Your SlideShare is downloading. ×
Inteligência de negócios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Inteligência de negócios

260
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
260
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. BUSINESSINTELLIGENCEPatricia Azzoni da Conceição – 12.211.375-6Felipe Yeger – 12.211.371-5Priscila Scarpa – 12.107.151-8César Siqueira – 12.104.183-4Evandro Deliberali – 12.204.057-9
  • 2. AGENDA Inteligência dos Negócios; Estratégia de TIC; Valor da Informação; Aprisionamento no Sistema; Data Mining; Futuro da Internet; Remix: RW vs. RO Culture; Cultura Digital; Web 3.0.
  • 3. INTELIGÊNCIA DOS NEGÓCIOS  Tomada de decisão mais rápida e exata  Conversão de dados em informação  Utilização de caminho mais racional na administração
  • 4. ESTRATÉGIA DE TIC Tecnologia da Informação e Comunicação  Recursos tecnológicos integrados entre si que por meio de hardwares, softwares e telecomunicações permitem a automação e comunicação dos processos de negócio, pesquisa, ensino e aprendizagem.  Tecnologias usadas para reunir, distribuir e compartilhar informações, como exemplo: sites da Web, equipamentos de informática (hardware e software), telefonia, quiosques de informação e balcões de serviços automatizados.  Sistemas de informação - permite que a comunicação flua sem barreiras.
  • 5. ESTRATÉGIA DE TICMeados da década de 80 – PORTER Duas maneiras para competir: - Baixos Custos - Diferenciação do Produto Visão de negócio baseada em recursos da empresa;Século XXI“Pessoas, organizações e grupos estão em contato de uma maneira nuncaantes vista. Estamos vivendo em uma sociedade em rede conectados porcomputadores e telefones. (CASTELLS, 1999)”Globalização + Competição + Mudanças rápidas  Necessidade de umaabordagem estratégica mais unificada, novos conceitos para o sucesso.
  • 6. MODELO DELTADELTA PROJECTArnoldo Hax e Dean Wilde Mostram como a desregulamentação, a globalização e aemergênciada infra-estrutura de internet mudaram as regraspara o sucesso. Identificam três posições estratégicas que ajudam a realinhar o seu negócio e torná-lo mais competitivo. Empresa Cliente Estratégia se desenvolve baseada em um conceito de estreito relacionamento  Complementadora Proposta: “Atrair, Satisfazer e Reter o cliente”
  • 7. MODELO DELTA Nova concepção estratégica complementar as antigas propostas por PORTER Necessidade de entendimento de toda cadeia de suprimentos e seus complementadores. Empresa Cliente Fornecedor Estratégia com foco na “amarração” e não competição Concorrente Complementador Tecnologia Cliente como centro da gestão do negócio e o conceito de Customer Bonding como força central.“The intimacy and connectivity of a networked economy offer opportunities to createcompetitive positions based upon the structure of the customer relationship itself,independent of the product. A business can establish an unbreakable link, deep knowledge,and close relationship that we refer to as customer bonding.” (Hax e Wilde,2001, p.8)
  • 8. MODELO DELTAO Triângulo: 3 diferentes opções estratégicas
  • 9. VALOR DA INFORMAÇÃO "A informação é considerada como o ingrediente básico do qual dependem os processos de decisão“ ? ? ? Informação é usada como estratégia das empresas ? ? ? Chave da produtividade e competitividade Passa a ser mais focada do que o capital, pois informação bem gerada e entendida leva a ele A gestão moderna exige que a tomada de decisão seja feita com o máximo de informação Atualização constante da informação se tornou fator crítico de sucesso A rapidez e facilidade de acesso e organização as informações dentro da organização são fatores auxiliares no caminho do sucesso  TI e SI
  • 10. VALOR DA INFORMAÇÃO Concepção da informação Fonte: http://wwwp.fc.unesp.br/~yonezawa/si-papel.pdf
  • 11. VALOR DA INFORMAÇÃO Estratégia Dado Conhecimento Inteligência Informação Representação Interpretação Reconhecimento Entendimento Tomada de decisão Dados:- Símbolos quantitativos,percepções documentadas- Coleta, processamento edistribuição Informação:- Significado ao dados TECNOLOGIA E- Análise dos dados - SISTEMAS DECusto x benefício, Efetividade INFORMAÇÃO Conhecimento:- Abstração interior- Resultado da análise das informações
  • 12. APRISIONAMENTO NO SISTEMA  Aprisionamento no Sistema (lock-in) é o processo de dependência ao qual as organizações são submetidas ao fazerem a opção de uso de uma determinada tecnologia.  A dependência decorre da dificuldade associada a troca dessa tecnologia por uma outra, em razão dos altos custos (switching costs) envolvidos Um dos aspectos distintivos do aprisionamento baseado na informação é que ele tende a ser muito durável: o equipamento se desgasta, reduzindo os custos de troca, mas os banco de dados persistem e crescem intensificando o aprisionamento ao longo do tempo;
  • 13. POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO Fonte: Hax e Wilde, 2001
  • 14. CICLO DE APRISIONAMENTO Seleção da Marca Aprisionamento Experimentação Entrincheiramento
  • 15. TIPOS DE APRISIONAMENTO E CUSTOS DE TROCA Tipo de Custos de TrocaAprisionamentoCompromissos Indenizações compensatórias ou liquidadasContratuaisCompra de bens Substituição de equipamento (tende a cair à medida que oduráveis bem durável envelheceTreinamento em Aprender sobre um novo sistema (tanto o custo diretomarca específica quanto a perda de produtividade tendem a aumentar com o tempoInformação e banco Conversão de dados para o novo formato (tende ade dados aumentar ao longo do tempo à medida que coleção de dados aumentaFornecedores Financiamento de novo fornecedor (pode aumentar se forespecializados difícil encontrar/manter aptidõesCustos de busca Custos combinados do comprador e do fornecedor (incluem o aprendizado sobre a qualidade das alternativasProgramas de Quaisquer benefícios perdidos do fornecedor, mais alealdade possível necessidade de reconstruir o uso cumulativo Fonte: Caderno de pesquisas em Administração, São Paulo, v. 08, nº 1, Janeiro/Março 2001
  • 16. DATA MINING “Data mining (mineração de dados), é o processo de extração de conhecimento de grandes bases de dados, convencionais ou não Utiliza técnicas de inteligência artificial que procuram relações de similaridade ou discordância entre dados Seu objetivo é encontrar, automaticamente, padrões, anomalias e regras com o propósito de transformar dados, aparentemente ocultos, em informações úteis para a tomada de decisão e/ou avaliação de resultados. Fernando S. Goulart Júnior & Robson do Nascimento Fidalgo (1998)
  • 17. ÁRVORES DE DECISÃORepresentações simples do conhecimentoUtilização de regras condicionaisA partir de um conjunto de valores decide SIM ou NÃOMais rápida e mais compreensível que redes neuraisExemplo: Sair ou não de acordo com o tempo Tempo Predicado objetivo: Sair ou Não Sair Nublado Ensolarado Chuvoso Umidade Sair Muito vento Alta Normal Sim Não Ñ Sair Sair Ñ Sair Sair
  • 18. REGRESSÃOAnálise de regressão é uma metodologia estatística que utiliza a relação entre duas oumais variáveis quantitativas (ou qualitativas) de tal forma que uma variável pode serpredita a partir da outra ou outras. Exemplos:  A população de bactérias pode ser predita a partir da relação entre população e o tempo de armazenamento.  Concentrações de soluções de proteína de arroz integral e absorbâncias médias corrigidas.  Relação entre textura e aparência.  Temperatura usada num processo de desodorização de um produto e cor do produto final.  A porcentagem de acerto ou, então, bytes transferidos, podem estar relacionados com o tamanho da cache (bytes), para um determinado tipo de pré-carregamento.
  • 19. EVOLUÇÃO ATÉ O DATA MINING Evolução Perguntas Tecnologia disponível CaracterísticasColeção de “Qual foi meu Computadores, Fitas, Retrospectiva, dados rendimento total nos discos Dados estáticos 1960 últimos cinco anos ?” como respostaAcessos aos “Qual foi meu RDBMS, Restropectiva, dados rendimento no Brasil no SQL, dados dinâmicos a 1980 último janeiro ?” ODBC nível de registos como resposta Data “Qual foi meu Processamento analítico Retrospectiva,warehousing rendimento no Brasil no on-line, banco de dados dados dinâmicos& suporte a último janeiro? Do sul multidimencionais, data em múltiplos níveis decisão até o nordeste warehousing como resposta 1990Data Mining “Porque alguns produtos Algoritmos avançados, Prospectivo,Atualmente são mais vendidos na computadores Informações região sul ?” multiprocessados, B.D. (perspectivas) grandes e poderosos como resposta. Fonte: DATA MINING - Robert Groth
  • 20. TRANSFORMAÇÃO DOS DADOSO processo de implementação de data mining (ou especificamente, a fase detransformação dos dados em ações no ciclo virtuoso), pode ser caracterizadopelo seguinte gráfico: Processo KDD (Fayyad, Piatesky-Shapiro, & Smith)
  • 21. APLICAÇÃO DE DATA MINING Otimização de estratégias de marketingPrevisão de Vendas• Definir a quantidade a ser comprada/enviada de cada produto• Definir quando o produto deve ser comprado/enviadoEnvio de mala direta: As campanhas de mala direta são caras, sendo importante a limitação da gama de todos os consumidores em subconjuntos de consumidores potenciais. Isso têm sido otimizado com o uso de árvores de decisãoSegmentação de mercado: Identificar esses padrões significa identificar as diferentes necessidades e requisitos de serviço ao cliente para os diferentes tipos de clientes e regiões.
  • 22. CASE – LAYOUT DE PRODUTOSUm exemplo clássico de Data Mining foi desenvolvido pela Wal-Mart. Aempresa descobriu que o perfil do consumidor de cervejas era semelhanteao de fraldas. Eram homens casados, entre 25 e 30 anos, que compravamfraldas e/ou cervejas às sextas-feiras à tarde no caminho do trabalho paraa casa.
  • 23. THE FUTURE OF THE INTERNET
  • 24. O FUTURO DA INTERNET2007, Steve Jobs Apresenta o 1º. I phone.
  • 25. BATTLE OF THE BOXES Em 1960, computadores eram propriedades dos fabricantes e só podiam rodar softwares desenvolvidos por eles. 1969, IBM passa a vender seus computadores aparte de seus softwares. Começo do desenvolvimento de softwares por terceiros e pelos usuários. Criação do PC (personal computer)
  • 26. BATTLE OF THE BOXES “A essência e a genialidade de separar a criação de um software da construção de um hardware é que a dissociação permite que um computador pode ser adquirido para uma finalidade e, em seguida, utilizado para executar tarefas novas e diferentes sem a necessidade de leva-lo para um tecnico.” 1980 – crescimento da variedade de coisas que um computador poderia fazer. Aumento da demanda. Havia a necessidade de comunicação entre os computadores.
  • 27. BATTLE OF NETWORKS A rede – quanto custa para usar, como é medido seus custos, como os usuários se conectam uns aos outros? 1990, existência de varias redes, mas que não se interconectavam; A internet só existia em grandes empresas. Não existia ainda transferência de dados.
  • 28. BATTLE OF NETWORKS Surgem redes como a CompuServe e AOL que oferecem diferentes serviços. Necessário uso de ID para conectar rede. Inicio disputas de uso e políticas da rede.
  • 29. THE GENERATIVE PATTERN
  • 30. THE GENERATIVE PATTERN
  • 31. O FUTURO DA INTERNET O futuro é incerto; Migração da internet para telefone celulares (mobilidade); Cloud Computing: processamento, armazenamento e softwares em algum lugar da rede, acessando remotamente via internet. Exemplos: Youtube, Google Docs, etc.
  • 32. CLOUD COMPUTING
  • 33. REMIX: RO X RW RO RW Modelos Tradicionais x Modelos Gerados pela InternetRead-Only: aqui o conteúdo foi consumido mas o consumidor não écriador a cultura limita a capacidade do consumidor a não ser outra coisase não “um consumidor”. Nesse modelo, o consumidor é limitado pela cultura, o consumidornão poderia usar esse modelo para recriar, inventar, modificar, melhorar. Ex: Um arquivo é lido, somente entendido, não podendo alterá-loRead-Write: É uma cultura onde as pessoas participam na criação e re-criação do conteúdo. Já na cultura Read-Write, o conteúdo pode ser alterado, recriado,melhorado. Assim a cultura pode ser expandida. Ex: Quando se tem um arquivo, documento RW, é possível ler oarquivo e reescrever, ou seja, adquirir o conteúdo e se possível melhorá-lo,explorá-lo de alguma outra forma.
  • 34. DIFERENÇAS DE PREÇO E “VALORES” RO x RW Profissionalismo;  É oferecido como um rascunho; Enfatiza do Aprendizado;  Enfatiza a aprendizagem por falar; Preserva sua integridade;  Ensina a integridade; Enfatiza Hierarquia.  Esconde a Hierarquia. Na graduação os alunos têm uma educação essencialmente RO, as palestras ministradas pelos professores são assistidas, sem interação . Já no Ensino Jurídico os alunos participam da palestra, eles constroem a palestra, caracterizando uma educação RW.
  • 35. DIFERENÇAS DE VALOR(COMO EM US $) “Viewed up close, copyright bears little resemblance to the kinds of property that conservatives value. Instead, it looks like a constantly expanding government program run for the benefit of a noisy, well- organized interest group— like Superfund, say, or dairy subsidies, except that the benefits go not to endangered homeowners or hard- working farmers but to the likes of Barbra Streisand and Eminem. . . . Copyright is a trial lawyer’s dream—a regulatory program enforced by private lawsuits where the plaintiffs have all the advantages, from injury- free damages awards to liability doctrines that extract damages from anyone who was in the neighborhood when an infringement occurred.” Stewart Baker, “Exclusionary Rules,” Wall Street Journal, March 26, 2004.
  • 36. DIFERENÇAS DE VALOR(COMO EM "IS IT ANY GOOD?") Em Junho de 2007, Andrew Keen, lançou o livro "The Cult of the Amateur” ; Ataque contra o nascimento da cultura RW; O foco de seu ataque era que: “amateur culture” is killing “our culture.” Não há comparações entre 10 minutos produzido por JJ Abrams e 10 minutos de qualquer das coisas que passa para a produção de vídeo no YouTube. Remix é apenas "porcaria." Esta crítica é certamente verdade. A grande maioria dos remix, como a grande maioria dos filmes caseiros, ou fotografias do consumidor, ou cantando no chuveiro, ou blogs, é só porcaria.
  • 37. DIFERENÇAS EM DIREITO(COMO EM "ISSO É PERMITIDO?") A lei de direitos autorais atual suporta as práticas da cultura RO e se opõe à práticas da cultura RW; A lei não concede aos usuários da cultura RO a permissão para fazer o que quisessem; Evolução da Cultura RO no Mundo Digital; Anos 60 Anos 70 Tecnologia Tecnologia para para copiar gravar programas textos de televisão Ambas empresas possibilitaram que conteúdos fossem copiados sem a permissão do proprietário
  • 38. LESSONS ABOUT CULTURE Cultura RO é importante e valioso; Cultura RW também é importante e valioso e irá florescer na Era Digital; Depende em parte da lei para que a Cultura RW floresça; Atitude atual da lei é destrutiva e auto-destrutivo - para valores muito mais importantes do que os lucros das indústrias culturais.
  • 39. VIDEO – LAWRENCE LESSIG Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=JXwB9FlkNXA
  • 40. CULTURA DIGITAL Impacto das tecnologias digitais Impacto da conexão em redeNA SOCIEDADE Fonte: http://alinerodrigues.webnode.com.br/news/cultura-digital/
  • 41. CULTURA DIGITAL Barateamento do computador pessoal Barateamento do telefone celular ACESSO AOCONHECIMENTO Fonte: http://cachorroluco.blogspot.com/2011/09/o-acesso-ao-conhecimento.html
  • 42. WEB 3.0
  • 43. CARACTERÍSTICAS Personalização Web semântica Segundo Amit Agarwal Fonte: http://ljandrade.wordpress.com/
  • 44. PERSONALIZAÇÃO Perfil único na internet Fonte: http://www.communityengine.com/understanding-web-3-0-aka-the-semantic-web/
  • 45. WEB SEMÂNTICA Atualmente – pesquisas por palavras chaves Web semântica – interpretação do contexto“A Web 3.0 é o lugar onde ocomputador está gerando asinformações, ao invés dos sereshumanos.” Por Conrad Wolfram
  • 46. COMO SERÁ POSSÍVEL? AGENTES CÓDIGOS WEB DE ONTOLOGIAS METADADOS PÁGINAS SEMÂNTICA SOFTWARE WEB Fonte: GrupoFuncionamento segundo Tim Berners Lee
  • 47. ADTS MONITY Fonte: http://www.adts.com.br/Fonte: http://www.juniper.net/us/en/ Fonte: http://www.monity.com.br/solucao.html
  • 48. WEB 3.0 - VÍDEO Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=V5kabPVohGY
  • 49. BIBLIOGRAFIA http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u554576.shtml http://computer.howstuffworks.com/web-30.htm http://www.adts.com.br/ http://www.juniper.net/us/en/ http://www.monity.com.br/ http://culturadigital.br/o-programa/conceito-de-cultura-digital/ http://www.brasil.gov.br/sobre/cultura/cultura-brasileira/cultura-digital http://www.casadaculturadigital.com.br/ http://www.youtube.com http://www.jistem.fea.usp.br/index.php/jistem/article/download/8/6 http://wwwp.fc.unesp.br/~yonezawa/si-papel.pdf HAX, A.C; WILDE II, L. The delta project: discovering new sources of profitability in a Networked Economy. Palgrave, New York, 2001. The Future of the Internet and How to Stop It. Published March 30, 2008 Authored by Jonathan Zittrain LESSIG, Lawrence. Remix, making art and Commerce Thrive in the hybrid Economy. The PenguinPress, 2008.