0
O NEOPLASTICISMO O  Neoplasticismo  foi um termo surgido em 1917 na revista  De Stijl (O Estilo)  por Piet Mondrian (1872-...
Piet Mondrian,  Evolução , 1910-1911
Piet Mondrian,  Natureza morta II  (óleo sobre tela), 1912
Piet Mondrian,  Cais e Oceano 5 , 1915 (carvão e guache sobre papel –87,9 X 111)
 
Piet Mondrian,  Planos de cor em oval , c.1914, óleo tela, 107x79 cm
Piet Mondrian,  Composição de Cor A , 1917, óleo tela, 48x44 cm A série dos  Mais e dos Menos  (c.1917-1920) era dominada ...
Piet Mondrian,  Composição em Xadrez com Cores Claras , 1919,  óleo tela, 106x86 cm
Vilmos Huszar,  Capa da primeira revista De Stijl , 1917 (10,5 X 7,5)
Van Doesburg,  Composição IV (em 3 partes) , 1917 (vidro – 112 X 22, cada)
Bart van der Leck,  Meu Tríptico , 1916 (óleo sobre tela – 44 X 87)
Piet Mondrian,  Quadro I , 1921 (óleo sobre tela – 97.8 X 60.5) «Para que a arte se torne abstracta, isto é, para que ela ...
Piet Mondrian,  Avond (Evening); Red Tree , 1908   Piet Mondrian,  Gray Tree , 1911   Piet Mondrian,  Flowering Tree , 191...
Piet Mondrian,  Composição , 1921, oleo sobre tela, 49,5x45,5 cm, Basileia: Kunstmuseum. Na série  Composição , Mondrian c...
Piet Mondrian, estúdio Paris, 1920-38
Piet Mondrian,  Composição Inacabada , 1934
Piet Mondrian,  New York City, New York , c.1942, óleo, lápis, carvão e fita sobre tela, 117x110 cm, Madrid: Museu Thyssen...
Gerrit Rietveld,  Cadeira Vermelha/Azul , 1918-23
Van  Doesburg e Van Eesteren,  Desenho Isométrico de casa particular , 1924
J.J.P. Oud,  Café De Unie,  1925 (guache sobre papel – 28 X 33)
Van Doesburg,  Contracomposição,  1924 (óleo sobre tela – 39.5 X 39.5)
 
A BAUHAUS A Bauhaus foi uma Escola de Artes criada em 1919 pelo arquitecto Gropius. Com a intenção de democratizar a arte,...
Lyonel Feininger,  Frontispiece  of  Bauhaus Manifesto  (1919)   «A Bauhaus deseja contribuir para o desenvolvimento da ha...
Bauhaus, Weimar
Gropius and Adolf Meyer,  Sommerfeld House  (1920-22)
Bauhaus workshops,  interior da casa Sommerfield –  hall de entrada  (1920-22) : relevos em madeira do corrimão por Joost ...
Sala de estar com móveis de Marcel Breuer e tapete de martha Erps-Breuer, 1923   Georg Muche (ideia) and Adof Meyer (plane...
Walter Gropius,  Edifício Bauhaus,  Dessau,   1925-26 Os Mestres da Bauhaus no telhado do edifício: Josef Albers, Hinnerk ...
Walter Gropius,  Edifício Bauhaus,  Dessau,   1925-26
Gropius,  Dessau Bauhaus Masters' Houses and  Dessau Bauhaus dormitory   (1925-6)  «Muito do que consideramos agora luxuos...
1926 – 60 casas 1927 – 100 casas 1928 – 126 casas Gropius,  vista do «Bairro de Törten» Na segunda e terceira fase Gropius...
Ludwig Mies van der Rohe,  Barcelona pavilion  (1928-9)
Marcel Breur,  Cadeira e Mesa pintada ,   1923 Marcel Breur,  Cadeira em madeira e contraplacado leve ,   1924 (a cor dife...
Marcel  Breuer,  Wassily chair  (1925)
Alma Buscher,  Jogo de blocos de construção (Building Block game)  (1924)   Josef Hartwig, Jogo de Xadrez ( Chess set)  (1...
Gunta Stolzl,  Dessau dormitory blanket  (1925-6)  Anni Albers,  Wall hanging  (1926)   Gunta Stolzl,  Gobelin tapestry  (...
Johannes Itten,  Análise dos antigos  mestres, 1921; Ponto  em ascensão e em descanso,  1919 (óleo sobre tela, 230 X 115) ...
Oskar Schlemmer,  (Ballet Triádico) Triadic Ballet  (1923)  Kurt Schmidt,  O Homem no Painel de Controlo , esboço de cena,...
Moholy Nagy,  composição A  XXI, 1925 (óleo e técnica mista, 96 X 77);  Modulador – Espaço – Luz , 1922-1930 (151X70X70)
Adolf Hofmeister,  Caricatura de Hannes Meyer , 1920 Iwao Yamawaki,  O Golpe contra a Bauhaus , 1932
Anónimo, 1923 Oskar Schlemmer,  Bauhaus emblem  (1922)
Joost Schmidt,  Poster for the Bauhaus exhibition in Weimar , 1923,  Color lithograph  Joost Schmidt (1893 - 1948)  A expo...
HERBERT BAYER Herbert Bayer, projecto de quiosque publicitário com quadros e sinais luminosos (1924) Herbert Bayer, capa: ...
<ul><li>NOVA TIPOGRAFIA </li></ul><ul><li>Heranças das formulações das vanguardas nas artes visuais e da arquitectura mode...
BAUHAUS El Lissitzky ,  paginação da obra de Mayakovsky: Dlya Golossa , 1922-1923 Malevich , princípios para um mural e ca...
Frantisek Kupka,  A Senhora Kupka entre Verticais , 1910-1911, óleo tela, 100x72,5 cm, Nova Iorque: MOMA
Frantisek Kupka,  A Catedral , 1913-1914, óleo tela, 180x150 cm, Paris: Galerie Lius Carré
VANGUARDAS E ARTES GRÁFICAS EXPRESSIONISMO A Chronik KG Brücke , 1913,  texto e xilogravuras de Kirchner,  67x51 cm cada f...
Vilmos Huszar,  Capa da primeira revista De Stijl , 1917 (10,5 X 7,5)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

7 neoplasticismo e bauhaus

13,097

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
13,097
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
389
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "7 neoplasticismo e bauhaus"

  1. 1. O NEOPLASTICISMO O Neoplasticismo foi um termo surgido em 1917 na revista De Stijl (O Estilo) por Piet Mondrian (1872-1944), quando este já desenvolvia um lento processo de depuração, desde cerca de 1911, que culminaria cerca de dois anos depois. A revista tinha sido criada e dinamizada pelo pintor Theo Van Doesburg (1883-1931). Em seu torno, e no interesse por uma relação entre as artes, estiveram nomes como o pintor hungaro Vilmos Huszar (1884-1960), o pintor Bart van der Leck (1876-1958), o poeta Antony Kok (1882-1969), o arquitecto Jacobus J.P. Oud (1890-1963) (estes colaboradores logo no primeiro número da revista em Novembro de 1917). ou ainda o músico Van Domselaer, os arquitectos Robert van ‘t Hoff (1887-1979), Cornelius van Eesteren (1897-1988), Gerrit Rietveld (1888-1964) e os pintores Georges Vantongerloo (1886-1965).
  2. 2. Piet Mondrian, Evolução , 1910-1911
  3. 3. Piet Mondrian, Natureza morta II (óleo sobre tela), 1912
  4. 4. Piet Mondrian, Cais e Oceano 5 , 1915 (carvão e guache sobre papel –87,9 X 111)
  5. 6. Piet Mondrian, Planos de cor em oval , c.1914, óleo tela, 107x79 cm
  6. 7. Piet Mondrian, Composição de Cor A , 1917, óleo tela, 48x44 cm A série dos Mais e dos Menos (c.1917-1920) era dominada pela linha recta, num rigor estrutural reduzido a horizontais (feminino) e verticais (masculino), um ângulo recto (cruz) de intersecção linear horizontal/vertical. Daqui era desenvolvida uma rigorosa ortogonalidade que fechava planos rectangulares. Este fechamento em extensão (de superfície) dos planos colocava um novo (e seguinte) problema: a cor? . De início Mondrian pintou com cores veladas e translúcidas que não afectassem a depuração estrutural, uma leveza cromática de modo a que conteúdo e forma se encaixassem na desejada imobilidade estrutural e essencial.
  7. 8. Piet Mondrian, Composição em Xadrez com Cores Claras , 1919, óleo tela, 106x86 cm
  8. 9. Vilmos Huszar, Capa da primeira revista De Stijl , 1917 (10,5 X 7,5)
  9. 10. Van Doesburg, Composição IV (em 3 partes) , 1917 (vidro – 112 X 22, cada)
  10. 11. Bart van der Leck, Meu Tríptico , 1916 (óleo sobre tela – 44 X 87)
  11. 12. Piet Mondrian, Quadro I , 1921 (óleo sobre tela – 97.8 X 60.5) «Para que a arte se torne abstracta, isto é, para que ela não acuse quaiquer relações com o aspecto natural das coisas, a lei da desnaturalização da matéria é de uma importância fundamental» (Piet Mondrian, Plastic Art and Pure Plastic Art, ensaios 1937-1943)
  12. 13. Piet Mondrian, Avond (Evening); Red Tree , 1908 Piet Mondrian, Gray Tree , 1911 Piet Mondrian, Flowering Tree , 1912 Piet Mondrian, Composição , 1921, oleo sobre tela, 49,5x45,5 cm, Basileia: Kunstmuseum. Piet Mondrian, Cais e Oceano 5 , 1915 (carvão e guache sobre papel –87,9 X 111)
  13. 14. Piet Mondrian, Composição , 1921, oleo sobre tela, 49,5x45,5 cm, Basileia: Kunstmuseum. Na série Composição , Mondrian chegou à restrição das cores puras primárias: vermelho, azul e amarelo que dialogavam com três cores neutras (branco, preto e cinza claro). A cor tornava-se sistema , recusando qualquer mistura. A cor apresentava-se o mais possível pura e espirital, antes de ser cor sensível, do mundo e da vida. O seu contraste visual depura-se num processo conceptual que as apreendia (depuração cromática): era um constraste de quantidades da cor no plano e não entre as cores. A composição recusava a figura (não existia segregação da figura sobre um plano de fundo), num desejo de harmonia formal . Numa austeridade máxima e lógica recusava-se o instinto e o devir da natureza, num encontro (numa ordem superior) do Bem/Belo/Verdade . Enquanto o acaso da natureza era o trágico e a desordem, a pintura era meio para um equilíbrio superior , cuja ordem e abstracção seria a fuga do trágico .
  14. 15. Piet Mondrian, estúdio Paris, 1920-38
  15. 16. Piet Mondrian, Composição Inacabada , 1934
  16. 17. Piet Mondrian, New York City, New York , c.1942, óleo, lápis, carvão e fita sobre tela, 117x110 cm, Madrid: Museu Thyssen-Bornemisza
  17. 18. Gerrit Rietveld, Cadeira Vermelha/Azul , 1918-23
  18. 19. Van Doesburg e Van Eesteren, Desenho Isométrico de casa particular , 1924
  19. 20. J.J.P. Oud, Café De Unie, 1925 (guache sobre papel – 28 X 33)
  20. 21. Van Doesburg, Contracomposição, 1924 (óleo sobre tela – 39.5 X 39.5)
  21. 23. A BAUHAUS A Bauhaus foi uma Escola de Artes criada em 1919 pelo arquitecto Gropius. Com a intenção de democratizar a arte, ela foi expressão dos anseios social-democratas da República de Weimar. Com o fim da República, na altura da subida de Hitler ao poder, também a Escola era obrigada a encerrar. De tendências marxistas e vanguardistas, ela incorporou a abstracção num esforço de uma aplicação como arte útil e social que, apesar do falhanço histórico que lhe foi imposto, se tornou modelo mítico. Nela leccionaram dos artistas mais avançados do tempo, tais como Kandinsky, Klee, Albers, Moholy-Nagy, Feininger, Itten… Walter Gropius Ludwig Mies Van der Rohe (1886-1969) Hannes Meyer (1889-1954) Walter Gropius (1883-1969) Directores da Bauhaus BERLIM DESSAU WIEMAR Fases da Bauhaus 1933 1932 1931 1930 1929 1928 1927 1926 1925 1924 1923 1922 1921 1920 1919 (anos)
  22. 24. Lyonel Feininger, Frontispiece of Bauhaus Manifesto (1919) «A Bauhaus deseja contribuir para o desenvolvimento da habitação - apropriada à época -, desde a mais simples aparelhagem até à casa acabada. Convencida de que casa e mobiliário devem estar relacionados entre si racionalmente, a Bauhaus procura que a forma de um objecto derive das suas funções reais e limitações naturais - através de uma pesquisa sistemática teórica e prática nos campos formal, técnico e económico. A natureza de um objecto é determinada pela sua serventia . Antes de uma vasilha, uma cadeira ou uma casa poderem funcionar bem, deve estudar-se a sua natureza... Essa pesquisa da natureza dos objectos faz com que as formas surjam de uma determinada avaliação de todos os métodos modernos de produção e construção, bem como dos materiais modernos, formas essas que divergem dos modelos que e muitas vezes parecem estranhos e surpreendentes.» «O potencial artístico existe em todos os materiais» Walter Gropius «Deixem-nos criar, pois, um novo grémio de artesãos, sem as divisões de classes que erguem uma barreira arrogante entre artesão e artista! Deixem-nos desejar, conceber e construir o novo edifício do futuro, que reunirá tudo numa forma única: arquitectura, escultura e pintura… um símbolo cristalino de uma fé nova e vindoura» Primeiro manifesto da Bauhaus, 1919
  23. 25. Bauhaus, Weimar
  24. 26. Gropius and Adolf Meyer, Sommerfeld House (1920-22)
  25. 27. Bauhaus workshops, interior da casa Sommerfield – hall de entrada (1920-22) : relevos em madeira do corrimão por Joost Schmidt, segundo contrates rítmico e formais das aulas de Itten; poltronas de Marcel Breuer
  26. 28. Sala de estar com móveis de Marcel Breuer e tapete de martha Erps-Breuer, 1923 Georg Muche (ideia) and Adof Meyer (planeamento e execução), Casa Modelo «Am Horn» ( Haus am Horn) para a Exposição Bauhaus de 1923 Cozinha concebida por Benita Otte e Ernst Gebhardt
  27. 29. Walter Gropius, Edifício Bauhaus, Dessau, 1925-26 Os Mestres da Bauhaus no telhado do edifício: Josef Albers, Hinnerk Scheper, George Muche, László Moholy-Nagy, Herbert Bayer, Joost Schmidt, Walter Gropius, Marcel Breuer, Wassily Kandinsky, Paul Klee, Lyonel Feininger, Gunta Stölzl e Oskar Schlemmer
  28. 30. Walter Gropius, Edifício Bauhaus, Dessau, 1925-26
  29. 31. Gropius, Dessau Bauhaus Masters' Houses and Dessau Bauhaus dormitory (1925-6) «Muito do que consideramos agora luxuoso será perfeitamente normal amanhã» Gropius
  30. 32. 1926 – 60 casas 1927 – 100 casas 1928 – 126 casas Gropius, vista do «Bairro de Törten» Na segunda e terceira fase Gropius tentou melhorar falhas dos projectos anteriores
  31. 33. Ludwig Mies van der Rohe, Barcelona pavilion (1928-9)
  32. 34. Marcel Breur, Cadeira e Mesa pintada , 1923 Marcel Breur, Cadeira em madeira e contraplacado leve , 1924 (a cor diferencia materiais e funções)
  33. 35. Marcel Breuer, Wassily chair (1925)
  34. 36. Alma Buscher, Jogo de blocos de construção (Building Block game) (1924) Josef Hartwig, Jogo de Xadrez ( Chess set) (1924)
  35. 37. Gunta Stolzl, Dessau dormitory blanket (1925-6) Anni Albers, Wall hanging (1926) Gunta Stolzl, Gobelin tapestry (1926-7)
  36. 38. Johannes Itten, Análise dos antigos mestres, 1921; Ponto em ascensão e em descanso, 1919 (óleo sobre tela, 230 X 115) Johannes Itten com traje da Bauhaus da sua autoria (usado sobretudo pelos «devotos» de Itten)
  37. 39. Oskar Schlemmer, (Ballet Triádico) Triadic Ballet (1923) Kurt Schmidt, O Homem no Painel de Controlo , esboço de cena, 1924 Xanti Schawinsky, Circus , esboço de cena, c.1924
  38. 40. Moholy Nagy, composição A XXI, 1925 (óleo e técnica mista, 96 X 77); Modulador – Espaço – Luz , 1922-1930 (151X70X70)
  39. 41. Adolf Hofmeister, Caricatura de Hannes Meyer , 1920 Iwao Yamawaki, O Golpe contra a Bauhaus , 1932
  40. 42. Anónimo, 1923 Oskar Schlemmer, Bauhaus emblem (1922)
  41. 43. Joost Schmidt, Poster for the Bauhaus exhibition in Weimar , 1923, Color lithograph Joost Schmidt (1893 - 1948) A exposição de 1923 assinala um momento de viragem na tipografia da Bauhaus. Assimila-se a escola construtivista russa e o neo-plasticismo e ultrapassam-se as marcações expressionistas anteriores. Fala-se em «nova tipografia»
  42. 44. HERBERT BAYER Herbert Bayer, projecto de quiosque publicitário com quadros e sinais luminosos (1924) Herbert Bayer, capa: Bauhaus journal (1927) Dedicado à inauguração do curso de arquitectura Herbert Bayer, Universal font (1926)
  43. 45. <ul><li>NOVA TIPOGRAFIA </li></ul><ul><li>Heranças das formulações das vanguardas nas artes visuais e da arquitectura modernista (construtivismo, neoplasticismo, futurismo, dadaísmo…) </li></ul><ul><li>Rejeição da decoração </li></ul><ul><li>Princípios racionais: utilitarismo ordem e simplicidade </li></ul><ul><li>Domínio da recta – ortogonalidade e dinamismo da obliquidade </li></ul><ul><li>EL LISSITZKY </li></ul><ul><li>BAUHAUS - tipografia dinamizada com a exposição de 1923 e depois com a criação em 1926 do «atelier de tipografia e publicidade» (antes «tipografia artística») </li></ul><ul><li>HERBERT BAYER </li></ul><ul><li>LASZLO MOHOLY-NAGY </li></ul><ul><li>JOOST SCHMIDT </li></ul><ul><li>PAUL RENNER (1900-1951) </li></ul><ul><li>JAN TSCHICHOLD (1902-1974) </li></ul><ul><li>PIET ZWART (1885-1977) </li></ul><ul><li>KAREL TEIGE (1900-1951) </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  44. 46. BAUHAUS El Lissitzky , paginação da obra de Mayakovsky: Dlya Golossa , 1922-1923 Malevich , princípios para um mural e capa para livro de Punin Rodchenko , V. Novij LEF (New LEF) , Moscovo, Maio1928, publicado por Vladimir Mayakovsky, capa e fotos por A. Rodchenko e V. Stepanova. Joost Schmidt , Poster for the Bauhaus exhibition in Weimar , 1923, Color lithograph CONSTRUTIVISMO NOVA TIPOGRAFIA Herbert Bayer , Universal font (1926) Oskar Schlemmer , Bauhaus emblem (1922) PIET ZWART (1885-1977) Holandês. Formado na Amsterdam School of Arts & Crafts (1902-1907).   JAN TSCHICHOLD (1902-1974) Die Neue Typographie (The New Typography) (1928)   Karel Teige , Stavba a Báseň , Prague, 1927, tipografia e capa por Karel Teige A NOVA TIPOGRAFIA VANGUARDAS E ARTES GRÁFICAS EXPRESSIONISMO A Chronik KG Brücke , 1913, texto e xilogravuras de Kirchner, 67x51 cm cada folha. FUTURISMO Filippo Tommaso Marinetti, Parole in Libertà FUTURISMO RUSSO - Zaoum I. Zdanevich, Soirée du Coeur à Barbe , 1923 DADAÍSMO Kurt Schwitters An Anna Blume Vilmos Huszar, Capa da primeira revista De Stijl , 1917 (10,5 X 7,5)
  45. 47. Frantisek Kupka, A Senhora Kupka entre Verticais , 1910-1911, óleo tela, 100x72,5 cm, Nova Iorque: MOMA
  46. 48. Frantisek Kupka, A Catedral , 1913-1914, óleo tela, 180x150 cm, Paris: Galerie Lius Carré
  47. 49. VANGUARDAS E ARTES GRÁFICAS EXPRESSIONISMO A Chronik KG Brücke , 1913, texto e xilogravuras de Kirchner, 67x51 cm cada folha. FUTURISMO Filippo Tommaso Marinetti, Parole in Libertà FUTURISMO RUSSO - Zaoum I. Zdanevich, Soirée du Coeur à Barbe , 1923 DADAÍSMO Kurt Schwitters An Anna Blume
  48. 50. Vilmos Huszar, Capa da primeira revista De Stijl , 1917 (10,5 X 7,5)
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×