• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
 

Fazendo Teshuvá

on

  • 1,630 views

Esse material é composto por vários estudos que através de diversas fontes bibliográficas, demonstra todo engano da religião cristã, bem como suas origens, suas influências. Além disso, ...

Esse material é composto por vários estudos que através de diversas fontes bibliográficas, demonstra todo engano da religião cristã, bem como suas origens, suas influências. Além disso, resgata a verdade deixada pelo Salvador e seus discípulos trazendo as questões dos nomes verdadeiros, as práticas. Desmascarando assim, a farsa do cristianismo romano, religião essa que assassinou milhões de yehudins (judeus) no mundo e é a mais adorada entre todas as religiões.

Statistics

Views

Total Views
1,630
Views on SlideShare
1,626
Embed Views
4

Actions

Likes
0
Downloads
55
Comments
0

1 Embed 4

http://grupoaeg.blogspot.com.br 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Fazendo Teshuvá Fazendo Teshuvá Document Transcript

    • Pr. Frederico Cordeiro Fazendo Teshuvá Uma série fantástica de 15 estudos por: Leitorah.blogspot.com – Yeshua Chai
    • Rosh Mosheh Ben Shalom (Pr. Frederico Cordeiro) Co-fundador e Líder da Congregação Judaico-Messiânica Bêith Shalom–ES 2006/2010; Co-fundador e Líder da Congregação Israelita Ye’shua Chai; Conferencista e professor do movimento de restauração; Palestras em DVDs: - Os Efraimitas e os cento e quarenta e quatro mil selados; A geração do tempo do fim; - Guematria; descodificando as Escrituras; - A Lei Eterna; - Culto na Missão Shekinar, Shabat Shalom; - As sete Kerrilot (Congregações) da Ásia. Agradecimentos: Agradeço ao Pai Eterno e protetor de Israel por mais esta realização. Que eu sempre esteja em sua disposição para realizar sempre obras maiores; a fim de que apresemos o retorno majestoso do Messias nosso Rei! Agradeço à Yosef Ben Chaim pela idéia que se realiza. Também agradeço a todos os irmãos e irmãs da congregação Israelita Ye’shua Chai. Deus o Pai do Panteão........................................................................6 O Sol por detrás de Cristo................................................................ 26 A Grande Meretriz............................................................................30 Homenagens pagas dentro das Escrituras.........................................45 As Águas do Shamaim......................................................................51 O Selo e o Pacto dos Anjos...............................................................60 Ye’shua filho de Elohim, sim! Elohim filho, não!............................84 Trindade x Shemá.............................................................................92 Os Adjetivos e Nomes de Elohim...................................................109 Guematria........................................................................................117 O Nome Maravilhoso......................................................................135 A Semente da mulher......................................................................145 O Grande Yon Kippur de 2018.......................................................152 As Sete Kehilot...............................................................................160 Aron HaKódesh..............................................................................171 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 2
    • GRAMÁTICA GREGA. S. J. FREIRE. DICIONÁRIO BÍBLICO STRONG -LÉXICO HEB., ARAM. E GREGO DE STRONG - 2002 SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL HEGÉSIPO – MEMÓRIAS BÍBLIA: VECHIUL TESTAMENT (GENESA FACEREA). BÍBLIA ESPANHOLA: EDT. HERDER S.A. 1965 IMPRENSÃO AUTORIZADA PELO BISTO GENERAL ANTONIO MONTEIRO. DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS DA CULTRIX – MEC. BÍBLIA TORAH PESHITA. DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS - MARIA C. A. ROSAS JERÔNIMO TRADUTOR DA BÍBLIA - EDITORA PAULINAS. PIERRE MARAVAL SÍMBOLOS DA NOVA ERA. S. V. MILTON. AMÉM, O POVO JUDEU FEZ UM PACTO COM DEUS. DICIONÁRIO PORTUGUÊS-HEBRAICO. HUZEFF ZLOCHEVSKY. O NOME ETERNO; A MAIOR SAGA DE TODOS OS TEMPOS. ROBESPIERRE CARDOSO DA CUNHA. SIDUR COMPLETO TRADUZIDO/TRANSLITERADO. JAIRO FLIDIN. BEREZIN, RIFKA. DICIONÁRIO HEBRAICO-PORTUGUÊS. EDUSP. SÃO PAULO, 1995. BÍBLIA SAGRADA, TRADUÇÃO: JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA. EDIÇÃO REVISTA E CORRIGIDA. BÍBLIA SAGRADA, TRADUÇÃO: JOÃO FERREIRA D’ALMEIDA -1681. AMFTERDAM - POR VIUVA DE J. V. SOMEREN SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. SÃO PAULO, 1989. FORAM MODIFICADOS ALGUNS TERMOS DAS CITAÇÕES BÍBLICAS PARA ADEQUÁ-LO AO CONTEXTO JUDAICO/HEBRAICO REFERIDO (N.T.). EPSTEIN; RABINO DR. ISIDORE, THE BABYLONIAN TALMUD, JEW’S COLLEGE, LONDRES. FONTE ON-LINE: HTTP://COME-AND-HEAR.COM/TALMUD/INDEX.HTML IZENBERG; YEHUDA (ORG.), MASSECHET DERECH ERETZ ZUTA. 2001 (VERSÃO VIRTUAL). FONTE ON-LINE: HTTP://WWW.DAAT.AC.IL/DAAT/TOSHBA/ZUTA/SHAAR-2.HTM TALMUD BAVLI. FONTE ON-LINE: HTTP://WWW.MECHON-MAMRE.ORG/B/L/L0.HTM O DEUS DOS INDO-EUROPEUS- JOÃO EVANGELISTA MARTINS TERRA SENTINELA TJ O NOME DIVINO QUE DURARÁ PARA SEMPRE- PÁGINAS 9,19 E 11 FRAGMENTO DA SEPTUAGINTA, I SÉCULO EC O NOVO DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO (VOLUME 2, PÁGINA 512, EM INGLÊS BIBLICAL ARCHAEOLOGY REVIEW, MARÇO DE 1978, PÁGINA 14 SEFER CHANOCH (LIVRO DE ENOQUE) MANUSCRITO DO MAR MORTO (QUM’RAM) SEFER CHOCHMAT SH’LOMO (LIVRO DA SABEDORIA DE SALOMÃO (“APÓCRIFO”) SEFER YOVELIM (LIVRO DOS JUBILEUS) LIVRO DE GUERRA- ESSÊNIO LIVRO SHOFIA – MITOLOGIA- PARÁGRAFO SOBRE AS RUNAS REVISTA AMERICANA THE LIVING PULPIT- EDIÇÃO 1999 - TRINDADE A NEW CATHOLIC ENCYCLOPEDIA (NOVA ENCICLOPÉDIA CATÓLICA-1967) REVISTA ENCYCLOPEDIA OF RELIGION END ETHICS (ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA) - PESQUISADOR JAMES HASTINGS THE NEW BOOK OF KNOWLEDGE VOL. 1 PÁGINA 193. ALPHABET - ARTIGO DE ROBERT M. WHITING FLÁVIO JOSEFO – GUERRA DOS HEBREUS ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 3
    • FLÁVIO JOSEFO – GUERRAS O REINO DE PÚRPURA DA ANTIGUIDADE – OS FENÍCIOS – GERARD HERM REVISTA SUPER INTERESSANTE – EDIÇÃO ESPECIAL – Nº 280-A / JULHO 2010, TÍTULO: O LIVRO DAS MITOLOGIAS, PÁGINA 19: O SINCRETISMO ROMANO Muitas pessoas estão bitoladas em seu universo particular, por isto estão covardemente alienadas de conhecimento. Os grandes líderes religiosos da atualidade têm privado seus membros da Verdade afim de melhor dominá-los. Seus apriscos são fabricados com espinhos da ignorância e arames da supremacia local. O conteúdo deste livro é totalmente descompromissado com placa denominacional e alguns paradigmas teológicos serão, para o bem, quebrados e lançados por terra. Em meio a tantas vertentes fantasiosas, te proponho fazer teshuvá (retorno) ao primeiro século da era messiânica e respirar uma doutrina pura, estudando a Palavra do Eterno de Israel numa raiz hebraica, compartilhando dos pensamentos dos nazarenos e gozando da riqueza do hebraico e aramaico. Abstenho de todo pensamento teológico moderno e desprendo-me de qualquer placa de qualquer denominação. Prometo comprometer-me somente com as Escrituras Sagradas, pois estas não se submetem as mesmas. Toda honra deste trabalho seja dada a Elohim nosso Criador, por intermédio de Yeshua haMashiach, nosso redentor. A Ele pertence o louvor, no mundo que Ele criou, seja Seu Nome eternamente; bendito, louvado, exaltado, consagrado, excelentemente adorado o Nome do Separado, bendito seja Ele. Acima de hinos, louvores e consolações que possam ser proferidos no mundo que Ele criou por Sua vontade. Que HA’ SHEM ponha em ti a Ruach (Espírito) de Biná (Entendimento) e que, durante esta leitura, você possa encontrar a verdade que o Eterno esta fazendo que brilhe com todo esplendor para nós. Rosh Mosheh Ben Shalom Para meditar: “Nem sempre a primeira informação que recebemos é a correta, embora seja muito difícil desconstruir a velha idéia. Em muitos casos, devemos desaprender para aprender corretamente” Acho que este será o seu grande desafio! Mosher. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 4
    • PALESTRAS EM DVDS POR MOSHEH BEM SHALOM Adquirindo Guematria ou A Lei terna, entrevista concedidas pelo Rosh Israelita você levará como extra as duas Mosheh Ben Shalom ao programa NOVE MINUTOS - TV TRIBUNA – (SBT). Em Os Efraimitas e os cento e quarenta e quatro mil selados (Palestra ao vivo), no menu extra você assistirá o grupo de dança Le’chaiym e a Chavidalá ministrada pelo Rosh. Culto Shabat Shalom filmado na Congregação danças e ministração final com o Rosh Shekinah com louvores, Mosheh Ben Shalom. Adquira pelo Telefone 9954-5794 e acesse nosso Blog: leitorah. Blogspot.com ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 5
    • DEUS O PAI DO PANTEÃO A GUERRA CONTRA O NOME! Há mais de mil anos, houve alguns fatores que por interesses políticos e religiosos, unidos à ganância desenfreada por poder, acabaram por se tornar obscuros e duvidosos. A maior saga de todas se deu concernente ao Nome do Criador, mas esta é uma história que nunca te contaram! A mudança do Nome sobre todos os nomes e que é também um selo para os que nele crêem. A base? Provas! Muitas delas, verdadeiras relíquias... E o mais importante de tudo, são fatos! Talvez seja difícil você acreditar que a humanidade vem sendo embalado em um terrível engodo mortal, criado para nos desviar da verdadeira adoração. A Chave A cada selo aberto pelo Cordeiro em Apocalipse, vemos uma revelação para seu tempo próprio. O mais interessante concernente ao tema em discussão é o sexto selo. Pois este é um sinal, uma marca de proteção para os filhos do verdadeiro Criador dos céus e da terra: “E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Elohim vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiques a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Elohim” Guiliana- Ap 7:2,3 Neste texto podemos observar um Tempo de Tardança para um selamento final, afim de que todos os filhos de Elohim sejam protegidos para o que esta para acontecer. É interessante notar que o Eterno coloca um selo nos seus servos. Mas será possível descobrir qual é este sinal ou o que o mesmo representa? A resposta está em Apocalipse: “Olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte T’Sion (Sião), e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas TESTAS tinha escrito o NOME Dele e o NOME de seu Pai” Guiliana (AP) 14:1 O nome Dele e o Nome de seu Pai. É este o Sinal que estará sobre os justos. E isto me faz pensar que, se o Nome é uma Marca ou um sinal que distinguirá seu povo, então estará somente nos eleitos e poucos o possuirão. Por conseguinte, os termos usados atualmente para se referir ao Altíssimo e a seu Filho estão profundamente prostituídos! A maior saga de todos os tempos esta caindo por terra: “Caiu, caiu a grande Babilônia...Porque todas as nações têm bebido do vinho (doutrina)da ira da sua prostituição (mudanças)” (AP) 18:2,3 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 6
    • Nesta figura grafada temos uma inscrição com a seguinte expressão: SOL INVICTO DEO. Ou seja, “DEUS É O SOL INVENCÍVEL” Como denuncia o livro: O NOME ETERNO A MAIOR SAGA DE TODOS OS TEMPOS de Robespierre Cardoso da Cunha: É ESTE O SER QUE ESTA SENDO INVOCADO POR MILHÕES DE PESSOAS AO USAREM O FONEMA DEUS! Veja neste dicionário de Gramática grega de S. J. FREIRE- Pg. 33 em declinações, como o nome ZEUS veio a tornar-se DEUS. E como o Zeta equivalente ao nosso (Z) veio a tornar-se o Delta ∆, correspondente ao nosso (D). Ou seja, ZEUS se tornando DEUS: Em português para melhor compreensão: Ó ZEUS = JÚPITER: Ó ZEÚ NA FORMA ARCAICA 1ª DECLINAÇÃO: DIOS; 2ª DECLINAÇÃO: DIÍ; 3ª DECLINAÇÃO: DIA ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 7
    • Primeiro o dicionário mostra que Zeus era escrito Zeu sem o (S) e que o (D) é a terceira declinação do (Z), o que fica evidentemente comprovado com expressão da imagem que vimos anteriormente: Sol Invicto Deo, ou Zeu. Relíquia do Vaticano Esta é uma antiguíssima bíblia Romana, em latim. O estarrecedor, é que confirma o que diz o dicionário grego; Zeus era escrito sem o (S). O mais incrível ainda é que eles o chamam de criador dos céus e da terra: Gênesis 1 Gênesis1:1 Veja a página e a ampliação do primeiro versículo: “LA INCEPUT, DOMNE-ZEU a fãcut cerurile si pãmintul” Em português: “No princípio o SENHOR ZEU fez os céus e a terra” A expressão *DOMNE em latim quer dizer SENHOR. Logo DOMNE’ZEU é SENHOR ZEU! Exatamente como reza o dicionário de gramática grega. Daí surgiu o nome do profeta ELIZEU. Eli é a abreviatura na corruptela de Elohim em hebraico. Então Eli+Zeu é uma ofensa ao Eterno de Israel. Elizeu é um nome de blasfêmia e uma afronta ao verdadeiro Elohim. No original, em hebraico, o verdadeiro nome do profeta é ELIÁHU (EL OU ELOHIM É IÁHU), não tem nada de ZEU. O mesmo acontece com MATITIÁHU eles puseram MATEUS (MAT+(Z)EUS) ABOMINÁVEL, ABOMINÁVEL, ABOMINÁVEEEEEEEEELLLLLL! *DOMNU- Segundo o livro de mitologia celta de Antônio Augusto Shaftiel: “DOMNU na mitologia Galesa era a Rainha dos Céus, deusa do mar e do ar. Por vezes chamada de deusa outras vezes de deus”. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 8
    • O TRUQUE NAS MANGAS 1ª Declinação: ZEU se torna DIOS GN 1:1 BÍBLIA ESPANHOLA DA EDITORA HERDER S.A. 1965 - IMPRIMIDA COM A AUTORIZAÇÃO DO bispo auxiliar GENERAL ANTONIO MONTEIRO. “AL PRINCIPIO CREÓ DIOS EL CIELO Y LA TIERRA” Repare que ZEU na declinação aqui já é Dios. Esta caindo a grande babilônia que deu a beber a todos do vinho (doutrina) do furor de sua prostituição! Ela nos enganou concernente a guarda do verdadeiro dia santo, O SÁBADO. Nos fez acreditar em ídolos. Disse que era o “ISRAEL ESPIRITUAL” e com isto inventou a falsa teoria da “subistituição,” e que mais tarte fora adotada no meio “Evangélico”. Fez de nós politeístas (trindade), criou o purgatório e o tormento eterno, ordenou que se guarde o natal em 25 de dezembro (nascimento do sol invicto DEU), mudou as sete festas bíblicas pelas sete pagãs, etc, etc, etc... E você custa a acreditar que ela tenha mudado os nomes sagrados! “E vi uma mulher (igreja em profecia) assentada (estabelecida) numa besta (poder) de cor escarlate (pecado/cor oficial de ROMA) que estava cheia de NOMES DE BLASFÊMIA” (AP) 17:3 Segundo o livro o Deus dos Indo-Europeu, no capítulo 11 e página 291, em “Análise do termo –DEUS- no indo-europeu. O escritor e padre João Evangelista Martins Terra faz uma listagem da origem e declinações do termo deus: “A religião indo- europeu era a crença num “Ser Supremo”, o “Deus Celeste”, chamado DEWOS, derivado do radical DEI- Iluminar” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 9
    • DEIWOS – Hierofania de Deus no “céu luminoso”. Daí derivam, nas línguas indo-européias: DEVA - SÂNSCRITO; DOVE – BRETÃO; DAEVO – AVÉSTICO; DEIVOS – VÊNETO; DEVO – CÉLTICO; DEVO – GAULÊS; DEV – PERSA; DE – BRITÂNICO; DEUS – LATIM; DEIVAI – OSCO; DIA – GALÊS DIA – IRLANDÊS; DIUVE – ITÁLICO; IUVE – UMBRO; TIN – ETRUSCO; ZIS – CITA; TEÍVA – GERMÂNICO; TYR - ISLANDÊS; TYR - ESCANDINAVO; DEIWAS – BÁLTICO; DIEVAS – LITUANO; DEVS – LETÔNIO; DIVU – ESLAVO; DIOS – GREGO; ZIS – ILÍRICO; SIUS – HITITA. O pesquisador lingüístico fala ainda sobre: IMANÊNCIA E TRANSCEDÊNCIA CÓSMICA: Duas séries de nomes paralelos, próprio e comum: DEI – Dei-u-os - Deivos – Deus – nome comum: DEI –Dj – eu-os – Zeus – Dj-u(piter) – nome próprio. Notar o “U” sacral! Na página seguinte, 292 João Evangelista Martins Terra expõe: DEIWOS se une a palavra PATER; EX: Zeus – Pater, Dyaus- Pita (sânscrito), Dies(Piter) Ju(piter) em latim, Iu(pater) em umbro, Dies(póla), vêneto, Dei (patyros), Zis(pater), Zo(PA), ilírico, Zi(pater), trácio, Zis-Papaios, cita, etc... Nota: Presença do elemento sacral – “u”: Dei-u-os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 10
    • MAIS PROVAS DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS PG 248 DA CULTRIX -MEC Este dicionário deixou explícito que: “O DEUS era o chefe indiscutido do panteão... os gregos em Ámon reconheceram o seu deus supremo, e deram a Tebas o nome de DIÓSPOLIS (CIDADE DE ZEUS)”` Veja como o historiador Tassilo Orfheu Spalding traduziu POLIS como CIDADE e DIÓS como ZEUS. Este historiador esta em perfeita harmonia com o que disse S. J. Freire na 1ª declinação: Dios é Zeu! DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS PG 227 DA CULTRIX -MEC TUDO EXEMPLIFICADO: DYAUS- PITAR = PAI DO CÉU PARA OS ARIANOS (O SOL); JU – PITER = PAI DO CÉU PARA OS ROMANOS (DIVINDADE DO CÉU = SOL); ZEUS – PATER = PAI DO CÉU PARA OS GREGOS (DIVINDADE DA LUZ = SOL) DIES – PADRE = PAI DO CÉU EM LATIM, ( DIES = DIA = LUZ SOLAR, O SOL); DEUS – PAI = PAI DO CÉU EM PORTUGUÊS (ZEUS É PAI) Zeus era honrado no Domni-Dei (Domingo = Dia do Senhor ou Senhor é Dia “SOL”). Entendeu porque o vaticano impõe com muito ímpeto que todos devem adorar a “deus” no domingo 1º dia da semana? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 11
    • IMAGEM DE DYEUS, SÉC. 4 AC. ENCONTRADA NA UCRÂNIA E YU- PITER COMO DYOS- PATER DO CRISTIANISMO Bom, o dicionário grego já mostrou que ZEUS era escrito ZEU sem o (S), o que já confirmamos com a própria Bíblia católica em latim na página de GÊNESIS 1:1. Depois, nas declinações, vimos como ZEU tornou-se DIOS. O que também mostramos testificando com a Bíblia católica espanhola também em GN 1:1. TERCEIRA DECLINAÇÃO ZEUS É DIA A primeira coisa a considerar é que DIA em inglês tem o mesmo fonema que Deus em latim. Será isto uma coincidência ou uma confirmação daquilo que dizem os historiadores e o professor de gramática grega? Dia ou Dies, Dios, Diaus, ou inacreditavelmente Deus, são formas diferentes para Zeus. Repare que domingo em inglês é SUN- DAY (DIA DO SOL, OU DIA DE SE ADORAR A ZEUS). Daí vem também a pronuncia IGREJA que deriva de uma palavra grega que quer dizer CHAMADOS PARA FORA! Era isso o que acontecia, todos eram convidados a saírem de suas casas para reverenciarem o grande sol em cada manhã de domingo. Domingo – português (dia do “Senhor” – dia de “deus”) Domni-Dei – latim (o senhor é o Sol = Dia), Sun-day - inglês que tem a mesmíssima conotação (dia do sol). UM LEGADO MUITO ARCAICO 1º 2º 3º 4º (Z)EUTH (Z)EUS (T)EUS (D)EUS PARA OS EGÍPCIOS; PARA OS GREGOS; PARA OS GREGOS CRISTÃOS; PARA OS DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 12
    • A revista SUPER INTERESSANTE – EDIÇÃO ESPECIAL – Nº 280-A / JULHO 2010, título: O LIVRO DAS MITOLOGIAS, página 19: O SINCRETISMO ROMANO, por Eduardo Szlarz afirma: “Assim Zeus e Júpiter correspondiam ao deus indo-europeu do céu. Tanto que o nome ZEUS tem a mesma raiz do latim DIES (“DIA”). Esses termos remetem a DYEUS (“DEUS DO CÉU, ILUMINADO E BRILHANTE”) – o pai dos deuses do panteão indo-europeu. Isso explica por que os romanos diziam “DIEUS PATER” , que derivou para JU-PITER em latim”. Neste livro de Pierre Maraval que é professor de Historia da Antiguidade Cristã, e Diretor do Centro de Análise e Documentação Patrísticas da Universidade de Strasbourg – França. Pierre cita um trecho da carta em que Jerônimo, tradutor da Bíblia, responde ao papa Dâmaso que lhe pedira para que alterasse as Sagradas Escrituras. Confessa estar preocupado com a reação das pessoas ao fazer tal coisa: JERÔNIMO TRADUTOR DA BÍBLIA DA EDITORA PAULINAS PG 44 Veja agora a Torah Peshita ; uma Bíblia aramaica datada do 4º século que não deu uma voltinha pelo Vaticano, um pulinho no grego, não passou pelo cunho de Jerônimo. Veio quentinha para nós! -Em hebraico: ‫( ב ר א ש י ת ב ר א א ל ה י ם‬se lê da direita para a esquerda); -Transliterado: BERESHIT BARÁ ELOHIM (se lê Elorrim); -Traduzido: NO PRINCÍPIO CRIOU ELOHIM; OS CÉUS E A TERRA! E nunca DomneZeu, diós, ou dies, dia, dei, zebu, zevs, zeus, deus, deo,téo, god, etc...Veja que ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 13
    • no idioma hebraico quem criou os céus e a terra foi ELOHIM YÁHUH ‫ א ל ה י ם‬O grande ‫.י ה ו ה‬ O TETRAGRAMA ‫ה‬ ‫יהו‬ Tetragrama são as quatro letras (consoantes) em hebraico que correspondem ao Nome de Elohim: ‫ה‬ puseram JEOVÁ! ‫ :י ה ו‬YÚD (‫ ,)י‬Hê (‫ ,)ה‬VAV (‫ ,)ו‬Hê (‫ )ה‬que na corruptela eles Algumas pessoas pensam que o Nome do Eterno de Israel é Javé ou Jeová. Estes termos nunca poderiam ter a fonética do tetragrama; pois não existe um fonema como a do jota (J) no hebraico! Jeová era um deus romano, tido como Pai dos deuses: (Tópico enciclopédia ilustrada) um exemplo da deturpação do nome de Elohim para Jeová, está na enciclopédia em cores, martins vol. –IX. Veja o que afirmam os próprios doutores e líderes das Testemunhas de Jeová concernente aos termos Jeová e Jesus, na sentinela O Nome Divino Que Durará Para Sempre - páginas 9,19 e 11: Apesar de certamente (os Testemunhas de Jeová) se importarem com o fato de Elohim ter um Nome próprio, acabam por confessar este não ser Jeová, e finalizam ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 14
    • admitindo ser Jesus um nome falso para ‫ י ש ו ע‬Ye’shua o verdadeiro Nome do Messias e o único para nossa salvação!Também apresentam o Nome do Eterno em hebraico ‫הוהי‬Yáhuh, dentro da pirâmide ILUMINATE, o que só reforça um laço forte com a maçonaria. (No lugar do “Olho de Hórus” eles puseram o Tetragrama). O Nome JEOVÁ é um dos quarenta nomes de demônios invocados na maçonaria. Sendo o principal deles GADU (Grande Arquiteto Do Universo) Por isso este esforço grandioso de Roma papal, por fazer de Jeová o criador dos céus e da terra. Gadu também é Bafometh, um demônio hermafrodita com cara de bode; também chamado pela maçonaria de Jabulom (acrônimo de JÁ + Bul= Baal + OM= Lua). Não é a toa que a bola oficial da copa da África se chame Jabulane! Uma forma carinhosa de se homenagear Jabulom. BARURH HA’SHEM! BENDITO SEJA O NOME! Não o de Jeová ou Gadu. E sim o de ‫הוהי‬YÁHUH; O Eterno de Israel! Está caindo Babilônia, a GRANDE PROSTITUTA que embebedou as nações!!! JESUS Voltemos nossa atenção ao termo IESUS. Que em hebraico é escrito: ‫יסוס‬ (iúd)+(sâmek)+(vav)+(sâmek), isto é: IESUS – (‫ )י‬Ye (a abreviatura do nome do Eterno) + (‫ )ס ו ס‬SUS = Cavalo. As duas pronúncias juntas formam: O Eterno é Cav....! Vai aí uma cópia do dicionário hebraico-português – português-hebraico de Huzeff Zlochevsky na página 54. Tente pregar Iesus em Israel e terá noção de como essa fonética é uma blasfêmia na língua santa. Insultaria e muito os judeus que, diferente de nos brasileiros, tem grande estima pelo nome sagrado de Elohim. É realmente curioso o fato de O Nome que saiu de Yerushalaim para as nações com a conotação de ‫( י ש ו ע‬Ye’shua) O ETERNO SALVA, ser devolvido para os judeus no mesmo idioma como ‫(י ס ו ס‬Ye’sus) O ETERNO É CAVALO....! Outro erro gritante na alegação de alguns opositores está na divisão de Iesus. Alegam dizendo que Iesus é grego e não hebraico. Portanto, afirmam os mesmos, que ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 15
    • em grego SUS não é cavalo e sim HYPPOS. Muito bem, desconsideremos a blasfêmia do termo Iesus no hebraico e analisemos no grego. Repare o que afirma o professor João Flávio Martinez: “Um nome em um determinado idioma, cuja divisão silábica daria significado em o mesmo idioma, o que seria correto”. Então veremos em grego (já que é a origem de Jesus). Novamente no dicionário de gramática grega de S. J. Freires têm a informação de que SUS em grego é PORCO! Daí declinou-se a palavra suíno que vem de Sus! Veja, esta aí a prova que nós falamos e mostramos. Observe que essa argumentação tentando se esconder atrás do grego é falha. Sus em hebraico é cavalo, segundo o dicionário hebraico página 54. Esta aí no dicionário grego: Sus é porco! Para onde correr? “Seita” Os que criam no messias (Mashiach = ungido) eram chamados por três adjetivos: 1º “Seita do Caminho”, 2º “Seita dos nazarenos” e 3º “Judeus Messiânicos”. Roma mente ao dizer que os nazarenos passaram a se denominarem “Cristãos”. Esta expressão grega que tem a conotação de “ungido” vem de CRESTAS que era os raios solares como nesta imagem do Sol Invictos Deus. Veja em volta da cabeça do ser iluminado as crestas solares. Desta expressão herdamos as cristas dos galos. Até mesmo nos dias atuais em Israel os que crêem no Messias são chamados Natzirí (Nazarenos) palavra masculina de Natzaret (Nazaré). Cristo significa, na integra “Ungido do Sol”. Messiânico quer dizer seguidor do Mashiarh, ungido de Elohim. Saia querido rapidamente de Roma, fuja da Grécia em quanto é tempo. Pare de defender estas deidades solares. O Eterno esta tendo infinita misericórdia de nos fazendo que tanta luz da verdade brilhe para que também não tenhamos desculpas no dia de Yon Kippur (dia do Juízo). JE – SUS Outra questão que gostaria de resolver sem delongas é a questão da divisão silábica de Jesus. Este não poderá ser dividido de outra forma que não seja JE – SUS, uma vez que estamos falando de IE’SHUA. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 16
    • Porém na bíblia arcaica Romana, em latim (a mesma que denomina Elohim como Domne Zeu), também mostra-nos como Jesus era anteriormente transliterado: ISUS HRISTOS. Isus ou Esus era uma deidade celebrada no sul de Roma! Os articuladores defensores dessa deidade solar fabricada pelos bispos que assumidamente se opuseram à Ye’shua também enfatizam: “Existem tantos deuses mitológicos em tanto países que qualquer nome que pegarmos e dividirmos em sílabas, certamente encontraremos uma expressão pagã para ele”. Porém quero salientar que não estamos usando o holandês, japonês, inglês ou outro qualquer idioma. Estamos sim, usando o hebraico e o grego, considerando que Ie’shua é hebraico e na mudança grega temos Ie’sus. Pois bem, esqueçamos o jota e qualquer outra forma que muitos sem conhecimento pleno, infelizmente lançam mão e acabam por atrapalhar. O nome Ie’shua em hebraico é um acróstico de duas palavras: Ie’ e Shua; o nome do Eterno e Salvação. Então, não sou eu quem dividiu o nome, mas ele próprio é uma junção de palavras, como o termo Emanu’el = Elohim ou “El conosco”. Também Dani’el (Dan = juízo e El = Elohim, ou seja, Juízo de Elohim). Como você pode ver também Ie’shua é um nome com duas palavras e com dois significados. O grande problema em Ie’sus é que Ie como é a abreviatura do nome pessoal do Eterno, não se traduz e ficou corretamente Ie. A mudança esta em SUS, que em grego é Porco hebraico; CAVALO σοσς e em ‫ .ס ו ס‬Deveria ser transliterado como shua ou no máximo Sua devido à deficiência do grego em relação ao som da consoante SHIM (‫ )ש‬que da o som de xis. Uma vez que os gregos não têm uma letra equivalente substituem pelo Sigma que tem o som do nosso (S), ficando SUA em lugar de SHUA e jamais SUS. Alguns tentam defender-se dizendo que Ye’shua soa como uma palavra feminina por isso o IE’SUS em lugar do IE’SHUA. Então pergunto: Porque lemos Tanaka na camisa do jogador da seleção japonesa, mesmo parecendo feminino? Ou porque não mudaram para o masculino o nome de Jonas? Pare e pense! Ouve então uma acepção na tradução entre Ye’shua, Jonas ou Malaquias? O Padre João Ferreira D’almeida Muitos evangélicos não sabem, e a teologia não comenta, ma a bíblia que todas as igrejas protestantes usam foi traduzida por um padre chamado João Ferreira de Almeida. Alguns argumentam que João Ferreira era um pastor, porém tenho em meus registros uma Bíblia datada do século XVI (1681) e prova que João Ferreira D’almeida era sim padre. Além desta informação importante temos outra peculiar: Iesu Christo era como nossos tataravôs foram doutrinados a chamarem o seu Messias. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 17
    • Veja a página e a ampliação ao lado: O Nome do Salvador como conhecemos hoje, foi tão somente uma evolução de adaptações sistemáticas. Primeiro Iesu, depois o “s” sacral ficando Iesus e posteriomente o Jota substituindo o I: (J)esus! A confusão é tão grande que nesta mesma bíblia do século dezesseis, ora Jesus é chamado de Jesu outrora Iesu. Foram mesmo os judeus quem transliteraram os nomes na septuaginta? Para se ter uma idéia da mentira que teólogos padres e pastores sempre repetiram, darei um exemplo claro da importância dos Nomes Sagrados para os judeus. Tanto é que neste fragmento da Septuaginta, I século EC e que contém Zacarias 8:19-21 e 8:23 a 9:4, que encontra-se no museu de Israel, em Jerusalém. Contém o nome do Eterno ‫ י ה ו ה‬que aparece quatro vezes, três das quais aqui indicadas. No entanto, no manuscrito Alexandrino (abaixo), vemos uma cópia da Septuaginta feita 400 anos mais tarde, o Nome de ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 18
    • Elohim foi substituído nesses mesmos versículos por KY e KC, formas abreviadas da palavra grega Ky-ri-os (“Senhor”). Alguns fragmentos antiguíssimos da versão grega Septuaginta, mostram que o Tetragrama nem sequer era transliterado para o grego, mas continuaram sendo grafado, (mesmo na versão grega) com caracteres hebraicos, como vemos na 1ª imagem. Quem da esta informação é O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento (Volume 2, Página 512), diz: “Descobertas textuais recentes LANÇAM DÚVIDA sobre a idéia de que os compiladores da LXX (Septuaginta) TRADUZIRAM O TETRAGRAMA ‫הוהי‬YHWH POR KYRIOS. Os mais antigos MSS LXX (fraguimentos) agora disponíveis trazem o Tetragrama escrito em caracteres hebraicos no texto Grego. Este costume foi continuado por posteriores tradutores judaicos do Antigo Testamento nos primeiros séculos AD”. Da mesma forma o professor Geore Howard, da Universidade da Geórgia, EUA, afirma: “Quando a Septuaginta que a Igreja do “Novo Testamento” usava e citava CONTINHA A FORMA HEBRAICA DO NOME DIVINO, os escritos do “Novo Testamento” sem DÚVIDA INCLUÍRAM O TETRAGRAMA EM SUAS CITAÇÕES” (Biblical Archaeology Review, março de 1978, página 14) E agora o que dizer? Foram mesmos os judeus quem fizeram as mudanças? Entenda que os mesmos se quer transliteraram, quanto mais traduziram! O TEXTEMUNHO DE ORÍGENES: “E nos manuscritos mais exatos O NOME aparece em caracteres hebraicos, embora não nos caracteres hebraico moderno ‫ , י ה ו ה‬mas sim nos mais arcaico ” JERÔNIMO EM SEU PRÓLOGO PARA OS LIVROS DE SAMUEL E REIS: “E encontramos o NOME Divino, o Tetragrama ( me ,(‫הוהי‬certos volumes gregos mesmo até hoje (4º séc), expresso em letras antigas” O TEXTEMUNHO DE LUTERO EM 1543: “Que eles (os judeus) alegam agora que o Nome YHWH é impronunciável, não sabem do que estão falando... Se pode ser escrito com pena e tinta, por que não deve ser pronunciado, que é muito melhor do que ser escrito com pena e tinta? Por que não dizem também que não se deve escrevê-lo, Lê-lo ou pensar nele? Tudo considerado a algo de errado nisso.” Nota: Não entendo como Lutero tendo este pensamento que é verdadeiro deixara de fora o Tetragrama substituindo por HEER (Senhor) em alemão? Devo alertar que NOMES PRÓPRIOS NÃO SE TRADUZEM! Tente trocar o nome de um escritor em seu livro ou simplesmente trocar o nome de uma pessoa em um passaporte. Faça isto e será logo acusado de plagiador. Seria menos grave com certeza do que mudar o Nome do autor das escrituras ou o Nome do ser que garante seu ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 19
    • passaporte para a salvação! Quão seria bom que todos aprendessem a amar este nome Maravilhoso puro e salvador! SOBRE A BIOGRAFIA DE FLÁVIO JOSEFO O escritor judeu Flavio Josefo escreveu como os gregos apoderavam-se de tudo e de todos e para serem considerados os fundadores e donos das cidades, países e pessoas, simplesmente mudavam seus nomes. Trocaram o nome do escritor hebreu, dando-lhe um nome romano “honrando-o” com o sobrenome do seu novo imperador. O mesmo aconteceu com a própria cidade Eterna Yerushalaim chamando-a de Heliocaptulina (Capital do Sol). Flávio Josefo em a História dos Hebreus relata: “Algumas dessas nações conservam ainda os nomes dados por aqueles que lhes deram origem, outras as mudaram e outras ainda, por fim, em vez dos nomes bárbaros que antes possuíam, RECEBERAM NOMES QUE ERAM DO AGRADO DAQUELES QUE NELAS VINHAM SE ESTABELECER. Os gregos foram os principais autores dessa mudança, pois, havendo-se tornado senhores de todos esses países, davam-lhes nomes e como bem desejavam impunham leis aos povos conquistados, usurpando, assim, a glória de passar por seus fundadores.” Em Roma até hoje é comum mudarem os nomes (Crismar); um exemplo disto é a mudança de nome de todos os papas. Assim também era Bavel, ao entrar para lá os nomes tinham que ser trocados: “E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Rananiáhu, Mizael e Azariáhu; E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel (Significa Elohím é a minha Justiça) pôs o de Bel’tescha’ts’tsár (Amado de Bel ou Baal), e a Rananiáhu (Elohím é Misericordioso) o de Shadh’rák (Inspirado de Akul, deus Sumeriano do fogo), e a Mizael (Quem é Semelhante a Elohím?) o de Meh’schák (Quem é semelhante a Akul?), e a Azariáhu (Elohím é a minha Ajuda) o de Abédh’neghóh (Servo de Nego, deus do fogo)” DN 1:7. Portanto, o fato deles obrigatoriamente possuírem estes nomes, não prova em hipótese alguma que isto é comum e regra para tomarmos por exemplos. O mesmo aconteceu com Flavio Josefo ou aliava-se com Roma ou morreria. A cultura hebraica é oposta à helênica. JOSEFO E O NOME Josefo viveu em uma época em que o Nome ainda era conhecido. Sabemos pela citação em “Antigüidades 2:12:4” que Josefo sabia qual era o Nome, mas dizia não ser lícito dizê-lo explicitamente. Porém, Josefo deixa uma importante dica. Ao falar da cobertura de cabeça do Cohen Gadol (Sumo Sacerdote). Veja o texto em Hebraico e sua tradução para o Português logo abaixo. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 20
    • “E farás lâmina [Tsits] de ouro puro e gravarás sobre ela, como gravuras de selo, "Santidade a " JOSEFO EXPLICA: "Nela estava gravado o Nome Sagrado. Ele consistia de quatro vogais." (Guerras 5:5,7) Ora, vemos aqui algo muito interessante. Josefo, ao escrever, relata que o Nome de , além das quatro letras consonantais Yud-He-Vav-He, consistia também de QUATRO VOGAIS. Mas por que Josefo relataria isso? Tal informação era particularmente relevante para o mundo grego, visto que, ao contrário das línguas semitas, os gregos eram acostumados às vogais: "Quando os Gregos adaptaram o sistema de escrita fenício para a sua língua... eles criaram sinais para vogais e o utilizaram a cada vez que uma vogal ocorria..." (The New Book of Knowledge Vol. 1 página 193. Alphabet - artigo de Robert M. Whiting) Josefo falando da coroa Sacerdotal: “Esta era rodeada por uma espécie de correia de ouro, bastante larga, sobre a qual, EM CARACTERES SAGRADOS, estava escrito o Nome de Elohim” História dos Hebreus cap. 8 parág. 119 Nota: Repare que o historiador ao falar aos gregos e romanos, exalta o hebraico dizendo: “A qual, em caracteres sagrados, estava escrito o Nome de Elohim” “...E escutaram os preceitos que Mosheh lhes deu depois, os quais estavam escritos nas duas Tábuas da Lei. Não me é permitido referir as mesmas palavras, mas vou transcrever-vos apenas o sentido” História dos hebreus cap. 4 parág. 113 Não seria por causa do Nome sagrado de Elohim ‫ ,יהוה‬escrito em caracteres hebraico? Nota: O que e porque Josefo não poderia falar as mesmas palavras das tábuas dá Lei? Ou seja, em língua Santa (Separada). IE’SHUA TRANSFORMANDO-SE EM IE’SUS Veja que contradição na transliteração de Ie’shua para Ie’sus. = ‫י‬IE =‫ש‬sH = ‫ו‬U =‫ ע‬A Transliteraram IE (corretamente) Transliteraram ς Transliteraram U Transliteraram caso de Ye’shua). ς (o shim (som de Sh) foi trasl. Pelo sigma (som de (S)) (corretamente) (Ain consoante muda que ganha o som de (A) no ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 21
    • Como pode a letra hebraica shim ‫ ש‬que tem o som de SH ser representado pelo Sigma ς som de (S) e ao mesmo tempo a letra Ain ‫ ע‬equivalendo ao (A) em Ye’shu(a) ser representado pelo mesmo Sigma (ς)? A transliteração deveria ser Ie’sua, e jamais Iesus. Um sigma (ς) para o shim ‫( ש‬SH) e o mesmo sigma (ς) para o Ain (A). Absurdo! 1º- Prova- Ie’shu(a) que deveria ser transliterado no final com o alfa repetiram o sigma ς Ie(s)u(s). ά Iesu(á) eles 2º- Prova- NEEMIAS 11:26 – Em Neemias temos uma lista de cidades, sendo que uma delas tinha o mesmo nome de nosso salvador YE’SHUA. Como os gregos não expressam o Sh, nas declinações chegou para nós como Iesua (Jesua): “E quanto às aldeias com os seus campos, alguns dos filhos de Judá habitaram em Quiriate-Arbal e suas aldeias; em Jesuá, em Molada, em Bete-Pelete,” NE 11:25,26 O mesmo texto que acabamos de ler (ao lado), em grego. Repare que a cidade que tem o mesmo nome de Ie’shua (Іησοσά) está aqui transliterado para o grego como IESUÁ. Baruch haShem Adoneino (Bendito seja o teu Nome, Nosso Senhor!) ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 22
    • Porque ainda que o lobo se disfarce de ovelha sempre deixa o rabinho de fora! 3º- Prova- Como pode ‫ י ש ו ע‬Ye’shua ser transliterado de duas formas totalmente diferente: Ie’suá para a cidade e Ie’sus para o Messias? Que regra é esta? Em hebraico Judá é Yehudah ‫י:הדוה‬ ‫ י‬Ye ‫ה‬RR ‫ ו‬u ‫ ד‬dá ‫(ה‬o He acrescenta um acento no A de Yerrud(á)). VEJA A CONTRADIÇÃO: J – Em lugar do iúd ‫( י‬Ie) U – Em lugar do He e vav ‫( וה‬Hu), comeram o He ‫( ה‬H) e deixaram o vav ‫( ו‬U) D – corretamente o D, já que em hebraico seria o dálet (‫)ד‬ A – o A também não esta errado na fonética S – mais uma vez o sigma (ς) colocado sem nenhum sentido em lugar do Hê que no final de uma palavra ganha o som de acento agudo: Judá e não Judas. PORQUE TANTO SIGMA NAS TRANSLITERAÇÕES DOS NOMES BÍBLICOS? (1º)- O sigma grego (ς) já equivaleu ao Shim ‫(ש‬som de Sh) em Ie(sh)ua – Ie(ς)ua (2º)- O mesmo sigma (ς) já equivaleu ao Ain ‫( ע‬som de A) em Ieshu(a) – Ie(ς)u(ς) (3º)- O insistente sigma grego (ς) equivalendo também ao He ‫( ה‬que no final dá o som de acento agudo) em Jud(á) - Juda(ς). Que confusão! B-a-b-i-l-ô-n-i-a! Como uma única letra pode ter tantas variações? Segundo o dicionário de língua português GAMMA: “SGMATISMO é a repetição viciosa da letra (s) e outras sibilantes”. Vemos então esta “doença viciosa” nas traduções dos nomes bíblicos. No livro de Sophia, na parte de Mitologia no parágrafo sobre as Runas, o autor afirma claramente que a Runa de letra “S”, (Sowulo) se referia ao SOL que mitologicamente era adorado por diversas nações. O autor afirma que a adoração ao sol estava diretamente ligada ao Cavalo. Os Padres observavam os cavalos como divinos, dignos de adoração. (O mundo de Sophia, Runas CD COMPUTER). Por isso todas as vezes que aparecia o prefixo do Nome do Eterno YAR no final de um nome bíblico judaico, logo o sigma (símbolo do sol) entrava como substituto. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 23
    • EXEMPLO: YRMEIAHU puseram Jeremias ZACARIAH puseram Zacarias YESHAIÁHUH puseram Isaías COMO YA’AKOV (“JACÓ”) TORNOU-SE THIAGO? Veja a mentira: YA’AKOV - Tanto é o nome do patriarca de Israel (“Jacó”) quanto do discípulo e meio irmão de Ye’shua (“Tiago”). No entanto, Ya’akov chegou a nos como Jacó para o patriarca e Thiago para o discípulo. Thiago era o nome de uma deidade pagã. Quero que os Teólogos defensores de Roma expliquem este fenômeno! A regra diferencial de transliteração usada foi “Velho” e “Novo Testamento?” Pois Ya’akov o da primeira aliança virou Jacó e Ya’akov o da segunda aliança transformaram-o em Tiago. Loucura! JUDAS OU JUDÁ? Outra deturpação: Yehudá é o nome da cidade bíblica de onde descende Ye’shua, mas é também o nome de dois de seus discípulos, dos quais um foi o seu algoz. Repare como na transliteração a cidade Yehudá, chegou como Judá e os seguidores de Ye’shua com o mesmo nome eles puseram Judas. Olhe o sigma solar aí novamente! Bom, nem precisaria tamanha argumentação para se entender uma coisa tão fácil, tão somente bastaria não está o coração preso em salários, cabeças (membros), influências, títulos e amizades. Certamente sairíamos bem rápido de Bavel. REALMENTE A IMPORTÂNCIA DO NOME: “Não tomarás o nome de Yáhuh teu Elohim em vão; porque Yáhuh não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão” Shemot (EX) 20:7 “E o filho da mulher israelita blasfemou o Nome, e praguejou; pelo que o trouxeram a Mosheh. Puseram-no, pois, em detenção, até que se lhes fizesse declaração pela boca do Há’Shem. Então disse Yáhuh a Mosheh: Tira para fora do arraial o que tem blasfemado; todos os que o ouviram porão as mãos sobre a cabeça dele, e toda a congregação o apedrejará. E dirás aos filhos de Israel: Todo homem que amaldiçoar o seu Elohim (importância para o ser), levará sobre si o seu pecado. 16 E aquele que blasfemar o nome de Yáhuh (importância para o nome do ser), certamente será morto; toda a congregação certamente o apedrejará. Tanto o estrangeiro como o natural, que blasfemar o nome de Yáhuh, será morto”. Vaikrá (LV) 24 :11-16 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 24
    • “E farei conhecido o meu separado nome no meio do meu povo Israel, e nunca mais deixarei profanar o meu separado nome; e as nações saberão que eu sou o Yáhuh, o Separado em Israel” Yehezek’el (EZ) 39: 7 “Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Yáhuh Elohim: Não é por amor de vós que eu faço isto, ó casa de Israel; mas em atenção ao meu separado nome, que tendes profanado entre as nações para onde fostes; Yehezek’el (EZ) 36:22 “E o Yáhuh será rei sobre toda a terra; naquele dia um será Elohim, e um será o seu nome” Zakariáhuh (ZC) 14:9 VEJA UMA INSCRIÇÃO COM O NOME DO NOSSO SALVADOR YE’SHUA FILHO DE ELOHIM. ETE É UM DOS SELOS DE AP 14:1 ‫י ש ו ע‬O “Olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte T’sion, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinha escrito o Nome dele e o Nome de seu Pai” “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro NOME há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” AT 4:12 “Até quando, ó Elohim, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre?” SL 174:10 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 25
    • O SOL POR DETRAS DE CRISTO O QUE QUER DIZER “CRISTO”? Estamos acostumados com a nomenclatura CRISTO; do grego CRESTÓS, que segundo o que aprendemos tem a conotação de “Ungido”. Em Israel o povo judeu sempre esperou a vinda do seu Mashiach (Ungido), prometido na Torá (Pentateuco) pelo próprio Elohim Criador. Ungido em hebreu é Mashiach (Lê-se Mashiar) que nas declinações chegou para nos de língua latina como Messias. Toda palavra tem sua origem em outra palavra que é chamada “raiz”. Dessa raiz ou palavra mãe podemos perceber o verdadeiro propósito e caráter de um determinado termo. Um exemplo que podemos dar é o termo “bacana”. Logo quando ouvimos ou pronunciamos essa palavra, tomamos imediatamente por sinônimo de “legal”, “muito bom”, “maneiro”, etc. No entanto, bacana vem de uma raiz que poucos conhecem; BACO! Este era um dos deuses mais populares do império romano. O deus do vinho e das festividades promíscuas chamadas “carnavalias” (festa da carne ou festa carnal). Da expressão Baco surgiu as “BACANÁLIAS”; orgias sexuais em forma de agradecimento e culto a essa divindade pagã. Das bacanálias herdamos a pronúncia “BACANAL” que todos sabem ter o mesmo significado de “SURUBA”; sexo em grupo. A cultura greco-romana era acostumada com essas festividades. Muitas destas festas tinham o nome do seu ídolo de adoração. A festa que abria o ano novo pagão e ainda abre, é dedicado à divindade Jano, por isso é conhecido como “Janeiro”. Também festa à Saturno era a “saturnália” e a Baco, como já vimos, as “bacanálias” ou “bacanais”; por isso tem a conotação de “legal” (legalizado, juridicamente de acordo com a lei, permitido, tudo liberado). Baco era o filho do deus Solar Júpiter (para os gregos Zeus) e da mortal Sêmele. Deidade do vinho, representava seu poder embriagador, suas influências benéficas e sociais. Promotor da civilização, legislador (legalizador, “legal”, “bacana”) e amante da paz. Seu nome latino é Líber (daí declinou-se a palavra “Liberdade” principalmente no contexto sexual) e Dionisio é seu equivalente em grego. Quando pronunciamos “bacana” quase que obrigatoriamente fazemos um gesto que apelidamos de “jóia”, “tinindo”. Este gesto com o polegar para cima representa o órgão fálico de Baco, a muito representado pelo obelisco piramidal (símbolo do pênis do ídolo) e que se encontra em quase todos os lugares do planeta, principalmente em Roma, dentro do vaticano: Baco de Da Vinci e seu símbolo sexual, o obelisco “bacana!” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 26
    • Mesmo que você nunca tenha pensado em Baco ao dizer “bacana” e automáticamente fazer o gesto de seu maior simbolo, o obelisco. Mesmo assim o termo usado e o símbolo não deixaram de ser de Baco, mesmo que por pura inocencia. Bacana é quem pratica bacanal e seguidor de Baco. O SOL POR DETRAS DE CRISTO Agora que você tem uma pequena idéia do que é uma palavra e sua “raiz”. Então voltando ao termo Cristo, vamos buscar sua fonte de origem. Analisando mais de perto o termo Cristo podemos nitidamente perceber um elemento solar, pagão, que deu origem a essa terminologia. Cristo; do grego Crestos, que afirmam ter a conotação: “Ungido”. O dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa GAMMA, faz claríssima alusão ao elemento solar nesta palavra, veja: CRESTA s.f. - Efeito produzido pelo calor do Sol (queimar com os raios solares); CRESTAR - Queimar com cresta (raio solar); Veja a hóstia descaradamente queimada pela cresta (que segundo o dicionário Gamma significa Raio Solar). Também a pomba sendo “ungida” pelo Sol (crestas do grego Crestos – Ungido do Sol). DICIONÁRIO GAMMA: CRIS s.m. - (ant) Eclipse (Solar); O dicionário mostra o cris ou o criso (Eclipse do Sol) e o livro de símbolos na página 33 mostra-nos que Cris (XP) é um monograma usado pelo clero romano para “Cristo” CRIS = ECLIPSE ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 27
    • DICIONÁRIO GAMMA: CRISTA s.m. ¹Exelencia carnosa na cabeça dos galos; ² Ponto mais elevado. CHISUS (em grego Χρσοσς) - “Douradas" – (como o Sol) A “crista” é exatamente o que você esta vendo na cabeça dos seres “iluminados”; os raios solares. Daí herdou-se a “crista” do galo. Ou seja, ponto mais elevado como a cresta solar. DICIONÁRIO GAMMA: CRISOL s.m.(Ant) Eclipse do Sol. (Cris + Sol (criso/cristo = raios) do Sol). CRISMA s.m. (Chisma) sacramento de confirmação (mudança de nome). CRISMAR – Alcunhar, apelidar, cognominar-se. Nota: Todos os papas ao serem queimados por Cris, Criso, Cristo, Cresta, Crestós, mudam imediatamente seus nomes como no velho costume babilônico e isto eles chamam de “Crisma” (chisma). DICIONÁRIO GAMMA: CRESTO – cordeiro castrado com oito dias de vida, neste caso, o Cristo. (1) - As Cristas Solares na deusa Diana (Estátua da Liberdade); (2) - As cristas em Dionísio (Baco) representado como “Cristo” o Filho de Deus (Deus = Dei, Dia, Sol); (3) - Também Semíramis e Thamuz como Maria e Jesus “Cristo”; (4) - O frade sendo queimado pela crista (repare o sol em sua cabeça). COMCLUSÃO: Cristo do grego crestos (“Ungido”) incontestavelmente traz em seu embrião histórico e linguístico provas que se trata de uma unção solar. Portanto é impossível fazer uma separação entre o termo Cristo e o Sol. Chega de tantas mentiras, curemonos da ressaca universal causada pelo vinho mitráico solar contido no cálice romano. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 28
    • Sei que alguns já estão tão viciados que amam a levedura doutrinal. São ébrios não hebreus! MASHIARH E SUA RAIZ HEBRAICA O termo hebraico e verdadeiro de onde se originou o conceito “Ungido” é Mashiar – ‫( מ ש י ח‬Que chegou na corruptela linguística como Messias) - Vem do radical Mashar – ‫ = מ ש ח‬Ungir. Este por sinal deriva de Meshihá – ‫= מ ש י ח‬ Unção somente no sentido espiritual, capacitar para alguma missão. Ser Mashiar (Ungido) é ser revestido para liderar, libertar e salvar. Daí surgiu Moshia – ‫ = מ ו ש י ע‬Salvador. Mashiar soa para o povo de Israel como Salvador, Libertador, Ungido pelo Eterno. Mosheh (Moisés) foi um tipo de Moshia e Mashiar (Salvador e Ungido) para o povo judeu, assim como muitos outros que foram capacitados por Elohim para salvar a nação de Israel tal como Sansão. Ungido em hebraico tem esta conotação. Porém diferentemente, os gregos ao ouvirem a expressão “Cristos” entendiam se tratar de seres iluminados pelo poder Solar. Veja a imensurável discrepância dos sentidos quando buscamos a fonte de origem das palavras! Aqui, todos os “santos” tanto nas representações antigas quanto nas modernas são apresentados com cristas solares. Santo Agostinho explicando sobre a emanecia da natureza divina em Jesus assim ilustrou: “Deus é o Sol e Cristo os raios Solares” Na verdade o termo Deus do latim Dei e nas linguas latinas Dios quer dizer dia ou Luz do Sol (Zeus). Então agostinho estava certo ao afirmar que Deus é o Sol e Cristo os raios solares (Cristas ou Cresta ou Cris ou Criso ou Crisol = Cristo do Sol). CRISTÃOS OU NAZARENOS? Na verdade quem tinha a fé no Mashiarh em Israel era chamado pelos judeus que não criam em Ye’shua de NATZIRÍ e não de cristão. Natzer vem de Natzaret (Nazaré). Ou seja, ate mesmo nos dias atuais os judeus desconhecem ou ignoram o termo cristão e ainda utilizam Natzirí (“Nazarenos”). Os judeus que acreditam em Ye’shua são chamados Yehudim Natzirí (Judeus Nazarenos) e não cristãos. UM CONSELHO: Nunca acredite em Roma... E no tocante as coisas espirituais, nada que vem da Grécia é aproveitável! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 29
    • A GRANDE PROSTITUTA PREPARE-SE PARA CONHECER A MERETRIZ UM DOS MAIORES TEMAS APOCALÍPTICOS “E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas (povos), com a qual se prostituíram (com as idolatrias) os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho (doutrina) da sua prostituiç~o (mudanças)” Apocalipse 17:1- 4 AS CORES DA MERETRIZ “E a mulher (a Igreja) estava vestida de PÚRPURA e de ESCARLATA, e adornada com OURO, e pedras preciosas e pérolas” É mais do que obvio que nenhuma outra instituição religiosa combinaria estas cores. A MERETRIZ TEM UM CÁLICE DE OURO (APOCALIPSE – 17:4) “E tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição” IGREJA APOSTÓLICA ROMANA, A DETENTORA DO “CÁLICE DE OURO” Quantos não têm se embriagado deste cálice de prostituição! A MERETRIZ ADORNADA EM OURO ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 30
    • “E a mulher (a Igreja) estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas” SEU LÍDER TERIA APARÊNCIA DE UM CORDEIRO - AP 13:11 “Portanto, n~o é grande coisa se os ministros dele também persistem em transformar-se em ministros da justiça. Mas o fim deles será segundo as suas obras” 2 Coríntios 15 ALÉM DA APARENCIA DE CORDEIRO…. “falava como o drag~o” O sistema papal matou milhões de Judeus durante a famosa Santa Inquisição e foi o mesmo sistema papal que guiou Hitler para destruir a mais de 6 milhões de Judeus! “Nela se achou o sangue de todos que mandou matar” APOCALIPSE 18:24 “Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis” APOCALIPSE 17:13 O POVO JUDEU VENCEU! ISRAEL VIVE E HITLER NÃO EXISTE MAIS! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 31
    • TEM UM ALCANCE MUNDIAL – APOCALIPSE 17:15 “As |guas que viste, onde a meretriz est| sentada (estabelecida), significam povos, e multidões, e nações, e línguas” APOCALIPSE 17:15 Não há dúvida, onde quer que seu líder se encontre, é recebido por multidões. Consegue nomear outra instituição com este alcance? OS REIS DA TERRA ESTÃO COM ELA - APOCALIPSE 17:2 “Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho (doutrina) da sua prostituiç~o” APOCALIPSE 17:2 “Porque Elohim tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Elohim” APOCALIPSE 17:17 A MERETRIZ ENSINA A IDOLATRIA - APOCALIPSE 13:14 “E enganavam aos que habitam na terra dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta” DT 5:8: “Não deves fazer para ti imagem esculpida, semelhança alguma do que há nos céus em cima ou do que há na terra em baixo, ou do que há nas águas abaixo da terra” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 32
    • A VERDADE POR DETRÁS DA MENTIRA … CRUZ DEFORMADA O Crucifixo é o símbolo máximo do INÍQUO criado pelos satanistas no século VI. Este, mostra um aspecto de “Jesus Cristo” muito magro, delgado como se fosse uma vítima da força da fome, patéticamente executado na cruz, com seus braços e pernas dolorosamente delgadas e quebradiças. CRUZ INVERTIDA Utiliza-se como símbolo de blasfemia e negação ao verdadeiro Messias Yeshua. SÍMBOLOS DE ADORAÇÃO AO ELOHIM SOL Sol em hebraico – Shemesh = brilho do sol, em inglês “shamash”. O símbolo mais importante é um círculo, que representa a esfera redonda do Sol. Además, os oito raios que saem da esfera e que se encontram em sua volta representam, para os Satanistas, a totalidade de seu treinamento ocultista, como é simbolizado pelo Óctuplo Sendeiro . ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 33
    • SACERDOTE DE SATANÁS Rei Shamshi Adad V. Note a forma de usar a Cruz Pátea num antigo rei à 2800 anos atrás, o uso desta cruz simbolizava a adoração pagâ ao Deus Sol. Manto (Pallium) papal. Note o uso do “Pallium” pelo papa, ver| que encontra a mesma cruz. (Pattée o Formée). Antigo rei pagão Ashur-nasir-pal II e o Papa, sacerdote Pagão moderno No círcilo azul a mesma mitra no rei pagão e no papa; No quadrado azul, a mesma tiara na parte detrás da mitra; No círculo vermelho, a cruz sobre o peito do sacerdote do sol e no o papa da mesma forma; No círculo verde, manto de pano listrado sob os ombros; No círculo amarelo, o sol na mão esquerda. Que imitação maligna heim? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 34
    • Repare este círculo de oito pontas, pois falaremos muito a respeito. ADORAÇÃO PAGÃ AO DEUS DAGÓN (Dag = Peixe + On = Lua: “Peixe Lua”) A marcação em verde mostra o incensário utilizados pelos sacerdotes de Dagón. Também utilizado pelo Papa no sistema dagoniano atual! Em amarelo, a Mitra Sacerdotal em forma de cabeça de peixe, ou seja, Dag. Todas as vezes que os bispos romanos se mostram em um ofício religioso importante, lá esta a mitra de Dagon. Quantos utensílios pagãos a Igreja Apostata Romana utiliza não? Usam vestes que, sem sombra de dúvida, deixariam pasmos os verdadeiros discípulos se assim os vissem! Tira sobre os ombros “Porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias. E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos” APOCALIPSE 18:23,24 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 35
    • “CORSIER”, BASTÃO DA SERPENTE Símbolo Satânico da antiguidade 1º - Rei Tut, com o seu “Crooker Augur” (bast~o episcopal) para identificarse com “Osiris”, o Deus dos mortos. 2º - Deusa Atena, com o bast~o “Corsier” em forma de serpente na sua mão, símbolo de poder. Na atual Instituição Católica Corsier “bast~o episcopal” da instituição católica romana, usado pelo papa, bispos e os seus mais altos funcionários. “O TRIDENTE” Em Babilônia, o tridente foi posto na mão de todos os deuses pagãos. Tambêm representa a união entre o órgão sexual masculino (linha do meio) e do feminino (linhas externas). No satanismo, representa a arma de satã, pois uma vez fisgando a presa difícilmente permite-se sair. Símbolo da TRINDADE. tridente de Netuno ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 36
    • Na atual Instituição Católica Catedral de São Paulo em Londres, pode-se notar que saem 4 tridentes da cruz. Perceba que a cruz romana com os tridentes cruzados formam o símbolo de Íshtar A esquerda, pode-se notar o tridente postado em cima da cabeça do pequeno “Iesús”. Deus Hindú, com seu tridente à sua direita. Tanto o deus sol de Babilônia como o diabo são representados com o mesmo tridente! GESTO PAGÃO (Adoração ao quarto minguante e quarto crescente) Gesto satânico do paganismo romano encontrado em milhares de estátuas bem como ao longo de todo o Vaticano, em pinturas, bem como inúmeras catedrais e igrejas católicas romanas em todo o mundo. Representa o quarto minguante e o quarto crescente. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 37
    • O menino Jesus é na verdade uma réplica imitativa do demônio hermafrodita Bafometh. Também conhecido como Jabulom. ROSÁRIO - Símbolo Satânico Mateus 6:7: “Mas, ao orares, n~o digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras” Nota: Temos um conselho de Ye’shua, nosso Salvador ordenando aos seus discípulos (judeus) a não imitarem as nações (os povos gentios) a não orarem utilizando de vãs repetições! Esquerda, divindade Hindú com um ros|rio “adoraç~o pag~”. As seitas pagãs no Oriente, também usavam rosário de Esféras em suas práticas. Era comun enterrar os faraós do Egipto com seus rosários. Hoje ainda pode ser encontrado a utilização do rosário por muçulmanos. À esquerda, nota o uso do rosário por um sacerdote pagão neste esculpido de origem Mesopotâmio. O rosário é uma prática que põe em evidência a Igreja Católica Romana como adépta do sincretismo das religiões antigas em nossos tempos. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 38
    • PINHA E O “CONE DE PINHEIRO” O cone de pinheiro representa o poder da regeneração do paganismo e pode ser encontrado a partir de "Tamuz" Deus babilonico. A figura abaixo, mostra-nos uma deídade mexicana que representa a reencarnação e o sol. Em sua mão direita a árvore de pinheiro (que a Igreja batizou como o símbolo do Natal). Em sua mão esquerda, duas pinhas como os frutos da fertilidade. Imagine onde se encontra a maior escultura em forma de pinha do mundo? Vaticano! A maior pinha está no Vaticano “Elohim” grego-romano da bebida e da rebeldia com o cone de pinho no seu bastão. Como símblolo da fertilidade. Percebe-se a “bênç~o” proferida com bastão do cone de pinho sobre a criança que nascera. A representação ao lado, Bafometh com seu órgão fálico envolto com serpentes. Do lado, a mesma representação com a pinha representando um pênis no Vaticano. “E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que n~o incorras nas suas praga” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 39
    • “CORAÇÃO SAGRADO” Á esquerda, Quetzalcoatl, Senhor da vida e da morte, mostrando seu Coração Sagrado. Á direita, o Coração Sagrado da igreja Católica. “CHAVES DO CÉU E DO INFERNO” Imagem do paganismo segurando as chaves que abrem o paraíso e o inferno, para a guerra e paz. No ano 437, o Papa da época, proclamou a igreja católica como proprietária das chaves que abrem o céu e inferno. Veja claramente as “chaves” do céu e do inferno no escudo por detrás do Papa Bento XVI. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 40
    • A VERDADEIRA E A FALSA ADORAÇÃO Á esquerda um altêntico judeu com o Kipá sob a cabeça adorando o Eterno de Israel em sua sinagoga. Á direita, o falso judeu, também com o Kipá judaico sob a cabeça adorando seu poste-ídolo. Satã! “Eis que eu farei aos da SINAGOGA DE SATANÁS, aos que se dizem JUDEUS (“O Novo Israel” – Teologia da substituição), e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo” APOCALIPSE 3:9 “Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a BLASFÊMIA dos que se dizem JUDEUS, E NÃO O SÃO, mas são a SINAGOGA DE SATANÁS” APOCALIPSE 2:9 O SACRIFÍCIO DA MISSA E A HÓSTIA SOLAR “Bala~o, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e se prostituíssem. APOCALIPSE 2:14,15 A missa é a repetiç~o da morte de “C risto”. Cristo do grego crestos significa “Raio Solar”, ent~o Cristo indica uma unção pelas Cristas solares. O ponto determinante da missa de Cristo é o sacrifício, pois sempre a mesma termina com a morte do Cristo-Sol (Thamuz). As hóstias são oferendas á Semíramis (Ischtar), mãe do menino solar. “Os filhos apanham lenha, os pais acendem fogo e as mulheres amassam a farinha, para fazerem bolos à Rainha dos Céus” JR 7:18. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 41
    • Símbolo arcaico de Ischtar–Baalat. Hoje é uma marca importante para as sociedades secretas praticantes do ocultismo. Este “amuleto” de Baalat simboliza os oito degraus para uma autoiluminação. Pode ser encontrado em qualquer lugar, mesmo no coração do vaticano, na basílica de São Pedro. Estela em que Yehalmilk invoca Baalat Altar ao deus sol “shamash” Na figura acima o altar pagão do deus Sol em relevo do século IX AC com o círculo primitivo da “ILUMINAÇÃO” simbolizando o masculino com o feminino. Esta representação também é indiscutivelmente encontrada nos altares romanos. Isso é o Cristianismo! Não é a toa que tenha homenageado Biblos, a cidade da deusa solar Baalat! Veja a idolatria no antigo e no moderno. NA primeira imagem, o símbolo solar e na segunda um Ostensório em ouro. Notou alguma semelhança? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 42
    • O círculo óctuplo (8) como adoração ao sexo Este círculo também representa o órgão sexual femenino na doutrina espiritual satânica. O obelisco, que provêm da adoração pagã egípcia representa o órgão sexual masculino. Neste ritual satânico, os egípcios punham-se diante do obelisco pelo menos uma vêz por dia, mas se possível três veses. Para representar “O Grande Acto Sexual”, OBELISCO simplemente se insere o obelisco no círculo. IMAGENS DO VATICANO Vista Papal da basílica Vista de cima para baixo Ao ter o obelisco no meio do “o caminho de 8 passos para a iluminação", na basílica de São Pedro, o papa está em perfeitas condições de “estar de frente” para o obelisco diariamente, muitas vezes por dia, as vezes que assim o desejar, adaptando o mesmo ritual satânico ao Deus Sol, Rá, exatamente como faziam os egípcios. Observe como o Papa inclina o símbolo máximo satânico (crucifixo do Anti-Mashiach) em direção ao obelisco, adorando a seu verdadeiro deus; Satã. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 43
    • O mesmo sistema no antigo e no moderno Deus sol “Baal-Hadad” Deusa lunar “Nanna” Ostensório que se utiliza em comunhões O Amom-Rá (Sol-Lua) do cristianismo Santo Miquitório Imagine em sua casa um vaso sanitário com o formato de Santa, principalmente as três Marias. Então olhe a blásfema figura ao lado e entenda que urinar na barriga da mãe do nosso Salvador é despresar o fruto de seu ventre! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 44
    • Homenagens pagãs dentro da Bíblia “E em tudo o que vos tenho dito, guardai-vos; e do nome de outros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca” Shemot (EX)23:13 É difícil de acreditar, mas é a pura verdade. Existem inúmeras palavras em nossa Bíblia latina com nomes e títulos pagãos. Honrarias a deidades solares, lunares, cidades espúrias e utensílios idolátricos são comuns e ganharam a primazia em nossos lábios. Até as palavras de exaltação ao Criador as quais achamos ser para engrandecimento ao Altíssimo, pode, no entanto, ser dizeres de blasfêmias. O grande trunfo de Ha’Sat~ (O Acusador) foi colocar uma adoração paralela nas Escrituras, fazendo que inconscientemente nossa adoração caia em seu colo. Por conseguinte, o Eterno Criador, está finalmente restaurando sua Palavra Eterna em nossas mentes e corações. Ouçamos a voz da Ruach (Espírito)! A linguagem egípcia “E o YÁHUH destruir| totalmente a língua do mar do Egito” IS 11:15 “Porque ent~o darei uma linguagem pura aos povos, para que todos invoquem o nome do YÁHUH, para que o sirvam com um mesmo consenso” SOFONIAS 3:9 A linguagem em questão é simbólica, pois representa toda palavra de afronta à Elohim. É interessante notar que, para uma restauração definitiva, é necess|rio que o Eterno faça uma “limpeza” no idioma “egípcio”, ou seja, Mundano! Só então o nome do Eterno poderá ser invocado com toda a sua honra e majestade! As adulterações foram tamanhas, que até mesmo as Sagradas Escrituras ganharam um nome que homenageia uma cidade espúria; centro de uma terrível idolatria, Biblos! Biblios recebeu uma tremenda homenagem; teve seu nome estampado na capa do livro mais importante, mais vendido e traduzido de todos os tempos, mesmo não tendo nenhuma conexão com a Palavra Divina. Pelo contrário, a terminologia “Bíblia Sagrada” esconde dentro de si a verdadeira intenção da frase: “Biblos Sagrada”. Logo você saber| por que a cidade de Biblos é “Sagrada”, mas antes, é importante destacar o mandamento de Ye’shua (verdadeiro Nome do nosso Salvador) para seus talmidim (discípulos): “Ficai em Yerushalaim (Jerusalém) até que do alto sejais revestidos de poder” Nota: Primeiro os talmidim (apóstolos) tiveram que esperar em Yerushalaim (Jerusalém, não Biblos) para depois saírem à divulgação das Boas Novas, ou seja, de dentro para fora, de Israel para as nações. Seria de fácil compreensão que as Escrituras tivessem o título de “Jerusalém Sagrada” ou “Israel Santo”, quem sabe “Cidade Amada”, “Terra Santa”, algum nome que tenha de fato alguma origem com á Palavra Eterna. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 45
    • Escavações revelam-nos a cidade que foi tão sublimemente homenageada pelos papas romanos, a “Biblos Sagrada”. A teologia de alguma forma tenta associar Biblos com os Escritos hebreus, compilados pelos profetas barbudos de Israel, muitos dos quais tiveram suas visões em cavernas, totalmente isolados do mundo exterior. Estes naviím (profetas) no certo se revoltariam em saber que seus santos relatos receberam um nome goy (gentio). Mais uma prova do terrível anti-semitismo que permeia o mundo Grecoromano. Dentre as tribos de Israel no reinado de Davi, Biblos que era uma cidade marítima da fenícia, localizava-se mais próximo de Dã. Em Biblos acontecia uma grandiosa idolatria em que se adorava a tríade imbatível em popularidade em qualquer continente mesmo nos dias atuais: Baal (ou Ninrode), Baal-Adonis (ou Thamuz, Dumuzi, Melkart, Iesus...) e sua mãe e esposa, Astartéia, conhecida também Escavações em Biblos como Astarte, Astarote, Ischtar, Columbia, Ísis, Afrodite dependendo da localidade em que esta divindade se encontre. Porém, para os íntimos, ela permitia-se ser aclamada amavelmente de Baalat, que livremente quer dizer “Nossa Senhora”, a intoc|vel “Rainha do Céu”. Paganismo nas Escrituras VITÓRIA – TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS Segundo o livro Os Símbolos Místicos de Brenda Mallon – Volume I, diz-nos que Vitória é a deusa alada conhecida também como Niké. Antes e após as batalhas ou competições, um sacrifício era feito a esta deidade. Os vencedores eram coroados com “Os louros da Vitória” “E olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa (de louros), e saiu VITORIOSO (nome da deusa inserido nas Escrituras), e para vencer” Ap 6:2 Nota: Esta palavra provem do paganismo. Foi propositalmente adaptado na Palavra em honra a essa deusa das batalhas e competições. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar a palavra vitória ou vitorioso use vencer ou vencedor! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 46
    • ARCO-ÍRIS - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Certamente dou meu arco nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens” Bereshit (GN)9:13,14 Nota: Na primeira aliança, ou seja, na Tanak (hebraico), aparece o Sinal (B’rit) do Eterno Elohim nas nuvens como o “Sinal da Aliança” ou “O Arco da Aliança”. O estranho é que este Sinal da Aliança em Apocalipse os tradutores deram um nome muito diferente para este Sinal; chamaram-no de “Arco-Íris”: “E vi outro anjo forte, que descia do céu, vestido de uma nuvem; e por cima da sua cabeça estava o arco-íris” Apocalipse 10:1 (versão João Ferreira de Almeida – Edição Contemporânea Revisada e Aumentada – 1996) Nota: Na mitologia antiga o Arco da Aliança é associado à deusa Íris, filha de Taumas e de Eléctra, filha do deus Oceano (Outra palavra de origem pagã). Íris era a mensageira de Zeus e de sua esposa Hera, ela deixava o *Olimpo (monte de Zeus) apenas para transmitir os ordenamentos divinos à raça humana, deixando sempre como rastro seu arco no céu. Por isso até hoje se diz: Arco-Íris, ou Arco de Íris. Veja que os tradutores com suas mentes diabólicas ousaram fazer; O que na verdade simboliza um pacto entre o Eterno Elohim e Noach (Noé), passou a ser uma afronta ao nosso Criador. *Olimpo era o monte onde os atletas disputavam os jogos esportivos como forma de adoração aos deuses. Até nos dias de hoje pessoas cultuam aos demônios do Olimpo nas atuais OLIMPÍADAS, assim como nos jogos Panamericanos. Pã é um demônio das florestas com cara de bode, aparece sempre tocando flauta. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar esta espúria palavra Arco-Íris, use o termo legítimo, Arco da Aliança! GRAÇA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS As três Graças (Cárites), eram filhas de Zeus. Seus nomes eram AGLAE (“A Brilhante”), TÁLIA (“A Verdejante”) e EUFROSINA (“Alegria da Alma”). As três Graças no sincretismo religioso romano s~o “As Três Marias”. Recomendação do Rosh: Em hebraico a expressão para graça é Réssed que significa misericórdia, favor. Peça ao Altíssimo seu favor, sua benevolência! GLÓRIA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Disse mais o Y|huh ‫...הוהי‬E acontecerá que, quando a minha GLÓRIA passar, pôr-te-ei numa fenda da penha, e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado” EX 33:21,22 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 47
    • Glória também é um dos nomes de demônios da mitologia. No hebraico a expressão é Kevod que denota Peso, Presença Majestosa de Elohim. Recomendação do Rosh: Use presença, poder, majestade, grandeza. MITRA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Também farás uma lâmina de ouro puro, e nela gravarás como as gravuras de selos: SANTIDADE AO IÁHUH (QUEDOSHÍM IÁHUH). E atá-la-ás com um cordão de azul, de modo que esteja na MITRA, na frente da MITRA estará; E estará sobre a testa de Aaron” EX 28:36,37 Mitra é o Sol na antiga religião romana, o mitraísmo. Este foi mais uma homenagem ao diabo que entrou nas Escrituras. Nunca o verdadeiro e único Elohim mandou que estivesse na cabeça do Korrém (Sacerdote) uma mitra representando o deus sol. De Mitra ,o sol, herdamos SOLIDEU que conota Soli = Sol e Deu que vem de Dei, Teu = Deus; no entanto “Sol’Deus”. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar os termos Mitra e solidéu, use cobertura, qualquer uma palavra que implique o sentido, menos Mitra e Deus-Sol. Muitos nomes de deuses fazem parte do nosso vocabulário. É provavelmente impossível passarmos VINTE QUATRO HORAS sem pronunciar um nome de demônio. Que loucura! Quando, por exemplo, falamos bacana! Estamos nos referindo ao deus romano Baco. Outro nome para Baco é Líber, que derivou a palavra “Liberdade”. Dia também é uma palavra derivada do Sol, Dei, Dyus, Zeus. Já Noite é uma declinação da deusa das trevas NITH. Oceano também é um nome de uma deidade grega tanto quanto Higiene e Medicina (o próprio símbolo da medicina, o caduceu; bastão alado com duas serpentes denota essa intenção); são nomes de Deuses. Assim como Hóstia (palavra declinada de Héstia, deusa dos laços familiares), deu origem também ao termo Hostil, pois os não cristãos (principalmente os judeus) tinham que obrigatoriamente comer essa oferenda solar sob pena de morte. Aos domingos em Heliopólis (cidade do sol), os sacerdotes ofereciam os bolinhos dos céus (hóstia) aos adoradores, interessante é que dentro da hóstia havia três letras IHS, referindo-se a Ísis, Hórus e Seth, ou seja, a Sagrada Família. Paulo também é um nome satânico que entrou nas Escrituras e nunca foi o nome do talmid (discípulo) Sha’ul. Os gregos por n~o pronunciarem o shim (letra hebraica com o som do nosso x) o chamavam de Saul, assim como o rei de Israel antecessor a Davi, que também se chamava Sha’ul (“Alcançado por Orações”) e ficou como Saul devido a influencia grega na língua latina. O que tem Sha’ul a ver ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 48
    • com o nome Paulo? Esta mudança aconteceu pelo fato dos politeístas pagãos de Listra, adoradores do sol o associarem a Apolo (Paolo/Paulo) deus solar. “Este ouviu falar Sha’u (Paulo), que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou. E as multidões, vendo o que Sha’ul fizera, levantaram a sua voz, dizendo em língua licaônica: Fizeram-se os deuses semelhantes aos homens, e desceram até nós. E chamavam Júpiter (Zeus, Deus) a Bar Naba, e Hermes (Mercúrio, Apolo) a Sha’ul; porque este era o que falava. E o Kohén de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para a entrada da porta touros e grinaldas, queria com a multidão sacrificar-lhe.” ATOS 14:-13 De Apolo surgiu o termo Apologia (Apolo + Logia, ou seja, Estudo de Apolo). Os adoradores de Apolo eram famosos pela eloqüência em que defendiam seu Ídolo. Por isso toda forma de defesa consistente a algo denomina-se “Apologia”. Veja como essa palavra entrou nos textos sagrados: “Porque, quanto cuidado não produziu isto mesmo em vós que, segundo Deus, fostes contristados! que apologia, que indignação, que temor, que saudades, que zelo, que vingança! Em tudo mostrastes estar puros neste negócio” II Coríntios 7:11 Sha’ul foi associado a Apolo (em outras verssões diz Hermes, deus do comércio). Esta deidade é homegiado uma revista comercial com este atributo: HERMES. Outras palavras do nosso dia a dia também pertencem ao mundo mitológico, tais como: CAOS, ÉTER, ARES, HADES (Hades - nome tanto para um lugar de tormento quanto do deus do submundo. Este recebeu homenagens dos tradutores gregos, pois esta palavra substituiu o termo hebraico She’ou/sepultura) - PLUTÃO, SATURNO, MERCÚRIO, URANU, NETUNO, VÊNUS (Vênus - deusa da sedução que foi homegeada nos preservativos masculinos “Camisa de Vênus”). Também a extrema ciumenta HERA (Pode ter surgido daí e expressão IRA) ATLAS (aquele que sustenta o céu sob os ombros. Ficou muito orgulhoso por seu nome ser lembrado nos mapa-mundis) - EROS (daí a express~o “erótica”) AFRODITE (“afrodisíaco” pode ser um cheiro, uma comida ou mesmo um paraíso, todos atribuídos à deusa). Afrodite com Hermes deram à luz Hermafrodito (Herm+Afrodite), que tinha os dois sexos, daí o termo que se usa até hoje. MORFEU, deus do sono (de Morfeu derivou “Morfina”), Morfeu era filho de HIPNOS (nome do deus que usamos para “Hipnose”) - MINERVA (mesmo que ATENAS para os gregos) - INVÍCTO (o sol invencível) - PROMETEU (muitas jovens e diversas ninfas se apaixonaram por ele, mas não tiveram sucesso. Por isso é dito: “Prometeu mais n~o cumpriu”) - HARMONIA, PRÍAPO (Este deus representado com um órgão sexual grotesco deu origem a um distúrbio da sexualidade usado até hoje) - EUROPA, BRAHMA e muitos outros nomes que conhecemos e que permeiam nossos lábios. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 49
    • Evangélho do termo Evangélio, sobrenome de um terrível general romano. Terrível para os judeus messiânicos que de maneira alguma rediam-se à nova religião de Roma, Cristianismo! Em hebraico a expressão para o anuncio das boas novas é Besserot. No entanto o termo usado pelo Mashiach (“Messias”) foi “Ide por todo o mundo e pregai as Besserot | toda criatura”. Nas traduções, em lugar de “Boas novas” entrou o sobrenome do general anti-semita Evangélio. Ent~o, levar o “Evangélho” a toda criatura importa levar a perseguição aos judeus em todo o mundo, como fazia o digno de homenagem Evangélio. “E em tudo o que vos tenho dito, guardai-vos; e do nome de outros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca” Shemot (EX)23:13 “Porque ent~o darei uma linguagem pura aos povos, para que todos invoquem o nome do YÁHUH, para que o sirvam com um mesmo consenso” SOFONIAS 3:9 Para meditar: “Toda pergunta é respondida com apenas quatro letras; TORÁ” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 50
    • AS ÁGUAS DO SHAMAYIM Estive muito impressionado com a similaridade das expressões CÉUS e ÁGUAS em hebraico. Principalmente por virem de um mesmo radical. A expressão para ÁGUA em hebraico é MAIYM (‫ם‬ ‫)מ י‬ e a expressão para CÉUS é SHA’MAYIM (‫ ,)ש מ י ם‬tendo apenas uma letra extra adicionada, o SHIN (‫ .)ש‬É difícil ouvir CÉUS em hebraico e não associar imediatamente com águas. Partindo deste pré-suposto, vamos analisar Bereshit (Gênesis) 1: Gn. 1:1: “Bereshit bará Elohim et haShamayim v’et haÉretz (No princípio criou Elohim os céus (Shamayim) e a terra (Éretz....)” A expressão Bereshit – ‫ ב ר א ש י ת‬tem seu radical em Rosh – ‫ ר א ש‬que significa cabeça, líder, primeiro, principal. Por isso é a palavra inicial das escrituras: “Bereshit” - “No princípio”. a)- OS PRIMEIROS ATOS DA CRIAÇÃO FORAM: 1º - os Céus (ajuntamento de águas) 2º - A terra, ainda vazia e sem forma. Os Céus era apenas um infinito ajuntamento de águas Shamayim Céus = Ajuntamento de águas Shamayim Céus Terra Shamayim Céus Shamayim Céus Tehilin (Salmos) 136:6: “Àquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua benignidade dura para sempre” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 51
    • b) – AS PRELIMINARES DO UNIVERSO: TOHÚ BOHÚ Verso 2: “A terra (Éretz) era sem forma (tohú –‫ו‬ trevas (Afelá) sobre a face do abismo...” ‫ )ת ה‬e vazia (bohú-‫ ;)ב ה ו‬e havia Shamyaim Céus (ajuntamento de águas) Céus Terra Céus Céus Imagine um universo envolto em um infinito de águas. A terra estava no meio dessas águas do Shamayim (Céus), apenas águas e isto sem a claridade do sol, da lua ou das estrelas. “...E o Espírito (Ruach = sopro/vento) de Elohim se movia sobre a face das águas (Mayim)” Ruach Elohim = Sopro Divino Ruach Espírito Terra Terra Céus Shamaim Shamayim Céus/ Ajuntamento de águas Quantas pessoas ainda no cristianismo (religião advinda de Roma), tendo a mente moldada pela filosofia grega, ao ler esta passagem imaginam um “deus” (a terceira pessoa da trindade) voando como que tirando tinta das águas dos nossos oceanos que, por sinal, ainda não tinham se formados. É claro que uma grande demanda de pessoas tem ou tinha este pensamento superficial e sem nenhuma base. Deste grupo também não escapo eu. Mas agora com uma mente mais adulta, mais judaica, desassociada do romanismo e com respaldo nas Escrituras hebraicas, entendo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 52
    • que de fato a Ruach (Espírito/Sopro) de Elohim o Criador, que não tem uma forma física (até mesmo o gráfico sai do contexto, pois acabei por dá uma forma representativa a Ruach) ser tomado como um ser físico ou até mesmo invisível pairando sob este oceano que conhecemos. Tehilin (Salmos) 18:11: “Fez das trevas o seu retiro secreto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas” Tehilin (Salmos) 29:3 “A voz do Eterno ouve-se sobre as águas; o Elohim da Kevod troveja; o Eterno está sobre as muitas águas” Verso 3: “Vayó’mer Elohim Yhieh ór (E disse Elohim: haja luz. E houve luz)”. Sha’maim Céus Ruach Espírito Terra Céus Sha’maim Nota: Esta luz não pode ser a luz do sol, da lua ou das estrelas, pois estes elementos só aparecem a partir do quarto dia da criação no verso 11. Esta luz veio do próprio esplendor do Ha’Shem, o Eterno Criador. Compare com Guiliana (AP) 22:5: “E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz do sol, porque o Eterno Elohim os alumiará; e reinarão pelos séculos dos séculos”. Verso 5: “E Elohim chamou à luz dia (Yom) , e às trevas (Afelá) noite (Laila). E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro”. Nota: Também este dia primeiro não pode ser computado como um dia de vinte e quatro horas, uma vez que não haviam sido criados o sol, a lua ou as estrelas, já que são os astros responsáveis pelo tempo cronológico que temos. Ou seja, um tempo capaz de ser somado. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 53
    • Verso 6: “E disse Elohim: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas” Águas do Shamayim Expansão Terra Expansão Águas do Shamayim Versos 7,8: “Fez, pois, Elohim o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi. Chamou Elohim ao firmamento céus. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo”. Nota: Esta EXPANSÃO ou FIRMAMENTO, diferentemente do que afirmam muitos teólogos, não é uma simples camada de ozônio, pelo fato de Elohim tê-lo chamado Céus! A EXPANSÃO ou FIRMAMENTO, é simplesmente uma mega bolha que chamamos de universo com milhares de galáxias onde não possui as águas do shamayim que estão muito além da capacidade humana. Aquilo que os cientistas e os astrólogos estudam e que não conseguem penetrar nem mesmo na primeira camada; é tão somente uma bolhinha criada pelo nosso Eterno e Pai Elohim. NOTE O QUE AFIRMA JÓ: Jó10:26: “Marcou um limite circular sobre a superfície das águas, onde a luz e as trevas se confinam”. Nota: Como poderia Jó ter feito tal alegação, se até pouco tempo se acreditava que a terra era quadrada? Tehilin (SL) 104:3 “És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada” No tocante a camada de ozônio, camada esta que permite a vida no nosso planeta. O Eterno a fez com uma proporção incrível; Imagine uma maçã e a casa que a protege. Bom, com a mesma proporção da casca de uma maçã, a terra tem “sua casca”, a camada de ozônio. A camada de ozônio circunda toda a Terra ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 54
    • Versos 9,10: “E disse Elohim: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu (Expansão), e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Elohim ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Elohim que isso era bom”. Nota: Pela primeira vez aparecem as porções de terra seca sobre nosso planeta. Estas porções dividem os mares e formam os continentes que temos. Somente agora podemos retratar Mayim (águas) como Mar (Ian). Obs: Não confundir com as águas dos Shamaym que a Ruach Elohim se movia! Versos 11,12: “E disse Elohím: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie [Leminóh], cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Elohím que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro” Nota: Aqui temos a Lei da Similaridade e a Lei da Geratividade: a) - Lei da Geratividade: A palavra direcionada a algo gerando algo; b) - Lei da Similaridade: O produto gerado não vive sem o que o gerou! No versículo onze, percebemos o princípio da Lei da Geratividade, quando Elohim direciona sua palavra/ordem para a terra e esta prontamente o obedece. Elohim não gera de si erva verde, Ele outorga a terra essa responsabilidade que é produzir erva verde que dê semente. . “E disse Elohim : Produza a terra relva, ervas que dêem semente... A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies” Também podemos aplicar a segunda Lei, que é o da similaridade (O produto gerado não vive sem o que o gerou). Como a erva originou-se da terra, logo a mesma possui a mesma genética e, por conseguinte, não vive sem ela. Verso13 “E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro”. Verso14: “E disse Elohim: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite...” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 55
    • Águas do Shamayim Expansão Terra Shamayim Nota: A grande bolha que chamamos de firmamento ou expansão, ganha suas galáxias e seus astros brilhantes para garantirem uma auto-iluminação. A luz dos versos anteriores provinha da própria imanência de ‫ הוהי‬Elohim. “Sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos; e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi” Nota: Somente a partir do quarto dia da criação é que temos um sistema cronológico para contarmos o tempo. Isto sugere que os três dias antecedentes, não são dias literais uma vez que o “relógio do universo” (os astros), não havia sido criado. Estes “três dias” podem ter sido grandes espaços de tempos. Talvez isto ajude a explicar a discrepância entre o tempo do nosso planeta (que realmente pode ter milhares de anos) com o tempo dos seres viventes na face da terra (Apenas cinco mil setecentos e setenta e um anos. Isto em dois mil e dez segundo o calendário judaico). Ao aludirem as Escrituras uma criação em seis dias, isto é, em 144 horas, reporta-nos para o simbolismo deste número: 12 X 12 = 144. Ye’shua o Messias andou com os doze apóstolos que representavam (multiplicavam-se) em as doze tribos. Não esqueçamonos dos 144.000 selados pelo Eterno em Apocalipse 7:4, assim como os 144 côvados da cidade santa (AP 21:17). No entanto, sabemos que os três primeiros dias da criação podem ter milhares ou milhões de anos a depender do prisma que se olha. A TEORIA DA RELATIVIDADE NA CRIAÇÃO O estudo da relatividade, desenvolvido pelo judeu-alemão Albert Einstein, mostrou ao mundo que o tempo e o espaço não são absolutos, mas relativos. Um exemplo é que se uma pessoa X estiver a olhar outra pessoa Y de fora de um trem em alta velocidade, neste caso a pessoa X estará parado observando alguém (Y) em movimento passar. Mas para este alguém (Y) dentro do trem, a noção do tempo e espaço é diferente, pois a pessoa (Y) estará em movimento observando outro (no caso a pessoa X) parado passar. São sensibilidades diferentes para o mesmo acontecimento. Como o mocinho que anseia por beijar a mocinha, duas horas passam tão ligeiro quanto dois minutos. Mas para a mocinha que não quer beijar o mocinho, dois minutos duram tanto como duas longas horas. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 56
    • Outro exemplo dado pelo próprio Einstein em seu discurso sobre a relatividade quando deu dois socos seguidos em uma mesa, sem que sua mão desviasse a trajetória. Depois do susto, os espectadores (dentre estes alunos e críticos) ouviram Einstein perguntar-lhes se teria batido no mesmo lugar. Todos responderam que sim, pois testemunharam o acontecido. Porém a resposta do cientista judeu foi enfática: É relativo! Para vocês que estão comigo nesta sala a impressão é que realmente bati com a mão no mesmo lugar, ou seja, na mesa. No entanto, não se esqueçam da rotação do nosso planeta. De um soco para o outro ouve um deslocamento da terra e se comparado com os outros planetas, sem dúvidas ouve uma mudança de direção de um soco para o outro devido à rotação terra. Assim também, o que para o Eterno Elohim (sem começo e sem fim), pode ter durado seis dias, para você pode ter durado milhares de anos. Pois a sensibilidade dos acontecimentos não é a mesma para ambos. Versos 16-18: “Elohim, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas. E Elohim os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra, para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Elohim que isso era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto”. A lua para clarear a terra de noite E o sol para clarear a terra ao dia Nota: Enxergamos no versículo 16 o grande propósito de o sol e a lua existirem; Iluminar a terra e, isto implica que foram criados para nos servirem. A adoração à lua e, principalmente a adoração ao sol, são as duas maiores e piores idolatrias em que a humanidade sempre adotou. O cristianismo romano é a maior adepta da adoração ao sol (Mitra). Versos 20,21: “E disse Elohim: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu. Criou, pois, Elohim os monstros marinhos, e todos os seres viventes que se arrastavam, os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies” Nota: Novamente, as duas Leis foram aplicadas por Elohim. Tanto a Lei da similaridade quanto da geratividadede. Elohim não cria propriamente os peixes e os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 57
    • seres marinhos, mas ordena que seja de total responsabilidade das águas aparecerem com seus habitantes marinhos: “E disse Elohim: Produzam as águas cardumes de seres viventes... os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies” Como foram propriamente as águas, segundo a ordem de Elohim, que criaram suas espécies, evidentemente que estes também possuam suas características e não vivam sem as mesmas (essa é a lei da similaridade). Versos 24 “E disse Elohim: Produza a terra (Lei da geratividade) seres viventes segundo as suas espécies (Lei da similaridade): animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi. “Então Elohim os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos (Lei individual da multiplicação), e enchei as águas dos mares; e multipliquem-se as aves sobre a terra. E foi a tarde e a manhã, o dia quinto” Nota: Quando ouvimos falar da antiga TORRE DE BAVEL ou da presente NOVA ORDEM MUNDIAL, deparamo-nos com dois princípios divinos sendo quebrados: 1º) O desejo de Elohim para a terra é que esta esteja povoada e o plano de Samael (Satã) é a idéia de uma terra centralizada para um monopólio global (Torre de Bavel); 2º) O desejo do Eterno para as espécies terrestres é: “Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra”, o desejo de Ha’Satan é a de uma despopulação em massa chamada Nova Ordem Mundial já em andamento em ritmo demasiadamente acelerado. Verso 26,27: “E disse Elohím: Façamos o homem à nossa imagem (Na’aséh adam betsalménu), conforme a nossa semelhança; e domine (Lei da superioridade humana) sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Elohím o homem à sua imagem; à imagem de Elohím o criou; homem e mulher os criou” Nota: Temos no verso 26 uma passagem diferenciada, Elohim diferentemente das passagens antecedentes, super valoriza o homem prestando-lhe mais cuidados. Elohim pessoalmente age na formação da raça humana. Apesar de o homem vir da terra (Adamá), o Criador não ordena a mesma que tire de si o homem, mas o faz sua imagem e semelhança. Verso28: “E Elohím os abençoou, e Elohím lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se arrasta (Haroméseth) sobre a terra. Nota: O versículo 28 é importante em vários aspectos: 1º fomos abençoados e as bênçãos de Elohim são irrevogáveis. Não importa o que o inimigo diz; você é uma bênção! 2º Temos a Mitsvá (Mandamento) para Frutificarmos e multiplicarmos e enchermos a Terra. Então a superpopulação não é uma preocupação de Elohim, e sim dos homens. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 58
    • Também essa informação é mentirosa, uma vez que toda a população mundial, suprida de uma casa com um belo jardim para plantar e regrar caberia dentro do território da Austrália. A mentira da superpopulação vem para justificar o extermínio global de 90% da raça humana que deverá ocorrer muito em breve. “E criou Elohím o homem à sua imagem; à imagem de Elohim o criou; macho e fêmea os criou” Nota: Embora Hava (Eva) não tenha nascido nos seis dias da criação. E, consequentemente não tenha podido guardar o primeiro shabat (sábado) da história. Neste texto Elohim deixa explícito que quando criara o Homem, macho e fêmea os fez. Isto implica que mesmo Eva não estando presente no sexto dia de criação; seu projeto já estava bem definido nos planos de Elohim. Outro fator é a questão “Macho e fêmea”; satanás diria “macho, fêmea e afeminados”. Conclusão: Voltando a lei da similaridade (o produto gerado não vive sem o que gerou). Assim como a planta não vive sem a terra, também os cardumes não vivem sem as águas. O homem também não vive sem a Ruach Elohim (fôlego de vida) que procede do Pai. Yohanam (João) 5:26: “Pois assim como o Pai tem vida (Ruach Chaiym) em si mesmo, assim também deu ao Filho ter vida (Ruach Chaiym) em si mesmos” Para meditar: “Quando um sábio deixa de aprender é porque deixou de ser sábio” Rosh Mosheh Ben Shalom! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 59
    • O SELO E O PÁCTO DOS ANJOS Fonte: Extraído do Sefer Hanor – Livro de Enoque (Hanor deve ser lido Ranor) 1 - A INSPIRAÇÃO DO SEFER HANOR O Sefer Hanor (Livro de Enoque) era considerado pelos nazarenos antigos como um livro inspirado de profecia escrito pelo próprio Hanor (Enoque). A Bíblia, no livro de Judas cita o sefer Hanor (livro de Enoque): "Para estes também profetizou Hanor, o sétimo depois de Adam, dizendo: Eis que veio YHWH Yáhuh com os seus milhares de santos, para executar juízo sobre todos e convencer a todos os ímpios de todas as obras de impiedade, que impiamente cometeram, e de todas as duras palavras que ímpios pecadores contra ele proferiram” Judas 1:14-15 2 - O USO DO SEFER HANOR Na realidade, os nazarenos antigos tratavam o Sefer Hanor e o utilizavam lado a lado com os livros que conhecemos hoje como canônicos. Isto é evidenciado pelo fato de que Yehudá (Judas) cita Hanor. R.H. Charles lista 128 lugares onde os "Escritos Nazarenos", comumente conhecidos hoje como o "Novo Testamento" são claramente influenciados pelas afirmações no Sefer Hanor. O Sefer Hanor era usado dentro do Judaísmo até pelo menos o segundo século DC. Sete fragmentos de cópias do aramaico foram encontradas entre os Manuscritos do Mar Morto em Qum’ram. O Zohar, principal fonte da Kabal| Judaica, também cita o Sefer Hanor pelo nome (vide Zohar 1:37b) e faz muito uso da narrativa dos anjos caídos Shemirrazá (a quem o Zohar chama de Uzael e Azazel). Até mesmo o cristianismo primitivo aceitava e usava o Sefer Hanor. Muitos dos chamados "pais da igreja" ou citavam Hanor, ou usavam o mesmo. Dentre estes estava o autor da Epístola de Pseudo Barnabás, Justino Mártir (século 2 DC), Irineu (século 2 DC), e Orígenes (século 3 DC). Tertuliano (160-230 DC) até chamou o livro de "Sagrada Escritura". O livro foi inclusive canonizado pela Igreja da Etiópia. 3 - A PERDA DO SEFER HANOR No quarto século, o Sefer Hanor foi alvo de chumbo grosso por tais "pais da igreja" (católica), tais como Agostinho, Hilário e Jerônimo. O Sefer Hanor foi logo banido, salvo na remota Igreja da Etiópia, que o havia canonizado. O manuscrito hebraico original se perdeu completamente no tempo e ainda está por ser descoberto. As versões em aramaico e grego também desapareceram ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 60
    • (embora porções das mesmas já tenham sido descobertas). O texto completo sobreviveu apenas na Etiópia. 4 - A RESTAURAÇÃO DO SEFER HANOR O Sefer Hanor prediz a sua própria restauração nos últimos dias! "Mas quando eles escreverem verdadeiramente todas as minhas palavras nas línguas deles, e não mudarem nem diminuírem nada de minhas palavras, mas escreverem-nas verdadeiramente - tudo o que eu primeiro testifiquei sobre elas. Então, eu conheço outro mistério, que LIVROS SERÃO DADOS AOS JUSTOS PARA A RETIDÃO e aos sábios para se tornarem uma causa de alegria e retidão e muita sabedoria. E A ELES TODOS OS LIVROS SERÃO DADOS, E ELES CRERÃO NELES E SE ALEGRARÃO ACERCA DELES, e então todo o justo que houver aprendido, portanto todos os caminhos de retidão serão recompensados." (1 Hanor 104:10-13) 6 - A MENSAGEM DO SEFER HANOR E A APOSTASIA Ye’shua (O Messias) nos alertou que os últimos dias seriam como os dias de Noach (Noé) Mt. 24:37-38, e este é um tema importantíssimo no Sefer Hanor. Hanor alerta da vinda do juízo do dilúvio, e traça paralelos com o Juízo Final dos últimos dias. O Sefer Hanor até mesmo profetiza que nos últimos dias “mulheres ficar~o gr|vidas e abortar~o os seus bebês e os expulsar~o do meio delas” 1 Hanor 99:5. O Sefer Hanor fala de como 200 anjos caídos liderados por Shemirrazá e Azazel “viram e desejaram” fêmeas humanas e copularam com elas, produzindo uma raça de “nefilim” (gigantes - vide 1 Hanor 6) e ensinaram à humanidade segredos tais como magia, a confecção de armas (1 Hanor 7-8) e como fazer um aborto (1 Hanor 69:12). O juízo de YHWH finalmente chega. Shemirraz| e “todos os seus associados” s~o mantidos cativos “por setenta gerações” até “o juízo que é permanente ser consumado” (1 Hanor 9:11-12). 6 - CONCLUSÃO A longa noite de apostasia está chegando ao fim. E, tal qual profetizado, o Sefer Hanor está novamente sendo trazido à luz para que ele possa ser um motivo de alegria e retidão e muita sabedoria para aqueles que observarem a Torá nos últimos dias. A consumação de todas as coisas está próxima. A concepção sobre anjos segundo o Zohah: São criados por Elohim, que se subdividem em 10 grupos (ou hierarquias, para usar seus termos. Ou seja, os 72 anjos estão ligados com os 72 adjetivos do Eterno). Estes anjos são eternos. Maimônides escreve sobre este assunto, dando o ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 61
    • nome de cada grupo. Os anjos são os "ministros" do Rei, (como os chamamos na canção de sexta-feira à noite na entrada do Shabat (Sábado - anjos ministrantes). Os anjos têm cada um sua missão particular e, de fato, o nome anjo em hebraico (mal'ach) significa mensageiro. Por exemplo, existem os anjos protetores de cada povo, cuja missão é defender seu povo contra quaisquer acusações no Tribunal Celestial, etc. Existem anjos encarregados sobre cada parte da Natureza, como sobre a Terra, o Mar e o Deserto. E outras categorias. Elohim criou estes anjos com inteligência superior e eles reconhecem que são apenas mensageiros, sem poderes autônomos. Cada um conhece seu lugar e não se "empurra" para ocupar um "espaço" melhor ou mais elevado. Estes anjos podem ser tanto anjos "bons" como "ruins", pois na verdade bom ou mal está na concepção humana - os anjos em si apenas obedecem as ordens que lhes são delegadas - às vezes para trazer uma recompensa e outras para uma conseqüência. Os anjos copularam com as mulheres Sefer Hanor - Capítulo 7:1-6 “1 E sucedeu que, quando os filhos dos homens haviam se multiplicado, naqueles dias lhes nasceram filhas belas e graciosas. E os anjos, os filhos do céu, as viram e cobiçaram, e disseram uns aos outros: Vinde, escolhamos esposas para nós dentre os filhos dos homens e geremos filhos. E Shemirrazá, que era o líder deles, disse a eles: Temo que vós não concordeis de fato em fazer tal coisa, e que eu sozinho tenha que pagar a punição de um grande pecado. E todos eles responderam a ele e disseram: Nós faremos um juramente, e nos obrigaremos por maldições para não abandonarmos este plano, mas para fazermos tal coisa. Então eles fizeram juramento juntos e se obrigaram por maldições sobre ele. E eles eram ao todo DUZENTOS, e desceram nos dias de Yared (Jarede) ao cume do monte Hermon (maldição), e eles o chamaram de monte Hermon, porque haviam jurado e se obrigado por maldições sobre ele.” O MONTE HERMOM, ONDE AS SENTILELAS SE AMARRARAM COM JURAMENTOS DE MALDIÇÕES ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 62
    • SHEMIRRAZÁ E SEUS ANJOS CAÍDOS Sefer Hanor Capítulo 69: 1,2: “E depois desse juízo eles os aterrorizar~o e os far~o tremer, porque revelaram isso àqueles que habitam sobre a Eretz (Terra). 2 E eis os nomes daqueles anjos, e estes são os seus nomes: O primeiro deles é SHEMIRRAZÁ, o segundo AR’TEKIF, o terceiro RAMT’EL, o quarto KOKAV’EL, o quinto TAMI’EL, o sexto RAM’El, o sétimo DANI’EL, o oitavo ZIKI’EL, o nono BARAK’EL, o décimo AZAZ’EL, o décimo primeiro HERMONI, o décimo segundo MATR’EL, o décimo terceiro ANAN’EL, o décimo quarto SITWA’EL, o décimo quinto SHIMSH’EL, o décimo sexto SAHR’EL, o décimo sétimo TAM’EL, o décimo oitavo TUR’EL, o décimo nono YAMI’EL, o vigésimo ZOHARI’EL.” Hierarquia angelical superior dos duzentos anjos caídos: O Líder SHEMIRRAZÁ e os chefes das centenas e cinquentenas 1º SHEMIRRAZÁ (o Líder) - ensinou aos homens encantamentos (magias), e o cortar raízes (Cap 8:3); 2º AR’TEKIF (vice- Líder) - ensinou o desfazer magias e os sinais da Terra (Cap 8:3); 3º RAMT’EL 4º KOKAV’EL - ensinou as constelações das estrelas (Cap 8:3); 5º TAMI’EL - Seu nome significa “Ensinado de Elohim” 6º RAM’El, 7º DANI’EL - Seu nome significa “Juízo de Elohim” 8º ZIKI’EL - ensinou os sinais de luz (Cap 8:3); 9º BARAK’EL – Seu nome é “Bendito de Elohim” - ensinou os sinais de trovões (Cap 8:3); 10º AZAZ’EL - ensinou aos homens a fazerem espadas de ferro, e facas, e escudos, e peitorais de bronze, e os fez conhecerem os metais que são escavados da terra, e a arte de trabalhar o ouro, e o conhecimento da prata, e braceletes, e ornamentos, e o conhecimento do antimônio, e a fabricação de espelhos, e o embelezamento das sobrancelhas, e de todo tipo de pedras preciosas, e todas as tinturas coloridas para que o mundo fosse alterado (Cap 8:1); 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º HERMON (hoje sinônimo de maldição) MATR’EL ANAN’EL SITVA’EL SHIMSH’EL- ensinou os sinais do sol (Cap 8:3); SAHR’EL – (Príncipe de Elohim) - ensinou os sinais da lua (Cap 8:3); TAM’EL ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 63
    • 18º 19º 20º 21º TUR’EL YAMI’EL ZOHARI’EL AZAZYEL zohar - claridade, fulgor “Fulgor de Elohim” Hierarquia inferior dos duzentos anjos caídos: Os prefeitos das dezenas Hanor 7:9 1º SAMIAZA (O LÍDER) – ensinou sortilégios. Deitou-se com as mulheres e as revelou sinais. (Cap 7:9;9:6) 2º URAKABARAME’EL 3º AKIBE’EL 4º TAMI’EL Tummiym’el “Perfeição de Elohim” 5º RAMU’EL Chammuw’el Hamuel = “ Elohim aquece” 6º DAN’EL “Juízo de Elohim” 7º AZKE’EL 8º SARAKNYAL 9º ASA’EL aza (aramaico) calor - “Calor de El” 10º ARMERS 11º BATRAAL 12º ANANE “Presenteado” 13º ZAVEBE 14º SANSAVE’EL 15° ERTA’EL 16º TUR’EL Tuwr’el “Diadema de Elohim” 17º YOMIA’EL 18º AZARI’AL Asar’el Asareel = “Elohim mantém” ESTES GERARAM ATRAVÉS DAS MULHERES TRÊS RAÇAS PERVERTIDAS: Hanor 7:11, veja também o Livro dos Jubileus 1º Os Elioud 2º Os Nefhilim (“derrubadores”) conhecido dentre os filhos de Israel como ANAQUIM Mataram os Elioud) 3º Os grandes gigantes (estes matavam os Nefhilim) A GUERRA DOS GIGANTES Sefer Hanor 8:2-54: “E elas engravidaram, e geraram grandes gigantes, cuja altura era de três mil cúbitos, e não havia nascido na Terra filhos de força equiparável à deles. E eles ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 64
    • devoravam tudo o que os homens produziam. E quando os homens não mais conseguiram lhes prover, os gigantes se voltaram contra eles e devoraram a humanidade. E eles começaram a pecar contra aves, e feras, e répteis, e peixes, e a devorar a carne um do outro, e a beber o sangue” OS NEFHILIM NA TORÁ (PENTATEUCO) GÊNESIS 6:1-4: “Sucedeu que, quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Elohim (as sentinelas/guardiões) que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.... Naqueles dias estavam os NEFILINS (derrubadores) na terra, e também depois, quando os filhos de Elohim conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses NEFILINS eram os valentes, os homens de renome, que houve na antigüidade” GÊNESIS 6:1-4: Números 13:33 “Também vimos ali os NEFILINS, isto é, os filhos de ANAQUE ( Anak – “SER ESTREITO”. Talves pelo seu comprimento), que são descendentes dos NEFILINS; éramos aos nossos olhos como gafanhotos” Deuteronômio 9:2: “Um povo grande e alto, filhos dos ANAQUINS (Estreitos), que tu conhecestes, e dos quais tens ouvido dizer: Quem poderá resistir aos filhos de Anaque?” AZAZEL O PAI DO PECADO Sefer Hanor Capítulo 10:8 “E toda a Terra se corrompeu através das obras que foram ensinadas por Azazel: a ele atribui todos os pecados." Nota: Realmente este príncipe dos anjos caídos é mencionado em Vaikrá (Levítico) 16:8: “E Ar~o lançar| sortes sobre os dois bodes: uma pelo Senhor (para perd~o), e a outra por Azazel (juízo)... Mas o bode sobre que cair a sorte para Azazel será posto vivo perante o Senhor, para fazer expiação com ele a fim de enviá-lo ao deserto para Azazel...” Nota: Dois bodes eram necessários para os serviços de purificação. Um dos bodes era para o Eterno e este deveria morrer em lugar do pecador arrependido. Simboliza Ye’shua o Cordeiro (bode) sacrificado inocentemente em nosso lugar. Porém o outro bode, o bode para Azazel não era sacrificado, este bode recebia a culpa dos pecados dos filhos de Israel, pela a imposição das mãos do sacerdote que imediatamente era levado ao deserto e lá deixado para morrer. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 65
    • Simbolicamente os pecados do filho de Israel eram levados para sempre sobre a cabeça do bode de Azazel. A tradição judaica nos dá uma luz maravilhosa concernente ao assunto. Segundo a tradição o bode para Azazel era levado ao deserto e lá lançado precipício abaixo. Sobretudo não é difícil entendermos este costume se compararmos com o Sefer Hanor: “Amarrou as m~os e os pés de Azaz'el, e lançou na escuridão. E faz uma abertura no deserto, o qual é em Dudael, e lançou l| dentro”. “E toda a Terra se corrompeu através das obras que foram ensinadas por Azazel: a ele atribui todos os pecados." Capítulo 10:8 AS SENTINELAS NÃO OBTERÃO SHALOM (PAZ) “E Ele me disse: “Hanor, tu que és escriba da justiça, vai, e declara {s Sentinelas do céu que deixaram o alto céu, o separado lugar eterno, e se profanaram com mulheres, e fizeram conforme os filhos da Terra, e tomaram para eles mulheres: Vós operastes grande destruição na Terra e vós não tereis shalom (paz/repouso) ou perd~o do pecado.” Sefer Hanor 13:4,5 Ye’shua confirma o sefer Hanor - Matitiahu (Mt) 12:43: “Ora, havendo o espírito imundo saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso (Shalom/descanso), e n~o o encontra” AS SENTINELAS NÃO OBTERÃO PERDÃO E ESTÃO JULGADOS Sefer Hanor 15:4: “Eu Hanor escrevi a vossa petiç~o (arrependimento das sentinelas), e em minha visão pareceu-me que vossa petição não será concedida a vós por todos os dias da eternidade, e que o juízo foi finalmente proferido sobre vós; e um decreto contra vós” Ye’shua confirma – Yohanam (Jo) 16:11: “Porque o príncipe deste mundo j| est| julgado” Sefer Hanor Capítulo 60:13: “E Ele convocará todas as hostes celestiais, e todos os santos acima e a hoste, de Elohim: Os k’ruvim (Querubins), serafim, ofanim, e todos os anjos de poder, e todos os anjos dos principados, e o Escolhido” “E ent~o Mika'el (Miguel), Rafa’el, Arsailaliur (Uri'el), e Gavri'el (Gabriel) olharam para baixo, desde o Santuário Celestial, e viram o quanto de sangue era derramado sobre a Eretz (Terra), e toda Eretz estava coberta de transgressão da Torá (Lei)... 4 E Rafa'el e Micha'el disseram ao Adon HaOlam: “Nosso Grande Senhor, Tu és Senhor do Universo, Nosso Senhor dos Senhores, Nosso Elohim, Rei dos Reis, e Elohim do Universo, o trono da Tua majestade permanece por todas as gerações dos séculos, e ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 66
    • o Teu Nome sagrado e majestoso e bendito por todos os séculos.... 6 Tu vistes o que Azaz'el tem feito, e como ele ensinou toda iniqüidade na Terra e revelou os segredos eternos que estão no céu, os quais os homens estavam praticando. 7 E Shemirrazá, a quem Tu concedeste autoridade para reinar sobre seus companheiros. 8 E eles foram até as filhas dos homens sobre a Eretz, e dormiram com as mulheres, e se profanaram, e revelaram a eles toda sorte de pecados. 9 E as mulheres conceberam gigantes, e toda a Terra está, portanto repleta de sangue e iniqüidade” ELOHIM ENVIA SEUS ARCANJOS Sefer Hanor capítulo 10:1-6 “Ent~o disse o El Elyon (Elohim altíssimo), o Grande e Sagrado falou, e enviou Arsailaliur (Uri'el) ao filho de Lamech e disse a ele: "Vai até Noach (Noé) e diz a ele em Meu Nome: “Esconda-te” e revela a ele que o fim se aproxima; que toda Terra será destruída, e um dilúvio está por vir sobre toda a Terra e destruirá tudo o que nela está.... 4 E novamente ‫ י ה ו ה‬YÁHUH disse a Rafa'el: "Amarra as mãos e os pés de Azaz'el, e lança na escuridão. E faz uma abertura no deserto, o qual é em Dudael, e lança-o lá dentro. 5 E coloca sobre ele rochas duras e espinhosas, e cobreo com escuridão, e que ele lá habite para sempre, e cobre a sua face para que não veja a luz. 6 E no dia do grande juízo ele ser| lançado no fogo” PRESOS POR SETENTA GERAÇÕES: Sefer Hanor Capítulo 10:1:12 “E ‫ הוהי‬YÁHUH disse a Mika'el: Vai, e informa a Shemirrazá e a seus companheiros que se uniram às mulheres de modo a se profanarem com elas em toda a sua imundícia. E quando os filhos deles morrerem, e eles tiverem visto a destruição dos seus amados, amarra-os firmemente por setenta gerações nos vales da Eretz (Terra), até o grande dia do juízo e da consumação deles, até o juízo que é permanente for consumado” Agora, se contarmos as gerações de Hanor até Ye’shua (o Mashiach Salvador), descobriremos que houve exatamente setenta gerações: Lucas 3:23-27: “Ora, YE’SHUA (70), ao começar o seu ministério, tinha cerca de trinta anos; sendo (como se cuidava) filho de José (69), filho de Eli (68); Eli de Matate (67), Matate de Levi (66), Levi de Melqui (65), Melqui de Janai (64), Janai de José (63), José de Matatias, (62) Matatias de Amós (61), Amós de Naum (60), Naum de Esli (59), Esli de Nagai (58), Nagai de Maate (57), Maate de Matatias (56), Matatias de Semei (55), Semei de Joseque (54), Joseque de Jodá (53), Jodá de Joanã (52), Joanã de Resa (51), Resa de Zorobabel (50), Zorobabel de Salatiel (49), Salatiel de Neri (48), Neri de Melqui (47), Melqui de Adi (46), Adi de Cosão (45), Cosão de ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 67
    • Elmodã (44), Elmodão de Er (43), Er de Josué (42), Josué de Eliézer (41), Eliézer de Jorim (40), Jorim de Matate (39), Matate de Levi (38), Levi de Simeão (37), Simeão de Judá (36), Judá de José (35), José de Jonã (34), Jonã de Eliaquim (33), Eliaquim de Meleá (32), Meleá de Mená (31), Mená de Matatá (30), Matatá de Natã (29) Natã de Davi (28), Davi de Jessé (27), Jessé de Obede (26), Obede de Boaz (25), Boaz de Salá (24), Salá de Nasom (23), Nasom de Aminadabe (21), Aminadabe de Admim (20), Admim de Arni (19), Arni de Esrom (18), Esrom de Farés (17), Farés de Judá (16), Judá de Jacó (15), Jacó de Isaque (14), Isaque de Abraão (14), Abraão de Tará (13), Tará de Naor (12), Naor de Seruque (11), Seruque de Ragaú (10), Ragaú de Faleque (9), Faleque de Eber (8), Eber de Salá (7), Salá de Cainã (6), Cainã de Arfaxade (5), Arfaxade de Sem (4), Sem de Noé (3), Noé de Lameque (2), Lameque de Matusalém (1), Matusalém de ENOQUE (0), Enoque de Jarede, Jarede de Maleleel, Maleleel de Cainã, Cainã de Enos, Enos de Sete, Sete de Adão, e Adão do Eterno Elohim” Portanto as setenta gerações que terminaram em Ye’shua teriam acabadas exatamente na destruição da cidade de Yerushalaim (Jerusalém) no ano setenta depois de Ye’shua, j| que segundo a bíblia uma geraç~o é de setenta anos, Salmos 90:10: “A duraç~o da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e enfado” Acerca de sua geraç~o Ye’shua profetizou: “Em verdade vos digo que n~o passará esta GERAÇÃO sem que todas essas coisas se cumpram” Matittiahu (Mt)24:34 Matittiahu (Mt)12:39,41: “Mas ele lhes respondeu: Uma GERAÇÃO m| e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Jonas... Os ninivitas se levantarão no juízo com esta GERAÇÃO, e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui quem é maior do que Jonas” Lucas 12:50,51: “Para que a esta GERAÇÃO se peçam contas do sangue de todos os profetas que, desde a fundação do mundo, foi derramado; desde o sangue de Abel, até o sangue de Zacariahu, que foi morto entre o altar e o santuário; sim, eu vos digo, a esta GERAÇÃO se pedir~o contas” Kefah (Pedro) cheio da Ruach haKódesh (Espírito Santo) também profetizou: “E com muitas outras palavras dava testemunho, e os exortava, dizendo: salvai-vos desta GERAÇÃO perversa” O que aconteceu na geraç~o posterior a de Ye’shua em que os anjos caídos seriam soltos após setenta gerações? Isto nos leva ao comentário interessante feito por um autor nazareno, Hegésipo, por volta de 185 DC, onde ele relata o princípio da apostasia: "Até aquele período, a Kehilá (congregação) havia permanecido como uma virgem pura e incorrompida. Pois, se havia quaisquer pessoas que estivessem dispostas a ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 68
    • adulterar a regra plena da proclamação da salvação, eles ainda habitavam em um lugar sombrio de confinamento ou outro. Mas, quando o grupo sagrado dos Emissários havia de diversas formas encerrados suas vidas, e aquela geração de homens a quem havia sido confiado ouvir a Sabedoria divina haviam falecido; então a confederação do erro afastado do Eterno cresceu através da traição dos falsos mestres que, vendo que nenhum dos emissários havia sobrevivido, tentaram largamente com a cabeça exposta e erguida se oporem à proclamação da verdade, proclamando um falso e suposto conhecimento” (Hegésipo, Memórias) A geração que sucedeu à de Ye’shua e de seus emissários coincide justamente com a geração na qual Shemirrazá e seus associados seriam libertados. E esta foi justamente a geração em que falsos mestres começaram, com as cabeças expostas e erguidas, a se oporem à proclamação da verdade: a exata geração na qual a apostasia teve início. OS DISCÍPULOS CITAVAM O SEFER HANOR VEJA COMO O APÓSTOLO KEFÁ (PEDRO) CITA ESTA PASSAGEM DE HANOR: “Porque se Elohim n~o poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no Sheol, e os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo” II Kefá (Pd) 2:4 Sha’ul (Paulo) I CO 6:3: “N~o sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?” Sha’ul (Paulo) I CO 11:10: “Portanto, a mulher deve trazer sobre a cabeça um sinal de submiss~o, por causa dos anjos” Nota: Este texto diz claramente para as mulheres (casadas) usarem seus véus, pois estes são sinal de que as mesmas são comprometidas e pertencem a seus maridos “Senhores”. O interessante é a express~o: “Por causa dos anjos”. Claramente fazendo referencia aos anjos caídos? O Apóstolo Yehudá (Judas) 1:6,7: “Aos anjos que n~o guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia, assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno” Nota: Temos aqui uma confirmaç~o do Apóstolo de Ye’shua nosso Salvador, que os “anjos que n~o guardaram seu principado” foram comparados com Sodoma e Gomorra que “havendo se prostituído como aqueles anjos e ido após outra carne foram postos por exemplo” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 69
    • 1º Os anjos deixaram seus principados e foram após outra carne. Ou seja, tiveram relações com as terrestres que são de outra natureza e contra a natureza cometeram esta transgressão da Torá. Também os habitantes das cidades Sodoma Gomorra e das cidades circunvizinhas mantiveram relações homossexuais (híbridas) que é contra a natureza e transgrediram à Torá. 2º Os anjos caídos terão o mesmo fim das cidades destruídas com fogo e enxofres. São exemplos para todos que a rebelião contra Elohim não tem virtude alguma. ANJOS CAÍDOS E SUAS PRÁTICAS Sefer Hanor Capítulo 69: 3-7: “E estes s~o os chefes de seus anjos e os seus nomes, e os chefes sobre cem e sobre cinqüenta e sobre dez” Chefes de cem, cinqüenta e dez : Fonte - Sefer Hanor Capítulo 69: 3-7: 1º-YEKON (O Rebelde) – Desviou os “filhos de Elohim" chamados melahim (mensageiros/anjos) e os fez descer à Terra para cobiçarem a filhas dos homens; 2º ASBE’EL Ashb’el = “Um homem em Elohim ou Eshb’el fogo de Elohim” - Deu conselho maligno aos separados melahim (anjos), filhos de Elohim, e os desviou para que profanassem seus corpos com as filhas dos homens; 3º GADRE’EL – Ensinou aos homens os golpes de morte, a confecção de espadas e escudos com toda a sorte de instrumentos de guerra. Também Gadre’el desviou a Eva; 4º PENEMUE - Ensinou aos homens os segredos das ervas doces e amargas e seus mistérios (doutrina dos curandeiros). Também ensinou aos homens a escrita com pena e tinta para perverter suas mentes; 5º KASDEYA - Ensinou o ferir com os espíritos malignos (ritual de magia negra) e o ferir do filho no ventre, para que morresse (aborto), e o ferir da alma pelas mordidas da serpente, e o ferir que vem pelo calor do meio-dia, e o filho da serpente, chamado TABA’ET (Macho/ Forte). AS QUATRO HIERARQUIAS DO MAL 1º - Do grego Tãs Archas = “Os Principados”. Espíritos chefes da mais alta patente de Ha’Satan (Satanás, acusador/adversário); 2º - Do grego Tãs Eksusias = “Os poderes/potestades”. Espíritos de segundo escal~o de Samael (nome de Ha’Satan no hebraico); determinam e executam as operações dos Tãs Archas “Os Principados”; 3º - Do grego Tus Kosmokrátoras tu tutu Skótus = “Os Dominadores do Mundo”. Demônios operários cuidam das tragédias, crimes, motins, crises...; ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 70
    • 4º - Do grego Tã Pneumatikã Ponirías = “As Forças Espirituais do Mal”. Compõem a mais baixa hierarquia das trevas. São espíritos satânicos responsáveis por adultérios, promiscuidades, baixarias, morais.... 1º Hierarquia - O Cortador; 2º Hierarquia - O Migrador; 3º Hierarquia - O Devorador; 4º Hierarquia - O Destruidor. O JURAMENTO DE AKAE E O NOME SAGRADO Extraído Sefer Hanor Capítulo 69: 14-17: KASBE’EL - Chefe sobre o juramento que o El-Elyon revelou aos separados Melahim. E o seu nome é BEKA beqa - Irromper). Pediu ao Arcanjo Mika’el (Miguel) para que lhe revelasse O NOME e o JURAMENTO para que compreendessem, lembrassem e tremessem perante O NOME E O JURAMENTO: Sefer Hanor Capítulo 69: 14-17: “Esse (Beka) pediu a MIKA’EL (Arcanjo Miguel), o separado, que lhes revelasse O NOME SAGRADO, para que pudessem entendê-lo e recordarem, para que tremessem perante o NOME E O JURAMENTO.... E este é o poder desse juramento, pois é poderoso e forte. E ele colocou este juramento de AKAE na m~o de MIKA’El, o separado. E estes são os segredos deste juramento. E eles são fortalecidos através do seu juramento: e o céu foi suspendido antes do mundo ser criado, e para sempre. E através dele a Eretz (Terra) foi fundada sobre a água, e dos recessos secretos das montanhas vêm belas |guas, desde a criaç~o do mundo até a eternidade” Nota: Através do Nome do Filho do homem foram criados os céus e a terra. Mas este Nome não poderia ser manifestado aos homens antes do tempo determinado por Elohim. Porém as sentinelas caídas revelaram o segredo. Isto pode ter sido um dos fatores determinantes para a destruição do povo antediluviano. O NOME DO FILHO DO HOMEM FOI REVELADO (YE’SHUA) Sefer Hanor Capítulo 69: 25:-29: “E este juramento é poderoso sobre eles, e através dele s~o preservados e seu trajeto não é destruído. E houve grande alegria entre eles, e eles abençoaram e engrandeceram e exaltaram, porque O NOME DAQUELE FILHO DO HOMEM LHES FORA REVELADO. E Ele se assentou no trono de Sua majestade, e a soma do juízo foi dada o Filho do Homem, e Ele fez perecerem os pecadores e serem destruídos da face da Terra. E também todos aqueles que fizeram o mundo se desviar com correntes serão presos, e em seu lugar de ajuntamento serão aprisionados para ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 71
    • destruição, e todas as suas obras desaparecerão da face da Terra. E desde então nada haverá de corruptível, pois Aquele Filho do Homem apareceu, e se assentou no trono de Sua grandeza. E todo mal perecerá perante a Sua face, e a Palavra do Filho do Homem irá adiante e será forte perante ‫ י ה ו ה‬YÁHUH Tseva’ot (Y|huh dos exércitos)” Sefer Hanor Capítulo 69:28: “Com correntes ser~o presos (os anjos caídos), e em seu lugar de ajuntamento serão aprisionados para destruição, e todas as suas obras desaparecer~o da face da Eretz” APOCALIPSE 20: 1: “E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão (Samael), a antiga serpente, que é o Diabo e ha’Sat~ (Adversário), e o amarrou por mil anos. Lançou-o no abismo, o qual fechou e selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos se completassem. Depois disto é necessário que ele seja solto por um pouco de tempo” OS SETE GUARDIÕES (SENTINELAS) DE ELOHIM Sefer Hanor capítulo 21:1-8, 39:9 1º URI’EL, “Elohim é a minha luz” um dos separados melahim (anjos), que est| sobre o mundo e sobre o Tach’ti (terror). 2º RAFA’El, “Elohim da cura” um dos separados melahim que está sobre os espíritos dos homens. 3º RAU’EL, Reuel ou Raguel = “Amigo de Elohim” um dos separados melahim que toma vingança sobre o mundo das luminárias. 4º MIKA’EL, Miyka’el “Aquele que é semelhante a Elohim” um dos separados melahim que está sobre o conhecimento. É apontado sobre a maior parte da humanidade e sobre o lugar da desordem. Peleja por Israel. 5º SARI’EL Sar’el “Tempestade de Elohim” - um dos separados melahim, que está sobre os espíritos daqueles que pecam contra o espírito. 6º GAVRI’EL, Gabriy’el “Guerreiro de Elohim” um dos separados anjos, que está sobre o Gan Eden (Jardim do Éden) e sobre os Serafim (serafins), e sobre os K’ruvim (Querubins). 7º RUMI’EL - um dos separados melahim a quem Elohim apontou sobre os que se levantam. OS 4 MELAHIM DAS VOZES NO SHAMAIM (CÉUS) Sefer Hanor capítulo 40:9 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 72
    • 1º MIKA’EL - (Quem é semelhante à Elohim) - o misericordioso e longânimo; 2º RAFA’EL - (Elohim cura) - é apontado sobre todas as enfermidades e feridas dos filhos dos homens; 3º GAVRI’EL – (Guerreiro de Elohim) é apontado sobre tudo o que é poderoso; 4º P’NU’EL - (Face de Elohim) - é apontado sobre o arrependimento para a esperança daqueles que herdarão a vida eterna. OS NOMES DOS CONDUTORES DO TEMPO “Estes s~o os nomes daqueles que conduzem, que vigiam e entram em suas estações de acordo com suas ordenanças e seus períodos, em seus meses, no tempo de sua influencia e em suas estações. Quatro condutores deles entram primeiro(nas quatro estações), os quais separam os quatro quartos do ano. Depois destes, doze condutores de suas classes, que separam os meses e o ano em trezentos e sessenta e quatro dias, com os líderes de mil, os quais distinguem entre os dias, tanto quanto os adicionais” Hanor 81:10 Os quatros condutores das classes das estrelas Sefer Hanor 81:12 1º MELKEL 2º HELAM’MELAK – Pode vir de: 3º MELIAL 4º NAREL Helem = “derrubador”; “Derrubador do Rei” Os três que comandam os quatros condutores das classes das estrelas Sefer Hanor 81:13,14 1º ADNAREL 2º YASUSAL 3º YELUMEAL OS CONDUTORES DO TEMPO CHEFES DE MIL Sefer Hanor 81:15,16 1º MELKIAH (Iah é Rei) também chamado TAMANI E ZAHAI – este governa a primeira parte do ano; 2º BARKEL - CHEFE DE MIL; 3º ZELSABEL CHEFE DE MIL; 4º HELOIÁLEF hilluwl = “louvor” e Áleph = Um “Primeiro/Um Louvor” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 73
    • Helem = “batedor”, “golpeador” e 5º HELEM’MELEK (O ESPLÊNDIDO) – Melek = “Rei”; “Golpeador do Rei” OS CONDUTORES CHEFES DOS QUE SÃO CHEFES DE MIL Sefer Hanor 81:19-22 1º GADAEIAL 2º KEEL 3º HEEL O NOME DO LÍDER ADICIONAL DE MIL ASPHAEL OS 4 ARCANJOS (MIGUEL, URIEL RAFAEL E GABRIEL) INTERCEDEM PELA TERRA CORROMPIDA PELOS ANJOS CAÍDOS Sefer Hanor Capítulo 9:1 1º MIKA’EL (Quem é semelhante à Elohim?) 2º RAFA’EL (Elohim da Cura) 3º ARSAILALIUR (URI'EL para os gregos) 4º GAVRI’EL (Guerreiro de Elohim) NA BÍBLIA, NO LIVRO DO PROFETA DANI’EL, O ARCANJO GAVRI’EL RELATA O SOCORRO PRESTADO PELO ARCANJO MIKA’EL: Dn 10:13: “Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e eis que Mika’el, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia ” AS POTESTADES CELESTIAIS E SUAS ORDENS Sefer Hanor Capítulo 60:13 1º ARCANJOS - do hebraico Man’hig Malak ou Ikarí Malak = “Chefe-Anjo” (Primeiro Príncipe) 2º K’RUVIM (Querubins) plural de K’ruv “conhecimento”- Anjos da guarda celeste e quer dizer “Eles conhecem”, “Efus~o de sabedoria” 3º SERAFIM (serpentes que ardem em fogo). Etimologicamente Saraf significa: “serpente que queima” ou “serpente ardente” 4º OFANIM O SÉTIMO CÉU - É onde habitam os seres mais poderosos das regiões celestes - Os chefes de todas as 10 formas de anjo - Os arcanjos do Sétimo Céu são feitos de fogo e governam sobre a luz - Somente os Arcanjos do Sétimo Céu tem acesso direto ao Trono de Yáhuh - É o local onde habitam arcanjos como Micha'el, Fanu'el e Gavri'el - Os Arcanjos do Sétimo Céu são, ao todo, 24. Há um trono para cada Arcanjo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 74
    • - A Shehiná habita no Sétimo Céu como 7 fontes luminosas (Menorá/candeeiro) - Ao lado da Grande Menorá (candelabro) 7 fontes luminosas, - As portas do Gan Eden (Jardim do Éden também conhecido como “A Nova Jerusalém) são guardadas por 12 anjos das legiões de Mika'el e Yirmi'el Os 72 Anjos segundo o Zohah Michael, Gavriel, Refael, Nuriel. Kamatz (NIKUD): Kedumiel, Malkiel, Tzadkiel. Patach (NIKUD): Pedael, Tumiel, Chasdiel. Tzere (NIKUD): Tzuriel, Raziel, Yofiel. Segol (NIKUD): Stuteriyah, Gazriel, Vatriel, Lamael. Chirik (NIKUD): Chazkiel, Rehatiel, Kadshiel. Sheva (NIKUD): Shemael, Barchiel, Ahiel. Cholam (NIKUD): Chaniel, Lahadiel, Machniel. Shuruk (NIKUD): Shamshiel, Rehaviel, Kamshiel. Shuruk (NIKUD) called melafum. Shemar'el, Rehatiel, Karshiel. Ahaniel, Barkiel, Gadiel, Dumiel, Hadriel, Vadergaziyah, Zahariel, Chaniel, Tahariel, Ya'azriel, Kariel, Lamdiel, Malkiel, Nehariel, Saniyah, Anael, Patchiel, Tzuriel, Kanael, Remiel, Sha'ariel, Tavkiel. Tefuriya,Shachniel, Renael, Kamriyah, Tzuriyah, Psisiyah, Iriel, Samchiel, Neriel, Madoniyah, Lasniyah, Kamsariyah, Yeriel, Tasmasiyah, Chaniel, Zachriel, Vadriel, Hinael, Denabael, Gadiel, Bedael, Adiriron. A trasladação de Hanor (Enoque) Sefer Hanor capítulo 70:1,2 “E sucedeu depois disso que o seu nome (Hanor) durante toda a sua vida foi elevado até o Filho do Homem e até ‫ י ה ו ה‬YÁHUH Tseva’ot dentre todos os que habitam na Terra. E ele foi elevado nas carruagens da Ruach e o seu nome desapareceu dentre eles” Genesis 5:24: “Enoque (Hanor) andou com Elohim; e n~o apareceu mais, porquanto Elohim o tomou” 1 - A BATALHA FINAL DOS FILHOS DA LUZ Fonte: “Manuscrito de Guerra essênio” (1QM e 4Q491-496) - uma seção apocalíptica da guerra do povo de ‫ י ה ו ה‬Yáhuh. A seção, bastante extensa, narra guerras tanto de âmbito espiritual, contra os espíritos malignos que servem a Beli'al, quanto de âmbito físico, contra os povos que ao comando de Beli'al se reunirão contra Isra'el. “Naquele dia a kehilá (congregação) dos demônios e a kehilá (congregação) dos homens travarão batalha um contra o outro, resultando em grande massacre. Os Filhos da Luz e as forças das trevas lutarão um contra o outro para que seja revelada a força de Elohim com o rugido de grande multidão e o brado de demônios e de homens, um dia de calamidade. Será um tempo de tribulação para todo o povo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 75
    • que é redimido por Elohim. Em todas suas aflições, nenhuma existiu que fosse como ela, apressando-se para a conclusão como redenção eterna. Em três porções, os Filhos da Luz se levantarão com firmeza para desferirem um golpe na iniqüidade, e em três divisões o exército de Beli'al se fortalecerá para tentar forçar o recuo das forças da Luz. E quando os estandartes da infantaria fizerem seus corações temerem, então o Poder de Elohim fortalecerá os corações dos Filhos da Luz. E na sétima porção a Grande Destra de Elohim sobrepujará Beli'al e todos os anjos de seu domínio, e todos os homens de suas forças serão destruídos para sempre.” (Fonte: 1QM) Resumo da batalha: 1º - Em três ataques os filhos da luz (Israel) tentarão subjugar com toda força a iniquidade (as nações que marcharão contra ele); 2º - Em três divisões o exército de Beli'al se fortalecerá para tentar forçar o recuo das forças da Luz. (Até então houveram seis investidas; três ataques de Israel e três contra-ataques das nações). 3ª E quando os estandartes da infantaria (das nações) fizerem os corações temerem, então o Poder de Elohim fortalecerá os corações dos Filhos da Luz (Israel). E na sétima porção (o sétimo ataque) a Grande Destra de Elohim (Ye’shua) sobrepujar| Beli'al e todos os anjos de seu domínio, e todos os homens de suas forças serão destruídos para sempre. Apocalipse 20:7-10: “Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos (Jerusalém) e a cidade querida (Jerusalém); mas desceu fogo do céu, e os devorou (o sétimo ataque liderado por Ye’shua); e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta (cristianismo de Roma) e o falso profeta (Maomé/Islamismo)” Zacarias 12:3,6-9 “Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem, serão gravemente feridos. E ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra...6 Naquele dia porei os chefes de Judá (Força política em Israel) como um braseiro ardente no meio de lenha, e como um facho entre gavelas; e eles devorarão à direita e à esquerda a todos os povos em redor; e Jerusalém será habitada outra vez no seu próprio lugar, mesmo em Jerusalém....9 E naquele dia, tratarei de destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém” ARMAGEDOM, O CAMPO DA BATALHA Do hebraico Har = “monte” e Mehíd’dón= “reuni~o de tropas”, ou seja: “Monte de Reunião de tropas” - É neste lugar que ocorrerá a última e grande guerra que resultará na derrota das hostes malignas. O grande vale de Megido, no passado, ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 76
    • testemunhou grandes lutas travadas e muitas vidas sendo ceifadas. Neste lugar, na planície de Esdrelom (parte do território armagedônico), Débora e Barak triunfaram diante dos cananeus – Gideão prevaleceu sobre os corajosos midianita (Jz 4,5,7) – Alí o rei Saul (Sha’ul) juntamente com seu filho tombou mortalmente diante dos filisteus (1 Sm 31:8). Igualmente Josias caiu diante de Neco, faraó egípcio (2 Rs 23:29,30). Lá também, o profeta Eliahu (Elias) venceu os quatrocentos e cinqüentas profetas de baal prefigurando o que acontecerá muito em breve. Ha’shem, o Eterno pelejará por Israel e vencerá! 2 - OS ESTANDARTES DOS EXÉRCITOS DE ELOHIM Os Esquadrões das tribos escoltando o Tabernáculo móvel no deserto: Nota: O Exército de Israel era dividido em quatro grupos de três tribos. No pelotão da frente, ao oriente, seguiam as tribos Judá, Issacar e Zevulun. Estas guiavam as outras para Kenaã (Canaã) a Terra prometida. As duas maiores tribos Judá e Efraim guardavam a frente e o fundo do Tabernáculo Móvel. Ainda mais próximos da Tenda sagrada, estavam os filhos de Levi, ou seja, os levitas: As famílias de Merari, Coate e Guérson. Cada uma destas famílias tinha uma obrigação com parte do transporte do Tabernáculo e cuidavam para que nenhuma outra tribo se aproximasse da Tenda para que não fossem mortos. Cada ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 77
    • tribo tinha seu próprio estandarte para identificação. Uma organização fantástica para um povo peregrinando pelo deserto! Na Torá (Pentateuco), temos a informação de que o Eterno ordenara que fizessem trombetas de prata para que estas servissem de sinal de convocação das tribos e dos príncipes das tribos. Os toques emitiam sinais para marchar, para acampar ou para reuniões solenes. Os toques podiam ser “tinindo”, repicado, “quebrado ou longo, cada toque para uma comunicação diferente. A formação do Exército de Israel e seus estandartes no dia da grande peleja Texto Profético (Fonte: 1QM) Manuscritos do Mar Morto – Qum’ram No Estandarte Principal será escrito: “Povo de Elohim” “Israel” “Arão” Rubens – Simeão – Levi – Judá – Dã - Nafitali – Gad – Aser – Issacar - Zelulun – José – Benjamim Estandarte das Três Tribos ao oriente “Elohim do Espírito” JUDÁ, ISSACAR E ZEVULUN “O Estandarte de Elohim” Príncipes: Calev, Ygal e Gadiel Estandarte das Três Tribos ao norte Estandarte das Três Tribos ao sul “Elohim do Espírito” “Elohim do Espírito” SIMEÃO, RUBEN E GAD NAFITALI, DÃ E ASER “O Estandarte de Elohim” Príncipes: Shafat Shamua, e Gueuel “O Estandarte de Elohim” Príncipes: Nashbi, Amiel e Setur MERARI “Oferta de Elohim” Príncipe: Mali Estandarte das Três Tribos ao ocidente “Elohim do Espírito” BENJAMIM, MANASSÉS E EFRAIM “O Estandarte de Elohim” Príncipes: Palt, Gad e Hoshea ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 78
    • Continuação dos textos proférticos: No Estandarte dos Milhares de Israel será escrito ainda: “A ira de Elohim se desprendeu contra Beli'al e todos os homens de suas forças sem remanescentes” Imprimirá também os nomes dos príncipes dos milhares e das centenas! Estandarte das Centenas: “Centenas de Elohim, o poder da guerra contra toda a carne pecaminosa” E os respectivos nomes dos Príncipes das centenas e das cinquentenas! Estandarte das Cinquentenas: “Terminou a resistência dos iníquos pelo Poder de Elohim” E os nomes dos Príncipes das cinquentenas e das dezenas! Estandarte das Dezenas: “Cânticos de júbilo a Elohim na harpa de dez cordas” Com os nomes dos Príncipes das dezenas e dos nove homens sob seu comando! Estandartes antes, ao e após a batalha: Quando saírem à peleja escreverão nos estandartes: Ao se aproximarem da batalha escreverão: “A Verdade de Elohim” “A Retidão de Elohim” “A Majestade de Elohim” “A Justiça de Elohim” E seus nomes completos. “A Destra de Elohim” “O Tempo de Elohim” “O Tumulto de Elohim” “O Ferido de Elohim” E seus nomes completos. Quando retornarem da batalha escreverão: “A Exaltaç~o de Elohim” “A Grandeza de Elohim” “O Louvor de Elohim” “A Majestade de Elohim” E seus nomes completos. Nome das Tribos e seus significados: REÚVEM (“RUBÉN”) – “EIS UM FILHO” SH’MEON (“SIMEÃO”) – “FORMOSO” LEVI – “ UNIDO COM ELE” YEHUDAH (“JUDÁ”) – “LOUVOR” DÃ – “JUIZ” NAFTALI – “MINHA LUTA” GAD – “AFORTUNADO” ASHER (“ASER”) – “ELOHIM ME CONCCEDEU” ISHACAR (“ISSACAR”) – “MINHA RECOMPENSA” Z’VULON (“ZEBULOM”) – “AQUELE QUE HABITA” YOSEF (“JOSÉ”) – “ACRESCENTADOR” BEN’YAMIM (“BENJAMIM”) – “FILHO DA MÃO ODIREITA” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 79
    • Somente a tradução: “EIS UM FILHO FORMOSO E UNIDO COM ELE! LOUVE O JUIZ DA MINHA LUTA! O AFORTUNADO ELOHIM CONCEDEU MINHA RECOMPENSA. AQUELE QUE HABITA NO ACRESCENTADOR FILHO DA MÃO DIREITA!” Nomes dos Príncipes de cada Tribo e seus significados: Príncipe de Reúven (Rubén) é Shamua (Renome) Príncipe de Shimeon (Simeão) é Shafat (Ele julgou) Príncipe de Levi – Guérson - Ger’eshom = “Estrangeiro/Exilado” Príncipe de Yehudá - Calev (Perseverante) Príncipe de Dã - Amiel (Povo de Elohim) Príncipe de Naftali - Nashbi (Profeta, Porta voz) Príncipe de Gad - Gueuel (Redentor) Príncipe de Asher – Setur (Aquele que tapa minha iniquidade) Príncipe de Ishacar (Issacar) – Ygal (Ele vingará) Príncipe de Z’vulun - Gadiel (Fortuna de Elohim ou Elohim é minha Riqueza) Príncipe de Yosef (José) – Efraim é Hoshea (Oséias = Salvação) Príncipe de Ben’yamim (Benjamin) Palt (Liberto) Somente a tradução dos nomes: “Com renome Ele Julgou e exilou o perseverante povo de Elohim, porta voz do Redentor; aquele que tapa minha iniqüidade. Ele vingará! Elohim é a minha Riqueza, salvação. Estou liberto (do pecado)” 2 - Os Estandartes da Kehilá (Congregação) de Elohim O manuscrito 4Q246. Os essênios criam que o Mashiarh (Messias) seria ferido, e que seu reinado seria inicialmente breve, e posteriormente eterno. Nesse manuscrito, o Mashiach é chamado de Filho de Elohim. Ordem dos esquadrões e seus estandartes: Estandarte Principal: “A Kehil| (Congregação) de Elohim” 2º Estandarte: “Os Acampamentos de Elohim” 3º Estandarte: “As Tribos de Elohim” 4º Estandarte: “As Famílias de Elohim” 5º Estandarte: “As Divisões de Elohim” 6º Estandarte: “A Assembléia de Elohim” 7º Estandarte: “Os Chamados por Elohim” 8º Estandarte: “O Exército de Elohim”. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 80
    • Ao se aproximarem da batalha escreverão: 1º “A Batalha de Elohim” 2º “A Recompensa de Elohim” 3º “A Causa de Elohim” 4º “A Repres|lia de Elohim” 5º “O Poder de Elohim” 6º “A Retribuiç~o de Elohim” 7º “A Força de Elohim”, 8º “A Aniquilaç~o por Elohim das nações arrogantes”, E seus nomes completos. Quando retornarem da batalha escreverão: 1º “O Livramento de Elohim”, 2º “A Vitória de Elohim”, 3º “A Ajuda de Elohim”, 4º “O Suporte de Elohim”, 5º “A Alegria de Elohim”, 6º “Agradecimentos a Elohim”, 7º “O Louvor a Elohim” 8º “A Shalom ( Paz) de Elohim”. E seus nomes completos. 3 - AS TORRES DOS ANJOS “Haverá dois portões em cada torre, um à direita e um à esquerda. Sobre os escudos dos soldados da torre escrever~o, no primeiro: “Mika’el (Miguel)”, no segundo “Gavri’el (Gabriel)”, no terceiro “Sari'el” e no quarto “Refa'el.” E Mika’el (Miguel), e Gavri’el (Gabriel) estarão à destra, e Sari'el e Refa'el à esquerda. E os exércitos de ‫ י ה ו ה‬Yáhuh sairão ao comando dos quatro anjos, para militar contra as forças de Beli'al. E eles estabelecerão emboscada para a linha de batalha das forças das trevas e elas perecerão nas mãos dos anjos de ‫ י ה ו ה‬Yáhuh” (Fonte: 1QM) Nota: Neste texto temos uma importantíssima informação: A guerra é física, porém controlada e comandada pelos seres espirituais. No comando dos exércitos de Israel estarão os quatro arcanjos Mika’el, Gavri’el, Sari’el e Rafa’el. Nomes dos anjos grafados nos escudos dos soldados das torres à direita e à esquerda: Agora compare o escrito de Qum’ram com a profecia de Daniel: “Naquele tempo se levantará Mika’el, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo; e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro” Daniel 12:1 Nota: Elohim se levantará para socorrer o seu povo no dia da angústia como o fez na aflição do povo no Egito, no dia em que os tirou com braço forte e estendido. Os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 81
    • bastidores desta guerra são conhecidos por poucos. Muitas vezes não temos noção de como se sucede uma batalha. Somente enxergamos o plano físico da mesma e não compreendemos como as hostes celestiais guerreiam juntamente com os eleitos em prol do estabelecimento do reino dos Shamaim (céus). No Sefer (livro) de Yovelim (Jubileus) temos uma demonstração de como os Melahim (Anjos) do Eterno Elohim pelejaram com os principados das trevas para que o povo hebreu pudesse deixar a escravidão egípcia. “E no décimo quarto dia, décimo quinto, décimo sexto, décimo sétimo e no décimo oitavo, o príncipe Mastema (do ódio) foi amarrado e aprisionado atrás dos filhos de Israel, para que não os acusasse. Nota: Veja nesta alegação que Elohim mandou que seus anjos amarrassem o PRÍNCIPE MASTEMA (príncipe inimigo/ do ódio) desde o 14º dia, que foi o dia da saída do Egito e que se comemora a festa da Pêssach (páscoa) judaica, até o 18º dia. Isto é, por cinco dias. É interessante observar que a somatória dos números dos dias mencionados no relato de Yovelim, em que o Eterno prende Mastema, totaliza 80: (14º + 15º + 16º + 17º + 18º = 80). O número 80 é a guematria numérica da express~o “Y|huh Goalecha” (Y|huh é o teu Redentor), que aparece em Yeshaiahu (“Isaías”) 44:24. “Assim diz o Yáhuh Goalecha (Yáhuh, teu Redentor), e que te formou desde o ventre: Eu sou o Yáhuh que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus, e espraiei a terra (quem estava comigo?)” Yeshaiáhuh (Is) 44:24 Yovelim 48:18 revela a intenção de Elohim ao prender Ha’satã (O Acusador): “E no décimo quarto dia, nós o amarramos para que n~o acusasse os filhos de Israel no dia em que pediram dos egípcios utensílios e vestimentas, utensílios de prata, e utensílios de ouro, e utensílios de bronze, para despojarem os egípcios por lhes terem servido à força no cativeiro. E não conduzimos os filhos de Israel do Egito de m~os vazias” Nota: Elohim prende as hostes das sombras para que não acusassem os filhos de Israel no dia em que pediram indenização pelos anos em que trabalharam sob escravidão no Egito. No 19º dia Elohim solta às potestades das trevas para que as mesmas inflamassem os egípcios a perseguirem os hebreus – Yovelim 48:16,17: “E no décimo nono dia, nós o soltamos para que ajudasse os egípcios, para que perseguissem os filhos de Israel. E ele endureceu seus corações e os fez teimosos, segundo planejou Yáhuh nosso Elohim, para que ferisse os egípcios e os lançasse no mar”. O verdadeiro sentido do afogamento do exército egípcio - Yovelim 48:14,15: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 82
    • “E todo o povo que ele trouxe para perseguir Israel, Yáhuh nosso Elohim lançou no meio do mar, nas profundezas do abismo após os filhos de Israel. Assim como o povo do Egito havia lançado seus filhos no rio, Ele exerceu vingança sobre eles. E mil homens fortes e poderosos foram destruídos em razão de cada bebê dos filhos de teu povo que eles lançaram no rio” Nota: Assim como as criancinhas hebréias foram assassinadas sendo lançadas no rio Nilo pelos soldados egípcios, também Elohim os lançou no mar, para que os bebês fossem vingados. Elohim certamente também tomará vingança por cada justo, cada inocente e cada filho de Abraão perseguido, maltratado e assassinado pelas nações por onde Elohim os enviou, para que fossem postos por exemplos, afim de que cada nação temesse em deixar suas Leis. Mas ao contrário disto, não se arrependeram abandonando sua Torá (Instrução). Também maltrataram e mataram suas testemunhas vivas, os judeus filhos de Abraão, povo de Elohim e irmãos de sangue de Ye’shua. A guerra já começou! Prepare-se para bradar para o mundo ouvir: “SHEMAH, ISRAEL ADONAI ELOHÊNU ADONAI ERRÁD” “OUVE ISRAEL ADONAI É NOSSO ELOHIM ADONAI É UM” Para meditar: “A misericórdia de Elohim é notável até na morte do ímpio. Adão foi impedido de tomar também da árvore da vida quando debilitado pelo pecado. De outra forma, teria imortalizado o pecado” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 83
    • YE’SHUA FILHO DE ELOHIM SIM! ELOHIM FILHO NÃO! O unicismo vem sendo um tema muito discutido principalmente dentro das comunidades Judaicos Messiânicas. Será que Ye’shua é o próprio Elohim encarnado, ou será Ye’shua um ser próprio e pessoal, o Filho de Elohim? Os unicistas acreditam que Ye’shua é uma manifestação provisória e temporária de Elohim e automaticamente não é um ser pessoal e distinto do Pai. Ye’shua, para eles na verdade é uma multiplicação do Eterno ‫ י ה ו ה‬Bendito Seja Ele, ficando o Elohim maior, e o Elohim menor. Isto provisoriamente, por pouco tempo. Imagine uma laranja cortada em partes desiguais, uma maior representando o Pai e a outra menor representando o Filho. Este “unicismo” só se difere da trindade em números: 2 para 3 porque o princípio é o mesmo. Os trinitarianos acreditam em três manifestações de Elohim “Pai -Filho-Espírito Santo”. Já os “unicistas” acreditam em apenas duas: Pai - Filho, sendo os dois apenas um! Porém, o verdadeiro unicismo, que é o da Torah, crê em apenas um Elohim e que este tem um filho que é nosso Salvador e Ungido O Mashiach. EIS AÍ ALGUNS DOS ARGUMENTOS “UNICISTAS”: “Eu e o Pai somos um” Yohanan ( Jo) 10:30 Nota: Este é o texto cl|ssico t~o usado para defender a tese de que Ye’shua seja o Pai. Refutação : É só olhar o contexto para notar o verdadeiro sentido da frase: “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para apedrejá-lo... Disse-lhes Ye’shua: Muitas obras boas da parte de meu Pai vos tenho mostrado; por qual destas obras ides apedrejar-me? Responderam-lhe os judeus: Não é por nenhuma obra boa que vamos apedrejar-te, mas por blasfêmia; e porque, sendo tu homem, te fazes Elohim . Tornou-lhes Ye’shua: Não está escrito na vossa lei (Torah): Eu disse: Vós sois Elohim? Se a lei chamou Elohim àqueles a quem a palavra de Elohim foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada), àquele a quem o Pai separou, e enviou ao mundo, dizeis vós: Blasfemas; porque eu disse: Sou Filho de Elohim?” Ye’shua trata rapidamente de consertar o mal entendido causado pela frase “Eu e o Pai somos um” afirmando não ser Elohim, e sim seu Filho e continua a explicar o verdadeiro sentido de sua alegação: “Mas se faço as obras de meu Pai, crede nas obras; para que entendais e saibais que o Pai está em mim e eu no Pai” Esta expressão é totalmente diferente de: “Eu sou o Pai e o Pai sou Eu” como os unicistas querem entender e ninguém melhor do que o próprio Ye’shua para esclarecer o porquê d’Ele e o Pai serem um: É por causa das mesmas obras! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 84
    • REPARE O QUE AFIRMA YE’SHUA EM SUA ORAÇÃO SACERDOTAL: “Eu vou para ti. Pai santo, guarda-os no teu nome ( ‫ י ה ו ה‬Bendito Seja Ele), o qual me deste, para que eles, (os talmidim, os discípulos )sejam um, assim como nós” Yohanan 17:11: Ye’shua ora para que eu e você sejamos um, assim como Ele e o Pai um são. Que tenhamos um mesmo caráter, um só pensamento, e as mesmas obras. Pela construção do texto afirmar que Ye’shua é um em número com Elohim é o mesmo que afirmar que eu sou você. PORQUE YE’SHUA NÃO É UM COM ELOHIM EM NÚMERO? Outra questão é o fato da Torah somente validar o testemunho de no mínimo duas pessoas: “Disseram-lhe, pois, os Parushim (fariseus): Tu dás testemunho de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro. Respondeu-lhes Ye’shua: ... Ora, na vossa lei (Torah) está escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Sou eu que dou testemunho de mim mesmo, e o Pai que me enviou, também dá testemunho de mim” Yohanan (Jo) 8:13-18; Ye’shua explicitamente faz referencias de que Ele é um ser próprio e distinto do Pai e são os dois que testemunham juntos para cumprirem a Tohah. E QUAL FOI O TESTEMUNHO DE YOHANAM “O BATISTA”? “Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Elohim” Yohanan (Jo)1:34 E QUAL FOI O TESTEMUNHO DO CENTURIÃO? “Ora, o centurião, que estava defronte dele, vendo-o assim expirar, disse: Verdadeiramente este homem era filho de Elohim” Marcos 15:39 O QUE DIZ TER OUVIDO O MALFEITOR DO PRÓPRIO YE’SHUA? “Confiou em Elohim, livre-o ele agora, se lhe quer bem; porque disse: Sou Filho de Elohim” Mt 27:43 TAMBÉM NO SEFER CHANOCH (LIVRO DE ENOQUE), QUE FOI ENCONTRADO JUNTO COM OS MANUSCRITOS DO MAR MORTO EM QUM’RAM, TEMOS O TESTEMUNHO DO PROFETA CHANOCH (ENOQUE): “E naquela hora que o Filho do Homem foi NOMEADO NA PRESENÇA de ‫י ה ו ה‬ Yáhuh das Hostes, e o SEU NOME PERANTE o Ancião de Dias. Sim, antes do sol e dos sinais serem criados, antes das estrelas dos céus terem sido feitas, O NOME DELE FOI ‫יהוה‬ NOMEADO PERANTE Yáhuh das Hostes...E por esta razão Ele (Ye’shua) foi ESCOLHIDO e ESCONDIDO PERANTE Ele (O Pai). Antes da criação do mundo e para sempre." (1 CHANOCH 48:1-6) Nota: Aqui esta claro que Ye’shua é um ser distinto do Pai. Pois Ye’shua foi 1º “Nomeado na presença ... e o Seu Nome perante”, 2º “Foi escolhido e escondido ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 85
    • perante....”. Ou seja, Elohim agradou exaltar seu filho que estava e que está junto (do lado) do Pai! “Abram os seus olhos e ergam suas trombetas se vocês forem capazes de reconhecer O Eleito.” E ‫ י ה ו ה‬Yáhuh das Hostes O SENTOU NO TRONO do Seu Poder, e a Ruach (Espírito) da Justiça FOI DERRAMADA SOBRE ELE” (1 CHANOCH 62:1-3) Nota: Mais uma vez Ye’shua é apresentado como um ser pessoal criado e exaltado pelo Pai: 1º)- “O Eleito” – Alguém com poder superior elegeu (escolheu) Ye’shua; Yáhuh o Pai; Compare com LC23:35 2º)- “O sentou no trono” – Ye’shua recebeu autoridade para julgar. Compare com MT 28:18, 3º)- “A Ruach (unção) foi derramado sobre Ele” Compare com LC 4:18. “Pois do princípio o Filho do Homem foi ocultado, e o El-Elyon (Elohim Altíssimo) O preservou na presença da Sua força, e O revelou aos eleitos." (1 CHANOCH 62:7) “Este é o Filho do Homem que é nascido para justiça, e a justiça habita sobre Ele, e a justiça do Ancião de Dias não O abandona.” (1 CHANOCH 71:14) “A sabedoria (Ye’shua) não encontrou lugar onde pudesse habitar; então uma morada lhe foi apontada nos Céus (Quem teria poder para apontar uma morada a Ye’shua senão o Pai). A sabedoria (Ye’shua) procedeu para fazer morada entre os filhos dos homens, e não encontrou habitação. A sabedoria retornou para o seu lugar, e tomou o seu assento entre os anjos” (2 CHANOCH 42:1,2) “Naquele dia, o Meu Escolhido (Ye’shua escolhido do Pai) se assentará no trono da Kevod e escolherá entre as suas obras, e as suas inúmeras habitações. E quando aqueles que invocaram o Meu Santo e Grandioso Nome (Yáhuh) virem o Meu Escolhido (Ye’shua), seus espíritos serão fortalecidos. E naquele dia farei o Meu Escolhido habitar entre eles” (2 CHANOCH 45:3,4) “E lá eu vi Aquele que era Ancião de Dias (Elohim), e sua cabeça era branca como a lã. E com Ele estava outro cuja face tinha a aparência de um homem (Yeshua o Filho)” (2 CHANOCH 46:1,2) Nota: Ye’shua foi tomado pela profecia de Enoque como “Outro na presença dEle” Como podem os “unicistas afirmarem serem o mesmo ser? Bom, há muitos outros textos no Sefer Chanoch (Livro de Enoque) relacionados ao Filho de Elohim, mas por falta de espaço e por tentar ser mais objetivo não os colocarei. Qualquer interpretação literal destes textos não nos deixa sombra de dúvida concernente à posição de Ye’shua Há Mashiach quanto ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 86
    • Filho de Elohim e não Elohim Filho. Isto evidentemente não tira a suma importância do nosso Salvador e Redentor vindo de Elohim o Pai. O SEFER CHOCHMAT SH’LOMO (LIVRO DA SABEDORIA DE SALOMÃO) TAMBÉM DÁ O SEU TESTEMUNHO: Livro da Sabedoria 2:13 ptª: “Ele (Ye’shua) professa ter conhecimento de Elohim...” Compare com MT 11:27: “Ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho”; Livro da Sabedoria 2:13 pt b: “...e chama a si mesmo de Filho de Elohim” Compare com Jo 10:30: “Àquele a quem o Pai separou, e enviou ao mundo, dizeis vós: Blasfemas; porque eu disse: Sou Filho de Elohim?” Livro da Sabedoria 2:16: “Ele chama de abençoado o destino do justo, e se gaba DE SER FILHO DE ELOHIM” YESHUA É ELOHIM? Se Ye’shua é Elohim, então como explicar o fato dele ter um Elohim: “Bendito seja o Elohim e Pai de nosso Senhor Ye’shua HaMashiach” II COR 1:3 “Cerca da hora nona, bradou Ye’shua em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactani; isto é, Elohim meu, Elohim meu, por que me desamparaste? MT27:46 Se Ye’shua é Elohim automaticamente é onisciente e consequentemente conhece o futuro. Porém veja o que afirma Ye’shua nosso Salvador: “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai.” MAS COMO YE’SHUA CONHECE TUDO SOBRE O FUTURO E NOS REVELA NO LIVRO DO APOCALIPSE? “Revelação de Ye’shua há Mashiach, que Elohim lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer” AP 1:1 SE YE’SHUA FOSSE ELOHIM, NÃO PODERIA TER SIDO CRIADO: “O qual (Ye’shua) é imagem do Elohim invisível, o primogênito de toda a criação” CL 11:15 “Pois a qual dos anjos (O Eterno) disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei?” Hb 1:5 “O Eterno me criou como a primeira das suas obras, o princípio dos seus feitos mais antigos. Desde a eternidade fui constituído, desde o princípio, antes de existir a terra. Antes de haver abismos, fui gerado,... antes dos outeiros eu nasci. Quando ele preparava os céus, aí estava eu... então eu estava ao seu lado como arquiteto”Pv 8:22 “Ele (Ye’shua) estava no princípio com Elohim. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez’’ Yohanan 1:2,3 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 87
    • Nota: A expressão “Por intermédio dEle”, denota claramente que o Criador é Elohim e que Ye’shua fora seu intermediário na criação, pois como o Verbo de Elohim, Ye’shua fora seu porta voz legal. TRÊS VERDADES AXIOMÁTICAS (IRREFUTÁVEIS) ENCONTRADAS NO TEXTO ABAIXO: “Todo aquele que crê que Ye’shua é o Mashiach (Ungido), que é o nascido de Elohim; e todo aquele que ama ao que o gerou, ama também ao que dele é nascido (Ye’shua)” I Yohanan 5:1 1ª Verdade: Que Ye’shua é o Mashiach (Ungido); 2ª Verdade: Que Ele é o nascido de Elohim; 3ª Verdade: Quem ama o que gerou, ama o que dele foi gerado! “ANTES DE AVRAHAM (ABRAÃO) EXISTIR EU SOU” Este termo usado por Ye’shua IHIEH (Serei), traduzido comumente como Sou. Não indica que Ye’shua estava se declarando ser o Elohim Ihieh Asheh Ihieh (Serei o que Serei), e sim, como o primogênito da criação, antes de Avraham existir Ele Era (IHIEH), existia! SE YE’SHUA É DE FATO ELOHIM ELE DEVERIA ESTAR NO TOPO, POIS SERIA O EL’ ELION (ELOHIM ALTÍSSIMO). AÍ SURGE O PROBLEMA HIERÁRQUICO: “Vou, e voltarei a vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai (Elohim); porque o Pai (Elohim) é maior do que eu... mas, assim como o Pai (Elohim) me ordenou, assim mesmo faço, para que o mundo saiba que eu amo Elohim o Pai” Yohanan 14:28-31 “Quero, porém, que saibais que o Mashiach (Messias) é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Elohim a cabeça do Mashiach (Ye’shua)” I COR 11:3 “Eu (Dani’El) estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem (Ye’shua); e dirigiu-se ao ancião de dias (Elohim), e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado (O Eterno deu a Ye’shua) domínio, e glória (Kevod), e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído” DN 7:13,14 O QUE DISSE YE’SHUA SOBRE O ASSUNTO? “E, aproximando-se Ye’shua, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra” Mt 28:18 COM QUEM DEVE SER NOSSA COMUNHÃO? “Isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai (Elohim), e com seu Filho Ye’shua Há Mashiach” I Yohanan (Jo)1;3 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 88
    • A LINGUAGEM DA SERPENTE: “Esse mesmo é o anti- Mashiach, esse que nega o Pai e o Filho... Portanto, o que desde o princípio ouvistes, permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também vós permanecereis no Filho e no Pai... Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que vos querem enganar” II Yohanan 2:22-26 Não temos um único mandamento para que confessemos ser Ye’shua Elohim como condição para salvação, pelo contrário, o mandamento condicional para salvação é este: “Ora, o seu mandamento é este, que creiamos no nome de seu Filho Ye’shua Ha’Mashiach” I Yohanan 3:23 “Qualquer que confessar que Ye’shua é o Filho de Elohim, Elohim permanece nele, e ele em Elohim” I Yohanan 4:15 “Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê que Ye’shua é o Filho de Elohim?” I Yohanan 5:5 SE YE’SHUA É DE FATO ELOHIM, YOHANAN JAMAIS PODERIA TER FEITO ESTA AFIRMAÇÃO: “Ninguém jamais viu a Elohim” I Yohanan 4:12 A QUESTÃO DA NOIVA ISRAEL Os “unicistas” afirmam corretamente que Israel se casará com Elohim ‫יהוה‬ Bendito Seja Ele: “E desposar-te-ei comigo para sempre; sim, desposar-te-ei comigo em justiça” Hoshea (Os) 2:19. Também afirmam corretamente que Ye’shua se casará com Israel: “E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das sete últimas pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro” Guiliana (Ap) 21:9 Bom, a conclusão óbvia que se chega é: Se existe apenas um Israel e se Ye’shua não é Elohim, então, segundo os “Unicistas,” Ye’shua adultera usurpando a noiva de seu Pai! O Unicista Sha’ul Bentsion chega até a citar Devarim (Dt) 27:20: “Maldito aquele que se deitar com a mulher de seu pai, porquanto levantou a cobertura de seu pai. E todo o povo dirá: Amém” REFUTAÇÃO: 1º) O que meu amigo Sha’ul se esqueceu, é que se trata de uma simbologia. Nem Ye’shua, nem ‫ י ה ו ה‬Yahuh Elohim (Bendito Seja Ele) deitar-se-ão com Israel no sentido exposto em Devarim (DT) 27:20. O texto evidentemente trata-se de relações sexuais. É frustrante ver uma pessoa admirável e com uma capacidade ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 89
    • intelectual como a de Sha’ul Bentsion dizer uma barbaridade dessas apenas para defender uma opinião. 2º) Outro fator considerável é que Há’Shem ‫(9 י ה ו ה‬Bendito Seja Ele) casa-se com Israel através de seu Filho O Mashiach, quando este paga o preço do dote com seu próprio sangue. Também não devemos nos esquecer que tudo quanto o Pai tem, tem também o Filho: “Ele me exaltará, porque receberá do que é meu, (O Israel salvo) e eu o anunciarei. Tudo quanto o Pai tem é meu (O Israel salvo); por isso eu vos disse que ele, recebendo do que é meu, vo-lo anunciará” Yohanan (Jo) 16:14,15 Nota: O que Yahuh ‫(י ה ו ה‬Bendito Seja Ele) receberá de Ye’shua são todos os crentes salvos enxertados na oliveira que é Israel. Depois Ye’shua afirma que “Tudo quanto o Pai tem é meu” A noiva de Yahuh ‫( י ה ו ה‬Bendito Seja Ele), Israel, também é de Ye’shua. Se assim não fora o nosso Redentor não poderia ter feito tal alegação: “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai” Yohanan (Jo) 10:29 PARALELISMO ENTRE YE’SHUA E YOSEF (JOSÉ) Yosef (José) Yeshua 1º vivia entre os 12 irmãos (Israel)......x....1º Vivia com os 12 Emissários = Israel; 2º Foi traído pelos seus irmãos...........x.... 2º Traído pelos seus Irmãos, Israel; 3º Foi levado para o Egito....................x.....3º Foi levado para o Egito; 4º Vendido por dinheiro em prata........x.... .4º Vendido por dinheiro em prata; 5º Amado por seu Pai.......................... x......5º Amado por seu Pai; 6º Acusado injustamente......................x......6º Acusado injustamente; 7º Preso com 2 Prisioneiros..................x......7º Preso com 2 Malfeitores; 8º Um se salvou e o outro pereceu.......x......8º Um se salvou e o outro pereceu; 9º vida pública aos 30 anos...................x......9º Se manifestou aos 30 anos; 10º Salvador do mundo.........................x.....10º Salvador da humanidade; 11° Governou o mundo.........................x.....11º Governará toda terra; 12º Só um estava acima dele no trono..x.....12º Só um está acima dele no trono; ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 90
    • “Tu (Yosef) estarás sobre a minha casa, e por tua voz se governará todo o meu povo; somente no trono eu (faraó) serei maior que tu” Bereshit (Gn) 41:40 VEJA QUE FARAÓ DA O SEU REINO PARA YOSEF GOVERNAR E SOMENTE NO TRONO ELE SERIA MAIOR QUE YOSEF. ELOHIM TAMBÉM ENTREGA SEU REINO A YESHUA: “E eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem (Ye’shua); e dirigiu-se ao ancião de dias (Elohim), e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado (O Eterno deu a Ye’shua) domínio, e glória (Kevod), e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem” DN 7:13,14. APESAR DE DELEGAR TANTO PODER A YESHUA, ELOHIM CONTINUA A SER MAIOR NO TRONO: “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos” Yohanan (Jo) 10:29. “Porque o Pai (Elohim) é maior do que eu.” Yohanan 14:28-31 YE’SHUA UMA VÊS INTERMEDIÁRIO, AINDA INTERMEDIÁRIO: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, YE’SHUA HaMashiach o justo” 1Yohanan (Jo) 2:5 CONCLUSÃO: Bom, aprendemos neste estudo que o anti- Mashiach (Messias) é o que nega o Pai e o Filho (II Yohanan 2:22-26); Aprendemos que a nossa comunhão deve ser com o Pai e o Filho (I Yohanan (Jo)1;3); Que o seu mandamento é para que creiamos no nome de seu Filho Ye’shua Ha’Mashiach (I Yohanan 3:23); Quem confessar ser Ye’shua o Filho de Elohim, Elohim permanece nele, e ele em Elohim (I Yohanan 4:15); Que ninguém jamais viu a Elohim (I Yohanan 4:12) e que o vencedor do mundo, é senão aquele que crê que Ye’shua é o Filho de Elohim (I Yohanan 5:5). “Que Ha’Shem ‫( י ה ו ה‬Bendito Seja Ele!) Te abençoe e te guarde. Que o Ha’Shem ‫ה‬ ‫( י ה ו‬Bendito Seja Ele!) Faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti. Que o Ha’Shem ‫( י ה ו ה‬Bendito Seja Ele!) Sobre ti levante o seu rosto e te dê a Shalom (Paz)” Para meditar: “Ao ver como o ímpio transgride Tua Torá Eterno, meu coração se enche de zelo. Mas a retribuição está preparada e vem do YHWH” Rosh Mosheh Ben Shalom! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 91
    • TRINDADE X SHEMAH: Fico com a trindade ou com o shemah? O maior Mandamento da Torá: “SHEMAH, ISRAEL ADONAI ELOHÊNU ADONAI ERRÁD” “Ouve Israel: o ‫ י ה ו ה‬Eterno nosso Elohím É UM...” .... Amarás, pois, o ‫ הוהי‬Eterno teu Elohím de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas” Devarím (Palavras) Dt 6:4 Quando o mestre da Toh| perguntou ao Messias Ye’shua sobre qual o maior de todos os mandamentos, Ele recitou O Shemah Israel a passagem de Dt 6:4: “Aproximou-se dele um dos escribas e perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? Respondeu Ye’shua: O primeiro é: Ouve, Israel, o Yáhuh nosso Elohim é UM. Amarás, pois, ao Yáhuh teu Elohim de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças. E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses. Ao que lhe disse o escriba: Muito bem, Rabino; com verdade disseste que ELE É UM, e fora dele não há outro; e que amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios. E Ye’shua, vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: Não estás longe do reino de Elohim. MC 12:28-34 O princípio do Shemah é entender que o Eterno é UM (*Echad - literalmente um e não Echid - único). Adonai não se divide em três ele é Echad. Não é um deus com “três cabeças” como o é divulgado pelo cristianismo na forma Trinitariana. *CH- tem som de RR. A trindade invadiu quase todas as religiões do mundo, menos o judaísmo. Você deve estar se perguntando como o judaísmo conseguiu manter-se distinto a esta doutrina? A resposta esta na observância do Shemah: Ouve Israel o Eterno é um! “E estas palavras, que hoje te ordeno, estar~o no teu coraç~o; E as ensinar|s a teus filhos...” Este preceito tem passado de pai para filho, de geração em geração. Não importa se o judeu nasça no Brasil, Japão, ou em qualquer outro país. O SHEMAH ESTARÁ SEMPRE EM SEU CORAÇÃO! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 92
    • “...E delas falar|s assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te...” Os judeus recitam no shemah a unicidade do Elohim Echad, assentados em sua casa, deitando-se ou se levantando. Exatamente três vezes ao dia como manda a Torá (Instrução). “Também as atar|s por sinal na tua m~o, e te ser~o por frontais entre os teus olhos” Aqui o ponto chave do Shemah, atar na mão e na testa. Entenda que, quando o talmidi (discípulo) Sha’ul (Paulo) pregava aos bereanos, os mesmos diariamente examinavam nas Escrituras provando as palavras de Sha’ul. Este gesto fez com que o apóstolo de Ye’shua os elogiassem: “Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as ESCRITURAS para ver se estas coisas eram assim” At 17:11. Quais as Escrituras que os bereanos lançavam mãos para certificar se Sha’ul (Paulo) era de fato mensageiro de Elohim? É claro que na época não existia a Brit hadashá (Aliança renovada, mal traduzida como Nova Aliança). As Escrituras em questão eram a TA’NA’K (TA de Tor| + NA de Naviím (profetas) e K de K’tuvim (os livros poéticos; Salmos, Provérbios, Eclesiásticos etc.). Esta expressão abreviada equivale a toda a 1ª Aliança, chamada erroneamente de “velho testamento”. Ent~o podemos concluir que todas as cartas “Neotestament|ria”, ou qualquer pregação ou filosofias, tudo era peneirado na TANAK (1ª aliança) pelos bereanos. Até mesmo Ye’shua para ser o Mashiach (Ungido) prometido deveria falar de acordo com a Torá e toda a Tanak. Pois bem, foi isto o que fez. Então seremos como os bereanos e analisemos Ap 13:16 e 14:9: “E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na m~o direita, ou na fronte” AP13:16 “E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Elohím” AP 14:9 Tente imaginar como os bereanos poriam em prova estes textos. A primeira coisa que fariam é analisarem a Ta’na’k, para ali encontrarem alguma referencia aos textos expostos. Não seria difícil encontrar esta referência no Shemah (DT6:4-9), uma vez que é o primeiro e grande mandamento da Torá. O SINAL DO ETERNO X O SINAL DA BESTA No Shemah, esta a ordem de Elohim, para atarmos em nossas frontes e em nossas mãos, como sinal de que adoramos somente um Elohim! E este é o Elohim de Israel e de toda a terra. E Ele é ECHAD; ou seja, É UM! Aqui esta o pilar que sustenta toda a Escritura e a fé de Israel. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 93
    • “Ouve, Israel: o Eterno nosso Elohím é um... Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos” A unicidade do Eterno é o primeiro e maior mandamento; e isto deve estar incutido em nossas mentes (testas) e em nossas ações (mãos)! Enquanto Adonai sela seu povo com o SHEMAH dizendo que Ele, o YHWH é UM. “Por contra partida Ha’Sat~ (o acusador) também est| a selar os seus com o seu falso ´´SHEMAH`` que é nada mais, nada menos, que a ´´SANTÍSSIMA TRINDADE”! Que vai totalmente contra a mensagem do verdadeiro SHEMAH. “E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte” AP13:16 “E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de Elohím” AP 14:9 Você percebeu nestes textos, que o sinal da besta também se dá na testa e na mão? Primeiro Ha’Satã incute sua trindade nas mentes das pessoas, ou seja, ´´NAS TESTAS``! Depois, faz com que estas ajam por ela. Pois tudo o que pensamos somente se materializa com as obras das mãos. O grito mais forte da trindade nos nossos dias atuais é o ECUMENISMO! O ecumenismo é hoje a maior preocupação de Bavel ‫ ;ב ב ל‬Pois não se estabelece uma nova ordem mundial com tantas divergências religiosas. É aí que entra uma política de massa para unir as igrejas, tendo como estandarte principal a “TRINDADE”. Esta doutrina é o antônimo do Shemah; o maior mandamento de Elohim, confirmado por Ye’shua HaMashiach. Submeter-se a trindade, é outorgar poder a Roma. Mesmo porque, a mesma é fruto de seu ardiloso trabalho. No concílio de Nicéia, comandado por Constantino, em 326 EC; Ficou decidido que o Jesus Cristo, aquele homem belo, fascinante, de olhos azuis, com roupas avermelhadas e arredondadas, bem no estilo sinédrio romano, fabricado pelo Vaticano para salvar o império que já naquela época, estava se desfraguimentando. Sim! Ficou decidido que este Jesus não era apenas o filho de deus; Mas passou a ser o deus filho. Logo, são dois deuses composto; o DEUS PAI e o DEUS FILHO! O problema é que para satisfazer os politeístas romanos, ter dois deuses ainda era muito, muitíssimo pouco. Então outro concilio fora marcado. Este em Constantinopla, para decidir o futuro do Espírito Santo; se era ou não deus! Não deu outra. A partir daí passou-se a invocar a “santíssima trindade” na forma do DEUS PAI-DEUS FILHO-DEUS ESPÍRITO SANTO. Ouve até uma ordem para adulterar o texto de Mateus 28:19 que rezava assim: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, em meu nome” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 94
    • Veja claramente que na bíblia aramaica Peshita a ordem de Ye’shua é fazer discípulos em seu nome! Mas Roma ordenou seus “tradutores” a porem a trindade neste texto: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” Aí está a trindade mitráica de Constantino, o adorador do sol. É triste saber, que milhares de pessoas, estão sendo enganadas e direcionadas para este movimento chamado ecumenismo, que visa uma só religião sobre o domínio do vaticano. A globalização é tão somente a torre de Bavel sendo erigida novamente. E todos estes movimentos juntos são a NOVA ERA! Ou NOVA ORDEM MUNDIAL! O QUE É RUACH? Ruach, literalmente é vento, fôlego ou sopro! Então é verdade que este termo pode ser empregado aos Melachim (Anjos), ao sopro de vida, unção ou manifestação de Elohim. Também pode se referir ao próprio Elohim. Mas será alguma vês empregada a terceira pessoa da trindade? POSSO CRER NA TRINDADE, MAS TEREI QUE RASGAR A BÍBLIA! Cinco perguntas cruciais: _ Porque quando leio a 1ª aliança não compreendo a existência de um terceiro ser a ser adorado; mas quando leio algumas passagens da 2ª aliança percebo o vulto deste ser? _ Porque a expressão trindade não se encontra na Bíblia? _ Porque a trindade não está nos textos claros sobre hierarquia divina? _ Porque se em Mateus 28:19 Ye’shua mandou seus seguidores batizarem na trindade, eles desobedeceram ao Mestre, pois somente batizaram em seu Nome? _ Se a trindade é um assunto claro, e a descrença na mesma é coisa de seitas e leigos, porque grandes PHDs e pessoas renomadas não crêem? Estas perguntas são importantes para notarmos claramente um elemento paganizado dentro das Sagradas Escrituras e que se choca com o princípio de tudo, O Shemá! E, se este é o maior dos Mandamentos e confirmado pelo próprio Ye’shua, ent~o estamos correndo um grande risco de colocarmos alguém assentado do lado esquerdo de Elohim Elion (Altíssimo). Até mesmo os demônios dão seu testemunho ao lembrarem-se do Shemah: “Crês tu que Elohim é um só (Echad)? Fazes bem; os demônios também o crêem, e estremecem” Ya’akov haTsadik (Tiago o Justo) 2:19. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 95
    • Duas coisas estão em jogo: o Shemá, que Elohim é Echad (um), ou a confusão trinitariana que Roma sequer consegue explicar e simplesmente diz: “Mistério”: “E na sua testa estava escrito o nome: MISTÉRIO (express~o papal para explicar a Trindade), a grande Babilônia, a m~e das prostituições e abominações da terra” Guiliana (Ap) 17:5 _ “E na sua testa” (na sua consciência); _ “estava escrito o nome: MISTÉRIO” (o falso Shemá da trindade (Ele é 3) em lugar do Shemá Echad (Ele é 1); _ “a grande Babilônia” (a imensa/maior “confus~o”- sobrepondo o maior Mandamento); _ “a mãe das prostituições e abominações da terra” (princípio/genitora das adulterações mentiras e blasfêmia do planeta). Descodificando tudo: “E na sua “consciência” estava escrito o nome “Trindade/engano”, a “maior” “Confus~o”, “princípio” das “adulterações, mentiras e blasfêmias do planeta” ENTENDENDO A EXPRESSÃO RUACH HA KODESH Ruach = Sopro Ha = artigo indefinido: O, A, Do, Da. (que simplesmente os tradutores engoliram) Kódesh = Separado. Pense você que toda a vez em que aparece no “novo testamento” a terminologia “Espírito Santo” como se referindo a outra pessoa que n~o o Pai. Na verdade a expressão que ocorre é Espírito do Separado; alusão claríssima ao Eterno Criador como nos bons tempos da 1ª Aliança! _Onde foi parar o artigo indefinido Ha (‫ )ה‬da expressão Ruach Ha Kódesh? Os tradutores por razões obvias, preferiram deixar Espírito Santo, engolindo o artigo, simplesmente fingindo que ele não existe. Porém a expressão é Espírito (do) Santo ou Espírito (o) Santo. As duas expressões são cabíveis, pois Espírito do Santo (Sopro do Separado) faz alusão à emanação que vem do Pai, como os sete Espíritos (Sopros / unções/virtudes)” de Isaías Cap:11:2. O mais interessante é ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 96
    • que em Isaías 11:2 encontramos exatamente o artigo indefinido HÁ (‫ )ה‬na expressão Espírito DO Senhor YHWH: O TEXTO EM HEBRAICO “E repousar| sobre Ele (Yeshua) 1º o Espírito do Senhor (YHWH), 2º a Ruach de sabedoria, 3º e de entendimento, 4º a Ruach de conselho, 5º e de fortaleza, 6º a Ruach de conhecimento, 7º e de temor do Eterno” Yesha`Yáhu ( Is. 11:2). Nota: Este texto se cumpriu no dia do seu Míkver (Imersão). A segunda expressão cabível ESPÍRITO O SANTO é indicativo apontando diretamente para o Eterno. Todas as vezes que entendemos Ruach haKódesh como ser pessoal, o artigo indefinido deve ser indicativo: Espírito o Separado, o próprio Pai. Quando Ruach haKódesh estiver se referindo as virtudes que Elohim faz emanar, deve ser entendido o artigo como possessivo: Espírito do Separado! Um exemplo da Ruach haKódesh como unção vinda do Pai temos a seguinte passagem: “Disse-lhes, ent~o, Ye’shua segunda vez: Shalom Alehem (Paz seja convosco); assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E havendo dito isso, assoprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo (Ruach haKódesh)” Yohanam (Jo) 20:21,22 Nota: Repare que Ye’shua diz: “assim como o Pai me enviou”, referencia a Ruach ha’Kódesh (sete ruach/sopros/unções/virtudes) derramado sobre ele no seu Míkver (Imersão) assim como o Pai me enviou (unção/ sopro do Eterno), também eu vos envio a vós (unção/ sopro do Eterno). E havendo dito isso, ASSOPROU sobre eles, e disse-lhes: Recebei a Ruach (Sopro) haKódesh ( do Separado)” NÍVEL DRASHAR Vamos usar o nível Drashah que é o 3º em profundidade para se estudar as Escrituras e quer dizer correlações de textos. Vamos fazer uma hermenêutica simples para entendermos quem é a ruach haKódesh: 1º texto: “ELOHIM É ESPÍRITO, e é necess|rio que os que o adoram o adorem em Espírito/Ruach e em verdade” Yohanam (João) 4:22-25 Conclusão: O Pai é Espírito (Sopro de vida, não possui um corpo) 2º texto: “Quem n~o te temer|, YHWH Elohim, e n~o exaltará o teu nome? Pois SÓ TU ÉS SANTO/SEPARADO)” Guiliana (Ap) 15:4 Conclusão: O Pai é Santo. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 97
    • CONCLUSÃO GERAL DOS DOIS TEXTOS: O Pai é Espírito Jo 4:22-25 e é Santo (Ap) 15:4. Logo o Pai é Ruach haKodésh! É por isso que a Ruach, em algumas passagens é tratada como pessoa, pois é o próprio Pai Espírito e Santo e não necessita ter um Espírito, uma vês que Ele mesmo é! CONFIRMAÇÃO DIRETA DO NÍVEL PESHAT (SIMPLES/DIRETO/LITERAL) “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas d|divas aos vossos filhos, quanto mais dar| O PAI CELESTIAL O ESPÍRITO SANTO {queles que lho pedirem?” LC 11:13 Nota: Veja querido irmão, uma informação direta. Tanto no literal (Peshat) quanto na hermenêutica (Drash) temos a mesma informação: o Pai Eterno é Espírito Santo! II COR 3:17 confirma: “Ora, o YHWH é o Espírito; e onde est| o Espírito do YHWH aí h| liberdade” VEJA QUE EM MEIO HÁ TANTOS DONS DIFERENTES, UM SÓ É O ETERNO: “Ora, h| diversidade de dons, mas O ESPÍRITO (YHWH) É O MESMO. E h| diversidade de ministérios, mas O ADONAI (YHWH) É O MESMO. E há diversidade de operações, MAS É O MESMO ELOHIM (YHWH) que opera tudo em todos.... Porque a um, PELO ESPÍRITO, é dada a palavra da sabedoria; a outro, PELO MESMO ESPÍRITO (YHWH), a palavra da ciência; a outro, PELO MESMO ESPÍRITO (YHWH), a fé; a outro, PELO MESMO ESPÍRITO (YHWH), os dons de curar... Mas um só (ECHAD) e o mesmo Espírito (YHWH) opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer.” I COR. 12:4-11 ENTENDENDO MELHOR HB 3:7 “Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz...” HB 3:7 Se analisarmos o contexto entenderemos que o Espírito Santo obviamente é o próprio Pai! Uma vês que estas palavras de Hb3:7-9 fora dita pelo Pai YHWH na Torá incontestavelmente! Olhe para o contexto, todas as referencias indicam à YHWH: “Portanto, como diz a Ruarh Ha’Kodesh (Espírito do Separado YHWH): Se ouvirdes hoje a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto. Onde vossos pais me tentaram, me provaram, e viram por quarenta anos as minhas obras (As obras do Pai). HB 3:7-9 “Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Elohim YHWH de todas as suas obras no sétimo dia. (referencia a Gn 2:2 e ao Pai) E outra vez neste lugar: Não entrarão no meu repouso. (referencia a Nm 20:12 e ao Pai) Determina outra vez um certo dia, hoje, dizendo por Davi (referencia a Sl 95:8 e ao Pai), muito tempo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 98
    • depois, como está dito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações. HB 4:4-7 Hb 4:4-7 referencia à Nm 20:12 “E o ‫ י ה ו ה‬Yáhuh disse a Moshêh e a Aaron: Porquanto não crestes em mim, para me separardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta Kahal (congregação) na terra que lhes tenho dado. 13 Estas são as águas de Meriváh (Disputa), porque os filhos de Israel contenderam com o ‫ הוהי‬I|huh” Bemidbar (Nm) 20:12 Restaurando HB 3:7-9 : “Portanto, como diz o Eterno YHWH: Se ouvirdes hoje a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocaç~o, no dia da tentaç~o no deserto” A-m-n! Explicando João 14:16 com João 16:13 “Mas, quando vier aquele, o Espírito (Ruarh) da Verdade, ele vos guiar| em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. 1º - “Mas quando vier aquele, o Espírito da Verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque n~o falar| de si mesmo, mas dir| tudo o que tiver ouvido” A impressão que temos quando lemos esta passagem superficialmente, é que o Espírito da Verdade em questão é uma terceira pessoa da divindade. Isto é devido ao nosso subconsciente que é programado a não pensar, mas simplesmente devolver a informação pronta como recebemos. O QUE ESTE ESPÍRITO DA VERDADE IRIA FAZER? a)- Viria nos guiar em toda a verdade, anunciar as coisas futuras. -Não há revelação melhor do que a apocalíptica sobre as coisas futuras. Logo deveria ser a terceira pessoa da trindade quem deveria nos dá tal revelação se si entender que o Espírito da Verdade é esta 3ª pessoa, certo? Ap 1:1 “Revelaç~o de Ye’shua HaMashiach, A QUAL ELOHÍM LHE DEU, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a Yohanam seu servo” Nota: Não encontramos nenhuma evidencia neste texto sobre a terceira pessoa revelando. Elohim o Pai (1ª pessoa) revela a Ye’shua o Filho (2ª pessoa), este notifica ao seu anjo que passa a informação ao profeta Yohanam e o mesmo envia as Kehilot (congregações) da Ásia! Conclusão: Ou o texto está errado ou o Espírito da Verdade é o próprio YHWH! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 99
    • b)- E não falará de si, mas dirá tudo o que tiver ouvido. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Nota: vamos deixar o verso 15 explicar o verso 14: “Tudo quanto o PAI tem é meu; por isso vos disse que HÁ DE RECEBER DO QUE É MEU E VO-LO HÁ DE ANUNCIAR” Vá à espada e observe você mesmo, leia (Jo) 16:13,14 Sobre o Espírito da verdade que viria guiar os discípulos. Leia o verso 15 e verás que é o PAI! Conclusão: Então segundo o contexto quem é o Espírito da Verdade que receberá do que é de Ye’shua? O Pai! “Tudo quanto o PAI tem é meu; por isso vos disse que h| de receber do que é meu” Então quem é o Espírito da Verdade que, quando viesse nos guiaria em toda a verdade; porque não falaria de si mesmo, mas diria tudo o que tivesse ouvido? O Pai! “Tudo quanto o PAI tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e VO-LO HÁ DE ANUNCIAR (Ye’shua prometendo anunciar ao Pai os seus escolhidos)”. “Ele (o Espírito da Verdade) me GLORIFICARÁ” João 16:14 “Ye’shua falou assim e, levantando seus olhos ao céu, disse: PAI, é chegada a hora; GLORIFICA o teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti” Yohanam (Jo) 17:1 Porque (o Espírito da Verdade) h| de receber do que é meu” João 16:14 “Tudo quanto o PAI tem é meu; por isso vos disse que h| de receber do que é meu” João 16:15 Dois versículos após, no verso 3 Ye’shua confirma o princípio do Shemah: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, A TI SÓ, por ÚNICO ELOHÍM VERDADEIRO, e a Ye’shua Ha’Maschiyah, a quem enviaste” Yohanam (Jo) 17:3 Nossa comunhão deve ser com: “E a nossa comunh~o é com o Pai, e com seu Filho Ye’shua HaMashiach” Yohanam Álef (I Jo) 1:3 Nota: Verdadeiramente esta é a vida Eterna conhecer ao único Elohim e a seu Filho Ye’shua! Ou Ye’shua se esqueceu da terceira pessoa, ou cometeu uma tremenda injustiça. Veja que está parecendo o caso Nardone; são os únicos que insistem na presença da terceira pessoa! Veja como está torcido este versículo, assim como 52.000 adulterações da bíblia romana: “Mas, quando vier “o Consolador”, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Ruarh da êmeth, que procede do Pai, ele testificar| de mim” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 100
    • Original: “Mas, quando vier a consolação, que da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da Verdade (o Pai), ele testificar| de mim” Yohanam (Jo) 15:26 Quem testifica de Ye’shua a 1ª Pessoa ou a 3ª? “Respondeu-lhes Ye’shua: ... Sou eu que dou testemunho de mim mesmo, e O PAI que me enviou, também DÁ TESTEMUNHO DE MIM” Yohanan (Jo) 8:13-18; CONSOLADOR OU CONSOLAÇÃO? O que o contexto nos aponta? “Em verdade em verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria(Consolação)...Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; MAS OUTRA VEZ VOS VEREI, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará( Porque viria a consolação). Yohanam (Jo) 16:20-22 Nota: A consolaç~o que Ye’shua daria aos apóstolos é sua ressurreiç~o (que veio da parte do Pai, pois está escrito: “O mesmo Elohim o ressuscitou”), a alegria por saberem que seu Mestre Vive pelos séculos dos séculos! “Bem aventurados os que choram (os discípulos na morte de Ye’shua), porque eles ser~o consolados (na ressurreiç~o do Mestre)” Mt 5:4. Conclusão: A Expressão original é CONSOLAÇÃO e não Consolador, o próprio contexto mostra o vestígio do crime, ou melhor, da adulteração papal! Elohim é Plural? Outro argumento muito usado para se estabelecer a trindade é o conceito de que o termo Elohim está no plural, então argumentam: No princípio criou os “Deuses” e dizem ser esta uma referencia a trindade. Refutação: 1ª) Se Elohim realmente é plural, porque criou está no singular e não no plural: criaram? 2ª) Realmente a expressão no singular é Eloha, porém quando se refere ao Eterno de Israel, o termo utilizado é Elohim. No entanto é comum entre os judeus utilizarem o plural para se referir algo divino ou eterno, para mostrar grandeza e não pluralidade. Ex: Adon = Senhor, mas ao referir-se á YHWH toma um sentido de grandeza Adonai! Também podemos notar que Shalom em hebraico é paz e a cidade de Jerusalém (cidade da paz) é Yeru’shalaim (shalaim = plural) e n~o Yeru’shalom (singular). Isto não quer dizer que os judeus entendem que existe mais que uma cidade Santa, mas por ela ser “A Cidade Eterna” eles d~o ênfase na express~o. No Brasil você escreve Deus com o “d” maiúsculo para dar ênfase ao seu deus e “d” minúsculo para os deuses. Portanto quando você nota as expressões ELOHIM, ADONAI, YERUSHALAIM, não estão referindo-se a pluralidade e sim, a grandeza, eternidade! Isto é comum nos povos semitas. Um exemplo é que em muitas das ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 101
    • citações no Corão de Maomé, encontramos referencia a Alá no plural (nós). Como isto é possível se o Islã é monoteísta e adoram somente Alá e este (segundo) os maometanos não são dois. Isto é devido à cultura dos semitas de usarem o plural para engrandecimento, dar ênfase. HIERARQUIA DIVINA Todas as vezes que Ruach haKódesh é apresentada como ser pessoal representa o próprio Pai. Mas se existe uma terceira pessoa a ser notada e adorada, esta deveria contar na hierarquia bíblica e em hipótese alguma omitida. O problema é que quando os textos são claros no tocante a hierarquia a terceira pessoa simplesmente desaparece. I COR. 11:2,3: “Ora, eu vos louvo, porque em tudo vos lembrais de mim, e guardais os preceitos assim como vo-los entreguei. Quero porém, que saibais que Ye’shua é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Elohim a cabeça de Ye’shua” Nota: A express~o inventada que n~o existe nas Escrituras, “Terceira Pessoa”, j| é hierárquica! No entanto, não temos esse ser no plano hierárquico do Eterno. Não nos é informado neste texto direto sobre o assunto, quem é a cabeça da terceira pessoa ou de quem a terceira pessoa é cabeça! Estranho! Plano revelacional. A terceira pessoa ficou de fora mais uma vês: Ap 1:1 “Revelaç~o de Ye’shua Ha’Mashiach, A QUAL ELOHÍM LHE DEU, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a Yohanam seu servo” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 102
    • HIERARQUIA NO PLANO DA COMUNHÃO: “Sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunh~o conosco; e a nossa comunh~o É COM O PAI, e COM SEU FILHO YE’SHUA HA’MASHIACH” I Jo 1:3 DOCUMENTOS IMPORTANTES: Na bíblia Tômpson, uma das mais respeitadas e usadas pelos grandes pregadores, nas páginas 1377 e 1378 – último parágrafo diz: “A Bíblia de Jerônimo ficou conhecida por Vulgata Latina, sendo hoje usada pela Igreja Apostólica Romana como a autêntica versão das Sagradas Escrituras. Apesar de muitos eruditos acharem pobre e até acusarem de cometerem falhas gravíssimas” Na página 1378 - 2ª parte - parágrafo III: “Milhares de erros foram detectados no Novo Testamento Almeida. Muitos desses produzidos pela comissão de eruditos que tentam harmonizar o texto em português” Também na ATRIBUNA ES, domingo, 01 de Agosto AT2 Letras - Matéria: Bíblia em nova polêmica. “Bart D. Ehrman considerado um dos maiores especialistas em estudos bíblicos e origem do cristianismo lança o livro “Quem Jesus foi? E quem Jesus n~o foi?”, pela Ediouro. O objetivo do autor foi fazer com que os leitores se despissem de suas crenças religiosas antes de ler a Bíblia Sagrada. Uma questão debatida por ele é que o conhecimento crítico do Livro Sagrado não é compartilhado dentro da Igreja. O autor alerta, ainda, para o fato de que os quatros evangelhos oferecem perfis diferentes do Messias e que, por exemplo, a Santíssima Trindade foi criada pela Igreja Católica e não é encontrada nas páginas da Bíblia. Ehrman relata sua experiência no seminário na Universidade de Princeton. _ A descoberta dos alunos de que estudiosos tem visão muito distinta causa grande choque. Sua compreens~o sofre uma mudança radical” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 103
    • Na matéria abaixo A TRINDADE E A IGREJA, traz um verdadeiro arsenal sobre a trindade, Quem dão as informações é a revista americana The Living Pulpit, A New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica-1967), o professor da Universidade de Berna, Suíça, Martins Werner, também o Historiador Will Durant e o pesquisador James Hastings na revista Encyclopedia of Religion end Ethics (Enciclopédia de Religião e Ética) Segundo mencionado na matéria, “a Trindade não é um ensino de Ye’shua ou messi}nico, é um ensino da igreja”. A revista americana The Living Pulpit observou: “Ás vezes parece que todas as pessoas presumem que a doutrina da Trindade é um ensino teológico padr~o”. Mas acrescentou que não é “um conceito bíblico”. A New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica-1967) considera detalhadamente a doutrina da Trindade e reconhece: “O dogma trinitariano é, em última análise, uma invenção do quarto século. . . . A formulaç~o de “um só Deus em três pessoas” n~o foi solidamente estabelecida, por certo, n~o plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do final do quarto século” O professor da Universidade de Berna, Suíça, Martins Werner observou: Sempre que o novo testamento considera a relaç~o de Ye’shua como Pai, quer com referencia á sua vinda como homem, quer á sua posição como messias, entende-se e descreve-se essa relação, sem dúvida nenhuma, como subordinação. “Fica claro que Ye’shua e os messi}nicos acreditavam em algo muito diferente da doutrina da Trindade ensinada hoje nas igrejas” O MÍKVER DA TESHUVÁ (IMERSÃO PARA RETORNAR) “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” Mt 28:19 Na própria Bíblia católica, versão de JERUSALÉM no rodapé tem uma nota explicativa em baixo dizendo, que esse texto não pertence ao original Hebraico, foi acrescentado posteriormente pelos Padres católicos. Nota: Este versículo é usado por quase todas as igrejas; Católica, Evangélicas (Tradicionais, Pentecostais, Neo-Pentecostais e Liberais), a grande maioria toma este texto para a realização do batismo, mesmo que este texto esteja isolado dos demais relacionados sobre o assunto. Uma exegese deixa claro que Mt 28:19 está ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 104
    • sozinho e contradiz com os demais. A grande pergunta é: Porque quase todas as igrejas lançam mão de Mt 28:19 desconsiderando todos os outros textos? Ou houve uma contradição entre os apóstolos e Mt 28:19 ou foi relaxadamente adulterado? Façamos uma exegese entre os Evangelhos sinópticos. A passagem de Mt 28:19 aponta para depois da ressurreiç~o de Ye’shua, quando o Mestre anuncia o famoso Ide! Então pegamos outras passagens sinópticas para comparação. O Ide em Lucas: “E disse-lhes: Assim está escrito que o Messias padecesse, e ao terceiro dia ressurgisse dentre os mortos; e que EM SEU NOME se pregasse o arrependimento para remiss~o dos pecados, a todas as nações, começando por Jerusalém” Lc 24:46,47 Nota: Claramente há uma coisa estranha no Ide de Mateus (que ordena batizarem as nações na trindade), com o Ide em Lucas, indicando que as nações devem ser batizadas em o Seu Nome (Ye’shua)! O Ide em Marcos: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado ser| salvo; mas quem n~o crer ser| condenado” Mc 16:15,16 Nota: Em Marcos também não é citado um batismo na trindade. Pelo contrário enlaça este ao Nome de Ye’shua no verso posterior: “E estes sinais acompanharão aos que crerem: EM MEU NOME expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes ser~o curados” Versos 17,18 Como Kefá (Pedro) batizou? “Kef| (Pedro) ent~o lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Ye’shua haMashiach, para remiss~o de vossos pecados; e recebereis o dom da Ruach haKódesh (Espírito do Santo)” At 2:38 Nota: Kefá (Pedro) manda que se batizem no Nome de Ye’shua e n~o na trindade. Ou Ye’shua nunca mandou que seus discípulos batizassem na trindade ou eles desprezaram o mandamento do Mestre o que é muito irracional pensar. O dom do Espírito dentro do texto é uma promessa para os que se imergem submetendo-se ao Nome de Ye’shua. Como Filipe batizou? “Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Elohim, e do NOME DE YE’SHUA BATIZAVAM-SE HOMENS E MULHERES” At 8:12 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 105
    • Nota: Será um complô entre os apóstolos contra o que Ye’shua ordenou ou um complô dos bispos romanos? Quem desobedece ao Mestre? Como Kefá (Pedro) e Yohanam (João) batizaram juntamente? “Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido BATIZADOS EM NOME do Senhor YE’SHUA. Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam a Ruach haKódesh (Espírito do Santo)” At 8:16,17 Nota: Veja novamente que a Ruach haKódesh é uma promessa que se cumpre posteriormente ao batismo no Nome de Ye’shua e é t~o somente derramada com a imposição de mãos. Kefá (Pedro) fala do Ide e batiza no Nome de Ye’shua: “Este nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Elohim foi constituído juiz dos vivos e dos mortos. 43 A ele todos os profetas dão testemunho de que todo o que nele crê receberá a remissão dos pecados PELO SEU NOME (batizando-se). Enquanto Kefá (Pedro) ainda dizia estas coisas, desceu a Ruach haKódesh (Espírito do Santo) sobre todos os que ouviam a palavra. Os crentes que eram de circuncisão, todos quantos tinham vindo com Kefá, maravilharam-se de que também sobre os gentios se derramasse o dom do Espírito Santo...Respondeu então Kefá: Pode alguém porventura recusar a água para que não sejam batizados estes que também, como nós, receberam a Ruach haKódesh? Mandou, pois, que fossem BATIZADOS EM NOME DE YE’SHUA HÁ’MASHIACH” At 10:42-48 Como Sha’ul (Paulo) batizou? “Mas Sha’ul (Paulo) respondeu: Yohanam (“Jo~o Batista”) administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Ye’shua. Quando ouviram isso, FORAM BATIZADOS EM NOME DO SENHOR YE’SHUA. 6 Havendo-lhes imposto as mãos, veio sobre eles a Ruach haKódesh, e falavam em línguas e profetizavam” At 19:4,5 Como Ananias imergiu á Sha’ul (Paulo)? “Agora por que te demoras? Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando O SEU NOME” At 22:16 Yohanam (João) falando da remissão dos pecados no batismo: “Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos PECADOS SÃO PERDOADOS por amor DO SEU NOME (Ye’shua)” I Yohanam (Jo) 2:12 Romanos confirma: “Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em YE’SHUA fomos batizados na sua morte” Rm 6:3 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 106
    • Imersão em Gálatas: “Porque todos quantos fostes batizados no Mashiach (Ungido) vos revestistes do Mashiach (Unç~o)” Gl 3:27 Porque não se batiza em nome do Pai? Bom, sabemos que o batismo é em Nome do Filho por uma questão obvia; foi o Filho quem morreu por nós! O Pai é Eterno e o único que possui imortalidade em si mesmo. O Filho a tem porque o Pai o deu: “Pois assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim também DEU ao Filho ter vida em si mesmos” Yohanam (João) 5:26. Todos sabem que o batismo representa “morte e ressurreiç~o. Quando nos imergimos estamos publicamente confessando o ato do Filho, Por isso o batismo é realizado em seu Nome “Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em YE’SHUA fomos batizados na sua morte” Rm 6:3.. HALELU’IAH! A TRINDADE SUBJUGA O NOME “Agora por que te demoras? Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando O SEU NOME” At 22:16 O batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, simplesmente oculta o Nome. Sabemos que o Pai tem um Nome; ‫ הוהי‬Yáhuh. O Filho também tem; ‫שיעו‬ Ye’shua. Agora qual o nome do Espírito Santo? Se você respondeu Espírito Santo mesmo, esta completamente enganado ou mentindo á consciência. Espírito Santo é uma referência direta ao Pai (1ª Pessoa no caso) “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará O PAI CELESTIAL O ESPÍRITO SANTO {queles que lho pedirem?” LC 11:13. Se Espírito Santo refere-se também á 1ª Pessoa ‫ ,הוהי‬qual o Nome da 3ª Pessoa? Também Ruach haKódesh (Sopro distinto/separado/santo) é um adjetivo, uma qualidade e não nome. Pois bem, quando fomos batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, não fomos batizado em nenhum Nome, mas na Trindade. Aconselho que rapidamente tire a trindade de seus lombos, assim como também o fiz e batize-se em o Nome de Ye’shua e receber|s o dom do Espírito Santo (Elohim) que é a vida Eterna! TRINDADE A FORÇA DO ECUMENISMO Neste livro sobre o Ecumenismo da editora Católica, Paulus, orienta-nos muito sobre o batismo na trindade. Na página 31, cita o que diz o Diretório da Igreja Católica no parágrafo 93, sobre o batismo Ecumênico: “O batismo é conferido com a água e a fórmula que indica claramente o ato de batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Por isso, é da maior import}ncia, para todos os discípulos de “CRISTO”, que o batismo seja ministrado dessa maneira por TODOS e que cheguem a um acordo sobre o seu significado e sua celebraç~o v|lida” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 107
    • Página 32: “Agora volte l| para o catecismo da Igreja Católica e leia o que diz sobre o batismo. Pense no batismo de um metodista, de um batista, de um luterano, de um adventista. Se há um só batismo, tudo que referimos ao nosso batismo se aplica a eles também” Página 33 (CIC 1271): “O batismo é o fundamento de todos os “CRISTÃOS” (grifo meu), também com os que ainda não estão em plena comunhão com a Igreja Católica: com efeito, aqueles que crêem em “CRISTO” (na nomenclatura) e foram validamente batizados (Trindade) estão constituídos em uma certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja Católica. Batizados, s~o incorporados a “CRISTO” e, por isso, com raz~o, são honrados com o nome de “CRISTÃOS” e merecidamente reconhecidos pelos filhos da Igreja Católica como irmãos”. Nota: Se você está apto a ser chamado de irmão pelos filhos da Igreja Católica é por que você também o é! O Livro Ecumênico também afirma na página 31: “É considerado sempre v|lido o batismo nas seguintes Igrejas: Orientais Ortodoxas, Vétero Católica, Episcopal do Brasil (Anglicana), Luteranas no Brasil; IECLB e IELB, Metodista. É considerado válido o batismo dessas outras igrejas quando feito direitinho como manda o rito: Presbiteriana, Batistas, Congregacionista, Adventistas, Quadrangular, Assembléia de Deus, Deus é Amor, Brasil para Cristo, Exército da Salvaç~o e as demais Pentecostais” Página 33: “Algumas dessas igrejas j| est~o bem perto de nós, reconhecem o nosso batismo e j| nos tratam como companheiros” Este dogma trinitariano, maligno, principia toda a idolatria. Lembre-se que ha’Sat~, O Acusador, uma vez tentou estabelecer um domínio tríade nos céus e foi precipitado de lá. Em toda a Escritura notamos claramente o Eterno pondo seu Filho em posição de honra, assentando-o em seu braço direito. Porém nunca convidou alguém a sentar-se do seu lado esquerdo. Satanás não conseguindo literalmente estabelecer-se l| posicionou seu trono nas “testas” das pessoas. Infelizmente a Serpente, no subconsciente das pessoas, muitas das quais, involuntariamente lhe prestam culto, adorando outro ser que a bíblia nunca nos autorizou. Podemos crer e devemos sim adorar o Espírito Santo, no entanto sem desviar o pensamento do verdadeiro Ser, nosso Pai Eterno, soberano e Imortal ‫.יהוה‬ ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 108
    • OS ADJETIVOS E NOMES DE ELOHIM 1. EL - Abreviatura de Elohim. Aparece 250 vezes na Tanak (1ª Aliança- Gn 46:3) 2. EL Elyon = Elohim Altíssimo (Gn 14:22; Sm 47:2) 3. EL Shadday = Elohim Onipotente, Poderoso (Gn 17:1;28:3) 4. EL Olam = Elohim Eterno, da Eternidade ( Gn 21:33) 5. Elohim - Quando referido ao Eterno = Ser Único (Gn 2:4) 6. EL Elohim = Elohim Supremo (Dn 11:36) 7. Elohim Shofet Tsadik = Elohim Juiz Justo (Sl 7:12) 8. Elohei ha Elohim = Elohim dos Elohais (Dt 10:17) 9. Elohim Haim = Elohim da Vida (I Sm 17:26) 10. EL ha Gadol = Elohim, O Grande (Jr 33:18) 11. EL ha Gadol Vehahora =Elohim Grande e Terrível (Ne 1:5;4:14) 12. EL Oser Pele= Elohim que faz Maravilhas (Sl 77:14,15) 13. EL Elohe Haruhot Lekolbasa = Elohim dos espíritos de toda carne (Nm 16:22;27:16) 14. EL Roí = Elohim Onisciente/que vê (Gn 16:13) 15. EL Adonai = Elohim,Meu Dono, Senhor (Gn 18:1-3) 16. Elohei ha’Shamaim ve Elohim ha’Eretz = Elohim dos Céus e da Terra (Gn 24:3) 17. EL Elohei Israel = Elohim dos Elohais de Israel (Gn 33:20) 18. Yáhuh El hei ha’Ivrim =Yáhuh (Nome Próprio) Elohim dos hebreus (Ex9:1) 19. Yáhuh Rofe’eka =Yáhuh que Sara (Ex 15:26) 20. Yáhuh Nissi =Yáhuh é (minha) bandeira (Ex 17:15) 21. Yáhuh Ísh Milhamá =Yáhuh é homem de Guerra (Ex 15:3) 22. Yáhuh Mekadishkem =Yáhuh que Santifica (Lv20:8) 23. Yáhuh Shalom =Yáhuh é Paz (Jz 6:24) 24. EL Kanáh = Elohim Zeloso (Ex 20:5) 25. Adonai ha’Adonim = O Senhor dos Senhores (Dt 10:17) 26. EL Deot = Elohim das Sabedorias (I Sm 2:3) 27. EL Hai = Elohim Vivo (Jz 3:10) 28. Netsáh Israel = A Força de Israel (I Sm 15:29) 29. Elohei maachot Israel = O Elohim das batalhas de Israel (I Sm 17:45) 30. Yáhuh Charum =Yáhuh é Clemente (2Cr 30:9) 31. El Hanu = Elohim Misericordioso (Ne 9:31) 32. Eloáh Silihot = Elohim dos Perdões 33. Yáhuh Eloheinu =Yáhuh é nosso Elohim (Sl 8:1) 34. Yáhuh Melek ha’Olam va’ed =Yáhuh Rei do Universo (Sl 10:16) 35. Yáhuh Roí =Yáhuh é meu Pastor (Sl 23:1) 36. Mélech há’Kevod = O Rei do Poder (Sl 24:7) 37. Yáhuh Izuz = Yáhuh Forte (Sl 24.8) 38. Mélech Gadol =O Rei Grande (Sl 47:2) ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 109
    • 39. El Sali = Elohim Rocha Minha (Sl 42:9) 40. Yáhuh Norah = Yáhuh é Tremendo (Sl 47:2) 41. Shomêr Israel = O Guarda de Israel (Sl 121:4) 42. Gadol Yáhuh = O Grande Yáhuh (Sl 135.5) 43. Kadosh Israel = O Santo de Israel (Is 1:40 44. Migdal Óz = Torre Forte (Pv 18:10) 45. Avir Israel = Cavaleiro de Israel (Is 1:24) 46. Yáhuh Tsemá = O Renovo de Yáhuh (Is 4:20) 47. Kadosh Kadosh Kadosh = Santo, Santo, Santo (Is 6:3) 48. Imanu’El = Elohim Conosco, dentre nós (Is 7:14) 49. Pêle Ioêts = Maravilhoso Conselheiro (Is 9:6) 50. Sar Shalom = Príncipe da Paz (Is 9:6) 51. El Guibor = Elohim Forte (Is 9:6) 52. Avid Ad = Pai da Eternidade (Is 9:6) 53. Or Israel = Luz de Israel (Is 10:170) 54. Yáhuh Tsur Olamim = Yáhuh Rocha Eterna (Is 26:4) 55. El Tsur Israel = Elohim Rocha de Israel (Is 30:29) 56. Yáhuh Shofetenu = Yáhuh é nosso Juiz ( Is 30:22) 57. Yáhuh Mehokenu = Yáhuh é nosso Legislador ( Is 30:22) 58. Yáhuh Malekenu = Yáhuh é nosso Rei (Is 33:22) 59. Malek Ya’akov = Rei de Ya’akov (Jacó) (Is 41:21) 60. El Mistater = Elohim Misterioso (Is 45:15) 61. Elohei Israel Moshiach = Elohim, Salvador de Israel (Is 45:15) 62. Borê ha’Shamaim = Criador dos Céus (Is 45:18) 63. Yotser ha’ Arêtz = Formador da Terra (Is 45:18) 64. Goalenu Yáhuh = Yáhuh, nosso Redentor (Is 47:4) 67. Goel Israel = Redentor de Israel (Is 49:7) 68. Elohe Amen = O Elohim é Rei e Fiel (Is 65:15) 69: Mikêv Israel = Esperança de Israel (Jr 14:8) 70. Yáhuh Tsidkêinu = Yáhuh, Justiça Nossa (Jr 23:6) 71. Yáhuh Makê = Yáhuh que castiga/que fere (Ez 7:9) 72. Yáhuh Shamma = Yáhuh esta ali/ Yáhuh Presente (Ez 48:35) 73. Yáhuh Elohei Tsevaoth = Yáhuh, o loha dos Exércitos (Am 3:13) 74. Elohei Marom = O Elohim Excelso (Mq 6:6) 75. Atik Iomin = Antigo de Dias/Ancião de Dias (Dn 7:9,13,22) 76. El Guemulót = Elohim das recompensas (Jr 51:56) 77. El ha’Shamaim = Elohim dos Céus (Sl 136:26) 78. El Mina’al = Elohim que esta acima (Jó 31:28) 79. El Avraham, El Itz’chak vê El Ya’akov = Elohim de Abraão, Elohim de Isaque e Elohim de Jacó. 80. El Emet da Verdade (Sl 31:5,6; Dt 32:4) 81. El Doet = Elohim do Conhecimento (Sm 2:30) ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 110
    • 82. El Elohe Israel = El o Elohim de Israel (Gn 33:20) 83. El ha’Kevod = Elohim da Majestade/Poder (Sm 29:3) 84. El Tsadik = Elohim Justo (Is 45:21) 85. Elohim Ehad = Elohim é Um (Ml2:10; Dt6:4) 86. El Yeshuath = Elohim Meu Salvador (Is12:2) 87. El Hayyay = Elohim da minha vida (Sl 42:8,9) 88. El Gomer’alay = Elohim que por mim tudo executa (Sl 57:3) 89. El Ma’uzzi = Elohim, minha fortaleza (2 Sm 22:33) 90. El ham’azereni Hail = Elohim concede a vingança ( Sl 18:32,33) 91. El hanoten nekamot li = Elohim que me vinga (Sl 18:47; 2 Sm 22:48) 92. El Meholeka = Elohim que me formou (Dt 32:18) 93. El Yeshurun = Elohim de Jesurun /que amou Israel (Dt33:26) 94. El Nose = Elohim que Perdoa (Sl 99:8) 95. El Yeshuateinu = Elohim da nossa Salvação (Sl 68:19-21) 96. El Na’arats = Elohim Terrível (Sl 68:7,8) 97. El noken = Elohim Vingador (Sm 99:8; Na 1:2) 98. El nekan = Elohim de Vingança (Sl 94:1) 99. YHVH = Yáhuh (Ex 3:15) 100. Yáhuh El Olam = Yáhuh Elohim Eterno (Gn21:33) 101. Yáhuh Irêh = Yáhuh Proverá (Gn 22:14) 102. Ehier Asher Ehier = Serei o que Serei (Ex 3:14) 103. Rohév Ba Aravót = O Cavaleiro das Nuvens (Sl 68:5) 104. Yáhuh Maoz Haiai = Yáhuh é a força da minha Vida (Sl 27:1) 105. Adon Olam = Senhor do Universo (Sl 117:2) 106. Yáhuh Rafá = Yáhuh que Cura. 107. Ha’Kadosh Baruch Hu = O Separado, Bendito seja Ele. 108. Yáhuh Abir Israel= Yáhuh o Protetor de Israel. 109. Ro’er Israel = Pastor de Israel. 110. Mélech ha’Melachim = Rei dos Reis. 111. Avivu Malkênu = Nosso Pai e nosso Rei. 112. Mélech Israel = Rei de Israel. 113. Malach ha’Brit = O Anjo da Aliança. 114. Rosh Pinaá = Cabeça de Esquina/Pedra angular. 115. Avinu= Nosso Pai. 116. Yáhuh Kodesh Israel = Yáhuh o Santo/separado de Israel. 117. Yáhuh El há’Guibor = Yáhuh é Elohim Forte. 118. Yáhuh Borêh = Yáhuh Criador. 119. Yáhuh Magen Avraham = Yáhuh é o Escudo de Abraão. 120 Ain Sofh = “O Ilimitado”. O Título Supremo Para o Infinito de onde procede toda a criação. A Fundação de Tudo no Universo. 121 Alef e o Táv (Alfa e o Ômega no grego) = Princípio e Fim ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 111
    • Os Significados etimológicos dos Nomes EL – ‫אל‬ - Segundo a tradição judaica, o nome “El” est| ligado { sefir| (Atributo) de Chessed (Favor/misericórdia). - A maioria das vezes em que o termo “El” aparece, est| ligado a: - Misericórdia (Dt. 4:31) - Favor (Ex. 34:6) - Perdão do Pecado (Sl. 86:15; Mi 7:18) - Mosheh invocou ao Eterno pelo nome ‫“ א ל‬El” quando a cura/restabelecimento dependia do perdão do pecado: Nm 12:13; - Deriva da raiz hebraica “Alef-Vav-Lamed” ‫ - א ו ל‬que significa “ser forte”. Portanto, “El” significaria “Poder” - Quando a Bíblia diz que o Eterno é zeloso, o nome “El” é usado: Ex. 20:5; 34:14; Dt. 5:9 e 6:5, mostrando que o amor dEle deve ser único em nossas vidas. Na prática - Podemos usar o nome para nos conectarmos à sefirá de Chessed (Atributo de Misericórdia); - Use-o em suas orações de arrependimento, lembrando-se do favor dEle; - Use-o para invocar restauração daquilo que foi destruído pelos nossos pecados. ELOHIM - ‫אלוהים‬ - O nome Elohim representa, segundo a tradição judaica, a conexão entre as sefirot Biná (Sabedoria) e “Malchut (Reino)”. - Elohim significa literalmente “Poder Supremo” ou ainda “Os Poderes”. O plural é indício de majestade, supremacia, abstração (ie. indicando-O como “a fonte de todo poder”) ou ainda uma referência {s essências de YHWH. - Frequentemente, as essências de ‫ - י ה ו ה‬YHWH eram chamadas de “Poderes” (vide Rm 1:4,20; Mc 14:62 e Lc 22:69) - É associado à figura do Eterno como Criador (vide Gn. 1:1). Seu frequente uso na Torá também o identifica como Legislador. - Conex~o entre “Bin|” e “Malchut”: A Palavra =Memra / Sabedoria criando o mundo; - O Criador e o Legislador: A base do “Malchut (Reino)” é a Tor| (Os Preceitos Divinos, Instrução); - Torá: DNA da Criação; - Jo. 1 e a dupla-miss~o de Ye’shua: restaurar a Criaç~o trazer o Reino; - O Zohar diz que “Elohim” derivaria de “Eleh” (estes) e “Mi” (quem). Seria a resposta { pergunta de Ya'akov (Jacó): “Quem criou estes?” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 112
    • Na prática - Use o nome “Elohim” em adoração e súplicas pela criação, reconhecendo-o como Criador; - Use-o para agradecer pela restauraç~o em Ye’shua; - Use-o para pedir sabedoria (Ti 1:5); - Use-o para orar pela restauração da criação; - Use-o para pedir força para seguir a Torá (Lei) e fazer teshuvá (Retorno à Tora de Elohim). ELOHA - O nome Eloah representa, segundo a tradição judaica, o mesmo que Elohim, porém adicionado das sefirot de Chessed (misericórdia) e Tiferet (esplendor): - Aparece, em sua maioria, no livro de Iyov (Jó), associado às maravilhas e mistérios da criação; - Seu nome está ligado aos mistérios de YHWH; - É, portanto o nome do Eterno que o descreve como um Eloha de Milagres; - O nome Eloha viria da junç~o de “El” com a raiz arcaica “Alef-Lamed-Hei” ‫ - א ל ה‬que significaria: “estar perplexo ou buscando refúgio”. Eloah seria, portanto o Elohim que é nosso refúgio. Compare isto com Is. 44:8. Na prática - Use-o para engrandecer ao Eterno pelos seus mistérios; - Use-o para invocar um milagre que necessite de “interferência na criaç~o” ou “demonstraç~o do esplendor dEle” - Use-o em suas orações para buscar entendimento dos mistérios dEle; - Use-o quando desejar se refugiar na presença dEle; - Use-o para buscar um grau mais elevado de intimidade com Ele. IHIÊ - O nome IHIÊ, segundo a tradição judaica, seria um dos nomes mais elevados do Eterno, associado à sefirá de Keter (coroa): - A origem está em Ex. 3:14 onde o Eterno diz a Mosheh que seu nome é IHIÊASHER-IHIÊ, literalmente: “Eu serei o que serei”. Isto demonstra o mais alto grau de existência do Eterno, onde Ele é puramente a Sua essência, sem qualquer limitação auto-imposta; - Por estar associado à sefirá de Keter, está relacionado ao propósito dEle; - O nome IHIE também aparece em Ex. 3:12: “Certamente Eu serei [IHIÊ] contigo”. Por isso, é entendido como o nome da promessa e do controle do futuro. Na Prática - Por ser ligado a mais alta sefirá, deve ser usado num contexto de profundo respeito e reverência; ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 113
    • - Use-o para exaltá-lo ao máximo, isto é, engrandecê-lo porque Ele é; - Use-o para buscar o propósito do Eterno em Sua vida; - Use-o ao orar por uma promessa que você recebeu dEle; - Use-o em suas orações para se lembrar de que Ele está no controle do futuro e é contigo. ELION - O nome Elion também está, pela tradição judaica, associado à sefirá de Keter (coroa); - Vemos em Nm 24:16 que esse é o nome usado quando fala-se da divisão das nações. Possivelmente numa alusão à tentativa da Torre de Bavel; - É também, segundo a mesma passagem, aquele que assegura a herança de Israel; - É associado à guerra espiritual, e está relacionado à queda de Satã (vide Is. 14:13-14); - Seu uso indica a autoridade de YHWH. Vide Sl. 97:9. Na Prática - Use-o para reconhecer a posição de autoridade de YHWH; - Use-o para declarar sua autoridade sobre potestades em uma guerra espiritual; - Use-o quando orar pela restauração da sua herança enquanto israelita. ADONAI - O nome ADONAI representa a plenitude de Malchut. É a realização na terra de todo o reinado do Eterno a partir da sefirá de Guevurá: - A maioria das vezes em que aparece na Torá, é em conexão com intercessão. Principalmente, intercessão por causa de juízo. Exemplos: Gn. 18:32, Gn 20:4, Ex 5:22, Ex. 34:9, Dt. 9:26, Is. 3:1, Os. 12:14; - Pode aparecer também em conexão com pedidos angustiados, pois é um reconhecimento de que o Eterno está no controle. Assim como um súdito pode peticionar seu rei, podemos peticionar a ADONAI. Exemplos: Gn. 15:2, Gn. 18:3, Ex. 4:10; - O nome ADONAI significa literalmente "Meu Senhor", porém é usado em plural majéstico. Há quem diga que originalmente o nome era lido como ADONI; - O nome ADONAI é associado à Metatron. Metatron era o termo usado pelos rabinos para se referir a Ye’shua, antes da vinda dEle. Em alguns lugares dos Escritos Nazarenos, Ye’shua é chamado de ADONI, num reconhecimento a quem Ele é: o Rei dos Reis. "Meu Senhor", mas que com o tempo, o plural majéstico passou a ser usado: - AGLA: Express~o usada em rituais de exorcismo antes da vinda de Ye’shua – “ATA GUIBOR L'OLAM ADONAI" (Tu, ADONAI, és poderoso para sempre). - AMEN: O real significado da palavra - "Adonai Melech Ne'eman" ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 114
    • Na Prática - Use-o para buscar o estabelecimento do Reino dEle aqui na terra; - Use-o para interceder quando alguém estiver sendo punido por causa de pecado; - Use-o para clamar pelo Rei quando estiver em momentos de angústia, reconhecendo que ADONAI é senhor da situação; - Use-o para reconhecer, em suas orações, que Ye’shua é o Rei dos Reis; - Use-o em caso de exorcismo; - Nas suas orações, lembre-se do real significado de AMEN. RUACH - O Nome Ruach se refere a toda sencibilidade do Eterno (Biná, Guevurá e Hod). Origina-se, segundo a tradição judaica, em Da'at. Da'at é a "sefirá secreta" que se origina da união entre Biná e Chochmá. - Da'at é o conhecimento que vem direto do Eterno. Logo, a função da Ruach é revelar os segredos de YHWH (Ex. 31:3): - A Ruach é também a fonte da vida (Gn. 1:2, Jó 33:4); - Há três formas de acesso à Da'at/Ruach: 1 - por Tiferet (meditação sobre as obras de YHWH) - Ez. 3:12-13; 2 - por Keter (imersão na Ruach) - At. 2:17, At. 8:15-17; 3 - por Biná + Chochmá (estudo da Torá) - Dt. 34:9, Sl. 143:10; - “Ruach” no hebraico significa literalmente “sopro”. Trata-se de uma manifestação/sopro do Poder/Vida de YHWH, e não de uma pessoa. Obs: A Ruach só pode ser acessada por quem observa a Torá (At. 5:32). - A Ruach também é a fonte de toda profecia. Exemplo: Nm. 11:25, 1 Sm. 10:6; - É a Ruach que separa alguém para o serviço a YHWH: Exemplo: 1 Sm. 16:13; - As sefirot e a cura pela Ruach (At. 10:38); - A Ruach é tida pela tradição judaica como a porta de acesso ao mundo espiritual. Na Prática - Busque plenitude na Ruach através das 3 formas de acesso; - Se você precisa da vida de ‫ - י ה ו ה‬YHWH derramada sobre alguma área da sua vida busque a Ruach; - Entenda que o objetivo da Ruach é testificar sobre o Reino/Tor|/Ye’shua; - Se deseja conhecer a YHWH, busque a Ruach; YE’SHUA 1- O nome Ye’shua começa com a letra hebraica Yud, a mesma letra da express~o “Yad vaShem” (a destra de YHWH); 2- A Porta da Salvação: Sl. 118:19-26 3- O Nome Ye’shua composto por: Yud ‫ + י‬Shin ‫ + ש‬Vav ‫ + ו‬Ayin ‫ע‬ ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 115
    • Yud ‫ -י‬É a décima letra do alfabeto hebraico e corresponde ao número 10 = Lei/ Os dez Mandamentos; Shin ‫ -ש‬É a vigésima primeira letra do alfabeto hebraico e corresponde ao número 300 = O Eterno YHWH no Controle; Vav ‫ -ו‬É a sexta letra do alfabeto hebraico e corresponde ao número 6 = Homem - Ye’shua como o “Filho do Homem” Ayin ‫ - ע‬Correspondente em hebraico do número 70 = Luz da Palavra (Memra) e completude. 4- A palavra “yeshu|”: atos de livramento, ajuda, prosperidade, salvação, segurança, vitória. Na Prática - Lembre-se que Ele é a Tora - Lembre-se que Ele é a Luz - Lembre-se que Ele é o ato do livramento de YHWH - Lembre-se que Ele é a ajuda de YHWH - Lembre-se que Ele é a fonte da prosperidade espiritual - Lembre-se que Ele é a nossa segurança - Lembre-se que Ele é a nossa vitória - Lembre-se que Ele é a Destra de YHWH Para meditar: “A nossa alegria e triunfo não estão na morte do Cordeiro. Mas se militamos, é porque Ele ressuscitou” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 116
    • GUEMATRIA Este estudo poderá ser de grande utilidade. Pois acredito ser de interesse de vários grupos religiosos. Principalmente por adentrar em um tema de suma importância que é o nome do Salvador de Israel. Espero ser esclarecedor para quem tem dúvida de qual o verdadeiro nome de nosso Salvador, já que existem muitos grupos distintos e cada qual defendendo um nome para o Mashiach (Messias). A TORÁ É MUITO MAIS QUE UM LIVRO Os rabinos em Israel sabem e, há muito séculos, vem trabalhando ardilosamente nas decifrações dos códigos dos Livros Sagrados, principalmente na TORÁ (cincos livros de Mosheh (Moisés) conhecidos como Rumásh e chamados comumente de Pentateuco). Para essa complexa busca por revelações codificadas, os rabinos tanto usam novas técnicas descobertas e desenvolvidas como os programas de computadores que atingem buscas matemáticas mais complexas, como usam também métodos milenares passados de pai para filho, de rabi para aluno. A GUEMATRIA NUMÉRICA Quando o Eterno entregou sua Torá aos homens, Ele O fez de forma que todos a compreendam, pois o próprio nome Torá significa Instrução. Mas apesar de Elohim escrever sua sabedoria em uma linguagem simples e humana, onde todos podem desfrutar e aprender o caminho da justiça. Elohim também pôs neste livro códigos e os escondeu por milhares de anos, afim de que nos últimos tempos, os simples e puros de coração, com a ajuda do Eterno, pudessem desvendá-los penetrando na infinita sabedoria de Elohim. Há uma lógica por detrás das letras hebraicas simplesmente inacreditável e insondável. O estudo baseado na matemática das vinte e duas consoantes hebraicas chama-se GUEMATRIA. O fato de cada letra representar um número, permite-nos ter uma idéia de como este é um campo vasto e muitos caminhos precisam ser desbravados. Imagine que cada palavra da bíblia em hebraico tem um valor numérico e que cada valor numérico tem uma raiz e um radical de onde se originou aquela palavra. Pense que o Nome do Eterno ‫ י ה ו ה‬transliterado como YHWH, tem o seu número, e o Nome do Salvador Ye’shua também tem um valor e um radical numérico. Enfim, explorando a guematria podemos ter um mundo de informações maravilhosas. Cada letra em hebraico corresponde a um algarismo. Isto quer dizer que uma letra também é um número. Através deste princípio poderemos obter importantes informações. Dizem que algo só deixa de ser teórico se for comprovado pelo cálculo matemático. Lançando mão da Guematria que é um método numérico, comprovaremos a veracidade das escrituras sagradas fazendo uso da matemática. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 117
    • Ainda que o termo Guematria seja moderno; esta metodologia já era utilizada milênios atrás pelos estudiosos hebreus. Encontramos algumas referências Bíblicas sobre esta ciência: “Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, CALCULE o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis” Guiliana (Ap)13:18 Yohanam (João) subliminarmente estava codificando algo para seus irmãos de Fé. Estava dizendo que ao invés de lerem, seus discípulos devessem somar as letras de um nome e o mesmo deveria dar a soma final de 666. O incrível é que se somarmos o nome do poder opressor dos judeus em hebraico na época em que Yohanan (João) escreveu o apocalipse chegaremos a essa quantia. É claro que estou falando de Roma. Veja o termo Romano em hebreu: “Tu, porém, Daniel, cerra as palavras e sela o livro, até o fim do tempo; muitos o ESQUADRINHARÃO, e a ciência se multiplicará” Daniel 12:4 Esquadrinhar é medir, somar. Exatamente o que fazemos quando lançamos mão da ciência guemátria. O alfabeto hebraico é um idioma consonantal, composto de 22 consoantes apenas. Não existem vogais em hebraico. Os traços massoréticos, vêm como suprimento dessa carência e são adicionados nas consoantes. Lembrando também que no hebraico a leitura é feita da direita para a esquerda. Na Guematria, cada palavra da Bíblia contém um valor numérico. Qual será o valor do nome do nosso Salvador? Qual será o valor numérico do Nome do Eterno? Vamos juntos descodificar as Escrituras esquadrinhando letra por letra, palavra por palavra. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 118
    • VEJA O GRÁFICO: Álef Beit Guímel Dálet Hê Váv Záin Rêth Têth Yúd Kâf Lâmed Mém Num Sâmeq Ain Pêi Tsádik Qâf Resh Shin Táv Se pegarmos uma palavra em hebraico, por exemplo: Êmet t m a = Verdade e somarmos teremos um valor numérico: 441 É sua centena! Agora vamos achar sua raiz: É só somar os três algarismos 4+4+1 = 9 Aqui está sua raiz! Uma revelação incrível é se tirarmos o Álef (‫)א‬que é a primeira letra de Êmet ‫-אמת‬ ÊMET sem a primeira letra fica – ‫מ ת‬MET = morte! Ou seja, se alguém alterar a ÊMET (Verdade); Certamente encontrará a Morte! Agora tiraremos a última consoante do termo Êmet Temos então: ‫ ,א מ ת‬o TÁV (‫.)ת‬ ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 119
    • Bom, ao tirar a primeira letra do termo VERDADE em hebraico, encontramos a expressão Morte. Ao tirar a última letra da mesma expressão encontramos o acróstico de ADONAI É REI. Agora tiraremos a letra do meio, o então temos: Men (‫)מ‬ ‫אמת‬ ‫ א - ת‬a primeira e a última letra do alfabeto hebraico: Dentro do termo VERDADE encontramos o Álef e o Táv; A primeira e a última letra do alfabeto hebraico, que respondem a “Princípio e Fim”. Ou seja, a Verdade prevalecerá do princípio ao fim. Foi esta expressão que nosso Salvador usou “Eu Sou o Princípio e o Fim” Nosso Messias não disse que era o Alfa e o Ômega, uma vez que não falava grego. Como Ye’shua o Salvador falava hebraico e aramaico, a expressão por ele usada foi: “Eu sou o Álef e o Táv; o princípio e o Fim”. Estas duas letras são a primeira e a última letra do alfabeto hebraico. Ye’shua ao se identificar com a letra álef, ele também se identificou com os seus vários simbolismos e significados. O ÁLEF em hebreu se escreve: ‫( א ל פ‬letras ÁLEF ‫ + א‬LÂMED ‫ + ל‬FÊI ‫ .)פ‬Álef é a primeira letra do alfabeto hebraico e corresponde ao algarismo de número um. É interessante notar que, Ye’shua é o primogênito do Pai. Também, as mesmas três letras que escrevem ÁLEF (nº1) escrevem ÉLEF (nº1000), pois são escrito de formas idênticas: ‫( א ל פ‬álef + lâmed + fêi), uma vês que não possuem vogais. O número mil indica a promessa do reino milenar de Ye’shua em Yerushalaim (Jerusalém), para posteriormente repassar o reino ao Pai. ÁLEF tem no seu radical ALUF, que quer diser CAMPEÃO. A única diferença entre as duas expressões esta na consoante Vav (‫( א ל ו פ ,)ו‬álef + lâmed + vav + fêi). Ye’shua é nosso campeão que venceu a morte no calvário. ÁLEF primitivamente tinha a conotação de boi, o que nos remonta aos sacrifícios do Templo tipificando Ye’shua ha’Mashiach. Veja como apenas uma única letra tem ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 120
    • tantos significados diferentes e o mais importante, se encaixa perfeitamente no perfil de nosso Salvador. Vejamos também os significados da última letra, o TAV. Letra esta que Ye’shua se compara: O TAV é a última letra do alfabeto hebraico e corresponde ao número 400. Logo somados o Tav com o Álef temos: 401. Somando 4+1 = 5 encontramos o número dos livros da Torá (Instrução). Quando Ye’shua disse que era o Álef e o Tav, estava afirmando ser a Torá, o Verbo, a Palavra. O Tav também é a sigla para Sinal, marca distintiva, além de ser a primeira letra de Torá. Quando em Guiliana (Apocalipse) os Melachim (Anjos) passam selando nas testas dos servos do Elohim Altíssimo com um sinal. Na verdade, dentro da simbologia apocalíptica, o sinal marcado pelos Melachim é um Tav (T de Torá, Lei/Mandamento/Instrução). “Aqui está a perseverança dos santos (o sinal, o segredo), daqueles que guardam os mandamentos (Torá) de Elohim e a fé em Ye’shua”. Guiliana (Ap) 14:12. Obs: Sinal em hebraico é Óth que pode significar: a) uma marca distintiva b) bandeira c) lembrança d) prodígio e) presságio f) advertência g) símbolo, insígnia, estandarte, milagre, prova Óth vem do mesmo radical de Úth (consentir, concordar) Perceba que estas duas letras (‫ )א-ת‬são encontradas duas vezes ainda no primeiro versículo da Bíblia em original hebraico. Bereshit (Gn)1:1: O curioso é ter aparecido um ET ( ‫ת‬ ‫ ) א‬antes da expressão Ha’SHAMAYIM (CÉUS) e outro ET ( ‫ת‬ ‫ ) א‬antes da expressão HA’ÉRETZ (TERRA). Como o ET ( ‫ ) א ת‬é a primeira é a ultima letra do hebraico, para melhor compreensão correlacionarei ao nosso A e Z. Então assim traduzido seria: “No princípio criou Elohim o (A-Z) os céus e o (A-Z) a terra” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 121
    • É estranho ter aparecido o (A-Z) antes da expressão céus e outro (A-Z) antes da expressão terra. Os rabinos interpretam que antes do ETERNO dizer: Ehiêr Or (seja a luz) Adonai criara o alfabeto hebraico como ferramenta da criação! Então teríamos: ´´No princípio criou Elohim o alfabeto (a Palavra) e disse haja a luz” Baseado nesta revelação, vejamos Yohanam (João)1:1: “No princípio era o Verbo (A-Z = Palavra), e o Verbo (A-Z = Palavra) estava com Elohim e o Verbo era Divino” É claro que o Verbo (Menra, literalmente: palavra criadora) é uma referencia à Ye’shua que é o “Primogênito de toda criação.” Ye’shua o ET ( ‫ת‬ existia antes da fundação do mundo, da criação dos Céus e da Terra! ‫א‬ ), o Verbo, Baruch Ha’Shem! Bendito seja o Nome do Sagrado por mais essa revelação! O TETRAGRAMA Tetragrama é como ficou conhecido o Nome do Eterno, por ser composto por quatro ‫ה‬ ‫ו‬ ‫ה‬ consoantes: (‫)י‬Yúd, ( ) Hê, ( ) Vav e ( ) Hê. Transliterado: YHVH, que erroneamente puseram Jeová. Vamos descobrir seu valor numérico: ‫ י‬Yúd, é a décima letra do alfabeto hebraico e seu valor numérico é ‫ ה‬Hê, é a quinta letra do alfabeto hebraico e seu valor é = 5 ‫ ו‬Vav, é a sexta letra do alfabeto hebraico e seu valor é = 6 ‫ ה‬Hê, é a quinta letra do alfabeto hebraico e seu valor é = 10 = 5 10 + 5 + 6 + 5 = 26 O valor numérico total do nome do Eterno é 26. Para encontrar o valor da raiz numérica, do nome do Eterno é só somar os dois algarismos que compõem o numero 26. 2+6=8 A raiz numérica do nome do Eterno é 8! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 122
    • Vamos analisar o nome YE’SHUA -pela Guematria e descobrir também seu valor numérico: ‫ י‬Yúd, é a décima letra do alfabeto hebraico e seu valor numérico é = 10 ‫ ש‬Shin, é a vigésima primeira letra do hebraico e seu valor é = 300 ‫ ו‬Vav, é a sexta letra do alfabeto hebraico e seu valor é = 6 ‫ ע‬Ayin, é a décima sexta letra do alfabeto hebraico e seu valor é = 70 Logo: 10 + 300 + 6 + 70 = 386 O valor numérico total do nome YE’SHUA é 386, e sua dezena é 17. 3 + 8 + 6 = 17 isto é: 1 + 7 = 8 A raiz numérica do nome de YE’SHUA também é 8! TORAH A BÍBLIA DOS JUDEUS A expressão para Lei ou Instrução em hebraico é TORAH e corresponde aos Rumásh, os cinco primeiros livros da Bíblia, que para os gregos são chamados de Pentateuco. Na Torah, está à vontade do Elohim de Israel, e é considerada a base de toda a escritura. A Torah é tão importante para o povo de Elohim, que na liturgia de Shabat (Sábado; descanso Bíblico Universal), é prestado uma grande homenagem a este Livro, o Sêfer Torah, composto por: 1º Livro é Gênesis; em hebraico Bereshit (No princípio); 2º Livro é Êxodo; em hebraico Shemot (Nomes); 3º Livro é Levítico; em hebraico Vaiycrá (E chamou); 4º Livro é Números; em hebraico Bemidbar (No deserto); 5º Livro é Deuteronômio; em hebraico Devarím (Palavras). Somente em hebraico: “No Princípio Ele nos dá um Nome e nos Chama ao Deserto e nos dá a Palavra” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 123
    • A grande revelação é se pegarmos os significados dos nomes dos cincos livros em hebraico e traduzirmos corretamente para o português teremos uma mensagem, um plano de salvação que todos passaram ou estão vivendo em uma destas cinco dimensões. Podemos estar “No Princípio” (1º Estágio, livro de Gênesis), ou construindo um “Nome” (2º Estágio, livro de Êxodo). Talvez recebendo um “Chamado” (3º Fase, livro de Levítico) ou passando por um “Deserto” (4º Fase, livro de Números), e nada melhor que no deserto para ouvirmos a “Palavra” (5º Dimensão; livro de Deuteronômio). Israel também passou por estas cinco fases da Torah: 1º “No Princípio” Era um povo nômade; Hebreu quer dizer “O que transita” 2º “Nome” Passou a ser denominado Israel: “Aquele que luta com (Junto de) Elohim” 3º “E chamou” Elohim chama o seu povo para uma aliança eterna; 4º “Deserto” Elohim os leva ao deserto do Shinai; 5º “Palavra” No deserto dá aos Israelitas suas leis; a Torah. Este princípio cabe a todos nós, até mesmo Ye’shua passou por este processo: 1º “No Princípio”: “Princípio do evangelho de Ye’shua há Mashiach, Filho de Elohim” Marcos 1:1; 2º “Nome”: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o NOME de Ye’shua” Lucas 1:31; 3º “E chamou”: “Imediatamente o Espírito o impeliu (chamou) para o deserto” Marcos 1:12; 4º “Deserto”: “E esteve no deserto quarenta dias sentado tentado por Satanás; estava entre as feras, e os anjos o serviam” Marcos 1:13; 5º “Palavra”: “Mas Ye’shua lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Elohim” MT4:4. O NÚMERO DA TORAH Já testificamos que os valores numéricos dos Nomes Ye’shua e Yáhuh são exatamente os mesmos. Ou seja, 8. Veremos qual o valor Guemátrico de TORAH: ‫ת‬Tav, é a vigésima segunda letra do hebraico, e seu valor é = 400 ‫ו‬Vav, é a sexta letra do alfabeto hebraico, e seu valor é = 6 ‫ר‬Resh, é a vigésima letra do alfabeto hebraico, e seu valor é = 200 ‫ה‬Hê, é a quinta letra do alfabeto hebraico, e seu valor é = 5 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 124
    • Logo: 400 + 6 + 200 + 5 = 611 O valor numérico total da palavra Torah, é 611. E sua raiz é 8. (6+1+1 = 8) A mesma raiz numérica do nome do Eterno (YHVH) e de seu Filho Ye’shua! RESUMINDO E DESCODIFICANDO A raiz do nome Yeshua é...... 8; A raiz do nome Yáhuh é......8; A raiz de Torah é..................8. Isto implica que o Pai está no Filho e o Filho está na Lei de seu Pai; Adonai, Ye’shua e a Torah são intrínsecos! Agora sem as vendas nos olhos, observe o que disse Ye’shua neste texto: “Se guardardes a minha Torah (nº 8) permanecereis no meu amor: Assim como Eu (Ye’shua nº 8) tenho guardado a Torah ( nº 8) de meu Pai (YHVY nº 8) e no seu amor permaneço” Yohanam (João) 15:10 O número oito está relacionado com a redenção do homem através de Elohim, Ye’shua e a Torah: 8 8 8. Em hebraico, as palavras: Nomes, Oito e Redenção, vêm do mesmo radical, SHEM! Oito em hebraico é SHEMÔNE, que vem do radical de SHEMITAH (Redenção), que vem da raiz SHEM (Nomes)! A raiz Shem: SHEM = NOMES! Referencia à Ye’shua, Yáhuh e Torah; SHEMÔNE = OITO! O número dos três Nomes; SHEMITAH = REDENÇÃO! O plano de salvação. Talvez tudo isso explique melhor o fato de apenas oito pessoas terem sido salvas entrando na arca de Noah (Noé)! APRENDENDO COM A MENORAH A Menorah (candelabro) de sete braços com as sete Sefirotes (Atributos ); AP 4:5; 5:6 que simbolizam “Os Sete Ruach (Espíritos) de Elohim” sempre apontam para o número 8. Some a 1ª haste com a 7ª haste 1 + 7 = 8 Some a 2ª haste com a 6ª 2 + 6 = 8 Some a 3ª haste com a 5ª 3 + 5 = 8 Encontramos três oitos (888) uma alusão à Ye’shua, Elohim e a Torah! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 125
    • OS SETE RUACH (ESPÍRITOS/ VIRTUDES) DE ELOHIM O texto em hebraico de Isaías Cap:11:2: “E repousará sobre Ele 1º o Ruach (Espírito) do SENHOR, 2º o Ruach de sabedoria, 3º e de entendimento, 4º o Ruach de conselho, 5º e de fortaleza, 6º o Ruach de conhecimento, 7º e de temor do Eterno” Yesha`Yáhu ( Is. 11:2). Os sete Espíritos de Is 11:2 apontam Exatamente para 888 o número de Elohim, de Yeshua e da TORAH! Já o número 888 da redenção, aponta para o número 6; o número do homem caído! 8 + 8 + 8 = 24 2+4 = 6. O valor Guemátrico de Adão ( ‫ א ד ם‬Ádam) é 45, somando os dois algarismos 4+5 temos a raiz do nome de Adão, o número 9. Assim como Ádam caiu, também o número 9 invertido é exatamente o número 6. “É MELHOR CASAR DO QUE ABRASAR-SE” Vamos tentar entender a mente do apóstolo Sha’ul (Paulo) através do impressionante mundo hebraico! “Mas se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se” I CO. 7:9 Para compreender melhor o texto apelaremos para o hebraico: O Nome do Eterno YHWH é escrito com as quatro consoantes ‫ .י ה ו ה‬Quando casados as pronúncias HOMEM e MULHER, aparece à abreviatura do Nome de Yáhuh o Criador. Veja o exemplo: Não precisa entender de hebraico para notar a similaridade das duas palavras! Íshy e Ishá. O mais interessante é que casando as duas pronúncias em hebraico, aparecem às letras Yúd e Hê, isto é Yáh ‫ י ה‬o prefixo de Yáhuh o nome de Elohim. O mais impressionante é se tirarmos o Yúd (‫ )י‬de íshy e o Hê (‫ )ה‬de ishah. Ou seja, tirar Yáh; o Nome do Eterno: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 126
    • ‫ א י ש‬Íshy sem o Yúd (‫ )י‬fica: ‫ א - ש‬ÊSH =FOGO! ‫ א ש ה‬Ishá sem o Hê (‫ )ה‬fica: - ‫ א ש‬ÊSH = FOGO! Casando as pronuncias homem e mulher aparece o nome do Eterno e se o mesmo for retirado surge à expressão Fogo para ambos! Foi exatamente o termo usado pelo apóstolo Sha’úl, ABRASAR e quer dizer pegar fogo! No casamento esta a bênção do Senhor carimbada com seu Nome. Mas ao tirá-lo do relacionamento, surge o abrasamento, ou o fogo da paixão! O Nome do Eterno só pode aparecer quando são casados homem e mulher. Isto não acontece se casar duas palavras iguais. Por exemplo, homem com homem ou mulher com mulher. A revelação aponta para Vaikrá (LV) 20:13: “Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos; o seu sangue será sobre eles” A TORAH É DIMENCIONADA Os Rabinos estabeleceram quatro categorias de interpretação da Torah chamadas de: 1º Pshat, o significado literal e simples do texto; 2º Drash, o significado homilético; 3º Remez, o significado escondido; 4º Sod, o oculto, misterioso. As iniciais das quatro dimensões juntas formam PDRS ou PaRDeS = Paraíso!Quem entra nas dimensões da Torah e as põem em prática é bem aventurado. Este encontrará e herdará o PARDES, Paraíso: “Examinais as Escrituras (Torah), porque julgais ter nelas a vida eterna (Pardes); e são elas que dão testemunho de mim” Yohanam (João) 5:39. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 127
    • No hebraico, cada letra tem vários simbolismos. Este quadro abaixo nos permitirá aprender alguns deles e fazer algumas comparações; a começar pelo Tetragrama: Vamos separar as quatro letras cada uma delas: ‫י‬ ‫ י ה ו ה‬YHWH e comparar o significado de YÚD = MÃO ‫ ה‬HÊ = FURO ‫ ו‬VAV = PREGO ‫ ה‬HÊ = FURO Colocando em ordem temos o plano de redenção: “MÃOS FURADAS DE PREGO!” É inacreditável pensar que Elohim pela sua onisciência, tenha ocultado o plano da redenção em seu Maravilhoso Nome! Bendito seja Ele! O TETRAGRAMA É PASSADO, PRESENTE E FUTURO! ‫יהוה‬ Usando as mesmas quatro letras hebraicas do Nome de Elohim que transliterado é Y-H-W-H, mas alternando a ordem, formam-se as palavras: HAYA (foi ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 128
    • = passado); HOVE (é = presente); e YHIE (será = futuro). As quatro letras do Tetragrama permitem, portanto, escrever as três modalidades do tempo: Passado, presente e futuro: “Eu sou o Álef e o Táv, diz o YHWH Elohim, aquele que é (HOVE), e que era (HAYA), e que há de vir (YHIE), o Todo-Poderoso” Ap 1:8 YE’SHUA Vejamos o nome Ye’shua Yehoshua ‫ ע‬v ‫( י ש‬O Eterno salva) em sua forma mais arcaica ‫ ש ע‬v ‫( י ה‬O Eterno salvará): ‫ י‬Yúd = Mão ‫ ה‬Hê ‫ ו‬Vav = Furo = Prego ‫ ש‬Shin = Dente ‫ ע‬Ayin = Olho Ao colocar em ordem temos a seguinte revelação: “Mãos furadas de prego; Olho por olho, dente por dente!” Compare esta revelação com o texto de Ex 21:23: “Mas se houver morte, então, dará vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé” Ye’shua veio cumprir a exigência da Torah. A Lei requer a morte do transgressor: “Mas se houver morte, então, dará vida por vida” A morte houve, quando Adão pecou, e o salário do pecado é a morte. Ye’shua deu sua vida pela a nossa, seus olhos pelos nossos, suas mãos e pés pelos nossos. E tudo isto estava codificado em seu Nome! ISRAEL TEM O NOME DE ELOHIM “E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” II CR 7:14 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 129
    • A expressão: MEU povo que se chama pelo meu NOME é muito expressiva, pois o único povo que é chamado pelo nome do Eterno são os Yehudim (Judeus). Veja o exemplo: O nome judeu (Yehudá) é idêntico ao Nome do Eterno salvo por uma letra o dálet (‫ )ד‬que tem a conotação de porta que é um símbolo de Ye’shua: “Tornou, pois, Ye’shua a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a PORTA das ovelhas” Yohanam (João)10:7 CRIPTOGRAMA E SALTOS EQUIDISTANTES Criptograma é um método de se escrever em códigos. Como podemos matematicamente provar que a Torá é um Livro inspirado ou Divino? Bem, descobertas recentes têm deixado ate mesmo os mais céticos abismados concernentes às proporções exatas de algumas revelações das Escrituras. Estão descobrindo um novo livro dentro de um livro através dos saltos eqüidistantes. Mas o que é um salto eqüidistante? É quando escolhemos qualquer uma letra dentro de um texto e saltamos a partir dela, quantidades exatas de letras suscetivelmente. Este salto pode ser de duas em duas, dez em dez, cinqüenta em cinqüenta, não importa. Porém, nunca deve ser alterada a quantia de saltos eqüidistantes para não forçar que uma frase apareça. “E CONTAREIS SETE SEMANAS INTEIRAS...” “Depois para vós contareis desde o dia seguinte ao Shabat (sábado)... Sete semanas inteiras serão. Até ao dia seguinte ao sétimo Shabat, contareis cinquenta dias” DT 23:15,16 Sempre no dia imediato a Pêssah (páscoa), o povo de Elohim conta quarenta e nove (49) dias ou sete semanas (7x7 =49), no qüinquagésimo (50º) dia, celebra Shavuoth a festa das semanas (no grego pentecostes) conforme ordena o Eterno. O fato, é que após cinquenta dias, o Ha`Shem falou com o povo no deserto do Shinai quando deu a Torah (instrução) aos hebreus. Porém no segundo pentecostes mais famoso registrado, Elohim voltou a falar com os talmidim (discípulos) enchendo-os com a Ruach ha’Kódesh (Espírito Santo). No primeiro Pentecostes relatado na Bíblia Adonai deu sua Lei, e no último que a Bíblia relata deu o espírito da Lei; que é uma ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 130
    • capacitação para não transgredirmos mais sua Torah. O mais surpreendente é que Elohim continua a falar a cada contagem de 7x7 na sua Torah! O CÓDIGO NA TORÁ A um código incrível nas Escrituras em hebraico. Temos Torah ‫תורה‬ codificado em Gênesis 1:1. Logo no primeiro versículo da Bíblia, contando a partir do 1º ‫ ת‬Táv, que é equivalente ao nosso (T) e que é a primeira letra de Torah em hebraico; se dermos um salto equidistante de quarenta e nove (49) letras, na qüinquagésima (50ª) iremos encontrar um ‫ו‬ VAV que em hebraico tem a fonética (O). Temos então T-O. Depois mais ‫ ר‬Résh, que equivale o nosso (R). Mais um salto de quarenta e nove (49), e na qüinquagésima (50ª) um ‫ה‬ um salto de quarenta e nove (49) letras um HE, som de (H). Isto é Torah ‫.ת ו ר ה‬ T(‫ ) ת‬O(‫ )ו‬R(‫ )ר‬Á(‫)ה‬ Gênesis 1:1 Se lê da direita para a esquerda Veja que dando saltos eqüidistantes de quarenta e nove letras, no primeiro versículo de Gênesis em hebraico, sempre na qüinquagésima encontramos Torá ‫ ת ו ר ה‬que é o nome dos cincos primeiros livros das Escrituras e tem a conotação de instrução. A probabilidade disto ser mera coincidência é zero em um milhão! Se você esta pensando que é apenas uma incrível coincidência. Como explicaria o fato de em Shemot (Êxodo), também logo no primeiro versículo, ter a mesma revelação; T- O - R - A- H a cada salto equidistante de 49 letras na bíblia hebraica! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 131
    • Êxodo 1:1 T(‫ ) ת‬O(‫ )ו‬R(‫ )ר‬Á(‫)ה‬ Êxodo 1:1 Lê-se da direita para a esquerda Em Vaiycrá (Levítico) não encontraremos a expressão T-O-R-A-H como em Gênesis e em Êxodo. Mas, a partir da primeira letra do nome do ‫י‬ eterno, o Yúd somando um salto equidistante de sete (7) letras temos um He ‫ ,ה‬mais um salto de sete o Vav Nome do Eterno em hebraico! ‫ ו‬e mais sete o He ‫ .ה‬Isto é: YHWH, o Levítico 1:1 Y(‫ )י‬H(‫ )ה‬W(‫ )ו‬H (‫)ה‬ ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 132
    • Em Números, volta a aparecer o termo Torá com os mesmos saltos de quarenta e nove (49) letras, sendo que nas qüinquagésimas sempre aparecendo às letras T, O, R, A, porém invertidamente: A, R, O, T: NÚMEROS 1:1 (‫ת‬ ‫)הרו‬ AROT A TORAH SEMPRE APONTA PARA SEU AUTOR YHWH! Recapitulando Em Gênesis e Êxodo apareceram Torah; também nos dois últimos livros Números e Deuteronômio também apareceram TORÁ, porém invertidos: AROT. No livro central, aparece o Nome do Eterno como se os quatro livros apontassem para Levítico; que em hebraico quer dizer “E chamou”. É isto, o YHWH (Eterno) sempre nos chama para Ele! A TORAH É AMOR Todos os mandamentos da Torá são seiscentos e treze (613); E todas as suas promessas de brahot (bênçãos) são oito mil (8.000). Logo, para ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 133
    • sabermos quantas bênçãos recebemos em proporção por cada Mandamento da Torá obedecido, dividimos as bênçãos 8.000 pelos 613 mandamentos, isto é, 13 bênçãos por cada mandamento obedecido na Torá! E mais do que isso, o treze (13) é o número guemátrico de AHAVÁ, isto é: AMOR: Descodificando: A Torá é Amor! É por isso que Ye’shua resumiu a Torah em amar a Elohim sobre todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 134
    • O NOME MARAVILHOSO Em Zacarias 11:12, justamente na passagem que fala das trintas moedas de prata, está codificado o Nome próprio do Salvador em hebraico; Ye’shua ‫ .י ש ו ע‬Sabemos que a passagem profetizada por Zacariahu (Zacarias) 11:12, refere-se ao Messias Ye’shua, quando fora traído por Yehudá (Judas) e vendido por trinta moedas de prata. Porém, muitos não crêem que Ye’shua seja de fato o Mashiach (Messias = Ungido) e atribuem outro sentido ao texto. No entanto, dentro do nível SOD (oculto), podemos compreender o próprio Elohim de Israel codificando o nome do Filho Ungido. A saber, Ye’shua (O Eterno Salva). Zacarias 11:12: “E eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o que me é devido; e, se não, deixai-o. Pesaram, pois, por meu salário, trinta moedas de prata” ‫ - י ש ו ע‬Ye’shua Nesta passagem, a cada salto equidistante de 24 letras, aparecem as letras do nome de Ye’shua. A partir de Secarí , começando pela letra yúd (‫ ,)י‬saltando 24 letras temos um shim (‫ ,)ש‬mais um salto de 24, um vav (‫) ו‬ e um ain (‫ )ע‬saltando mais 24. Isto é Ye’shua! O hebraico é lido da direita para a esquerda e assim deve ser feito a contagem: Zacariahu (Zc)11:12 (‫)י‬ = YE Esta passagem das trintas moedas e que traz o nome de (‫ = )ש‬SH Ye’shua codificado nos esclarecem duas coisas: 1º - Qual a (‫= )ו‬ U fonética verdadeira do nome do Salvador, e 2º- Que a passagem (‫= )ע‬ A em verdade tratava-se do nosso Mashiach ! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 135
    • Outro texto em que se encontra codificado o Nome de Ye’shua esta na Torá (Lv 21:10-12). Exatamente na passagem que fala da unção do óleo derramada na cabeça do Kohém Gadol (sumo sacerdote), aparece, no verso 10, a partir da oitava letra, o dálet (‫ )ד‬saltando a cada três letras, precisamente codificado: “Dan Ye’shua” (‫ע‬ Ye’shua” ‫“ ,ד( מ י ש ו‬O Sangue de “Aquele que é Sumo Sacerdote entre seus irmãos, sobre cuja cabeça foi derramado o óleo da unção, e que foi consagrado para vestir as vestes Sagradas, não descobrirá a cabeça nem rasgará a sua vestidura; e não se chegará a cadáver algum; nem sequer por causa de seu pai ou de sua, mãe se contaminará; não sairá do Santuário, nem profanará o Santuário do seu Elohim; pois a coroa do óleo da unção do seu Elohim está sobre ele. Eu sou o ‫ י ה ו ה‬YHWH” Lv 21:10-12 Em hebraico: Lv 21:10 Aí está codificado a cada salto eqüidistante de três letras: ‫ד מ י ש ו ע‬ “Dan Ye’shua” “O sangue de Ye’shua”. Porque o Eterno codificaria esta frase logo nesta passagem: “Aquele que é Sumo Sacerdote entre seus irmãos, sobre cuja cabeça foi derramado o óleo da unção, e que foi consagrado para vestir as vestes Sagradas...não sairá do Santuário, nem profanará o Santuário do seu Elohim; pois a coroa do óleo da unção do seu Elohim está sobre ele. Eu sou o ‫י ה ו ה‬ YHWH”? Por uma razão obvia: Ye’shua é o verdadeiro Korrém Gadol (Sumo Sacerdote) e seu sangue é a verdadeira propiciação pelos nossos peados. “Pelo que convinha que em tudo fosse feito semelhante a seus irmãos, para se tornar um SUMO SACERDOTE misericordioso e fiel nas coisas concernentes a Elohim, a fim de fazer PROPICIAÇÃO PELOS PECADOS do povo” Hb 2:17 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 136
    • “Tendo, portanto, um grande SUMO SACERDOTE, Ye’shua ben Elohim (Ye’shua filho de Elohim) que penetrou os céus, retenhamos firmemente a nossa confissão” Hb 4:14 Mais uma vez o Nome Ye’shua codificado em um texto messiânico Tehilim (Salmos) 41:7-9: “Todos os que me odeiam cochicham entre si contra mim; contra mim maquinam o mal, dizendo: Alguma coisa ruim se lhe apega; e agora que está deitado, não se levantará mais. Até o meu próprio amigo íntimo em quem eu tanto confiava, e que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar. Mas tu, Eterno YHWH, compadece-te de mim e levanta-me, para que eu lhes retribua” Na Expressão Iáshevu ra’á, começando por um iúd (‫ ,)י‬saltando apenas duas letras temos um shim (‫ ,)ש‬mais um salto de duas, um vav (‫ ) ו‬e um ain (‫ )ע‬saltando duas. Isto é Yeshua! YE(‫ )י‬SH(‫ )ש‬U(‫ ) ו‬A(‫)ע‬ Tehilim (Salmos) 41:7-9 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 137
    • RUTE 1:1 “Nos dias em que os juízes governavam, houve uma fome na terra; pelo que um homem de Beit’Lehem (“Belém”) de Yehudá (“Judá”) saiu a peregrinar no país de Moabe, ele, sua mulher, e seus dois filhos” RUTE 1:1 Achamos algumas expressões interessantes neste texto: (1º) - Raáb (Fome) (2º) - Beit’Lehem (“Belém” - Casa do Pão) (3º) - Yehudá (“Judá” - Louvor) (4º) - Mo’ab (Do seu Pai) (5º) ‫ -שי עו‬Ye’shua aparece codificado e significa “O Eterno Salva” ou “A Salvação do Eterno” No primeiro versículo de Rute aparece Ye’shua “Salvação de Elohim” criptografado a cada salto equidistante de quatro letras. Enquanto o texto aponta uma terrível fome na terra: “Nos dias em que os juízes governavam, houve uma fome na terra” Elohim aponta Ye’shua que é o maná celestial, o pão do céu para nossa salvação: “Eu sou o pão que desceu do céu” Yohanan (João) 6:41. Outra curiosidade contrastante é que o homem era de Belém de Judá (no original Belém é Beit’Lehem “A Casa do Pão” e Judá é Yehudá e quer dizer em hebraico “Louvor”). Ou seja, Ye’shua (“O Eterno Salva”) da fome (“morte”) providenciando-nos Beit’Lehem “A Casa do Pão” e por isso lhe damos Yehudá (“Louvor”)! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 138
    • A palavra Mashiach esta codificada em Daniel 12:7-8 saltos de 20 letras: “E ouvi o homem vestido de linho, que estava por cima das águas do rio, quando levantou ao céu a mão direita e a mão esquerda, e jurou por aquele que vive eternamente que isso seria para um tempo, dois tempos, e metade de um tempo. E quando tiverem acabado de despedaçar o poder do povo santo, cumprir-se-ão todas estas coisas. Eu, pois, ouvi, mas não entendi; por isso perguntei: Senhor meu, qual será o fim destas coisas?” E o nome Yeshua esta em Daniel 7:14, com saltos de 8 letras: “E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 139
    • Ainda no livro de Daniel com saltos de 43 letras encontrei Yeshua codificado no capitulo 10, cruzando nos versículos 4, 5 e 6. “No dia vinte e quatro do primeiro mês, estava eu à borda do grande rio, o Tigre; 5 levantei os meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho e os seus lombos cingidos com ouro fino de Ufaz; 6 o seu corpo era como o berilo, e o seu rosto como um relâmpago; os seus olhos eram como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés como o brilho de bronze polido; e a voz das suas palavras como a voz duma multidão” LIVRO DE SALMOS 3:5-9: Em saltos equidestantes de 58 letras encontra-se Yeshua codificado: “Eu me deito e durmo; acordo, pois o Senhor me sustenta. Não tenho medo dos dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor. Levanta-te, Senhor! salva-me, Elohim meu! pois tu feres no queixo todos os meus inimigos; quebras os dentes aos ímpios. A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 140
    • Em Bereshit (Gênesis) 22:16, na passagem onde o Eterno diz à Avraham (Abraão): “E não me negaste o teu único filho”; aparecem as palavras: ‫“ –ש מ י ם י נ ש כ י ה ו ה י ש ו ע‬shemim inasher YHWH Ye’shua” = SEU NOME APONTADO PELO ETERNO É YE’SHUA. ‫ ש מ י ם‬SHEMIM = SEU NOME ‫ י נ ש כ‬INASHER = APONTADO PELO ‫יהוה‬ ‫ישוע‬ YHWH = ETERNO É YE’SHUA = SALVAÇÃO “SEU NOME APONTADO PELO ETERNO É YE’SHUA” O interessante é que o nome Ye’shua é o único que aparece em sentido vertical. Parece indicar que Ye’shua não é da esfera horizontal (Terrestre), mas vertical (dos Céus). Compare com Yohanam (João) 8:23: “DisseESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 141
    • lhes ele: Vós sois de baixo (horizontal), eu sou de cima (vertical); vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo” A expressão que encontramos no nível Sod (oculto) : “SEU NOME APONTADO PELO ETERNO É YE’SHUA”, realmente faz sentido quando comparamos com Lucas 1:31, onde claramente nos é notificado que o nome para nossa salvação não veio dos homens e sim dos céus apontado pelo Eterno (Bendito Seja Ele) e anunciado pelo Melach (anjo) Gavri’El: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Ye’hsua (O Eterno Salva)”. Outro texto também que podemos citar está no Sefer Chanoch (Livro de Enoque) que foi encontrado junto com os manuscritos do mar morto em Qum’ram, temos o testemunho do profeta Chanoch (Enoque): “E naquela hora que o Filho do Homem foi NOMEADO na presença de ‫ י ה ו ה‬Yáhuh das Hostes, e o SEU NOME perante o Ancião de Dias. Sim, antes do sol e dos sinais serem criados, antes das estrelas dos céus terem sido feitas, O NOME DELE FOI NOMEADO PERANTE ‫ הוהי‬Yáhuh das Hostes...E por esta razão Ele (Ye’shua) foi ESCOLHIDO e ESCONDIDO PERANTE Ele (O Pai). Antes da criação do mundo e para sempre." (1 CHANOCH 48:1-6) O MASHIACH E OS OSSOS DE YOSSEF Baseado em material do rabino Yossef Vial “E Mosheh (Moisés) levou consigo os ossos de Yossef (José)...” (Shemot/Êxodo 13:19) O trecho acima apresentado indica que Mosheh (Moisés) tomou os ossos de Yossef quando saiu do Egito. Yossef havia feito seus descendentes prometerem que levariam seus ossos de volta à terra que por direito pertencia a Israel. Mas, será que existe algo por trás dessa afirmação tão simples? Uma leitura cuidadosa nos revela uma interpretação nível Sod (oculto) absolutamente impressionante. O trecho supracitado é escrito da seguinte forma no hebraico: “‫”ומע ףסוי תומצע תא השמ חקיו‬ “E Mosheh (Moisés) levou consigo os ossos de Yossef (José)...” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 142
    • Ora, a grande questão aqui é justamente a possibilidade de leitura de diversas formas que nos interessa. Analisemos cada ponto aqui: ‫ = חקיו‬E ele tomou ‫ = השמ‬Mosheh (Moisés). Pode ser lido como “ME’SEH” - “DO CORDEIRO”; ‫ =תא‬ET - partícula acusativa. Pode ser lida como “os/as” ou “o/a”; ‫ = תומצע‬atsmot (OSSOS). Se lermos separadamente “ets mot”, significa “ÁRVORE/MADEIRO DA MORTE”; ‫ =ףסוי‬Yossef (José). Etimologicamente, o nome significa “ELE ACRESCENTARÁ”; ‫ =ומע‬imo (COM ELE). Também pode ser lido como “AMO”, ou “SEU POVO”. O resultado é absolutamente impressionante. Justamente no trecho que diz que Mosheh tomou os ossos de Yossef, vemos uma leitura alternativa fantástica: “E Ele tomou do Cordeiro o madeiro da morte e acrescentará o Seu povo” Veja que maravilhosa mensagem oculta nas letras da Torá, revelando a preciosidade da revelação de YHWH! Os ossos de Yossef (José) que deixam o Egito e vão em direção à terra prometida representam exatamente isso: a Casa de Yossef, representada por seu primogênito Efraim que jazia adormecida no exílio. Assim como Mosheh (Moisés) tomou seus ossos do Egito e os levou à terra prometida, Ye’shua, aquele que viria à semelhança de Mosheh (Moisés), tomou através do Seu madeiro de morte, os ossos da Casa de Efraim, e os enxertou na oliveira, acrescentando-o ao Seu povo novamente! “Veio sobre mim (Ye’shua) a mão de YHWH, e ele me fez sair no Espírito (Ruach) de YHWH, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos... Então me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a Casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; nós mesmos estamos cortados. Portanto profetiza, e dize-lhes: Assim diz Adonai YHWH: Eis que eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel.” Yehezkel/Ezequiel 37:1,11-12 Estamos vivendo exatamente o princípio dessa restauração. Os ossos da Casa de Efraim estão sendo vivificados, onde antes não havia vida (Torá), através do madeiro do verdadeiro Messias de Israel, exatamente ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 143
    • conforme profetizado na Torá, e confirmado pelos profetas. Devemos nos alegrar pelo privilégio de vivermos estes tempos, e de termos tido a honra imerecida de sermos escolhidos como primícias da restauração. Baruch Ha’shem! Bendito seja o Nome! Para meditar: “Elohim ainda esta escrevendo a Torah e somos testemunhas oculares das milagrosas façanhas de Israel” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 144
    • SEMENTE DA MULHER PARTE I “Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” GN2:15 A promessa feita pelo Eterno, sobre a semente da mulher, que lutaria contra a descendência da serpente é tão antiga quanto a luta do povo de Elohim contra o povo de Ha’Satã. Estas duas ramificações distintas tiveram suas origens em Caim e Abel. Abel procurou agradar o Elohim criador; e pela fé, ofertou suas PRIMÍCIAS; um carneirinho que tipificava o Messias Ye’shua: “Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Eterno de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou” Bereshit (GN) 4:3-5 Caim preferiu fazer as coisas do modo mais prático, ofertou frutos da terra “No fim de uns tempos” uma vez que era lavrador. Talvez esta expressão indique que Caim não tenha honrado Elohim YHWH (Bendito seja Ele) com os primeiros frutos. Fato este, que sua oferta fora rejeitado por Ha’Shem Elohim, culminando no assassinato do próprio irmão Abel: “Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou” Independentemente de quais tempos sejam estes a que a Torah (Pentatêuco) se refira (tempo de colheita, de ofertas, etc.), Caim não honrou a Elohim YHWH com os primeiros frutos. A entrega das primícias é uma forma de reconhecer Elohim YHWH em primeiro lugar. Por outro lado, deixa-lo para o fim significa não dar a Ele o primeiro lugar. E o Eterno não aceitou isto de Caim, como também não aceitará de nós. Um fator importante é que se Caim não soubesse a forma correta de ofertar ao Eterno, não poderia ser culpado, mas ele sabia e não o fez : “Então, lhe disse o Eterno: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo” GN 4:5-7 A partir daí, passaria a ter dois povos; um que persegue e outro que é perseguido, um que segue os mandamentos e outro que o faz de sua maneira, um recebe o selo de Adonai o outro recebe a marca da besta! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 145
    • A semente da mulher é uma clara referência a Ye’shua Ben David ha Mélech (Ye’shua filho do rei Davi) que, no final, esmagará a cabeça da serpente. Mas Satã não desiste facilmente, e cria sua própria versão para a “semente da mulher”. Logo depois do dilúvio, da descendência de Ham (cão), nasce Ninrode, um bravo caçador que promete proteger o povo das bestas feras e com isso ganha crédito e muita fama. Começa então daí a surgir um império e um imperador, na antiga terra de Shinah. UM CASAMENTO PROFANO Logo Ninrode casou-se com sua própria mãe Semíramis. Esta fora escolhida por Samael (nome do diabo) para ser aquela que carregaria em seu ventre a “semente da mulher” que salvaria o mundo e protegeria a todos de um novo dilúvio caso se repetisse. Após a morte de Ninrode, sua mãe e esposa Semíramis se intitulou uma deusa, e disse também que Ninrode fora para o sol e que ele é um deus. O povo todo fora incumbido na adoração solar. Semíramis às escondidas teve relações sexuais com os sacerdotes e veio a engravidar de um varão. Logo que negou o fato ocorrido, Semíramis disse que a noite Baal, ou seja, Ninrode a possuiu e lhe deu um filho que se chamaria Thamuz. Logo Ninrode é deus pai de Thamuz e ao mesmo tempo deus filho de Semíramis. A POMBA E O RAMO A POMBA DO SOL Todos na época, ainda respiravam o acontecimento do dilúvio, e todos sabiam da esperançosa mensagem que trazia a historia do pequeno ramo de oliveira no bico da pomba. Ao retornar a pomba para a arca com um raminho verde em seu bico, ela trouxe consigo a certeza da continuidade da vida e de um renascimento para um mundo melhor. Foi exatamente essa a mensagem criada em torno de Semíramis e Thamuz. Semíramis personificou a idéia de “salvadora”; aquela que traz esperança. Essa idéia acabaria sendo comprada em toda terra do mundo antigo. Mesmo nos dias de hoje, Semíramis é adorada em formas mais distintas, até mesmo como a pomba do cristianismo. DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS- MARIA C. A. ROSAS Este dicionário deixa claro que a pomba era representada na Ásia como Ishtar, na Grécia e na fenícia como Astarte. Sabemos que estes que são nomes diferentes para Semíramis que foneticamente correto é ZEMIRAMIT, um acróstico de Z (que quer dizer A); EMIR (que significa ramo); e AMIT (portadora), Isto é: “A PORTADORA DO RAMO”! Por isso seu nome passou a ser ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 146
    • sinônimo de pomba. Já o nome de seu filho Thamuz significa “BROTO”! Portanto a “pomba” Semíramis carregou seu “RAMO” em seu próprio ventre. Talvez a expressão “Pomba-Gira” possa ser uma alusão direta a Semíramis. Considerando a pombinha de Noah (Noé), que girou, partindo e regressando para a arca. Também o espírito da falsa “Portadora do Ramo” que é Há’Satã, anda por pomba girar a terra: “O Eterno YHWH perguntou a Ha’Satã: Donde vens? E Ha’Satã respondeu ao Eterno YYHWH , dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela” Jó 1:7 DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS – CULTRIX/ MEC Neste livro, como você pode ler, Semíramis mata seus filhos com exceção a Nínias. Este nada mais é do que outra forma para o nome de Ninrode, que se tornou o marido da própria mãe. Os nomes NINO, NINÍ, NÍNIAS e NINRODE são derivações do nome do mesmo personagem. Da expressão Nínias surgiu Nínive dos Ninivitas, cidade por ele fundada, e do termo NINÍ temos a famosa canção de ninar, que quer dizer FAZER A CRIANÇA DORMIR. Em seu filho Thamuz, Ninrode tem a sua continuidade. Em Bavel tinha uma moeda com o símbolo deste renascimento; um tronco cortado que representava a morte de Ninrode e um raminho brotando que indicava a reencarnação do mesmo em seu filho Thamuz. O pai era o filho e o filho era o pai e ambos são deuses. Este engodo se completa com a presença de Semíramis nesta adoração tríade. Lembrando você que Semíramis era representada por uma pomba. Então temos O DEUS PAI, O DEUS FILHO E O DEUS ESPÍRITO SANTO que é a POMBA do catolicismo e das igrejas que saíram de suas entranhas! A idéia do Espírito Santo em forma corpórea de pomba no A POMBA TOMANDO DA HÓSTIA DO SOL “batismo de Jesus” advém daí; tão somente Semíramis dizendo a Thamuz: “Tu és meu filho a quem me compraz”. No original em aramaico, é narrado que apenas ouviu-se a voz, o que é mais óbvio, uma vez que o Elohim infinito não é representado por imagem nenhuma do que há nos céus, na terra, no mar e em tudo o que neles há! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 147
    • No livro de Brenda Mallon Os Símbolos Místicos – Volume I – Pág. 27, traz uma relevância sobre a pomba com o ramo: “Pomba - Emblema de Atenas, deusa da sabedoria, a pomba é tradicionalmente o símbolo do amor. É associada a ZEUS que dizia ter sido alimentado por pombas. A pomba é consagrada a Afrodite ou Vênus, deusa do amor” Pois bem, quantas pessoas não sabem dos sentidos místicos pagãos associados à pomba, o símbolo cristão para uma terceira pessoa na adoração tríade tem em seu berço um elemento que simboliza nada mais nada menos do que uma representação figurativa para Zeus, também Afrodite e Atenas que são nomes para Semíramis. O amor em questão, só para os mais desavisados é o EROS que deu origem a palavra ERÓTICO. Também a expressão “Camisa de Vênus”, trás uma homenagem a deusa do amor, VENUS, tanto quanto a palavra “Afrodisíaco” homenageia Afrodite. VINTE E CINCO DE DEZEMBRO Thamuz nasceu no dia 25 de dezembro, por isso o sol é homenageado nesta data chamada de ´´NATALIS SOLIS INVICTUS``, que quer dizer “NASCIMENTO DO SOL INVENCÍVEL”. Esta idolatria invadiu o mundo antigo logo após o dilúvio. E, com a confusão das línguas na torre de Bavel, cada povo seguiu com sua adoração a Baal Thamuz, porém em línguas diferentes. Isto explica o porquê da comemoração do nascimento de um deus solar em vários idiomas diferentes, mas sempre na mesma data; vinte e cinco de dezembro! Tanto Rá no Egito, como Zeus para os gregos; Mitra e Yu-piter para os romanos. Todos eram reverenciados por povos diferentes mas que vieram de uma só raiz, da terra de Shinar, da “sagrada família”: Ninrode, Semíramis e Thamuz. Veja nesta imagem, Semíramis com seu filho Thamuz sob a versão de Maria e Jesus. Observe também o sol por detrás de suas cabeças, o que por si só indica o caráter de suas naturezas. A roupa azul também não é por acaso: “Trazem prata batida de Tarsis e ouro de Ufaz, trabalho do artífice e das mãos do fundidor; fazem suas vestes de Azul e Púrpura, obra de homens hábeis são eles...” JR 10:9 “Os filhos apanham lenha, os pais acendem fogo e as mulheres amassam a farinha, para fazerem bolos à Rainha dos Céus” JR 7:18. Esta aí diante dos seus olhos, a RAINHA DO CÉU vestida de azul e púrpura, como reza o texto sagrado. Também a estátua da ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 148
    • liberdade na verdade é uma representação de Ishtah do Egito, ou Columbia que é mais uma camuflagem de Semíramis. Páscoa em inglês é exatamente Ishtar, o nome dessa deidade que a igreja católica apostata romana mandou que celebrássemos sua páscoa no primeiro domingo após a quaresma. Época em que as mulheres faziam bolos à “Rainha dos céus’’ que é exatamente as hóstias A Hótia Solar modernas oferecidas ao sol. A palavra HÓSTIA, na verdade, é uma homenagem a deusa da terra, HÉSTIA; irmã do ser que deu origem ao termo Deus, Zeus. Toda esta Abominação antiga ganhou uma roupagem nova e invadiu nosso mundo. O livro de Gerhard Herm O reino de púrpura da antiguidade – Os Fenícios – Pág. 122 nos diz o seguinte: “O Panteão Fenício era constituído de tal maneira que qualquer cidadão dos nossos dias, provido de uma cultura humanística, não teria dificuldades de se familiarizar com suas deidades. É provável também que todo católico de boa formação, capaz de ver a Santíssima Trindade como um fenômeno situado para além de todas as conotações litúrgicas, acabasse sentindo a mesma coisa... Na cúpula dessa tríplice combinação havia um deus-pai o qual, mais tarde, os gregos costumavam identificar como Cronos. A seu lado estava sua mulher, ASHERA (Ashera Yam – A Senhora dos mares, na atualidade, Nossa Senhora Aparecida) ou ASTARTÉIA, que em biblos se denominava BAALAT, palavra que se pode traduzir, um pouco livremente, pela expressão NOSSA AMADA SENHORA. A essas deidades deve-se acrescentar seu filho comum, o Deus Baal, que os giblitas denominavam também como Adon, Adoni ou, com mais graciosidade, Adônis, isto é, o Senhor, enquanto os habitantes de Tiro testemunhavam-lhe sua devoção sob o nome de Melcart. Os sidônios o chamavam de Eshmun.” Na página 123, Herm cita uma prece feita por um monarca giblita endereçada a deusa Baalat: “Peço que nossa senhora de Biblos abençoe a mim, Yehalmik, rei de Biblos, mantedo-me vivo e prolongando os meus dias e anos, para que continue a reinar sobre Biblos, pois não passo, agora, de um príncipe” Baalat era conhecida ainda como INNIM, para os sumérios; da mesma forma para os babilônicos, ISCHTAR e para os egípcios ÍSIS. Como diz Herm: “Para todas as pessoas ela representava a MÃE CELESTE ou mesmo uma MÃE TERRENA, capaz de satisfazer as necessidades instintiva de segurança e calor dos seres humanos” COMENDO LEITÃO ASSADO EM VINGANÇA À BAAL THAMUZ (CRISTO ROMANO) O RIO ADÔNIS Conhecido também como Nahr Ibrahim, o Rio Adônis foi o local, em que se acredita que Baal-Adon (Tamuz) encontrou a morte. Diz à lenda que ele teve que lutar com um porco selvagem (na “verdade”, ARES, que cheia de ciúmes se transformou em um javali) que acabou ferindo o deus na parte interna da coxa, enquanto o mesmo caçava, o que acarretou sua morte. Essa morte, porém, assim ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 149
    • informa Luciano historiador grego, volta a ser perpetrada novamente pela natureza, a intervalos de tempos regulares. “A cada ano, cobre-se ele (o rio) de cores sanguinolentas.... uma grade superfície do mar é tingida com sua cor vermelha, através da qual ele anuncia aos moradores de Biblos a chegada do tempo de luto”. Como todos sabem, o dia 25 de dezembro é o dia do nascimento do deus sol, então sempre nesta data, matava-se um porco em vingança ao seu ídolo, que tão tristemente aos quarenta anos, tinha partido prematuramente, mas para sua memória ficou perpetradas as famosas “quaresmas” e as ceias de natal, tendo é claro, sempre um leitão assado para ser teimosamente devorado. As mulheres de Biblos, continua Luciano, davam início aos “ritos secretos” do culto de Adônis (Thamuz) que ocorriam no templo de Balat (Afrodite/Semíramis). “Elas batem no peito, choram e lastimam-se, para, finalmente, quando findam seus choros e lástimas, oferecer oferendas a Adônis, como se ele tivesse de fato morrido”. Essa prática é relatada nas Escrituras sagradas, no livro de Ezequiel 8:14: “Depois me levou à entrada da porta da casa do Eterno, que olha para o norte; e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando por Thamuz”. Já hoje em dia esse rito acontece, dentro do sincretismo, como a Paixão de Cristo! A cruz de Cristo A própria cruz de Cristo tem sua simbologia maior para Roma, pelo fato dela representar o Tau grego, que é o “ T’’ de Thamuz. Não é novidade dizer que o sinal da cruz feito com a mão, símbolo máximo da trindade, advém muito antes do nascimento do messias, e que é tanto utilizado pelos padres quanto pelas benzedeiras e agoureiras, que lançam mão de um “ramo” (Thamuz) para tais práticas. As encruzilhadas também são utilizadas pelos adeptos de magia negra. Enfim, a cruz se encaixa em qualquer credo, até mesmo entre os Satanistas, que gostam de roubá-las dos cemitérios e pendurá-las no centro de suas salas. A SEMENTE DA MULHER PARTE II A versão de Ha’Satã para A SEMENTE DA MULHER fora muito bem planejada. Assim como Miriam (mãe de Ye’shua) tivera sua semente posta pelo poder do Eterno, Semíramis disse ter engravidado de Baal Ninrode. A mãe de Ye’shua fora escolhida para carregar em seu ventre a RAIZ DE JESSÉ, o nome Semíramis significa “A portadora do ramo”; Assim como Ye’shua fora chamado de broto ou renovo: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a David um Renovo justo’’ Yirme’Yahuh (JR) 23:5 Também Thamuz quer dizer “BROTO’’. Tem também as comparações forçadas pela igreja católica para tão somente desvirtuar a fé, tais como: “Maria a mãe de Deus”, uma vez que Semíramis é mãe de Baal Thamuz. Note que Ninrode é DEUS PAI de Thamuz, e é ao mesmo tempo DEUS FILHO de Semíramis; daí o deus pai e o deus filho do cristianismo! A trindade composta pelo “Pai-Filho-Pomba”, não ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 150
    • precisará repetir quem realmente representa! Tem também o famoso 25 de dezembro, data do nascimento de Thamuz forçadamente decretada por Roma como nascimento do “Messias” que com certeza, não é o Filho de Elohim de Israel. Por falar no “Messias” Jesus Cristo de cabelos longos olhos azuis, traços germânicos com trajes finos e arredondados, uma personificação descarada de Thamuz com uma roupagem romana, até a data de seu nascimento é a mesma, sem falar no sol por detrás de sua cabeça. Este não tem a mínima comparação com o Mashiach Ye’shua, o nosso Salvador Judeu, sem formosura alguma: “Pois foi crescendo como renovo perante ele, e como raiz que sai duma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e quando olhávamos para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemo” Yesha’Iahu (IS)53:2 O SINAL DA CRUZ A cruz representa a “trindade” e igualmente Thamuz, uma vez que simboliza o “T” que é a inicial de seu nome. O maior símbolo da Igreja Católica remonta uma historia muito antiga e sem dúvida é um sincretismo religioso. Neste livro SÍMBOLOS DA NOVA ERA vol. 2 pag. 38, mostra claramente que a cruz em forma de Tau vem do Egito, posterior a terra de Shinar No mesmo livro, na página 26, relata que a cruz em Tau passara a ser usada como um amuleto utilizado pelo povo em geral “traçando no ar este sinal” que representava o martelo de Thor (variação da abreviação de Thamuz). Diz também está presente na mitologia africana, e tem estreito relacionamento com o raio, cujo deus, Xangô, tem o machado de dois cortes como arma (outro símbolo da cruz). Mediante tudo isto, toda esta idolatria, o meu apelo é que A verdadeira Semente da Mulher, Ye’shua Há Mashiach volte e esmague a cabeça da Serpente juntamente com a de Ninrode, Semíramis e Thamuz. Estes são meus sinceros votos! Para meditar: “A sabedoria nasce na curiosidade, cresce no esforço e casa-se com a humildade” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 151
    • O GRANDE YON KIPPUR DE 2018 Não quero ser mais um que prevê dia e hora para o retorno do Mashiach Ye’shua, espero não cair neste mesmo erro de muitas pessoas que desconsideraram o que o próprio ‫יהוה‬ Yáhuh afirmou: “Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” MT 24:36 Mas temos uma admoestação do próprio Ye’shua para ficarmos apercebidos quanto este grande acontecimento: “Aprendei, pois, a parábola da figueira: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas” MT 24:32,33 “E quando vedes soprar o vento sul dizeis; Haverá calor; e assim sucede. Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo?” LC 12:55 Estive muito preocupado quanto essa questão da contagem cronológica universal, tanto desse espúrio calendário solar do papa gregoriano, quanto também, do calendário judaico solo-lunar; que a meu ver tinha algum erro comparado com os estudos escatológicos e sistemáticos das profecias dos tempos. Porem fazendo uma junção de informações, temos talvez uma das mais importantes informações codificadas nas Escrituras: O retorno de Ye’shua. Cada um tem o direito de crer no que quiser, pois este estudo não é impositivo e nem em hipótese o martelo do juiz. Porem é no mínimo estarrecedor! CALENDÁRIO JUDÁICO: De acordo com os rabinos de Israel, hoje em 2.010, no calendário gregoriano, estamos exatamente no ano 5.770 desde a criação do homem, ou seja, desde Adam (Adão). E neste mesmo ano em setembro de 2.010 o homem completará 5.771 anos. Isso implica que já completamos o quinto milênio e estaremos nos anos 771 do sexto milênio. Levando em consideração a profecia semanal do Shabat (sábado) que nos dá a cada ciclo de sete dias, um dia de descanso e dentro desta completude, um dia para o Senhor é como mil anos: “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia” 2ª Kefah (Pd) 3;8 “Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou” SL 94:4 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 152
    • Então o Shabat sempre profetizou acerca do milênio: Seis dias para o homem, um dia para o Senhor; Isto é: 6.000 anos para o homem, 1.000 anos para o Senhor! O milênio Shabático: “Então vi uns tronos; e aos que se assentaram sobre eles foi dado o poder de julgar...e não adoraram a besta (o poder romano) nem a sua imagem,( o falso Mashiach, o cristo de Roma) e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com o Mashiach (Messias) durante mil anos (o milênio Shabático)” Guiliana (Ap) 19:4 Levando isto em consideração e voltando ao calendário judaico, temos 5.771 anos, ou seja, 771 anos do 6º milênio, que nos da uma margem de 229 anos para o 7º milênio, ou o milênio shabático. Aqui é que entra o grande problema, 229 anos me parece muito tempo para um estabelecimento milenar. Pelos eventos que se sucedem, me leva a acreditar que não temos todo este tempo para o extraordinário retorno do Mashiach Ye’shua. Mas o grande desafio é descobrir o porquê deste erro cronológico na contagem do calendário judaico. O ponto principal a tomarmos é entender os tempos pré- estabelecidos em que o Eterno determinou para agir. A partir da Pêssach (Páscoa judaica) é que o ano religioso se abre em Israel para atingir todas as nações, começando um ciclo interminável de sete. Após a Pêssach Elohim pede uma assembléia a cada sete dias, a cada sete semanas, a cada sete meses, a cada sete anos e a cada sete semanas de anos. Após a Pêssach 7 dias , festas dos Ázimos (matzot em hebraico) 7 semanas, festas de Shavuoth (Pentecostes) 7 meses, festa de Hosh Há’Shaná (Ano novo judaico) 7 anos, Shabat de descanso ou ano Shabático 7 vezes 7 anos, Jubileu, O ano da remissão. CONSIDERANDO A PROFECIA DE DANIEL: “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Yerushalaim (Jerusalém) até o Ungido, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; com praças e tranqueiras se reedificará, mas em tempos angustiosos” Dn 9:25 A ordem para reedificar Yerushalaim, (Jerusalém) saiu em 457 dada por Artaxerxes. Também temos a informação que até O Ungido, O Príncipe, os yehudim (judeus) teria 7 semanas e 62 semanas, ou seja, 69 semanas proféticas, que são 483 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 153
    • dias proféticos. Aplicando o fator muito usado na própria escritura sagrada, 1 dia profético equivalendo a 1 ano literal, então temos 483 anos. Isto quer dizer que, desde a ordem de Xerxes, para restaurar Yerushalaim, em 457 AD até ao Ungido Príncipe, que é o Mashiach teria que ter exatos 483 anos, ou 69 semanas proféticas: Agora subtraia 483 anos da profecia, pelos 457 A D, que é exatamente o ano da ordem para reedificar Yerushalaim, e chegaremos há 26 da era Messiânica: 483 anos proféticos -457 ordem de Xerxes 26 da era comum + 4 anos de erro do calendário gregoriano para chegarmos exatamente ao ano 30 da era comum, ano em que Ye’shua fora imergido e feito Mashiach (Ungido Príncipe.) “E Ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” Dn 9:27 Após o seu Míkver (batismo) Ye’shua, aos 30 anos, começara seu ministério, dando início à última semana de Daniel. A profecia aponta que na metade da semana (após três anos e meio), Ele faria cessar o sacrifício e a oblação: “E Ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” Dn 9:27 O que automaticamente nos leva ao ano 33,5 da era comum, quando incrivelmente Ye’shua fora sacrificado, fazendo assim cessar todo o tipo de sacrifícios de animais pelo pecado. Esta aliança com o povo de Israel continuou por mais três anos e meio que foi a segunda parte da semana profética até ao apedrejamento de Estevão, no ano 37 da era comum. A partir daí os goim (gentios) passaram a fazer parte da Kerrilá (congregação) de Ye’shua. HaMashiach. Um fator importante para este estudo é a questão do dia da morte de Ye’shua. Roma tende a afirmar que o messias morreu numa sexta e ressuscitou em um domingo. Mas isso entra em uma grande contradição com o que disse o próprio Mashiach: “Pois, como Yonah (Jonas) esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra” MT 12:40 Se Ye’shua realmente fora morto numa sexta à tarde, Ele só poderia ter ressuscitado na segunda à tarde para que pudesse completar os três dias e três noites no seio da terra. O maior argumento dos defensores desta tese é o fato de Ye’shua ter morrido em um dia de preparação para um sábado. Mas, o que a grande maioria esmagadora de pessoas desconhece é que existem vários sábados nas escrituras e não somente o sábado do 7º dia (LV 16:31; EX 31:13). A véspera do sábado em questão ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 154
    • era o sábado de Pêssach (páscoa), e não o sábado semanal. Por isso eles chamaram aquele sábado de grande: “Ora, os judeus, como era a preparação, e para que no sábado não ficassem os corpos no madeiro, pois era [grande] aquele dia de sábado” Yohanam (João) 19:31 Na festa de Pêssach, Israel comemorava a sua saída da escravidão do Egito, pois este dia era o dia da independência de todo o Israel, por isso fora chamado de Shabat Ha’Gadol (Grande Sábado, ou Grande Descanso), pela a suma importância do dia para cada Yehudi (Judeu). SE NÃO FOI NO SEXTO DIA, QUAL FOI ENTÃO O DIA EM QUE O NOSSO SALVADOR MORREU? É só analisarmos cuidadosamente Matitiahu (MT) 28:1: “No fim do [sábado], quando já despontava o primeiro dia da semana, Míriam Magdala e a outra Míriam foram ver o sepulcro” MT 28:1 O que representa a expressão “No fim do Sábado” para os Judeus? Bom, sabemos que o Eterno estabelecera na Torah (Livros da Lei) que cada dia seria contado de por do sol à por do sol, ou seja, na viração do dia. O método usado atualmente de contagem a cada 00:00 hs (“MEIA NOITE”), é um método babilônico, pois assim como os Miz’rraim (Egípcios), os caldeus acreditavam que à meia noite os “espíritos” ficavam mais próximos dos humanos. Daí talvez a fábula “Mistério da meia noite”. A expressão no fim do sábado, não quer dizer depois da meia noite, e sim após o por do sol. Baseado nesta informação de Matitiahu, que no despontar do 1º dia da semana Ele já havia ressuscitado, ou seja, Ele ressuscitara no Shabat à tarde. Agora é só regredir três dias para sabermos que fora no 4º dia da semana que o Mashiach morrera: “E na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” Dn 9:27 Fora exatamente no 4º dia que Ye’shua fora sacrificado por nossos pecados. 4º dia véspera do Shabat Há’Gadol de Pêssach (páscoa) Ye’shua morre: 5º dia Shabat Há’Gadol de Pêssach ( dia de descanso) 6º dia da semana; 7º dia Shabat Shalom (Sábado de Paz) no por do sol Ye’shua ressuscita! A Menorah (Candelabro) que também representa os 7 dias da semana com suas 7 hastes, nos traz uma grande informação. Cada número em hebraico é representado por ‫א‬ ‫ב‬ ‫ג‬ uma letra. O álef ( ) representa o nº1, o Bêith ( ) representa o nº 2, o Guímel ( ) o ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 155
    • ‫ד‬ ‫ה‬ ‫ו‬ ‫ז‬ nº 3, o Dáleth ( ) o nº 4, o Hê ( ) o nº 5, o Vav ( ) o nº 6 e o Zain ( ) o nº 7. A grande revelação é que a quarta haste, que é também a haste central, é representada ‫ד‬ pela letra hebraica Dáleth ( ), que tem o valor numérico de 4 e representa o quarto dia da semana, e tem também a conotação de Porta. Ou seja, Ye’shua morreu no quarto dia e abriu a porta que é o acesso direto com o Pai. “E na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” Dn 9:27 Esta semana profética, representa 7 dias, representa 7 anos e representa 7 milênios. Ye’shua morre e tira o sacrifício na metade dos 7 dias e na metade dos 7 anos, como já vimos. Só nos resta saber se Ele morreu também na metade do 7º milênio, ou seja, nos anos 3.500 desde a criação. Bom, para isso voltaremos ao calendário gregoriano, que afirma estarmos no ano 2.010 após o nascimento do Mashiach. Também o calendário judaico diz que estamos há 5.771 anos desde a criação. Então subtraiamos 5.771- 2.010 para chegarmos em 3.761, que é a suposta data para o nascimento do Mashiach, somando mais 33 anos até o seu sacrifício, isto nos levará há 3.794, menos 4 de erro gregoriano, 3.790, que foi o ano da morte de Ye’shua! Então, para que Ye’shua morresse na metade da semana milenar Ele deveria ter morrido em 3.500, e não em 3.790. A margem de erro aqui e de 290 anos a mais, muito parecido com o descabido 229 anos que ainda faltam para chegarmos ao reino milenar de Ye’shua que é o 7º milênio. Observe agora a parábola da figueira (Israel): ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 156
    • “Aprendei, pois, a parábola da figueira (Israel): Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas” MT24:32,33 QUANDO FOI QUE A FIGUEIRA, OU ISRAEL BROTOU SUAS FOLHAS? Em 14 de maio de 1948, quando depois de quase 19 séculos sem pátria, os judeus voltaram para sua terra, através da PROCLAMAÇÃO DO ESTADO DE ISRAEL. Este grande acontecimento fora profetizado pelo profeta Yeshaiahu (IS) 66:8: “Quem jamais ouviu tal coisa? quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? nasceria uma nação de uma só vez?” Ye’shua depois de fazer a comparação do renascimento de Israel com o desabrochar da figueira, Ele continuou: “Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram” Matittiahu (Mt)24:34 Uma geração de acordo com a palavra de Elohim, é de 70 anos, conforme os Salmos 90:10: “A duração da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e enfado” Tehilim (SL) 90:10 Quando Ye’shua profetizou, Ele tinha 33 anos, depois de passados 37 anos a profecia se cumpriu, com a destruição da cidade de Yerushalaim (Jerusalém) e do Templo sagrado de Israel em 70 depois do Mashiach, através do General romano Tito. Exatamente quando aquela geração de Ye’shua completava 70 anos, nem 71, nem 69, Exatamente 70 anos. Quero te informar que hoje, em 2.010, Israel tem a idade de 61 anos desde sua proclamação e soberania, faltando pouco menos que 9 anos para atingir uma geração Bíblica. Em 2.018, Israel estará completando 70 anos, por incrível que pareça em setembro deste mesmo ano em 10 de Tishrei, dia de Yon Kippur (O dia do Juízo) abrirá também o ano de Jubileu (ano de Jubilar) para Israel, que é comemorado apenas a cada 50 anos. Festa de restituição de posses ordenada na Torá pelo Eterno! Não sou matemático mais a probabilidade para tanta coincidência seria a de zero em um Milhão! Imagine no dia 14 de maio de 2018, Israel completando 70 anos e em setembro do mesmo ano fazendo um jejum de 24 hs, para obter perdão de Elohim, conforme prescreve o Livro da Lei (Torah): “Ora, o décimo dia desse sétimo mês será o dia da expiação (Yon Kippur); tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas... Nesse dia não fareis trabalho algum; porque é o dia da expiação, para nele fazer-se expiação por vós perante o Eterno vosso Elohim...Sábado ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 157
    • de descanso vos será, e afligireis as vossas almas; desde a tardinha do dia nono até a outra tarde” Devarim (LV) 23:27-32 Imagine também que em 2018 será o Ano do Jubileu (Ano da remição) que só é comemorado a cada 50 anos: “E santificareis o ano qüinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus habitantes; ano de [jubileu] será para vós; pois tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família” Devarim (LV) 23:27-32 “Assim diz Elohim: No TEMPO ACEITÁVEL (jubileu) te ouvi, e no DIA DA SALVAÇÃO (que é a volta do Mashiach) te ajudei; e te guardarei, e te darei por pacto do povo, para restaurares a terra, e lhe dares em herança as HERDADES ASSOLADAS (Eretz Israel = terra de Israel) ” Ieshaiahu (IS) 49:8 Também no capítulo 61 e versos 1 a 3, podemos compreender os três grandes acontecimentos: O dia do juízo (Yon Kippur); O Jubileu (o ano aceitável da Senhor) e a volta de Ye’shua (o dia da vingança de Elohim). “O Espírito do Senhor Elohim está sobre mim, porque o Eterno me ungiu para pregar boas-novas aos mansos... restaurar os contritos de coração (O grande Jejum de Yon Kippur), a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos. A apregoar O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR (JUBILEU) e O DIA DA VINGANÇA DO NOSSO ELOHIM (QUE É A VINDA DE YE’SHUA); a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos que choram em Sião (YERUSHALAIM) que se lhes dê uma grinalda(Veste para a noiva Israel) em vez de cinzas(UMILHAÇÃO), óleo de gozo (UNÇÃO ) em vez de pranto, vestidos de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem ÁRVORES DE JUSTIÇA (A OLIVEIRA, RM 11) plantação do Senhor, para que Ele seja exaltado” Ieshaiahu (IS) 61:1-3 Isto implica que em14 de maio 2018 será o ano setuagésimo (70) para Israel, e neste ano cairá o ano qüinquagésimo (50) de jubileu e, se o raciocínio for verdadeiro, a abertura do sétimo (7º) milênio, o Shabat (sábado) dos milênios! Observe atentamente o que diz o Sefer Chanoch (Livro de Enoque) o sétimo depois de Adam (Adão). Este livro foi descoberto juntamente com os manuscritos do mar morto em Qum’ram: 1 “E no CINQUENTÉSSIMO ano, e no SÉTIMO MÊS e no DÉCIMO QUARTO DIA DO MÊS na vida de Chanoch, naquela parábola eu vi como um poderoso tremor fez o céu dos Shamaim (céus) tremer, e a hoste de El-Elion, e os anjos, mil vezes milhares e dez mil vezes dez milhares, se inquietaram com grande inquietude. 2 E o Ancião de Dias se assentava no trono do Seu Poder, e os anjos e os justos permaneciam ao redor dEle.” Chanoch 60:1,2 Os elementos codificados que encontramos são: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 158
    • -Ano cinquentésimo (50º); -Sétimo mês (7º); -Décimo quarto dia (14º); - Chanoch o sétimo (7º) da linhagem de Adam (Adão); - O Eterno assentando no Trono para julgar: Descodificando: -O ano cinquentésimo (50º): representando o jubileu (ano de jubilar de alegria) que é o 50º ano que acontecerá em 2018; - o sétimo mês da vida de Chanoch: Simboliza o 7º mês (Thishirei) o mês de Yon Kippur (Dia do Juízo) que acontecerá em setembro de 2018; - O décimo quarto dia em que Chanoch teve a visão do Juízo de Elohim: Também em quatorze (14) de maio de 2018 a oliveira (Israel) completará uma geração bíblica (70 anos). - Chanoch é o sétimo depois de Adam (Adão) e teve uma visão do juízo de Elohim que abrirá o início do sétimo milênio: Verso 6 dentro do contexto: “E quando o dia, e o poder, e a punição, e o juízo vierem, que ‫ י ה ו ה‬YÁHUH Tseva’ot preparou para os que não se curvam à justiça da Torá, e para os que negam o julgamento reto, e para aqueles que tomam o Seu Nome em vão – aquele dia é preparado – para os escolhidos, uma aliança, mas para os pecadores uma inquisição” Agora observe Chanoch 60:1,2 novamente com outro prisma: 1 “E no cinquentésimo ano (o grande jubileu de 2018), e no sétimo mês (Thishirei, o mês do Yon Kippur/dia do juízo de 2018) e no décimo quarto dia do mês (dia também em que Israel estará comemorando 70 anos em 2018) na vida de Chanoch (o sétimo que teve a visão do dia do 7º milênio), naquela parábola eu vi como um poderoso tremor fez o céu dos céus tremer, e a hoste de El-Eliyon, e os anjos, mil vezes milhares e dez mil vezes dez milhares, se inquietaram com grande inquietude. 2 E o Ancião de Dias se assentava no trono do Seu Poder, e os anjos e os justos permaneciam ao redor dEle.” Chanoch 60:1,2 Se de fato Ye’shua retornar em 2.018 daqui há 8 anos, e estabelecer o 7º milênio que é o milênio Shabático, então hoje em 2.010 não estamos em 5.771 e sim em 5.992, uma diferença de 222 anos. “Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca procedem o conhecimento e o entendimento; ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos” PR 2:6 Para meditar: “A voz de um sábio é loucura para a mente no presente e chicote para o corpo no futuro” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 159
    • As Sete Kehilot Este estudo tem a finalidade de explorar, talvez uma visão incomum sobre as sete Kehilot (congregações) da Ásia Menor. Compartilhando um pensamento de que este texto além de literal (que se referia aos acontecimentos contemporâneos de Yohanam (João) enquanto preso em Patmos), também conota um período que se desenrola deste que foi revelado até a volta extraordinária de Yeshua Hamashiach! A idéia que compartilho, é que as revelações em cada uma das sete Kehilot em Patmos, simbolizam sete períodos em que a Kahal (congregação) de Yeshua passaria desde as profecias até a consumação dos séculos. Quem deu a profecia: Guiliana (Ap) 1:1 – “Revelação de Yeshua Ha’Mashiach, que Elohim lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e, enviando-as pelo seu anjo, as notificou a seu servo Yohanam” Plano hierárquico: Elohim revela o futuro à Yeshua, seu filho. Este revela ao anjo que transmite à Yohanam que passa os avisos as Sete Kehilot da Ásia (verso 11). Quais eram as sete Kehilot? Verso 11- “O que vês, escreve-o num Sêfer (livro), e envia-o às sete igrejas: a Éfeso, a Esmirna, a Pérgamo, a Tiatira, a Sardes, a Filadélfia e a Laodicéia” Há uma ordem nos nomes das Kehilot tanto geograficamente, quanto simbolicamente. É possível perceber porque a exatidão em relação à ordem organizacional com relação aos nomes das Kehilot: a)- Entendendo a ordem dos nomes geograficamente: Perceba que Yohanam estava isolado em uma ilha chamada Patmos. Para que as cartas escritas por ele chegassem aos respectivos destinos, Yohanam deveria contar com mensageiros (certamente yehudim (judeus) nazarenos). Repare também pelo mapa, como a ordem dos nomes das cidades citadas na profecia, coincidia com a distancia das mesmas em relação à localização do profeta: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 160
    • ORDEM DOS NOMES GEOGRÁFICA: NA PROFECIA EQUIPARA-SE A ORDEM A - Partiu da ilha de Patmos B - Éfeso C - Esmirna D - Pérgamo E - Tiatira F - Sardes G - Filadélfia H - Laodicéia. O primeiro nome citado corresponde à cidade mais perto de onde se encontrava o profeta. O segundo nome citado equivale à segunda cidade e assim sucessivamente. b)- Entendendo a ordem dos nomes proféticamente: Assim como no ponto de vista geográfico há uma exatidão correlacionando os nomes e as distancias. Também há uma estrondosa correlação entre a ordem dos nomes com seus significados escatologicamente. Lembrando que partimos do pressuposto que cada Kehilá representa uma fase em que a Kahal de Yeshua passaria no desenrolar do tempo. No entanto, vale ressaltar que estas profecias foram de encontro às necessidades momentâneas da época de Yohanam. ESTE RACIOCÍNIO TEM COMO BASE O VERSÍCULO 19: “Escreve, pois, as coisas que tens visto, e as que são (ou seja, profecias para o presente), e as que depois destas hão de suceder (as mesmas profecias para o futuro)” 1ª KEHILÁ PRIMEIRO NOME E A PRIMEIRA FASE DA KAHAL DE YESHUA NA TERRA: Nome: Éfeso Significado da palavra: “Desejável” Período representativo: 31 a 100 depois do Mashiach Duração: 69 anos ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 161
    • Este período representa uma fase pura, quando os novos convertidos respiravam uma sã doutrina deixada pelo próprio Yeshua. O período “desejável” representado por Éfeso que quer diser “desejável” é de 69 anos e vai desde a morte de Yeshua às profecias de Yohanam. Ou seja, o primeiro século; onde a congregação de Yeshua tinha como líderes os verdadeiros Talmidim (discípulos). Qualidade de Éfeso: Sua maior qualidade era a de por à prova os falsos líderes: Versos 1,2: “Ao melach (anjo = mensageiro) da igreja em Éfeso escreve... Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança; sei que não podes suportar os maus, e que puseste à prova os que se dizem talmidim (apóstolos) e não o são, e os achaste mentirosos” Shaul (“Paulo”) profetizou sobre a maior dificuldade que esta Kahal passaria: “Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão rebanho, e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si. Portanto vigiai, lembrando-vos de que por três anos não cessei noite e dia de admoestar com lágrimas a cada um de vós” At 2o: 29-31 O que tudo indica é que esta congregação não se esqueceu deste aviso. Aquilo que ocasionaria sua maior ruína, tornou-se seu maior mérito, o de provar os falsos mestres! Elogio: “E tens perseverança e por amor do meu nome sofreste, e não desfaleceste” O nome de Yeshua ocasionava perseguição despertando o ódio de judeus e gentios. O que não é diferente em nossos dias. Mesmo os teólogos de hoje conhecendo este Maravilhoso Nome, no fundo, odeiam-no rejeitando-o! Advertência: “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor” Depois do primeiro século, doutrinas estranhas começaram a entrar no corpo do Mashiach. Doutrinas estas que foram profundamente resistidas pelos Talmidim (discípulos) de Yeshua enquanto vivos! 2ª KEHILÁ Nome: Esmirna Significado da palavra: “Mirra ou Cheiro Suave” Remonta-nos ao Incensário. Período representativo: de 100 a 323 depois do Mashiach; Duração: 223 anos. Neste período, os Kedoshim (santos) de Elohim sofreram um ferrenho martírio imposto por Roma. Muitos talmidim morreram dando testemunho da Verdade. Entregaram suas vidas como ofertas voluntárias à Elohim. Como o próprio nome da ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 162
    • Kahal que representa esta fase testifica: Esmirna (Mirra e etimologicamente “Cheiro suave”)! Qualidade de Esmirna: Ser provado na tribulação: Cap 2:9,10 – “Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que dizem ser yehudim (judeus), e não o são, porém são sinagoga de ha’Satã. Não temas o que hás de padecer. Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” A frase “Ser fiel Até a morte” aponta justamente para o que representa o período de Esmirna. Para compreender a escatologia profética e o que realmente significa é preciso, primeiro entender a profecia do seu ponto de vista literal. O que se passava com Esmirna na época em que foi escrito e enviada sua carta por Yohanam? Os servos de Esmirna enfrentaram a Beith haSatã (Casa do Diabo) Analisando o texto: “...e a blasfêmia dos que dizem ser iehudim (judeus), e não o são, porém são sinagoga de ha’Satã” 1º Grupo de opositores: Comunidade judaica Em Esmirna que combatia fortemente os nazarenos (ou judeus messiânicos) daquela região. Ao oporem-se à doutrina de Yeshua, estavam lutando por haSatã achando estar prestando algum serviço à Elohim. 2º Grupo de opositores: Grupo fiel a Roma que defendia o culto ao imperador. Conclusão: Perseguição implacável tanto de judeus quanto gentios! Verso 10: “Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias” Cada dia literal representa um ano profético sendo que, 10 dias literais = 10 anos proféticos! Este período pode ser testemunhado pela grande perseguição que se acendeu por parte de Roma aos judeus messiânicos ocorrido entre 303 a 313 depois do Mashiach. Este tempo de 10 anos de angústia, foi proporcionado pelo imperador romano Diocleciano. Outro relato digno de nota é a frase: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida”. Por que Elohim usaria esta frase para Esmirna? A resposta esta no fator cultural da época. Esmirna era famosa pelos seus jogos atléticos. Os vencedores eram premiados com os “louros da Victória”. Ou seja, ao invés dos louros em honra da deusa Victória (a mesma que aparece nos troféus ainda em nossos dias). Elohim ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 163
    • oferece a “Coroa da vida” metáfora usada para representar a vida eterna. Este raciocínio fica ainda mais explícito com a última frase antes de passar à outra Kahal: “Quem tem ouvidos, ouça o que a Ruach (Espírito) diz às Kehilot. O que vencer, de modo algum sofrerá o dado da segunda morte” 3ª KEHILÁ Nome: Pérgamo Significado da palavra: “Altura/elevação” Período representativo: De 323 a 538 depois do Mashich Duração: 215 anos Este período vai desde 323 onde termina a fase chamada Esmirna. Neste período, Roma conseguiu infiltrar-se dentro do movimento judaico-messiânico (ou nazareno) com recompensas, editos, dogmas e promessas de cargos eclesiásticos no governo. Desta forma, induziu o povo a torna-se cristão (palavra que conota a mescla do judaísmo com o mitraísmo). Trouxe assim, um dilúvio de mundanismo para Kahal e, como não podia ser diferente, moveu os marcos antigos, adulterando os princípios previamente estabelecidos pela Torah (Lei). O Próprio nome Pérgamo já dá este parecer, “Altura/Elevação”. Roma auto proclamou-se soberano, supremo. A expressão elevação também traz a idéia de acrescido, como uma massa de trigo por causa do fermento. Neste caso, símbolo do pecado. Estendido o período até 538 quando Roma atinge a supremacia papal, derrotando os últimos três poderes que, de forma eficaz se opunham; os Ostrogodos, os Vândalos e os Hérulos. Estes três combateram desde 508 quando Roma anunciou oficialmente a supremacia do bispo de Roma sobre os ouros bispos de outras localidades. Advertência: “Sei onde habitas, que é onde está o trono de haSatã” Verso 13 Fator cultural: Pérgamo era literalmente conhecida como “onde está o trono dos deuses”. Adepta do helenismo (cultura grega) era o centro das quatro seitas: as de Zeus, Dionísio, Asclépio e Atenas. O principal era a seita de Asclépio, divindade da medicina representada por uma serpente (a mesma encontrada nos logotipos de farmácias e drogaria de nossa medicina atual). Pessoas de todo o mundo iam peregrinar para lá em busca do socorro de Asclépio. Pérgamo Foi edificada a 300 metros de altura sob uma colina (disto deriva seu nome, “altura/elevação”). Nela também havia uma esplêndida biblioteca aproximadamente de nada mais, nada menos que 200 mil volumes de livros. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 164
    • No verso 14 Elohim adverte que dentre eles, alguns laçavam enganos aos filhos de Israel aconselhado-os que se prostituíssem e que comessem das coisas sacrificadas aos ídolos (sacrifícios direcionados às quatros divindades vigentes ali). O mais interessante é que Elohim em sequência, no verso 17, afirma que se eles arrependessem-se de comerem das iguarias idolátricas, Elohim os daria como verdadeiro alimento “O maná escondido”. Já no período profético de 323 a 538, Roma oferece aos filhos de Israel, como pedra de tropeço, as hóstias oferecidas à “rainha dos céus”. Remove também o Nome de Elohim trocando-o pelo ídolo popular de seu império (Zeus/deus). Elogio: “Mas reténs o meu nome e não negaste a minha fé” A verdadeira fé (Emuná) esta estritamente relacionada com o Nome do Eterno e o combate ardente (como neste texto), para que o mesmo seja mantido. Bendito Seja Yáhuh! 4ª KEHILÁ Nome: Tiatira Significado da palavra: “Arrependimento” - Etimologicamente “Cântico de trabalho”, ou até mesmo “Sacrifício de contrição” Período representativo: De 538 a 1945 depois do Mashiach Duração: 1407 anos Idade de trevas que surge com a supremacia papal em 538. A partir daí, Roma começa as famosas cruzadas (guerras políticas) onde milhões de pessoas morrem em nome do deus de Roma de diversas formas em que homens e demônios possam inventar. Para se ter idéia desta matança, nenhum outro poder desde a criação da terra matou mais que Roma papal. Neste tempo, Elohim chama sua Kerrilá ao arrependimento (que significa Tiatira). Ainda dentro deste espaço de tempo profético, nota-se também a “queda” de Roma por Napoleão Bonaparte em 1798. Novamente a perseguição aos judeus se ascende em 1943 por parte da Alemanha católica/nazista liderada por Adolf Hitler. Paralelismo entre os dias de Tiatira e os dias de Roma Papal: Verso 20 – “Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa” A congragação de Tiatira tolera “Jezabel”. O que significa tal coisa? Para responder é necessário entender que a doutrina de Jezabel consistia em culto de prostituição! Não é a toa que Roma também é apresentada pela figura da Grande meretriz (Ap 17). ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 165
    • “Ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos” Mais uma vez Tiatira entrelaça-se com Roma e seus sacrifícios solares da missa, a páscoa de Ishtar e outras práticas instituídas por Bavel. Para Tiatira o aviso: “E dei-lhe tempo para que se arrependesse; e ela não quer arrepender-se da sua prostituição” Verso 21 Para Roma o mesmo aviso: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas” Guiliana (Ap) 18:4 Para Tiatira o aviso: “E darei a cada um de vós segundo as suas obras” Verso 23 Para Roma o mesmo aviso: “Tornai a dar-lhe como também ela vos tem dado, e retribuí-lhe em dobro conforme as suas obras” Guiliana (Ap)18:6 Apesar de Tiatira ser muito mais uma cidade comercial do que espiritual, residiam ali os que conheciam “As profundezas de Satã” (Verso 23). Mas o que seria estas “Profundezas de Satã”? Algum tipo de ocultismo da pesada praticado ali, é claro. Em Roma pratica-se magia negra descaradamente. Não me portarei a este assunto para não fugir ao tema estudado. Promessa para que vencer a prostituta “Jezabel” de Tiatira: “Ao que vencer, e ao que guardar as minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com vara de ferro as regerá, quebrando-as do modo como são quebrados os vasos do oleiro, assim como eu recebi autoridade de meu Pai” Promessa para quem vencer a meretriz romana: “Depois destas coisas, ouvi como que uma grande voz de uma imensa multidão, que dizia: Halelu’iah! A salvação e a Kevod e o poder pertencem ao nosso Elohim” 5ª KEHILÁ Nome: Sardes Significado da palavra: “Cântico de Alegria”. permanece” Etimologicamente “O que Período representativo: De 1945 a 1948 Duração: 3 anos Este grupo é os remanesceste do grande holocausto nazista. O nome Sardes é bem propício, pois significa “Cântico de Alegria” ou etimologicamente “O que permanece”. Imagine quando em 1945 a Alemanha se rende e todos os sobreviventes dos seis milhões de judeus massacrados são libertos. Este pequeno grupo de sobreviventes, em ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 166
    • apenas 3 anos (1948), presenciaria a proclamação da soberania do novo Estado de Israel, após 19 séculos de espera. Por isso Yeshua profetiza para Sardes: “Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer; porque não tenho achado as tuas obras perfeitas diante do meu Elohim” Guiliana (Ap) 3:1,2. “O que vencer será assim vestido de vestes brancas (em lugar da roupa velha, da e da estrela nazista no peito) e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida (ao invés do nome na lista de fuzilamento ou da câmara de gás) antes confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus melahim (anjos)”. Guiliana (Ap) 3:5 6ª KEHILÁ Nome: Filadélfia Significado da palavra: “Amor fraternal” Período representativo: De 1948 ao início do julgamento nos céus Verso 11: “Venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” Estes remanescentes que sobreviveram o fogo do holocausto têm como coluna de apoio o “Amor fraternal”. Foi pela ajuda mútua que muitos escaparam com vida. “Isto diz o que é separado, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha e fecha, e ninguém abre: Conheço as tuas obras (eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, que ninguém pode fechar)” Versos 7,8 Esta porta representa o caminho de volta para Yerushalaim (Jerusalém) e mais do que isto, para a salvação. A chave de David pode ser entendida por dois prismas diferentes: A – O reino do Mashiach com vara de ferro B – A porta da Beith haMikidash (Templo sagrado) idealizado por David e construído por Shilomom (Salomão). Este templo será reconstruído novamente segundo Ezequiel. Resistindo ao tempo: É incrível como o povo mais perseguido e odiado da terra conseguiu sobreviver a quase dois milênios sem pátria. Olhamos pela janela do tempo e presenciamos o sumiço dos filisteus, dos romanos, dos eteus, amorreus, dos caldeus, porém aí estão os hebreus testemunhando o grande poder de Elohim em suas vidas. As veses penso que o povo juddeu nem precisa pregar, tão somente se considerarmos o fato dele respirar já testificamos que Elohim cumpre todas as suas promessas. Halelu’Iah. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 167
    • O mundo deve primeiramente à Elohim e segundamente ao seu povo escolhido a preservação do Sêfer Torah (Rolo da Lei). Como diz as Escrituras “A eles foram confiados os oráculos de Elohim”! “Sei que tens pouca força, entretanto guardaste a minha palavra (Torah) e não negaste o meu nome”. Verso 10: “Porquanto guardaste a Torah da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr à prova os que habitam sobre a terra” Compare com Ovadiah 1:17: “Mas no monte de Sião haverá livramento, e ele será separado; e os da casa deYaakov (Jacó) possuirão as suas herdades”. Fator cultural: A cidade de Filadélfia foi fundada pelos habitantes de Pérgamo. A linguagem oficial era o grego. A cultura, helênica. No ano 17 depois de Yeshua houve um grande terremoto que destruiu toda a cidade. Repare como as últimas instruções de Elohim para Filadélfia falam justamente da firmeza da cidade da nova Yerushalaim e da “coluna no templo donde jamais sairá”: “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Elohim, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Elohim, e o nome da cidade do meu Elohim, a nova Yerushalaim (Jerusalém), que desce do céu, da parte do meu Elohim, e também o meu novo nome” Verso 12 Ao contrario da cidade de Filadélfia que sucumbira por conta de um terremoto, Elohim lhes promete uma cidade eterna e, eles próprios serão coluna do santuário que jamais serão tirados de lá! 7ª KEHILÁ Nome: Laodicéia Significado da palavra: “Julgamento do Povo” Período representativo: Do abrir dos livros nos céus à vinda de Yeshua Este momento é retratado pelo profeta Daniel no capítulo 7 de seu livro: Versos 13,14: “Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 168
    • Este texto é realmente impressionante. Pois na parte (a) do versículo ele demonstra se tratar da vinda de Yeshua: “e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem”. No entanto, na parte (b) do versículo, revela-se não se tratar da vinda de Yeshua, pelo fato de Yeshua não se direcionar para a terra: “E dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e majestade, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído” . Yeshua direciona-se para defronte ao trono de Elohim e não para a terra. A partir daí, inicia-se o grande julgamento nos Céus o que ocasionará em seu retorno. Veja como a instrução para Laodicéia, a sétima e última congregação é realmente uma mensagem final. Pode-se entender pela expressão Amém que aparece no texto: “Ao melach (anjo) da Kehilá em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Elohim” Guiliana (Ap)14: Fator cultural: A cidade de Laodicéia sofria com o problema de falta de água. Então desenvolveram um sistema muito interessante e não muito funcional. Criaram um aqueduto de água tirado da nascente. No entanto, através do longo percurso que a água fazia para chegar à cidade a água não estava nem quente, nem frio. Mas desagradavelmente morna. “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; Quem deras fosses frio ou quente. Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca!” Versos 15,16 Um fato não menos interessante era o famoso sistema bancário desenvolvido nesta cidade. A manufatura de lã fazia de Laodicéia a mais rica das sete congregações da Ásia Menor. “Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” Elohim usa dos atributos materiais, símbolo de sua ostentação, para retratar a condição espiritual de Laodicéia! A mesma também possuía uma escola de medicina que desenvolveu unguento para os olhos; um tipo de colírio que conhecemos: “Aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças (Não como o famoso sistema bancário que Laodicéia possuía); e vestes brancas, para que te vistas (estas vestes brancas representam a pureza espiritual diferente da manufatura de lã que proporcionava riqueza a cidade), e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas (isto porque o desenvolvido unguento para os olhos, fabricado pela escola medicinal de Laodicéia, não podia curar a cegueira de espiritual que abatia os mesmos)”. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 169
    • “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te.Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz (Torah), e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que a Ruach (Espírito diz às Kehilot”. Gráfico da linha escatológica: Nomes: 1º 2º 3º 4º ÉFESO ESMIRNA PÉRGAMO TIATIRA Cheiro Elevação Contrição Tradução Desejável Suave Períodos: 31 a 100 100 a 323 323 a 538 538 a 1945 Duração: 69 Anos 223 Anos 215 Anos 1407 Anos 5º SARDES O que permanece 6º FILADÉLFIA 7º LAODICÉIA Amor fraternal Julgamento do povo de 1948 ao Durante o 1945 a 1948 Início do julgamento Julgamento à vinda de no céu Yeshua 3 Anos ? ? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 170
    • ARON HAKÓDESH (ARCA DA ALIANÇA) Introdução A terra é o centro do nosso universo e Israel o centro da terra O planeta Terra, por conter vida em si, dentro da visão espiritual é conciderada o centro do nosso universo. Mas a terra também tem um centro e este é Israel: “Assim diz o Yáhuh Elohim: Esta é Yerushalaim (Jerusalém); coloquei-a no meio das nações e das terras que estão ao redor dela” (Ez 5:5) Entende-se que esta remota informação das Escrituras Sagradas tedtifica Israel não apenas como capital espiritual do mundo, mas também do ponto de vista geográfico. Pode-se notar a veracidade da informação constatando no mapa-múndi. Mas o que realmente torna esta afirmação incrível é que Ezequiel não possuía um destes mapas nas mãos quando profetizou que Israel é o centro do mundo com tamanha exatidão. Yerushalaim é o centro de Israel De Israel emana-se a verdadeira luz para todo o globo terrestre: “Também te porei para luz das nações, para seres a minha salvação até a extremidade da terra.” (Is 49:6) - Já o centro de Israel é Yerushalaim (Jerusalém) de onde pulsa o coração nervoso que jorra vida para todo o Israel: “Não jureis por Yerushalaim porque é a cidade do grande Rei” (Mt 5:35). “Como estão os montes ao redor de Jerusalém, assim o Eterno está ao redor do seu povo, desde agora e para sempre” Tehilim (Salmos 125:2). T’sion é o centro de Yerushalaim Por sua vez Jerusalém também possui uma parte central, a mais importante do ponto de vista da fé, T’sion (Sião): “Irão muitas nações, e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Yáhuh (Monte Sião), à casa do Elohim de Y|’akov (Jacó), para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a Torá (Lei), e de Yerushalaim (Jerusalém) a palavra do Eterno.” Is 2:3. A Beith Hamikdásh é o centro de T’sion Por incrível que pareça no cume do monte T’sion, bem na parte central esta o lugar apontado por Elohim para fazer ali habitar o seu Nome, a Beith Hamikdásh (O Templo Sagrado): “E o Eterno apareceu de noite a Salomão e lhe disse: Eu ouvi a tua oração e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício... Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar” É neste lugar onde os olhos de Elohim e seu coração estão perpetuamente fixados! Sião é o Portal por onde se acessa através da tefilá (oração) a visão e a ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 171
    • audição de Yáhuh (Bendito Seja Seu Nome): “Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar” “Pois agora escolhi e consagrei esta casa (Templo), para que nela esteja o meu Nome para sempre; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração perpetuamente” - então quando te perguntarem pelo CORAÇÃO DE ELOHIM responda, SIÃO! O Kadosh Hakadoshim é o centro espiritual da Beith Hamikidásh Mas o Beith Hamikidásh (Templo Santo) também possui um centro que chamamos em língua hebraica de Kadosh Hakadoshim (Santo dos Santos). Na parte central do Kadosh Hakadoshim (Santo dos Santos), justamente dentro do Santo dos Santos a sete passos do norte, sete passos do sul, sete do leste e sete do oeste estava o Aron Hakódesh, a Arca da Aliança ou do Pacto. O utensílio mais sagrado no lugar mais santo de toda nossa galáxia, onde Elohim aparecia a Mosheh avinu. O centro do Aron Hakódesh é as Mitzvot Mas ainda no centro do Aron Hakódesh, no interior da Arca da Aliança estava as Mitzvot (os dez Mandamentos) que por sinal é a síntese das 613 diretrizes contidas na Torah (Pentateuco). Logo o coração ou o centro das dez Mitzvot (Mandamentos) é amar a Elohim de todo o coração (Dt 6:5) e o próximo como a si mesmo (Lv 19:18)! Então concluímos que o resumo de tudo é Ahavá (Amor)! Recapitulando: O Amor é a síntese dos 10 Mandamentos que Por sua vez é o resumo das 613 leis contidas na Torá. As duas tábuas com as 10 Mitzvót ficavam no centro do Aron Hakódesh (Arca) que ficava no centro do Kodosh Hakadoshim (Santo dos Santos). O Santo dos Santos localizava-se como ponto principal no centro da Beith Hamikdásh (Templo Sagrado) e este se encontrava no topo (centro) de T’Sion (Monte Sião) que é o centro de Yerushalaim (Jerusalém). Jerusalém é o centro da adoração em Israel e Israel é o centro de toda Terra. Jerusalém é o protótipo da Nova Yerushalaim que descerá dos Céus à Erétz Israel, (Território Israelita) como sede do governo milenar de Ye’shua. Nosso planeta terra que é o centro da atenção de Elohim em toda a galáxia é também o escabelo de seus pés, assim como o céu o seu Trono. O Trono sustentado sob dois fundamentos centrais, Juízo e justiça (Sl 89:14) porque Elohim é Ahavá, Amor ( Yohanam Álefh (1º Jo) 4:8)! HA ARON (A ARCA) O utensílio mais sagrado para a fé judaica é o Aron Hakódesh (A Arca do Testemunho) que infelizmente, apesar de muitos rumores, ninguém sabe ao certo o que lhe aconteceu. Tanto pode ter sido destruída como estar muito bem guardada para que venha a ser revelada no tempo oportuno. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 172
    • Alguns teólogos defendem a tese de que a Arca foi tomada aos céus baseando-se em apocalipse 11:19. Tudo fruto da ignorância de mentes desprovidas de Torah (Instrução). Eis o texto que estrutura esta crença: “Abriu-se o santuário de Elohim que está no céu, e no seu santuário foi vista a arca do seu pacto; e houve relâmpagos, vozes e trovões, e terremoto e grande saraivada” GUILIANA (REVELAÇÃO – AP) 11:19: O único problema é que esta não é a Arca da Aliança feita por Mosheh (Moisés), mas o protótipo, o modelo para a fabricação da Arca que conhecemos: “Ent~o levantar|s o tabern|culo conforme o modelo que te foi mostrado no monte” Shemot (EX) 26:30 Nota: Para Mosheh (Moisés) fabricar os utensílios da Tenda Sagrada foi lhe apresentado, em visões maravilhosas, os objetos Kadoshim originais. Mosheh assim como Yohanam (João) teve a honra de contemplar estas coisas grandiosas relacionado à Beith Hamikidásh (o Templo) de cima: HIVRIM (HB) 1-5: “Ora, o ponto principal do que estamos dizendo é este: Temos um sumo sacerdote tal, que se assentou nos céus à direita do trono da Majestade, ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, que o Eterno fundou, e não o homem.... os quais servem àquilo que é figura e sombra das coisas celestiais, como Mosheh foi divinamente avisado, quando estava para construir o tabernáculo; porque lhe foi dito: Olha, faze conforme o modelo que no monte se te mostrou” Então a arca que aparece em Apocalipse é a mesma que foi apresentada uma vez a Mosheh no monte Shinai (Sinai): “Abriu-se o santuário de Deus que está no céu, e no seu santuário foi vista a arca do seu pacto; e houve rel}mpagos, vozes e trovões, e terremoto e grande saraivada” HB 11:19 Quando Elohim estava prestes a revelar a Mosheh numa visão transcendental o Beith Hamikidásh (Templo) celeste com todos os seus utensílios, Elohim ordena o mesmo a ficar 40 dias e 40 noites em jejum para obter o nível máximo de santidade, obtendo uma elevação superior; isto é, separação para atingir o nível de plenitude dos anjos. Pois anjos não comem, não bebem, não dormem e não precisam usar o banheiro, uma vês que os mesmos não pertencem a natureza humana. Mosheh também teve que entrar em outra natureza, a divina, para compreender o que veria. Isto implica que deveria estar em Espírito, pois a carne não compreende, muito menos suporta tais revelações! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 173
    • Elohim põe sua Ruach (unção do espírito) sobre Bezalel e Aoliabe Logo a preocupação de Mosheh era a de que ninguém pudesse compreender suas visões, quanto mais fabricar os utensílios do Mishikam (Santuário) com tamanhos detalhes mostrados pelo Ha’shem (O Eterno). Quem poderia compreender sua visão do Mishikam Celestial para que fossem fabricadas com exatidão as ordenanças de Elohim. Foi então a partir daí que Ha’shem selecionou dois homens: Shemot (Êxodo) 35: 30-34: “Depois disse Mosheh aos B’nei Israel (filhos de Israel): Eis que o Yáhuh chamou por nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Yehudá, e o encheu de Ruach (espírito, unção, capacidade), no tocante à sabedoria (Chochmá), ao entendimento (Biná), à ciência e a todo ofício.... para trabalhar em toda obra fina. Também lhe dispôs o coração para ensinar a outros; a ele e a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, a estes encheu de sabedoria do coração para exercerem todo ofício” Nossos sábios nos dizem que Elohim colocou sua Ruach sobre Bezalel da tribo de Yehudá, assim como em Aoliabe da tribo da Dã. A unção foi tal que, somente com as informações de Mosheh, mesmo sem terem vistos o modelo do verdadeiro Templo, conseguiram fabricar os utensílios com eximia perfeição. Sendo que, quando terminavam seus ofícios não conseguiam lembrar-se de nada. O ARON É MAGNÍFICO O Aron Hakódesh é uma obra exuberante e complexa em todos os seus detalhes, emanado da inteligência superior, não desta esfera terrestre, mas sim celestial. Para se entender os vários simbolismos contidos no Aron Sagrado, ou seja, neste recipiente separado, incluindo seu formato, tamanho, composição, geometria, é necessário que estejamos em Ruach (Espírito), pois as revelações da Ruach Hakódesh edificam diretamente a nossa Néfhesh (Alma, vida). O primeiro ponto é entender como foi fabricado a Arca e qual o propósito da sua existência se é que podemos compreender. SHEMOT (ÊXODO) 25:10: “Também farão uma arca de madeira, de acácia” O Aron foi fabricado de madeira de acácia. Mas por que especificamente acácia e não outro tipo de madeira, por exemplo, o cedro que é muito mais fácil para o manuseio artesanal? A acácia é uma madeira nobre, porém muito retorcida o que dificulta muito o trabalho artístico. Será que Elohim não sabia disto? É claro que sim! É neste detalhe que aprendemos uma verdade que nunca deveremos esquecer: A ARCA SIMBOLIZA O HOMEM! Assim como a vaidosa acácia, o homem é de origem nobre, mas seus nós dificultam o trabalho artesão. O pecado em nós, também impossibilita demasiadamente nosso verdadeiro escultor Yeshua há Mashiach pelo poder de seu Pai Elohim operar em nós. A linda e vaidosa acácia foi revestida por dentro e por fora com ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 174
    • o metal símbolo de realeza, o ouro. Também para que possamos comportar a presença de Elohim, temos que ser revestidos pela Ruach (Espírito) de Elohim. Assim como o Aron, fomos fabricados para conter a Sh’hinar (Sheknar, a presença divina) sobre si: “No qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Eterno, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Elohim na Ruach” Efésios 2:21,22 O Aron é o centro máximo da revelação de Elohim concernente ao Malkut (Reino) de Elohim Avinu, nosso Pai! Esta caixa de acácia foi revestida em ouro 24 quilates por dentro e por fora. Encima da arca, sobre o propiciatório, estavam dois K’ruvim (Querubins) pesando cada um 32 quilos de ouro puro. Somente o que se gastou para fabricar um K’ruv, somado em dinheiro atual, chegaria à volúvel quantia de $ 2.740.000,00 (Dois milhões setecentos e quarenta mil reais). Somando os custos dos dois Melachim (anjos) que juntos pesavam 64 quilos, obtemos à estrondosa quantia dos $ 5.480.000,00 (cinco milhões quatrocentos e oitenta mil reais). O interessante é que se gastou sete vezes mais para a fabricação da parte interna do Aron, que estava adornada interiormente com tantas pedras preciosas. A pergunta é, por que a arca custava sete vezes mais por dentro? Porque para Elohim o que esta por dentro é mais importante do que esta por fora. Em outras palavras, o interior é mais importante do que o exterior. Certa feita, Ye’shua ao caminhar pelas mediações do Templo, percebendo como seus discípulos estavam pasmados com a beleza exterior da Beith’El (Casa de Elohim) disse-lhes: “Aqui estar quem é maior do que o Templo”. Ou seja, Quem passeia dentro desta Casa é maios que a Casa! Disse também aos Talmidim (seguidores); “O reino dos Shamaim (Céus) não vem com aparência exterior, mas dentro de voz mesmo”. Nós somos Aron Hakódesh! Sh’muel o profeta errou seis vezes Sh’muel Hanaví (Samuel o profeta) na tentativa de ungir o novo rei de Israel, em lugar do pervertido rei Sha’ul (Saul), não obteve êxito algum. Ele ia observando os filhos de Yshai (Jessé) pai de David por suas aparências exteriores. Mas a Ruach de Elohim que estava sobre o profeta ia dizendo não sistematicamente a cada escolha visual de Sh’muel. Então Elohim lhe disse: “Sh’muel eu não vejo como o homem vê; o homem vê apenas o exterior, porém Eu vejo o interior” É como se Há’shem dissesse: “Sh’muel, Sh’muel, você esta olhando a Arca pelo lado de fora; Eu, porém, olho por dentro. Porque o que esta dentro é mais importante do que o que esta fora” Lembre-se também que o que esta dentro de você é maior do que o que esta no mundo! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 175
    • AS DIMENSÕES PROFÉTICAS DA ARCA Verso 10 Pb: “...o seu comprimento ser| de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura” OS K’RUVIM k’ruvim (Querubins), plural de K’ruv, palavra hebraica que conota “conhecimento”- Anjos da guarda celeste e quer dizer “Eles conhecem”, “Efusão de sabedoria”. Sobre a Arca estavam dois K’ruvim esculpidos sem emendas em peça única de ouro maciço. Estes seres alados ficavam prostrados olhando para baixo, para o interior do Aron. As asas de um era ligado às asas do outro de forma que em cima tocavam-se pelas asas e em baixo pelos joelhos; de maneira que formava um círculo no centro dos K’ruvim, símbolo da Eternidade onde emanava uma fagulha da Kevod de Elohim; a Sh’hinar que em língua hebraica que dizer “Presença Divina”. POR QUE OS K’RUVIM OLHAVAM PARA BAIXO? Dentro do Aron estavam três coisas Eternas: As tábuas da Lei, o Maná, e a vara de Aaron que floresceu! As duas tábuas da Lei simbolizando o juízo de Elohim para com a humanidade. Juízo este que terá consequências Eternas, vida ou morte, morte ou vida! O pote de ouro com o Maná também representa Eternidade. Maná é uma indagação. É palavra hebraica misturado com egípcia e quer dizer “O que é isto?”. Esta interrogação com tom de exclamação dos hebreus acabou tornando-se o nome do produto que caia do céu para alimentação do povo enquanto permanecia no deserto, isto é, por 38 anos e oito meses. O Maná com cheiro de baunilha e gosto de coentro era enviado pela pura misericórdia de Elohim aos filhos de Israel com uma condição; não guardar Maná para o outro dia, salvo no sexto dia por causa do Shabat Shalom (Sábado de Descanso), pois se assim o fizessem, na viração do dia, apodreceria! O que presumimos é que este ato de precaução demonstrava falta de fé. Alguém poderia ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 176
    • pensar: Vai que amanhã o Eterno mude de idéia e não envie Maná para nós. Desta forma, colherei várias porções para que me sirvam de suprimentos! Porém, no ápice da viração do dia, ao por do sol embolorava de forma que tinha um cheiro insuportável. Um fato curioso é que o Maná de dentro da Arca da Aliança não embolorava muito menos apodrecia! Por quê? Porque Representa a providencia Eterna para a humanidade Ye’shua o Pão do Céu: “Respondeu-lhes Ye’shua: Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Mosheh que vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro Maná. Porque o pão de Elohim é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo... Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome” Yohanam (Jo)6:32-36 O Maná do Aron não embolorava justamente por estar dentro da Arca do Pacto que não tem prazo de validade e dura pelo século dos séculos! Também o Maná colhido no sexto dia não embolorava no Shabat e durava com o mesmo frescor e doçura por todo o dia sagrado, Aliança Eterna entre Elohim e seu povo. O descanso do Shabat sob forma de Lei também repousava dentro do Aron, no coração das duas tábuas sendo o quarto preceito do decálogo. Então a conclusão que temos é que tudo o que esta dentro da aliança do Eterno não embolora. Assim como o Maná de dentro do Aron e o maná que no Shabat Shalom não apodrecia. Se estamos na Aliança, estamos todos protegidos e teremos vida eterna! O Cajado de Aron que floresceu é o terceiro objeto símbolo da Eternidade no interior do Aron. Um cajado é a representação máxima de um sacerdócio o que todos já sabem. Bom, o que poucos sabem é que este cajado florescido simboliza ressurreição! Esta vara Aarônica, antes de ser tornar um cajado, foi um galho vivo de uma bela árvore plantada no solo fértil da terra. Um dia, porém, veio a ser cortado perecendo toda possibilidade de vida em seu interior. Assim tornou-se um cajado seco nas mãos de Aaron que o portava. No entanto, pelo poder vivificador de Elohim, um dia floresceu novamente simbolizando a ressurreição dos que dormem plantados como sementes no ceio da terra. Seres que um dia tiveram vidas, mas estas um dia se foram, no entanto, tão certo como vive o Senhor, reflorescerão no último dia! Resumo: Então as tábuas simbolizam o Julgamento Eterno. O Maná, a providência Eterna e o Cajado que floresceu a ressurreição para a vida Eterna! Percebemos que os K’ruvim da Kevod guardavam a Eternidade que estava codificada no Aron! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 177
    • Com as extremidades das asas ligadas em cima e os joelhos ligados em baixo, os K’ruvim testificavam as palavras de Ye’shua, palavras estas que sempre representam mais do que podemos entender: “Tudo o que for ligado na terra (parte inferior dos anjos, os joelhos = oração) será ligado nos céus (parte superior dos anjos, as asas símbolo celestial)”. O interessante é que os Melachim (anjos) nem sempre são representados de forma muito compreensível. Às vezes são apresentados dentro da própria Escritura como seres estranhos com caras de animais, várias asas, olhos de fogo etc. Porém no caso da representação dos K’ruvim sobre o Aron, temos a descrição dos guardiões bem semelhantes aos homens, salvos pelas asas. No entanto, seus rostos eram como que rostos de crianças, desproporcional aos corpos adultos que possuíam. Mais uma vez testificando as palavras de Ye’shua: “Se não voltarem a ser como crianças de forma alguma entrarão no reino de Elohim”. Os K’ruvim ficavam olhando para baixo, com seus rostos de criança, símbolo de pureza, exatamente onde se manifestava a Sh’hinar de Elohim, sua presença majestosa: “E ali virei a ti, e de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins que estão sobre a arca do testemunho, falarei contigo a respeito de tudo o que eu te ordenar no tocante aos filhos de Israel” “Quando Moisés entrava na tenda da revelação para falar com o Yáhuh, ouvia a voz que lhe falava de cima do propiciatório, que está sobre a arca do testemunho entre os dois querubins; assim ele lhe falava” Bemidbar (NM) 7:89 O ARON REPRESENTA O GAN EDEN Gan Eden em hebraico é o que chamamos de jardim do Éden, o paraíso. Sabemos que dentro deste Paraíso havia a Étz Chaim (Árvore da Vida), ou seja, a possibilidade a uma vida Eterna. Porém quando Adan e Hava (Adão e Eva) pecaram foram destituídos do Gan Eden imposssibilitando-lhes o acesso a Árvore da Vida: Bereshit (Gn) 3:22-24: “Então disse o Eterno Elohim: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente. O Eterno, pois, o lançou fora do jardim do Éden. E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os K’ruvim, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 178
    • Elohim dispensa dois K’ruvim para proteger o centro da Eternidade, o Gan Eden e o Aron sempre pregou isto para nós! Dentro do Gan Eden está a Étz Chaim (A Árvore da Vida) alimento para a Eternidade. Dentro do Aron também consta o Maná que nunca embolorava, símbolo da Eternidade em Ye’shua Ha Mashiach! Dentro do Gan Eden constavam as ordenanças de Elohim, que basicamente se dividiam em duas coisas “Não tocar” e “Não comer” o fruto destrutivo. Estas ordenanças proibitivas possibilitaram ao homem o livre arbítrio, que dependendo da escolha gera a morte Eterna. Assim como no Jardim do Éden tinha as duas proibições temos também no interior do Aron Hakódesh, as duas tábuas da Lei como condição a estarmos aptos a andar na salvação se assim escolhermos amar ao Eterno sobre todas as coisas. Na Arca estava a vara de Aaron que floresceu, símbolo da autoridade sacerdotal de toda a sua linhagem. No Gan Eden, encontramos Elohim passando autoridade à Adam: “Governai”! Elohim entrega seu cajado ao homem e este o perde ao diabo, uma vez que o homem perdeu somente o mesmo pode recuperar! Então veio Ye’shua Ha Mashiach, o nosso redentor, como Ben Yossef (Filho de José), 100% homem e toma o reino perdido de volta. Como todo sacerdote tem que ter cajado, Yeshua toma o madeiro sacerdotal, o cajado real da redenção, seu madeiro que é o cajado vicário levando o homem ao Éden novamente! Este cajado foi tão pesado que nem um homem até então pôde suportar seu peso. Este mesmo madeiro plantado no calvário floresceu ao terceiro dia e seu cetro jamais passará por toda a Eternidade. Haleluiah! ATO PROFÉTICO Nos tempos de Ye’shua, Caifáz era o Kohém Gadol (Sumo Sacerdote) herdeiro do cajado de Aaron, seu ancestral levita. Ninguém tinha tanto prestígio e autoridade como o tinha Caifáz, o sumo sacerdote. Este Kohém era tão importante que em seu tempo vigorava uma lei sob pena capital de morte rezando que ninguém poderia se aproximar mais que sete passos do Kohém Gadol. Então Ye’shua foi levado à presença deste grande homem e o mesmo pondo-se de pé lhe interrogou: “Tu és o Mashiach (Messias), Ha Ben Eloh| Chaim? “Filho do Eloh| Vivo?” Ye’shua porém lhe respondeu: “É como disseste; contudo vos digo que vereis em breve o Filho do homem (Bem Adam, “Filho da Humanidade”) assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu. Então o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: Blasfemou” O interessante nesta passagem é se priorizarmos o contexto da época. A outra lei que existia é que, quando um sumo sacerdote rasgava suas vestes, estava confessando publicamente o fim de seu ministério. Este pensamento é respaldado na afirmação da Torah (Lei) que afirma ser proibido que um sumo sacerdote rasgue suas vestes até mesm sob notícia da morte de seu promogênito. Num ato de fúria Caifáz rasgou suas vestes e caiu no laço de sua própria lei. Verdadeiramente o sacerdócio dos leviím estava dando lugar ao sacerdócio supremo de uma ordem superior, a de Melek ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 179
    • Tzeduk (Melquizedeque - “Rei da Justiça”) na pessoa do maior Kohém Gadol YE’SHUA HAMASHIACH. Se você crer exalta Elohim agora! Baruch Hashem “Bendito Seja O Nome! Haleluiah! A ARCA É MESSIÂNICA Dentro do Aron foram esculpidas quatro cabeças entalhadas, uma de homem, uma de boi, uma de águia e outra de leão, puxadas da placa de ouro todas de peça única, das quatro laterais do Aron. Nas duas laterais menores, um de frente para o outro, estavam esculpidos as cabeças de homem e de boi. AS DUAS NATUREZAS DE YE’SHUA No interior do Aron, no sentido estreito: As duas partes curtas da Arca do Pacto revelam-nos um tempo limitado especificando Ye’shua como o filho do Homem, Ben Yosef (Filho de José). A cabeça de homem com olhos de rubis representa os 30 anos de Ye’shua antes de seu Mikver (batismo) quando ainda não tinha se manifestado ao mundo. De fronte a esta cabeça humana ficava uma cabeça de boi também com olhos de rubis e que representava os derradeiros três anos e meio em que Ye’shua declara-se o sacrifício perfeito capaz de aplacar a ira de Elohim por conta de nossa transgressão. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 180
    • As duas partes mais estreitas com as representações de homem e de boi, simbolizam um tempo limitado já cumprido por Ye’shua como Ben Yossef (Filho de José) previamente anunciado no Aron. No outro sentido, nas partes mais compridas da Arca, simbolizando a Eternidade de Ye’shua, foram esculpidas as outras duas cabeças; uma de águia com doze olhos e a outra de leão com a boca aberta. Já o comprimento do Aron simboliza a Eternidade de Ye’shua, não mais como Ben Yosef (homem sofredor), mas como “Ye’shua Ben David” (Ye’shua Filho de Davi, o Rei dos Reis) retratado pela águia (Que reina no céu) e pelo leão (que reina na terra). “E, aproximando-se Ye’shua, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no CÉU e na TERRA” ROSTO DE HOMEM = Como Ben Yosef até os 30 anos; CARA DE BOI = O sacrifício “Aquele que leva as cargas” 3 anos e meio após se revelar como tal; CARA DE ÁGUIA = O que reina nos céus. Tempo: Mil anos e a Eternidade por extensão; CARA DE LEÃO = O que reina Na terra. Tempo: Mil anos e a Eternidade por extensão; ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 181
    • Também no assoalho dentro da arca Elohim ordenara que doze mosaicos de pedras das mais valiosas fossem cuidadosamente fixadas. O detalhe importante é que no interior do Aron havia apenas 11 mosaicos, de forma que o décimo segundo fosse posto na estola sacerdotal, o Éfode. Quando o Kohém Gadol (Sumo sacerdote) aproximava-se do lugar santíssimo, devia estar com o décimo segundo mosaico preso em seu peitoral para que não fosse fulminado na presença de Elohim. Isto quer disser que os utensílios não poderiam adorar Elohim por si só. Mas para que a adoração fosse completa deveria e deve conter a presença imprescindível do homem. Somente o mosaico no peito do sacerdote podia completar o louvor à Yáhuh Baruch Hu (Bendito seja Ele!) A tampa do propiciatório Bem na tampa do Aron Hakódesh, na parte de dentro, estavam fixados em forma de engates 613 brilhantes representando as 613 Mitzvot (Mandamentos) que Elohim Baruch Hu daria ao povo eleito para sempre no deserto do Shinai. Os 613 Mandamentos dividem-se em 248 Assé e 365 Lo tassé (Farás e Não Farás), ou seja, permissivos e proibitivos! O SIGNIFICADO DA DIVISÃO DOS 613 PRECEITOS EM 248 E 365: Os 248 indicam a quantidade de ossos que temos, segundo nossos sábios. Já os 365 indicam todos os dias do ano, de forma que nossos membros imploram-nos a andarmos nas Mitzvot todos os dias durante todo o ano para que tenhamos saúde física e espiritual: “Estas são as Minhas ordenanças e vós viverão por elas” Outro fato curioso é que todos os 613 preceitos são caminhos ou desdobramentos dos 10 Mandamentos contidos no interior da Arca do pacto. Se somarmos 6 + 1 + 3 teremos o número de sua síntese 10. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 182
    • A ALIANÇA DEVE ESTAR NA FRENTE A B’rit, aliança nossa com o Eterno deve ser prioridade sempre, de forma que exerça a primazia em nossa vida. Não podemos nos comprometer com Hashem e deixá-lo para segundo plano em nosso dia a dia. As Escrituras nos ensinam isso todo o tempo o tempo todo: “Não viva eu, mas Ye’shua Ha Mashiach viva em mim”! Isto de fato é colocar a aliança na frente! Elohim muitas vezes não destruiu os B’nei Israel (Filhos de Israel) por causa da Aliança com os pais, seus patriarcas. Salomão não foi totalmente destruído por Elohim devido a Aliança que Elohim fizera com David. O Eterno sempre põe sua Aliança na frente e de alguma forma Mosheh entendia isto. Os hebreus não lutavam ou locomoviam-se sem o Aron e este devia estar adiante do povo sempre: Bamidbar (Números) 10:35: “E em partindo a Arca, Mosheh (Moisés) dizia: “levanta-Te, Eterno, e que os Teus inimigos se dispersem, e que os Teus adversários fujam diante da Tua presença” Bamidbar (Números) 10:36: “E quando a Arca repousava, Mosheh dizia: “Volta, ó Eterno, as miríades de milhares de Israel” Mosheh consultava Elohim dentro do Kadósh haKadoshim (Santo dos Santos) entre os K’ruvim da Kevod no meio da Shehiná. No entanto, terminado a consulta com Elohim Baruch Hu, Mosheh não virava as costas simplesmente e saía imediatamente da presença de Hashem. Mosheh ouvia atentamente as instruções e uma vez dispensado, afastava-se de frente para a Shehinar que estava sobre o Aron, contando seus passos para trás. Então no sétimo passo, Mosheh sentia o véu da separação do compartimento tocar em suas costas, este era o sinal do limite, para poder virar-se e sair da presença de Elohim (Bendito Seja Ele). Isto tudo implica que ninguém pode consultar o Senhor, ouvir sua voz e simplesmente virar as costas para Ele. Com Elohim não se brinca, pois quem brinca com fogo pode se queimar. Elohim é tremendo em misericórdia, mas não se esqueça que sua mão também é fogo abrasador! A SANTIDADE DO ARON Eli era um juiz em Israel e julgou por quarenta anos o povo de Elohim. Eli era homem íntegro e temente à Elohim embora complacente com os pecados cometidos por seus dois filhos. Pecados que desonrava o nome de Elohim, pois eles serviam no tabernáculo e se prostituíam com mulheres por detrás do mesmo. Eli sabia dos feitos dos filhos, porém não tomava posição sobre isto embora os aconselhasse. Certo dia, Israel saiu todo convencido á peleja contra seu arque rival, os filisteus. Nesta época, Eli não enxergava mais devido a idade avançada e ficou na porta de sua casa esperando por notícias da batalha. Quando enfim ouviu os brados dos filhos de Israel quis saber do que se tratava. Ficou sabendo então que houve grande mortandade entre o povo e também que seus dois filhos morreram na guerra. Até aí tudo bem, Eli suportou a triste notícia, mas ao saber que a arca tinha sido conquistada pelos pagãos, Eli não aguentou a informação e caiu para trás quebrando o ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 183
    • pescoço o que causou-lhe a morte iminente. A última palavra que o respeitado ancião ouviu foi: ARON HAKÓDESH! Depois deste acontecido foi a vês de sua nora receber a notícia. Quando, porém ouviu a expressão ARON HAKÓDESH sentiu imediatamente as dores de parto e tendo concebido um varão, também morreu. O filho passou a chamar-se Ikavod (“se foi a Kevod, “glória”). A mesma palavra sagrada que causou a morte também deu a vida! A palavra é realmente uma espada de dois gumes, tanto mata como vivifica: “Eis que ponho hoje diante de ti a bênção e a maldição. Escolhe, porém a vida para que vivas” Tão logo a Arca chegou a Asdode, os filisteus atribuíram à honra da conquista a Dagón (peixe-lua) seu principal deus. A Dagón ofereceram um presente de valor inestimável, o Aron Hakódesh! Presente merecido aos olhos dos filisteus, pois Dagón derrotara o Elohim de Israel, o mesmo que derrubou sozinho mais de 2000 deuses do Egito! ELOHIM FERE DAGÓN Para mostra-lhes que o caso não era bem assim, Elohim derruba Dagón perante a Arca dentro do principal templo pagão dos asdodianos. Estes levantaram seu deus que estava desconfortavelmente prostrado perante Elohim com o nariz de peixe no chão. No dia imediato, lá estava o peixe-lua novamente rendido perante o Aron, só que com um detalhe, estava com a cabeça e as mãos decepadas. Os habitantes de Asdode sem entenderem muito bem como seu maior deus poderia ser diretamente afrontado e humilhado, resolveram mandar a Arca para outra cidade filistéia, Gate: “Entretanto a m~o de Elohim se agravou sobre os de Asdode, e os assolou, e os feriu com tumores, a Asdode e aos seus termos. O que tendo visto os homens de Asdode, disseram: Não fique conosco a arca do Elohim de Israel, pois a sua mão é dura sobre nós, e sobre Dagom, nosso eloh|” I Sm 5:7 Elohim estava mostrando-lhes que, se Israel perdeu a batalha, era porque não estava com Elohim. Este pode derrotar qualquer deidade, até mesmo o temível Dagón! Os asdodianos enviaram o Aron a Gate, mas seus habitantes começaram a ter tumores desde o menor até o maior. Logo, estes assim como os asdodianos, resolveram livrarem-se da Arca. A Arca é enviada a Ecron, porém estes não quiseram pagar para ver e exclamaram: “Transportaram para nós a arca de Elohim de Israel, para nos matar a nós e ao nosso povo. Enviaram, pois, mensageiros, e congregaram a todos os chefes dos filisteus, e disseram: Enviai daqui a arca do Deus de Israel, e volte ela para o seu lugar” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 184
    • Baruch Hashem! Bendito seja o Elohim de Israel que fez os filisteus saberem que o lugar do Aron Hakódesh é dentro do Santo dos Santos e não no templo de Dagón. Os videntes dos filisteus aconselharam a todo o povo dizendo-lhes que não deviam endurecer seus corações como faraó que, depois de muito castigado, teve que finalmente liberar o povo. E, aconselharam os líderes filisteus a fabricarem cinco tumores, bem como cinco ratos de ouro (cinco é o número das principais cidades filistéias: ASDODE significa “Explendor”), GATE = “poderoso” (cidade da qual descende Golias que = “lagar, tonel de vinho”, ASQUELOM = “o fogo da infâmia: Eu serei pesado”, ECRON e GAZA (Atual faixa de Gaza em Israel). Disseram também que metessem ouro em um cofre pondo-o junto à Arca como oferta pela culpa à Elohim de Israel. E que também dessem Kevod (excelência) ao Elohá Poderoso. E como teste final, para que não tenham dúvida que, de fato foi Elohim quem causou tão mal aos filisteus, deveriam devolver a Arca da seguinte maneira: “Agora, pois, fazei um carro novo, tomai duas vacas que estejam criando, sobre as quais não tenha vindo o jugo, atai-as ao carro e levai os seus bezerros de após elas para casa. Tomai a arca de Senhor, e ponde-a sobre o carro.... e assim a enviareis, para que se vá. Reparai então: se ela subir pelo caminho do seu termo a BeteSemes, foi ele quem nos fez este grande mal; mas, se não, saberemos que não foi a sua mão que nos feriu, e que isto nos sucedeu por acaso” Este era realmente um teste de fé. Com sagacidade os videntes propuseram que devessem enviar o Aron sobre duas vacas de crias; pois é obvio que uma vaca não deixa sua cria para traz, ainda mais as duas. “Ent~o as vacas foram caminhando diretamente pelo caminho de Bete-Semes, seguindo a estrada, andando e berrando, sem se desviarem nem para a direita nem para a esquerda; e os chefes dos filisteus foram seguindo-as até o termo de BeteSemes” (A expressão usada no original para Bete-Semes é Beith ha’Shimish = “Casa do Sol”. Israel estava profundamente envolvido com o sistema idolátrico da adoração solar). Depois de sete meses de juízos nas terras filistéias, o Aron volta para Israel. As duas vacas, aos berros (talvez por seus filhotes), foram caminhando até Beith ha’Shimish. Os Israelitas que estavam no campo presenciaram o feito e maravilharam-se sobremaneira pelo retorno milagroso do Aron Hakódesh. Imediatamente o carro de boi foi partido e virou lenha para um grande sacrifício à Elohim. As vacas é claro, não escaparam e viraram oferendas. Tudo sobre uma grande pedra que testemunhou a façanha. Não obstante os habitantes “da casa do sol” se esqueceram que é melhor obedecer do que sacrificar, pois cometeram um grande erro; olharam para dentro da Arca! Isto é, para a Eternidade de Hashem ali representada! Cinquenta e dois mil homens morreram por esta falta de zelo com a torah: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 185
    • “Quando Aaron e seus filhos (os Leviím), ao partir o arraial, acabarem de cobrir o mishikan (santuário) e todos os seus móveis, os filhos de Coate virão para levá-lo; mas nas coisas sagradas não tocarão, para que não morram; esse é o cargo dos filhos de Coate na tenda da revelaç~o” Shemot (Nm) 4:15 Depois da mortandade dos habitantes de Beith ha’Shimish (“Casa do Sol”), o Aron foi enviado à Quiriate-Jearim Qiryath Yeariym (“Cidade dos bosques”), na casa de Abinadabe ( “Meu Pai está disposto”) aos cuidados de seu filho Eleazar (“Elohim Ajudou”) que foi consagrado à cuidar da temível Arca. O Aron ficou vinte anos em Qiryath Yearim por causa da idolatria de Israel. ELOHIM FULMINA UM HEBREU POR TENTAR EVITAR A QUEDA DA ARCA David ha Melak (O rei Davi), mandou preparar um carro novo puxado por bois para fazer subir o Aron Hakódesh de Abinadabe. Aconteceu, porém, que tropeçando os bois, Uzá filho de Abinadabe, como ia adiante do carro, tentou impedir que o Aron haKódesh caísse e tocou no mesmo em tentativa de o segurar. Elohim fulminou Uzá, e David, como ia tocando flauta em honra à Elohim, temerou-se e se entristeceu muito. Então decidiu que não estava preparado para receber o Aron e o mandou à Obede Edon ( Obed ’Edowm = “Servo de Edom”), o Gitita. Lá permaneceu o Aron por três meses. Sabendo, porém David, que Elohim abençoou toda a casa do Gitita, ordenou que lhe trouxessem a Arca da Aliança sob forte clamor de trombeta (Shofar), cânticos e danças. Este texto, por muito tempo foi um cisco em meus olhos, não conseguia enxergar justiça em Elohim pelo fato de ter fulminado uma pessoa que, afinal de conta, tentara proteger o Aron. Hoje dou Baruch Hashem à Elohim Kadosh por entender a santidade do Eterno nesta passagem! 1º Fator - Desobediência gera maldição e maldição gera morte! Elohim foi muito claro quando ordenou sobre a fabricação do Aron, bem como este devia ser transportado. Ou seja, devia sempre ser carregado por homens levitas, separados a este oficio transportandos-a sobre os ombros e não sobre carro de boi: Shemot (Êxodo) 37:12,14: “E fundir|s para ela (Aron) quatro argolas de ouro, que porás nos quatro cantos dela; duas argolas de um lado e duas do outro. Meterás os varais nas argolas, aos lados da arca, para se levar por eles a arca” 2º Fator - Elohim vela pela sua palavra para cumpri-la! Hashem avisou que se os filhos de Israel não seguissem suas ordenanças concernentes aos utensílios do Mishikan seriam mortos. Quando somos negligentes em um preceito de Elohim, acarretamos maldições. O Eterno já havia previsto que isto poderia acontecer e ordenou que fabricassem argolas para os leviím, carregarem o Aron. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 186
    • 3º Fator - Outro aspecto a ser considerado é que se Uzá não morresse por ter tocado, mesmo que com ótima intenção no Aron, logo não faltaria quem pusesse em dúvida a palavra e o juízo de Elohim. 4º Fator – Lembre-se de que dentro da Arca estavam: o Cajado de Aaron, as Tábuas da Lei e o pote com o Maná. Mosheh também mandou fabricar uma réplica exata da Torah para pô-la adicionada ao Aron, por garantia caso perdessem o original. Então você entenderá que era efetiva a ordem de somente o sumo sacerdote, uma vez ao ano entrar no Kadosh Hakadoshim (Santo dos Santos). Imagine se o Aron Hakódesh e o Mishikan (Santuário) fossem de domínio público, onde todos tivessem acesso livre, provavelmente hoje não teríamos uma cópia da Torah. Esta, com certeza, se perderia ao longo dos milênios. Talvez, devido juízos, tais como o de Uzá, é que os filhos de Israel nunca ousaram entrar no santíssimo lugar a fim de terem acesso ao Aron. “Então disse David: Ninguém deve levar a arca de Elohim, senão os levitas; porque Yáhuh os elegeu para levarem o Aron de Elohim, e para o servirem para sempre.” I Crônicas 15:2 A ARCA É VOCÊ, DEIXA ELOHIM TE REVESTIR DE SANTIDADE! Rosh Mosheh Ben Shalom Yeshua Chai ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 187
    • A VERDADE SOBRE A MORTE DE YESHUA Em que dia morreu Yeshua nosso Messias? Em 14 de Nissan conforme determina a Lei: “No mês primeiro (Nissan), aos catorze (14º) do mês, à tardinha, é a páscoa do Eterno. E aos quinze (15º) dias desse mês é a festa dos pães ázimos do Eterno; sete dias comereis pães ázimos. No primeiro dia (15º) tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis (sábado)” Levitico 23:5,6,7 Segundo Levítico, o cordeiro pascal deveria morrer em 14 de Nissan que é o 1º mês, sendo que no dia imediato ao 14º seria um feriado solene, isto é; o 15º dia deste mês sendo um Shabat (sábado = descanso ou feriado). “Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque o Messias, nossa páscoa, já foi imolado” 1ª Coríntios 5:7 Yeshua, como o verdadeiro cordeiro pascal sacrificado, morreu no 14º dia de Nissan que é o 1º mês após comer a santa ceia de páscoa. Isto nos garante que o dia imediato a sua morte foi um Shabat (feriado) que aconteceu no 15º dia do mês Nissan. Em Israel, a expressão para feriado solene é Shabat e conota descanso. Esta palavra não é usada apenas para o sétimo dia como supõem alguns, mas para qualquer festividade instituída pelo Criador nas Escrituras sagradas: “Também isto vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês (Tishirei), aos dez (10) do mês, afligireis as vossas almas, e não fareis trabalho algum, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vos; Será sábado de descanso solene para vós, e afligireis as vossas almas; é estatuto perpétuo” LV 16:29 Neste texto de Levítico podemos notar um Shabat (descanso, feriado) fixado pelo Eterno no dia 10 do 7º mês independente de qual o dia semanal, sempre 10 de tishrei será um sábado de Yon Kippur (Dia da Expiação). “Temerá cada um a sua mãe e a seu pai; e guardareis os meus sábados” LV 19:3 A palavra usada no original foi Shabatot que é plural e literalmente quer dizer sábados como que falando de vários feriados solenes. O Erev Shabat o Dia da Preparação ”Ao cair da tarde, como era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, José de Arimatéia, ilustre membro do sinédrio, que também esperava o reino de Elohim, cobrando ânimo foi a Pilatos e pediu o corpo de Yeshua” Marcos 15:42 Alguns acreditam que Yeshua tenha morrido numa sexta feira devido a Escritura apontar sua morte para o dia da preparação. Este raciocínio estaria correto se não existissem outros sábados como já vimos. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 188
    • Além do sábado semanal o judeu celebra o Shabat de Shavuot (Pentecostes), o Shabat de Rosh Hodesh (Sábado de Lua Nova), Shabat de Yon Kippur (Dia da Expiação), Shabat de Sucot (Tabernáculos) e outros. Para cada sábado deste, o dia antecedente é chamado de Erev Shabat, o dia da preparação. O grande Sábado JOÃO 19:31 ”Ora, os judeus, como era a preparação, e para que no shabat (sábado = feriado) não ficassem os corpos no madeiro, pois era GRANDE AQUELE DIA DE SÁBADO, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados dali.” Há quem ensina que o motivo dos judeus chamarem aquele sábado de grande se deu por conta de terem caídos dois sábados no mesmo dia. No entanto, isto não é verdade. Nunca um judeu usou essa expressão para dois sábados em um mesmo dia. Desafio qualquer pastor a mostrar isto baseado em alguma literatura judaica. Pois isto é pura suposição de uma mente ocidental. Até mesmo nos dias atuais todos os anos, nós judeus, chamamos o Sábado de Páscoa de Shabat Hagadol “Grande Sábado”. Não pela pluralidade, mas pela importância do dia, aja visto que comemoramos nossa libertação do Egito. Libertação esta que livrou nosso povo já há 400 anos escravizado. Por isso, em memória desta libertação, neste grande dia os judeus pediam a soltura de um prisioneiro: ”E era-lhe necessário soltar-lhes um pela festa. Mas todos clamaram à uma, dizendo: Fora com este, e solta-nos Barrabás!” Lucas 23:17,18. Caiu mesmo dois sábados no mesmo dia? O relato de Marcos mostra que as mulheres compraram os preparativos para embalsamar o corpo de Yeshua somente depois do sábado: ’’Ora, PASSADO O SÁBADO, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo” Marcos 16:1 Neste versículo observamos que as mulheres compraram os ingredientes depois do sábado. Mas o relato de Lucas, pelo contrário, afirma categoricamente que as mulheres, primeiro foram aos preparativos e somente depois descansaram no sábado: Lucas 23:54 ”Era o dia da preparação, e ia começar o sábado. E as mulheres que tinham vindo com ele da Galiléia, seguindo a José, viram o sepulcro, e como o corpo foi ali depositado. Então voltaram e prepararam especiarias e ungüentos. E no sábado repousaram, conforme o mandamento” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 189
    • Antes ou depois do Sábado? Para sairmos da contradição devemos entender que houve dois sábados bem próximos um do outro. Qual o dia apontado pela profecia de Daniel? “E ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” Daniel 9:27 Não temos dúvidas que esta semana é profética e representou um período de sete anos. Mas o texto também é literal e representou sete dias. Lucas relatou como a última semana de Yeshua foi importante. Yeshua começou esta aliança em um sábado somente terminando em outro com sua ressurreição dentre os mortos: Lucas 13:10: “Yeshua estava ensinando numa das sinagogas no sábado” Versos 31,32,33: “Naquela mesma hora (ainda no sábado) chegaram alguns fariseus que lhe disseram: Sai, e retira-te daqui, porque Herodes quer matar-te. Respondeulhes Yeshua: Ide e dizei a essa raposa: Eis que vou expulsando demônios e fazendo curas, hoje e amanhã, e no terceiro dia serei consumado” Ou seja, Yeshua não poderia morrer no sábado semanal, fora da data prevista pela profecia de Daniel “metade da semana” E Yeshua sabendo que teria que fazer uma aliança com muitos por uma semana mandou avisar a Herodes: Ide e dizei a essa raposa: Eis que vou expulsando demônios e fazendo curas, hoje e amanhã, e no terceiro dia serei consumado. Importa, contudo, caminhar hoje, amanhã e no dia seguinte; porque não convém que morra um profeta fora de Jerusalém” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 190
    • Yeshua confirmou este pacto instantes antes da sua prisão, confirmou esta aliança com o cálice da vinho! Veja como a Menorah (candelabro) de sete hastes ilustra tudo isto. Os números em hebraico encima da Menorah são muito importantes, pois o número 4 em hebreu é descrito pela letra Dálet que também significa porta ou portal. Seria coincidência que o número 4 em hebraico tivesse esta conotação e marcasse justamente o centro da Menorah (candelabro). Analise as palavras de Yeshua relatado por Lucas embasando Daniel 9:27. Este deveria fazer uma aliança com muitos durante uma semana. Neste período (metade da semana), Yeshua curou um hidrópico (Lc 14:2) - pregou para publicanos, pecadores, fariseus e escribas (Lc 15:1,2) - anunciou sua morte aos doze a caminho para Jerusalém (Lc 18:31) - curou um cego ao passar por Jericó (LC 18:35) - em Jericó converteu a Zaqueu (LC19:1,2) - caminhado para Jerusalém, próximo de Betfagé e de Betânia no monte das oliveiras envia dois discípulos para trazerem a jumentinha (Lc 19:28) - teve sua entrada triunfal (Lc 19:37) - chorou e profetizou a destruição de Jerusalém por rejeitarem sua aliança (Lc 19:41:42) - uma vez dentro dos muros de Jerusalém, no Templo, expulsou os cambista (LC 19:45,46) - Selou sua ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 191
    • aliança com o cálice de vinho (Lc 22:20) - Foi morto fazendo cessar o sacrifício e a oblação (Lc 23:44-46). O MISTÉRIO DA ÚLTIMA SEMANA Um cuidadoso exame dos textos bíblicos vai mostrar com suficiente clareza onde Yeshua esteve em cada um dos dias da última semana de seu ministério terreno. Entretanto, é oportuno esclarecer que os acontecimentos narrados nos evangelhos não obedecem a nenhuma ordem cronológica. A despeito disto, porém, é possível ordenarse boa parte dos acontecimentos, inclusive porque a maioria ocorreu durante a última semana. ÚLTIMA SEMANA MINISTERIAL Tabela com os dias até a ressurreição 1 - Sexta-feira anterior à morte (Jo. 12:1; Lc. 13:22): Yeshua saiu de Efraim e se dirigiu para Betânia. Isso ocorreu 6 dias antes da comemoração da Páscoa dos judeus. Isto significa que a referida saída ocorreu no dia 9. O percurso entre Efraim e Betânia não poderia ser feito senão em um dia comum de trabalho, em razão da distância, cerca de vinte quilômetros. 2 - Sábado anterior à morte (Lc. 13:10, 31-33; 14:1; 18:31-34; 19:1-5): Yeshua ensina numa sinagoga. Neste mesmo dia vamos encontrá-lo participando de um banquete. De acordo com o costume judaico, o Senhor não teria prosseguido com Sua viagem no ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 192
    • Sábado. No final daquele Sábado, Yeshua foi informado de que Herodes procurava ocasião para matá-lo, e isso fez com que se retirasse dali com Seus discípulos para Yericó (Mc. 10:46,51-52). Porém, antes de sair, mandou dizer a Herodes que tinha uma agenda a ser cumprida, abrangendo três dias de intensa atividade e que só depois disso, seria consumado. Naquela noite, Yeshua pousou na casa de Zaqueu, em Jericó. 3 - Primeiro dia da semana anterior à morte (Mt. 20:29; 21:1-11): Pela manhã do primeiro dia da semana, Yeshua juntou-se à uma caravana de peregrinos vindo da região da Peréia, dalém do Jordão, e com eles entrou em Jerusalém, montado em um jumentinho. Nesse mesmo dia expulsou os cambistas do templo (Lc. 19:45,46). À noite, retirou-se para Betânia, onde pousou (Mc. 11:11). Chegava ao fim o primeiro dia da sua agenda de trabalhos mencionada em Lucas 13:31-33. O Cordeiro preso desde o décimo dia Em Êxodo capítulo 12 o Eterno pede que um cordeiro, sem defeito fosse separado desde o dia décimo (10º) de Abiv (Nissan) até o décimo quarto (14º) ficando um período de quatro (4) dias preso até ser sacrificado como cordeiro Pascal: ”Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família... 6 e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha” Êxodo 12:3-6 Bom, para que se cumprisse a simbologia, Yeshua também deveria ficar quatro dias recluso, assim como o cordeiro de páscoa. Incrivelmente, Yeshua apressadamente no sábado, partiu para Yerushalaim (Jerusalém), sendo que no domingo de manhã juntou-se à uma caravana de peregrinos vindo da região da Peréia, dalém do Jordão, e com eles entrou em Jerusalém, montado em um jumentinho. Yeshua permaneceu por aquela cercania durante o domingo (1º dia), segunda (2º dia), terça (3º dia) e quarta (4º dia) quando foi morto, cumprindo mais uma profecia simbólica da Torah! YESHUA É O MANÁ DE PÁSCOA Outro fator marcante é a simbologia no livro de Yehoshua (Josué) quando introduz os Israelitas em Canaã: Josué 5:10 “Estando, pois, os filhos de Israel acampados em Gilgal, celebraram a páscoa no dia catorze do mês, à tarde, nas planícies de Jericó. E, ao outro dia depois da páscoa (15º que é o shabat de Páscoa), nesse mesmo dia, comeram, do produto da terra, pães ázimos e espigas tostadas. E no dia depois de terem comido do produto da terra (Dia 16ª, um dia após o sábado de Páscoa), cessou o maná, e os filhos de Israel não o tiveram mais; porém nesse ano comeram dos produtos da terra de Canaã” Tente entender que até aquela situação os hebreus somente comiam do maná enviado do céu. Porém, este importante relato em Yehoshua (Josué) afirma que os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 193
    • judeus celebraram a Pessach (páscoa) no dia específico (14º de Nissan). Diz também, que no dia imediato a Pessach (páscoa) (15º) se alimentaram de pães ázimos e espigas tostadas que são produto da terra e não do céu. Até este dia (15º de Nissan) caiu o maná celestial. No dia 16º cessou para sempre esta provisão do Criador. É mais que interessante notar que o maná permaneceu até aquele grande sábado de Pessach (páscoa) e depois foi tirado. 1º- É testificado neste texto que: No 14º dia de Nissan, foi o último dia que os judeus se alimentaram com o maná e à tardinha celebraram a Pessach; 2º- O maná caiu do céu até o 15º dia de Nissan (O grande Shabat de de Pessach), porém os judeus não se alimentaram dele, pois, como determina a lei, se alimentaram com pães ázimos; 3º- No 16º não tiveram mais maná. Yeshua se identificou como o verdadeiro Maná (o Pão que desceu do céu) 1º- Também 14º dia de Nissan foi seu último dia com os judeus e foi tirado à tardinha; 2º- Assim como o maná enviado no 15º dia não foi tocado por nenhum judeu; Yeshua igualmente permaneceu em absoluto repouso na sepultura. 3º- Assim como o maná cessou com a introdução dos hebreus na terra prometida na ocasião da Pessach (páscoa); Yeshua “cessou” na Pessach para nos introduzir na cidade celestial! Haleluiah!!! 4 - Segunda-feira anterior à morte (Mt. 26:1, 14-16, 22): Yeshua voltou à Yerushalaim (Jerusalém) na manhã de “segunda-feira”, dia 12 de Abibe, indo ao templo, onde ficou ensinando (os ensinos são os que estão em MT 21:23 a 25:46). Matitiahu (Mateus) registra que “daqui a dois dias é a Páscoa...”. E ele ainda acrescenta que é nesse dia que “o Filho do homem será entregue para ser executado”. Isto iria ocorrer no dia 14 de Abibe, numa quarta-feira, o último dos 6 dias de João 12:1 e também o último dos 3 dias mencionados em Lucas. Ainda nesse mesmo dia Yehudá (Judas) procurou o príncipe dos sacerdotes para combinar o preço da traição. 5 - Terça-feira anterior à morte (Lc. 22:17-19): Ao pôr-do-sol daquele dia Yeshua mandou preparar o local dos preparativos da Pessach (páscoa) que seria comido ao entardecer do dia 14. Yeshua, porém, antecipou para a noite do dia 13 (terça-feira), comendo assim a Pessach com seus discípulos uma noite antes do normal. (Na época do Mashiach, dois calendários corriam juntamente; um era o calendário farisaico advindo de Bavel. O outro era o calendário dos essênios baseado nas metas de contages Escritural que podia cair com diferenciação mínima do farisaico. Yeshua selebrou de acordo com o calendário essênico.) ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 194
    • Ainda na terça-feira, Yeshua levantou-se da mesa e lavou-lhes os pés (Jo. 13:1-17) e instituiu o novo centido para a Ceia de Pessach (Mt. 26:26-29). Logo após anunciou a traição dando um bocado de pão a Yehudá (Judas) que saiu para chamar os soldados, “e era já noite” (Jo. 13:30). Yeshua deu as últimas instruções aos Seus discípulos (Jo. 13:31 a 17:26). Depois saiu com eles para além do ribeiro de Cedrom, onde havia um horto “e Yehudá (Judas), que o traia, também conhecia aquele lugar” (Jo. 18:1,2). Logo após, Yehudá chega com soldados, “a corte e oficiais dos principais sacerdotes e fariseus, veio ali com lanternas, tochas e armas” para prenderem a Yeshua. Os discípulos fogem, deixando Yeshua sozinho. Ainda nessa mesma noite, Ele foi levado perante Anás (Jo. 18:3,12,13). O DIA DA MORTE DE YESHUA 1 - O dia da Sua morte (Lc. 22:66-71; 23:6-12; Jo. 18:39,40): Cedo, de manhã, na quarta-feira, dia 14 de Abibe, Yeshua foi levado da casa de Caifás para a audiência com Pilatos. Antes, passou pelo julgamento formal diante do sinédrio. Pilatos enviou Yeshua a Herodes. Herodes enviou Yeshua novamente a Pilatos, que soltou a Bar’aba (Barrabas = Filho do Pai) Mt. 27:15,16,26). Yeshua é coroado, espancado e forçado a levar o madeiro até o monte do Gólgota, onde é morto entre dois ladrões (Mt. 27:2738), e desde a hora sexta (meio-dia) até a hora nona (três horas após meio-dia) houve trevas. Houve um grande terremoto e o véu do templo se rasgou em duas partes (Mt. 27:45,51). À hora nona Yeshua expirou, e caindo a tarde, Yosef (José) de Arimatéia foi ter com Pilatos para pedir o corpo de Yeshua. A seguir, com Nicodemos, prepararam o corpo para o sepultamento (Mt. 27:57-60; Jo. 19:38-42), e o sepultaram num sepulcro novo, ao pôr-do-sol. A partir daqui começam “os três dias e três noites”. 2- A preparação dos Yehudim (Judeus) Mt. 27:62: Sendo Yeshua morto na quartafeira, o dia imediato, quinta-feira, era o dia chamado “Shabat Hagadol” o grande Sábado que é um feriado judaico, Jo. 19:31; era o dia 15 de Abibe ou Nissan, o primeiro dia após o sacrifício do cordeiro pascoal. Este dia da preparação não era a sexta-feira, mas sim o preparo dos judeus para a Pessach (páscoa Mt. 26:1-5; Mc. 14:1,2). Esse é o motivo de Mateus não ter usado o termo “Sábado”, para não ser confundido com esse dia. 3 - O dia da ressurreição (Mt. 28:1): Matitiahu (Mateus) registra que “no findar do Sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana”, as mulheres foram ver o sepulcro de Yeshua. É importante notar que o dia hebraico termina no pôr-do-sol. Portanto, fica evidente que Yeshua ressuscitou no pôr-do-sol do Sábado, e não no domingo pela manhã, como é ensinado por muitos. A ressurreição de Yeshua teria de se dar no Sábado, ao pôr-do-sol, no momento exato quando se completariam os três dias e as três noites – no seio da terra. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 195
    • O Sinal do Profeta Jonas ”Então o Eterno deparou um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe” Yonah (Jonas) 1:17: Yeshua declarou: “Mas ele lhes respondeu: Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Jonas; pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra” MT 12;39,40 A comparação de Yeshua não reporta ao momento de sua morte (15:00 hs), mas ao momento de seu sepultamento (próximo do por do sol) pois ficaria no “seio da terra”. O Problema do sinal do profeta Jonas para quem confessa a morte de Yeshua numa sexta: Neste gráfico você poderá notar como fica estranho e confuso as palavras de Yeshua ao comparar seu sepultamento com o relato do profeta Jonas entendendo que Ele tenha sido sepultado realmente no sexto dia. Outra contradição esta no relato dos discípulos no caminho para Emaús Lucas 24:1 “Mas já no primeiro dia da semana (domingo), bem de madrugada, foram elas ao sepulcro...Nesse mesmo dia (domingo), iam dois deles para uma aldeia chamada Emaús, que distava de Jerusalém sessenta estádios; e iam comentando entre si tudo aquilo que havia sucedido. Enquanto assim comentavam e discutiam, o próprio Yeshua se aproximou, e ia com eles; mas os olhos deles estavam como que fechados, de sorte que não o reconheceram. 17 Então ele lhes perguntou: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós? Eles então pararam tristes. 18 E um deles, chamado Cleopas, respondeu-lhe: És tu o único peregrino em Jerusalém que não soube das coisas que nela têm sucedido nestes dias? 19 Ao que ele lhes perguntou: Quais? Disseram-lhe: As que dizem respeito a Yeshua, o nazareno, que foi profeta, poderoso em obras e palavras diante de Elohim e de todo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 196
    • o povo e como os principais sacerdotes e as nossas autoridades e entregaram para ser condenado à morte, e o mataram. 21 Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de remir Israel; e, além de tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. A crença na morte de Yeshua no sexto dia é incompatível com o relato dos discípulos: é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. E aqui temos: As referencias (nestes versículos) sobre o tempo que o Mashiach estaria no túmulo, de nenhuma maneira se põe em evidência ou contradiz a doutrina da execução na quarta-feira e a ressurreição no fim do sábado (justamente antes do crepúsculo). Os versículos harmonizam com esta verdade de modo maravilhoso e mostram a exatidão da Palavra de Elohim. "DEPOIS DE TRÊS DIAS" ou "AO TERCEIRO DIA"? A expressão usada “depois de três dias” quando lida superficialmente pode parecer que Yeshua ressuscitaria no quarto dia após seu sepultamento. Então como temos a outra informação que diz: “Ao terceiro dia”? Esta é uma aparente tremenda contradição. No entanto, se harmonizam perfeitamente. Quando as Escrituras afirmam que Yeshua ressuscitaria depois de três dias, estão a indicar que seria depois de 72 horas completas. Mas como pôde Yeshua ter estado no túmulo três dias e três noites (72 horas) e ressuscitar ao terceiro dia? Esta pergunta é facilmente respondida. Ele foi posto no túmulo numa quartafeira (antes do crepúsculo). 72 horas depois, dão-se exatamente antes do crepúsculo do sábado quando Yeshua ressuscita cumprindo a promessa “Depois de três dias”, mas restando ainda alguns instantes para se findar o sábado cumprindo a outra promessa “Ao terceiro dia”. Portanto, achamos perfeita harmonia nas três definições de tempo, tudo em seu exato minuto, como sabemos que Elohim faz tudo. Louvado seja o Seu Nome! "O TERCEIRO DIA DESDE..." Há mais uma referência no fator tempo, que está ligada a execução e ressurreição do Mashiach (Ungido). "E nós esperávamos que fosse Ele que remisse Israel, mas agora, sobre tudo isso, hoje já é o terceiro dia que estas coisas aconteceram..." (Luc. 24:21) Se este terceiro dia mencionado por um dos discípulos que iam a Emaús era o terceiro dia depois de que Yeshua foi posto no túmulo, a conclusão seria que a ressurreição ocorreu no primeiro dia da semana. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 197
    • Quando o analisamos podemos ver que é impossível que o domingo tenha sido "o terceiro dia desde que...", Por quê? Vamos retroceder: Domingo – 3º dia “desde que (depois que) estas coisas aconteceram”; Sábado – 2º dia “desde que (depois que) estas coisas aconteceram”; Sexta – 1º dia “desde que (depois que) estas coisas aconteceram” Para que sexta fosse o 1º dia “depois que estas coisas aconteceram”, é obvio que Yeshua deveria ter sido sepultado na 5ª. Certo? Porque se o domingo foi o terceiro dia depois da execução, a sexta foi o primeiro dia depois da crucificação, não o dia do acontecimento. ESTE TEXTO SE APLICA CORRETAMENTE COM A MORTE DE YESHUA NO QUARTO DIA 1º - Repare que os discípulos ao caminharem por Emaús não estavam falando somente do sepultamento de Yeshua, mas tudo relacionado a Ele: "E nós esperávamos que fosse Ele que remisse Israel, mas agora, sobre TUDO ISSO, hoje já é o terceiro dia que ESTAS COISAS ACONTECERAM..." (Luc. 24:21) As expressões “Tudo isso” e “Estas coisas aconteceram” conotam pluralidade. Eles estavam falando sobre tudo relacionado ao Messias e não apenas sobre o sepultamento. 2º - Isto inclui sua prisão, julgamento, tortura, execução, sepultamento e o último evento ocorrido que foi a guarnição montada defronte ao sepulcro. O fato ocorreu um dia depois de sua morte. Isto é, quinta feira, dia 15º de Nissan no sábado de Páscoa. "...E no dia seguinte (a sua morte), que é o dia seguinte depois da preparação, reuniram-se os príncipes e sacerdotes e os fariseus em casa de Pilatos, dizendo: ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 198
    • Senhor, lembramo-nos de que aquele enganador, vivendo ainda, disse: Depois de três dias ressuscitarei. Manda, pois, que o sepulcro seja guardado com segurança até o terceiro dia, para que não venham seus discípulos de noite e o furtem, e digam ao povo: Ressuscitou dos mortos; e assim o último erro será pior do que o primeiro. E disse-lhes Pilatos: Tendes a guarda, ide guardai-o como entenderdes. E, indo eles asseguraram o sepulcro com a guarda, selando a pedra". (Mateus 27:62-66) AGORA VEJA A HARMONIA DOS FATOS: Yeshua foi julgado, condenado, executado e sepultado no quarto dia. A guarnição montada e a pedra selada no quinto dia (este foi o último evento!) De tal maneira que a sexta-feira havia sido o primeiro dia depois: o sábado o segundo dia depois e o domingo o terceiro dia depois de que "todas estas coisas aconteceram". OUTRAS VERSÕES ESCLARECEM Nem todos costumam aceitar as verdades da Bíblia sem alguma resistência. Na verdade, a grande maioria não aceita mesmo, ainda que se lhes prove com muitos argumentos. Assim, decidimos incorporar mais este pensamento, baseado em outras versões que, sem dúvida, serão um reforço a mais no assunto. Lucas 24:21: "São agora três dias desde que estas coisas ocorreram..." (El Nuevo Testamento del Siglo Veinte) "E eis aqui, três dias tem passado desde que todas estas coisas ocorreram..." (Versão Peshita Siríaca). Obs. Esta versão é considerada a mais antiga do mundo, antes mesmo que qualquer texto grego conhecido pelo homem. "...Hoje (são) três dias desde que todas estas coisas aconteceram..." (The Curetonian Syriac) outro antigo manuscrito. Conclusão: Nenhuma destas conceituadíssimas versões, dizem que aquele "domingo" fosse o terceiro dia, mas que já haviam se passado três dias, o que, sem dúvida, muda a situação. ERRO DE PONTUAÇÃO Nos escritos originais não existia pontuação e o texto de marcos foi influenciado por uma mente que acreditava na ressurreição ao domingo ficando assim: Mc 16:9 “Ora, havendo Jesus ressurgido cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 199
    • Faltou uma vírgula: , “Ora, havendo Yeshua ressurgido( ) cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios” Este texto, desta forma, harmonizou-se com todos os outros relatos; a afirmação é que ele ressurgiu sem declarar o horário, e que, no primeiro dia bem cedo, apareceu a Maria Madalena! Yeshua ressuscita próximo do por do sol Yeshua ressuscita próximo do findar do Shabat (sábado) “No fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro” MT 28:1 Quando o dia desponta para um judeu? Certamente não é depois de meia noite ou quando o sol se levanta, mas depois que o sol se deita no findar do sábado! Outras ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 200
    • versões trazem “amanhecer do dia”, “de madrugadinha”, “bem cedo” devem ser entendidos pelo prisma judaico de começo, instantes iniciais do 1º dia pelo prisma oriental e não ocidental. “No fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro ... Mas o anjo disse às mulheres: Não temais vós; pois eu sei que buscais a Yeshua, que foi morto. Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia” MT 28:1-6 O interessante é que as Marias chegaram nos primeiros instantes do domingo, ou seja, após o por do sol do sábado e Ele já havia ressuscitado. Provando-nos que Yeshua ressurgiu antes do por do sol do sábado. Conclusão: Yeshua cumpriu o prometido. Ficou três dias e três noites no coração da terra. A sua promessa é firme e não falha. Bendito é o que vem em Nome do Ha’Shem! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 201