Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil

12,500 views
12,185 views

Published on

Published in: Technology
1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
12,500
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,859
Actions
Shares
0
Downloads
497
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil

  1. 1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA INDÚSTRIAS DE BIOMASSA E ENERGIA RENOVÁVEL BRASIL BIOMASSA E ENERGIA RENOVÁVEL EUROPEAN ENERGY SRL FUTURO DA BIOMASSA E BIONERGIA NO BRASIL POTENCIAL DE OTIMIZAÇÃO DOS RESÍDUOS E O DESENVOLVIMENTO NOVOS NEGÓCIOS AOS SETORES SUCROENERGÉTICO E FLORESTAL E CELULOSE CELSO OLIVEIRA
  2. 2. IEA DEMANDA INTERNACIONAL ENERGIAAs projeções da Agência Internacionalde Energia apontam que a demandaglobal de energia será de 16,5 bilhõesde tep em 2030, permanecendo-se ocenário atual de políticas de energia.Em uma perspectiva de controle dasemissões de GEEs, toma-se comoreferencial a estabilização daconcentração de CO2 atmosférico em450 ppm, a base energética renovávelpassaria para 33% da oferta mundialde energia, em 2030.
  3. 3. CENÁRIO IPCC ENERGIAS RENOVÁVEIS As energias renováveis poderão satisfazer 80% das necessidades globais em 2050 se forem mais desenvolvidas, de acordo com o relatório 164 do IPCC . O relatório destaca que em 2009 houve um aumento na produção energia renovável: eólica (aumento de 30%), hidrelétrica (3%), solar em redes de distribuição (50%), geotérmica (4%) e solar para aquecimento de água (20%). Além disso, a produção de etanol aumentou 10%. Estima-se que os investimentos anuais para desenvolver este setor devem ser de US$ 1,3 bilhão a US$ 5,1 bilhões.
  4. 4. IPCC RECOMENDAÇÕES DE USO DA BIOMASSA PARA GERAÇÃO ENERGIARecomenda-se que as indústrias venham em utilizar mais a biomassa para atender àdemanda de energia térmica. Eles também podem ser exportadores líquidos decombustíveis em excesso, calor e eletricidade para sistemas de abastecimentoadjacente. Energias Renováveis podem ajudar a acelerar o acesso à energia,particularmente para os 1,4 bilhões de pessoas sem acesso à eletricidade.
  5. 5. POTENCIAL MUNDIAL DE BIOMASSAO potencial da biomassa mundial pode sersuficiente para atender a demanda de energiaglobal em 2050. Não há problemas técnicos namudança da matriz energética dos combustíveisfósseis para biomassa. Na última década, onúmero de países que exploram biomassa parao fornecimento de energia tem aumentado e ouso mundial de biomassa para energia dobrounos últimos 40 anos.O potencial futuro para a energia da biomassa depende da disponibilidade de terra.Atualmente, a quantidade de terra dedicada ao cultivo de biomassa energética é deapenas 25 milhões de hectares ou 0,19% da área terrestre. O Brasil desponta com omaior potencial (fontes de recursos e matéria-prima) de desenvolvimento de projetossustentáveis de produção de biomassa.
  6. 6. VISÃO INTERNACIONAL BIOMASSA "Nós sabemos que o país que desenvolver uma energia limpa, renovável, vai liderar o século 21”. Presidente dos Estados Unidos Barack Obama "A energia da biomassa se tornou a quarta fonte de energia mais importante do mundo e cabe a China integrar-se ao desenvolvimento essa energia.“ Presidente China Hu Jintao A União Européia é o maior mercado energético do mundo com 500 milhões de pessoas e 20 milhões de empresas e vai aumentar o consumo das energias renováveis e a biomassa. União Européia Herman Van Rompuy
  7. 7. MATRIZ ENERGÉTICAO Brasil possui a matriz energética mais renovável do mundo industrializado com 46,4%de sua produção proveniente de fontes como recursos hídricos, biomassa e etanol. Asusinas hidrelétricas são responsáveis pela geração de mais de 75% da eletricidade doPaís. A demanda por energia no Brasil deverá crescer em média anual de 5,2% até 2018,chegando a 681,7 mil gigawatts-hora e um forte crescimento do consumo de eletricidadea partir de 2013, amparado nas excelentes perspectivas de crescimento para aeconomia brasileira no mesmo período e com a forte expansão da demanda.
  8. 8. PROBLEMAS ENERGÉTICOS DO BRASILApesar dos avanços na produção energia Usinas Hidrelétricas no Brasil emhidráulica e etanol, em todas as projeções, operação 852 e em construções 311 com potência total MW deo Brasil continuará dependente petróleo, 94.519,0 (64,4%)gás natural e carvão matriz até 2030.O Brasil teve um aumento da capacidade Usinas Térmicas Usode emissão de CO2 em função das usinas Combustíveis Fósseis no Brasil em operação 948 e emtermelétricas movidas a óleo diesel. construções 122 potência total MW de 33.901,7 (23,1%)A descoberta do petróleo na camada pré-sal não altera as condições de projeção do Usinas Térmicas Gás de processo, efluente gasoso, gás siderúrgico, óleoconsumo final em cenário de continuidade ultraviscoso, gás de refinaria e enxofredas políticas de incentivo às energias no Brasil em operação 25 e em construções 13 com potência MW derenováveis, pois demanda de aumento do 1.536,8 (1%) uso da energia de combustível fóssil. Fonte: Aneel, atualizado até 16 de junho de 2010.
  9. 9. CONSIDERAÇÕES AO SETOR ENERGÉTICOAs fontes de energia renováveis constituem uma importante opção ao atendimento docrescimento, tendo vantagens ambientais como a redução potencial dos gases doefeito estufa na atmosfera (gás carbônico). A relação entre as mudanças climáticas e aenergia é uma parte do grande desafio para o desenvolvimento sustentável.O maior problema que constatamos na construção de uma usina hidroelétrica envolve aquestão do passivo ambiental das unidades alagadas (formação de gases resultantes dadecomposição anaeróbica da biomassa submersa). Na supressão florestal ocorre oprocesso de queima e enterramento dos resíduos florestais. Para evitarmos este graveproblema estamos implantando em Rondônia uma unidade industrial de pellets com ouso sustentável dos resíduos florestais.As usinas térmicas que utilizam o carvão poderiam utilizar o sistema co-firing carvão-biomassa como na Europa e a mudança na matriz energética (caldeira industrial) do óleodiesel e gás natural para a biomassa residual florestal e agrícola.
  10. 10. BIOMASSA ENERGÉTICA - BIOENERGIA BIOMASSA BIOENERGIA FLORESTAL MADEIRA CELULOSE SUCROENERGÉTICO WOODCHIPS WOODPELLETS WOODBRIQUETE BIOMASSA BIOPELLETS BIOBRIQUETE CELULOSE -MDF BAGAÇO PALHA BAGAÇO PALHA CANA-DE-AÇÚCAR CANA-DE-AÇÚCAR ENERGIA - VAPORA bioenergia é produzida a partir de uma variedade de fontes de biomassa, incluindoresíduos florestais, agrícolas, industriais e da pecuária; resíduos sólidos urbanos eorgânicos e de plantações florestais e culturas energéticas.
  11. 11. POTENCIAL BIOMASSA FLORESTAL BRASIL Resíduo Perda Produção Florestal Produção Florestal, Consumo de Florestal e Madeira e Industrial e Toras 2009 Tora e Resíduo Compensa Resíduo (m³) Lenha (m³) Industri dos (m³) Industrial al (%) (m³) Perda 205.010.012 5,29% 10.845.029 Florestal Madeira 70.200.000 42.163.00 28.037.000 Serrada MDF 16.600.000 7.215.000 9.385.000 Compensado Serragem 122.159.595 22,00% 26.875.110 SUB-TOTAL 75.142.139 Lenha 82.850.417 Cálculo Total Resíduo 10.845.029 Florestal (m³) Resíduo 64.297.110 Industrial (m³) Lenha (m³) 82.850.417 Total (m³) 157.992.556
  12. 12. POTENCIALIDADE BIOMASSA BRASIL Em 2009 foram identificadas 2.226 empresas madeireiraslegalizadas em funcionamento na Amazônia Legal (1592 Pará) queextraíram em torno de 14,2 milhões m³ de madeira em tora, oequivalente a 3,5 milhões de árvores e na produção de 5,8 milhõesm³ de madeira processada. O restante 8,4 milhões de madeira emtora foram categorizados como os resíduos do processamento.Desse total, cerca de 1,6 milhão foram aproveitados na produção decarvão; outros 2,7 milhões, na geração de energia; e 2,0 milhões, emusos diversos. Os 2,1 milhões restantes foram considerados resíduossem nenhum aproveitamento (queimados ou abandonados entulho).Para evitarmos um passivo ambiental com a queimada ou entulho, o mais conveniente é oaproveitamento dos resíduos na produção de biomassa energética ou pellets e briquete.Importante a Central de Resíduos Florestais como os Arranjos Produtivos Locais de Madeirae Movelaria do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.
  13. 13. POTENCIALIDADE BIOMASSA BRASILCom mais de 14.674.553 m³ de área plantada, a Bahia seconsolida como grande pólo florestal brasileiro. É o Estadoque mais produz eucalipto para a fabricação de papel ecelulose. Balanços conservadores indicam que o consumototal de lenha é de 2,1 milhões de toneladas por ano naBahia. Na atualidade, crê-se que estejam sendo produzidasna Bahia 700.000 toneladas de carvão por ano. Estaprodução, em sua quase totalidade, provém do corte deflorestas secas nativas (caatinga) e das estruturascampestres (cerrados), da região central e do oeste baiano.Para evitarmos um passivo ambiental com o uso do carvão originário de florestas nativas, omais conveniente é o aproveitamento sustentável dos resíduos dos pólos florestais daregião de Jequié, Vila da Conquista, Caetité, Itapetinga, Licinho Almeida e Santo Antonio naprodução de biomassa energética.
  14. 14. POTENCIALIDADE BIOMASSA BRASILO Plenário da Assembléia Legislativa do Mato Grosso aprovouuma proposta de implantação de uma câmara temática para odesenvolvimento da indústria de biomassa no estado, pois 60%da madeira extraída na região é desperdiçada nas serrariasdurante o processamento primário, gerando 18 milhões detoneladas de resíduos com potencial energético. No estudo“Inventário de Resíduos Sólidos Industriais do Estado de MatoGrosso”, temos que grande parte dos empreendimentos realiza apré-limpeza da madeira em tora no próprio local de extração.Constatou-se que 40% desses empreendimentos depositam seus resíduos no pátio da empresa a céu aberto.Os resíduos de madeira produzidos no Mato Grosso somam 811.093,8 ton.. Adotando um podercalorífico médio de 3.410 kcal/kg, estima-se um potencial energético total de 2.770,5x109 kcal, ou256,5x10³ tEp/ano. Levando em conta o estudo da FEMA, pode-se afirmar que, seguramente, 50%desse potencial não vêm sendo aproveitado como energético no Estado, ou seja, 128,1x10³ tEP/ano.
  15. 15. MODELO SUSTENTÁVEL FLORESTAL2 PROCESSO DE PAPEL 1 FLORESTA CONVENCIONAL 4 PROCESSO DE MDF E E CELULOSE ENERGÉTICA COMPENSADOS EXTRAÇÃO FLORESTAL3 MADEIRA SERRADA 6 5 RESÍDUOS FLORESTAIS ETANOL CELULÓSICO MOVELARIA6.1 6.2 FOLHAS, GALHOS E RESÍDUOS 6.3 TORETES, LENHA, COSTANEIRA CASCA USO PARA GERAÇÃO PICAGEM INDUSTRIAL E TRANSFORMAÇÃO PICAGEM INDUSTRIAL RESÍDUOS ENERGIA TÉRMICA DE BIOMASSA QUEIMA EM CALDEIRAS BIOMASSA - CO-GERAÇÃO FERTILIZANTE ORGÂNICO REAPROVEITAMENTO DAS CINZAS DAS PICAGEM INDUSTRIAL WOOD E SUBSTRATO PLANTAS CALDEIRAS SUBSTRATO VIVEIROS DE MUDAS CHIPS LIMPO CELULOSE-MDF GASEFICAÇÃO USO NO PRODUÇÃO DE ÓLEOS ESSENCIAIS, PICAGEM E MOAGEM E AGRONEGÓCIO - GRÃOS ALCATRÃO E ÁCIDO PIROLENHOSO INDUSTRIALIZADOS EM BRIQUETE PIRÓLISE NA PRODUÇÃO UTILIZADO COMO COBERTURA MORTA EM PICAGEM E MOAGEM E CARVÃO VEGETAL PAISAGISMO – INDUSTRIAL INDUSTRIALIZADOS EM PELLETS PRODUÇÃO BIOETANOL E DECOMPOSIÇÃO ANAERÓBICA EM REATORES BIOMASSA –PELLETS E BRIQUETE EXTRAÇÃO DE TANINO TRANSFORMAÇÃO EM BIOGÁS E METANO PROJETO MDL CRÉDITO CARBONO
  16. 16. BIOMASSA ENERGÉTICAA biomassa residual (florestal, industrial ouagrícola) deve ser valorizada pois permite aprodução de energia térmica e elétrica. Estavalorização tem vantagens pois corresponde auma redução das emissões de carbono, umafonte de energia renovável e ainda permiteuma valorização econômica de um produto.
  17. 17. SETOR DE CELULOSE E PAPEL222 empresas com atividade em 539municípios, localizados em 18 Estados. 2,2milhões de hectares de florestas plantadaspara fins industriais. 2,9 milhões de hectaresde florestas preservadas e 2,0 milhões dehectares de área florestal total certificada.(Dados do Setor 2011 Associação Brasileirade Celulose e Papel)O setor florestal brasileiro é um dos maisdesenvolvidos e competitivos do mundo. OPaís detém uma parcela significativa dosplantios globais: 6,3 milhões de hectares.(Dados da Associação Brasileira deProdutores de Florestas Plantadas (ABRAF
  18. 18. RESÍDUOS SÓLIDOS INDÚSTRIA CELULOSEEm recente evento na Universidade Federal deViçosa foi discutido sobre o setor de celulose quegera 500-850Kg de resíduos sólidos portonelada de celulose produzida. Nos balanços deenergia do setor ocorre grande perda de madeira(casca, serragem, lascas de madeira, descarte detoras e resíduos) que podem ser transformar embiomassa energética. Uma solução ao setor é aformação de uma Central de Reciclagem dosResíduos Sólidos Florestais e Industriais.Resíduos Florestais e Industriais Biomassa EnergéticaSerragem de Madeira e Descarte Pellets e BriqueteRejeitos do Digestor-Pasta ou Queima Caldeira IndustrialLodos Estação Tratamento Efluentes Queima Caldeira
  19. 19. SUSTENTABILIDADE PRODUTO RENOVÁVELTemos um potencial de resíduos florestais de 157.992.556 m³. Em comparativo (TJ) para a geraçãode energia térmica temos 1.244.253 TJ o suficiente para atender toda a demanda interna de energia.Se fossemos comparar com o uso de fontes não renováveis, evitaria o consumo de carvão em56.877.331 m³ e produziria71.096.664 ton de pellets ou biomassa e estaria evitando a emissão de189.591.060 ton de CO2.
  20. 20. WOOD PELLETSO Pellet é uma fonte de energia renovável pertencente àclasse das Biomassa. É um combustível sólido de granuladode resíduos de madeira prensado. É obtido por trefilação deserragem produzida durante o beneficiamento da madeiranatural seca. A sua produção é feita a partir de madeiraresultante da limpeza das florestas e de desperdícios daindústria madeireira (biomassa) que depois de triturados esecos (serragem) e passam pela secagem de modo aeliminar o máximo de resinas e umidade, para obter oformato final. O resultado é uma matéria 100% natural ecom um elevado poder calorífico. Os benefícios para aeconomia nacional são imensos, além de ecologicamentecorretos partilham do desenvolvimento econômico e aorespeito ao meio ambiente . É um combustível poucopoluente comparados a outros combustíveis fósseis. Esteprocesso liberta baixíssimo teor de monóxido de carbono.
  21. 21. PROCESSO INDUSTRIAL WOOD PELLETS
  22. 22. VANTAGENS ENERGÉTICAS USO PELLETS
  23. 23. WOOD PELLETS VALORIZAÇÃO ECONÔMICA EMBALAGEM EMBALAGEM - PALLETS (PREÇO 15 KG – EUROS) (PREÇO 65 SACOS – 975 KG EUROS) FRANÇA HOLZ PELLETS HOLZ PELLETSGranulés de Bois pour poêles et chaudières, Granulés de Bois pour poêles et chaudières, Pellets Pellets € 4,60 € 299,00 Carrefour Paris Guillerval, Île-de-France Carrefour Paris Guillerval, Île-de-France FRANÇA WOODSTOCK WOODSTOCK Granulés de Bois Marque Woodstock Granulés de Bois Marque Woodstock € 4,30 Sacs de 15 kg Prix 4.30 € Carrefour Courcelles Chaussy Le sac € 280,00 Moselle France la palette de 65 sacs (975 kg) ITÁLIA PELLET PLUS ITÁLIA PELLET PLUS Wood Pellets Commercial Power Wood Pellets Commercial Power € 3,75 € 24 3,75 Carrefour IVia Caldera, 21 20153 Milano Carrefour Via Caldera, 21 20153 Milano ITÁLIA OLIMP TOP QUALITY PELLETS ITÁLIA TOP QUALITY PELLETS Wood Pellets Top Quality Wood Pellets Top Quality € 3,50 € 260,00 Carrefour Via Caldera, 21 20153 Milano Carrefour IVia Caldera, 21 20153 Milano
  24. 24. WOOD BRIQUETEO Briquete é uma lenha ecológica (reciclada) que éresultado do processo de secagem e prensagem deserragem dos mais diversos tipos de madeira e deresíduos florestais. O briquete é utilizado na produçãode energia, na forma de calor, em caldeiras, fornos,churrasqueiras, lareiras, cerca de 30 kg de briquetesgeram energia equivalente a 100 kWh/mês de energiaelétrica convencional. O briquete substitui com grandeeficiência a lenha comum, o óleo combustível e o gásnatural. Poder calorífico de 2.5 vezes maior do que oda lenha comum apresentando regularidade térmica emaior temperatura da chama. Não danifica a fornalhano manuseio de abastecimento. É liberado peloIBAMA. Menor índice de poluição pois é umcombustível renovável.
  25. 25. WOOD BRIQUETE BRIQUETE BRASIL SUSTENTABILIDADE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EECONÔMICA E SOCIAL REDUÇÃO EMISSÃO C02 RESPONSABILIDADE AMBIENTAL
  26. 26. RESÍDUOS AGRÍCOLAS E INDUSTRIAIS Produção Total Safra Produção de Resíduos Produto Safra 2010 2010 (Mil Toneladas) Cana-de-Açúcar (Bagaço, 624.991.000 324.995.320 Palha e Colmo) Soja – Grãos (Palha e 68.479.967 95.871.950 Resíduos) Milho – Grãos (Palha, 56.059.638 79.604.685 Sabugo e Resíduos) Mandioca Rama (95%) 26.078.596 17.237.951 Arroz – Grãos (Casca , 11.325.672 16.875.250 Palha) Algodão Herbáceo - (Rama 2.931.295 8.647.319 , Casca e Caroço) Trigo – Grãos (Palha e 5.960.523 8.344.732 Resíduos) Coco da Baia 1.991.957 1.195.174 Café – Grãos (Casca ) 2.862.013 801.363 Sorgo (Grãos) 3.900.000 794.176
  27. 27. BIO BRIQUETE RESÍDUOS AGRÍCOLASDesenvolvemos no Brasil o inédito projeto industrial do biobriquete. Utilizamos em produçãoresíduos de bagaço de cana, cacau, palha de milho, casca de café, babaçú, casca de arroz,açaí dentre outros produtos. O BioBriquete é um CSR (Combustível Sólido Renovável),produzido a partir da secagem e compactação da Biomassa. Nas fotos abaixo temos naordem o biobriquete de resíduos de cacau, bagaço de cana, casca de arroz, resíduos decaroço de algodão, babaçu, resíduos de milho, casca de café e capim elefante.
  28. 28. SETOR SUCROENERGÉTICOA previsão do total de cana que será moída na safra2011/12 é de 641.982 milhões ton. (CompanhiaNacional de Abastecimento) . Cerca de 25% das usinasdo setor sucroenergético tornaram provedores deenergia à rede elétrica por meio de co-geração.Do processo industrial teremos uma quantia estimadade 179.754 milhões toneladas de bagaço de cana e de192.594 milhões de toneladas de palha e resíduos. Setoda a produção de bagaço e palha da cana fosseindustrializada em biopellets teríamos uma produçãopor safra de 129.679 milhões ton. (71.901 biopellets debagaço de cana e de 57.778 de palha e resíduos dacana) suficiente para atender toda a demandainternacional de energia e gerando uma renda média aosetor de RS 18.803.455.000,00 (Euros 145,00 preçomédio biopellets Europa) .
  29. 29. APROVEITAMENTO POTENCIAL ECONÔMICOHá alguns anos vem sendo discutido o melhor aproveitamento do potencial econômico dabiomassa da cana de açúcar (bagaço de cana, palhiço, folhas, pontas e palhas. Com oaumento de produção de cana de açúcar devido à expansão das áreas plantadas e às novastecnologias e com a possibilidade de aproveitamento de toda a cadeia produtiva quer com oetanol de segunda geração ou como o biopellets de bagaço de cana e da palha da cana.
  30. 30. BIOPELLETS DE BAGAÇO DE CANAO BioPellets de Bagaço de Cana é ocombustível sólido mais limpo que existeno mercado com combustão eficiente.Sua aplicação é no aquecimentoindustrial e na geração de energiatérmica. A sua produção é feita a partirde bagaço de cana resultante emprocesso industrial que depois detriturados e secos, se transformam em póque é comprimido a alta pressão etemperatura de modo a eliminar omáximo de umidade, para obter o formatofinal. Ao lado fotos da maior unidadeinternacional BioPellets que estamosimplantando em São Paulo.
  31. 31. BIOPELLETS DA PALHA DA CANAImportante a manutenção de parte dapalha da cana sobre a superfície dosolo para o controle de erosão,redução da evaporação da água dosolo, controle de plantas invasoras ede nutrientes. Hoje, um terço daenergia da cana presente nos resíduosé desperdiçada em decorrência docorte manual e da queima da cana nocampo para o corte. É de fundamentalimportância a utilização de palhacomo matéria-prima de produção dobiopellets para a geração de energiatérmica para queima industrial aomercado interno ou para exportação.
  32. 32. BIO-WOODPELLETS E COGERAÇÃO ENERGIAO processo industrial de bio-wood pellets pode estarvinculado ao sistema de co-geração de energia. Estesistema de geração de energia utiliza o sistema deturbogeração de energia com o uso do vapor do processofornalha-secagem industrial.Este processo industrial envolve a geração de energiatérmica com uma grande rentabilidade comercial:COMERCIALIZAÇÃO PELLETS + ENERGIA ELÉTRICA +CRÉDITO DE CARBONOUtilizando a tecnologia com alta eficiência, convertendo até 90% da entrada deenergia-calor útil podendo reduzir 90% nas emissões de C02. Utilizando o vapor-calorna secagem industrial mantém-se intacto o processo de peletização e pode co-gerarenergia.
  33. 33. MERCADO NACIONAL BIOMASSA PELLETSA discussão sobre o aumento da potência ofertada com o uso das energias renováveis temsido obrigatória. A adoção de energias renováveis é fundamental para o desenvolvimentoindustrial, assim como a cogeração sustentável de energia com o uso de biomassa,florestas energéticas para produção de pellets e briquete. Definições como essas devemser direcionadoras de soluções das ações economicamente mais vantajosas e commenores impactos ambientais.No Brasil, o aumento do consumo residencial total acompanha a inserção de famílias nafaixa de consumo mínimo, com a expansão da eletrificação rural. É importante uma PolíticaEnergética para a utilização de fontes de energias renováveis e de produtos industriais.O consumo energético no setor agropecuário deverá passar de 7% para 9% da demandafinal de energia, entre 2004 e 2030, sendo que o óleo diesel, a gasolina, o álcool e oquerosene respondem por 95,7% desse consumo na agropecuária. É preciso que osparadigmas da gestão socioeconômica e ambiental sejam adotados de forma coordenadapelo Estado.
  34. 34. MERCADO INTERNACIONAL BIOMASSA PELLETSOs Estados-Membros da UE com maior potencial deadicional de biomassa pellets e na utilização de resíduosde madeira para a produção de calor e eletricidade são:Alemanha (43 milhões de toneladas), França (19milhões), Reino Unido (14 milhões), Espanha (13milhões), Polônia (7 milhões), Bélgica (7 milhões), Grécia(6 milhões) e Itália (6 milhões). A demanda do futuro dabiomassa co-firing (Escala da EU de composição com ocarvão entre 10% e 90%) na UE-27 sendo estimado ouso de cerca de 50 milhões de toneladas.Ekman & Co calcula em 18 milhões toneladas de wood pellets na Europa em 2013. Pöyry tem aestimativa utilização de wood pellets de 16,5 milhões de toneladas em 2015. New EnergyFinance tem a estimativa de uso pellets em cerca de 28 milhões de toneladas em 2025. AEBIOMtem uma avaliação geométrica de uso de woodpellets em mercado residencial e industrial entre50 e 80 milhões de toneladas em 2020.
  35. 35. MERCADO BIOMASSA E PELLETS - HOLANDA Carvão: 2,5 mil ton - Biomassa e Pellets: 1,5 mil ton Carvão: 1,5 mil ton Biomassa e Pellets: 1,5 mil ton
  36. 36. MERCADO BIOMASSA E PELLETS - INGLATERRAExistem doze grandes projetos no Reino Unido com o consumo anual 2012-2020equivalente a 206 milhões de GJ / y ou cerca de 12 milhões toneladas ano de pellets ou 20milhões toneladas anos de wood chips.
  37. 37. LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO EUROPA O mercado europeu é o maior consumidor de pellets e utilizamos o Porto de Malta – Free Port, para o armazenamento de biomassa com capacidade para 200.000 ton. mês.
  38. 38. INVESTIMENTOS ENERGIAS RENOVÁVEISO setor de energia renovável manteve a boa performance apesarda desaceleração econômica global, dos cortes nos incentivosfiscais e dos baixos preços em vigor no mercado de gás natural.O investimento em 2010 chegou a 211 bilhões de dólares, valorum terço superior ao de 2009. A participação das renováveis foide 16% no fornecimento global de energia e cerca de 20%apenas na geração de energia elétrica. As informações são doestudo “Renováveis 21: Relatório da Situação Global” divulgadopela Rede de Energias Renováveis para o Século 21(REN21),com apoio das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).No Brasil, o Plano Decenal de Expansão de Energia 2020 (PDE 2020) prevê investimentostotais de R$ 1,019 trilhão até 2020 em todo o setor de energia do Brasil. O parque degeração de energia elétrica, em 2017, terá aproximadamente 155 mil MW de potênciainstalada, sendo 80% de fontes renováveis, no que serão aplicados os R$ 142 bilhões.
  39. 39. GERAÇÃO EMPREGOS ENERGIAS RENOVÁVEIS Em comparação com as energias fósseis, as renováveis geram maisempregos por unidade de capacidade instalada, de energia gerada epor dólar investido. Em 2010 as energias renováveis respondiam por5,3 milhões de empregos. Do total, 2,9 milhão estão relacionados àprodução de energia de biomassa e bioenergia em apenas quatropaíses: Brasil, Estados Unidos, Alemanha e China.O mercado de produtos e serviços verdes do Reino Unido, que valequase R$ 1 trilhão, já emprega cerca de 900 mil pessoas, diretamenteou na cadeia de oferta mais ampla. O Reino Unido vê a transição parauma economia verde, de baixo carbono, como importanteoportunidade comercial e de novos empregos.No Brasil o setor energético gera um grande número de empregos qualificados, pordesenvolver uma extensa cadeia de fornecedores e também grandes volumes de divisaspara os cofres públicos. Para o governo federal, a geração total de empregos, na agro ebioenergia, seria próxima de 3 milhões em 2030.
  40. 40. CONCLUSÕES FINAISEsta palestra apresentou um breve cenário atual envolvendo o tema bioenergia e biomassa, comdestaque para as alternativas de aproveitamento dos resíduos florestais, industriais, agrícolas ea geração de novos negócios ao setor sucroenergético, florestal e de celulose. Procurou-seevidenciar a sustentabilidade ambiental como uma oportunidade para o desenvolvimentosocioeconômico. Este raciocínio segue a tendência mundial, irreversível, de uso de energiasalternativas, na perspectiva da gestão integrada dos recursos naturais. Com essa abordagem apalestra procurou identificar, no perfil da matriz energética brasileira, as perspectivas e osprincipais desafios da gestão socioambiental do aproveitamento e do uso dos resíduos nageração de novos projetos industriais e no mercado internacional de consumo. O desafio quepermanece envolve a necessidade urgente de uma política pública nacional em energiasrenováveis visando o reaproveitamentos de todos os tipos de resíduos de biomassa. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS BIOMASSA - BRASIL BIOMASSA E ENERGIA RENOVÁVEL Brasil Biomassa Av. Candido Hartmann, 570 24-243 Curitiba Parana Brasil 80730-440 Fone: 41 33352284 - 88630864 Skype Brazil Biomass E-mail BR: brasilbiomassa@onda.com.br diretoria@brasilbiomassa.com.br USA:brazilbiomass@aol.com Portugal E-mail brazilbiomass@sapo.pt Url http://www.internationalrenewablesenergy.com

×