• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Desenvolvimento Sustentável - Uma revisão crítica
 

Desenvolvimento Sustentável - Uma revisão crítica

on

  • 1,632 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,632
Views on SlideShare
1,500
Embed Views
132

Actions

Likes
0
Downloads
14
Comments
0

2 Embeds 132

http://felipeperez.net 131
http://www.google.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Desenvolvimento Sustentável - Uma revisão crítica Desenvolvimento Sustentável - Uma revisão crítica Presentation Transcript

    • O do artigo éesclarecer a e identificar algumas no
    • Inicia examinandode DS e traça, uma com seus e .
    • ecologicamentesustentável desenvolvimento ambientalmente saudável
    • Mudança sustentável desenvolvimento bem-sucedido
    • (ver Arndt, 1981; Bartelmus, 1986, para concepções semânticas e históricas do desenvolvimento econômico)
    • manterindefinidamente...
    • (vamos tentar de novo...)
    • (vamos tentar de novo...)
    • Leis e padrões biofísicos quedeterminam as respostas àsações do homem em relação ao ambiente
    • A capacidade de manter desejados valores sociais, tradições, instituições culturas, ou outras características sociais. (BARBER, 1987) A maior contribuição do debate ambientalismo-desenvolvimento é a conjunção entre as condiçõesecológicas e as condições sociais que inflienciam asustentabilidade ecológica ou a insustentabilidade da interação homem-natureza.
    • Uma forma de mudança social que, além dos objetivostradicionais, tem o objetivo ou a restrição da sustentabilidade ecológica.
    • Pode-se flexibilizar a taxa de sustentabilidade em relação àconsecução de outros objetivos.Em outros casos a sustentabilidade e os objetivos tradicionais (p.ex. Satisfação de necessidades básicas) podem se reforçar mutuamente.
    • satisfação das necessidades essenciais mudança de qualidade docrescimento renovável; por emprego, comida, crescimento; energia, água e saneamento básico; garantia de um nível reorientação da conservação e proteção sustentável de tecnologia e da base de recursos; população; gerenciamento do risco; reorientação das relações econômicas internacionais.
    • satisfação das necessidades atuais e dos requisitos de sustentabilidade
    • PARTICIPAÇÃODESENVOLVIMENTO SUSTENTABILIDADE Crescimento A discussão deve 1º) Usar econômico: responder a três “participação” e 1) Não se opõe à questões: “descentralização” sustentabilidade. 1) O que deve ser como equivalentes faz Governos não sustentado? parecer que estes precisam limitar o termos substituem 2) Para quem? equidade e justiça crescimento se estabilizar o consumo 3) Por quanto tempo? social; de recursos. 2º) A maneira como a 2) Se a pobreza está participação é ligada à degradação, o entendida mostra crescimento é uma mentalidade necessário para a estreia. A literatura sustentabilidade. Mas chega a afirmar que o há que modificar a envolvimento de “qualidade do ONGs locais no no crescimento”. processo garantirá o sucesso (chamam de “ONGzação”);
    • Câmbio favorável a países ricos, desfavorável àsdívidas dos países pobres. Padrão colonial. Ignora-se a necessidade de garantir condições equitativas.Livre comércio como crucial ao DS. Protecionismocomo impedimento ao DS. Não considera que osganhos do livre comércio são distribuídos de formadesigual. A afirmação de que o crescimentoeconômico é benéfico é questionável.
    • Especialização e redução da diversidade têmreduzido safras e gerado a extinção de espécies.A crença de que os fatores de produção sãomóveis ignora que os “serviços ambientais” quedão à terra o seu valor não podem mudar de umproduto para o outro.
    • A maioria dos experts em DS interpretasustentabilidade na agricultura como aumento daprodução agrícola!Agricultura gerar retorno para agricultor, trabalhador esatisfazer as necessidades da população de formaecologicamente correta não é questão só deinterações ecológicas, mas de questões nãocompreendidas.
    • Contradição – WCEDO aumento da produção na Revolução Verde sedeu às custas do aumento no consumo defertilizantes químicos, reduzindo os ganhosmarginais e aumentando a salinização do solo.Conclusão: “muitos países devem aumentar aprodução com maior uso de fertilizantes químicose pesticidas" (WCED, 1987, p. 135).
    • WRI + Banco Mundial + PNUD propõem plano deação para florestas. Falho porque:Considera que a pobreza, a superpopulação e a ignorância sãoas principais causa da destruição das florestas;Ignora o fato de milhões de camponeses foram incentivadospelo governo a invadir as florestas;As florestas mais bem conservadas são habitadas por povostribais, muito pobres, em relação aos padrões industrializados;Culpar os pobres legitima a ideia de crescimento econômico.
    • DS sofre com o dilema entre a vontadede tomar uma posição forte e anecessidade de ganhar ampla aceitação;Ambientalistas e desenvolvimentistasdevem se unir para enfrentar osproblemas
    • Rejeitar as tentativas (e tentações) para se concentrar nocrescimento econômico como forma de diminuir a pobreza ouproporcionar sustentabilidade ambiental;Reconhecer as inconsistências internas e inadequações nateoria e na prática da economia neoclássica: particularmenteem questões ambientais e de distribuição: afastar-se demisteriosos modelos matemáticos para analisar questõesempíricas, como a substituição de recursos por capital.
    • Aceitar a existência de causas estruturais, tecnológicas e culturais dapobreza e da degradação ambiental: analisar as interações entre estascausas e explorar soluções políticas, institucionais e educacionais;Compreender as múltiplas dimensões da sustentabilidade, natentativa de desenvolver medidas, critérios e princípios para eles;Explorar padrões de e níveis de demanda compatíveis com asdiferentes formas ou níveis de sustentabilidade ecológica e social ecom diferentes noções de equidade e justiça social.