CEI- Coeficientes de Exportação e Importação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação

on

  • 726 views

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação
Informativo Trimestral – 1º Trimestre de 2013

Statistics

Views

Total Views
726
Views on SlideShare
615
Embed Views
111

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

1 Embed 111

http://www.fiesp.com.br 111

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação Document Transcript

  • 1. 1 Informativo trimestral  1º trimestre de 2013 Para mais informações www.fiesp.com.br São Paulo, 17 de setembro de 2013 Exportações da indústria de transformação ganham fôlego no segundo trimestre de 2013. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Aumenta parcela da produção destinada ao exterior no segundo trimestre de 2013. O Coeficiente de Exportação (CE) para a Indústria de Transformação se elevou para 18,8% nos meses entre abril e junho deste ano. Na comparação com o segundo trimestre de 2012, o CE mostrou um acréscimo de 1,1 pontos percentuais (p.p.). Com tal valor, o coeficiente registrou o quinto maior resultado da série histórica trimestral. Penetração dos importados também cresce, mantendo trajetória ascendente. O Coeficiente de Importação (CI), também para a Indústria de transformação encerrou o segundo trimestre de 2013 com um aumento de 0,8 p.p. na comparação com o mesmo período do ano anterior. O indicador atingiu 23,4%, valor que permanece em trajetória ascendente e levou o coeficiente a máxima histórica da série trimestral. 18,7% 17,2% 15,9% 14,9% 17,0% 17,7% 18,8% 15,5% 17,6% 15,1% 19,3% 21,5% 22,6% 23,4% 2º T 07 2º T 08 2º T 09 2º T 10 2º T 11 2º T 12 2º T 13 Coef. Exportação Coef. Importação Coeficiente de Exportaçãoe Importaçãoda Indústriade Transformação
  • 2. 2 1 Variações relativas a valores constantes (em R$) de 2006. Produção nacional avança no mercado doméstico A produção industrial brasileira, na série livre de influências sazonais, avançou 4,3% no segundo trimestre de 2013 ante a igual período de 2012. Com esse resultado, o indicador trimestral interrompeu a trajetória de arrefecimento do setor industrial. Na mesma base de comparação, a parcela da produção industrial destinada apenas ao mercado interno também cresceu. O desempenho do setor industrial foi acompanhado por um aumento de 7,2% do quantum exportado, sendo que as importações cresceram em um ritmo levemente superior (8,3%)1 . Importante ressaltar que o cálculo dos coeficientes não considera o efeito preço, isto é, variações no valor das exportações e importações. Portanto, o déficit comercial registrado no ano não interfere nos resultados. Além da recuperação industrial no período, verificou-se também uma intensificação da demanda doméstica de produtos industriais. O consumo aparente cresceu 4,9% de abril a junho. Tal conjuntura configurou uma inversão no movimento descompassado referente à demanda e a produção Interna. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Dessa forma, o setor industrial nacional absorveu uma maior parcela da demanda doméstica. No segundo trimestre, ao observar o aproveitamento da expansão do consumo aparente, é possível verificar que a indústria nacional concentrou 58,9%, enquanto os produtos estrangeiros responderam por 41,1% do consumo. Tal conjuntura pode indicar os efeitos inicias da desvalorização cambial a partir de meados de maio. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Coeficiente de Exportação (CE) O Coeficiente de Exportação da indústria brasileira, que corresponde à participação das exportações na produção industrial, mostrou significativa expansão no segundo trimestre de 2013 em relação aos três meses imediatamente anteriores. O indicador, que atingiu 21,0%, registrou acréscimo de aproximadamente 2,8 p.p. Apesar de a expansão industrial ter contribuído para o resultado, parte desta elevação também pode ser atribuída ao baixo desempenho do setor no primeiro trimestre deste ano. Já na comparação com abril a junho de 2012, o CE da indústria geral aumentou em um ritmo bem mais modesto (0,5 p.p.). 7,2% 8,3% 4,9% 3,8% Exportações Importações Consumo Aparente Produção p/ mercado interno Variações comparadas da Indústria 2T-2013 x 2T-2012 58,9% 41,1% Indústria Nacional Importados Aproveitamento da expansão do consumo aparente 2T-2013 x 2T-2012
  • 3. 3 Em relação à indústria de transformação, o coeficiente de exportação se elevou em 1,1 p.p., atingindo o patamar de 18,8% na comparação entre os meses de abril a junho de 2013 e 2012. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Na análise de 32 setores produtivos da indústria de transformação, apenas 13 apresentaram elevação do coeficiente em relação ao ano anterior (Tabela 1), com destaque para a expressiva expansão do setor de outros equipamentos de transporte (+41,0 p.p.), seguido pelos segmentos de metalurgia de metais não ferrosos (+7,8p.p.) e preparação e artefatos de couros (+6,0 p.p.). As reduções mais significativas do CE ocorreram nos setores de aeronaves (-16,8 p.p.) e ferro-gusa e ferroligas (- 14,0 p.p.) na mesma base de comparação. Coeficiente de Importação (CI) O Coeficiente de Importação, que representa a parcela do consumo interno atendida por produtos estrangeiros, no segundo trimestre de 2013 registrou alta de 0,76 p.p. frente aos três meses imediatamente anteriores. Na comparação interanual, o CI da indústria mostrou aumento de quase 0,8 p.p., alcançando o patamar de 24,8%, o quarto maior nível do indicador na série histórica trimestral. Ao analisar o coeficiente de importação da indústria de transformação, também se verificou uma ampliação cerca de 0,8 p.p. frente a 2012, chegando-se a 23,4% no segundo trimestre de 2013. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP 19,9% 20,2% 19,9% 19,0% 20,5% 20,3% 20,4% 18,2% 21,0% 17,0% 17,1% 16,6% 16,1% 17,7% 17,4% 17,1% 15,9% 18,8% 2º T 11 3º T 11 4º T 11 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 Coeficientes de ExportaçãodaIndústria Indústria Geral Indústria de Transformação 22,9% 23,4% 24,0% 22,6% 24,0% 22,3% 24,1% 24,1% 24,8% 21,5% 22,3% 22,7% 21,6% 22,6% 21,2% 22,8% 22,7% 23,4% 2º T 11 3º T 11 4º T 11 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 Coeficientes de ImportaçãodaIndústria Indústria Geral Indústria de Transformação Período Indústria Geral Indústria de Transformação 2º T 07 17,1% 15,5% 2º T 08 19,5% 17,6% 2º T 09 16,9% 15,1% 2º T 10 20,7% 19,3% 2º T 11 22,9% 21,5% 2º T 12 24,0% 22,6% 2º T 13 24,8% 23,4% Evolução do Coeficiente de Importação Período Indústria Geral Indústria de Transformação 2º T 07 20,8% 18,7% 2º T 08 19,6% 17,2% 2º T 09 18,2% 15,9% 2º T 10 17,7% 14,9% 2º T 11 19,9% 17,0% 2º T 12 20,5% 17,7% 2º T 13 21,0% 18,8% Evolução do Coeficiente de Exportação
  • 4. 4 No período analisado, metade dos segmentos produtivos da indústria de transformação registrou aumento do CI em 2013 em face ao mesmo período do ano anterior (Tabela 2). O setor de outros equipamentos de transporte novamente foi o destaque de maior alta (+7,4 p.p.), seguido por produtos farmacêuticos (+7,36 p.p.) e autopeças (+3,3 p.p.). Entre os segmentos que registraram redução do coeficiente, destaca-se outra vez o de aeronaves, com baixa de 12,0 p.p. em bases anuais. Mais uma vez, cabe mencionar que o resultado se alinha ao desempenho das exportações de aviões, uma vez que este é um exemplo de setor intensivo em insumos importados e com uma cadeia produtiva integrada. Nota metodológica: O coeficiente de exportação (CE) mensura a participação das exportações na produção total do setor. É calculado pela divisão do quantum exportado pela produção industrial*. O coeficiente de importação (CI) corresponde à participação das importações no consumo doméstico de bens industriais (soma da produção e das importações subtraídas das exportações). É calculado pela divisão do quantum importado pelo consumo aparente*. *em valores constantes de 2006 EQUIPE TÉCNICA Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior – DEREX Área de Análise Econômica do Comércio Exterior Diretor Titular: Roberto Giannetti da Fonseca Gerente: Magaly M. Menezes Equipe: José Luiz Pimenta Jr., Laura Gonçalves Bilbao e Fernando Marques Endereço: Av. Paulista, 1313, 4º andar – São Paulo/SP – 01311-923 Telefone: (11) 3549-4627 | Fax: (11) 3549-4730
  • 5. 5 Tabela 1 Voltar 2º Trim 13 2º Trim 13 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 2º Trim 12 1º Trim 13 Indústria Geral 19,0% 20,5% 20,3% 20,4% 18,2% 21,0% 0,5 pp ▲ 2,8 pp ▲ Indústria de Transformação 16,1% 17,7% 17,4% 17,1% 15,9% 18,8% 1,1 pp ▲ 2,8 pp ▲ Indústrias Extrativas 70,0% 68,1% 71,5% 76,9% 59,4% 63,7% -4,4 pp ▼ 4,3 pp ▲ Outros equipamentos de transporte (3) 16,2% 7,0% 10,7% 29,8% 30,8% 47,9% 41,0 pp ▲ 17,1 pp ▲ Metalurgia de metais não-ferrosos 51,4% 43,0% 47,3% 50,8% 53,1% 50,9% 7,8 pp ▲ -2,2 pp ▼ Preparação de couros e artefatos de couro 57,5% 68,2% 68,1% 71,7% 69,2% 74,3% 6,0 pp ▲ 5,1 pp ▲ Celulose, papel e produtos de papel 25,6% 25,0% 23,7% 24,6% 25,6% 26,9% 1,8 pp ▲ 1,2 pp ▲ Produtos de madeira 21,8% 21,3% 20,3% 21,2% 20,3% 22,6% 1,4 pp ▲ 2,3 pp ▲ Automóveis, caminhões e ônibus 15,5% 14,1% 13,6% 13,4% 12,0% 15,1% 1,0 pp ▲ 3,0 pp ▲ Produtos farmacêuticos 7,0% 8,1% 7,7% 7,7% 7,6% 9,0% 0,9 pp ▲ 1,4 pp ▲ Produtos de minerais não-metálicos 6,0% 7,7% 6,7% 6,9% 6,6% 8,6% 0,9 pp ▲ 2,0 pp ▲ Alimentos e bebidas 24,1% 24,1% 25,1% 27,1% 25,4% 25,0% 0,9 pp ▲ -0,4 pp ▼ Máqs. para escritório e equips. de informática 7,0% 4,9% 7,1% 8,6% 8,7% 5,5% 0,6 pp ▲ -3,2 pp ▼ Artigos do mobiliário 5,3% 5,5% 6,1% 6,1% 5,0% 5,7% 0,2 pp ▲ 0,7 pp ▲ Artigos do vestuário e acessórios 1,4% 1,3% 1,4% 1,5% 1,6% 1,5% 0,1 pp ▲ -0,1 pp ▼ Produtos químicos (1) 12,6% 12,4% 11,8% 11,9% 12,2% 12,4% 0,1 pp ▲ 0,3 pp ▲ Produtos diversos 12,7% 12,1% 11,9% 14,0% 11,8% 12,0% -0,1 pp ▼ 0,1 pp ▲ Material eletrônico e aparelhos de comunicação 8,5% 9,9% 9,3% 10,9% 9,3% 9,7% -0,2 pp ▼ 0,4 pp ▲ Produtos de metal 5,0% 5,5% 6,3% 5,5% 4,4% 5,2% -0,3 pp ▼ 0,8 pp ▲ Eletrodomésticos 2,5% 3,6% 3,3% 3,4% 3,2% 3,2% -0,4 pp ▼ 0,0 pp ▼ Refino de petróleo e produção de álcool 6,9% 5,9% 7,2% 7,9% 4,8% 5,5% -0,4 pp ▼ 0,7 pp ▲ Peças e acessórios para veículos automotores 8,9% 8,6% 8,5% 8,7% 7,7% 8,0% -0,5 pp ▼ 0,3 pp ▲ Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 5,3% 6,1% 6,6% 5,4% 5,2% 5,5% -0,6 pp ▼ 0,2 pp ▲ Artigos de borracha e plástico 8,2% 8,1% 7,4% 7,4% 6,9% 7,2% -0,9 pp ▼ 0,3 pp ▲ Calçados 15,9% 15,1% 14,4% 15,3% 15,4% 14,2% -0,9 pp ▼ -1,3 pp ▼ Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 14,6% 17,1% 18,0% 14,5% 12,8% 16,1% -0,9 pp ▼ 3,3 pp ▲ Produtos têxteis 12,7% 11,5% 18,7% 25,5% 12,5% 8,5% -3,0 pp ▼ -4,0 pp ▼ Fundição e tubos de ferro e aço 11,7% 11,4% 14,6% 10,1% 10,4% 8,4% -3,0 pp ▼ -2,0 pp ▼ Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 17,2% 18,1% 21,7% 21,6% 13,7% 14,2% -3,9 pp ▼ 0,5 pp ▲ Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 11,1% 15,2% 12,5% 11,9% 10,2% 11,2% -4,0 pp ▼ 1,0 pp ▲ Siderurgia 19,0% 19,4% 17,4% 19,6% 20,3% 15,3% -4,1 pp ▼ -5,0 pp ▼ Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 34,6% 38,2% 37,9% 34,7% 28,4% 31,4% -6,8 pp ▼ 3,0 pp ▲ Máqs. e equips. para extração mineral e construção 38,8% 36,6% 37,8% 46,2% 31,5% 28,7% -7,9 pp ▼ -2,8 pp ▼ Ferro-gusa e ferroligas 60,4% 57,7% 53,5% 57,1% 56,4% 43,7% -14,0 pp ▼ -12,6 pp ▼ Aeronaves 39,3% 47,7% 37,6% 57,8% 28,8% 30,9% -16,8 pp ▼ 2,1 pp ▲ (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques Coeficientes de Exportação (Trimestral)
  • 6. 6 Tabela 2 Voltar 2º Trim 13 2º Trim 13 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 2º Trim 12 1º Trim 13 Indústria Geral 22,6% 24,0% 22,3% 24,1% 24,1% 24,8% 0,8 pp ▲ 0,8 pp ▲ Indústria de Transformação 21,6% 22,6% 21,2% 22,8% 22,7% 23,4% 0,8 pp ▲ 0,7 pp ▲ Indústrias extrativas 51,8% 58,2% 55,9% 62,0% 54,9% 58,8% 0,6 pp ▲ 4,0 pp ▲ Outros equipamentos de transporte (3) 20,1% 20,4% 22,8% 25,4% 27,0% 27,8% 7,4 pp ▲ 0,9 pp ▲ Produtos farmacêuticos 26,7% 28,3% 24,0% 30,8% 34,1% 35,6% 7,4 pp ▲ 1,5 pp ▲ Peças e acessórios para veículos automotores 10,9% 9,8% 11,1% 12,1% 12,9% 13,1% 3,3 pp ▲ 0,2 pp ▲ Produtos químicos (1) 28,2% 30,0% 30,9% 32,4% 30,3% 33,1% 3,1 pp ▲ 2,7 pp ▲ Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 9,5% 10,2% 11,6% 12,7% 11,5% 12,9% 2,7 pp ▲ 1,4 pp ▲ Preparação de couros e artefatos de couro 21,1% 26,5% 31,5% 39,5% 28,1% 28,8% 2,3 pp ▲ 0,7 pp ▲ Metalurgia de metais não-ferrosos 34,6% 33,0% 36,0% 37,1% 32,4% 35,0% 2,0 pp ▲ 2,5 pp ▲ Produtos de metal 14,3% 13,3% 14,4% 16,1% 15,8% 15,2% 2,0 pp ▲ -0,6 pp ▼ Fundição e tubos de ferro e aço 19,5% 17,7% 20,4% 18,8% 23,4% 19,6% 1,9 pp ▲ -3,8 pp ▼ Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 37,6% 37,9% 39,7% 38,5% 40,1% 39,7% 1,9 pp ▲ -0,4 pp ▼ Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 53,8% 57,2% 55,2% 56,9% 57,8% 58,6% 1,4 pp ▲ 0,8 pp ▲ Artigos do vestuário e acessórios 18,0% 9,9% 11,1% 12,6% 20,1% 11,3% 1,3 pp ▲ -8,8 pp ▼ Produtos têxteis 23,2% 20,7% 24,2% 27,6% 26,9% 21,6% 0,8 pp ▲ -5,3 pp ▼ Artigos de borracha e plástico 17,4% 17,2% 17,5% 18,1% 18,0% 18,0% 0,8 pp ▲ 0,0 pp ▼ Alimentos e bebidas 6,6% 5,2% 5,0% 6,7% 6,8% 5,5% 0,3 pp ▲ -1,3 pp ▼ Celulose, papel e produtos de papel 10,1% 10,2% 10,4% 9,5% 9,7% 10,4% 0,2 pp ▲ 0,7 pp ▲ Produtos de minerais não-metálicos 10,1% 9,6% 9,5% 9,3% 9,7% 9,5% -0,1 pp ▼ -0,2 pp ▼ Automóveis, caminhões e ônibus 22,6% 21,4% 20,3% 22,4% 17,4% 21,3% -0,1 pp ▼ 3,9 pp ▲ Produtos de madeira 2,3% 2,0% 2,1% 2,2% 1,9% 1,8% -0,1 pp ▼ 0,0 pp ▼ Calçados 8,0% 8,1% 6,9% 6,9% 8,6% 7,7% -0,3 pp ▼ -0,8 pp ▼ Material eletrônico e aparelhos de comunicação 48,5% 51,4% 46,9% 49,4% 53,6% 50,7% -0,6 pp ▼ -2,9 pp ▼ Produtos diversos 29,4% 30,3% 36,5% 35,4% 31,9% 29,1% -1,2 pp ▼ -2,8 pp ▼ Artigos do mobiliário 2,8% 3,2% 3,2% 3,6% 2,6% 2,0% -1,2 pp ▼ -0,6 pp ▼ Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 45,7% 54,0% 55,0% 50,5% 47,7% 52,1% -1,9 pp ▼ 4,4 pp ▲ Ferro-gusa e ferroligas 11,3% 12,3% 11,5% 11,3% 10,9% 10,2% -2,1 pp ▼ -0,6 pp ▼ Refino de petróleo e produção de álcool 20,2% 23,4% 12,7% 19,2% 21,4% 20,5% -2,9 pp ▼ -0,9 pp ▼ Máqs. e equips. para extração mineral e construção 46,2% 45,0% 51,7% 53,3% 43,9% 42,0% -3,0 pp ▼ -1,9 pp ▼ Eletrodomésticos 14,3% 17,6% 13,3% 13,3% 14,7% 14,3% -3,3 pp ▼ -0,4 pp ▼ Máqs. para escritório e equips. de informática 55,6% 58,3% 56,5% 56,3% 55,5% 54,4% -3,9 pp ▼ -1,2 pp ▼ Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 50,9% 56,1% 51,7% 56,7% 51,7% 51,0% -5,1 pp ▼ -0,7 pp ▼ Siderurgia 13,7% 13,7% 13,5% 12,7% 12,8% 7,3% -6,4 pp ▼ -5,5 pp ▼ Aeronaves 42,5% 46,5% 38,8% 45,8% 33,8% 34,5% -12,0 pp ▼ 0,6 pp ▲ (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques Coeficientes de Importação (Trimestral)