Curso de Especialização em Centro Cirúrgico TEMA BIOÉTICA EM  CENTRO  CIRÚRGICO  E PROJETO  MINERVA  “ PRINCIPIO DA ENFERM...
<ul><li>AUTOR  </li></ul><ul><li>Emilton dos Santos Oliveira ORIENTADOR  </li></ul><ul><li>Profº. Ms. João Victor Fornari ...
<ul><li>Neste trabalho sobre Bioética em Centro Cirúrgico e Projeto Minerva “Princípio da  Enfermagem Terceira Geração  (3...
<ul><li>Em primeiro lugar , quero dizer que nem todo profissional conhece e respeita o código de ética da sua profissão;  ...
<ul><li>RECOMENDAÇÕES DA SOBECC/2009: um enfermeiro a cada três salas operatórias e um auxiliar ou técnico de enfermagem p...
1º 2º 6º 4º 3º 5º ENFERMAGEM ADMINISTRATIVA ENFERMAGEM ASSISTENCIAL 1 -  ENF. GERENTE 2 -  ENF.COORDENADOR 3 – ENF. SUPERV...
<ul><li>SAE/SAEP incompleto; </li></ul><ul><li>Funções privativas assistenciais e administrativas executadas pelos subordi...
HOSPITAL ENFERMEIRO ASSISTENCIAL PACIENTE MERCADO DE TRABALHO FALTA PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM PARA ATENDER A DEMANDA.  O...
<ul><li>F rente a condição exaustiva em que se encontram os enfermeiros e a falta de respeito ético no tratamento  dado ao...
<ul><li>A Enfermagem 3G é a ecceidade sociopolítica da </li></ul><ul><li>Enfermagem Empírica e  </li></ul><ul><li>Moderna ...
<ul><li>Convidar  você mulher brasileira: </li></ul><ul><li>Para uma luta constante pela igualdade social; </li></ul><ul><...
<ul><li>A Enfermagem 3G vai atuar trabalhando  </li></ul><ul><li>para materializar os quatro seguimentos do Projeto Minerv...
<ul><li>É a superestrutura presidida pela mulher brasileira.  Constituído por quatro seguimentos indispensáveis: PDF, GATE...
<ul><li>Reunir e conscientizar o povo e principalmente a mulher brasileira sobre a necessidade humana de substanciar plena...
CONSIDERAÇÃO FINAL A Enfermagem nasceu a partir de um Sentimento Humano; A Enfermagem 3G pode ser o Fruto colhido  deste S...
G A T E M Obrigado a Todos!!!
<ul><li>Carvalho ARS, Pinho MCV, Matsuda LM, Scochi MJ. Cuidado e Humanização na </li></ul><ul><li>Enfermagem: Reflexão Ne...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Bioética em centro cirúrgico e projeto minerva princípio da enfermagem 3 g - apresentação

3,459 views
3,279 views

Published on

APRESENTAÇÃO DA MONOGRAFIA PARA OBTENÇÃO DO TITULO DE ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO.

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,459
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
60
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Conhecimento: o alimento mais saudável, seja para o corpo, seja para o espírito
  • Bioética em centro cirúrgico e projeto minerva princípio da enfermagem 3 g - apresentação

    1. 1. Curso de Especialização em Centro Cirúrgico TEMA BIOÉTICA EM CENTRO CIRÚRGICO E PROJETO MINERVA “ PRINCIPIO DA ENFERMAGEM 3G” Trabalho de Conclusão de Curso 2010 UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
    2. 2. <ul><li>AUTOR </li></ul><ul><li>Emilton dos Santos Oliveira ORIENTADOR </li></ul><ul><li>Profº. Ms. João Victor Fornari CO-ORIENTADOR </li></ul><ul><li>Profª. Ms. Jéssia Oliveira dos Santos Fernandes </li></ul>
    3. 3. <ul><li>Neste trabalho sobre Bioética em Centro Cirúrgico e Projeto Minerva “Princípio da Enfermagem Terceira Geração (3G)”, quero elucidar situações do comportamento humano que contrariam os princípios da vida saudável no âmbito cultural, social e profissional. </li></ul>
    4. 4. <ul><li>Em primeiro lugar , quero dizer que nem todo profissional conhece e respeita o código de ética da sua profissão; </li></ul><ul><li>Em segundo, vejo a necessidade de evolução da enfermagem empírica e moderna para enfermagem sociopolítica trabalhando a favor da saúde, devido há grande proliferação das doenças em pessoas com idade cada vez mais jovem; </li></ul><ul><li>Em terceiro, apresento o projeto que atende a necessidade da população no século vinte e um. </li></ul>
    5. 5. <ul><li>RECOMENDAÇÕES DA SOBECC/2009: um enfermeiro a cada três salas operatórias e um auxiliar ou técnico de enfermagem por sala operatória; </li></ul><ul><li>RESOLUÇÃO COFEN 293/2004: para o dimensionamento profissional deve ser considerado a variação da gravidade do paciente com fundamentação legal do exercício profissional da enfermagem LEI 7498/86 e DECRETO 94.406/87. </li></ul><ul><li>RESOLUÇÃO COFEN 146/1992 art. 1º: É obrigatório haver enfermeiro, em todas as unidades de serviço onde são desenvolvidas ações de enfermagem durante todo o período de funcionamento da instituição de saúde. </li></ul><ul><li>LEI 7.498/86 Art. 11: ( I ) Função privativa do enfermeiro: (L) cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de vida; (G) assistência de enfermagem à gestante, parturiente, puérpera e recém nascido. </li></ul>
    6. 6. 1º 2º 6º 4º 3º 5º ENFERMAGEM ADMINISTRATIVA ENFERMAGEM ASSISTENCIAL 1 - ENF. GERENTE 2 - ENF.COORDENADOR 3 – ENF. SUPERVISOR 4 – ENF. AUDITOR 1 - ENFERMEIRO ASSISTENCIAL : assume o CC, SRPA, CME; nas folgas do enf. do CPN, assume também o CPN e AC; vice versa. Uma vez por mês assume também a gerência de enfermagem. CONSCIÊNCIA ADMINISTRATIVA Nossa, quanta incompetência; SAE/SAEP incompleto, caiu dois pacientes, demorou para disponibilizar sala para emergência; paciente, cirurgião e família reclamaram por falta de informação, prescrição medica sem horário e o paciente sem receber a medicação. ENFERMEIRO ASSISTENCIAL DO CC: Atende: Programação Cirúrgica, Conferencia de Material Consignado, Sala para Emergência, SAE/SAEP, Cirurgia de Grande Porte, Esclarece duvidas com a Equipe Multiprofissional, Orienta a Família e Cliente, Permanece na Sala Durante Cesariana e durante as Emergências. AÇÃO ADM. ADVERTENCIA E DESLIGAMENTO DA EMPRESA ENF. ASSIST. OMISSO: NÃO COMUNICA O COREN/SP.
    7. 7. <ul><li>SAE/SAEP incompleto; </li></ul><ul><li>Funções privativas assistenciais e administrativas executadas pelos subordinados; </li></ul><ul><li>Ausência do enfermeiro na recepção do paciente no trans/op. e também no inicio e termino das cirurgias; </li></ul><ul><li>Ausência do enfermeiro na transferência do paciente da maca para mesa operatória e vice versa; </li></ul><ul><li>Ausência do enfermeiro na conferência dos artigos hospitalares e na montagem das salas para cirurgia de grande porte; </li></ul><ul><li>Ausência do enfermeiro na assistência há gestante em T/PC e RN; </li></ul><ul><li>Limpeza concorrente e terminal do mobiliário da sala operatória realizada pelo auxiliar de limpeza. </li></ul>
    8. 8. HOSPITAL ENFERMEIRO ASSISTENCIAL PACIENTE MERCADO DE TRABALHO FALTA PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM PARA ATENDER A DEMANDA. O NUMERO DE PROFISSIONAIS É INFERIOR A DETERMINAÇÃO DA RESOLUÇÃO COFEN 293/2004. É PENALIZADO PELOS ACIDENTES DE TRABALHO DEVIDO OMISSÃO, UMA VEZ QUE AS CAUSAS SÃO ADMINISTRATIVAS. SOFRE DEVIDO A FALTA DE ASSISTENCIA HÁ QUE TEM DIREITO, DECORRENTE DA FALTA DE RECURSO HUMANO. SOBRA PROFISSIONAL TÉCNICO QUALIFICADO. (POR QUE NÃO CONTRATAM)?
    9. 9. <ul><li>F rente a condição exaustiva em que se encontram os enfermeiros e a falta de respeito ético no tratamento dado aos pacientes, faço lembrar que a idéia de modernização da enfermagem se deu em tempos difíceis para enfermagem empírica, graças a nobre enfermeira “Florence Nightingale”, e que este pode ser o momento de evoluir para Terceira Geração de Enfermeiros (Enfermagem 3G), cuja missão é promover saúde, justiça e humanização. </li></ul>
    10. 10. <ul><li>A Enfermagem 3G é a ecceidade sociopolítica da </li></ul><ul><li>Enfermagem Empírica e </li></ul><ul><li>Moderna no combate </li></ul><ul><li>as ecdemias; </li></ul><ul><li>É a essência que se </li></ul><ul><li>individualizou da </li></ul><ul><li>Enfermagem Empírica e </li></ul><ul><li>da Enfermagem Moderna </li></ul><ul><li>para atuar sócio e </li></ul><ul><li>politicamente na luta contra </li></ul><ul><li>as doenças de origem estranha. </li></ul>
    11. 11. <ul><li>Convidar você mulher brasileira: </li></ul><ul><li>Para uma luta constante pela igualdade social; </li></ul><ul><li>Pela recuperação dos valores ético e moral; </li></ul><ul><li>Pela valorização dos direitos e deveres do cidadão; </li></ul><ul><li>Por mais respeito a nova constituição brasileira; </li></ul><ul><li>Por mais consciência e cuidados preventivos com a saúde; </li></ul><ul><li>Por uma sociedade mais justa e mais humana. </li></ul>
    12. 12. <ul><li>A Enfermagem 3G vai atuar trabalhando </li></ul><ul><li>para materializar os quatro seguimentos do Projeto Minerva. </li></ul>
    13. 13. <ul><li>É a superestrutura presidida pela mulher brasileira. Constituído por quatro seguimentos indispensáveis: PDF, GATEM, MCP e ICAR. </li></ul><ul><li>PDF: Partido Democrático Feminista; </li></ul><ul><li>GATEM: Grupo de Apoio Técnico Mediador; </li></ul><ul><li>MCP: Mediador Científico Preventivo; </li></ul><ul><li>ICAR: Igreja Católica Apostólica Revelável. </li></ul>
    14. 14. <ul><li>Reunir e conscientizar o povo e principalmente a mulher brasileira sobre a necessidade humana de substanciar plenamente seu papel profissional dentro de um espaço já conquistado por direito na sociedade. </li></ul><ul><li>Despertar nos profissionais de enfermagem no Brasil e na mulher brasileira o desejo de participar integralmente na vida social, política, profissional e cultural. </li></ul><ul><li>Introduzir a mulher na sociedade trabalhando e exercendo funções de vital importância para a preservação dos direitos e deveres do ser humano dentro do sistema democrático e segundo a Nova Constituição Brasileira. </li></ul><ul><li>Prover subsídios aos profissionais da saúde e também a população brasileira na prevenção, proteção e promoção da saúde. </li></ul>
    15. 15. CONSIDERAÇÃO FINAL A Enfermagem nasceu a partir de um Sentimento Humano; A Enfermagem 3G pode ser o Fruto colhido deste Sentimento.
    16. 16. G A T E M Obrigado a Todos!!!
    17. 17. <ul><li>Carvalho ARS, Pinho MCV, Matsuda LM, Scochi MJ. Cuidado e Humanização na </li></ul><ul><li>Enfermagem: Reflexão Necessária. </li></ul><ul><li>2. Gil AC. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo; 2009 </li></ul><ul><li>3. Correia FA. In: Pessini L, Barchifontaine CP, organizadores. Fundamentos da </li></ul><ul><li>Bioética. 3ª ed. São Paulo: Paulus; 1996. </li></ul><ul><li>4. Segre M, Cohen C. Bioética. 3ª ed. São Paulo: USP; 2002. </li></ul><ul><li>5. Sbaraini MG. O Consentimento Livre e Esclarecido do Paciente: Análise de </li></ul><ul><li>Decisões Judiciais Brasileiras. </li></ul><ul><li>6. Backes DS, Lunardi VL, Filho WDL. A Humanização Hospitalar Como Expressão </li></ul><ul><li>da Ética. Artigo de Revisão. Ribeirão Preto; 2006. </li></ul><ul><li>Junior CAFS, Cordovil DC, Santos SC, Santos KRO, Santana ME. A Ética da </li></ul><ul><li>Equipe de Saúde no Centro Cirúrgico: Relato de Experiência. 59ª Reunião da SBPC. </li></ul><ul><li>Leite AIT , Claudino HG, Santos SR. A Importância de Ser Ético: Da Teoria à </li></ul><ul><li>Prática na Enfermagem. Jan./março 2009. </li></ul><ul><li>Trevisan MA, Mendes IAC, Lourenço MR, Shinyashiki GT. Aspectos Éticos na </li></ul><ul><li>Ação Gerencial do Enfermeiro. Ribeirão Preto, janeiro de 2002. </li></ul><ul><li>10. Segre M, Cohen C. Bioética. 3ª ed. São Paulo: USP; 2002. </li></ul><ul><li>11. Gelain I. Deontologia e Enfermagem. 2ª ed. São Paulo: EPU; 1987. </li></ul>

    ×