Cultivo de hortaliças em substrato
http://sdhydroponics.com/growing-media/grodan.html
É isso o que queremos?
1. Cultivo em estufa.
2. Prevenção de doenças por controle do
ambiente.
3. Controle de pragas por telas e fumigação.
4. Su...
Sumário
1. Bases teóricas da fertirrigação
2. Fertirrigação no solo
3. Níveis tecnológicos no cultivo em substrato
4. Impl...
Cultivo fora
do solo
Hidroponia (NFT): raízes crescendo
diretamente na solução nutritiva
Aeroponia: raízes crescendo em câ...
Cultivo fora
do solo
Hidroponia (NFT): raízes crescendo
diretamente na solução nutritiva
Cultivo fora
do solo
Aeroponia: raízes crescendo em câmara
úmida em névoa de solução nutritiva
Htpp:/ revistagloborural.gl...
Cultivo fora
do solo
Substrato: raízes crescendo em substrato
com fertirrigação, de forma semelhante ao
solo
Htpp:/ google...
1. Bases teóricas da fertirrigação
QUAL A RELAÇÃO DA FERTIRRIGAÇÃO COM O CULTIVO
EM SUBSTRATO?
1. A fertirrigação, embora tenha iniciado no deserto, alastrou...
O CULTIVO EM SUBSTRATOS ESTÁ ANCORADO NA
FERTIRRIGAÇÃO
A fertirrigação:
1. Foi concebida para cultivar na areia do deserto...
2. Fertirrigação no solo
A FERTIRRIGAÇÃO PODE SER EMPREGADA NO SOLO?
Pode, mas não deve de forma indiscriminada.
O solo fornece nutrientes naturalm...
A FERTIRRIGAÇÃO NO SOLO É UMA BOMBA DE EFEITO
RETARDADO
Ainda não temos tecnologia capaz de fornecer exatamente a
quantida...
QUANDO A FERTIRRIGAÇÃO NO SOLO PODE SER ÚTIL?
Em culturas de ciclo longo, para fornecer NITROGÊNIO
parceladamente, a fim d...
COMO FERTIRRIGAR NO SOLO SEM CAUSAR EXCESSO DE
NUTRIENTES?
1. Antes do plantio, monitorar a concentração de nutrientes pel...
FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO
SOLO
1. Antes do plantio, monitorar a concentração de nutrientes
pela análise do...
FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO
SOLO
Tabela 1 – Estimativa da reposição mensal de nutrientes pela cultura do mor...
FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO
SOLO
Tabela 2 – Estimativa da reposição mensal de nutrientes
considerando o mês ...
PORQUE A FERTIRRIGAÇÃO NO CULTIVO EM
SUBSTRATO NÃO CAUSA OS PROBLEMAS QUE CAUSA
NO SOLO?
Porque no cultivo em substratos, ...
3. Níveis tecnológicos no cultivo em substrato
Nível básico do cultivo em substrato: o vaso de flor
http://flores.culturamix.com/flores/naturais/flores-em-vasos
Nutrient...
Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação
descontínua
Exemplo: Tomateiro em substrato orgânico
Qual o intervalo e...
Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação
descontínua
1. Emprega volumes elevados de substratos orgânicos locais,...
Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação
descontínua
Exemplo: Quantidade de nutrientes para o morangueiro em
sub...
Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação
descontínua
Exemplo: Quantidade de nutrientes para o tomateiro em
subst...
Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação
descontínua
Uso de formulações solúveis prontas:
Cuidado
1. Essas formu...
Cultivo em substrato de alta tecnologia: fertirrigação contínua
Usa somente solução nutritiva completa e volume reduzido d...
Cultivo em substrato de alta tecnologia
Usa somente solução nutritiva completa
O que é mais importante no cultivo em subst...
Cultivo em substrato de alta tecnologia
A água é mais importante que os nutrientes no cultivo em
substrato
Em alface, a co...
Cultivo em substrato de alta tecnologia
Durante o dia, a disponibilidade de água é mais importante do
que os nutrientes
4....
Cultivo em substrato de alta tecnologia
Regra geral da fertirrigação em substrato:
Fertirrigar sempre que o volume transpi...
Calcular o volume de substrato a empregar por planta
1. Volume mínimo 2 dm3/planta. Máximo: 8-10dm3 por planta
2. O volume...
Cultivo em substrato de alta tecnologia
O desafio da desinfecção da solução nutritiva reciclada.
Principais métodos:
1. Ca...
Cultivo em substrato de alta tecnologia
No futuro próximo todos os sistemas serão fechados.
Quais são as dificuldades para...
Nível alto do cultivo em substrato: fertirrigação contínua
O desafio da desinfecção da solução nutritiva reciclada.
Por on...
4. Implantação e manejo das culturas:
tomateiro
Esquema fundamental do cultivo em substrato
Substrato
Camalhão de drenagem
Calha de coleta
da drenagem
Gotejador
Equação d...
http://www.schreurs.nl http://www.qrbiz.com
http://www.photos.com/ http://www.google.com
http://www.google.com
http://apandireviews.blogspot.com.br
http://www.istockphoto.com http://www.google.com
Implantação e manejo do tomateiro em substrato
2. Acondicionamento do substrato
Bags prontos:
Formato não é bom
Custo elev...
Implantação e manejo do tomateiro em substrato
2. Acondicionamento do substrato
Caixas de concreto:
Formato é bom
Custo el...
Implantação e manejo do tomateiro em substrato
3. Volume de substrato por planta: depende das características do
substrato...
Implantação e manejo do tomateiro em substrato
3. Frequência e volume de cada (ferti)irrigação: considerar a curva diária ...
Implantação e manejo do tomateiro em substrato
3. Condução da cultura: fazer a poda basal e talvez das folhas intermediári...
5. Implantação e manejo das culturas:
morangueiro
Implantação e manejo do morangueiro em substrato
1. Volume de substrato por planta: pelo menos 2 dm3, para que haja
espaço...
Produção de mudas de morangueiro em substrato
1. De raízes nuas: recomendação
em regiões frias?? Há
controvérias.
2. De po...
Figura – Produção de frutos e número de estolões emitidos por planta em
relação aos períodos de armazenamento refrigerado ...
Produção de mudas de morangueiro em substrato
1. Plantio das mudas matrizes micropropagadas em outubro.
Fotos: Miriane Dal...
Produção de mudas de morangueiro em substrato
2. Repicagem das pontas produzidas até o mês de dezembro
Fotos: Miriane Dal ...
Produção de mudas de morangueiro em substrato
2. Repicagem das pontas produzidas até o mês de dezembro
51
Produção de mudas de morangueiro em substrato
1. Repicagem das pontas produzidas pela planta mãe
52
Figure 1. Average numb...
Produção de mudas de morangueiro em substrato
1.1. Não se deve descartar as plantas matrizes após a produção
de mudas
1.2....
Produção de mudas de morangueiro em substrato
2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe
54
Produção de mudas de morangueiro em substrato
2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe
55
Produção de mudas de morangueiro em substrato
2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe
2.1. Aument...
Produção de mudas de morangueiro em bandejas
57
Produção de mudas de morangueiro
58
Combinação de métodos:
1. Plantio de mudas matrizes em substrato para
raízes nuas.
2. ...
AGRADECIMENTO
Aos alunos de graduação e
Pós-graduação em Agronomia
da UFSM que integraram o
grupo de pesquisa do
morango.
Outras formas de cultivar em substrato?
60
Cultivo em substrato no campo, sem estufas:
Flórida, USA.
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

4ª apresentação do 5º horti serra gaúcha 24 5-2013 dr. gerônimo

754
-1

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
754
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
105
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

4ª apresentação do 5º horti serra gaúcha 24 5-2013 dr. gerônimo

  1. 1. Cultivo de hortaliças em substrato http://sdhydroponics.com/growing-media/grodan.html É isso o que queremos?
  2. 2. 1. Cultivo em estufa. 2. Prevenção de doenças por controle do ambiente. 3. Controle de pragas por telas e fumigação. 4. Substrato, fertirrigação e reciclagem de solução nutritiva. 5. Produtividade de até 20 kg.m-2, ou 500 t.ha-1. 6. Produção limpa: sem resíduos químicos. Tomateiro na Europa
  3. 3. Sumário 1. Bases teóricas da fertirrigação 2. Fertirrigação no solo 3. Níveis tecnológicos no cultivo em substrato 4. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 5. Implantação e manejo do morangueiro em substrato
  4. 4. Cultivo fora do solo Hidroponia (NFT): raízes crescendo diretamente na solução nutritiva Aeroponia: raízes crescendo em câmara úmida em névoa de solução nutritiva Substrato: raízes crescendo em substrato com fertirrigação, de forma semelhante ao solo
  5. 5. Cultivo fora do solo Hidroponia (NFT): raízes crescendo diretamente na solução nutritiva
  6. 6. Cultivo fora do solo Aeroponia: raízes crescendo em câmara úmida em névoa de solução nutritiva Htpp:/ revistagloborural.globo.com
  7. 7. Cultivo fora do solo Substrato: raízes crescendo em substrato com fertirrigação, de forma semelhante ao solo Htpp:/ google.com
  8. 8. 1. Bases teóricas da fertirrigação
  9. 9. QUAL A RELAÇÃO DA FERTIRRIGAÇÃO COM O CULTIVO EM SUBSTRATO? 1. A fertirrigação, embora tenha iniciado no deserto, alastrou-se pelo mundo porque permitiu o cultivo em substratos. 2. Qual a diferença entre o cultivo em substratos e a hidroponia? 3. A hidroponia não emprega substratos, necessita sempre de uma solução nutritiva completa e não usa fertirrigação. 4. O cultivo em substratos emprega a fertirrigação, a qual nem sempre precisa ser feita com solução nutritiva completa.
  10. 10. O CULTIVO EM SUBSTRATOS ESTÁ ANCORADO NA FERTIRRIGAÇÃO A fertirrigação: 1. Foi concebida para cultivar na areia do deserto. 2. Em solos de fertilidade natural baixa ou nula. 3. Prevê fácil lixiviação dos sais através do perfil. 4. Todos os nutrientes que a planta necessita são fornecidos juntamente com a água.
  11. 11. 2. Fertirrigação no solo
  12. 12. A FERTIRRIGAÇÃO PODE SER EMPREGADA NO SOLO? Pode, mas não deve de forma indiscriminada. O solo fornece nutrientes naturalmente. O solo tem capacidade de reter nutrientes (CTC-capacidade de troca de cátions). Somente alguns nutrientes podem ser lixiviados do solo. Na fertirrigação no solo deve-se fornecer somente a quantidade de nutrientes extraída pela cultura.
  13. 13. A FERTIRRIGAÇÃO NO SOLO É UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO Ainda não temos tecnologia capaz de fornecer exatamente a quantidade de nutrientes extraída pelas plantas. Sempre que fornecermos alguns nutrientes em quantidades acima daquelas extraídas, haverá acumulação no solo (potássio, cálcio, magnésio e alguns micronutrientes). A acumulação leva ao desbalanço nutricional e salinidade, que causam a “fadiga” do solo. Solos salinizados tornam-se impróprios para a agricultura.
  14. 14. QUANDO A FERTIRRIGAÇÃO NO SOLO PODE SER ÚTIL? Em culturas de ciclo longo, para fornecer NITROGÊNIO parceladamente, a fim de reduzir as perdas. Para corrigir deficiências pontuais de nutrientes pouco móveis no solo. No cultivo protegido e /ou com cobertura do solo com filme de polietileno e irrigação por gotejamento. Aqueles que fazem fertirrigação no solo passarão aos substratos no futuro, porque os excessos são difíceis de serem removidos do solo.
  15. 15. COMO FERTIRRIGAR NO SOLO SEM CAUSAR EXCESSO DE NUTRIENTES? 1. Antes do plantio, monitorar a concentração de nutrientes pela análise do solo. 2. Não fornecer os nutrientes para os quais a análise do solo mostrou concentrações muito altas. 3. Para os nutrientes com concentrações em níveis elevados, fertirrigar com base na extração pela cultura: somente reposição. 4. Evitar formulações solúveis completas. 5. É difícil fazer corretamente a fertirrigação no solo.
  16. 16. FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO SOLO 1. Antes do plantio, monitorar a concentração de nutrientes pela análise do solo. Exemplo: resultados da análise do solo: Análise do solo Níveis elevados Classe textural: 2 Ph: 6,0 ---- Fósforo: 32 mg/dm3 Maior que 18,0 mg/dm3 Potássio: 160 mg/dm3 Maior que 120,0 mg/dm3 Cálcio: 5 cmolc/dm3 Maior que 4,0 cmolc/dm3 Magnésio: 2 cmolc/dm3 Maior que 1,0 cmolc/dm3 Conclusão: Não adubar no próximo plantio. Fornecer somente nitrogênio por fertirrigação.
  17. 17. FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO SOLO Tabela 1 – Estimativa da reposição mensal de nutrientes pela cultura do morangueiro em gramas por planta, para uma produtividade de frutas em torno de 1 kg por planta. Santa Maria, UFSM, 2008. Mês Fração da produtividade total (%) Quantidades (g/planta) N P K Ca Mg Março/abril (plantio) 0 0,63 0,68 0,86 0,06 0,09 Junho 5 0,16 0,03 0,19 0,03 0,01 Julho 10 0,31 0,07 0,38 0,06 0,03 Agosto 20 0,72 0,28 0,86 0,14 0,06 Setembro 25 0,88 0,37 1,05 0,17 0,07 Outubro 20 0,72 0,28 0,86 0,14 0,06 Novembro 20 0,72 0,28 0,86 0,14 0,06 Total 100 4,13 1,89 5,05 0,75 0,39
  18. 18. FERTIRRIGAÇÃO DO MORANGUEIRO CULTIVADO NO SOLO Tabela 2 – Estimativa da reposição mensal de nutrientes considerando o mês de setembro, no solo descrito no item 1 anterior. Mês Fração da produtividade total (%) Quantidades (g/planta) N P K Ca Mg Setembro 25 0,88 0,37 1,05 0,17 0,07 Fornecer somente 0,88 g de nitrogênio por planta. Empregando nitrato de amônio (salitre), com 34% de N total, dever- se-ia fornecer apenas 2,59 g do adubo por planta em todo o mês de setembro.
  19. 19. PORQUE A FERTIRRIGAÇÃO NO CULTIVO EM SUBSTRATO NÃO CAUSA OS PROBLEMAS QUE CAUSA NO SOLO? Porque no cultivo em substratos, todo o excesso de nutrientes não absorvido pela planta é drenado para fora da zona de crescimento das raízes. Isso significa que existem muitas formas diferentes de fazer cultivo em substrato, com diferentes níveis de tecnologia.
  20. 20. 3. Níveis tecnológicos no cultivo em substrato
  21. 21. Nível básico do cultivo em substrato: o vaso de flor http://flores.culturamix.com/flores/naturais/flores-em-vasos Nutrientes oriundos do solo com matéria orgânica Água na superfície Drenagem Nossas bisavós eram especialistas no cultivo em substrato.
  22. 22. Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação descontínua Exemplo: Tomateiro em substrato orgânico Qual o intervalo entre aplicações? 1. Drenar bem e repetir uma vez por semana 2. Quando a condutividade da drenagem chegar a zero 3. Olho do dono: aspecto visual deficiente
  23. 23. Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação descontínua 1. Emprega volumes elevados de substratos orgânicos locais, de baixo custo: * húmus de mato * acícula de pinus (USA) * casca de arroz 2. Emprega fertirrigação a intervalos de uma ou mais semanas. 3. Espera a planta consumir os nutrientes antes de fornecer mais. 4. Dispensa o uso de solução nutritiva completa. 5. As doses de fertilizantes são calculadas por planta. 6. Não necessita fazer controles de pH e de condutividade. 7. Fácil controle dos volumes fornecidos: é baixo o risco de salinidade e de drenagem excessiva. 8. Reduz em mais de 50% as quantidades de fertilizantes em relação à fertirrigação contínua.
  24. 24. Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação descontínua Exemplo: Quantidade de nutrientes para o morangueiro em substrato orgânico, com 3 dm3 por planta Nutrientes Quantidades/planta Nitrato de potássio 0,53 g Calcinit 1,00 g Monoamônio fosfato - MAP 0,07g Sulfato de magnésio 0,37 g Quelato de ferro (5% Fe) 0,0075 g Solução de micronutrientes 0,085 mL
  25. 25. Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação descontínua Exemplo: Quantidade de nutrientes para o tomateiro em substrato orgânico, com 8 dm3 por planta Nutrientes Quantidades/planta Nitrato de potássio 4,0 g Calcinit 6,3 g Monoamônio fosfato - MAP 1,5 g Sulfato de magnésio 3,0 g Quelato de ferro (5% Fe) 0,13 g Solução de micronutrientes 0,7 mL
  26. 26. Nível médio do cultivo em substrato: fertirrigação descontínua Uso de formulações solúveis prontas: Cuidado 1. Essas formulações podem ser úteis para substituir o preparo de uma solução nutritiva completa. 2. Verificar sempre QUAIS os nutrientes e QUAL a proporção na formulação pronta. 3. Se for fornecida uma quantidade fixa por litro de água, a drenagem deve SEMPRE ser feita após cada fertirrigação 4. Elevado consumo de fertilizantes: fertirrigação contínua. 5. Elevado risco de salinidade na zona de crescimento das raízes.
  27. 27. Cultivo em substrato de alta tecnologia: fertirrigação contínua Usa somente solução nutritiva completa e volume reduzido de substrato por planta Devemos empregar sistemas abertos ou fechados? Sistemas abertos: 1. Não precisa fazer controles de pH e de condutividade. 2. Grande desperdício de água e nutrientes pela drenagem. 3. Salinidade normalmente elevada. 4. Têm os dias contados: a legislação não vai tardar...
  28. 28. Cultivo em substrato de alta tecnologia Usa somente solução nutritiva completa O que é mais importante no cultivo em substrato: a água ou os nutrientes? Resposta: á água 1. Alguns nutrientes podem ser estocados no interior da planta. O estoque de água é pequeno (caule e frutos). 2. A água é o sistema de arrefecimento da planta. 3. A água absorvida pelas raízes demora para chegar até as folhas.
  29. 29. Cultivo em substrato de alta tecnologia A água é mais importante que os nutrientes no cultivo em substrato Em alface, a concentração elevada de solução nutritiva não compensou o crescimento reduzido das raízes porque a planta não conseguiu absorver a água na velocidade que necessitava para evitar o estresse hídrico (Lima, 2012). Nas lavouras deve-se fazer atenção para a proporção do substrato que está sendo fertirrigada. Problema grave nos bags largos e com pouca altura.
  30. 30. Cultivo em substrato de alta tecnologia Durante o dia, a disponibilidade de água é mais importante do que os nutrientes 4. Toda vez que as raízes detectam escassez de água a planta reverte as turbinas do crescimento (síntese de etileno). 5. Ao fertirrigar, o etileno precisa ser degradado para a fotossíntese e o crescimento serem retomados. 6. Redução de produtividade por desperdício energético, perturbação fisiológica e perda de tempo para a planta produzir. 7. A absorção de água depende do volume disponível no substrato e do volume de raízes ativo para a sua absorção.
  31. 31. Cultivo em substrato de alta tecnologia Regra geral da fertirrigação em substrato: Fertirrigar sempre que o volume transpirado atingir no máximo 10% do volume de água facilmente disponível (AFD) para a planta. AFD = aproximadamente 50% do volume de água retido no substrato Quando o volume de água é reduzido à metade a condutividade elétrica dobra. Solução normal = 1,5 a 2,0 dS/m com 100% de AFD Passa a 3,0 ou 4,0 dS/m com 50% da AFD=salinidade O paradoxo da fertirrigação aberta: Se fertirrigar demais perde solução e polui o ambiente. Se fertirrigar pouco causa estresse e perde em produtividade.
  32. 32. Calcular o volume de substrato a empregar por planta 1. Volume mínimo 2 dm3/planta. Máximo: 8-10dm3 por planta 2. O volume por planta deve ser suficiente para fornecer água para 24 horas. 3. Deve haver bom equilíbrio entre ar e água na capacidade máxima de retenção. 4. Evitar irrigações durante a noite. 5. Planejar as irrigações durante o dia de acordo com a demanda de água da planta.
  33. 33. Cultivo em substrato de alta tecnologia O desafio da desinfecção da solução nutritiva reciclada. Principais métodos: 1. Calor: 80 C a 100 C por 10 a 30 segundos. Custo elevado. 2. Ozônio: 10 g/hora/m3. Custo elevado 3. Ultra-violeta: 200 a 280nm. Custo elevado 4. Filtragem em areia: baixo custo, eficiência parcial.
  34. 34. Cultivo em substrato de alta tecnologia No futuro próximo todos os sistemas serão fechados. Quais são as dificuldades para passar a empregar sistemas fechados? Controles de pH e condutividade elétrica quase diários. Corrigir ou não as concentrações de nutrientes? Literatura: correções automáticas por microcomputador. Experiência: quando o volume inicial de solução baixa 50%, completar com a solução inicial. Em morango, foi possível fazer oito meses de cultivo com descarte zero, sem qualquer problema no crescimento e produção. Risco de doenças: construir unidades pequenas e independentes.
  35. 35. Nível alto do cultivo em substrato: fertirrigação contínua O desafio da desinfecção da solução nutritiva reciclada. Por onde começar? Coluna de areia para filtragem de solução nutritiva U. Dhakal, V. Salokhe, H.Tantau and J. Max. “Development of a Greenhouse Nutrient Recycling system for Tomato Production in Humid Tropics”. Agricultural Engineering International: the CIGR Ejournal. Manuscript BC 05 008. Vol. VII. October, 2005.
  36. 36. 4. Implantação e manejo das culturas: tomateiro
  37. 37. Esquema fundamental do cultivo em substrato Substrato Camalhão de drenagem Calha de coleta da drenagem Gotejador Equação da morte radicular: EMR EMR = solução/água estática + asfixia + morte de raízes Recipiente perfurado na base Isolamento do solo: Plástico transparente + preto
  38. 38. http://www.schreurs.nl http://www.qrbiz.com http://www.photos.com/ http://www.google.com
  39. 39. http://www.google.com http://apandireviews.blogspot.com.br http://www.istockphoto.com http://www.google.com
  40. 40. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 2. Acondicionamento do substrato Bags prontos: Formato não é bom Custo elevado Descarte ao final do cultivo Vasos: Formato é bom Custo elevado Longa vida: 3, 5. 10 anos?
  41. 41. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 2. Acondicionamento do substrato Caixas de concreto: Formato é bom Custo elevado Longa vida: 30, 50 anos? Estrutura pesada, fixa e permanente
  42. 42. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 3. Volume de substrato por planta: depende das características do substrato Exemplo: Massa seca = 800 g dm-3 Massa úmida = 1.500 g dm-3 Volume retido = 700 mL dm-3 AFD = 350 mL dm-3 Volume de substrato por planta = 3000 mL dia-1 350 mL dm-3 = 8,6 dm-3
  43. 43. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 3. Frequência e volume de cada (ferti)irrigação: considerar a curva diária de absorção de água e a vazão de cada gotejador Exemplo: Absorção diária estimada: 1000 mL por planta de noite e 1.200 mL por planta de dia Primeira irrigação no início do dia 6 horas: 1.000 mL 1.500 mL h-1 (vazão) = 0,66 horas 0,66 horas 60 min = 39,6 = 40 minutos de irrigação por timer analógico Segunda (10 horas), terceira (13 horas), quarta (15 horas) e quinta (17 horas) irrigação: 300 mL 1.500 mL h-1 (vazão) = 0,2 horas 0,2 horas 60 min = 12 = 15 minutos de irrigação por timer analógico Se sistema fechado, acrescentar 30% de tempo para drenagem Se sistema aberto, drenar uma vez por semana usando somente água
  44. 44. Implantação e manejo do tomateiro em substrato 3. Condução da cultura: fazer a poda basal e talvez das folhas intermediárias Retirar todas as folhas abaixo do cacho que completou o crescimento A cada 3 folhas + um cacho (simpódio), a folha intermediária pode ser retirada x
  45. 45. 5. Implantação e manejo das culturas: morangueiro
  46. 46. Implantação e manejo do morangueiro em substrato 1. Volume de substrato por planta: pelo menos 2 dm3, para que haja espaço para crescimento das raízes 2. Acondicionamento do substrato e manejo da fertirrigação de forma similar ao tomateiro 3. Dois sistemas diferentes: produção de mudas e de frutos
  47. 47. Produção de mudas de morangueiro em substrato 1. De raízes nuas: recomendação em regiões frias?? Há controvérias. 2. De pontas de estolão, em bandejas: Não há necessidade de frio. Foto: Rodrigo Godói Fotos: Miriane Dal Picio
  48. 48. Figura – Produção de frutos e número de estolões emitidos por planta em relação aos períodos de armazenamento refrigerado na temperatura de +0,5 ( 0,3) C . (Ciência Rural, v. 42, p. 955-961, 2012.)
  49. 49. Produção de mudas de morangueiro em substrato 1. Plantio das mudas matrizes micropropagadas em outubro. Fotos: Miriane Dal Picio 49
  50. 50. Produção de mudas de morangueiro em substrato 2. Repicagem das pontas produzidas até o mês de dezembro Fotos: Miriane Dal Picio 50
  51. 51. Produção de mudas de morangueiro em substrato 2. Repicagem das pontas produzidas até o mês de dezembro 51
  52. 52. Produção de mudas de morangueiro em substrato 1. Repicagem das pontas produzidas pela planta mãe 52 Figure 1. Average number of runner tips per stock plant produced by micropropagated (first serial planting time) and multiplied strawberry (2-10 serial planting times) stock plants of cultivars INIA-Arazá, INIA-Guenoa and INIA-Yvapitá. Santa Maria, RS, 2009. (Horticultura Brasileira, no prelo)
  53. 53. Produção de mudas de morangueiro em substrato 1.1. Não se deve descartar as plantas matrizes após a produção de mudas 1.2. Produção de frutos pelas plantas matrizes após a produção das mudas 1.3. Maior produção de frutos, maior número e menor tamanho em relação ao plantio de mudas do ano 53 1. Repicagem das pontas produzidas pela planta mãe
  54. 54. Produção de mudas de morangueiro em substrato 2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe 54
  55. 55. Produção de mudas de morangueiro em substrato 2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe 55
  56. 56. Produção de mudas de morangueiro em substrato 2. Enraizamento de quatro plantas matrizes-filhas por planta mãe 2.1. Aumenta o diâmetro das pontas. 2.2. Diminui o número de planas matrizes a serem adquiridas. 2.3. Enraizamento sem necessidade de bandejas. 2.4. Enraizamento mais rápido e no vaso definitivo. 2.5. Inicia a emissão de pontas mais cedo do que as repicadas. 2.6. Concentra a produção de pontas entre janeiro e abril. 56
  57. 57. Produção de mudas de morangueiro em bandejas 57
  58. 58. Produção de mudas de morangueiro 58 Combinação de métodos: 1. Plantio de mudas matrizes em substrato para raízes nuas. 2. Enraizamento de plantas-filhas. 3. Coleta e enraizamento de pontas de estolão de janeiro a março. 4. Comercialização de mudas de raízes nuas e em bandejas em abril e maio.
  59. 59. AGRADECIMENTO Aos alunos de graduação e Pós-graduação em Agronomia da UFSM que integraram o grupo de pesquisa do morango.
  60. 60. Outras formas de cultivar em substrato? 60 Cultivo em substrato no campo, sem estufas: Flórida, USA.

×