Ensinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem

25,919 views
25,619 views

Published on

Discute metodologias ativas de ensino aprendizagem, com enfase na metodologia da problematização, como alternativa da educação alienante.

Published in: Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
25,919
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,085
Actions
Shares
0
Downloads
363
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ensinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem

  1. 1. Ensinar e aprender com sentidoMetodologias ativas de ensino-aprendizagemProfessor Fabio Batalha Monteiro de Barros CEFET-RJ Uned Nova Friburgo 2011
  2. 2. Observação da realidadeComo anda nossa escola?O que vemos hoje?Quais as necessidades do mundo de hoje?Como será o amanhã?Qual o sentido do ensino-aprendizagem?Quais os principais problemas na educação?
  3. 3. Observação da realidade Vídeo http://www.youtube.com/watch?v=oMt3b8MDD- M&feature=player_embedded
  4. 4. Observação da realidadeAlguns problemas da educação hoje:Aluno pobre não fica na escola – exclusão social;Aluno não aprende – depois de um ano há somente 10% a 20% de retenção do que foi ensinado por mera exposição sem sentido para o aluno;Aluno que fica é educado para a submissão, dependência e alienação;
  5. 5. Observação da realidadeO professor adoece A Organização Internacional do Trabalho (OIT), ainda em 1983, apontou os professores “como sendo a segunda categoria profissional, em nível mundial, a portar doenças de caráter ocupacional, incluindo desde reações alérgicas a giz, distúrbios vocais, gastrite e até esquizofrenia” (VASCONCELOS, 1997, p. 20). O estresse que acomete o professor é considerado pela OIT não somente como um fenômeno isolado, mas um risco ocupacional significativo da profissão. O contato direto com o público é o agravante para a deflagração de doenças psicossomáticas. Toda atividade profissional tem riscos, mas algumas atividades são mais propensas a adoecer o trabalhador.
  6. 6. Observação da realidadeAlguns dos eventos relacionados:Baixos saláriosDesvalorização do professorEscolas opressoras sem espaço para criatividade, democracia e sem liberdadeConcepção do ensino como mera transmissão de conhecimentosAlienação do trabalho do professorFalta de diálogo no ambiente escolarDesvalorização das emoçõesFalta de infra-estruturaFalta de motivação etc etc
  7. 7. Como definir o problema A essência do problema é a necessidade. (...) Assim, umaquestão, em si, não caracteriza o problema, nem mesmo cujaresposta é desconhecida; mas uma questão cuja resposta sedesconhece e se necessita conhecer, eis aí um problema. Algoque eu não sei não é problema; mas quando eu ignoroalguma coisa que eu preciso saber , eis-me diante de umproblema. Da mesma forma, um obstáculo que é necessáriotranspor, uma dificuldade que precisa ser superada, umadúvida que não pode deixar de ser dissipada são situaçõesque se nos configuram como verdadeiramenteproblemáticas." (Saviani, 1996, p.14)
  8. 8. Exemplos de problemas "Como ajudar os alunos do ensino supletivo na disciplina de física em suas dificuldades em matemática elementar?" ou, "Ensino de História: Até que ponto uma nova postura em relação ao ensino de História está presente na prática de professores do ensino médio?" ou ainda, "Que características deve possuir o instrumento de avaliação da prova didática para o ingresso do professor no ensino superior, numa perspectica mais crítica sobre o papel docente?"(Berbel,N., Metodologia da Problematização: Fundamentos e Aplicações, 2006)
  9. 9. O ProblemaComo ensinar com sentido e prazer, de forma acontribuir para a felicidade, realização pessoal eprofissional de cada aluno e com uma sociedademais justa, humana e socialmente viável?
  10. 10. Pontos-chavesEducação e capitalismoMercado de trabalhoMétodos de ensino e emancipação humanaEducar para “ser mais”Educar para a realização e felicidade
  11. 11. Teorização - capitalismo O objetivo central dos que lutam contra a sociedademercantil, a alienação e a intolerância é aemancipação humana. A educação, que poderia seruma alavanca essencial para a mudança, tornou-seinstrumento daqueles estigmas da sociedadecapitalista: "fornecer os conhecimentos e o pessoalnecessário à maquinaria produtiva em expansão dosistema capitalista, mas também gerar e transmitirum quadro de valores que legitima os interessesdominantes".
  12. 12. Teorização - capitalismo Em outras palavras, tornou-se uma peça do processo de acumulação de capital e de estabelecimento de um consenso que torna possivel a reprodução do injusto sistema de classes. Em lugar de instrumento da emancipação humana, agora é mecanismo de perpetuação e reprodução deste sistema.Educação para além do capital. Istvan Meszaros. Editora Boitempo, 2008
  13. 13. Teorização – mercado de trabalho A inteligência emocional – habilidade para controlar as próprias emoções, reagir de forma adequada aos colegas e manter relacionamentos – é mais valorizada do que o QI (quociente de inteligência) no ambiente de trabalho. Foi o que indicou um levantamento da CareerBuilder, empresa de recursos humanos, ao mostrar que 71% dos executivos de RH priorizam a inteligência emocional na hora de contratar um funcionário. A pesquisa foi realizada com 2.662 pessoas, nos Estados Unidos, entre os dias 19 de maio e 8 de junho de 2011.http://www.isecretarias.com/web/inteligencia-emocional-conta-mais-do-que-qi-indica-estudo/
  14. 14. Teorização – ser maisSer mais: esta expressão é muito usada nosescritos de Freire. Significa exatamente apossibilidade que se apresenta ao homemconcreto de deixar de ser coisa, de se humanizar.Essa possibilidade é fundamental na experiênciahumanística de Freire. O compromisso radicalcom o homem concreto não pode ser passivo: eleé práxis, inserção na realidade e conhecimentocientífico desta realidade.
  15. 15. Teorização – ser mais A esperança não pode faltar a nenhum trabalhador (muito menos a nós professores!). Este não pode ser, segundo Paulo Freire, um homem neutro frente ao mundo, um homem neutro frente à desumanização ou humanização, frente à permanência do que já não representa os caminhos ou à mudança destes caminhos. Como homem, entre homens, ele tem que optar: “ou adere à mudança que ocorre no sentido da verdadeira humanização do homem, do seu ser mais, ou fica a favor da permanência.”http://www.socialismo.org.br/portal/educacao/65-artigo/422-humanismo-e-esperanca-em-paulo-freire
  16. 16. Teorização – realizaçãoO quociente intelectual (QI) contribui com apenas 20%do nosso êxito na vida – os 80% restantes são o resultadoda inteligência emocional, que inclui fatores como ahabilidade de auto-motivação, a persistência, o controledos impulsos, a regulação do humor, a empatia, aorganização de grupos, a negociação de conflitos, a buscade soluções coletivas, o reconhecimento das emoções, osrelacionamentos inter-pessoais e a esperança.O QI e a inteligência emocional não são destrezasopostas – mas trabalham de forma separada. É possívelser intelectualmente brilhante, mas emocionalmenteinepto. Isso causa a maioria dos problemas na vida.
  17. 17. Teorização – métodos de ensino Quadro métodos de ensino quadro1 pág.3
  18. 18. Hipóteses de soluçãoDisseminar a cultura de ensinar e aprender com sentido, com prazer, utilizando metodologias problematizadoras;Praticar o ensino-aprendizagem com compromisso com o ser mais;Formar professores e especialistas interessados em lecionar com habilidades emocionais e compromisso social, utilizando metodologias ativas para aprender e ensinar com sentido, com vistas a emancipação humana e não a submissão.
  19. 19. O ProblemaComo ensinar com sentido e prazer, de forma acontribuir para a felicidade, realização pessoal eprofissional de cada aluno e com uma sociedademais justa, humana e socialmente viável?
  20. 20. Aplicação à realidadeDisseminar a cultura de ensinar e aprender com sentido, com prazer:Compartilho aqui dois livros em pdf disponíveis para download de autoria de Moacir Gadotti:Boniteza de um sonho: ensinar e aprender com sentido. http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/boniteza.pdfA escola e o professor : Paulo Freire e a paixão de ensinar. http://www.paulofreire.org/pub/Crpf/CrpfAcervo000046/Legado_Liv ros_Moacir_Gadotti_A_escola_e_o_professor.pdf
  21. 21. Arco de Maguerez
  22. 22. Mais informaçõeswww.aprenderlivre.com.brLiberdade para ensinar e aprender O site Aprender Livre é uma comunidade que reúne pessoas interessadas em ensinar e/ou aprender. Todos aprendemos e ensinamos em quase todos os momentos da vida. Esta é uma comunidade autogestionada, administrada pelo coletivo de educadores livremente associados e organizada sob os princípios da economia solidária. Ninguém paga para participar (associar-se) e todos são livres para entrar e sair quando quiserem.
  23. 23. ContatoProfessor Fabio Batalha Monteiro de Barrosfabiobmb@gmail.com

×