Banco de Dados

1,961 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,961
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
237
Actions
Shares
0
Downloads
69
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • 15/09/10 Tecnicas de Informatica - Aula 2
  • Banco de Dados

    1. 1. Administração de Bancos de Dados Aula 4 Modelo E-R Modelo Entidade Relacionamento Prof. Belarmino
    2. 2. Modelos <ul><li>Os MODELOS são representações de objetos concretos ou abstratos do mundo real. </li></ul><ul><li>Para isso eles levam em consideração as propriedades ou características desses objetos </li></ul><ul><li>e as funções que eles realizam. Chamamos essas propriedades de ATRIBUTOS. </li></ul><ul><li>Modelos são simplificações ou representações parciais - não descrevem necessariamente </li></ul><ul><li>TODAS as características e comportamentos do objeto e sim apenas aqueles que forem </li></ul><ul><li>aplicáveis dentro de um certo CONTEXTO (ou escala) . </li></ul><ul><li>Chamamos de ABSTRAÇÂO ao método de separar os atributos de um objeto que são </li></ul><ul><li>pertinentes ao representá-lo em um dado contexto. Por ex toda pessoa tem nome, altura </li></ul><ul><li>e peso mas num Sistema de Conta Corrente apenas o primeiro é usado no objeto Pessoa. </li></ul><ul><li>Modelo tambèm pode ser entendido como um guia ou conceito a ser seguido </li></ul><ul><li>A palavra modelar por sua vez quer dizer ‘dar forma ou descrever’ alguma coisa. </li></ul>
    3. 3. Modelagem em Bancos de Dados <ul><li>Os bancos de dados modernos permitem que os usuários tenham uma visão abstrata </li></ul><ul><li>dos dados construída a partir de modelos . Para isso eles isolam o usuário de detalhes </li></ul><ul><li>internos de como os dados são armazenados e gerenciados internamente. </li></ul><ul><li>Programadores e analistas constroem modelos lógicos dos dados sem se preocupar </li></ul><ul><li>com aspectos físicos. </li></ul><ul><li>Para construção destes modelos encontramos alguns padrões de modelagem que são </li></ul><ul><li>consagrados. Um dos mais conhecidos na área de desenvolvimento de aplicações é o </li></ul><ul><li>Modelo Entidade Relacionamento (MER). </li></ul>
    4. 4. Modelo Entidade - Relacionamento <ul><li>Ele foi desenvolvido para facilitar o projeto da aplicação, permitindo criar um esquema </li></ul><ul><li>ou estrutura do negócio que possa ser implementada no banco de dados. </li></ul><ul><li>No modelo de entidade-relacionamento os objetos do mundo real são representados por </li></ul><ul><li>um conceito chamado ENTIDADE. </li></ul><ul><li>O banco de dados irá armazenar uma coleção dos objetos definidos pela ENTIDADE </li></ul><ul><li>Por exemplo, se definirmos uma ENTIDADE chamada “Conta Corrente” o SGBD poderá </li></ul><ul><li>guardar uma coleção de Contas Correntes. Cada item desta coleção é chamado as vezes </li></ul><ul><li>de “instancia” daquela entidade. </li></ul>
    5. 5. Modelo Entidade - Relacionamento <ul><li>Toda ENTIDADE possui propriedades que são inerentes a ela e que a identificam no </li></ul><ul><li>modelo. Estas caracterisiticas são chamadas de ATRIBUTOS. </li></ul><ul><li>Os dados associados a cada atributo de uma entidade devem estar dentro de um </li></ul><ul><li>um conjunto de valores permitidos, chamado DOMÍNIO daquele atributo. </li></ul><ul><li>Por ex: um Cliente tem o atributo CPF que deve ser ocupado por um “número > 0”. </li></ul><ul><li>Em toda ENTIDADE deve haver um ou mais atributos que podem identificar únicamente </li></ul><ul><li>uma ocorrência da entidade na coleção. Eles são chamados “ CHAVES CANDIDATAS” . </li></ul><ul><li>Chamamos de “ CHAVE PRIMÁRIA ” ao atributo eleito entre as chaves candidatas para </li></ul><ul><li>se tornar efetivamente o indicador único de cada ocorrencia da entidade. </li></ul><ul><li>* Na ilustração determine Domínios, Chaves Candidatas e uma Chave Primária. </li></ul>
    6. 6. Modelo Entidade Relacionamento <ul><li>As entidades podem ter várias associações entre si. O conjunto dessas associações é </li></ul><ul><li>chamado RELACIONAMENTO . </li></ul><ul><li>Os relacionamentos também podem ter atributos ligados a eles. </li></ul><ul><li>A função de uma entidade dentro do relacionamento é chamada de PAPEL (ou ROLE) </li></ul><ul><li>Por exemplo as entidades FUNCIONARIO e DEPARTAMENTOS mantém uma certa </li></ul><ul><li>associação entre si pois todo Funcionário da empresa deve estar LOTADO em algum </li></ul><ul><li>Departamento – ou ainda “toda ocorrência de Funcionário se relaciona com alguma </li></ul><ul><li>das ocorrências de Departamento através da associação chamada Lotação”. </li></ul>
    7. 7. Modelo Entidade Relacionamento <ul><li>O desenho da estrutura dentro do modelo E-R é normalmente feito usando o (D-ER) </li></ul><ul><li>Diagrama de Entidade-Relacionamento. Nele usamos a seguinte representação: </li></ul><ul><li>Retângulos : representam as entidades </li></ul><ul><li>Losangos : representam os relacionamentos  </li></ul><ul><li>Elipses : representam os atributos </li></ul><ul><li>Linhas : ligam os atributos às entidades e estas aos relacionamentos </li></ul><ul><li>* Elabore um diagrama como o acima para as Entidades “Grupo do PIM” e “Alunos” </li></ul>
    8. 8. Modelo Entidade Relacionamento O modelo também introduz o conceito de ‘ CARDINALIDADE’ definido como o número de entidades as quais outra entidade pode ser associada via um conjunto de relacionamentos: Um para um (1:1) : uma entidade de A está associada a apenas uma entidade de B, e uma entidade de B está associada a apenas uma entidade de A. Um para muitos (1:N) : uma entidade de A está associada a qualquer numero de entidades de B, e uma entidade de B esta associada somente a uma entidade de A. Muitos para um (N:1) : uma entidade de A está associada a apenas uma entidade de B, e uma única entidade de B pode estar associada a qualquer numero de entidades de A. Muitos para muitos (N:M) : uma entidade de A está associada a qualquer quantidade de entidades de B, e uma entidade de B associada a qualquer número de entidades de A. * Elabore um diagrama como o acima para as Entidades “Grupo do PIM” e “Alunos”
    9. 9. Modelo Entidade Relacionamento <ul><li>O modelo D-ER introduz alem dos básicos outras representações como por exemplo: </li></ul><ul><li>Representação de Atributos Chaves, Multivalorados e Compostos </li></ul><ul><li>Descrição de ENTIDADES “Fortes” e “Fracas” </li></ul>
    10. 10. Modelo Entidade Relacionamento <ul><li>O modelo D-ER implementa o conceito de especializaçâo e generalizaçâo que permite agrupar uma entidade superior e “entidades derivadas” que possuem similaridades. </li></ul><ul><li>Especialização apresenta um grau MAIOR de detalhes destacando as diferenças. </li></ul><ul><li>Generalizaçâo mostra um grau MENOR de detalhes ressaltando as semelhanças. </li></ul><ul><li>Use o conceito para um modelo que inclua graduandos, pos-graduandos e mestrandos. </li></ul>
    11. 11. Modelo Entidade Relacionamento A agregação, ou entidade associativa, é uma abstração na qual relacionamentos são tratados como entidades de nível superior. No exemplo o relacionamento CONTATO e as entidades CLIENTE e REPRESENTANTE são tratados como uma “entidade” de nível superior chamada CONTATO por outra entidade chamada GERENCIA DE MARKETING.
    12. 12. HARDWARE FIM

    ×