESITO PARA A APROVAÇÃO NA DISCIPLINA DE MATERIAIS E TECNOLOGIA TÊXTIL, DO CURSO DE DESIGN DE MODA DA UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS – UDC.
  • 3. INTRODUÇÃO
    Um designer de moda precisa conhecer e entender todas a qualidades e propriedades dos tecidos. Assim examinar todas as características, fibras e processos da indutria têxtil.
    O tecido é a materia-prima chave para se começar uma coleção, e sem o entendimento destes processos e características, o trabalho do designer de moda fica mais dificil e sugeito a erros.
    Por isso, este trabalho será realizado, para entender e conhecer um poco mais sobre a indutria textil. Serão realizadas pesquisas da origem, dos cuidados necessários, das fibras, da fabricação e tudo o que se deve saber a respeito dos têxteis.
    3
  • 4. HISTÓRIA DOS TÊXTEIS
    O tecido é a matéria mais antiga do mundo, surgiu como forma de proteção para o corpo. Os primeiros tecidos surgirão pelas mãos do homem e com o tempo descobriram novas fibras, maneiras de entrelaçar e criar. A história documenta que o linho e o algodão do campo vegetal e a lã e a seda do campo animal foram as primeiras fibras a serem cultivas.
    A fabricação de tecidos por empresas familiares manteve até o século XVII. Com a chegada da indutria os artesãos descançãram suas mãos e foram trabalhar como empregados das industrias.
    O conhecimento basicos das fibras, de tecer e tingir vem acompanhando a humanidade desde sua origem até os dias de hoje. Com a tecnologia que nos permite ampla maneira de diversificação de matéria prima, estudo e preparação muito mais rapido são o que nos diversificacão da antiguidade.
    4
  • 5. CLASSIFICAÇÃO DA FIBRAS
    5
  • 6. CAP. 1 FIBRAs NATURAis
    6
  • 7. Introdução
    As fibras Naturais são as encontradas na natureza que são de origem vegetal e animal. As de origem vegetais são encontradas das sementes, caules, folhas e frutos de plantas. As de origem animal são obtidas dos pelos de animais e do casulo do bicho-da-seda.
    7
  • 8. Fibras Naturais
    8
  • 9. LINHO
    O Linho uma das mais antigas fibras que acredita-se que se deu nas altas montanhas da Ásia, chegando ao Egito pela Índia e China. As flores desta espécie possuem cinco pétalas com uma coloração que varia do branco ao azul. Existem mais de duzentas espécies.
    A colheita do linho é feita a partir do início do amadurecimento dos frutos quando suas fibras se estendem de forma homogênea por toda a planta.
    O linho é antibacteriano e antifungicida não causa irritações ou alergias. Oferece proteção contra a radiação UV e é altamente resistente, brilhantes e frescos e são fáceis de lavar. Tem alto poder de absorção e tingimento, porém amassa com facilidade. Simboliza conforto e elegância.
    CANHAMO
    Acredita-se que o cânhamo foi cultivado primeiramente em um território vasto em Ásia central e oriental. As primeiras apariçoes do cânhamo como colheita foram feitas por originais chineses, á mais de 5000 anos.
    O tecido de cânhamo é feito a partir da planta Cannabis sativa, a popular maconha. É obtido a partir do caule da planta que são processados para dissolver a goma. A fibra é então separada e novamente transformada.
    O canhamo tem protege contra raios ultravioleta e tem propriedades termodinâmica que deixa a roupa fresca no verão e quente no inverno.
    Esse tecido é célebre pela sua beleza, brilho e suavidade.
    9
  • 10. JUTA
    Origináda nas regiões tropicais da Ásia. Os produtos derivados da jutas são biodegradáveis, não agridem a natureza. Os caules têm cerca de três centímetros de diâmetro e quatro a seis metros de altura. Para obter uma boa fibra, haste e caules devem ser cortados logo que a flor murcha. Essas plantas exigem um clima quente e úmido.
    A juta fornece uma das mais baratas fibras têxteis de origem vegetal. É totalmente versátil, econômica, forte e durável.
    É usada na produção de telas, cordas, lonas, sacos, tapetes e, em combinação com outros têxteis.
    RAMI
    A fibra mais resistente de origem vegertai é o Rami, é originada da Àsia Oriental, nativa dos vales do sudoeste da China.
    O Rami é uma planta de cultura permanente, que pode produzir por cerca de 20 anos, por ano é feito de 3 a 4 cortes em média. As fibras são extraídas da entrecasca. A fiação do rami é feita do sistema de fibra longa.
    O tecido de Rami é considerado de verão, devido à sua boa absorção de umidade. O tecido é resistente, bastante durável. Pode ser tingido e branqueado com facilidade.
    Tem aspecto leve e fresco, capaz de absorver a transpiração corporal.
    10
  • 11. SISAL
    A planta é de origem Mexicana. Atualmente o Brasil é o maior produtor do mundo, a bahia é responsável por 80% da produção.
    Quando a planta atinge os 3 anos de vida ou 140 cm de comprimentoda é começada a transformaçoes em fios naturais. È resistente ao sol intenso do sertão nordestino e á aridez. O sisal é colhido durante o ano todo.
    O sisal é a fibra mais dura que existe.

    A lã vem de pêlos de animais (carneiros, cabras, camelos, coelhos, lebres), o mais ultilizado é o carneiro. É usado o metodo de tosquiação para retirar os pelos. Geralmente são tosquiados duas vezes ao ano, dependendo da raça.
    O tecido da lã não esquenta muito e mantém a temperatura do corpo. É naturalmente elástica e não amassa com facilidade.
    11
  • 12. SEDA
    Acredita-se que os chineses descobriram a seda há mais de 4 mil anos.
    O processo de tecelagem da seda sempre foi o de sericicultura, partir do casulo do bicho-da-seda, cada casulo pode render de 450 a 1000 metros de seda.
    A fibra da seda é a mais fina conhecida na natureza e é uma fibra bastante resistente, absorve umidade e suor o que a torna bastante adequada aos climas quentes e “meia estação”.
    A seda é o tecido mais caro e sempre foi associada à realeza. É simbolizada pela leveza, brilho e maciez.
    12
  • 13. ALGODÃO
    13
  • 14. HISTÓRIA
    Não se sabe ao certo quando a planta passou a ser conhecida e utilizada pelo homem. O que se sabe é que a pelo menos dois mil anos foram encontrados vestigios na Índia, Peru e México que eram usados tecidos feitos a partir do algodão.
    Mas foi no Século XVIII, com a Revolução Industrial, que o algodão começou a ser destaque como a principal fibra têxtil.
    Outros fatores apareciam para influenciar a oferta mundial. O uso de novas tecnologias. Que hoje representa 16% da aréa plantada no mundo e rapidamente esta sendo utilizada em razão dos ganhos de produtividade.
    Até hoje o algodão é fibra mais importante dos textêis, e também é a planta que oferece mais variação de produtos.
    O algodão é cultivado em mais de 60 países. Os dois maiores produtores são China
    e Estados Unidos que juntos, produzem 43% da produção mundial.
    14
  • 15. ALGODOEIRO
    O algodoeiro é uma planta de clima quente, que não suporta o frio. O período vegetativo varia de cinco a sete meses, dependendo da quantidade de calor recebida, exige verões quentes e bastante úmidos.
    Os arbustos do algodoeiro conseguem atingir até 7 m de altura. As folhas são grandes, com três, cinco (até sete) lobos.
    Em quase todas as zonas algodoeiras a colheita é feita manualmente, e apesar dos processos mecanizados, demora varias semanas, já que todas se abrem ao mesmo tempo. A colheita do algodão exige muita mão de obra.
    Os principais produtores mundiais de algodão têm sido a China, os Estados Unidos e o Usbequistão, seguidos por Índia, Paquistão e Brasil.
    15
  • 16. TIPOS DE ALGODÃO
    ALGODÃO ORGÂNICO
    O algodão orgânico é um sistemas sustentáveis no tempo e no espaço , sem a utilização de agrotoxicos, adubos químicos ou outros insumos prejudiciais à saúde humana, animal e ao meio ambiente, mantendo a fertilidade da vida no solo.
    ALGODÃO MODIFICADOS
    O algodao foi criado para reduzir o uso de pesticidas . Ele reduz 80 % mais que o algodão normal.
    E proporcionam aos agricultores benefícios econômicos, e também ambientais.
    ALGODÃO COLORIDO
    O algodão colorido é controlado por um gene dominante, mas com alelos em locus diferentes. Geralmente são de cores bege, rubi, cinza, amarela, marrom e cinza.
    É mais curto e mais fraco do que algodão branco, além de necessitarem cuidados especiais entre o plantio e a colheita, mas é totalmente natural, precisa passar pelos mesmos processos que as malhas e tecidos passam.
    16
  • 17. FIBRA DO ALGODÃO
    O algodão é uma fibra esbranquiçada obtida dos frutos de algumas espécies do gênero Gossypium. A fibra do algodão é composta por 95% de celulose.
    O algodão é a matéria que envolve as sementes do algodoeiro, as fibras crescem em quantidade considerável, aderidas às sementes e encerradas numa cápsula, que se abre ao amadurecer.
    Embora macias, as fibras do algodão apresentam boa resistência a esforços de tração.
    Esta fibra absorve e liberta suor rapidamente, permitindo assim que o tecido tenha a função de "respirar".
    Tecido de algodão é fresco, macio e confortável. São faceis de tingir e lavar.
    17
  • 18. FIAÇÃO E TECELAGEM
    Após a colheita o algodão é prensado em fardos, para poder ser pesado. Cada tipo de algodão tem suas particularidades, por isso ele é separado por lotes. Depois os fardos são limpados e filtrados. Os fardos são levados para maquina que realiza o processo de cardagem onde ocorre a junção das fibras até que se forme uma manta, em seguida elas são estiradas até que se formem uma fita densa. A fibra passa por uma maquina que à tranforma em fitas, que são eroladas em milhares de cones de fios de algodão.
    Por fim os fios chegam para a tecelagem, que são entrelaçados em trama (transversal) e urdume (longitudinais), formando a trama de tecidos .
    18
  • 19. CURIOSIDADES
    • Os Índios do Brasil, antes do descobrimento utilizavam o algodão para fazer suas redes, usavam o caroço da fibra para fazer mingau e as folhas da planta para fazer curativos em ferimentos.
    • 20. O Algodão no Brasil é o 5º maior produtor de algodão do mundo.
    • 21. Por volta do século IV, os Árabes que visitaram a índia ficaram maravilhados com a boa contextura do tecido feito de fibras vegetais. Aprenderam a tece-lo e chamaram a fibra e o tecido de “alkutum”.
    • 22. O principal componente da fibra é a celulose, que representa a maior parte da sua composição química.
    • 23. Nos primeiros 28 dias quando a flor se abre, as células crescem rapidamente até 91% do comprimento final. Depois disso, o crescimento final se torna lento crescendo 9% e estabiliza-se em torno dos 47-51 dias do florescimento.
    • 24. O caroço do algodão pode servir como alimento para animais, ou ser vendida.
    • 25. O oléo pode ser extraido do algodão e vendido, para se tranformar em biodisel.
    • 26. A torta é o que sobra do algodão quando extraido, pode ser usado como complemento alimentar para gado leiteiro.
    19
  • 27. TECIDOS DE ALGODÃO
    100% algodão
    100% algodão
    TRICOLINE 100% algodão
    100% algodão
    100% algodão
    100% algodão
    20
  • 28. CAP. 2 FIBRAS Químicas
    21
  • 29. Histórico
    As fibras químicas servem como uma alternativa criada pelo homem para suprir as necessidades da indústria, antes usadas apenas as fibras encontradas na natureza. Por suas qualidades e excelente aceitação pelo mercado, as fibras químicas estão cada vez mais expandindo sua utilização com aplicações específicas, além de ampliar tambem o uso das fibras naturais.
    Foram desenvolvidas inicialmente com o objetivo de copiar e melhorar as características e propriedades das fibras naturais. À medida que foram crescendo, elas se tornaram uma necessidade, principalmente porque o crescimento da população mundial passou a demandar vestuários confeccionados com rapidez e a um custo mais baixo.
    As fibras químicas podem ser divididas em artificiais e sintéticas.
    22
  • 30. 23
    2.1 Fibras Artificiais
  • 31. Introdução
    O processo de produção das fibras artificiais consiste na transformação química de matérias-primas naturais. São produzidas a partir da celulose, substância fibrosa encontrada na pasta de madeira ou no linter de algodão.
    A produção de fibras artificiais praticamente se estagnou, em parte pelo crescimento das fibras sintéticas e em parte por ser altamente poluente devido o uso intensivo de soda cáustica.
    24
  • 32. Acetato
    O Acetato é uma fibras que se obtém a partir da pelugem ou línter do algodão e também da celulose de madeira.
    Utilizado como substituto da seda natural, apresenta características similares ao da viscose, mas não reage bem aos processos normais de tingimento, exigindo técnicas especiais.Reage ao calor e pode ser queimado facilmente quando passado a ferro.Suas maiores aplicações estão na produção de filtros para cigarros, rendas, cetins e material de estofamento.
    Modal
    A fibra é produzido da celulose da madeira. Ela oferece um toque macio e confortavel aos tecidos e permanece mesmo após muitas lavagens, tem sempre o efeito brilhante, não importa se são cores fortes ou delicadas.
    O modal absorve os corantes de forma rápida, profunda e permanente.
    Suas maiores aplicações estão para roupas de proteção, lingerie, tecidos para casa e decoração.
    25
  • 33. Tencel®
    Conhecido também como Liocel, é uma fibra obtida da celulose da polpa da madeira de árvores específicas, são árvores hìbridas, produzidas geneticamente, com a polpa mais branca e de melhor qualidade. Possibilita um tecido com melhor caimento e resistência.
    O tencel não sofre agressões químicas, é usado somente um solvente reciclável, por isso é condiderado uma fibra “ecologicamente correta”.
    A fibra possibilita uma almpla cartela de cores. O encolhimento do tecido é quase nulo e é bastante resistente.
    Amianto
    O amianto é uma fibra mineral extraída de algumas rochas. Ele foi utilizado na indústria pela sua abundância e baixo custo de exploração.
    A inalação do amianto é considerada extremamente nociva à saúde. Acredita-se que a fibra é responsáveis pelo aumento do risco de câncer de pulmão. Por isso a fabricação do amianto foi proibido.
    Ele era usado na proteção ao fogo (em roupas de segurança), caixas d’água, componentes de freios de automóveis, revestimentos de máquinas e alguns tipos de material plástico.
    26
  • 34. Fibra de Carbono
    As fibras de carbono são feitas de fibras acrílicas, celulósicas ou do breu. São leves e resistente ao mesmo tempo. Mesmo em alta temperatura sua resistência às modificações químicas e físicas são grandes.
    Suas aplicações são dos mais diversos materiais tais como: papéis, tecidos, telas e gases de grande propriedade corrosiva.
    Metal
    As fibras do metal estão disponíveis em fios de ouro, prata, platina, aluminio, cobre e algumas ligas de aço. Na industria é aproveitado suas propriedades para a fabricação de materiais com alta resistência mecânica.
    Os fios metálicos podem ser usados com outros tipos de fibras ou sozinho. São muito usados na decoração de fitas decorativas.
    27
  • 35. Vidro
    A fibra é composta da aglomeração de finíssimos filamentos de vidro com resina de poliéster. É um material muito resistente, possui grandes propriedades mecânicas. A sua principal característica é a leveza. Ela não enferruja e não oxida.
    Na elaboração de tecidos é otimo na fabricação de roupas contra fogo e para a tecelagem existem limitações por ser pouco flexiveis e de dificil tingimento.
    A fibra permite a produção de peças com grandes formatos e tamanhos, tais como placas para montagem de circuitos eletrônicos, caixas d'água, piscinas, pranchas de surf.
    Lanital
    A fibra é extraida de uma proteína existente no leite. Com baixa resistencia, é usado sempre em combinações com outras fibras.
    O lanital foi o primeiro sucesso de fibra de proteína de caseína de leite.
    É muito semelhantes à lã, é confortavel e suave, podem ser tingidos pelos mesmos processos, mas não sao tão forte e firme, nem tão elástica.
    28
  • 36. VISCOSE
    29
  • 37. Histórico
    É uma fibra artificial de celulose, fabricada a partir da madeira das árvores pouco resinosas ou do línter da semente do algodão.É formada uma pasta celulósica que por estrusão em fieiras e com o contato de outras soluções é feita a fibra.
    A fibra da viscose é semelhante ao algodão em absorção de umidade, resistência e caimento. Tem um toque suave e macio.
    A viscose pode ser utilizada pura ou em combinação com outras fibras, nas mais diferentes proporções e tipos de misturas. Atinge todos os segmentos do mercado têxtil: tecidos planos, malhas, cama, mesa, banho, bordados e linhas. Embora os tecidos de viscose sejam bastante requisitados, a produção destas fibras não tem grandes perspectivas de crescimento, em razão dos altos custos ambientais inerentes à sua produção.
    Características
    Regularidade: A finura e o comprimento são mais regulares que as fibras naturais;
    Brilho: Conforme o desejado;
    Tingibilidade: Pode ser usado grande parte dos corantes usados no algodão, menos o enxofre;
    Lavabilidade: Não é necessario lavagens muito longas;
    Elasticidade: É maior do que as fibras naturais, porém é inferior quando comparada ao algodão e seda;
    Resiliencia: É baixa por amarrotar facilmente, mas são faceis de se passar;
    È semelhante ao algodão, porém possui melhor toque, caimento, cor mais intensa e melhor textura. Com baixa resistência a luz ultra-violeta (amarela facilmente).E baixo custo de produção.
    30
  • 38. Fiação
    As fibras químicas, de modo geral, seguem o mesmo processo de produção, por extrusão, que consiste em pressionar a resina, em forma pastosa, através de furos finíssimos numa peça denominada fieira. Os filamentos que saem desses furos são imediatamente solidificados. Esse processo é denominado fiação.
    As fibras tomam sua forma final através de estiramento, realizado através de dois processos básicos; no primeiro, as fibras são estiradas durante o processo de solidificação; no segundo, o estiramento é feito após estarem solidificadas. Em ambos os casos o diâmetro da fibra é reduzido, e sua resistênciaà tração é aumentada.
    As fibras assim produzidas podem ser apresentadas em três formas distintas: monofilamento, multifilamento e fibra cortada. O monofilamento, como o próprio nome indica, é um único filamentocontínuo. O multifilamento é a união de pelo menos dois monofilamentos contínuos, unidos paralelamente por torção. A fibra cortada é resultado do seccionamento, em tamanhos determinados, de um grande feixe de filamentos contínuos.
    Tecelagem
    A tecelagem já foi citada anteriormente na pagina 18.
    31
  • 39. TECIDOS DE VISCOSE
    96% viscose  4 % elastano
    54%LINHO,43%VISCOSE
    95%viscose 5% spandex
    70%SEDA 30% Viscose
    96% Viscose 4% Elastano
    96% Viscose 4% Elastano
    32
  • 40. 2.2 FIBRAS Sintéticas
    33
  • 41. introdução
    O processo de produção das fibras sintéticas se inicia com a transformação da nafta petroquímica, um derivado do petróleo, em benzeno, eteno, p-xileno e propeno, insumos básicos para a produção destas fibras.
    As fibras sintéticas foram criadas para substituir as naturais. Por serem mais longas que estas, são mais fortes, tornando os processos produtivos mais rápidos e com menos desperdícios.
    34
  • 42. Acrílico
    O acrilico é uma fibra obtida por diferentes elementos extraído do carvão, petróleo e cálcio, pode ser misturada com qualquer outro tipo de fibra.
    É uma fibra "quente“ (com bom isolante térmico) e leve, muito resistente à ação dos raios solares e aos agentes químicos, não amassa e seca rapidamente. Conhecida como uma das melhores fibras substituta da lã.
    Polipropileno
    A fibra de polipropileno é um platico derivado da reação química do propeno.
    Para a indústria têxtil, o polipropileno não é uma fibra muito importante, suas características de resistência à umidade, leveza, resistência à abrasão e à ação de mofos e bactérias tornam-no ideal para a produção de sacarias, proporcionando excelente isolamento e proteção aos produtos acondicionados. Também é aplicado em forrações de interiores e exteriores, na fabricação de feltros e estofamentos.
    35
  • 43. Microfibra
    São filamentos extremamente finos provenientes de fibras de acrílico, poliamida ou poliéster. A fibra é muito leve, dez mil metros desses filamentos podem chegar a pesar 1g. A microfibra resulta em tecidos com toque macio, que não amassa, com bom caimento, alta resistência e isolante térmico.
    As aplicações dessa fibra é variada em malharia, tecelagem, roupas intimas, peças esportivas e outros artigos como passamarias
    Elastano
    O elastano é obtido do etano. A DuPont inventou e registrou a fibra com a marca Lycra® . Sua função é conferir elasticidade aos tecidos o que permite peças que aderem ao corpo. A fibra é sempre combinada em pequenas quantidades, sendo naturais ou químicas. È resistente ao passar do tempo , ao sol e a água salgada.
    Quando esticada a fibra, tornando fios mais finos, é também usada para meias tranparentes femininas. As aplicações estão em roupas íntimas, meias, artigos de esportivos e roupas de praia.
    36
  • 44. Poliamida
    Conhecida tambem como náilon é extraida a partir de quatro elementos básicos: do petróleo, do benzeno, do ar e da água (carbono, nitrogênio, oxigênio e hidrogênio).
    Considerada a mais nobre das fibras sintéticas, foi a primeira a ser produzida industrialmente. Apresenta grande resistência mecânica que o torna adequado à fabricação de dispositivos de segurança, páraquedas, cintos e airbags de segurança e cordas para alpinismo.
    Com baixa absorçãode umidade, o que possibilita texturização e a boa aceitação de acabamentos têxteis. A principal utilização do náilon na área têxtil ocorre na fabricação de tecidos de malha apropriados para a confecção de meias, roupas de banho, moda íntima e artigos esportivos.
    37
  • 45. POLIÈSTER
    38
  • 46. Histórico
    O políester é tambem conhecido como tergal. É a fibra sintética mais usada no setor têxtil, ocupando 50% da demanda de fibras químicas. Além disso é a fibra têxtil mais barata do mercado.
    A fibra de poliéster é bastante resistênte e elástica, pode ser utilizada pura ou em mistura com outras fibras. Possue alta elasticidade e tem reduzido poder de absorver umidade.
    Suas principais ultilizações são em entretelas, enchimento de agasalhos e edredons (isolante térmico) e filtros.
    A ultilização dessa fibra tende a cada vez mais crescer graças os avanços tecnólogicos que têm permitido que ela se torne cada vez mais parecida com o algodão.
    Características
    Brilho e aparência: Com aspecto vítreo e muito brilhante.
    Elasticidade: Ótima, contudo inferior às fibras de poliamida.
    Lavabilidade e solidez à fervura: Ótima lavagem e resistentes à fervura. As temperaturas durante a lavagem não devem exceder a 60ºC, pois a movimentação da lavagem pode causar amassamento.
    Comportamento térmico: É resistência ao calor seco.
    Comportamento contra insetos nocivos: Não são atacados por insetos nocivos e resistem bem ao apodrecimento.
    Solidez à luz: Alta resistência à luz.
    39
  • 47. Fiação
    A fiação já foi citata anteriormente na pagina 31.
    Tecelagem
    A tecelagem já foi citada anteriormente na pagina 18.
    40
  • 48. Tecidos de Políester
    65% Políester 35% algodão
    65% Políester 35% algodão
    100% Políester
    100% Políester
    100% Políester
    100% Políester
    41