Your SlideShare is downloading. ×
0
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)

4,761

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,761
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
170
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. OS CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA : MARX, DURKHEIM E WEBEROS CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA : MARX, DURKHEIM E WEBER
  • 2. O estudo da realidade brasileira no contexto docapitalismo global não dispensa o estudo dateoria social clássica senão corre-se o risco deprecisarmos reinventar continuamente a roda.Mas, por outro lado, não devemos transformar ostextos clássicos numa espécie de bíblia sagradapretendendo aplicar as análises da realidadesocial européia do século XIX para compreender arealidade social brasileira e mundial do séculoXXI.
  • 3. Características de um clássicoSeja considerado interprete autêntico e único de seu tempo, cujaobra seja utilizada como instrumento indispensável paracompreendê-lo.Seja sempre atual, de modo que cada época, ou mesmo cadageração, sinta a necessidade de relê-lo e, relendo-o, dereinterpretá-lo.Tenha construído teorias-modelo das quais nos servimoscontinuamente para compreender a realidade, até mesmo umarealidade diferente daquela a partir da qual as tenha derivado eà qual as tenha aplicado, e que se tornaram, ao longo dos anos,verdadeira e proprias categorias mentais.Norberto Bobbio, Teoria Geralde Política
  • 4. No século XIX, três pensadores desenvolveram teorias buscandoexplicar a sociedade capitalista: Karl Marx , Emile Durkheim quecontinuou o positivismo de Augusto Comte e Max Weber . Estes trêspensadores são denominados os clássicos da Sociologia.Os Clássicos da Sociologia1818-1883 1858-1917 1864-1920
  • 5. Auguste Comte – OFundador da SociologiaISIDORE- AUGUSTE MARIE-FRANÇOISXAVIER COMTEFilósofo e Sociólogo, natural de MontpellierFrança.Nasceu em 1798 e faleceu em Paris em1857.
  • 6. Emprego dos TermosCriador da SOCIOLOGIA e doPOSITIVISMO após exaustivosestudos da estática e dinâmica sociais,idealizou uma sociedade modelo, tendoo amor como princípio, a ordem comobase e o progresso como fim.
  • 7. PositivismoDefiniçãoO positivismo é uma corrente filosófica que surgiu na França no começo do séculoXIX. Os principais idealizadores do positivismo foram os pensadores AugustoComte e John Stuart Mill. Esta escola filosófica ganhou força na Europa nasegunda metade do século XIX e começo do XX, período em que chegou aoBrasil.PrincípiosO positivismo defende a ideia de que o conhecimento científico é a única forma deconhecimento verdadeiro. De acordo com os positivistas somente pode-seafirmar que uma teoria é correta se ela foi comprovada através de métodoscientíficos válidos.Os positivistas não consideram os conhecimentos ligados as crenças, superstiçãoou qualquer outro que não possa ser comprovado cientificamente. Para eles, oprogresso da humanidade depende exclusivamente dos avanços científicos.
  • 8. Campo de PesquisaA herança francesa do iluminismo e asondas de choque da RevoluçãoFrancesa levaram Comte a examinar asociedade a partir de um estudocientífico.(Curso de Filosofia Social(1830-1842).Filosofia Social no princípio, depois otermo híbrido grego-latino Sociologia.
  • 9. Etapas do PensamentoLei dos três Estados, no qual oconhecimento está sujeito, em suaevolução passar por três estadosdiferentes.Segundo essa Lei, o espírito humanoteria passado por três fasessucessivas.
  • 10. 1º Estado - TeológicoPensamento místico, em que o mundoé dominado pelas considerações dosobrenatural, religião e Deus.Fetichismo (culto de objetos materiais -magias)Politeísmo (presença de vários deuses)Monoteísmo (presença de um únicoDeus)
  • 11. 2º Estado - MetafísicoAs atrações do sobrenatural são substituídas pelopensamento filosófico sobre a essência dos fenômenos.É um ramo da filosofia que estuda a essência do mundo. Seocupa em procurar responder perguntas tais como: O que éreal? O que é natural? O que é sobrenatural?Estudos que vão além da natureza, além do físico, alémdaquilo que se possa ver ou tocar.Reunião de todas as forças numa só chamada natureza.(panteísmo)
  • 12. 3º Estado: PositivoA ciência, ou a observação cuidadosa dosfatos empíricos, o teste sistemático de teoriastornam-se modos dominantes para seacumular conhecimentos.Uso das leis científicas da Matemática,Astronomia, Física, Química, Biologia eLógica)
  • 13. Os Clássicos da SociologiaEmile Durkheim(1857 – 1917)Max Weber(1864 – 1920)Karl Marx (1818– 1883)Objeto daSociologia MétodoClasses SociaisFato SocialAção SocialDialéticaExplicaçãoCompreensãoSocial
  • 14. OS CLÁSSICOS DASOCIOLOGIAEMILE DURKHEIM1857-1917
  • 15. BIBLIOGRAFIABASICAGARCIA, Dirce Maria Falconi. O pensamento sociológico deEmile Durkheim. In Lemos Filho, Arnaldo. Sociologia Geral edo Direito. 2ªedição, Campinas:Ed.Alinea, 2005SELL, CarlosEduardo. Sociologia Classica: Marx, Durkheim eWeber. Petropolis, Ed.Vozes,2009LEMOS FILHO, Arnaldo. Slides
  • 16. BIBLIOGRAFIACOMPLEMENTAR1.COSTA, Cristina. Sociologia,uma introdução àSociedade.3ªedição.São Paulo: Editora Moderna,20052. ARON, Raymond. As etapas do PensamentoSociológico. Brasilia, UNB,19803. QUINTANERO, Tania. Um toque de classicos. 2ªedição. Belo-Horizonte: Ed. UFMG, 20044. CASTRO, Ana Maria-DIAS, Edmundo.Introdução aopensamento sociológico. Rio de Janeiro, Ed.Eldorado,1987, 9ªedição.
  • 17. CONCEITOS BÁSICOSFATO SOCIALCOERÇAO SOCIALCONSCIÊNCIA COLETIVADIVISÃO SOCIAL DO TRABALHOSOLIDARIEDADE MECÂNICASOLIDARIEDADE ORGÂNICADIREITO REPRESSIVONORMAL E PATOLÓGICO DIREITO RESTITUTIVOSUICÍDIOANOMIA
  • 18. 1. Contexto Histórico - Obras2. Contribuições para a Sociologia2.1. A preocupação em estabelecer um objeto eum método para a Sociologia2.2. A preocupação em estabelecer normas quejustifiquem a manutenção da sociedade capitalista3. ConclusãoROTEIRO
  • 19. CONTEXTO HISTÓRICOVivendo no período que vai da segunda metade do século XIXaté o final da Primeira Guerra Mundial foi contemporâneo dosacontecimentos significativos do períodoInicio da IIIª Republica na FrançaO capitalismoconsolidado e suascontradiçõesProgresso tecnológicoProdutividade nas fábricasComuna deParis(1871)Sindicatos - Greves
  • 20. Preocupa-se com oestabelecimento deuma nova ordem socialToda reforma social deveestar baseada noconhecimento prévio ecientífico da sociedade enão numa ação políticaCom amplo conhecimentodas Ciências Naturais,passa a ver a sociedadecomo um imenso corpobiológico.CONTEXTO HISTÓRICOProcurou conhecer asociedadecientificamente comracionalidade, para quea ciência pudesseresolver as questõessociais
  • 21. Luta para provar que a Sociologia é uma ciência e que, porisso, deve ser neutra.Faz uma leitura conservadora da crise social do seu tempo,acreditando ser provocada pelo desregramento, que seriaresolvida com a formação de instituições publicas capazesde se impor aos membros da sociedade e eliminar osconflitosCONTEXTO HISTÓRICONunca se utiliza da teorias das classes sociais, demonstrandouma tendencia a subestimar a importância dos fatoreseconômicos na compreensão da sociedade
  • 22. OBRAS PRINCIPAIS1893- DA DIVISÃO DO TRABALHO SOCIAL1895 AS REGRAS DO MÉTODO SOCIOLÓGICO1897 – o SUICÍDIO1912- AS FORMAS ELEMENTARES DA VIDARELIGIOSA
  • 23. 1ªcontribuiçãoAs Regras do Método SociológicoApreocupaçãoemestabelecerpara aSociologiaObjetoMetodoFatoSocialExplicação
  • 24. FatoSocial“ Fato social é toda maneira de fazer, fixa ounão,suscetível de exercer sobre o indivíduo umacoação exterior;ou ainda, que é geral no conjunto decada sociedade tendo ao mesmo tempo existênciaprópria, independente de suas manifestaçõesindividuais.”Fato social consiste em “maneiras coletivas depensar, sentir e agir, exteriores ao indivíduo edotadas de um poder de coerção em virtude do qualse lhe impõem”
  • 25. CARACTERÍSTICASDO FATO SOCIALGENERALIDADEEXTERIORIDADECOERCITIVIDADEpor ser coletivo e estarpresente em toda asociedadepor se apresentar forado individuopor exercer umaforça sobre oindividuo,obrigando-o a seconformar com asmaneiras de pensar,sentir e agir,
  • 26. Independente de qualquerfilosofia, visando apenas oprincipio da causalidadeGarantia da objetividadeUm fato social só pode serexplicado por outro fato socialCaracterísticasdo métodoMÉTODO
  • 27. MÉTODOOs fatos sociais devem sertratados como coisasRegrafundamental
  • 28. A explicação científica exige que o pesquisador mantenhacerta distância e neutralidade em relação ao fato a serestudado.O sociólogo deve deixar de lado suas pré-noções, isto é,seus valores e sentimento pessoais. Não pode haverenvolvimento afetivo ou interferência do sujeito emrelação ao objeto.Enfatiza a posição de neutralidade e objetividade que opesquisador deve ter em relação à sociedade: devedescrever a realidade social sem deixar que suas idéias eopiniões interfiram na observação dos fatos sociaisMÉTODO
  • 29. “O conjunto das crenças e dos sentimentoscomuns à média dos membros de uma mesmasociedade forma um sistema que tem sua vidaprópria; podemos chamá-lo consciênciacoletiva ou comum. Sem dúvida, ela não tempor substrato um órgão único; é, por definição,difusa em toda extensão da sociedade”( A Divisão do Trabalho Social)CONSCIÊNCIA COLETIVA
  • 30. CONSCIÊNCIA COLETIVATrata-se da idéia do que seja o psíquico social.A consciência coletiva é objetiva (não vem de uma só pessoa), éexterior (é o que a sociedade pensa), age de uma formacoercitiva.A consciência coletiva manifesta-se nos sistemas jurídicos, noscódigos legais, na arte, na religião, nas crenças, nos modos desentir, nas ações humanas. Existe difundida na sociedade e éinteriorizada pelos indivíduos.É, de certo modo a moral vigente da sociedade.Para Durkheim, a sociedade è mais do que a soma dosindivíduos e o todo (a sociedade) prevalece sobre as partes(osindivíduos).
  • 31. Sendo um conceito muito abrangente, a partir de 1897, Durkheim passa autilizar o conceito de “representações sociais”“A vida social é feita essencialmente de representações que são osestados de consciencia coletiva, diferentes me natureza dos estadosde consciência individual.Elas exprimem o modo pelo qual o grupo seconcebe a si mesmo em suas relações com os objetos que os afetam.Ora o grupo está constituído de maneira diferente do indivíduo, e ascoisas que o afetam são de outra natureza. Para compreender amaneira como a sociedade se vê a si mesma e ao mundo que a rodeia,é preciso considerar a natureza da sociedade e não a dos indivíduos”(“ As Regras do Método Sociológico)Representações Sociais
  • 32. 2ªcontribuiçãoA preocupação emestabelecer normas quejustifiquem a manutenção dasociedade capitalistaA Divisão do Trabalho Social
  • 33. Em sua obra A Divisão do Trabalho Social procuracompreender as repercussões da divisão do trabalhoe do aumento do individualismo na integração social.Durkheim tenta entender o funcionamento dasociedade da mesma forma que a Biologia entende ofuncionamento de um corpo. Cada indivíduo tem umafunção a cumprir que é importante para ofuncionamento de todo o corpo social.A Divisão do Trabalho Social
  • 34. Daí o efeito mais importante da divisão do trabalhonão é o seu aspecto econômico (aumento deprodutividade) mas a integração e a união entre osmembros, que Durkheim denominaSOLIDARIEDADE.Quanto mais for especializada sua atividade, mais o membrode uma sociedade passa a depender dos outros membros.Divisão Social do trabalho vem a ser a especializaçãode funções entre os indivíduos de uma sociedade.A Divisão do Trabalho Social
  • 35. SOLIDARIEDADE SOCIAL
  • 36. SOCIEDADE PRE-CAPITALISTA SOCIEDADE CAPITALISTATradicionalNão diversificadaPré-industrialSemelhanças de funções:uniãoSimplesPouca divisão do trabalhoSolidariedade mecânicaModernaDiversificadaIndustrialEspecialização de funções:dependênciaComplexaMuita divisão do trabalhoSolidariedade orgânicaCausa da coesão social :SolidariedadeCausa da coesão social :Solidariedade
  • 37. SolidariedadeMecânicadivisão do trabalho pouco desenvolvidaNão havia um grande número deespecializaçõesAs pessoas se uniam não porquedependiam do trabalho das outrasTodos tinham a mesma religião, asmesmas tradições, os mesmossentimentos, os mesmos valoresA consciência coletiva era forte epesava sobre o comportamento detodos.Predominava o Direito Repressivo (Penal)pois o crime feria os sentimentos coletivos.
  • 38. SolidariedadeOrgânicaHá divisão de trabalho porque há maisespecialização de funções..O que une as pessoas é a interdependênciadas funções sociais.A consciência coletiva é fraca pois é difusa,difundindo-se pelas diversas instituiçõesPredomina o Direito Restitutivo (Civil) , pois afunção do Direito mais do que punir ocriminoso, é restabelecer a ordem que foiviolada.
  • 39. As causas sociais do aumento da divisão do trabalho nas sociedadecomplexas decorre de uma combinação de fatores que envolvem : ovolume populacional e a densidade natural e moral da populaçãoCausas doaumento dadivisão dotrabalhoum aumento do volume da populaçãouma maior aproximação dos membros dasociedade no espaço físicouma maior comunicação e interdependênciados indivíduos no espaço social
  • 40. Durkheim admite que a Solidariedade Orgânica é superior àMecânica, pois ao se especializarem as funções , aindividualidade de certo modo é ressaltada, permitindo maiorliberdade de açãoSegundo Durkheim, o aumento da diferenciação social edas especializações é fruto de um processo de evoluçãodas sociedades mais simples e tradicionais para associedades modernasMorfologia social: as espécies sociaisPara Durkheim toda sociedade havia evoluído de uma forma socialmais simples para uma mais complexa. Baseando –se nessa idéiadiz que o “motor” da evolução das sociedades era a passagem dasolidariedade mecânica para a solidariedade orgânica.
  • 41. FATO PATOLÓGICO E ANOMIAO crescente desenvolvimento da industria e datecnologia faz com que Durkheim tivesse umavisão otimista sobre o futuro do capitalismo.O capitalismo é uma sociedade perfeita, pois a maiordivisão de trabalho aumenta a especialização de funçõesque aumenta a dependência, tendo maior solidariedade.Como explicar os problemas sociais, tais como favela,criminalidade, suicídio, fome, miséria, poluição,desemprego?A crise da sociedade é moral. Ou as normas estãofalhando (fato patológico) ou há ausência denormas (anomia)
  • 42. A sociedade, como todo organismo, apresenta estados normais epatológicos, saudáveis e doentios.FatoSocialNormalquando se encontra generalizado nasociedade ou desempenha algumafunção social importante.Fato SocialPatolológicoaquele que se encontra fora dos limitespermitidos pela ordem social e pelamoral vigente
  • 43. Para Durkheim, um fenômeno quando agride os preceitosmorais, pode ser considerado normal desde que encontradona sociedade de forma generalizada desde que não coloqueem risco a integração social..Considerou o crime umfato social normal porqueé encontrado em todasas sociedades e serve deparâmetro para asociedade. Se o crimepõe em risco aintegração social éconsiderado patológico
  • 44. ANOMIACarência de regulamentação social, ausência deregras sociais (desregramento social). As criseseconômicas e conflitos capital-trabalho sedevem a uma situação de anomia..Atribui essa crise moral às mudanças rápidasocorridas na sociedade no final do século XIX eao descompasso entre o avanço material e asnormas morais e jurídicas.Ao estudar o suicidio, refere-se ao suicídioanômico que acontece devido aoenfraquecimento das regras morais.Tal estado de anomia se deve à própriasociedade que apresenta uma situação dedesregramento levando os indivíduos a perderema noção dos fins individuais e dos limites
  • 45. ANOMIA EM DURKHEIMAparece na análise que Durkheim faz do suicídio: ascausas do suicídio seriam sociais, dependendo do maiorou menor grau de coesão social.
  • 46. Três tipos de suicídio:EGOÍSTA Falta de integraçãoALTRUÍSTA Excesso deintegraçãoANÔMICO Falta de limites eregras
  • 47. Direito e anomiaa coesão é garantidapor um conjunto deprincípios, ou seja,uma moral e umconjunto de regras enormas, ou seja ,odireito, porque todos seconhecemA função do direito épunir aquele que,com suastransgressão, ofendetodo o conjunto. É oque conhecemos pordireito penal.Sociedadesimples
  • 48. SociedadecomplexaPrecisamos ser solidáriosnão porque somos iguaismas porque somosdiferentes. A falta, orompimento da regra nãoafeta o coletivo e sim aspessoas separadamente.A punição será dirigidapara a devolução,`aquele que foiprejudicado, daquiloque lhe foi tirado. É odireito restitutivo.
  • 49. EducaçãoPara Durkheim tem um papel importante na conformação doindivíduo à sociedade em que vivem, seja e educação formal ouinformal. A educação tem o papel de ajudar a internalizar as regrassociais.Ex.: uso de determinada língua, gosto culinário, determinados padrõesde arte...A arte também representa um recurso capaz de difundir valores eadequar as pessoas a determinados hábitos.Exemplo de adequação : riso é uma forma de sanção social, naencenação ou na vida real.
  • 50. CONCLUSÃOA Sociologia tem por finalidade não só explicar a sociedadecomo também encontrar soluções para a vida social.Trata-se apenas de conhecer os seus problemas e de buscaruma solução científica para eles: curar as suas doenças.Os problemas sociais não se resolveriam dentro de uma lutapolítica e sim através da ciência, ou seja, da Sociologia.Foi com Durkheim que a Sociologia passou a serconsiderada propriamente uma ciência, dotada de umobjeto especifico, os fatos sociais, e de uma metodologia.
  • 51. A tarefa da Sociologia é compreender o funcionamentoda sociedade capitalista de modo objetivo, paraobservar, compreender e classificar as leis sociais,descobrir as que são falhas e corrigi-las por outras maiseficientes.Durlkheim, ao lado de Marx e Weber, representa umacontribuição importante para a Sociologia e para asCiências Sociais de modo geral. Sua construçãometodológica permanece obrigatória aos pesquisadoresdo campo social.CONCLUSÃO
  • 52. (Figura in: Durkheim Sociologia-org.José Albertino Rodrigues, coord. Florestan Fernandes. 9ª Ed. 2ª imp. Àtica, 2000 ,p 31.)

×