Apresentação 5ª horti serra gaúcha 23-05-2013

117 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
117
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação 5ª horti serra gaúcha 23-05-2013

  1. 1. 5ª Horti Serra Gaúcha
  2. 2. Mercado e Valor Agregado de Frutas
  3. 3. O IBRAF O Instituto Brasileiro de Frutas – IBRAF é uma organização privada sem fins lucrativos, fundada em 1989, por lideranças do setor frutícola. Missão Promover o desenvolvimento sustentável do setor através de ações efetivas para produtores de frutas, agroindústrias de processamento, fornecedores de produtos, fornecedores de serviços e consumidor final, ou seja, toda a cadeia frutícola.
  4. 4. Panorama do Mercado Internacional Produção Mundial de Frutas
  5. 5. Produção Mundial de Frutas
  6. 6. Produção Mundial de Frutas
  7. 7. Produção Brasileira de Frutas Panorama do Mercado Brasileiro
  8. 8. Produção Brasileira de Frutas O Brasil é um dos três maiores produtores de frutas, com uma produção que supera 44 milhões de toneladas.
  9. 9. Produção Brasileira de Frutas Importância Emprega 6 milhões de pessoas. Gera oportunidades de 2 a 5 postos de trabalho na cadeia produtiva por hectare cultivado Importância Sócio Econômica da Fruticultura Em constante evolução, a base agrícola abrange 2,2 milhões de hectares. Está fundamentado em pequenas e médias propriedades. A agricultura de necessita de recursos humanos qualificados e com conhecimento específico.
  10. 10. Produção Brasileira de Frutas O Brasil produz Frutas tropicais, subtropicais e temperadas, graças a sua extensão territorial, posição geográfica, solo e condições climáticas.
  11. 11. Produção Brasileira de Frutas Fonte: IBGE 2.050.000 2.100.000 2.150.000 2.200.000 2.250.000 2.300.000 2.350.000 2.400.000 - 5.000.000 10.000.000 15.000.000 20.000.000 25.000.000 30.000.000 35.000.000 40.000.000 45.000.000 50.000.000 Evolução da Produção de Frutas Produção (Ton) Área (ha) Ton ha
  12. 12. Fonte: IBGE Produção Brasileira de Frutas 44,9 milhões de toneladas 0 5.000.000 10.000.000 15.000.000 20.000.000 25.000.000 Produção Brasileira de Frutas 2011 Volume (Toneladas)
  13. 13. Produção Brasileira de Frutas - Estados Fonte: IBGE 0 5.000.000 10.000.000 15.000.000 20.000.000 25.000.000 Toneladas
  14. 14. Participação dos Estados na Produção de Frutas em 2011 Fonte: IBGE; Elaborado por Markestrat/USP (Centro de Pesquisas e Projetos em Marketing e Estratégia). 44 mm de t (3ª. do Mundo) 2,2 mm de ha (1,5% da área agricultável) 43% 12% 6% 6% 4% 3% 3% 3% 3% 3% 2% 2% 2% 2% 1% 0,5% 1%1% 0,5% 0,4% 0,3% 0,3% 0,3% 0,1% 0,1% 0,1%
  15. 15. Produção Brasileira de Frutas Destino da Produção Brasileira de Frutas Produção Comercial das Frutas Agro comercialização Mercado de frutas frescas 53% Mercado Interno 51% Mercado Externo 2% Agro Comercialização Mercado de frutas processadas 47% Mercado Interno 21% Mercado Externo 26% Fonte: Elaboração Ibraf
  16. 16. Comercialização
  17. 17. Mercado Atual Comercialização a granel Embalagens Inadequadas Problemas Estruturais Produção Centrais de Abastecimento Varejos Comercialização
  18. 18. Colhe antes do ponto ideal por problemas de logística. Carga seca e/ou a granel. Descarga manual. Grandes distâncias. Para aproveitar picos de preço. Produtor Comercialização
  19. 19. Produtor Alguns produtores querem garantir um produto saboroso ao consumidor. Investimentos: Embalagens e paletização. Frio. Classificação. Marketing. Comercialização
  20. 20. Concorrência Desleal O produto imaturo prejudica toda a cadeia. Não há marcas no setor. O consumidor não reconhece. Comercialização
  21. 21. Embalagens Atuais Retornáveis ou reutilizáveis Transmissoras de doenças e pragas Não são paletizáveis Não permitem uma movimentação moderna Comercialização
  22. 22. Possuem grande potencial para a venda de frutas e hortaliças Compra de diversos itens em um mesmo local Conforto: estacionamento, ar condicionado Praticidade: funcionamento por longo período ou 24 horas Facilidade de pagamento: cartão de crédito, débito e benefícios Grandes Redes de Varejo Comercialização
  23. 23. As frutas, além de garantia de segurança do alimento, deve ter características qualitativas superiores Alto teor de açúcar Acidez adequada Coloração e aspecto geral Livre de problemas sérios pós-colheita “Garantia de Qualidade” Comercialização
  24. 24. A fruta pode ser de um calibre menor Menos colorida Mas jamais pode ser imatura, passada, com problemas de armazenagem ou qualquer outro que afaste o consumidor. Comercialização “Garantia de Qualidade”
  25. 25. Atacado no Nordeste Juazeiro (BA) Lucas de Sousa Dias Gutierrez
  26. 26. Atacado no Nordeste Juazeiro (BA) Lucas de Sousa Dias Gutierrez
  27. 27. Atacado no Nordeste Juazeiro (BA) Lucas de Sousa Dias Gutierrez Lucas de Sousa Dias Gutierrez
  28. 28. Manaus (AM) AlexandredeCastroSilva
  29. 29. Caminhão com Toritos
  30. 30. Volta do Torito
  31. 31. Adaptação do Torito á Paletização
  32. 32. Atacado Mineiro – CEASA MG AlexandredeCastroSilva
  33. 33. Atacado Mineiro – CEASA MG AlexandredeCastroSilva AlexandredeCastroSilva
  34. 34. Atacado Paulista – CEAGESP
  35. 35. Comercialização Supermercados
  36. 36. Comercialização Supermercados
  37. 37. Feira Livre Comercialização
  38. 38. Sacolões Comercialização
  39. 39. Sacolões Comercialização
  40. 40. Sacolões Comercialização
  41. 41. a granel Comercialização
  42. 42. As embalagens encontradas Comercialização
  43. 43. Comercialização As embalagens encontradas
  44. 44. Manuseio Mínimo Comercialização
  45. 45. Manuseio Mínimo Comercialização
  46. 46. Exportação Brasileira de Frutas
  47. 47. Exportação Brasileira Variação 2012/2011 Produtos Variação 2012/2011 2012 2011 % Valor % Volume (US$ FOB ) Volume (Kg) (US$ FOB ) Volume (Kg) Melões 4,49 7,19 134.114.090 181.767.594 128.353.767 169.575.730 Mangas -2,36 0,45 137.588.916 127.002.229 140.910.324 126.430.774 Bananas -12,09 -15,52 34.504.534 92.972.951 39.247.836 110.053.925 Limões -9,00 9,56 59.882.439 72.810.401 65.806.140 66.457.950 Maçãs 34,67 48,47 48.559.505 72.252.803 36.059.461 48.666.209 Uvas -10,23 -12,42 121.890.881 52.015.627 135.782.857 59.391.482 Melancias 22,36 14,53 16.979.924 33.543.998 13.877.107 29.287.478 Mamões -6,50 -9,34 36.358.922 26.130.743 38.887.743 28.822.524 Laranjas -46,55 -32,61 8.745.906 22.447.476 16.364.077 33.310.972 Abacates 10,35 30,94 6.841.371 4.273.039 6.199.802 3.263.236 Bananas-da-Terra -- -- 900.166 2.726.129 0 0 Figos 16,16 12,13 8.480.203 1.632.420 7.300.741 1.455.787 Tangerinas 67,19 47,28 1.419.470 1.357.040 849.005 921.432 Abacaxis -39,27 -39,40 851.439 1.356.500 1.401.952 2.238.300 Caquis -- -- 533.422 222.160 0 0 Outras Frutas Frescas -67,57 -69,50 576.478 205.237 1.777.444 672.898 Goiabas -8,19 -12,91 275.502 119.705 300.067 137.455 Cocos -85,18 -77,82 38.503 106.297 259.795 479.345 Outros Cítricos Frescos 39,36 51,12 160.290 40.139 115.017 26.561 Peras 12,92 38,54 19.992 22.344 17.704 16.128 Magostões -- -- 60.480 10.080 0 0 Framboesas e Amoras -57,74 -60,41 27.769 3.846 65.711 9.714 Airelas e Mirtilos -75,41 -72,99 8.303 927 33.764 3.432 Ameixas -17,16 -32,55 2.631 717 3.176 1.063 Morangos -- -- 13 1 0 0 Pomelos -- -- 0 0 22.983 44.415 Damascos -- -- 0 0 837 91 Cerejas -- -- 0 0 2.632 1.385 TOTAL -2,34 1,73 618.821.149 693.020.403 633.639.942 681.268.286 Fonte:Secex/ElaboraçãoIbraf
  48. 48. Fonte:Secex/Elaboração Ibraf Evolução das Exportações Brasileiras
  49. 49. Balança Comercial de Frutas Frescas 440 477 642 724 559 609 634 619 125 180 212 243 286 367 495 467 -200 -100 0 100 200 300 400 500 600 700 800 98 99 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 US$ Milhões Exportações Importações Saldo Fonte:Secex/Elaboração Ibraf
  50. 50. Destino das Exportações (% Volume) 2012 Fonte:Secex/Elaboração Ibraf
  51. 51. Perspectivas
  52. 52. Perspectivas “De acordo com dados do instituto de pesquisa Data Popular, a classe C é responsável por 78% do que é comprado em supermercados.”
  53. 53. Perspectivas O que compram? Estão comprando mais frutas? PODER DE COMPRA DA CLASSE C Ao final de 2012, a classe média deve ter comprado: 7,3 milhões de aparelhos de TV 15,8 milhões de celulares 4,9 milhões de fogões 4,6 milhões de geladeira s 4,8 milhões de sofás 4,3 milhões de máquinas de lavar 6,8 milhões de tablets 11,3 milhões de notebook s 4,2 milhões de viagens internacio nais 14,2 milhões de viagens nacionais Fonte: Pesquisa Percepções dos Brasileiros Data Popular 2012 – Brasil Urbano
  54. 54. Perspectivas O que fazer? Sistema Agroalimentar das FrutasInvestimento em pós colheita e logística Diversificar Agregar valor Agroindustrialização Otimizações dos custos Acesso dos pequenos à infraestrutura e crédito Cultivos orientados pelo mercado Promoção e Marketing Organização para comercialização Conquista de novos mercados e nichos Segurança alimentar através - Boas Práticas de Produção e - Gestão Incentivar o consumo de frutas no Brasil
  55. 55. Perspectivas Os consumidores, a distribuição e as instituições públicas cada vez mais preocupadas pela qualidade, segurança alimentar e ambiental das frutas e demais alimentos
  56. 56. Perspectivas Fatores de Indução Frutas Orgânicas Aumento do cultivo De melhores variedades Tendência de oferta de frutas com melhor Qualidade para o mercado Crescimento De consumo Interno de Frutas Possibilidade de aumento da produção Oportunidades: Potencial de Crescimentos Maior poder aquisitivo da população
  57. 57. Exigências dos Consumidores: menos tempo na cozinha dieta + saudável mais sabor nos alimentos mais refeições fora de casa frutas fáceis de consumir (frutas sem sementes, secas) bebidas prontas segurança dos alimentos Tendências
  58. 58. Menos tempo na cozinha
  59. 59. Mais Sabor
  60. 60. Mais Saúde
  61. 61. Prontos para beber
  62. 62. Mais refeições fora de casa
  63. 63. Agregação de Valor
  64. 64. Agregação de Valor
  65. 65. Agregação de Valor
  66. 66. Agregação de Valor
  67. 67. Agregação de Valor
  68. 68. Agregação de Valor
  69. 69. Promoção e Marketing
  70. 70. Como? o Feiras internacionais o Rodadas de negócios com compradores estrangeiros o Degustação em ponto de venda o Estudos de mercado o Missões comerciais o Workshops e seminários o Ações de comunicação e visibilidade da marca o Participação em grandes eventos como Carnaval, Fórmula Indy, Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014. o Inserções publicitárias o Veiculação de matérias na mídia internacional o Ações específicas: mamão, melão, limão, maçã, manga e uva, suco de uva, sucos e polpas e castanhas e nozes
  71. 71. Feiras internacionais
  72. 72. Rodadas de Negócios
  73. 73. Ações Específicas
  74. 74. Anúncios e matérias na mídia internacional
  75. 75. Como fazer parte? Qualquer empresa exportadora pode fazer parte do projeto e não há custo de adesão. Algumas ações, como as feiras internacionais, as empresas precisam investir uma contrapartida financeira.
  76. 76. CONTATO OBRIGADO Cloves Ribeiro Neto Instituto Brasileiro de Frutas Rua João Adolfo, 118 – Centro - São Paulo -SP Fone/Fax: 11 3223-8766 cloves@ibraf.org.br www.ibraf.org.br www.brazilianfruit.org.br

×