Protocolo mi ps_gastro 1_novo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Protocolo mi ps_gastro 1_novo

on

  • 581 views

 

Statistics

Views

Total Views
581
Views on SlideShare
554
Embed Views
27

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

3 Embeds 27

http://farmaceuticoclinico.com.br 21
http://www.farmaceuticoclinico.com.br 5
https://farmaceuticoclinico.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Protocolo mi ps_gastro 1_novo Document Transcript

  • 1. Protocolo elaborado pelo Laboratório de Serviços Clínicos e Evidências em Saúde (LASCES) – Universidade Federal do Paraná (UFPR) PROTOCOLO DE DISPENSAÇÃO DE MIPs – MANEJO DA CONSTIPAÇÃO POSSÍVEIS ETIOLOGIAS  Condições médicas: gestação, hemorroida, diabetes mellitus, carcinoma, síndrome do cólon irritável, esquizofrenia, doença de Parkinson, anorexia, esclerose múltipla, hérnia de disco, hipotireoidismo e insuficiência renal crônica.  Medicamentos: analgésicos opióides, outros analgésicos, anti-histamínicos, antiespasmódicos, antidepressivos, antipsicóticos, antiácidos com alumínio, suplementos de ferro, suplementos de cálcio, bloqueadores dos canais de cálcio, antagonistas serotoninérgicos, anticonvulsivantes, benzodiazepínicos e anti-hipertensivos.  Causas idiopáticas: fatores psicológicos, sedentarismo, insuficiente ingestão de fibras e água, mudança repentina de hábitos, negligência ao reflexo gastrocólico, dieta com excesso de carboidratos, envelhecimento, alterações fisiológicas. SINAIS E SINTOMAS RELACIONADOS  Redução da frequência de defecação normal para o indivíduo  Desconforto e Inchaço abdominal  Flatulência  Dor abdominal  Fezes duras ou em pequena quantidade  Irritabilidade  Dor de cabeça  Letargia  Falta de apetite  Diarreia paradoxal e incontinência MOTIVOS DE ENCAMINHAMENTO AO MÉDICO  Alteração no hábito intestinal com 2 semanas ou mais de duração  Presença de dor abdominal, náusea e vômitos  Sangue nas fezes  Pacientes que tenham feito colostomia ou ileostomia  Pacientes com idade inferior a 2 anos  Medicação prescrita é suspeita de causar os sintomas  Falha no tratamento com MIPs TRATAMENTO FARMACOLÓGICO Grupo farmacológico: LAXANTES FORMADORES DE MASSA Fármaco Tempo para surtir efeito Contraindicações Outras informações importantes Psyllium (Plantago ovata) Metilcelulose Sopa de extrato de malte Dextrano de trigo Policarbofila de cálcio 12 -72 horas Crianças com idade inferior a 6 anos. Doenças inflamatórias do sistema gastrointestinal Obstrução intestinal Impactação fecal Pacientes com mobilidade comprometida Devem ser utilizados com grande ingestão de líquidos. Este tipo de laxante é um reeducador intestinal, não agride o intestino e não causa desequilíbrio eletrolítico. Adequado para idosos, gestantes, lactantes, pacientes com síndrome do cólon irritável ou hemorroidas. Grupo farmacológico: LAXANTES EMOLIENTES Fármaco Tempo para surtir efeito Contraindicações Outras informações importantes Docusato de sódio Docusato de cálcio 12 -72 horas Crianças com idade inferior a 2 anos. Adequado para gestantes, pacientes pós- cirúrgico, pacientes com hérnia, problemas cardíacos, hemorroidas ou impactação fecal. Grupo farmacológico: LAXANTES LUBRIFICANTES Fármaco Tempo para surtir efeito Contraindicações Outras informações importantes Óleo mineral 6 - 8 horas (via oral) 5 -15 min (via retal) Crianças com idade inferior a 6 anos. Insuficiência hepática Gestantes Permanecer de pé por 30 a 60 minutos após o uso oral devido ao risco de aspiração do óleo. Pode reduzir a absorção das vitaminas lipossolúveis. Adequado para pacientes pós-cirúrgico,
  • 2. Protocolo elaborado pelo Laboratório de Serviços Clínicos e Evidências em Saúde (LASCES) – Universidade Federal do Paraná (UFPR) pacientes com hérnia, hipertensão, problemas cardíacos, hemorroidas ou impactação fecal. Grupo farmacológico: LAXANTES OSMÓTICOS Fármaco Tempo para surtir efeito Contraindicações Outras informações importantes Sais: Fosfato de sódio Lauril sulfato de sódio Hidróxido de magnésio 3 - 6 horas (via oral) 1 - 3 min (via retal) Crianças com idade inferior a 2 anos. Pacientes com insuficiência renal Pacientes com insuficiência cardíaca Pacientes com hipertensão (sais) Pacientes diabéticos (açúcares) Devem ser utilizados com grande ingestão de líquidos. Indicados quando há necessidade de evacuação rápida para realização de exames ou devido à intoxicação. Açúcares: Glicerina Lactulose Sorbitol Polietilenoglicol (PEG) 15 - 30 min (glicerina) 24 - 48 horas (lactulose e sorbitol) 1 - 12 horas (PEG) Grupo farmacológico: LAXANTES ESTIMULANTES / IRRITATIVOS Fármaco Tempo para surtir efeito Contraindicações Outras informações importantes Bisacodil Cáscara sagrada Sene (Cassia angustifolia) Ácido ricinoléico (Óleo de rícino) Picossulfato de sódio 6 - 12 horas (via oral) 15 - 60 min (via retal) Crianças com idade < 6 anos. Gestantes Lactantes Pacientes com hemorroidas A ingestão diária contínua desses agentes pode estar associada a hipocalemia, enteropatia com perda proteica e sobrecarga de sal. Assim, essas drogas devem ser usadas com cautela, se utilizadas cronicamente. TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO Aumentar o consumo de fibras solúveis e insolúveis (20 a 25 gramas / dia); Aumentar a ingestão de líquidos; Adotar um hábito intestinal / rotina para defecar (obs.: a motilidade do cólon é maior pela manhã e após as refeições); Realizar exercícios físicos, principalmente aeróbicos; Obedecer ao reflexo gastrocólico; Adequar a postura durante o ato de evacuar. REFERÊNCIAS  American Pharmacists Association. OTC Advisor Self-Care for Gastrointestinal Disorders. Monograph 2. APhA; 2010.  Bharucha AE, Dorn SD, Lembo A, Pressman A. American Gastroenterological Association Medical Position Statement on Constipation. Gastroenterology v. 144, 2013.  Blenkinsopp, A.; Paxton, P. Symptons in the pharmacy. A Guide to the management of common illness. 2ª ed: Blackwell Science; 1995.  Encabo, B.; Fernández, J.; Gaminde, M.; Gurrutxaga, A.; Rodríguez, E.; Sakona, L.; Samperio, M. Estreñimiento. Protocolos de atención farmacêutica. Farmacia Profesional, v. 18, n. 4, 2004.  Finkel, R.; Pray, S. Guia de Dispensação de Produtos Terapêuticos que não Exigem Prescrição. 2ª ed: Artmed; 2007  Marques, L. A. M. Atenção farmacêutica em distúrbios menores. 2ª ed: Medfarma; 2008.  Nathan, A. FastTrack - Managing Symptoms in the Pharmacy. Pharmaceutical Press; 2008.  UpToDate. Constipation in the older adult. Disponível em: http://www.uptodate.com/contents/constipation-in-the-older- adult?source=search_result&search=constipation&selectedTitle=3~150. Acesso em: 26 de abril de 2013.  UpToDate. Prevention and treatment of acute constipation in infants and children. Disponível em: http://www.uptodate.com/contents/prevention-and-treatment-of-acute-constipation-in-infants-and- children?source=search_result&search=constipation&selectedTitle=2~150. Acesso em: 26 de abril de 2013.