Nagios

1,696 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,696
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
76
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Nagios

  1. 1. Fundamentos de gerência de redes corporativas Técnico em Redes - SENAC Evandro Júnior
  2. 2. NagiosFerramenta de monitoramento de rede corporativas
  3. 3. Nagios• Nagios é uma popular aplicação de monitoração de rede de código aberto distribuída sob a licença GPL. Ele pode monitorar tanto hosts quanto serviços, alertando-o quando ocorrerem problemas e também quando os problemas forem resolvidos.• O Nagios foi originalmente criado sob o nome de Netsaint, foi escrito e é atualmente mantido por Ethan Galstad, junto com uma equipe de desenvolvedores que ativamente mantém plugins oficiais e não-oficiais.• Nagios primeiramente foi escrito para o sistema operacional Linux, mas pode rodar em outros Unixes também.
  4. 4. MotivaçãoCrescimento das redes:• Número de equipamentos; Diversidade de tecnologias Diversidade de ambientes operacionais Extensão/Dispersão da rede• Garantir a qualidade no serviço; Clientes mais exigentes Competitividade Outages• Novos dispositivos/protocolos/arquiteturas de rede; Virtualização Computação na Nuvem
  5. 5. MotivaçãoComplexidade das redes modernasMigração de tecnologias legadas para redes de dados Telefonia TV (Streaming / GVT / Netflix / PS3) Telemetria VigilânciaMúltiplos fornecedoresAusência de recursos suficientes para administrar/monitorar arede
  6. 6. Motivação “O administrador de rede deve monitorar,gerenciar e controlar ativamente o sistema do qual está encarregado.” Kurose e Ross
  7. 7. ObjetivosDetecção de falhasFalhas em interfaces de rede, Computadores/Servidores, roteadores, etcAtravés do monitoramento de tráfego ou ainda contadores de performanceMonitoração de HospedeiroAcompanhar a disponibilidade dos hosts da redeRealizar gerência proativa na ocorrência de uma falhaMonitoração de TráfegoA rede pode ser otimizadaGargalos resolvidosNovas contratações podem ser iniciadas antes da exaustão do recursos
  8. 8. ObjetivosDetecção de Mudanças rápidas em tabelas de roteamentoQuando muito frequentes, podem indicar instabilidade em um roteador malconfigurado ou intermitência em links de comunicaçãoMonitoração de SLAs (Service level Agreement) - Acordo denível de serviçoSeja garantido o nível de serviço contratadoÉ necessário que seja especificado no contrato
  9. 9. ObjetivosDetecção de Intrusos• Filtragem de tráfego• Notificação de eventos suspeitos Aumento de consumo de banda repentino Aumento de pacotes TCP SYN direcionados a um único hospedeiro Conexões a portas de acesso remoto Autenticações inválidas
  10. 10. Modelo de Gerenciamentode redes da ISOA ISO (International Organization for Standarization) criou ummodelo de gerenciamento de rede mais estruturado, baseadoem 5 áreas de gerenciamento:Gerenciamento de DesempenhoGerenciamento de FalhasGerenciamento de ConfiguraçõesGerenciamento de ContabilizaçãoGerenciamento de Segurança
  11. 11. Gerenciamento de DesempenhoQuantificar, medir, analisar, informar, analisar e controlar odesempenho de diferentes componentes/recursos de rede. Sejam ativos de rede, links, servidores ou ainda hosts.SNMP desempenha um papel fundamental nestegerenciamento.
  12. 12. Gerenciamento de Desempenho
  13. 13. Gerenciamento de DesempenhoUtilizado no planejamento da rede:• Dimensionamento• Identificação de gargalos• Resolução de problemas de performance• Relocação de recursos• Ampliações programadas
  14. 14. Gerenciamento de DesempenhoExemplos:• Utilização de CPU dos servidores é considerada OK até 60%, entre 61- 85% deve-se iniciar processo de upgrade, acima de 86% é considerado crítico• Ocupação dos links da rede devem ser observados, ao chegar a 70%, deve-se solicitar ampliação, se links forem redundantes/load balance, um link não deve ultrapassar 40% de sua capacidade, pois em situação de falha, receberá a carga do outro link.
  15. 15. Gerenciamento de DesempenhoExemplos:• Utilização de CPU dos servidores é considerada OK até 60%, entre 61- 85% deve-se iniciar processo de upgrade, acima de 86% é considerado crítico• Ocupação dos links da rede devem ser observados, ao chegar a 70%, deve-se solicitar ampliação, se links forem redundantes/load balance, um link não deve ultrapassar 40% de sua capacidade, pois em situação de falha, receberá a carga do outro link.
  16. 16. Gerenciamento de FalhasProcedimentos:• Determinar e isolar o ponto de falha;• Reconfigurar a rede para diminuir o impacto;• Reparar a falha e voltar para à situação normal de funcionamento. Falha ≠ Erro
  17. 17. Gerenciamento de FalhasComo evitar e minimizar essas falhas:• Utilizar ferramentas e funções de gerenciamento rápido e confiáveis;• Utilizar redundância de rotas e equipamentos para minimizar o impacto das falhas;• Utilizar uma técnica de gerenciamento de falhas redundante.
  18. 18. Gerenciamento de ContabilidadeSua função:• Contabilizar a utilização dos recursos de rede por parte dos usuários, como evitar a sobrecarga da rede resultante do acesso privilegiado e garantir a utilização eficiente dos recursos da rede.O que deve ser especificado:• Quais informações vão fazer parte do projeto;• A frequência de registros das informações especificadas;• Algoritmos de cálculos de cargas e relatórios de contabilidade.
  19. 19. Gerenciamento de Segurança• Geração, armazenamento e distribuição de chaves criptográficas e de senhas.• Monitoramento de acesso à rede e as informações nela contida.• Proteção de recursos da rede e de informações dos usuários.

×