Lógica- 1ª Parte (CONCEITO)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Lógica- 1ª Parte (CONCEITO)

  • 2,972 views
Uploaded on

Introdução à Lógica formal - 1ª operação do intelecto(Simples Apreensão)

Introdução à Lógica formal - 1ª operação do intelecto(Simples Apreensão)

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,972
On Slideshare
2,967
From Embeds
5
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
2

Embeds 5

http://tecnologiaeducacional.info 5

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Prof. Emmanuel FragaTemas:•Introdução à Lógica Formal emmanuel.dde@uol.com.br•Princípios lógicos•1ª Operação do Espírito
  • 2. Objetivos: Relacionar a reflexão filosófica e científica; Identificar e exercitar os elementos básicos da lógica formal Identificar os principais tipos de falácias formais e informais; Construir a base dos argumentos da lógica matemática/simbólica.
  • 3. Ementa:   Introdução à Lógica Formal  Os princípios lógicos nas filosofias de Parmênides de Eléia, Aristóteles e Leibniz.  A lógica do conceito: propriedades, lei geral e árvore de Porfírio  A lógica do juízo: classificação, tabela-verdade e oposição lógica  A lógica do raciocínio: tipos de raciocínio e silogística  Falácias e Paralogismos
  • 4. Bibliografia Básica: BASTOS, Cleverson L., KELLER, Vicente. Aprendendo Lógica. Petrópolis, RJ: 1997. COPI, Irving. Introdução à lógica. Trad. álvaro Cabral. São Paulo: Mestre Jou, 1978. LUNGARZO, Carlos. O que é lógica. São Paulo: Brasiliense, 1993. MARITAIN, Jacques. A ordem dos conceitos; lógica menor. Trad. de Ilza Neves. Rio de Janeiro: Agir, 1972. NAHRA, Cinara; WEBER, Ivan Hingo. Através da lógica. Petrópolis, RJ: Vozes: 2002.
  • 5. Para Aristóteles,Lógica = óργανον <Órganon> Uma espécie de instrumento, vestíbulo ou propedêutica à Filosofia
  • 6. “A lógica estuda a razão como instrumento da ciência ou meio de adquirir e possuir a verdade. Pode-se defini-la: ‘a arte que dirige o próprio ato da razão, isto é, que nos permite chegar com ordem, facilmente e sem erro, ao próprio ato da razão’.” S. Tomás de Aquino (Anal. Post.)
  • 7. “A lógica é a ciência douso correto doentendimento e da razãoem geral, segundoprincípios a priori decomo ele [isto é, oentendimento] devepensar.” Immanuel Kant (Ak 16)
  • 8. z Princípio  da  Identidade  [p = p] - Aquele que afirma a identidade  de determinada coisa com ela mesma. Pode ser assim enunciado: Toda coisa é o  que é.s Princípio da (não-)Contradição [ ~(p ∧ ~ p)] - Determina que: Uma  coisa  —considerada sob o mesmo aspecto —  não  pode  ser  e  não-ser  ao  mesmo tempo.
  • 9. 3.Princípio  do  Terceiro  Excluído [ p ∨ ~ p] - Afirma que: Dada uma noção qualquer ou ela é  verdadeira ou é falsa, isto é, não há um possível meio-termo entre a afirmação e negação.4.Princípio  da  Razão  Suficiente – Lei formulada por LEIBNIZ (1646-1716) em sua obra la Monadologie [#32]: “Fato algum pode ser tomado como verdadeiro ou existente, nem algum enunciado ser considerado verídico, sem que haja uma razão suficiente [grifo nosso] para ser assim e não de outro modo.”
  • 10. “Ato de apreender uma coisa sem afirmar ou negar.” (MacCall) Conceito = Ideia = Noção“O conceito de cada coisa é aquilo que é o significado expresso pela sua definição”. S. Tomás de Aquino (Questões discutidas sobre a verdade) OBS: Termo = expressão material do conceito
  • 11. Propriedades de um conceito:u Compreensão  [ou CONOTAÇÃO] -  “amplitude  em  relação  às  notas [isto  é, os elementos inteligíveis que o espírito nele discerne e que lhe pertencem necessariamente] que o caracterizam.”a Extensão  [ou DENOTAÇÃO] - Denomina-se extensão de uma idéia: “a sua amplitude em relação aos indivíduos  aos  quais  se  aplica  e  agrupa  em  sua  unidade”. Diz respeito, portanto, ao conjunto de objetos compreendidos num determinado conceito.
  • 12. Lei Geral:“O conteúdo e a extensão de um conceito estão numa relação inversa um com o outro. Pois, quanto mais um conceito contenha sob si, tanto mais ele contém em si, e vice-versa” Immanuel Kant (AK 95)