Ferreira Sebastiao Aprendizagem e conhecimento em projectos de desenvolvimiento - Como aprender, e como potenciar o que foi aprendido.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ferreira Sebastiao Aprendizagem e conhecimento em projectos de desenvolvimiento - Como aprender, e como potenciar o que foi aprendido.

on

  • 691 views

 

Statistics

Views

Total Views
691
Views on SlideShare
691
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ferreira Sebastiao Aprendizagem e conhecimento em projectos de desenvolvimiento - Como aprender, e como potenciar o que foi aprendido. Presentation Transcript

  • 1. Aprendizagem eConhecimento emProjetos deDesenvolvimentoComo aprender,e como potenciaro que foi aprendido
  • 2. O Conceito de Impactos Projeto Projeto é um conjunto de Objetivos hipóteses e premissas que relacionam (0) recursos com Resultados (1) ações, (2) resultados, (3) Objetivos, e(4) impactos econômicos e sociais. Ações Os projetos são instrumentos de inovação Recursos
  • 3. A Funções dos Projetos• Os projetos tem quatro grandes funções: 1. Organizar ideias 2. Negociar recursos Ciclo de gestão 3. Orientar e avaliar a ação 4. Gerar conhecimento Aprendizagem Vamos tratar aos projetos e os desafios para que realmente sejam fontes de conhecimento.
  • 4. O Foco da Atenção nos Projetos e a evaporação dosNos projetos, o foco Conhecimentos da atenção está em garantir o sucesso.Espontaneamente, a Foco de Atenção Ações Ações Ações aprendizagem é um subproduto. R0 R1 R2 R3 Por momentos aprendemos, especialmente Processo de Aprendizagem Antes /// Durante /// Depois resolvendo Cenário Reflexões e Avaliações Sistematização problemas, mas rapidamenteregressamos à ação.
  • 5. Hipóteses• Hipóteses são afirmações explícitas, conscientes sobre fatos ou sobre relações de causalidade.• As hipóteses podem ser verdadeiras ou falsas: – Com uma melhor infraestrutura de caminhos o custo do transporte diminui. – As epidemias de cólera de Londres eram causadas pelo mal cheiro das áreas sujas da ribeira do Thames.• Numa pesquisa o conhecimento avança principalmente negando hipóteses. A confirmação de hipóteses aumenta a confiança no conhecimento existente.
  • 6. Premissas Tácitas• Premissas tácitas são crenças tradicionais ou modernas que, inconscientemente, são utilizadas para interpretar fenómenos ou prever evoluções futuras da realidade.• As premissas tácitas são utilizadas para pensar mas são invisíveis para quem as utiliza. – Si a cidade A cresceu com as políticas P1, P2 e P3, e si a cidade B, é parecida à cidade A, então B também deverá crescer com essas mesmas políticas.• O problema com as premissas tácitas é que não as conhecemos, ou não as conhecemos bem.• Frequentemente, nós somos inconscientes do uso das premissas tácitas.
  • 7. As metáforas consistem A Mágica dasem entender umfenómeno como si fosse Metáforasoutro, em ver uma coisacomo si fosse outra coisaque é nossa conhecida: “As forças sociais se neutralizam” “O cérebro é uma Si não máquina” entendemos algo, “O conhecimento se magicamente o difunde” “entendemos” por “Somos cegos explorando meio de uma um elefante metáfora.
  • 8. O Papel das Metáforas• Utilizamos metáforas para entender e explicar o que não entendemos, ou não entendemos bem.• As metáforas são ferramentas cognitivas que utilizamos para pensar e atuar em condições de insuficiência de conhecimento, quer dizer, para pensar e atuar em condições de ignorância.• As metáforas são poderosos recursos de discurso.• As metáforas geram sensação de entendimento.• As metáforas geram premissas tácitas.
  • 9. Teoria detrás da AçãoQuando atuamos sempre temosuma teoria detrás da ação, estejamos conscientes ou inconscientes do seu uso. Donald Schön, Chris Argyris e Peter Senge a chamam:Teoria em uso Senge, P. (1990). The Fifth Discipline
  • 10. Arquetipos para Entender Sistemas Complexos (Senge)Senge, P. (1990). The Fifth Discipline
  • 11. O Positivo e Negativo das Teorias em Uso• As Teorias em Uso nos ajudam criar uma interpretação dos fenómenos sobre os quais atuamos, e assim ganhamos confiança no que estamos fazendo.• As Teorias em Uso estão cheias de Premissas Tácitas.• O problema é que não somos plenamente conscientes das Teorias em Uso que utilizamos.• Quando algo fracassa e não achamos uma explicação, nos sentimos mal e confundidos.• Quanto mais conhecemos as nossas Teorias em Uso melhor podemos assimilar as surpresas.
  • 12. O Conhecimento Tácito e o Conhecimento Explícito• Os conhecimentos tácitos são aqueles conhecimentos dos quais não somos conscientes deles e que, si temos consciência, não sabemos explicar.• Conhecimentos explícitos são conhecimentos que podem ser explicados em símbolos: livros, artigos, crenças escritas, etc.• Toda atividade prática requer uma combinação de conhecimentos explícitos e tácitos.
  • 13. Por um milhão de anos, antes da invenção da linguagem, os nossosconhecimentos eram exclusivamente tácitos
  • 14. Os Mistérios do Conhecimento Tácito• O conhecimento tácito se expressa na ação, ou se encontra inserido em expressões artísticas.• Grande parte dos conhecimentos que adquirimos pela prática, como executando projetos, são tácitos.• Os conhecimentos tácitos podem ser invisíveis até para o seu dono: a pessoa sabe, mas não sabe que sabe.• Compartilhar os conhecimentos tácitos é difícil e toma tempo.• Trabalhando juntos é possível compartilhar conhecimentos tácitos.• Captando imagens de uma atividade também possibilita compartilhar conhecimentos tácitos.
  • 15. Fazendo Visível ao Invisível• Muitas premissas tácitas são consideradas obvias sem necessidade de confirmação experimental.• Podemos manter intocáveis as nossas crenças por décadas, gerações, séculos e milênios.• Os fracassos ajudam a visibilizar às premissas tácitas, mas uma revisão crítica é necessária .• Aceitar o fracasso das nossas crenças e realizar uma avaliação crítica delas requer coragem intelectual e física.• Quando se vislumbram outras formas de entender, temos mais valor para criticar as nossas crenças.
  • 16. Áreas de Aprendizagem Nível de aprendizagemNão estamos treinados para O foco dasconversar sobre fracassos sistematizações actuais: 90% a 100% Sucesso 100% 70% Fracasso 70% Sucesso 100% Fracasso 30% Sucesso 30% Fracasso Sucesso Qualidade dos Resultados Fonte: Exposição de Steve Denning no Banco Mundial, 2003
  • 17. Ciclo da Aprendizagem O Ciclo da Projeção de aprendizagem de Conceitos e Hipóteses quatro passos foi Momentos imaginado John Conceituais Dewey, Jean Transformação Realização dePiaget, David Kolb, Experiências de Conceitos e e Chis Argyris, Teorias e Observação entre outros teóricos da Momentos aprendizagem Operacionais baseada na Reflexão experiência.
  • 18. Hipóteses Conceituais Hipóteses Estratégicas Desenho da Ação Estratégias AjustadasAjustadosEnfoques Ajustados Ajustada Métodos Ação e Ação Observação Reflexão 1 Reflexão 2 Reflexão 3 Reflexão 4
  • 19. Como desenvolvemos hábitos de pensamento que delimitam os nossos conhecimentos• Atividades: Os métodos, as estratégias e os enfoques conceituais ficam fora do campo de aprendizagem sistemática. Depois de um tempo, o cérebro opera as atividades em forma mecânica ou quase mecânica. (After Action Review)• Métodos e processos: O contexto e os enfoques conceituais ficam fora do campo de aprendizagem sistemática. A mecanização também está presente. (reengenharia)• Estratégias: O contexto é assimilado, mas os enfoques e as metáforas que delimitam as nossas percepções e guiam o nosso pensamento ficam congelados. (planejamento estratégico)• Enfoques conceituais: Finalmente podemos navegar os contextos e as teorias, mas ainda estaremos dentro dos marcos dos paradigmas do nosso tempo.
  • 20. Não ha nada mais prático do que uma boa teoria (Kurt Lewin)• Os enfoques conceituais definem como interpretamos o contexto e a nossa prática. – Os APL são uma forma de olhar/entender o espaço – Governança de Bens privados, públicos, clube e comuns• Em alguns casos os enfoques conceituais filtram o que percebemos e o que não percebemos.• Os enfoques conceituais podem fracassar por décadas antes de ser superados.• Com enfoques conceituais limitados, trabalhos bem feitos não produzem os impactos esperados.
  • 21. Fragmentação Empirista do Ciclo de Aprendizagem Projeção de conceitos e hipóteses Ajustes Metodológicos eFormação de Estratégicos Realização de conceitos e Experiências e teorias Observação Reflexão sobre, atividades ou Metodologias
  • 22. Fragmentação da Aprendizagem, Congelamento IntelectualA vitória dos Memes Projeção de conceitos e hipóteses Formação de Realização de conceitos e Experiências teorias Colheita de Concretas Casos e Idéias Confirmatórias Reflexão: atividades ou Metodologias
  • 23. A Superação da Fragmentação,por Daniel Kim
  • 24. Que tipo de sistematização é maisimportante para a sociedade?