Este trabalho foi realizado por:Ana Catarina 5ºA (nº2)
O presépio foi criado por São Francisco de Assis, no século XIII, em1223, na região da Úmbria. Com a permissão do Papa, mo...
Anjos cantores anunciam uma boa notícia. "Glória no mais alto doscéus e paz na terra aos homens de boa vontade". Anjos sur...
Na ponta da árvore de Natal e, muitas vezes, sobre o presépiose coloca a Estrela de Belém. Simboliza a estrela-guia dosmag...
No século V, Orígenes e Leão Magno propõem chamá-los de reis-magos. No século VII, eles ganham nomes populares: Baltazar,B...
A árvore natalina é simbolizada por um pinheiro enfeitado de luzes e de bolinhasvitrificadas coloridas, e para os cristãos...
Em muitos países, durante o advento, se faz com ramos depinheiro uma coroa ou grinalda com quatro velas paraesperar a cheg...
Para o cristão, as velas simbolizam a fé, o amor e a vida.Era uma vez um pobre sapateiro que vivia numa cabana, naencruzil...
As renas carregam sinos de anúncio e de convocação. O sino simboliza orespeito ao chamado divino e representa o ponto de c...
O toque mágico do Natal vêm com a brancura e o frio da neve nohemisfério norte que exigem que as pessoas convivam mais den...
A confeção do primeiro cartão de Natal, costuma ser atribuída aobritânico Henry Cole que, em 1843, encomendou a uma gráfic...
Uma série de bolos e massas são preparados somente para o Natal e sãoconhecidos por todo mundo. O bolo recheado de frutas ...
O atual Pai Natal, de roupa vermelha e saco às costas, nasceu nosEstados Unidos, na metade do século XIX, como um São Nico...
Natal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Natal

439

Published on

Ana Catarina (5ºA)

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
439
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Natal

  1. 1. Este trabalho foi realizado por:Ana Catarina 5ºA (nº2)
  2. 2. O presépio foi criado por São Francisco de Assis, no século XIII, em1223, na região da Úmbria. Com a permissão do Papa, montou umpresépio de palha que representava o ambiente do nascimento deJesus, com pessoas e animais reais e não bonecos. Neste cenáriofoi celebrada a missa de Natal e o sucesso foi tamanho querapidamente se estendeu por toda a Itália. As esculturas e quadrosque enfeitavam os templos para ensinar os fiéis serviram deinspiração para que se criasse o presépio.
  3. 3. Anjos cantores anunciam uma boa notícia. "Glória no mais alto doscéus e paz na terra aos homens de boa vontade". Anjos surgemnos céus para confirmar o nascimento do filho de Deus. Pelamelodia que entoam prenunciam um novo tempo. As primeirascanções natalinas datam do século IV e são cantadas até hoje navéspera de Natal.
  4. 4. Na ponta da árvore de Natal e, muitas vezes, sobre o presépiose coloca a Estrela de Belém. Simboliza a estrela-guia dosmagos e sábios do Oriente. A Estrela possui quatro pontas euma cauda luminosa, como um cometa.
  5. 5. No século V, Orígenes e Leão Magno propõem chamá-los de reis-magos. No século VII, eles ganham nomes populares: Baltazar,Belquior e Gaspar e trazem ouro, incenso e mirra para o meninoJesus. No século XV, lhes é atribuída uma etnia: Belquior (ouMelchior) passa a ser de raça branca, Gaspar, amarelo, e Baltazar,negro, para simbolizar o conjunto da humanidade.
  6. 6. A árvore natalina é simbolizada por um pinheiro enfeitado de luzes e de bolinhasvitrificadas coloridas, e para os cristãos reúne dois símbolos religiosos: a luz e avida.Uma a lenda conta que havia três árvores próximas aos presépios: uma oliveira,uma tamareira e um pinheirinho, que desejavam honrar o recém-nascido. Aoliveira ofereceu suas azeitonas, e a tamareira suas tâmaras, mas o pinheirinhonão tinha nada a ofertar. Lá do alto, as estrelas desceram do céu e pousaramsobre os galhos do pinheirinho oferecendo-se como presente.A atual árvore de Natal aparece na Alemanha, no século seguinte, são iluminadascom velas. No século XIX, a esposa alemã do duque introduz este costume naFrança. Ainda no século XIX, a tradição chegou à Inglaterra e a Porto Rico. Em1912, Boston, nos Estados Unidos, inaugura uma árvore iluminada numa daspraças centrais da cidade, e isto se espalha pelo mundo, inclusive em paísesnão-cristãos. No século XX, torna-se tradição na Espanha e na maioria daAmérica Latina.
  7. 7. Em muitos países, durante o advento, se faz com ramos depinheiro uma coroa ou grinalda com quatro velas paraesperar a chegada do menino Jesus. Estas velassimbolizam as grandes etapas da salvação em Cristo. Noprimeiro domingo deste tempo litúrgico, acende-se aprimeira vela que simboliza o perdão a Adão e Eva. Nosegundo domingo, a segunda vela acesa representa a fé. Aterceira vela simboliza a alegria do rei David, que celebroua aliança e sua continuidade. A última vela simboliza oensinamento dos profetas.
  8. 8. Para o cristão, as velas simbolizam a fé, o amor e a vida.Era uma vez um pobre sapateiro que vivia numa cabana, naencruzilhada de um caminho, perto de um pequeno e humildepovoado. Como era um homem bom e queria ajudar os viajantes,que à noite por ali passavam, deixava na janela da sua casa, umavela acesa todas as noites, de modo a guiá-los. E apesar da doençae a fome, nunca deixou de acender a sua vela. Veio então umagrande guerra, e todos os jovens partiram, deixando a cidade aindamais pobre e triste. As pessoas do povoado ao verem a persistênciadaquele pobre sapateiro, que continuava a viver a sua vida cheio deesperança e bondade, decidiram imitá-lo e, naquela noite, que era avéspera de Natal, todos acederam uma vela em suas casas,iluminando todo o povoado. À meia-noite, os sinos da igrejacomeçaram a tocar, anunciando a boa notícia: a guerra tinhaacabado e os jovens regressavam às suas casas!Todos gritaram: “É um milagre! É o milagre das velas!”. A partirdaquele dia, acender uma vela tornou-se tradição em quase todosos povos, na véspera de Natal.
  9. 9. As renas carregam sinos de anúncio e de convocação. O sino simboliza orespeito ao chamado divino e representa o ponto de comunicação entre océu e a terra. Remete ao ambiente rural, o tempo da igreja matriz e seussinos e toques de aviso e de convocação para a vida e para a morte.
  10. 10. O toque mágico do Natal vêm com a brancura e o frio da neve nohemisfério norte que exigem que as pessoas convivam mais dentrodas casas. Nos países frios, as crianças se acostumaram a sair nosdias de neve de Natal para criar seu próprio homem de neve. Só épreciso armar duas grandes bolas de neve e colocá-las uma sobre aoutra. Uma cenoura serve de nariz, um cachecol velho, um chapéu,algumas laranjas para os olhos e quatro galhos para servir de pés emãos e o boneco de neve está pronto.A tradição popular se transformou em peça de decoração deárvores de Natal, mesmo em países tropicais como o Brasil.
  11. 11. A confeção do primeiro cartão de Natal, costuma ser atribuída aobritânico Henry Cole que, em 1843, encomendou a uma gráfica um cartãocom a mensagem: "Feliz Natal e Próspero Ano Novo" porque não tinhatempo para escrever pessoalmente a cada um de seus amigos.Mas, em 1831, um jornal de Barcelona, na Espanha, quis colocar emfuncionamento a técnica da litografia felicitando seus leitores pelo Natalmediante uma estampa, o que já pode ser considerado uma forma decartão de Natal.O costume de desejar Boas Festas com o uso de um cartão se estendeupor toda a Europa e, a partir de 1870, estes cartões começaram a serimpressos coloridos. Já a partir desta época a imagem do Pai Natal - comsuas diversas variações ao longo das décadas - começou a ser frequentenos cartões de Natal.
  12. 12. Uma série de bolos e massas são preparados somente para o Natal e sãoconhecidos por todo mundo. O bolo recheado de frutas secas e passas éuma tradição do Natal italiano. Ele foi criado na cidade de Milão, não sesabe ao certo por quem. Existem três versões. A primeira diz que oproduto foi inventado, no ano 900, por um padeiro chamado Tone. Porisso, o bolo teria ficado conhecido como pane-di-Tone. A segunda versãoda história conta que o mestre-cuca Gian Galeazzo Visconti, primeiroduque de Milão, preparou, em 1395, o produto para uma festa. E a últimaversão é mais romântica e conta que Ughetto resolveu se empregarnuma padaria, para poder ficar pertinho da sua amada Adalgisa, filha dodono. Ali ele teria inventado o panetone, entre 1300 e 1400. Feliz com anovidade, o padeiro permitiu que Ughetto se casasse com Adalgisa. NoBrasil, a tradição surgiu depois da Segunda Guerra Mundial quandoimigrantes italianos resolveram fazer o mesmo panetone consumido poreles na Itália na época de Natal
  13. 13. O atual Pai Natal, de roupa vermelha e saco às costas, nasceu nosEstados Unidos, na metade do século XIX, como um São Nicolau sob aforma de um gnomo ou duende e, logo em seguida foi transformado emum simpático velhinho. Ele é introduzido na Europa depois da PrimeiraGuerra Mundial e impõe – se pouco a pouco pela pressão comercial.A lenda diz que o bom velhinho vive no Pólo Norte e tem amigosduendes que o ajudam a entregar os presentes. E, como cada país nomundo vive em um horário diferente, ele consegue entregar todos ospresentes no tempo certo.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×