Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Geografia 2º Ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Geografia 2º Ano

  • 650 views
Published

O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Geografia 2º Ano

O espaço Geografico Rural e a Prorpiedade da Terra - Aulas 1, 2, 3, 4, e 5 Geografia 2º Ano

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
650
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
12
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Aula de Geografia Aula 1, 2, 3, 4 e 5 O espaço geográfico e a propriedade da terra.
  • 2. O Espaço Geográfico Rural
  • 3. O que é o espaço Geográfico Rural A maior parte dos espaços geográficos rurais podem dar a impressão de que são espaços naturais Mas o trabalho humano, introduziu modificações : Matas e florestas foram substituídas por plantações e pastagens. Estradas, casas etc. No espaço Geográfico Rural, encontramos as três primeiras atividade econômicas da humanidade: a coleta vegetal e a caça (hoje extrativismo vegetal e animal), a agricultura ( que nasceu de um aprimoramento da coleta vegetal) e a pecuária ( aprimoramento da caça).
  • 4. A ação Humana sobre o espaço Geográfico Chamamos de Espaço Natural um trecho da superfície terrestre que não sofreu nenhuma ação humana. Quando há ação antrópica, chamamos de Espaço Geográficos O espaço Geográfico é caracterizado por dois aspectos: -A velocidade das transformações é muito rápida. - Organização de espaço, cada espaço é ocupado com funções específicas. Podemos dizer que essas duas classificações de espaços são dinâmicas ?
  • 5. Nas duas classificações podemos observar um certo dinamismo nas suas transformações. Os espaços não é estático.
  • 6. A Revolução Agrícola e o espaço Geográfico Inicialmente, a transformação do espaço natural pela ação humana foi baseado em uma economia predatória. Isso significa que os primeiros agrupamentos humanos viviam da coleta de frutos, raízes, da pesca e da caça, nada era produzido tudo se retirava da natureza. O nomadismo foi o modo de vida, marcado pelo constante deslocamento pelo espaço geográfico. Ele foi responsável pela expansão da população humana por quase toda superfície terrestre. O Sedentarismo foi um processo onde as populações humanas começaram a se fixar em pequenas aldeias, onde teve início o controle das plantas e a domesticação dos animais.
  • 7. A Dependência Humana da Natureza De forma muito geral, o espaço rural é o lugar onde mais notamos nossa dependência da natureza. Por quê isso acontece? Dela retiramos todos os elementos essenciais para a sobrevivência, como a água, os alimentos e a energia, matérias-primas para vários produtos, etc.
  • 8. Com o crescimento da sociedade de consumo, o ritmo das atividades econômicas tornou-se muito mais intenso, o que fez ampliar de maneira considerável a interferência do ser humano sobre a natureza provocando grandes alterações no meio natural.
  • 9. Conversa: É possível que haja interferência humana na natureza, sem causar impactos? Podemos dizer que na natureza existem recursos renováveis e recursos não renováveis?
  • 10. Evolução da Relação Homem-Natureza Podemos dizer que a natureza influência e/ou determina as atividade humanas? O espaço natural tem seus recursos distribuídos de forma irregular, o que pode influenciar a organização socioeconômica humana. Ex: é quase impossível encontrar uma sociedade de pescadores numa região montanhosa.
  • 11. RELEVO: Relevo s Fator natural que pode facilitar ou dificultar a produção agrícola. • Nos terrenos pouco acidentados, o plantio, o uso da água e o emprego de máquinas na lavoura são mais facilitados. Nos terrenos mais acidentados são necessárias técnicas de plantio em curvas de nível para diminuir o processo erosivo.
  • 12. Técnica de plantação em curva de nível para controlar a erosão.
  • 13. Dessa forma à medida que a humanidade desenvolve e usa tecnologias mais sofisticas, essa influência da natureza sobre ela diminui.
  • 14. A imposição da natureza
  • 15. A produção de alimentos Há mais de 350 mil espécies vegetais conhecidas. Dessa imensa variedade, pouco mais de 300 são cultivadas em escala comercial. Destacando-se estes produtos.
  • 16. 0 Esvaziamento do Espaço Geográfico Rural Nas últimas décadas, em praticamente todo o mundo, o número de pessoas que vive no campo vem diminuindo. O Campo está se esvaziando, por meio de grandes migrações denominadas êxodo rural. Mas por quê isso está acontecendo?
  • 17. Os espaços rurais estão se esvaziando, porém não de forma homogênia em todas as partes do mundo. A maior diferença que podemos notar de um espaço rural para outro é o grau de tecnologia empregado. O que determina a quantidade de pessoas que esse campo pode absorver e também sua capacidade de produção.
  • 18. Em regra, nos países mais desenvolvidos há maior urbanização, e o campo é mais vazio, ao passo que nos países mais pobres as estruturas agrícolas mais tradicionais ainda predominam.
  • 19. O termo APROPRIAÇÃO : É o ato no qual o sujeito obtém posse de algo que não lhe pertencia, tornando-o próprio. Este processo de apropriação teve ampla utilização com a expansão colonial européia, que se apropriou das terras da América e em grande parte da Ásia, África e Oceania.
  • 20. A Revolução industrial A Revolução industrial foi um conjunto de mudanças que aconteceram na Europa nos séculos XVIII e XIX. A principal particularidade dessa revolução foi a substituição do trabalho artesanal pelo assalariado e com o uso das máquinas.
  • 21. A Primeira etapa da Revolução Industrial Entre 1760 a 1860, a Revolução Industrial ficou limitada, primeiramente, à Inglaterra. Houve o aparecimento de indústrias de tecidos de algodão, com o uso do tear mecânico. Nessa época o aprimoramento das máquinas a vapor contribuiu para a continuação da Revolução. A Segunda Etapa da Revolução Industrial A segunda etapa ocorreu no período de 1860 a 1900, ao contrário da primeira fase, países como Alemanha, França, Rússia e Itália também se industrializaram. O emprego do aço, a utilização da energia elétrica e dos combustíveis derivados do petróleo, a invenção do motor a explosão, da locomotiva a vapor e o desenvolvimento de produtos químicos foram as principais inovações desse período.
  • 22. A Terceira Etapa da Revolução Industrial Alguns historiadores têm considerado os avanços tecnológicos do século XX e XXI como a terceira etapa da Revolução Industrial. O computador, o fax, a engenharia genética, o celular seriam algumas das inovações dessa época.
  • 23. A questão Agrária O sistema de capitanias hereditárias, que consistia em se distribuir 14 vastas porções de terras do território brasileiro divididas em faixas de linhas imaginárias que partiam do litoral até a delimitação imposta pelo Tratado de Tordesilhas, que dividia em duas partes o Brasil, uma da coroa portuguesa e outra, da cora espanhola. Esse sistema regido por capitanias durou aproximadamente até meados 1821, pouco mais de um ano da declaração de independência. Em 1822, com a independência do Brasil, ocorre o contrário do que se esperava no sistema de distribuição de terras, pois, a partir daí, sem nenhuma lei específica que regulamentasse a distribuição fundiária, a organização de terras se dava pela "lei do mais forte". Não envolvia, ainda, trabalhadores rurais formais, pois esses eram escravos em sua grande maioria, a briga se dava entre os antigos proprietários, grandes fazendeiros e novos grileiros apoiados por bandos armados.
  • 24. Em 1850, o governo institui o que se conhece como o Primeiro Código de Terras do Brasil, onde se elabora a Lei de Terras, de 1850 no processo que o Império tenta consolidar a “nação brasileira”. Era necessária uma reestruturação no aspecto fundiário entre outras muitas reformulações. A terra passa a ser um importante e fundamental gerador de lucros para a economia do estado. Passa-se com a lei de 1850 a regulamentar-se o registro público de todas as terras e o governo passava a ter o controle total de terras devolutas, isto é, terras que apesar de terem proprietários, não produziam.
  • 25. Somente ao final da década de 1950, com o a industrialização e a maior urbanização do país (dividindo o foco da economia, antes apenas agrícola, agora com insumos industriais, e de bens e serviços), é que se começa a debater junto à sociedade a questão de terras no Brasil. Período esse em que já se firmava um contexto injusto, e o reparo das injustiças sociais seria uma tarefa difícil, em longo prazo, para se corrigir séculos de disparidade.
  • 26. A Reforma Agrária A reforma agrária tem por objetivo proporcionar a redistribuição das propriedades rurais, ou seja, efetuar a distribuição da terra para a realização de sua função social. Esse processo é realizado pelo Estado, que compra ou desapropria terras de grandes latifundiários (proprietários de grandes extensões de terra, cuja maior parte aproveitável não é utilizada) e distribui lotes de terras para famílias camponesas.
  • 27. Fim