Your SlideShare is downloading. ×
Concordância verbal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Concordância verbal

963
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
963
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Concordância verbal
  • 2. O que é? A relação que se estabeleceentre o verbo e o sujeito na variedadepadrão da língua é chamada deconcordância verbal. Por sua vez, ela éa variação de forma (flexão) que overbo precisa apresentar para seajustar ao sujeito (substantivo núcleoque “mande na oração”).
  • 3. Leia a nota jornalística abaixo:Sem comentários“Do delegado regional do Ministério daeducação no Rio [...] ao ler ontem um discursode agradecimento ao seu chefe [...]: “Osconvênios assinados traduz (sic)* os esforços doMinistério [...].”*sic: palavra latina que significa “assim”; no caso, é usada pelojornal com o sentido de “exatamente dessa forma”.
  • 4. Os enunciados a seguir foram construídos de acordocom a norma padrão da língua. Compare-os:Um elegante pavão passeava calmamente pelo quintal.sujeito no singular verbo no singularAlguns elegantes pavões passeavam calmamente pelo quintal.sujeito no plural verbo no pluralconcordância verbalconcordância verbal
  • 5. Para que serve?a) a concordância evita a repetição do sujeito,que pode ser indicada pela flexão verbal a eleajustada:Eu acabei por adormecer no regaço de minhatia. Quando acordei, já era tarde, e não vi meupai.
  • 6. Concordância do verbo com o sujeito simplesO verbo concorda com o núcleo do sujeito em pessoa (1º, 2º e 3º) enúmero (singular, plural).Nós sempre admiramos seu entusiasmo.Sumia na estrada poeirenta a última boiada da fazenda.sujeito na1º pessoado pluralverbo na1º pessoado pluralsujeito na3º pessoado singularverbo na3º pessoado singular
  • 7. Verbo + sea) Estrutura verbo + se constituindo voz passivapronominalEx. 1:Nunca se discutiu, nas reuniões, esse problema.pronome apassivadorverbo nosingular sujeito no singularconcordância
  • 8. Verbo + sea) Estrutura verbo + se constituindo voz passivapronominalEx. 2:Nunca se discutiram, nas reuniões, esses problemas.pronome apassivadorverbo nopluralsujeito nopluralconcordância
  • 9. Então, temos:Palavra se comopronome apassivadorO verbo concorda com osujeito (que estáexplícito na oração)
  • 10. Verbo + seb) Estrutura verbo + se indeterminando o sujeitoEx. 1:Naquela época, não se dispunha de informação atualizada.índice de indeterminação do sujeitoverbo (V.T.I.)na 3º pessoa dosingularObjetoindireto
  • 11. Verbo + seb) Estrutura verbo + se indeterminando o sujeitoEx. 2:Naquela época, não se dispunha de informações atualizadas.índice de indeterminação do sujeitoverbo (V.T.I.)na 3º pessoa dosingularObjetoindiretoATENÇÃO: O objeto indireto não influencia na concordância do verbo (porcausa do conectivo (preposição), que só “entra” na oração para estabelecer arelação de sentido, sanando problemas de concordância ou flexão.
  • 12. Então, temos:Palavra se comoíndice deindeterminação dosujeitoO verbo deve serempregado na 3º pessoado singular
  • 13. Expressões partitivasa maior parte de, grande número de etc. + nome nopluralCompare estas duas possibilidades de concordância:A maioria dos torcedores apoiou o técnico.A maioria dos torcedores apoiaram o técnico.concordânciaconcordância
  • 14. Expressões partitivasa maior parte de, grande número de etc. + nome nopluralCompare estas duas possibilidades de concordância:A maioria dos torcedores apoiou o técnico.A maioria dos torcedores apoiaram o técnico.concordânciaconcordânciaEssa dupla possibilidade de concordância é válida sempre que osujeito for constituído por uma expressão partitiva (no singular)seguida de uma palavra no plural.
  • 15. Esquematizando a regra:s• no singularou• no pluralparte de; amaioria de;grandenúmero de;uma porçãode etc.Nomenoplural+SujeitoVerbo
  • 16. Esquematizando a regra:s• no singularou• no pluralparte de; amaioria de;grandenúmero de;uma porçãode etc.Nomenoplural+SujeitoVerboQuando há duas possibilidades deconcordância, a escolha de uma delasdependerá da intenção do falante de enfatizarum ou outro dos componentes do sujeito.Compare esses exemplos:Uma porção de pássaros dormia nos galhos.(realça porção)Uma porção de pássaros dormiam nos galhos.(realça pássaros)
  • 17. Pronomes relativos que e quemNos enunciados abaixo, os relativos que e quem funcionam comosujeito dos verbos destacados. Observe a concordância dessesverbos:Ex.1:Ele não confia mais em nós, que sempre apoiamos seus projetos.antecedentesujeito de apoiamosconcordância
  • 18. Pronomes relativos que e quemEx. 2:Não foram os jogadores que começaram toda a confusão.concordânciaantecedentesujeito de começaram
  • 19. Pronomes relativos que e quemEx. 3:Não foram os jogadores quem começou toda a confusão.concordância3º pessoa do singularsujeito de começouantecedente
  • 20. Esses exemplos possibilitam a generalização:Pronomerelativo queSujeitoPronomerelativo quemVerboConcorda com oantecedente dopronome relativo.Fica na 3º pessoa dosingular.
  • 21. Esses exemplos possibilitam a generalização:Pronomerelativo queSujeitoPronomerelativo quemVerboConcorda com oantecedente dopronome relativo.Fica na 3º pessoa dosingular.1. Se o pronome relativo que tem como antecedente a expressãoum dos seguida de nome no plural, o verbo pode ser empregadotanto no singular como no plural. Veja o exemplo:“Fernando é um dos alunos que participará / participarão dareunião.”2. A concordância do verbo com o antecedente do relativo quem,embora rara na língua atual, também é válida. Observe a oraçãoabaixo:“Não foram os jogadores quem começaram a confusão”.
  • 22. Concordância do verbo com o sujeito compostoA concordância do verbo com o sujeito composto édeterminada, na maioria dos enunciados, por três fatores: O posicionamento do verbo: antes ou depoisdo sujeito. Os diferentes tipos de palavras que podemformar o sujeito.A conjunção que liga os núcleos: e, ou, nem.
  • 23. Sujeito composto antes do verboObserve a concordância neste enunciado:A internet e o telefone celular mudaram a história das comunicações.sujeito compostoantes do verbo e comnúcleos ligados por everbo no pluralsujeito compostoposicionado antes doverbo e com núcleosligados pela conjunção everbono plural
  • 24. Sujeito composto antes do verboObs. 1:Se os núcleos dos sujeitos são sinônimos (ou aproximadamentesinônimos), o verbo pode se flexionar tanto no singular quanto noplural. Assim:A paz e a tranquilidade dominava / dominavam a imensa catedral.núcleos sinônimos
  • 25. Sujeito composto antes do verboObs. 2:Se os núcleos estão seguidos por palavra de valor resumitivo nosingular (tudo, nada, ninguém etc.), o verbo fica, necessariamente,no singular. Veja este exemplo:Os amigos, o trabalho e a família, nada impediria que ele partisse.sujeito compostopalavra resumitivaverbo no singular
  • 26. Sujeito composto depois do verboCompare a concordância nestes dois enunciados:Protegiam as cidades medievais uma forte muralha e pesados portões.Protegia as cidades medievais uma forte muralha e pesados portões.verbo nopluralsujeito composto depois do verbo e comnúcleos ligados por econcordacom onúcleomuralhasujeito composto depois do verbo e comnúcleos ligados por e1º núcleo
  • 27. Então:sujeito compostoPosicionado depois doverbo e com núcleosligados pela conjunção everbo• no pluralou• concorda com oprimeiro núcleo
  • 28. Sujeito composto por pessoas gramaticais diferentesA concordância do verbo depende das pessoas gramaticais queconstituem o sujeito. Veja, no exemplo abaixo, uma daspossibilidades de formação desse tipo de sujeito composto:Alguns alunos, eu e tu ficaremos aqui na escola.3º p. 3º p. 3º p.
  • 29. Sujeito composto por pessoas gramaticais diferentesA concordância do verbo depende das pessoas gramaticais queconstituem o sujeito. Veja, no exemplo abaixo, uma daspossibilidades de formação desse tipo de sujeito composto:Alguns alunos, eu e tu ficaremos aqui na escola.(observe: alguns alunos + eu + tu = nós ficaremos.)3º p. 3º p. 3º p.
  • 30. Sujeito composto por pessoas gramaticais diferentesA concordância do verbo depende das pessoas gramaticais queconstituem o sujeito. Veja, no exemplo abaixo, uma daspossibilidades de formação desse tipo de sujeito composto:Alguns alunos, eu e tu ficaremos aqui na escola.Portanto:3º p. 3º p. 3º p.sujeito composto1º pessoa (eu / nós) + outrapessoa(s) gramatical(is)verbona 1º pessoa do plural
  • 31. Sujeito composto por pessoas gramaticais diferentesObs.:Se o verbo estiver posicionado antes do sujeito, são válidas, comona regra anterior, duas concordâncias. Veja:Ficaremos aqui na escola alguns alunos, eu e tu.Ficarão na escola alguns alunos, eu e tu.verbo na 1º pessoaplural (nós)1º núcleoconcorda com alunos
  • 32. Possibilidades de concordância quando o sujeito compostoapresenta apenas 2º e 3º pessoasO advogado e tu decidireis como será o contrato.decidirão2º pessoa do plural (vós)3º pessoa do plural (vocês)
  • 33. Possibilidades de concordância quando o sujeito compostoapresenta apenas 2º e 3º pessoasO advogado e tu decidireis como será o contrato.decidirãoEntão:2º pessoa do plural (vós)3º pessoa do plural (vocês)sujeito composto2º pessoa (tu/vós)+3º pessoa (ele/eles)Verbo• na 2º pessoa do plural (vós)(concordância pouco usadaatualmente)ou• na 3º pessoa do plural (vocês)
  • 34. Núcleos do sujeito ligados por ou ou nemA concordância, nesses casos, depende do sentido geral da frase eda relação que as conjunções ou e nem estabelecem entre osnúcleos.Observe exemplos ligados pela conjunção ou:Um gaúcho ou um mineiro será o novo técnico da seleção.(Observe o sentido: apenas um dos dois será o técnico)indica exclusãoverbo no singular
  • 35. Núcleos do sujeito ligados por ou nemA concordância, nesses casos, depende do sentido geral da frase eda relação que as conjunções ou e nem estabelecem entre osnúcleos.Observe exemplos ligados pela conjunção ou:Palavras rudes ou insinuações irônicas magoam pessoas sensíveis.(Observe o sentido: tanto palavras rudes quanto insinuações irônicasmagoam)não indica exclusãoverbo no plural
  • 36. Núcleos do sujeito ligados por ou nemA concordância, nesses casos, depende do sentido geral da frase eda relação que as conjunções ou e nem estabelecem entre osnúcleos.Observe exemplos ligados pela conjunção ou:Um gaúcho ou um mineiro será o novo técnico da seleção.(Observe o sentido: apenas um dos dois será o técnico)Palavras rudes ou insinuações irônicas magoam pessoas sensíveis.(Observe o sentido: tanto palavras rudes quanto insinuações irônicasmagoam)indica exclusãoverbo no singularnão indica exclusãoverbo no plural
  • 37. Núcleos do sujeito ligados por ou nemObserve exemplos ligados pela conjunção nem:Nem o vice-prefeito, nem o presidente da Câmara será o novo prefeito.(observe o sentido: “ser prefeito” é uma atribuição de uma única pessoa)indica exclusão verbo no singular
  • 38. Núcleos do sujeito ligados por ou nemObserve exemplos ligados pela conjunção nem:Nem o vice-prefeito, nem o presidente da Câmara apoiam o projeto.(Observe o sentido: o fato se refere aos dois; ambos apoiam o projeto)não indica exclusão verbo no singular
  • 39. Núcleos do sujeito ligados por ou nemObserve exemplos ligados pela conjunção nem:Nem o vice-prefeito, nem o presidente da Câmara será o novo prefeito.(observe o sentido: “ser prefeito” é uma atribuição de uma única pessoa)Nem o vice-prefeito, nem o presidente da Câmara apoiam o projeto.(Observe o sentido: o fato se refere aos dois; ambos apoiam o projeto)indica exclusão verbo no singularnão indica exclusão verbo no singular
  • 40. Então:Sujeito composto(núcleos ligados por ou ou nem)• Se ou/nem exprime ideia de exclusão• Se ou/nem não exprime ideia de exclusãoVerbo• No singular• No plural
  • 41. Concordância do verbo serO verbo ser pode apresentar variações na concordância: às vezesconcorda com o sujeito e, às vezes, com o predicado.Sujeito no singular e predicativo no plural (ou vice-versa)
  • 42. Sujeito no singular e predicativo no plural (ou vice-versa)a. se os núcleos do sujeito ou predicado são pronome pessoal oudesigna pessoa, o verbo concorda com esse termo.“O maior defeito deste livro és tu, leitor” (Machado de Assis)Os professores de um país são a sua maior riqueza.O príncipe, por estar doente, era as preocupações do reino.concordânciaconcordânciaconcordância
  • 43. Sujeito no singular e predicativo no plural (ou vice-versa)b. se nenhum dos dois termos designa pessoa, o verbo concordacom o sujeito ou com o predicado, indiferentemente.As cartas secretas foram a prova definitiva de sua traição.concordânciasujeito pl. predicado sing.
  • 44. Sujeito no singular e predicativo no plural (ou vice-versa)b. se nenhum dos dois termos designa pessoa, o verbo concordacom o sujeito ou com o predicado, indiferentemente.As cartas secretas foi a prova definitiva de sua traição.concordânciasujeito pl. predicado sing.
  • 45. Verbo ser indicando horas, distância e datasa. Na indicação de horas e distância, o verbo ser concorda com onúcleo da expressão numérica.Agora são três horas, quando ele chegou era uma e vinte.Daqui ao armazém é um quilômetro; até a fazenda são mais de quinze.
  • 46. Verbo ser indicando horas, distância e datasb. Na indicação de datas, o verbo ser concorda com a palavradia/dias (explicita ou subentendida no enunciado):Hoje é dia 23 de junho. (é concorda com a palavra dia)Hoje é 26 de junho. (é concorda com dia, subentendida antes donumeral)Hoje são 23 de junho. (são concorda com dias, subentendidadepois do numeral)
  • 47. Concordância dos verbos impessoaisObserve que a forma há aparece no singular e não concorda comvagas (no plural). Isso ocorre porque o verbo haver, nesseenunciado, não tem sujeito; é impessoal.Não há vagas.Verbo impessoal – tipo particular de verboque, por não admitir sujeito, não estabelececoncordância verbal; apresenta-se sempre na3º pessoa do singular.
  • 48. Os dois verbos impessoais mais usuais são os verbos haver efazer, quando empregados em alguns sentidos específicos,conforme segue:Verbo haver = é impessoal quando empregado como sinônimo de“existir” ou “acontecer”. Exemplos:No século passado, havia poucas estradas no interior do país.Aqui sempre houve e sempre haverá festas populares.no singular(é verbo impessoal)não é sujeito(é objeto direto)no singular(é verbo impessoal)no singular(é verbo impessoal)não é sujeito(é objeto direto)
  • 49. Observação:1. O verbo existir, diferente do verbo haver, tem sujeito e, obviamente,concorda com ele:No século passado, existiam poucas estradas no interior do país.2. O verbo haver, quando empregado com sentido diferente deexistir/acontecer, tem sujeito, com o qual estabelece concordância normal.Exemplo:Se te maltratarem, eles se haverão comigo.no plural(concorda com osujeito)sujeitosujeito haver(-se) = ajustar contas
  • 50. Verbo fazerEsse verbo é impessoal quando empregado na indicação de tempotranscorrido (ou a transcorrer). Nesses casos, como não tem sujeito,fica na 3º pessoa do singular. Exemplos:Já faz muitos anos / que não se fabrica esse carro.No domingo, fará seis meses / que eles mudaram daqui.verbo no singular(é verbo impessoal)não é sujeito(é objeto direto)verbo no singular(é verbo impessoal)não é sujeito(é objeto direto)
  • 51. Referência desta apostilaAMARAL, Emília; PATROCÍNIO, Mauro Ferreira do; LEITE, Ricardo Silva;BARBOSA, Severino Antônio Moreira. Língua Portuguesa: Novaspalavras. Vol. 3. 1º ed. São Paulo: FTD, 2010. pag. 337-346.