Teoria Sociocultural
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria Sociocultural

on

  • 3,747 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,747
Views on SlideShare
3,747
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
30
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria Sociocultural Teoria Sociocultural Presentation Transcript

  • SEMINÁRIO 01:Uma perspectiva Sociocultural noensino e na formação de professores Fabiano Silvestre Ramos
  • AGENDA Teoria Sociocultural (De onde veio? O que é? O que prega? Conceitos importantes na TSC: Mediação Zona de Desenvolvimento Proximal (ZPD) Scaffolding e comunidade de prática Internalização/imitação Conceitos espontâneos x científicos
  •  Século XX: crise na psicologia Uma teoria Unificadora? Perspectiva Abordagem naturalista humanista
  • LANTOLF & THORNE, 2007, p. 198 "Vygotsky reconhecia que a mente humana era composta por uma base neurobiológica de nível inferior, mas a dimensão distintiva da consciência humana era a sua capacidade de controle voluntário da biologia através do uso de ferramentas culturais de nível elevado." MEDIAÇÃO
  • TEORIA SOCIOCULTURAL SCOTT & PALINSCAR (2009, p. 1) “A tarefa da TSC é explicar como o funcionamento do pensamento do indivíduo está relacionado aos contextos cultural, institucional e histórico” Mas qual a definição de TSC?
  •  LANTOLF & THORNE (2007, p. 197) “A TSC defende que o funcionamento do pensamento humano é um processo fundamentalmente mediado e organizado por artefatos culturais, atividades e conceitos (Ratner, 2002). Dentre desse enquadre, entende-se que os seres humanos utilizam artefatos culturais existentes e criam novos que os permitam regular sua atividade biológica e comportamental.”
  • CONSTRUTO CENTRAL DA TSC MEDIAÇÃOO conhecimento é sempre mediado!
  •  VYGOTSKY (1987) Agimos no mundo através de “ferramentas”, físicas ou simbólicas para mediar nossa relação com outros seres humanos A língua é vista como um meio de mediação na atividade mental (FAHIM & HAGHANI, 2012)
  • LANTOLF & THORNE, 2007 Mediação através da regulação Mediação através de artefatos simbólicos Mediação através de uma segunda língua
  •  LANTOLF & THORNE (2007, p. 201) “A língua é o artefato cultural mais poderoso que o indivíduo possui para mediar sua conexão com o mundo, com o outro e consigo mesmo.”
  • ZONA DE DESENVOLVIMENTOPROXIMAL (ZPD) “é a distância entre o nível de desenvolvimento real, que se costuma determinar através da solução independente de problemas, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes.” (VYGOTSKY, 1987, p. 112)
  • DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO MEDIADOR REAL POTENCIAL Quem ajuda o aprendiz Aquilo que o Aquilo que o a concretizar um aprendiz ainda não aprendiz é capaz desenvolvimento domina mas é capaz de fazer que ele ainda não atinge e realizar com o auxilio sozinho sozinho de alguém mais experiente
  •  Porque a ZPD tem cativado educadores e psicólogos?  Performance assistida  Contrasta com os testes tradicionais
  •  ASPECTO DISTINTIVO DA ZPDFAHIM & HAGHANI, 2012, p. 64): “the gap between the learner’s current state and their future knowledge is bridged by assistance from others; learning demands social interaction so that the learner can internalize knowledge out of external action.”
  •  ZPD KRASHEN (1985) i+1
  • SCAFFOLDING De orientação social “a kind of process that enables a child or novice to solve a problem, carry out a task, or achieve a goal which would be beyond his unassisted efforts” (WOOD ET AL., 1976) Próximo em sentido com a ZPD de Vygotsky
  •  LIMA (2011) Scaffolding como um “diálogo solidário” Scaffolding e comunidade de prática
  •  HALL (2001, p. 840): “a habilidade de participar como um membro de uma comunidade de prática é aprendida através do engajamento em atividades com membros competentes de tal grupo” NATUREZA COLABORATIVA
  • INTERNALIZAÇÃO “ The process through which cultural artifacts, such as language, take on a psychological function is known as internalization” (LANTOLF & THORNE, 2007, p. 203)
  • IMITAÇÃO Não é uma “mindless mimicking” “It involves goal directed cognitive activity that can resul in transformations of the original model” (LANTOLF & THORNE, 2007, p. 203)
  • Conceitos espontâneos x conceitoscientíficos TSC: relação dialética entre CE e CC Conceitos espontâneos:  intuitivo, não-sistemático, situado Conceitos científicos:  consciente, sistemático, not bounded to a context FUNÇÃO da EDUCAÇÃO: transformar os conceitos espontâneos em científicos.
  • Equívocos mais comuns sobre a TSC EQUÍVOCO 01: “Because the source of development in SCT is social interaction, the theory has difficulty accounting for the appearance of unattested L1 forms in L2 speaker performance” (LANTOLF e THORNE, 2007, p. 209)
  •  EQUÍVOCO 02: Zona de desenvolvimento proximal  É o mesmo que scaffolding  É similar ao modelo i+1 de Krashen
  • Referências FAGAN, D. S. Teachers as Learners: Incorporating Sociocultural Theory into L2 Teacher Education. In: Teachers College, Columbia Universtiy, Working Papers in TESOL & Applied Linguistics, 2008, v. 8, n. 1. FAHIM, M. Sociocultural perspectives on foreing language learning. In: Journal of Language Teaching and Research, v. 3, n.4, pp. 693-699, 2012. JOHNSON, K.E. Teaching as Dialogic Mediation. In: Second Language Teacher Education: A Sociocultural perspective. New York: Routledge, 2009. LANTOLF, J.P.; THORNE, S. L. Sociocultural Theory and Second Language Learning. In: B. van Patten, & J. Williams (Eds.), Theories in second language acquisition (pp. 201-224). Mahwah, NJ: Erlbaum. LIMA, M. S. Collaborative tasks and learning occasions in English as a foreign language. In: RBLA, Belo Horizonte, v. 11, n. 4, p. 837-852, 2011. LOPES, J. Vygotsky: o teórico social da inteligência. In: Revista Nova Escola, 1996. REZAEE, M. Sociocultural Theory Revisited: What are the Educational Implications? SWAIN, M. KINNEAR, P. STEINMAN, L. Sociocultural Theory in Second Language Education: An Introduction through Narratives. Bristol, UK: Multilingual Matters, 2010.