Aula 1

7,039 views
6,735 views

Published on

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
7,039
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
82
Actions
Shares
0
Downloads
297
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 1

  1. 1. FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Profª Andrea Ramos Administradora de Empresas Pós graduada em Gestão de Pessoas
  2. 2. Origem da palavra AdministraçãoDe origem latim (ad, direção para, tendência e minister, comparativo deinferioridade; o sufixo ter, subordinação ou obediência, isto é, aquele querealiza uma função abaixo do comando de outrem, aquele que presta umserviço a outro) e significa subordinação e serviço.A tarefa da administração consiste em interpretar os objetivos propostospela organização e traduzi-los em ação empresarial por meio doplanejamento, organização, direção e controle de todos os esforçosrealizados em todas as áreas e em todos os níveis da empresa a fim deatingir tais objetivos da melhor forma possível.
  3. 3. CONCEITOS DE ADMINISTRAÇÃOÉ o processo de alcançar objetivos pelo trabalhocom e por intermédio de pessoas e outros recursosorganizacionais;É o processo de planejar, organizar, liderar econtrolar o trabalho dos membros da organizaçãoe utilizar todos os recursos organizacionaisdisponíveis para alcançar objetivos organizacionaisdefinidos;
  4. 4. CONCEITOS DE ADMINISTRAÇÃOÉ o processo de planejar, organizar, liderar econtrolar o uso de recursos para alcançar osobjetivos e desempenho;É o alcance de objetivos organizacionais demaneira eficaz e eficiente graças ao planejamento,a organização, a liderança e ao controle dosrecursos organizacionais.
  5. 5. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO
  6. 6. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO
  7. 7. HISTÓRIA DA TGASurgiu no século passado e possui ênfase emdiversas fases que realçam aspectos importantesdentro da administração. Ênfase nas tarefas, Escola da Administraçãocientífica; Ênfase nas estruturas organizacionais, TeoriaClássica de Fayol, Teoria da Burocracia de Weber eTeoria Estruturalista.
  8. 8. HISTÓRIA DA ADMINISTRAÇÃOÊnfase nas pessoas, Escola da RelaçõesHumanas; Ênfase na tecnologia, Sistema Gerencial,Sistema Técnico e Sistema social; Ênfase no ambiente; Teoria da Contingência Ênfase nas competências e competitividade
  9. 9. ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICARecebeu este nome diante da tentativa de aplicaçãodos métodos da ciência aos problemas daadministração, a fim de alcançar a elevada eficiênciaindustrial.Métodos de observação e mensuraçãoInício no começo do século XX pelo engenheiroFrederick W Taylor (1856 – 1915)
  10. 10. ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Estudo de tempos e movimentos Produção em massa Homo economicus Princípios da produção em massa: padronização,racionalização de trabalho, ritmo.
  11. 11. CARACTERÍSTICAS DA ADM CIENTÍFICA Pragmatismo: prática e aplicação do trabalho Organização racional do trabalho Divisão do trabalho e especialização do operárioDesenho de cargos e tarefas Utilização dos princípios da administraçãoIncentivos salariais e prêmios de produção Padronização Abordagem perspectiva e normativa
  12. 12. ESTRUTURA ORGANIZACIONALSão três abordagem relacionada com a estruturaorganizacional TEORIA CLÁSSICA – Fayol TEORIA DA BUROCRACIA – Weber TEORIA ESTRUTURALISTA
  13. 13. TEORIA CLÁSSICAEnfatiza a estrutura organizacional e nasceu com HenriFayol (1841 – 1925);Defendia a visão anatômica da empresa em termos deorganização formal, isto é, síntese dos diferentes orgãosque compõe a estrutura organizacional, suas relações esuas funções dentro do todo.
  14. 14. Funções básicas da empresa1. Funções Técnicas2. Funções Comerciais3. Funções Financeiras4. Funções contábeis5. Funções Administrativas6. Funções de Segurança
  15. 15. FUNÇÕES NÍVEIS HIERÁRQUICOS
  16. 16. CARACTERÍSTICA DA TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Adoção dos princípios da administração comoreceituário para administrador; Ênfase nos processos administrativos de planejar,organizar, dirigir e controlar; Ênfase na organização formal da empresa; Definição das funções básicas da empresa
  17. 17. TEORIA DA BUROCRACIANasceu com Max Weber (1864 – 1920), sociólogoalemão considerado o fundador da Teoria daBurocracia
  18. 18. TEORIA DA BUROCRACIAO tipo ideal da burocracia apresenta sete dimensõesprincipais, segundo Weber:1.Formalização2. Divisão de trabalho3. Princípio da Hierarquia4.Impessoalidade5. Competência técnica6. Separação entre propriedade e administração7. Profissionalização do funcionário
  19. 19. Disfunções Burocráticas Despersonalização do relacionamento entre osparticipantes: os ocupantes de cargos se tratam como tal enão como pessoas; Internalização das diretrizes: as normas e os regulamentoselaborados para atingir os objetivos passam a ser absolutose adquirem valor próprio; Uso da categoria como técnica do processo decisório: atomada de decisão passa a ser prerrogativa do funcionáriocuja hierarquia é mais elevada independente do seuconhecimento sobre o que está sendo decidido; Excesso de formalismo e papelório: tendência adocumentar e formalizar todos os processos ecomunicações;
  20. 20. Disfunções Burocráticas Exibição de sinais de autoridade: enfatizar forrtemente asua hierarquia;Superconformidade em relação às regras e aosregulamentos da organização: o funcionário passa a ter totaldevoção as regras e regulamentos; Propensão dos participantes a se defenderem depressões externas: o funcionário recebe a pressão externacomo ameaça à função que ocupa na organização e a suafunção; Resistência a mudanças: as mudanças representamameaças tanto a função quanto a estabilidade naorganização.
  21. 21. Características da Teoria da Burocracia Divisão de trabalho organizacional em hierarquias de autoridade; Formalização da comunicação através de papéis e documentos; Adoção de normas legais; Impessoalidade no relacionamento entre pessoas; Adoção de rotinas e procedimentos para substituir decisõesindividuais; Meritocracia e competência técnica; Profissionalização das pessoas; Separação entre gerência r propriedade
  22. 22. TEORIA ESTRUTURALISTADesenvolvida a partir dos estudos sobre as limitações erigidez do modelo burocrático.Abordagem múltipla e compreensiva na análise dasorganizações, focalizando-as como complexos deestruturas formais e informais.
  23. 23. Características da Teoria Estruturalista Adoção dos princípios da teoria clássica e da teoriadas relações humanas; Conceito de estrutura e fundamentação noestruturalismo; Aceitação da organização formal e informal; Adoção de tipologias para estudar os diferentes tiposde organizações; Foco na análise organizacional e na análiseinterorganizacional.
  24. 24. Escola das Relações HumanasA primeira escola com abordagem humanística.Teve como precursores Elton Mayo (1880 – 1949) e KurtLewin (1890 – 1947).
  25. 25. Escola das Relações HumanasDisposta a democratizar e humanizar a administraçãodas empresas e fortalecer e reforçar seus pontos devista, a Escola das Relações Humanas negou ouomitiu todos os conceitos desenvolvidos pela TeoriaClássica, para substituir por outros conceitosdesenvolvidos a partir da Psicologia e SociologiaIndustrial, tais como organização informal, motivação,comunicação, liderança, incentivos sociais, dinâmicade grupo, etc. .
  26. 26. Da engenharia para PsicologiaPara a teoria clássica o administrado é voltado paraaspectos lógicos da organização;Cede lugar para abordagem humanística voltado paraaspectos psicológicos.Experiência de Hawthorne (1927 – 1932) mensurar osefeitos da iluminação sobre a produção.
  27. 27. Principais contribuições da Teoria das RelaçõesHumanas à TGA:Esforços pioneiros rumo a humanização dasempresas;Foco nas organizações informais;Foco nos grupos sociais, nas comunicações,motivação, liderança , abordagem participativa esobretudo na preocupação com a satisfação docolaborador.
  28. 28. Característica da Escola das Relações Humanas Ênfase na psicologia para o estudo das organizações; Substituição da abordagem clássica (ênfase nastarefas e na estrutura) pela abordagem humanística(ênfase nas pessoas); Adoção de conceitos humanísticos, como: gruposocial, dinâmica de grupo, motivação, comunicação,liderança etc. em substituição aos conceitos até entãoutilizados; Foco na organização informal e nos grupos sociais.
  29. 29. TEORIA COMPORTAMENTALSurgiu com o livro de Herbert A. Simon publicado em1947 ( O comportamento administrativo) no qual o autordesenvolve uma teoria das decisões.Conhecida como a segunda teoria humanística – ATeoria Comportamental ou Escola do ComportamentoOrganizacional
  30. 30. Maior atenção as decisões definindo seuscomportamentos diante de situações que se deparam;Focando nos aspectos comportamentais;Desenvolvimento Organizacional – (DO) – voltadopara estratégia de mudança organizacional planejadapor meio de modelos de diagnósticos, intervenções emudanças, que envolvem modificações estruturais ecomportamentais a fim de melhorar a eficiência eeficácia das empresas
  31. 31. Característica da Teoria Comportamental Ênfase no comportamento organizacional, isto é, nadinâmica e não na estrutura; Foco nos processos decisório; Ênfase em aspectos comportamentais comomotivação, liderança, comunicação, equipes; Adoção de técnicas comportamentais.
  32. 32. Ênfase na Tecnologia – Teoria ContingencialÉ a fase em que administrar significa lidar com atecnologia, para extrair dela a máxima eficiência possível.
  33. 33. Tipos de Sistemas – sistema sociotécnico
  34. 34. A teoria contingencialPreocupação com a tecnologia e com o ambientedefinindo uma abordagem mais ampla a respeito dodesenho organizacional – meio mais recente de visualizaro formato e estrutura organizacional e seu funcionamento.Não existe uma única “melhor maneira” (the best way) deorganizar a empresa
  35. 35. Ênfase no AmbienteÉ a fase em que administrar significa, sobretudo, lidarcom as demandas do ambiente e obter o máximo deeficácia da empresa.Surgiu com o aparecimento da Teoria da ContingênciaNecessidade de estudar as variáveis externas,situadas fora dos limites da empresa e responsáveispor influenciar profundamente seus aspectosestruturais e comportamentais.
  36. 36. Variáveis de uma organizaçãoCompõem os ambientes internos e externos a variáveis:Clientes;Consumidores;Fornecedores;Concorrentes;Políticas;Geográfica.
  37. 37. Características da Teoria da Contingência Ênfase no ambiente como o determinante dascaracterísticas organizacionais; Foco no ajustamento e na adaptabilidade daorganização ao seu entorno; Abordagem da adequação: a organização cmovariável dependente das variáveis ambientais; Crítica às organizações mecanicistas e tradicionais; Relativismo organizacional: não há nada rígido emadministração, tudo é contingencial.
  38. 38. Ênfase nas competências e na competitividadeAs empresas deixam de ser vistas como conjuntosintegrados de recursos para serem consideradasdetentoras de competências sempre atualizadas,articuladas e prontas para serem aplicadas emqualquer oportunidade, tão logo ela surja, antes que osconcorrentes o façam.
  39. 39. ÊNFASE TEORIAS ADMINISTRATIVAS PRINCIPAIS ENFOQUES Nas tarefas Administração Científica Racionalização do trabalho no nível operacional Na estrutura Teoria Clássica Organização formal Principios gerais da administração, funções do Na estrutura Teoria Neoclássica administrador Organização formal burocrática, racionalidade Na estrutura Teoria da Burocracia organizacional Mútipla abordagem: organização formale Na estrutura Teoria Estruturalista informal, análise intra-organizacional e interorganizacional Organização informal, motivação, liderança, Nas pessoas Teoria das Relações Humanas comunicações e dinâmica de grupo Estilo de administração, teoria das decisões, Teoria do comportamento Nas pessoas integração dos objetivos organizacionais e organizacional individuais Teoria do desenvolvimento Mudança organizacional planejada, abordagem Nas pessoas organizacional de sistema aberto No ambiente Teoria Estruturalista Análise intraorganizacional e ambiental No ambiente Teoria da Contingência Análise ambiental, abordagem do sistema aberto Na tecnologia Teoria da Contingência Administração da tecnologia Novas abordagens na Caos e complexidade, aprendizagemNa competitividade Administração organizacional, capital intelectual.

×