Your SlideShare is downloading. ×
Internet 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Internet 2

849
views

Published on

Trabalho apresentado na disciplina Introdução a Redes de Computadores EXTECAMP/UNICAMP

Trabalho apresentado na disciplina Introdução a Redes de Computadores EXTECAMP/UNICAMP

Published in: Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
849
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Estadual de Campinas Instituto de Computação Introdução as Redes de Computadores Elton Santos Vianna Internet2 Campinas 2007
  • 2. Elton Santos Vianna Internet2 Monografia apresenta ao curso Introdução a Redes de Computadores do curso de Especialização em Orientação a Objetos Professor: Paulo Lício de Geus Campinas 2007 2
  • 3. Vianna, Elton Santos Internet2 / Elton Santos Vianna – Campinas : IC/Unicamp, 2007 17 f.:il Monografia(especialização) – Universidade Estadual de Campinas.Curso de Especialização em Orientação à Objetos, Campinas, BR – SP,2007. Professor: Geus, Paulo Lício de 1. Internet2, 2. Abilene, 3. NGI 3
  • 4. SUMÁRIOLISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS................................................................05LISTA DE FIGURAS..............................................................................................06RESUMO................................................................................................................07ABSTRACT............................................................................................................08INTRODUÇÃO........................................................................................................091. A ITERNET2......................................................................................................10 1.1 INTERNET VS. INTERNET2................................................................................11 1.2 O PROJETO NGI.............................................................................................11 1.3 O PROJETO PLANET LAB.................................................................................12 1.4 A REDE CLARA...............................................................................................132. AS VANTAGENS DA INTERNET2....................................................................14 2.1 TELEMEDICINA...............................................................................................14 2.2 LABORATÓRIOS VIRTUAIS................................................................................14 2.3 MONITORAMENTO...........................................................................................14 2.4 BIBLIOTECAS DIGITAIS…….............................................................................15 2.5 ENSINO. À DISTÂNCIA......................................................................................15CONCLUSÃO.........................................................................................................16REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS......................................................................17 4
  • 5. LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURASUCAID - University Corporation for Advanced Internet DevelopmentNGI - Next Generation InternetNASA - National Aeronautics and Space AdministrationNSF - National Science FoundationDARPA - Defense Advanced Research Projects AgencyDOE - United States Department Of EnergyU.S. – United States of AmericaEUA - Estados Unidos da AméricaRNP - Rede Nacional de Ensino e PesquisaREMAV - Redes Metropolitanas de Alta VelocidadeCLARA - Cooperação Latino-Americana de Redes AvançadasMb/s - Megabits por SegundoGb/s - Gigabits por SegundoPC - Personal ComputerHI-FI - High FidelityDVD - Digital Versatile Disc 5
  • 6. LISTA DE FIGURASFIGURA 1...............................................................................................................10FIGURA 2...............................................................................................................11FIGURA 3...............................................................................................................12 6
  • 7. RESUMO Internet2 (I2) ou UCAID é um consórcio sem fins lucrativos conduzido pormais de 200 universidades e centros de pesquisa nos Estados Unidos comparceria do governo e de 60 empresas atuando nas áreas de rede (CiscoSystems), publicações (Prous Science) e tecnologia tais como Comcast, Intel eSun Microsystems, para o desenvolvimento de uma nova geração de aplicaçõesavançadas seguindo as exigências acadêmicas emergentes na pesquisa, noensino e na aprendizagem. Este consórcio está voltado aos principais desafios enfrentados na próximageração de redes em universidades, dirigindo esforços no desenvolvimento darede para permitir uma nova família de aplicações explorarem inteiramente aspotencialidades de redes banda-larga permitindo novas aplicações e serviços derede para todos os níveis no uso educacional e à comunidade Internet.Palavras chave: Internet2, Abilene, NGI. 7
  • 8. ABSTRACT Internet2 (I2) or UCAID is a non-profit consortium led by over 120 U.S.universities and research centers, working with partners in government and 60companies in areas from the networking (Cisco Systems), publishing (ProusScience) and technology industries such as Comcast, Intel and Sun Microsystems,to develop a new generation of advanced applications following the emergingacademic requirements in research, teaching, and learning This consortium is addressing the major challenges facing the nextgeneration of university networks, directing network development efforts to enablea new family of applications to fully exploit the capabilities of broadband networksand allowing new network services and applications to all levels of educational useand to the Internet community.Key words: Internet2, Abilene, NGI. 8
  • 9. INTRODUÇÃO A Internet2 (I2) é um consórcio norte-americano voltado para odesenvolvimento de tecnologias e aplicações avançadas de redes Internet paracomunidades acadêmicas e pesquisa. A iniciativa envolve mais de 200universidades norte-americanas, além de agências do governo e indústria e visaao desenvolvimento de novas aplicações como telemedicina, bibliotecas digitais,laboratórios virtuais, entre outras que não são viáveis com a tecnologia Internetatual. O objetivo final da iniciativa não é somente o desenvolvimento de pesquisasexclusivamente voltadas para a área acadêmica, mas também a transferência, aosetor comercial, das tecnologias desenvolvidas e testadas ao longo da execuçãodos projetos. 9
  • 10. 1. A INTERNET2 Criada em 1996, a Internet2, é uma rede paralela mantida poruniversidades e instituições de pesquisa. O núcleo da Internet2 está numa redemenor, a rede Abilene (Figura 1), que interliga universidades norte americanas. Nos EUA, já é possível que médicos acompanhem cirurgias à distância pormeio da nova rede. No Brasil, iniciou-se a fase de experimentação com Internet2 já no final dadécada de 90, com a criação da REMAV em 14 cidades (STANTON, 2005). A Internet2 no Brasil interliga computadores de instituições públicas eprivadas, como universidades, órgãos federais, estaduais e municipais, centros depesquisas, empresas de TV a cabo e de telecomunicação. 10
  • 11. 1.1 INTERNET VS. INTERNET2 As diferenças básicas entre a Internet e a Internet2 são as aplicações e avelocidade. A velocidade na Internet2 é muito maior permitindo execução deaplicações que na Internet atual não são possíveis, como por exemplo,transmissão de vídeo com boa definição, igual à TV broadcast, com a telainteira de um PC e com 30 quadros por segundo, acessar um servidor de vídeosob demanda e assistir um vídeo numa locadora virtual com a mesmaqualidade que hoje temos numa fita HI-FI ou DVD (SANTOS, 1999).1.2 O PROJETO NGI Lançado pelo presidente Bill Clinton em 1997, é um dos principais projetosdo governo norte-americano com investimentos na ordem de US$ 100 milhõespara o desenvolvimento de diversos projetos no âmbito das agênciasgovernamentais, como a NASA, NSF, DARPA, DOE e outras (FENDRICH,1998). 11
  • 12. 1.3 O PROJETO PLANET LAB Criado em 2002 por um consórcio de empresas liderado pela Intel, o projetoPlanet Lab (Figura 2), é usado atualmente em caráter experimental por cercade 150 universidades e laboratórios corporativos. Segundo documentosdivulgados pela Universidade de Princeton, nos EUA, o Planet Lab baseia-sena criação de uma nova camada de rede que usaria a atual estrutura dainternet como meio de comunicação. Dessa forma, as redes virtuais interligadas compartilham os recursos dasmáquinas conectadas e proporcionam uma navegação mais rápida. 12
  • 13. 1.4 A REDE CLARA Criada em 2004, a rede Clara (Figura 3), tem o objetivo de integrar as redesacadêmicas avançadas da América Latina, promovendo o desenvolvimentocientífico e tecnológico em 18 países. O Brasil está representado no consórciopela RNP, fazendo parte do anel central da rede (que inclui Chile, Argentina,México e Panamá). Esta rede continental estará ligada com a rede pan-européia Géant por um enlace de 622 Mb/s. 13
  • 14. 2. AS VANTAGENS DA INTERNET2 Os maiores benefícios com a nova geração da Internet ou Internet2 estarãoligados à telemedicina, análise laboratoriais à distância, monitoramento, difusão deconhecimento, bibliotecas virtuais e ensino à distância. 2.1 TELEMEDICINA A Internet2 tem garantia de banda passante, além da rapidez da transmissão, o que garantirá que partes da transmissão não se perderão (FENDRICH, 1998). Isso permitirá intervenções cirúrgicas à distância, onde um cirurgião poderá controlar remotamente um robô-cirurgião em uma operação. 2.2 LABORATÓRIOS VIRTUAIS Um pesquisador via Internet comandará remotamente um microscópio, analisando a amostra, podendo mexer no foco, brilho, contraste e posição das lentes, tendo todas as possibilidades de análise que teria caso estivesse manejando pessoalmente esse equipamento (FENDRICH, 1998). 2.3 MONITORAMENTO Um usuário de marcapasso poderá instalar sensores que captam informações enviadas pelo marcapasso em lugares como sua casa, seu trabalho, etc. Caso estes sensores detectem algo de anormal, acionarão, via Internet, os computadores dos médicos ou do hospital, enviando via “e-mail” os dados recebidos do marcapasso, de modo que chegarem para atender o 14
  • 15. paciente, os médicos terão todos os dados da anormalidade fornecidos peloaparelho. A Internet atual não favorece esse tipo de aplicativo, previsto naInternet2 (FENDRICH, 1998).2.4 BIBLIOTECAS DIGITAIS Oferecerão imagens de alta resolução com reprodução quase imediata natela do computador. Possuirão capacidade de reprodução de imagens, áudiose vídeos de alta fidelidade: atualmente a Biblioteca do Vaticano já disponibilizaparte do acervo de documentos raros via Internet que inclusive não podem sertocados sem cuidados especiais porque a umidade das mãos prejudica aconservação dos documentos (FENDRICH, 1998).2.5 ENSINO À DISTÂNCIA Aulas poderão ser ministradas em vários pontos remotos, com vídeo eáudio trafegando em vários sentidos com grande rapidez. Outros recursoscomo os quadros brancos (“whiteboards”) compartilhados serão viabilizados.Podemos escrever nestes quadros, copiar e colar arquivos, objetos ou figurasdo nosso computador que serão automaticamente propagados ("multicast" ou"multicasting") para todos os demais usuários conectados àquele “whiteboard”.É como se todos estivessem escrevendo e colando no mesmo quadro e vendosimultaneamente tudo o que os outros estão fazendo (FENDRICH, 1998). 15
  • 16. CONCLUSÃO Recentemente um grupo de pesquisadores da Universidade de Tókioquebraram o recorde de velocidade na Internet2 alcançando uma taxa detransmissão de 9,08 Gb/s. Espera-se no futuro, que seja possível alcançar umataxa de transmissão de 100 Gb/s. O que de fato está ocorrendo é uma evolução ou continuação natural daevolução tecnológica atual, que nos levará a um novo patamar de softwares,padrões, aplicações, infra-estrutura de comunicações e tudo o mais que faz aInternet funcionar. (FENDRICH, 1998). 16
  • 17. BIBLIOGRAFIA 1. FENDRICH, FERNANDO JOSÉ, Internet2, a próxima geração. Disponível em: <http://www.pr.gov.br/batebyte/edicoes/1998/bb77/inter.htm>. Acesso em 01/05/2007. 2. SANTOS, MARÇAL DOS, Internet2, RNP2, Campinas na Rota. Disponível em <http://www.ccuec.unicamp.br/revista/infotec/artigos/marcal5.html>. Acesso em 25/04/2007. 3. STANTON, MICHAEL, O novo ciclo das redes no país. Disponível em: <http://www.nic.br/imprensa/clipping/2005/midia47.htm>. Acesso em 28/05/2007 4. Internet2. Wikepédia. http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet2 (29/04/2007) 5. Internet2. RNP http://www.rnp.br/redes/internet2.html (26/04/2007) 6. Internet2. Internet2 - Home. http://www.internet2.edu/ (27/04/2007) 7. Internet2. Wikepedia. http://en.wikipedia.org/wiki/Internet2 (29/04/2007) 8. Géant Home http://www.geant.net/ (02/05/2007) 9. Medicina digital: acessibilidade à saúde básica. Revista CREMESP. http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=Revista&id=241 (30/04/2007) 10. Rede acadêmica, Internet2 bate recorde de rapidez. Folha Online. http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u17286.shtml (24/03/2007) 17