Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
CEI- Coeficientes de Exportação e Importação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação

  • 242 views
Published

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação …

CEI- Coeficientes de Exportação e Importação
Informativo Trimestral – 1º Trimestre de 2013

Published in Economy & Finance
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
242
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 Informativo trimestral  1º trimestre de 2013 Para mais informações www.fiesp.com.br São Paulo, 17 de setembro de 2013 Exportações da indústria de transformação ganham fôlego no segundo trimestre de 2013. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Aumenta parcela da produção destinada ao exterior no segundo trimestre de 2013. O Coeficiente de Exportação (CE) para a Indústria de Transformação se elevou para 18,8% nos meses entre abril e junho deste ano. Na comparação com o segundo trimestre de 2012, o CE mostrou um acréscimo de 1,1 pontos percentuais (p.p.). Com tal valor, o coeficiente registrou o quinto maior resultado da série histórica trimestral. Penetração dos importados também cresce, mantendo trajetória ascendente. O Coeficiente de Importação (CI), também para a Indústria de transformação encerrou o segundo trimestre de 2013 com um aumento de 0,8 p.p. na comparação com o mesmo período do ano anterior. O indicador atingiu 23,4%, valor que permanece em trajetória ascendente e levou o coeficiente a máxima histórica da série trimestral. 18,7% 17,2% 15,9% 14,9% 17,0% 17,7% 18,8% 15,5% 17,6% 15,1% 19,3% 21,5% 22,6% 23,4% 2º T 07 2º T 08 2º T 09 2º T 10 2º T 11 2º T 12 2º T 13 Coef. Exportação Coef. Importação Coeficiente de Exportaçãoe Importaçãoda Indústriade Transformação
  • 2. 2 1 Variações relativas a valores constantes (em R$) de 2006. Produção nacional avança no mercado doméstico A produção industrial brasileira, na série livre de influências sazonais, avançou 4,3% no segundo trimestre de 2013 ante a igual período de 2012. Com esse resultado, o indicador trimestral interrompeu a trajetória de arrefecimento do setor industrial. Na mesma base de comparação, a parcela da produção industrial destinada apenas ao mercado interno também cresceu. O desempenho do setor industrial foi acompanhado por um aumento de 7,2% do quantum exportado, sendo que as importações cresceram em um ritmo levemente superior (8,3%)1 . Importante ressaltar que o cálculo dos coeficientes não considera o efeito preço, isto é, variações no valor das exportações e importações. Portanto, o déficit comercial registrado no ano não interfere nos resultados. Além da recuperação industrial no período, verificou-se também uma intensificação da demanda doméstica de produtos industriais. O consumo aparente cresceu 4,9% de abril a junho. Tal conjuntura configurou uma inversão no movimento descompassado referente à demanda e a produção Interna. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Dessa forma, o setor industrial nacional absorveu uma maior parcela da demanda doméstica. No segundo trimestre, ao observar o aproveitamento da expansão do consumo aparente, é possível verificar que a indústria nacional concentrou 58,9%, enquanto os produtos estrangeiros responderam por 41,1% do consumo. Tal conjuntura pode indicar os efeitos inicias da desvalorização cambial a partir de meados de maio. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Coeficiente de Exportação (CE) O Coeficiente de Exportação da indústria brasileira, que corresponde à participação das exportações na produção industrial, mostrou significativa expansão no segundo trimestre de 2013 em relação aos três meses imediatamente anteriores. O indicador, que atingiu 21,0%, registrou acréscimo de aproximadamente 2,8 p.p. Apesar de a expansão industrial ter contribuído para o resultado, parte desta elevação também pode ser atribuída ao baixo desempenho do setor no primeiro trimestre deste ano. Já na comparação com abril a junho de 2012, o CE da indústria geral aumentou em um ritmo bem mais modesto (0,5 p.p.). 7,2% 8,3% 4,9% 3,8% Exportações Importações Consumo Aparente Produção p/ mercado interno Variações comparadas da Indústria 2T-2013 x 2T-2012 58,9% 41,1% Indústria Nacional Importados Aproveitamento da expansão do consumo aparente 2T-2013 x 2T-2012
  • 3. 3 Em relação à indústria de transformação, o coeficiente de exportação se elevou em 1,1 p.p., atingindo o patamar de 18,8% na comparação entre os meses de abril a junho de 2013 e 2012. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Na análise de 32 setores produtivos da indústria de transformação, apenas 13 apresentaram elevação do coeficiente em relação ao ano anterior (Tabela 1), com destaque para a expressiva expansão do setor de outros equipamentos de transporte (+41,0 p.p.), seguido pelos segmentos de metalurgia de metais não ferrosos (+7,8p.p.) e preparação e artefatos de couros (+6,0 p.p.). As reduções mais significativas do CE ocorreram nos setores de aeronaves (-16,8 p.p.) e ferro-gusa e ferroligas (- 14,0 p.p.) na mesma base de comparação. Coeficiente de Importação (CI) O Coeficiente de Importação, que representa a parcela do consumo interno atendida por produtos estrangeiros, no segundo trimestre de 2013 registrou alta de 0,76 p.p. frente aos três meses imediatamente anteriores. Na comparação interanual, o CI da indústria mostrou aumento de quase 0,8 p.p., alcançando o patamar de 24,8%, o quarto maior nível do indicador na série histórica trimestral. Ao analisar o coeficiente de importação da indústria de transformação, também se verificou uma ampliação cerca de 0,8 p.p. frente a 2012, chegando-se a 23,4% no segundo trimestre de 2013. Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP Fonte: MDIC, IBGE Elaboração DEREX – FIESP 19,9% 20,2% 19,9% 19,0% 20,5% 20,3% 20,4% 18,2% 21,0% 17,0% 17,1% 16,6% 16,1% 17,7% 17,4% 17,1% 15,9% 18,8% 2º T 11 3º T 11 4º T 11 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 Coeficientes de ExportaçãodaIndústria Indústria Geral Indústria de Transformação 22,9% 23,4% 24,0% 22,6% 24,0% 22,3% 24,1% 24,1% 24,8% 21,5% 22,3% 22,7% 21,6% 22,6% 21,2% 22,8% 22,7% 23,4% 2º T 11 3º T 11 4º T 11 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 Coeficientes de ImportaçãodaIndústria Indústria Geral Indústria de Transformação Período Indústria Geral Indústria de Transformação 2º T 07 17,1% 15,5% 2º T 08 19,5% 17,6% 2º T 09 16,9% 15,1% 2º T 10 20,7% 19,3% 2º T 11 22,9% 21,5% 2º T 12 24,0% 22,6% 2º T 13 24,8% 23,4% Evolução do Coeficiente de Importação Período Indústria Geral Indústria de Transformação 2º T 07 20,8% 18,7% 2º T 08 19,6% 17,2% 2º T 09 18,2% 15,9% 2º T 10 17,7% 14,9% 2º T 11 19,9% 17,0% 2º T 12 20,5% 17,7% 2º T 13 21,0% 18,8% Evolução do Coeficiente de Exportação
  • 4. 4 No período analisado, metade dos segmentos produtivos da indústria de transformação registrou aumento do CI em 2013 em face ao mesmo período do ano anterior (Tabela 2). O setor de outros equipamentos de transporte novamente foi o destaque de maior alta (+7,4 p.p.), seguido por produtos farmacêuticos (+7,36 p.p.) e autopeças (+3,3 p.p.). Entre os segmentos que registraram redução do coeficiente, destaca-se outra vez o de aeronaves, com baixa de 12,0 p.p. em bases anuais. Mais uma vez, cabe mencionar que o resultado se alinha ao desempenho das exportações de aviões, uma vez que este é um exemplo de setor intensivo em insumos importados e com uma cadeia produtiva integrada. Nota metodológica: O coeficiente de exportação (CE) mensura a participação das exportações na produção total do setor. É calculado pela divisão do quantum exportado pela produção industrial*. O coeficiente de importação (CI) corresponde à participação das importações no consumo doméstico de bens industriais (soma da produção e das importações subtraídas das exportações). É calculado pela divisão do quantum importado pelo consumo aparente*. *em valores constantes de 2006 EQUIPE TÉCNICA Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior – DEREX Área de Análise Econômica do Comércio Exterior Diretor Titular: Roberto Giannetti da Fonseca Gerente: Magaly M. Menezes Equipe: José Luiz Pimenta Jr., Laura Gonçalves Bilbao e Fernando Marques Endereço: Av. Paulista, 1313, 4º andar – São Paulo/SP – 01311-923 Telefone: (11) 3549-4627 | Fax: (11) 3549-4730
  • 5. 5 Tabela 1 Voltar 2º Trim 13 2º Trim 13 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 2º Trim 12 1º Trim 13 Indústria Geral 19,0% 20,5% 20,3% 20,4% 18,2% 21,0% 0,5 pp ▲ 2,8 pp ▲ Indústria de Transformação 16,1% 17,7% 17,4% 17,1% 15,9% 18,8% 1,1 pp ▲ 2,8 pp ▲ Indústrias Extrativas 70,0% 68,1% 71,5% 76,9% 59,4% 63,7% -4,4 pp ▼ 4,3 pp ▲ Outros equipamentos de transporte (3) 16,2% 7,0% 10,7% 29,8% 30,8% 47,9% 41,0 pp ▲ 17,1 pp ▲ Metalurgia de metais não-ferrosos 51,4% 43,0% 47,3% 50,8% 53,1% 50,9% 7,8 pp ▲ -2,2 pp ▼ Preparação de couros e artefatos de couro 57,5% 68,2% 68,1% 71,7% 69,2% 74,3% 6,0 pp ▲ 5,1 pp ▲ Celulose, papel e produtos de papel 25,6% 25,0% 23,7% 24,6% 25,6% 26,9% 1,8 pp ▲ 1,2 pp ▲ Produtos de madeira 21,8% 21,3% 20,3% 21,2% 20,3% 22,6% 1,4 pp ▲ 2,3 pp ▲ Automóveis, caminhões e ônibus 15,5% 14,1% 13,6% 13,4% 12,0% 15,1% 1,0 pp ▲ 3,0 pp ▲ Produtos farmacêuticos 7,0% 8,1% 7,7% 7,7% 7,6% 9,0% 0,9 pp ▲ 1,4 pp ▲ Produtos de minerais não-metálicos 6,0% 7,7% 6,7% 6,9% 6,6% 8,6% 0,9 pp ▲ 2,0 pp ▲ Alimentos e bebidas 24,1% 24,1% 25,1% 27,1% 25,4% 25,0% 0,9 pp ▲ -0,4 pp ▼ Máqs. para escritório e equips. de informática 7,0% 4,9% 7,1% 8,6% 8,7% 5,5% 0,6 pp ▲ -3,2 pp ▼ Artigos do mobiliário 5,3% 5,5% 6,1% 6,1% 5,0% 5,7% 0,2 pp ▲ 0,7 pp ▲ Artigos do vestuário e acessórios 1,4% 1,3% 1,4% 1,5% 1,6% 1,5% 0,1 pp ▲ -0,1 pp ▼ Produtos químicos (1) 12,6% 12,4% 11,8% 11,9% 12,2% 12,4% 0,1 pp ▲ 0,3 pp ▲ Produtos diversos 12,7% 12,1% 11,9% 14,0% 11,8% 12,0% -0,1 pp ▼ 0,1 pp ▲ Material eletrônico e aparelhos de comunicação 8,5% 9,9% 9,3% 10,9% 9,3% 9,7% -0,2 pp ▼ 0,4 pp ▲ Produtos de metal 5,0% 5,5% 6,3% 5,5% 4,4% 5,2% -0,3 pp ▼ 0,8 pp ▲ Eletrodomésticos 2,5% 3,6% 3,3% 3,4% 3,2% 3,2% -0,4 pp ▼ 0,0 pp ▼ Refino de petróleo e produção de álcool 6,9% 5,9% 7,2% 7,9% 4,8% 5,5% -0,4 pp ▼ 0,7 pp ▲ Peças e acessórios para veículos automotores 8,9% 8,6% 8,5% 8,7% 7,7% 8,0% -0,5 pp ▼ 0,3 pp ▲ Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 5,3% 6,1% 6,6% 5,4% 5,2% 5,5% -0,6 pp ▼ 0,2 pp ▲ Artigos de borracha e plástico 8,2% 8,1% 7,4% 7,4% 6,9% 7,2% -0,9 pp ▼ 0,3 pp ▲ Calçados 15,9% 15,1% 14,4% 15,3% 15,4% 14,2% -0,9 pp ▼ -1,3 pp ▼ Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 14,6% 17,1% 18,0% 14,5% 12,8% 16,1% -0,9 pp ▼ 3,3 pp ▲ Produtos têxteis 12,7% 11,5% 18,7% 25,5% 12,5% 8,5% -3,0 pp ▼ -4,0 pp ▼ Fundição e tubos de ferro e aço 11,7% 11,4% 14,6% 10,1% 10,4% 8,4% -3,0 pp ▼ -2,0 pp ▼ Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 17,2% 18,1% 21,7% 21,6% 13,7% 14,2% -3,9 pp ▼ 0,5 pp ▲ Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 11,1% 15,2% 12,5% 11,9% 10,2% 11,2% -4,0 pp ▼ 1,0 pp ▲ Siderurgia 19,0% 19,4% 17,4% 19,6% 20,3% 15,3% -4,1 pp ▼ -5,0 pp ▼ Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 34,6% 38,2% 37,9% 34,7% 28,4% 31,4% -6,8 pp ▼ 3,0 pp ▲ Máqs. e equips. para extração mineral e construção 38,8% 36,6% 37,8% 46,2% 31,5% 28,7% -7,9 pp ▼ -2,8 pp ▼ Ferro-gusa e ferroligas 60,4% 57,7% 53,5% 57,1% 56,4% 43,7% -14,0 pp ▼ -12,6 pp ▼ Aeronaves 39,3% 47,7% 37,6% 57,8% 28,8% 30,9% -16,8 pp ▼ 2,1 pp ▲ (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques Coeficientes de Exportação (Trimestral)
  • 6. 6 Tabela 2 Voltar 2º Trim 13 2º Trim 13 1º T 12 2º T 12 3º T 12 4º T 12 1º T 13 2º T 13 2º Trim 12 1º Trim 13 Indústria Geral 22,6% 24,0% 22,3% 24,1% 24,1% 24,8% 0,8 pp ▲ 0,8 pp ▲ Indústria de Transformação 21,6% 22,6% 21,2% 22,8% 22,7% 23,4% 0,8 pp ▲ 0,7 pp ▲ Indústrias extrativas 51,8% 58,2% 55,9% 62,0% 54,9% 58,8% 0,6 pp ▲ 4,0 pp ▲ Outros equipamentos de transporte (3) 20,1% 20,4% 22,8% 25,4% 27,0% 27,8% 7,4 pp ▲ 0,9 pp ▲ Produtos farmacêuticos 26,7% 28,3% 24,0% 30,8% 34,1% 35,6% 7,4 pp ▲ 1,5 pp ▲ Peças e acessórios para veículos automotores 10,9% 9,8% 11,1% 12,1% 12,9% 13,1% 3,3 pp ▲ 0,2 pp ▲ Produtos químicos (1) 28,2% 30,0% 30,9% 32,4% 30,3% 33,1% 3,1 pp ▲ 2,7 pp ▲ Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 9,5% 10,2% 11,6% 12,7% 11,5% 12,9% 2,7 pp ▲ 1,4 pp ▲ Preparação de couros e artefatos de couro 21,1% 26,5% 31,5% 39,5% 28,1% 28,8% 2,3 pp ▲ 0,7 pp ▲ Metalurgia de metais não-ferrosos 34,6% 33,0% 36,0% 37,1% 32,4% 35,0% 2,0 pp ▲ 2,5 pp ▲ Produtos de metal 14,3% 13,3% 14,4% 16,1% 15,8% 15,2% 2,0 pp ▲ -0,6 pp ▼ Fundição e tubos de ferro e aço 19,5% 17,7% 20,4% 18,8% 23,4% 19,6% 1,9 pp ▲ -3,8 pp ▼ Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 37,6% 37,9% 39,7% 38,5% 40,1% 39,7% 1,9 pp ▲ -0,4 pp ▼ Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 53,8% 57,2% 55,2% 56,9% 57,8% 58,6% 1,4 pp ▲ 0,8 pp ▲ Artigos do vestuário e acessórios 18,0% 9,9% 11,1% 12,6% 20,1% 11,3% 1,3 pp ▲ -8,8 pp ▼ Produtos têxteis 23,2% 20,7% 24,2% 27,6% 26,9% 21,6% 0,8 pp ▲ -5,3 pp ▼ Artigos de borracha e plástico 17,4% 17,2% 17,5% 18,1% 18,0% 18,0% 0,8 pp ▲ 0,0 pp ▼ Alimentos e bebidas 6,6% 5,2% 5,0% 6,7% 6,8% 5,5% 0,3 pp ▲ -1,3 pp ▼ Celulose, papel e produtos de papel 10,1% 10,2% 10,4% 9,5% 9,7% 10,4% 0,2 pp ▲ 0,7 pp ▲ Produtos de minerais não-metálicos 10,1% 9,6% 9,5% 9,3% 9,7% 9,5% -0,1 pp ▼ -0,2 pp ▼ Automóveis, caminhões e ônibus 22,6% 21,4% 20,3% 22,4% 17,4% 21,3% -0,1 pp ▼ 3,9 pp ▲ Produtos de madeira 2,3% 2,0% 2,1% 2,2% 1,9% 1,8% -0,1 pp ▼ 0,0 pp ▼ Calçados 8,0% 8,1% 6,9% 6,9% 8,6% 7,7% -0,3 pp ▼ -0,8 pp ▼ Material eletrônico e aparelhos de comunicação 48,5% 51,4% 46,9% 49,4% 53,6% 50,7% -0,6 pp ▼ -2,9 pp ▼ Produtos diversos 29,4% 30,3% 36,5% 35,4% 31,9% 29,1% -1,2 pp ▼ -2,8 pp ▼ Artigos do mobiliário 2,8% 3,2% 3,2% 3,6% 2,6% 2,0% -1,2 pp ▼ -0,6 pp ▼ Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 45,7% 54,0% 55,0% 50,5% 47,7% 52,1% -1,9 pp ▼ 4,4 pp ▲ Ferro-gusa e ferroligas 11,3% 12,3% 11,5% 11,3% 10,9% 10,2% -2,1 pp ▼ -0,6 pp ▼ Refino de petróleo e produção de álcool 20,2% 23,4% 12,7% 19,2% 21,4% 20,5% -2,9 pp ▼ -0,9 pp ▼ Máqs. e equips. para extração mineral e construção 46,2% 45,0% 51,7% 53,3% 43,9% 42,0% -3,0 pp ▼ -1,9 pp ▼ Eletrodomésticos 14,3% 17,6% 13,3% 13,3% 14,7% 14,3% -3,3 pp ▼ -0,4 pp ▼ Máqs. para escritório e equips. de informática 55,6% 58,3% 56,5% 56,3% 55,5% 54,4% -3,9 pp ▼ -1,2 pp ▼ Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 50,9% 56,1% 51,7% 56,7% 51,7% 51,0% -5,1 pp ▼ -0,7 pp ▼ Siderurgia 13,7% 13,7% 13,5% 12,7% 12,8% 7,3% -6,4 pp ▼ -5,5 pp ▼ Aeronaves 42,5% 46,5% 38,8% 45,8% 33,8% 34,5% -12,0 pp ▼ 0,6 pp ▲ (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques Coeficientes de Importação (Trimestral)