Your SlideShare is downloading. ×
0
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A importância da integração lavoura-pecuária com plantio direto na estratégia ambiental: Pagamento de serviços ambientais

540

Published on

Presentación de John N. Landers, OBE, Associação de Plantio Direto no Cerrado, Consultor FAO, APROSOJA, CNA, ABIOVE, durante la X Reunión de la CODEGALAC, Capítulo Cono Sur, realizada en Brasilia del …

Presentación de John N. Landers, OBE, Associação de Plantio Direto no Cerrado, Consultor FAO, APROSOJA, CNA, ABIOVE, durante la X Reunión de la CODEGALAC, Capítulo Cono Sur, realizada en Brasilia del 17 al 19 de septiembre de 2008.

Published in: Government & Nonprofit
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
540
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A chave da rentabilidade e estabilidade C o m g Com benefícios substanciais para o meio ambiente A Importância da Integração Lavoura- Pecuária com Plantio Direto na Estratégia Ambiental : Pagamento de Serviços Ambientais John N. Landers, OBE Associação de Plantio Direto no Cerrado Consultor FAO, APROSOJA, CNA, ABIOVE
  • 2. A Integração Lavoura PD com a Pecuária ILPD 1. Alternância de lavouras em PD com pastagens renovadas; 2. Rotação pluri-anual de lavouras (não repetir a mesma cultura na mesma época em dois anos sucessivos, nem no mesmo ano) 3. As fases de pastagem ou cultura podem extender de 1 a vários anos 4. Sem Plantio Direto não é sustentável 5. PROIBIDO A QUEIMA DE PALHA
  • 3. • Fonte : F.P.Cardoso
  • 4. Filiado à FEBRAPDP MARGEM BRUTA POR ATIVIDADEMARGEM BRUTA POR ATIVIDADE Fonte : Ricardo de Castro Merola, Faz. Sta. Fé, Sta. Helena de Goiás MARGEM BRUTA POR ATIVIDADEMARGEM BRUTA POR ATIVIDADE 14% 44% 46% 50% PECUÁRIA AGRICULTURA AGRICULTURA EPECUÁRIA FAZENDA SANTA FÉ
  • 5. RB RL Preço (R$) *¹ Lucro (R$) RB RL Preço (R$) *¹ Lucro (R$) RB RL Preço (R$) *¹ Lucro (R$) Soja 50 sc 10 sc 30,00 300,00 - - - - - - - - Milho 100 sc 30 sc 15,00 450,00 120 sc 40 sc 15,00 600,00 - - - - Pecuária 600 kg*² 20 @ 50,00 1.000,00 900 kg*³ 30 @ 50,00 1.500,00 - - - - Algodão em Caroço - - - - - - - - 200 @ 60 @ 18,00 1.080,00 Total do Sistema - - - 1.750,00 - - - 2.100,00 - - - 1.080,00 Algodão em Caroço 280 @ 140 @ 18,00 2.520,00 250 @ 110 @ 18,00 1.980,00 200 @ 60 @ 18,00 1.080,00 Tot. Sistema - 2 anos - - - 4.270,00 - - - 4.080,00 - - - 2.160,00 NO VERÃO SEGUINTE Culturas Sistemas Safra + Safrinha + Boi Safra + Boi Monocultivo de Algodão *2 = Peso vivo com pastejo de 4 meses ( média de 1 kg/animal/dia e lotação de 5 animais por hectare ) *3 = Peso vivo com pastejo de 7 meses ( média de 1 kg/animal/dia e lotação de 5 animais por hectare ) RB = Rendimento Bruto RL = Rendimento Líquido *1 = Preço praticado no mês de Março de 2005 Planilha Comparativa do Rendimento da Produção de Algodão P/Ha Entre os Três Sistemas
  • 6. Faz. Dom Bosco, Cristalina GO. Propriedade de Eng. Agr. Sebastião Conrado. 1200 ha de lavouras e 1200 ha de pastagem • Rotação Original B. brizantha 10 anos/Soja/Pousio/Soja /Pousio /Milho /Pousio /Soja SS B. brizantha// • Rotação 1 (400ha irrigados) Milho consorciado c/B. ruziziensis/Pastoreio/Fejão repetido todos os anos + 800 ha na rotação 2//. • Rotação 2 (sequeiro) Feijão das águas/Sorgo pastejo/Sorgo silagem +Tanzânia ou B. brizantha/pasto 5 anos// • Rotação 3 (sequeiro) Pasto B. brazantha 5 anos/Soja/milheto/Milho consorciado comB. Brzantha v, Xarães//
  • 7. Faz. Dom Bosco, Cristalina-GO Análise financeiro-físico de 3 Modelos ROTAÇÕES • Input/Output ANTES 11 2 3 • Investimento (R$ ´000) 1.234.287 2.713.266 1.213.938 1.213.938 • Investimento (R$/ha) 514 1.131 506 506 • TIR R$27,41/sc Soja 3,57% 22,23% 20,80% 12,99% • VLP (R$ ´000) -799.490 2.452.120 1.792.821 461.08 • Cash (R$/ha) 52 252 202 128 • TIR R$21/sc Soja negativo 15,19% 9,20% -4,10% • . (R$ ´000) -2.806.222 1.015.201 -123.071 -.694.297 • Cash (R$/ha) -56 175 99 12 • Dados Físicos • Total UA Ano 0 1118 1118 1118 1118 • Total UA Ano 20 1118 2308 2086 1785 • Lotação de pasto UA/ha (Ano 20) 0,93 1,93 1,74 1,49
  • 8. SensibilidadeSensibilidade dodo SistemaSistema aoao PrePreççoo dada SojaSoja 14.00 39,90 19,53% 17,86% Preço da Soja US$/sc R$/sc Taxa Interna de Retorno C/ILPD Sem ILPD 8,00 22,80 6,24% 2,58% 10.13* 28,87 10,98% 8,21% 12.00 34,20 15,33% 13,20% Fonte : Landers et al. 2004 Filiado à FEBRAPDP Resultado de modelagem em estudo patrocinado pela WWF e TNC
  • 9. ILPD LEITE/CORTE Circulo fechado • 285 vacas Holandês e Girolanda – 7000 litros/dia • 50 ha de Tifton 85 irrigados – 7 UA/ha no inverno – só vacas – 22 UA/ha no verão – vacas + bois • 200 ha de ILPD Milho x B. brizantha – Bois de corte – Pastoreio de inverno – rotacionado • Lucro de R$ 291/ha/ano em 200ha (2003) Fonte :Grupo Ma Shou Tao
  • 10. Situação inicial Situação melhorada 450 ha total 450 ha total 350 ha pastagem 350 ha pastagem 11 touros (4%) 20 touros (3%) 280 vacas 700 vacas Desmama 60 % Desmama 88% 168 bezerros desmamados/ano 616 bezerros desmamados/ano Peso vivo desmame = 150 kg Peso vivo desmama = 200 kg Custo admin. = R$ 20.000,00/ano Custo admin. = R$ 35.000,00/ano Custo operac. = R$ 24.000,00/ano Custo operac. = R$ 60.000,00/ano Custo total = R$ 44.000,00/ano Custo total = R$ 95.000,00/ano Lucro = R$ 9.960,00/ano Lucro = R$ 161.900,00/ano Ou R$ 830,00/mês Ou R$ 13.492,00/mês ILPD aumenta a renda $$$$$ Exemplo Real Fazenda Média Obs.: manejo na situação melhorada: estação de monta, bezerros cruzados Nelore x Europeu, uso de creep feeding para os bezerros. Fonte : Michael F. Smith
  • 11. Orçamento 1 ha de milho Integrado com brachiaria Especificação UD Qtde Valo unit Totais/item Fonte : Semente gramínea sc 0,5 75,00 37,50 EMATER/MG Semente milho kg 20 2,20 44,00 Adubo 8-28-16 + Zn sc 10 43,50 435,00 Sub-totais e Total Uréia sc 4 45,00 180,00 ST Insumos Formicida (Mirex) kg 3 10,00 30,00 919,50 Calcário t 2 42,00 84,00 Herbicida (glifosato) l 7 10,00 70,00 ST serviços Siptram l 3 13,00 39,00 322,00 Aplicação herbicida dh 3 13,00 39,00 Total R$ Plantio+adubação ht 2 50,00 100,00 1241,50 Adubação cobertura dh 1 13,00 13,00 Colheita dh 8 13,00 104,00 Ingressos (80 sc) Transporte ht 1 40,00 40,00 R$1,360 Plantio c/ Matraca dh 2 13 26,00 = + R$118,50 ILPD para Pequenos
  • 12. PASTAGEM PREOCUPANTE SEM ADUBAÇÃO, SEM MANEJO E COM EXCESSO DE GADO. PRODUÇÃO 3 @/ha/ano.
  • 13. ILPD com Tração Animal – um avanço para pequenos
  • 14. ILPD – solução para pequenos e recuperação da Zona da Mata
  • 15. BOM PASTO = MENOS 33% de CH4
  • 16. 3400 3100 3500 135 225 375 3000 3150 3300 3450 3600 First year Second year Third year kg/ha 100 150 200 250 300 350 400 kgbeef/ha Soybean Beef
  • 17. Mitigação Potencial do Desmatamento com ILPD Área de pasto (ha) 1000 1000 1000 1000 1000 Kg carne/ha/yr 60 375 225 135 199 Total Carne t/ano 60 60 60 60 60 Ha de pasto 1000 160 267 444 290 Índice MPD (ha/ha ICLZT) 0 6,09 3,48 1.81 3.79 Intervalo de Renovação (Anos) 15-20 1 2 3 Média
  • 18. • A linha de crédito do BNDES para ILPD não tem muita aceitação (boicote de bancos ou pecuarista não arrisca?) • Treinamento rigoroso de agentes de AT? • Capacitação de produtores? • Pagamentos de incentivos adicionais (serviços ambientais)? A adoção entre lavouristas está boa A adoção entre pecuaristas está baixíssima ONDE ESTÁ O IMPEDIMENTO?
  • 19. AdoçãoAdoção de ILPDde ILPD BARREIRAS PARA O LAVOURISTA: 1. Disponibilidade de pastagens; 2. Investimento em cercas e aguadas; 3. Árvores no pasto; 4. Nível tecnológico em pecuária; 5. Falta capital de giro para o gado; 6. Irregularidades de superfície no pasto; 7. Custo de correção do solo; 8. Custo de arrendamento
  • 20. BARREIRAS PARA O PECUARISTA: 1. Falta de maquinaria; 2. Nível tecnológico inadequado para lavoura; 3. Como acomodar o gado em área menor? 4. Falta de capital de giro e não gosta de empréstimo ou não tem habilitação; 5. Não gosta de estranhos na fazenda; 6. Ganha suficiente - inercia a mudanças. AdoçãoAdoção de ILPDde ILPD SOLUÇÃO PARA AMBOS : ARRENDAMENTO Note bem : para o lavourista alugar a custo baixo, pode pensar em garantir o pasto de inverno na palhada para tranquilizar o pecuarista – não vai ter que vender gado ou alugar pasto!
  • 21. Beneficios e Desvantagens do Arrendamento em ILPD • Perda de área de pasto de inverno Sem pastoreio de restevas precisa alugar pasto de inverno. Estranhos na fazenda Investimento adicional em cercas Perda de arborização no pasto Retomada forçada da área (quebra de contrato) Risco de insolvência do lavourista (alto) Investimento para correção (química e física) do solo Deslocamento de maquinas e pessoal para outras áreas Menores produtividades nos primeiros anos de lavoura Custo do arrendamento Perda de produtividade com pastoreio de resteva Aumento de herbicidas com pastoreio de inverno;Presença de árvores espalhadas no pasto DESVANTAGENS Ingresso adicional (aluguel da área) Renovação de pasto a baixo custo Aumento da lotação nas pastagens renovadas Melhoria na sanidade do rebanho Possibilidade de pastoreio na resteva Expansão de área de lavoura Uso mais eficiente da maquinaria (Maxim de ha por máquinas) Redução da pressão de pragas, doenças e ervas daninhas (e nematóides) PECUARISTALAVOURISTA
  • 22. DESMATAMENTO ZERO É FACTÍVEL? • Nepstad et al. (2006) REDD – uma certificação socio-ambiental de pares sómente para floresta em pé (Amazônia) • MMA/SDS ProAmbiente (2002.......) – certificação participativa, zoneamento e remuneração de serviços ambientais para agricultura familiar (Amazônia) • Landers & Freitas (2001) ILPD – mitigação indireta pela intensificação do uso da terra – serviços ambientais para mitigação (indireta) da demanda para abertura de novas áreas (Brasil)
  • 23. POTENTIAL FOR EXPANSION CERRADO/AMAZON Sources of expansion Equivalent Area Preserved (ha) ICLZT on 10% of degraded tropical pastures 6,000,000 Biofuels including sugar cane on degraded pasture 6,000,000 Reforestation on 20% of degraded tropical pastures 12,000,000 Irrigation (150,000 incremental ha /yr) 1 1,800,000 Incremental grain yield (2% p.a)2 - equivalent ha 15,016,000 Total potential expansion with zero de-forestation 40,816,000 1This is the average expansion over recent years. 2 Brazil´s agricultural productivity grew 85.8% between 1991 and 2006, or over 4% p.a. - 2% p.a. is thus conservative.
  • 24. Potencial para Mitigação do Desmatamento • ÁREA BASE - 20% DE 80 MILHÕES DE HA, DE PASTOS • (Amazônia 20 + Cerrado 60) = 16 MILHÕES DE HECTARES; • PERIODO 20 ANOS; • 50% SERIA PASTAGENS, 50% LAVOURAS – 8 MILHÕES DE HA CADA; • CARGA ANIMAL INICIAL = 0,7 AU/ha AUMENTA PARA 1,5 AU/ha • CABEM MAIS 0,8 x 8 = 6,4 MILHÕES U.A. ADICIONAIS, • A 0,7 U.A./HA, SEM A ILPD, TERIAM SIDO DESMATADOS MAIS 9,1 MILHÕES DE HA • COM ILPD ESTES SERIAM SALVOS • AGREGAR A ISTO A ABSORPÇÃO DE 8 MILHÕES DE HA DE LAVOURAS • TOTAL MITIGAÇÃO EM 20 ANOS • = 17,1 MILHÕES DE HECTARES PRESERVADOS • COMPATIVEL COM CRESCIMENTO DE GRÃOS E CARNE A 2% AA..
  • 25. ESTRATEGIA 1. MUDAR O CONCEITO PÚBLICO DO PRODUTOR 2. CONVENCER A SOCIEDADE DE PAGAR PARA PRESERVAR - já existem precedentes 3. FORJAR ALIANÇAS COM LIDERANÇAS AMBIENTAIS MODERADAS 4. CAPACITAÇÃO NAS NOVAS TÈCNICAS 5. DISSEMINAR TECNOLOGIAS SUSTENTÁVEIS 6. WORKSHOPS E SEMINARIOS PARA DIVULGAÇÃO 7. ALIANÇA COM A IMPRENSA RESPONSÁVEL 8. EXCURSÕES COM TOMADORES DE DECISÃO E LIDERES DE OPINIÃO PARA VER ILPD etc. 9. PROJETOS PILOTOS DE RECUPERAÇÃO DE PASSIVO AMBIENTAL 10. DESENVOLVER CERTIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL
  • 26. Serviços ambientais • Declaração de Madrí, 2001 (FAO/ECAF) • “a conservação dos recursos naturais é co- responsabilidade – passado, presente e futuro – de todos os setores da sociedade na proporção em que consomem os produtos resultantes da exploração deses recursos.” • SE PD GERA >2 Bi DE US$/ANO DE ECONOMIAS PARA A SOCIEDADE, PORQUE ESTA MESMA SOCIEDADE (QUE QUER PRESERVAR OS RECURSOS NATURAIS) E QUE CONSOME OS COMMODITIES, NÃO PODE RETORNAR A METADE EM SERVIÇOS AMBIENTAIS ???
  • 27. PRODUTOR RURAL NO VERMELHO NÃO PODE PRESERVAR O VERDE
  • 28. OBRIGADO, GRACIAS or THANK YOU John N. Landers OBE
  • 29. Condições favoráveis à mitigação de desmatamento via ILPD • Incentivos à ntensificação do uso da terra • Concentração de incentivos em pastagens degradadas, sem desmatamento; • A nova atividade tecnológica absorve capital, desviando-o do desmatamento (temporário); • Queda do preço da carne, com presença de investimentos alternativos atrativos na ILPD.
  • 30. Família Rauscher, Uberlândia-MG CAPACIDADE DE MITIGAÇÃO 2,2:1 Pastagens (2,6-1,1)=1,5 + Lavoura 0,7:1 Fonte Vilela et al. 2004 –região de Uberlândia MG Ocupação da Terra 1983 (%) 1988 (%) 1992 (%) 1996 (%) 2003 (%) Pastagem depois de Cerrado 100 42 0 Pastagem depois de lavoura 0 29 59 36 30 Lavoura 0 29 41 64 70 (cab/ha) (cab/ha) (cab/ha) (cab/ha) (cab/ha) Carga Animal (área de pasto) 1,1 1,4 2,8 3,2 2,6
  • 31. BENEFÌCIOS DO ILPD Para a sociedade • Menos enchentes • Mais biodiversidade • Segurança alimentar • Alimentos mais baratos • Maiores vazões no inverno • Água de melhor qualidade • Redução do aquecimento global • Redução do assoreamento de rios • Maior exportação e balança comercial • MITIGAÇÃO DO DESMATAMENTO • Menor custo de manutenção de estradas • Menos êxodo de pequenos produtores para a cidade Filiado à FEBRAPDP
  • 32. O bom manejo da agua depende de cobertura permanente do solo

×