Situação de aprendizagem editada

328 views
232 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
328
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Situação de aprendizagem editada

  1. 1. SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEMO PRIMEIRO BEIJO, DE ANTÔNIO BARRETO9.O ANO – ENSINO FUNDAMENTALTEMPO PREVISTO - 5 A 6 AULASProfa. Claudia de AquinoProfa. Érica Maio Taveira GrandeProfa. Katiuscia da Silva
  2. 2. SUMÁRIOIntrodução sobre a Prática de Leitura: Habilidades a serem exploradas antes da leitura integral do texto Levantamento do conhecimento prévio sobre o assunto; Antecipação do tema ou ideia principal a partir dos elementos para textuais; Antecipação do tema ou ideia principal a partir do exame de imagens; Explicitação das expectativas de leitura a partir da análise dos índices anteriores. Habilidades a serem exploradas durante a leitura integral do texto Confirmação ou retificação das antecipações ou expectativas de sentido criadas antes daleitura; Localização do tema ou da ideia principal; Esclarecimento de palavras desconhecidas a partir de inferências ou, se necessário, consultasem dicionários.diferentes fontes de pesquisa (dicionários,enciclopédias, jornais, revistas). Habilidades a serem exploradas depois da leitura integral do texto Busca de informações complementares por meio de diferentes fontes de pesquisa(dicionários,enciclopédias, jornais, revistas); Construção da síntese semântica do texto; Troca de impressões a respeito dos textos lidos, fornecendo indicações para sustentação de sualeitura e acolhendo outras posições; Avaliação crítica do texto; Atividade de produção escrita ( artigo de opinião). Considerações FinaisPlanejamento de aula em acordo com o Currículo do Estado de São Paulo; Oferecimento de uma atividade pedagógica que possibilite aprendizagem.
  3. 3. INTRODUÇÃO SOBRE A PRÁTICA DE LEITURA“... o cidadão, para exercer plenamente suacidadania, precisa apossar-se da linguagemliterária, alfabetizar-se nela, tornar-se seu usuáriocompetente, mesmo que nunca vá escrever umlivro: mas porque precisa ler muitos.”( LAJOLO, 2000 , p. 106)
  4. 4. INTRODUÇÃO SOBRE A PRÁTICA DE LEITURA“... na medida em que a linguagem é umaconstrução da cultura, para que ocorra a interaçãoentre o leitor e o texto, e para que essa interaçãoconstitua o que se costuma considerar umaexperiência poética, é preciso que o leitor tenhapossibilidade de percepção e reconhecimento –mesmo que inconscientes – dos elementos delinguagem que o texto manipula.”(LAJOLO, 2000, p. 45)
  5. 5. INTRODUÇÃO SOBRE A PRÁTICA DELEITURA“Ler é sempre colocar questões a um texto: é umato voluntário que evocamos previamente. É porisso que um texto pode ser compreendido dediversas maneiras. Pretender que exista uma únicaforma “correta” de interpretar um poema, umromance ou qualquer outro texto, é impedir que oleitor coloque as questões que deseja, que sãocabíveis para ele; é, portanto, anular a construçãode sua própria compreensão.”(BARBOSA,1994, P. 118).
  6. 6. SEQUÊNCIA DIDÁTICA Objetivos Desenvolver habilidades de leitura de textos narrativos; Despertar a sensibilidade para o texto literário; Desenvolver as habilidades de interpretação, escrita eprodução de texto. Duração das atividades: 4 a 5 aulas. Estratégias e recursos das aulas: Atividades de discussão (oralmente) que enfoquem ashabilidades de inferência do tema a partir da leitura do títulodo texto e de imagens relacionadas ao tema (primeiro beijo); Atividades de leitura, focalizando o texto selecionado; Atividades de interpretação e estudo do texto, focalizando oautor, o gênero, o discurso e a linguagem; Atividades de produção, focalizando as habilidadesescritoras.
  7. 7. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS ANTES DALEITURA INTEGRAL DO TEXTO1º aula:O professor fará uma discussão com os alunos sobreo tema “Primeiro Beijo”, trabalhando as habilidadesseguintes: conhecimento prévio; antecipação do tema ou ideia principal;
  8. 8. Levantamento do conhecimento prévio sobre beijo;Leitura de imagens;
  9. 9. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS ANTES DA LEITURAINTEGRAL DO TEXTOLevantamento do conhecimento prévio sobre beijo;Leitura de imagens.
  10. 10. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS ANTES DA LEITURAINTEGRAL DO TEXTO Antecipação do tema ou ideia principal a partir doexame de imagens. Explicitação das expectativas de leitura a partir daanálise dos índices anteriores. Oralmente, apresentar as questões seguintes: Qual é o tema presente nas imagens observadas? Que experiências vocês possuem sobre esse tema?(reativar as lembranças pessoais dos alunos) Qual deve ser o tema do texto que vamos ler? Como esse tema pode ser explorado em uma crônica?
  11. 11. ATIVIDADE DE LEITURA A sugestão é de que a atividade de leitura seja feita deforma compartilhada; O professor atua como um mediador da leitura dosalunos e vai realizado pausas e comentários, criandoexpectativas, inserido perguntas para provocar asinferências dos alunos; O texto selecionado para a atividade é a crônica “Meuprimeiro beijo”, de Antonio Barreto.
  12. 12. MEU PRIMEIRO BEIJOANTONIO BARRETOÉ difícil acreditar, mas meu primeiro beijo foi num ônibus, na volta da escola. E sabemcom quem? Com o Cultura Inútil! Pode? Até que foi legal. Nem eu nem ele sabíamosexatamente o que era "o beijo". Só de filme. Estávamos virgens nesse assunto, emorrendo de medo. Mas aprendemos. E foi assim...Não sei se numa aula de Biologia ou de Química, o Culta tinha me mandado um dosseus milhares de bilhetinhos:"Você é a glicose do meu metabolismo.Te amo muito!Paracelso"E assinou com uma letrinha miúda: Paracelso. Paracelso era outro apelido dele. Assinoucom letrinha tão minúscula que quase tive dó, tive pena, instinto maternal, coisas demulher... E também não sei por que: resolvi dar uma chance pra ele, mesmo sem saberque tipo de lance ia rolar.No dia seguinte, depois do inglês, pediu pra me acompanhar até em casa. No ônibus,veio com o seguinte papo:― Um beijo pode deixar a gente exausto, sabia? - Fiz cara de desentendida.
  13. 13. Mas ele continuou:― Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29 músculos, consome cerca de 12 calorias eacelera o coração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí ele tomou coragem e pegou naminha mão. Mas continuou salivando seus perdigotos:― A gente também gasta, na saliva, nada menos que 9 mg. de água; 0,7 mg de albumina;0,18 g de substâncias orgânica; 0,711 mg. de matérias graxas; 0,45 mg. de sais e pelo menos250 bactérias...Aí o bactéria falante aproximou o rosto do meu e, tremendo, tirou seus óculos, tirou os meus, eficamos nos olhando, de pertinho. O bastante para que eu descobrisse que, sem os óculos,seus olhos eram bonitos e expressivos, azuis e brilhantes. E achei gostoso aquele calorzinhoque envolvia o corpo da gente. Ele beijou a pontinha do meu nariz, fechei os olhos e senti suarespiração ofegante. Seus lábios tocaram os meus. Primeiro de leve, depois com mais força, eentão nos abraçamos de bocas coladas, por alguns segundos.E de repente o ônibus já havia chegado no ponto final e já tínhamos transposto, juntos, oabismo do primeiro beijo.Desci, cheguei em casa, nos beijamos de novo no portão do prédio, e aí ficamos apaixonadospor várias semanas. Até que o mundo rolou, as luas vieram e voltaram, o tempo se esqueceudo tempo, as contas de telefone aumentaram, depois diminuíram...e foi ficando nisso. Normal.Que nem meu primeiro beijo. Mas foi inesquecível!BARRETO, Antonio. Meu primeiro beijo. Balada do primeiro amor. São Paulo: FTD, 1977. p. 134-6.
  14. 14. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS DURANTE ALEITURA INTEGRAL DO TEXTO Confirmação ou retificação das antecipações ouexpectativas de sentido criadas antes da leitura. Durante a leitura compartilhada, o professor deve: Realizar pausas para confirmar ou retificar asexpectativas explicitadas pelos alunos antes da leitura; Esclarecer palavras desconhecidas, desenvolvendo nosalunos habilidades de inferência ou de consulta adicionário.
  15. 15. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS DEPOISDA LEITURA INTEGRAL DO TEXTO Busca de informações complementares pormeio de consulta a Internet e outras fontes(sugestões): Pesquisar sobre o autor, a obra e o contexto de publicação; Pesquisar outros textos do mesmo autor para contextualizar oestilo de escrita de Antonio Barreto; Pesquisar outras crônicas para sistematizar características dogênero; Pesquisar outros textos literários e/ou não literários queabordam o mesmo tema.
  16. 16. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS DEPOIS DALEITURA INTEGRAL DO TEXTO Construção da síntese semântica do texto. Os alunos deverão analisar o texto a partir de questões comoas seguintes:1) Quais termos o narrador-personagem utiliza para referir-se àpessoa a quem beijou pela primeira vez?2) Identifique no texto a marca linguística que demonstre que avoz do narrador é feminina.3) No bilhete que Cultura Inútil envia para o narrador-personagemestá escrito “Você é a glicose do meu metabolismo.” Expliqueessa metáfora.4) Além de glicose e metabolismo, outros termos científicos sãousados no texto. Localize no texto e copie esses termos.5) Leia o trecho: “Aí o bactéria falante aproximou o rosto domeu...”. Quem é o bactéria falante? Por que esse termo foiusado?6) “No ônibus veio com o seguinte papo:” Que papo era esse?Qual era a intensão da personagem com esse papo?
  17. 17. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS DEPOIS DALEITURA INTEGRAL DO TEXTOAtividade – Criação de Verbetes O professor explicará aos alunos o que é verbeteatravés do manuseio do dicionário. Em seguida, apresentará questões sobre a funçãodesse gênero e de sua importância como fonte deconsultas linguísticas. Reflexão sobre a finalidadedo dicionário. Depois apresentará exemplos de verbetes criadospor escritores, com finalidades diferentes (PedroBloch, Mário Prata, Mário Quintana).
  18. 18. PEDRO BLOCH- DICIONÁRIO DE HUMORINFANTILAMAR - É pensar no outro, mesmo quando a gente nem tá pensando.BOCA - É a garagem da língua.CABELO - É uma coisa que serve pra gente não ficar careca.CALCANHAR - É o queixo do pé.CHOCOLATE - É uma coisa que a gente nunca oferece aos amigos porque elesaceitam.COBRA - É um bicho que só tem rabo.CRIANÇA - Ser criança é não estragar a vida.ESPERANÇA - É um pedaço da gente que sabe que vai dar certo.FÉ - É uma menininha, na praia, esvaziando o mar com um baldezinho de plásticofurado.FUTEBOL - É um jogo em que, às vezes, a trave joga melhor que o goleiro. Pegatudo.FUTURO - É tudo que vem depois e, quando chega, já era.
  19. 19. MARIO PRATA ( SCHIFAIZFAVOIRE)ATACADORSe eu lhe disser que eles, ao se vestirem, apertamatacador, o que você vai penar? Também não é oatacante do seu time. Mas, se você imaginar ocorrespondente brasileiro, perceberá que nenhumadas duas palavras faz muito sentido. Imagine vocêque atacador é CADARÇO, cordão de sapatos._____________________________________________“A mentira é uma verdade que se esqueceu deacontecer.” (Mário Quintana)
  20. 20. HABILIDADES A SEREM EXPLORADAS DEPOIS DALEITURA INTEGRAL DO TEXTOAtividade 1 – Criação de Verbetes Será pedido aos alunos para que criem um verbetecom a palavra beijo a partir de um conceitopessoal. Com os verbetes criados e imagens pesquisadassobre o beijo serão confeccionados cartazes paraexposição em murais na escola.
  21. 21. ATIVIDADE 2: PRODUÇÃO TEXTUAL Os alunos conceituarão o processo didático pormeio da produção de um texto de Arquivo deOpinião sobre a importância da demonstração deafeto, carinho e respeito por meio do beijo; A correção da atividade ocorrerá de formaindividual e coletiva, considerando ortografia,gramática, adequação de gênero e troca deexperiências por meio de diálogos mediados peloprofessor. Como resultado final, as produções que melhor sedestacarem serão expostas num mural escolar.
  22. 22. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Engedore, Villaça Koch/Vanda Maria Elias: “Ler e Escrever: Estratégias de ProduçãoTextual”, 2ª edição, 2010 SEE, “Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias”,2008.

×