TAV e os Trens Regionais     Junho, 2011 – FIESP – 6º Encontro de Logística e Transportes                                 ...
2ANPTrilhos Apóia o Trem de Alta Velocidade Brasileiro   A Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Tr...
3Mobilidade Urbana no Brasil   Os problemas relacionados à mobilidade das pessoas e das mercadorias   nos centros urbanos ...
4Mobilidade Urbana no Brasil  Entre 1977 e 2005 nas grandes Regiões Metropolitanas do Brasil, observou-  se a queda no uso...
5Mobilidade Urbana no Brasil  Atualmente, o sistema de  Mobilidade urbana dos grandes  centros urbanos brasileiros se  car...
6Problemática: Crescente Demanda por Transporte de Passageiros   Saturação da infraestrutura atual    Esgotamento da capac...
7Solução: Investimento em Transporte de Alta Capacidade                                                                   ...
8Solução: Investimento em Transporte de Alta Capacidade                                         Ônibus faixa Metrô - 1 via...
9Implantação de Trilhos é tendência mundial para mobilidade            TREM DE ALTA VELOCIDADE (acima de 200Km/h)         ...
10Implantação de Trilhos é tendência mundial para mobilidade                          SISTEMA METROVIÁRIO                 ...
11Benefícios do Transporte sobre Trilhos   Qualidade do Serviço:                 Aumento da mobilidade     Regularidade   ...
12ANPTrilhos trabalha pelo desenvolvimento do setor        Pelas razões expostas é que a Associação Nacional dos  Transpor...
OBRIGADO                         Joubert Flores – Presidente da ANPTrilhos e Diretor de                                   ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

TAV e os Trens Regionais

582

Published on

A Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) tem por objetivo promover o desenvolvimento e o aprimoramento do transporte de passageiros sobre trilhos no país, congregando operadores, empresas fabricantes, fornecedores e associações do setor.

A ANPTrilhos apóia tanto a implantação do TAV Brasileiro, quanto dos Trens Regionais, baseada em quatro razões fundamentais:
Os projetos promovem a inovação tecnológica no país;
Evidenciam o transporte de passageiros sobre trilhos como uma solução para os centros urbanos e para o transporte regional;
Contribuem para o reordenamento do transporte urbano e interestadual; e
Estimulam as economias local e nacional

Published in: Technology
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • “Existe um consenso entre a maioria dos gestores, da importância da redução dos objetos do mesmo gênero a um só tipo, unificando e simplificando sua execução”.
    A padronização é uma técnica que visa reduzir a variabilidade dos processos de trabalho, e consequentemente os custos, sem prejudicar sua flexibilidade e qualidade, destina-se a definir os produtos, os métodos para a produção, às maneiras de atestar sua conformidade, e que os mesmos atendem às necessidades dos clientes, de maneira mais simples, minimizando custos e as diversidades em todos os segmentos, inclusive os ferroviários.

    ”Trens regionais *pendulares de passageiros poderão trafegar nas futuras linhas segregadas exclusivas do *TAV”, (Como acontece nas maiorias de cidades do mundo) trata-se de parâmetro básico fundamental, pois pela proposta, as mesmas composições atenderiam de imediato aos trens regionais planejados nas maiores cidades brasileiras ~150km/h utilizando alimentação elétrica existente em 3,0 kVcc, a curto prazo, já dando a diretriz quando fossem utilizadas nas futuras linhas exclusivas segregadas do *TAV, aí utilizando a tensão e corrente elétrica de 25kVca, com velocidade max. de 250 km/h, pois o fato de trens regionais e TAV serem de operações distintas não justifica que não tenham que se integrar, pois seria uma insensatez.
    Para que isto seja possível, a largura padronizada das carruagens serão de ~3,15 m (Standard) e bitola em 1,6m.
    Não confundir com os trens suburbanos espanhóis da CPTM-SP e alguns da SUPERVIA-RJ de ~2,8 m (proposta da Halcrow para o TAV) que possuem uma plataforma (gambiarra) em frente ás portas para compensar o vão.
    Nota: Categoria de velocidade de até 250 km/h é considerada trem regional, *TAV é classificado com velocidade acima de 250 km/h baseado neste fato, podemos concluir que não existe *TAV nas Américas, e muitos que aparecem como exemplos de TAV como Acela, Alfa Pendular, Talgo, e principalmente a maioria dos de dois andares que são os mais indicados (double decker), são na realidade trens regionais.
    No metrô de São Paulo, foram especificadas linhas de metrô 4 e 5, utilizando bitolas e formas de alimentação elétricas divergentes das existentes 1,2 e 3, bloqueando as possibilidades de bifurcação e interpenetração em “Y” como acontece no Rio de Janeiro e na CPTM em São Paulo, entre outras inúmeras facilidades como o uso de composições comuns integradas.
    Custo total estimado para construção do TAV Rio de Janeiro – Campinas, para outros projetos de infraestrutura de grande vulto e despesa efetivamente realizada em infraestrutura ferroviária e aeroportuária
    R$ bilhões
    1ª TAV (34,6)
    2ª Usina hidrelétrica de Belo Monte (19,0)
    3ª Usina hidrelétrica de Santo Antônio (8,8)
    4ª Usina hidrelétrica de Jirau (8,7)
    5ª Ferrovia Norte-Sul (6,5)
    6ª Ferrovia Transnordestina (5,4)
    7ª Integração do Rio São Francisco (4,5)

    8ª Invest. público e privado em ferrovias de 1999 a 2008 (16,6)
    9ª Invest. público em aeroportos de 1999 a 2008 (3,1)

    A maioria das grandes obras do PAC listadas acima, de porte menor que o TAV, e não menos importantes, principalmente as usinas hidroelétricas ( Que podem paralisar o país ) não foram completadas até hoje, temos opções melhores, mais rápidas e econômicas.
    Não faz sentido se preocupar com transferência de tecnologia ferroviária por uns poucos trens, temos provavelmente aqui instalada a maior quantidade de indústria automobilística multinacional do mundo, e não exigimos isto, a não ser que se queira criar a Ferrobrás, uma estatal com prazo curto para falir, muito diferente do acordo com a SAAB da Suécia com relação aos jatos Gripen, em que se formara uma “joint venture”, esta sim será uma próspera parceria.
    Conclusões:
    A padronização continua sendo uma forma extremamente econômica e ágil de se expandir, integrar, uniformizar, racionalizar e minimizar os estoques de sobressalentes e ativos e a manutenção de trens de passageiros no Brasil.
    As análises globais, e especificações técnicas devem ser de iniciativas e interesses do cliente, e não dos fabricantes, que poderão sugerir, mas não impor o seu produto.
    A integração ferroviária deve-se dar de forma prática e concreta, e não em discursos contraditórios eleitoreiros.
    “O adiamento é preferível ao erro” Thomas Jefferson
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
582
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

TAV e os Trens Regionais

  1. 1. TAV e os Trens Regionais Junho, 2011 – FIESP – 6º Encontro de Logística e Transportes Joubert Flores – Presidente da ANPTrilhos e Diretor de Relações Institucionais do Metrô Rio contato@anptrilhos.org.brApoio: Associados:
  2. 2. 2ANPTrilhos Apóia o Trem de Alta Velocidade Brasileiro A Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) tem por objetivo promover o desenvolvimento e o aprimoramento do transporte de passageiros sobre trilhos no país, congregando operadores, empresas fabricantes, fornecedores e associações do setor. A ANPTrilhos apóia tanto a implantação do TAV Brasileiro, quanto dos Trens Regionais, baseada em quatro razões fundamentais: 1) Os projetos promovem a inovação tecnológica no país; 2) Evidenciam o transporte de passageiros sobre trilhos como uma solução para os centros urbanos e para o transporte regional; 3) Contribuem para o reordenamento do transporte urbano e interestadual; e 4) Estimulam as economias local e nacional.
  3. 3. 3Mobilidade Urbana no Brasil Os problemas relacionados à mobilidade das pessoas e das mercadorias nos centros urbanos afetam diretamente a qualidade de vida da população. Devido ao intenso crescimento urbano no Brasil a partir da década de 1950, muitas cidades e regiões metropolitanas passaram a apresentar sistemas de mobilidade de baixa qualidade e de alto custo, com impactos negativos na vida das pessoas e nos custos econômicos e ambientais para a sociedade. A grande transformação na mobilidade nas cidades brasileiras começou a ocorrer na década de 1950, quando o processo intenso de urbanização se associou ao aumento do uso de veículos motorizados, resultado de uma política de Estado que priorizou o investimento na indústria automobilística.
  4. 4. 4Mobilidade Urbana no Brasil Entre 1977 e 2005 nas grandes Regiões Metropolitanas do Brasil, observou- se a queda no uso do transporte público e o aumento no uso do automóvel. FONTE: IPEA, 2011.
  5. 5. 5Mobilidade Urbana no Brasil Atualmente, o sistema de Mobilidade urbana dos grandes centros urbanos brasileiros se caracteriza pelo intenso uso do transporte individual motorizado. Esse padrão de mobilidade baseado no uso intensivo de transporte motorizado individual teve enorme conseqüência nos gastos dos usuários, no consumo de energia e na geração de externalidades negativas como a poluição, o congestionamento e FONTE: IPEA, 2011. os acidentes de trânsito. FONTE: IPEA, 2011.
  6. 6. 6Problemática: Crescente Demanda por Transporte de Passageiros Saturação da infraestrutura atual Esgotamento da capacidade operacional dos sistemas de transportes implantados Alta demanda por transporte de passageiros Incremento dos tempos de deslocamento Aumento dos níveis de poluição Aumento do número de acidentes
  7. 7. 7Solução: Investimento em Transporte de Alta Capacidade 1 trem = 1.800 clientes = 43 ônibus = 200 vans =1.200 veículos particulares
  8. 8. 8Solução: Investimento em Transporte de Alta Capacidade Ônibus faixa Metrô - 1 via 6.700 pass./h 60.000 pass./h Automóveis faixas 5.450 pass./h
  9. 9. 9Implantação de Trilhos é tendência mundial para mobilidade TREM DE ALTA VELOCIDADE (acima de 200Km/h) Extensão Extensão Em Ano de Projetado País Inicial Atual Construção implantação (Km) (Km) (Km) (Km)Japão 1964 515 2.387 590 583França 1981 471 1.872 299 2.616Espanha 1992 471 1.599 2.219 1.702Alemanha 1988 327 1.285 378 670China 2003 442 832 3.404 4.075Italia 1981 224 744 132 395Turquia 2009 235 235 510 1.679Portugal 1.006Brasil 510
  10. 10. 10Implantação de Trilhos é tendência mundial para mobilidade SISTEMA METROVIÁRIO Extensão da Pass./ ano Cidades Nº de Linhas rede Nº Estações (m) (Km) Sydney 16 1.103,00 304 304,849 Nova York 10 479,56 424 1.629,072 Londres 12 438,90 270 1.103,403 Moscou 12 292,20 161 2.572,900 Madri 14 274,56 241 689,026 Pequim 8 200,00 106 713,270 Paris 14 214,50 300 1.525,520 Rio de Janeiro 2 41 33 163.958 São Paulo 4 70,6 62 754.049
  11. 11. 11Benefícios do Transporte sobre Trilhos Qualidade do Serviço: Aumento da mobilidade Regularidade urbana Segurança Menor tempo de deslocamento Conforto Aumento da qualidade de Diversidade vida e da produtividade Alta capacidade econômica Redução da poluição
  12. 12. 12ANPTrilhos trabalha pelo desenvolvimento do setor Pelas razões expostas é que a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) trabalha pelo desenvolvimento e aprimoramento do transporte de passageiros sobre trilhos no Brasil, buscando contribuir para a melhoria da mobilidade urbana e da qualidade de vida da população.
  13. 13. OBRIGADO Joubert Flores – Presidente da ANPTrilhos e Diretor de Relações Institucionais do Metrô Rio contato@anptrilhos.org.br ANPTrilhos nas redes sociais: Twitter: @ANPTrilhos Facebook: ANP Trilhos Orkut: ANPTrilhosApoio: Associados:
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×