Your SlideShare is downloading. ×
Imunidade da planta ernane ok
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Imunidade da planta ernane ok

409

Published on

Apresentação feita a partir de artigo.

Apresentação feita a partir de artigo.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
409
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DISCIPLINA: Bioquímica Vegetal PROF. Dra. Silvanda Silva ALUNO: Ernane Nogueira Nunes IMUNIDADE DAS PLANTAS: ACOMUNICAÇÃO ENTRE HORMÔNIOS, MAS O QUE ELES DIZEM? Areia 2012
  • 2. AUTORESADRIAAN VERHAGE, SASKIA C.M. van WEES, andCORNE, M.J. Pieterse. Plant-Microbe Interactions,Institute of Environmental Biology, Faculty ofScience, Utrecht University, 3508 TB Utrecht, TheNetherlands (A.V., S.C.M.v.W., C.M.J.P.); and Centre for Bio Systems Genomics, 6700 AB Wageningen,The Netherlands (C.M.J.P.)PERIÓDICO: Plant Physiology, October 2010, Vol 154, pp. 536-540.
  • 3. HORMÔNIOS VEGETAIS• Essenciais na regulação do crescimento vegetal,desenvolvimento, reprodução e sobrevivência;• Em baixíssimas concentrações são capazes dedesencadear inúmeras alterações de ordem fisiológicase/ou morfológicas nos vegetais;• Estão presentes em todo o ciclo vital e útil dosvegetais.• Pesquisas recentes indicam uma forte comunicaçãoentre os mesmos, auxiliando na defesa das plantas;
  • 4. HORMÔNIOS CLÁSSICOS• Auxinas, citocininas, giberelinas, ácido abscísico,etileno; NOVOS GRUPOS HORMONAIS• Brassinoesteróides, ácido salicílico, ácido jasmônicopoliaminas.
  • 5. HORMÔNIOS VEGETAISÁcido salicílico (AS), Ácido jasmônico (AJ), e etileno(ET) são reconhecidos como sinais primários naregulação da defesa vegetal;A sinalização das vias metabólicas pela comunicaçãocruzada entre AS, AJ, e ET surge como um importantemecanismo regulatório da imunidade vegetal
  • 6. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS•É um processo em que diferentes hormôniossinalizadores atuam nas vias metabólicasantagonisticamente ou sinergisticamente, portanto,proporcionando um regulador potencial poderoso paraajustar a resposta adaptativa da planta a umavariedades de pistas ambientais.
  • 7. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS•Na natureza, as plantas frequentemente lidamcom simultâneos ou subsequentes invasões pormúltiplos patógenos e insetos.
  • 8. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS•Patógenos que requerem um hospedeiro vivo(biófagos) são geralmente mais sensíveis àsrespostas de defesa mediadas pelo AS, na defesadas plantas.
  • 9. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS•Patógenos que matam o hospedeiro e se se alimentamdo seu conteúdo (necrófagos) e insetos herbívoros sãogeralmente afetados pelas respostas de defesasmediadas pela relação JA/ET.
  • 10. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS• Mudança na concentração de hormônios ousensitividade tais como as encadeadas pela interaçãocom agentes bióticos ativa os eventos sinalizados porum conjunto de hormônios que estabelecem aresposta adaptativa.•O resultado final da resposta de defesa ativada émuito influenciado pela composição e cinética damistura hormonal produzida.
  • 11. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTASA acumulação endógena de AS antagoniza as defesasdependentes de AJ, priorizando, portanto, a resistênciadependente de AS, sobre a defesa dependente de AJ;ET frequentemente exerce umpapel modulador neste sentido;Contudo, dependendo da espécievegetal e estratégia do atacante,AJ pode também antagonizara via metabólica do AS.
  • 12. COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS EM AMBIENTES DINÂMICOS• Em tabaco selvagem (Nicotiana attenuata) explosãode JA e ET desencadeadas por herbívoros, impediram aliberação de SA, resultando no ajuste da interação dosinal SA-JA ampliando a defesa da planta à herbivoria .
  • 13. COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS EM AMBIENTES DINÂMICOS• Recentemente, ácido abscísico, auxinas, giberelinas, ebrassinoesteróides também emergiram, auxiliando nacompreensão da defesa do vegetal.•Estes hormônios em muitos casos interagemantagonicamente ou sinergicamente com a espinhadorsal SA-JA-ET da rede de sinalização da imunidade,portanto, redirecionando a defesa vegetal.
  • 14. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS• Plantas de Arabidopsis (Arabidopsis thaliana) exibemuma sensibilidade alterada para defesas de JAdependentes em condições de aglomeração e sombra,que é regulado através do foto-receptor do fitocromo.
  • 15. ALGUMAS TÁTICAS• Recentemente alguns insetos e fungos foramdescobertos burlando o sistema de defesa das plantas,utilizando os fitohormônios para se imunizarem.• Ninfas de mosca branca (Bremia tabaci) foramdescobertas se alimentando do floema induzindo a via SA esuprimindo o JA resultando em um rápidodesenvolvimento das mesmas (Zarate et al., 2007).• Ovos de insetos foram encontrados ativando o AS emArabidopsis no local de ovoposição, suprimindo JA,resultando em uma vantagem para a prole recentementechocada que se alimenta a partir do tecido indefeso
  • 16. INTERAÇÕES MULTIESPECÍFICAS•Em um estudo de campo com plantas de Brassica•oleracea, demonstrou-se que no início da estação deherbivoria plantas afetadas respondiam a defesa paraherbívoros secundários e no desenvolvimento de suaspopulação.• Inoculação prévia com o patógeno biotrófico míldio(Hyalo peronospora) em arabidopsidis pré ativou a defesapor JA que foram realmente ativados após a alimentaçãopor lagartas .
  • 17. INTERAÇÕES MULTIESPECÍFICAS• Em feijão fava (Phaseolus lunatus) a infestação dofloema por moscas brancas (Bemia tabaci) afetaram adefesa das plantas, que indiretamente não foram tãoatacadas por ácaros (Tetranychus urticae), resultandoem uma redução na presença de ácaros predadores.•
  • 18. INTERAÇÕES MULTIESPECÍFICAS• Infestação subterrânea pela larva de besouroocidental (Diabrotica virgifera Virgifera) foi utilizadapara afetar os sinais hormonais da parte aérea demilho (Zea mays) aumentando a resistência contraherbívoros e necrófagos.•
  • 19. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS Recentemente, vários outros surpreendentescomponentes das interações entre as vias desinalização de defesa reguladas por hormônios têm sidodescritos: Fatores de Transcrição co-reguladores como:GENES RELACIONADOS À NONEXPRESSÃO DEPATOGENESIS , Dellas, WRKYs, TGAs e MYC2 .O ácido salicílico (SA) induz a expressãodo gene que codifica a proteína NIMIN-1.Essa proteína interage com a proteínaNPR1/NIM1, reguladora daresistência sistêmica adquirida (SAR).
  • 20. A COMUNICAÇÃO CRUZADA ENTRE HORMÔNIOS NA DEFESA DAS PLANTAS• Várias conexões inesperadas entre a sinalização dedefesa e esta rede regulatória de genes começam asurgir:Por exemplo:•Fatores de transcrição TGA, que foram previamenteimplicados na regulação da defesa dependente de AS,são também ativadores essenciais das defesasdesencadeadas pela ação combinada de JA e ET;• Contudo, sob a ativação simultânea das vias do SA,JA, e ET, os TGAs agem em conjunto com o MYC2 parasuprimir a defesa dependente da relação JA/ET.
  • 21. CONCLUSÃO Embora a importância do SA, JA e ET como sinais primários naregulação de defesa da planta estejam bem estabelecidos,estudos com os demais hormônios estão sendo realizados paraelucidar a defesa vegetal de forma mais integrada.Na interação com múltiplos estresses bióticos e abióticos muitasmudanças temporárias podem acontecer na sinalizaçãohormonal, adicionando mais complexidade na rede de regulaçãode genes e a defesa resultante.O principal desafio nas pesquisas futuras será a compreensão decomo as interações complexas de sinais multidimensionais sãoregulados durante a interação de plantas com outros organismose assim orientar o sistema imunológico em direção a uma defesapré estabelecida, maximizando o sistema imunológico e,consequentemente, a produção.
  • 22. MUITO OBRIGADO!CONTATO: ernanenn@gmail.com TEL: 88 92341422
  • 23. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DISCIPLINA: Bioquímica Vegetal PROF. Dra. Silvanda Silva ALUNO: Ernane Nogueira Nunes IMUNIDADE DAS PLANTAS: É ACOMUNICAÇÃO ENTRE HORMÔNIOS, MAS O QUE ELES DIZEM? Areia 2012

×