Fazendo Teshuvá

2,819
-1

Published on

Esse material é composto por vários estudos que através de diversas fontes bibliográficas, demonstra todo engano da religião cristã, bem como suas origens, suas influências. Além disso, resgata a verdade deixada pelo Salvador e seus discípulos trazendo as questões dos nomes verdadeiros, as práticas. Desmascarando assim, a farsa do cristianismo romano, religião essa que assassinou milhões de yehudins (judeus) no mundo e é a mais adorada entre todas as religiões.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,819
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
134
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fazendo Teshuvá

  1. 1. Pr. Frederico Cordeiro Fazendo Teshuvá Uma série fantástica de 15 estudos por: Leitorah.blogspot.com – Yeshua Chai
  2. 2. Rosh Mosheh Ben Shalom (Pr. Frederico Cordeiro) Co-fundador e Líder da Congregação Judaico-Messiânica Bêith Shalom–ES 2006/2010; Co-fundador e Líder da Congregação Israelita Ye’shua Chai; Conferencista e professor do movimento de restauração; Palestras em DVDs: - Os Efraimitas e os cento e quarenta e quatro mil selados; A geração do tempo do fim; - Guematria; descodificando as Escrituras; - A Lei Eterna; - Culto na Missão Shekinar, Shabat Shalom; - As sete Kerrilot (Congregações) da Ásia. Agradecimentos: Agradeço ao Pai Eterno e protetor de Israel por mais esta realização. Que eu sempre esteja em sua disposição para realizar sempre obras maiores; a fim de que apresemos o retorno majestoso do Messias nosso Rei! Agradeço à Yosef Ben Chaim pela idéia que se realiza. Também agradeço a todos os irmãos e irmãs da congregação Israelita Ye’shua Chai. Deus o Pai do Panteão........................................................................6 O Sol por detrás de Cristo................................................................ 26 A Grande Meretriz............................................................................30 Homenagens pagas dentro das Escrituras.........................................45 As Águas do Shamaim......................................................................51 O Selo e o Pacto dos Anjos...............................................................60 Ye’shua filho de Elohim, sim! Elohim filho, não!............................84 Trindade x Shemá.............................................................................92 Os Adjetivos e Nomes de Elohim...................................................109 Guematria........................................................................................117 O Nome Maravilhoso......................................................................135 A Semente da mulher......................................................................145 O Grande Yon Kippur de 2018.......................................................152 As Sete Kehilot...............................................................................160 Aron HaKódesh..............................................................................171 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 2
  3. 3. GRAMÁTICA GREGA. S. J. FREIRE. DICIONÁRIO BÍBLICO STRONG -LÉXICO HEB., ARAM. E GREGO DE STRONG - 2002 SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL HEGÉSIPO – MEMÓRIAS BÍBLIA: VECHIUL TESTAMENT (GENESA FACEREA). BÍBLIA ESPANHOLA: EDT. HERDER S.A. 1965 IMPRENSÃO AUTORIZADA PELO BISTO GENERAL ANTONIO MONTEIRO. DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS DA CULTRIX – MEC. BÍBLIA TORAH PESHITA. DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS - MARIA C. A. ROSAS JERÔNIMO TRADUTOR DA BÍBLIA - EDITORA PAULINAS. PIERRE MARAVAL SÍMBOLOS DA NOVA ERA. S. V. MILTON. AMÉM, O POVO JUDEU FEZ UM PACTO COM DEUS. DICIONÁRIO PORTUGUÊS-HEBRAICO. HUZEFF ZLOCHEVSKY. O NOME ETERNO; A MAIOR SAGA DE TODOS OS TEMPOS. ROBESPIERRE CARDOSO DA CUNHA. SIDUR COMPLETO TRADUZIDO/TRANSLITERADO. JAIRO FLIDIN. BEREZIN, RIFKA. DICIONÁRIO HEBRAICO-PORTUGUÊS. EDUSP. SÃO PAULO, 1995. BÍBLIA SAGRADA, TRADUÇÃO: JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA. EDIÇÃO REVISTA E CORRIGIDA. BÍBLIA SAGRADA, TRADUÇÃO: JOÃO FERREIRA D’ALMEIDA -1681. AMFTERDAM - POR VIUVA DE J. V. SOMEREN SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. SÃO PAULO, 1989. FORAM MODIFICADOS ALGUNS TERMOS DAS CITAÇÕES BÍBLICAS PARA ADEQUÁ-LO AO CONTEXTO JUDAICO/HEBRAICO REFERIDO (N.T.). EPSTEIN; RABINO DR. ISIDORE, THE BABYLONIAN TALMUD, JEW’S COLLEGE, LONDRES. FONTE ON-LINE: HTTP://COME-AND-HEAR.COM/TALMUD/INDEX.HTML IZENBERG; YEHUDA (ORG.), MASSECHET DERECH ERETZ ZUTA. 2001 (VERSÃO VIRTUAL). FONTE ON-LINE: HTTP://WWW.DAAT.AC.IL/DAAT/TOSHBA/ZUTA/SHAAR-2.HTM TALMUD BAVLI. FONTE ON-LINE: HTTP://WWW.MECHON-MAMRE.ORG/B/L/L0.HTM O DEUS DOS INDO-EUROPEUS- JOÃO EVANGELISTA MARTINS TERRA SENTINELA TJ O NOME DIVINO QUE DURARÁ PARA SEMPRE- PÁGINAS 9,19 E 11 FRAGMENTO DA SEPTUAGINTA, I SÉCULO EC O NOVO DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO (VOLUME 2, PÁGINA 512, EM INGLÊS BIBLICAL ARCHAEOLOGY REVIEW, MARÇO DE 1978, PÁGINA 14 SEFER CHANOCH (LIVRO DE ENOQUE) MANUSCRITO DO MAR MORTO (QUM’RAM) SEFER CHOCHMAT SH’LOMO (LIVRO DA SABEDORIA DE SALOMÃO (“APÓCRIFO”) SEFER YOVELIM (LIVRO DOS JUBILEUS) LIVRO DE GUERRA- ESSÊNIO LIVRO SHOFIA – MITOLOGIA- PARÁGRAFO SOBRE AS RUNAS REVISTA AMERICANA THE LIVING PULPIT- EDIÇÃO 1999 - TRINDADE A NEW CATHOLIC ENCYCLOPEDIA (NOVA ENCICLOPÉDIA CATÓLICA-1967) REVISTA ENCYCLOPEDIA OF RELIGION END ETHICS (ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA) - PESQUISADOR JAMES HASTINGS THE NEW BOOK OF KNOWLEDGE VOL. 1 PÁGINA 193. ALPHABET - ARTIGO DE ROBERT M. WHITING FLÁVIO JOSEFO – GUERRA DOS HEBREUS ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 3
  4. 4. FLÁVIO JOSEFO – GUERRAS O REINO DE PÚRPURA DA ANTIGUIDADE – OS FENÍCIOS – GERARD HERM REVISTA SUPER INTERESSANTE – EDIÇÃO ESPECIAL – Nº 280-A / JULHO 2010, TÍTULO: O LIVRO DAS MITOLOGIAS, PÁGINA 19: O SINCRETISMO ROMANO Muitas pessoas estão bitoladas em seu universo particular, por isto estão covardemente alienadas de conhecimento. Os grandes líderes religiosos da atualidade têm privado seus membros da Verdade afim de melhor dominá-los. Seus apriscos são fabricados com espinhos da ignorância e arames da supremacia local. O conteúdo deste livro é totalmente descompromissado com placa denominacional e alguns paradigmas teológicos serão, para o bem, quebrados e lançados por terra. Em meio a tantas vertentes fantasiosas, te proponho fazer teshuvá (retorno) ao primeiro século da era messiânica e respirar uma doutrina pura, estudando a Palavra do Eterno de Israel numa raiz hebraica, compartilhando dos pensamentos dos nazarenos e gozando da riqueza do hebraico e aramaico. Abstenho de todo pensamento teológico moderno e desprendo-me de qualquer placa de qualquer denominação. Prometo comprometer-me somente com as Escrituras Sagradas, pois estas não se submetem as mesmas. Toda honra deste trabalho seja dada a Elohim nosso Criador, por intermédio de Yeshua haMashiach, nosso redentor. A Ele pertence o louvor, no mundo que Ele criou, seja Seu Nome eternamente; bendito, louvado, exaltado, consagrado, excelentemente adorado o Nome do Separado, bendito seja Ele. Acima de hinos, louvores e consolações que possam ser proferidos no mundo que Ele criou por Sua vontade. Que HA’ SHEM ponha em ti a Ruach (Espírito) de Biná (Entendimento) e que, durante esta leitura, você possa encontrar a verdade que o Eterno esta fazendo que brilhe com todo esplendor para nós. Rosh Mosheh Ben Shalom Para meditar: “Nem sempre a primeira informação que recebemos é a correta, embora seja muito difícil desconstruir a velha idéia. Em muitos casos, devemos desaprender para aprender corretamente” Acho que este será o seu grande desafio! Mosher. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 4
  5. 5. PALESTRAS EM DVDS POR MOSHEH BEM SHALOM Adquirindo Guematria ou A Lei terna, entrevista concedidas pelo Rosh Israelita você levará como extra as duas Mosheh Ben Shalom ao programa NOVE MINUTOS - TV TRIBUNA – (SBT). Em Os Efraimitas e os cento e quarenta e quatro mil selados (Palestra ao vivo), no menu extra você assistirá o grupo de dança Le’chaiym e a Chavidalá ministrada pelo Rosh. Culto Shabat Shalom filmado na Congregação danças e ministração final com o Rosh Shekinah com louvores, Mosheh Ben Shalom. Adquira pelo Telefone 9954-5794 e acesse nosso Blog: leitorah. Blogspot.com ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 5
  6. 6. DEUS O PAI DO PANTEÃO A GUERRA CONTRA O NOME! Há mais de mil anos, houve alguns fatores que por interesses políticos e religiosos, unidos à ganância desenfreada por poder, acabaram por se tornar obscuros e duvidosos. A maior saga de todas se deu concernente ao Nome do Criador, mas esta é uma história que nunca te contaram! A mudança do Nome sobre todos os nomes e que é também um selo para os que nele crêem. A base? Provas! Muitas delas, verdadeiras relíquias... E o mais importante de tudo, são fatos! Talvez seja difícil você acreditar que a humanidade vem sendo embalado em um terrível engodo mortal, criado para nos desviar da verdadeira adoração. A Chave A cada selo aberto pelo Cordeiro em Apocalipse, vemos uma revelação para seu tempo próprio. O mais interessante concernente ao tema em discussão é o sexto selo. Pois este é um sinal, uma marca de proteção para os filhos do verdadeiro Criador dos céus e da terra: “E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Elohim vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiques a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Elohim” Guiliana- Ap 7:2,3 Neste texto podemos observar um Tempo de Tardança para um selamento final, afim de que todos os filhos de Elohim sejam protegidos para o que esta para acontecer. É interessante notar que o Eterno coloca um selo nos seus servos. Mas será possível descobrir qual é este sinal ou o que o mesmo representa? A resposta está em Apocalipse: “Olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte T’Sion (Sião), e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas TESTAS tinha escrito o NOME Dele e o NOME de seu Pai” Guiliana (AP) 14:1 O nome Dele e o Nome de seu Pai. É este o Sinal que estará sobre os justos. E isto me faz pensar que, se o Nome é uma Marca ou um sinal que distinguirá seu povo, então estará somente nos eleitos e poucos o possuirão. Por conseguinte, os termos usados atualmente para se referir ao Altíssimo e a seu Filho estão profundamente prostituídos! A maior saga de todos os tempos esta caindo por terra: “Caiu, caiu a grande Babilônia...Porque todas as nações têm bebido do vinho (doutrina)da ira da sua prostituição (mudanças)” (AP) 18:2,3 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 6
  7. 7. Nesta figura grafada temos uma inscrição com a seguinte expressão: SOL INVICTO DEO. Ou seja, “DEUS É O SOL INVENCÍVEL” Como denuncia o livro: O NOME ETERNO A MAIOR SAGA DE TODOS OS TEMPOS de Robespierre Cardoso da Cunha: É ESTE O SER QUE ESTA SENDO INVOCADO POR MILHÕES DE PESSOAS AO USAREM O FONEMA DEUS! Veja neste dicionário de Gramática grega de S. J. FREIRE- Pg. 33 em declinações, como o nome ZEUS veio a tornar-se DEUS. E como o Zeta equivalente ao nosso (Z) veio a tornar-se o Delta ∆, correspondente ao nosso (D). Ou seja, ZEUS se tornando DEUS: Em português para melhor compreensão: Ó ZEUS = JÚPITER: Ó ZEÚ NA FORMA ARCAICA 1ª DECLINAÇÃO: DIOS; 2ª DECLINAÇÃO: DIÍ; 3ª DECLINAÇÃO: DIA ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 7
  8. 8. Primeiro o dicionário mostra que Zeus era escrito Zeu sem o (S) e que o (D) é a terceira declinação do (Z), o que fica evidentemente comprovado com expressão da imagem que vimos anteriormente: Sol Invicto Deo, ou Zeu. Relíquia do Vaticano Esta é uma antiguíssima bíblia Romana, em latim. O estarrecedor, é que confirma o que diz o dicionário grego; Zeus era escrito sem o (S). O mais incrível ainda é que eles o chamam de criador dos céus e da terra: Gênesis 1 Gênesis1:1 Veja a página e a ampliação do primeiro versículo: “LA INCEPUT, DOMNE-ZEU a fãcut cerurile si pãmintul” Em português: “No princípio o SENHOR ZEU fez os céus e a terra” A expressão *DOMNE em latim quer dizer SENHOR. Logo DOMNE’ZEU é SENHOR ZEU! Exatamente como reza o dicionário de gramática grega. Daí surgiu o nome do profeta ELIZEU. Eli é a abreviatura na corruptela de Elohim em hebraico. Então Eli+Zeu é uma ofensa ao Eterno de Israel. Elizeu é um nome de blasfêmia e uma afronta ao verdadeiro Elohim. No original, em hebraico, o verdadeiro nome do profeta é ELIÁHU (EL OU ELOHIM É IÁHU), não tem nada de ZEU. O mesmo acontece com MATITIÁHU eles puseram MATEUS (MAT+(Z)EUS) ABOMINÁVEL, ABOMINÁVEL, ABOMINÁVEEEEEEEEELLLLLL! *DOMNU- Segundo o livro de mitologia celta de Antônio Augusto Shaftiel: “DOMNU na mitologia Galesa era a Rainha dos Céus, deusa do mar e do ar. Por vezes chamada de deusa outras vezes de deus”. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 8
  9. 9. O TRUQUE NAS MANGAS 1ª Declinação: ZEU se torna DIOS GN 1:1 BÍBLIA ESPANHOLA DA EDITORA HERDER S.A. 1965 - IMPRIMIDA COM A AUTORIZAÇÃO DO bispo auxiliar GENERAL ANTONIO MONTEIRO. “AL PRINCIPIO CREÓ DIOS EL CIELO Y LA TIERRA” Repare que ZEU na declinação aqui já é Dios. Esta caindo a grande babilônia que deu a beber a todos do vinho (doutrina) do furor de sua prostituição! Ela nos enganou concernente a guarda do verdadeiro dia santo, O SÁBADO. Nos fez acreditar em ídolos. Disse que era o “ISRAEL ESPIRITUAL” e com isto inventou a falsa teoria da “subistituição,” e que mais tarte fora adotada no meio “Evangélico”. Fez de nós politeístas (trindade), criou o purgatório e o tormento eterno, ordenou que se guarde o natal em 25 de dezembro (nascimento do sol invicto DEU), mudou as sete festas bíblicas pelas sete pagãs, etc, etc, etc... E você custa a acreditar que ela tenha mudado os nomes sagrados! “E vi uma mulher (igreja em profecia) assentada (estabelecida) numa besta (poder) de cor escarlate (pecado/cor oficial de ROMA) que estava cheia de NOMES DE BLASFÊMIA” (AP) 17:3 Segundo o livro o Deus dos Indo-Europeu, no capítulo 11 e página 291, em “Análise do termo –DEUS- no indo-europeu. O escritor e padre João Evangelista Martins Terra faz uma listagem da origem e declinações do termo deus: “A religião indo- europeu era a crença num “Ser Supremo”, o “Deus Celeste”, chamado DEWOS, derivado do radical DEI- Iluminar” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 9
  10. 10. DEIWOS – Hierofania de Deus no “céu luminoso”. Daí derivam, nas línguas indo-européias: DEVA - SÂNSCRITO; DOVE – BRETÃO; DAEVO – AVÉSTICO; DEIVOS – VÊNETO; DEVO – CÉLTICO; DEVO – GAULÊS; DEV – PERSA; DE – BRITÂNICO; DEUS – LATIM; DEIVAI – OSCO; DIA – GALÊS DIA – IRLANDÊS; DIUVE – ITÁLICO; IUVE – UMBRO; TIN – ETRUSCO; ZIS – CITA; TEÍVA – GERMÂNICO; TYR - ISLANDÊS; TYR - ESCANDINAVO; DEIWAS – BÁLTICO; DIEVAS – LITUANO; DEVS – LETÔNIO; DIVU – ESLAVO; DIOS – GREGO; ZIS – ILÍRICO; SIUS – HITITA. O pesquisador lingüístico fala ainda sobre: IMANÊNCIA E TRANSCEDÊNCIA CÓSMICA: Duas séries de nomes paralelos, próprio e comum: DEI – Dei-u-os - Deivos – Deus – nome comum: DEI –Dj – eu-os – Zeus – Dj-u(piter) – nome próprio. Notar o “U” sacral! Na página seguinte, 292 João Evangelista Martins Terra expõe: DEIWOS se une a palavra PATER; EX: Zeus – Pater, Dyaus- Pita (sânscrito), Dies(Piter) Ju(piter) em latim, Iu(pater) em umbro, Dies(póla), vêneto, Dei (patyros), Zis(pater), Zo(PA), ilírico, Zi(pater), trácio, Zis-Papaios, cita, etc... Nota: Presença do elemento sacral – “u”: Dei-u-os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 10
  11. 11. MAIS PROVAS DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS PG 248 DA CULTRIX -MEC Este dicionário deixou explícito que: “O DEUS era o chefe indiscutido do panteão... os gregos em Ámon reconheceram o seu deus supremo, e deram a Tebas o nome de DIÓSPOLIS (CIDADE DE ZEUS)”` Veja como o historiador Tassilo Orfheu Spalding traduziu POLIS como CIDADE e DIÓS como ZEUS. Este historiador esta em perfeita harmonia com o que disse S. J. Freire na 1ª declinação: Dios é Zeu! DICIONÁRIO DAS MITOLOGIAS EUROPÉIAS E ORIENTAIS PG 227 DA CULTRIX -MEC TUDO EXEMPLIFICADO: DYAUS- PITAR = PAI DO CÉU PARA OS ARIANOS (O SOL); JU – PITER = PAI DO CÉU PARA OS ROMANOS (DIVINDADE DO CÉU = SOL); ZEUS – PATER = PAI DO CÉU PARA OS GREGOS (DIVINDADE DA LUZ = SOL) DIES – PADRE = PAI DO CÉU EM LATIM, ( DIES = DIA = LUZ SOLAR, O SOL); DEUS – PAI = PAI DO CÉU EM PORTUGUÊS (ZEUS É PAI) Zeus era honrado no Domni-Dei (Domingo = Dia do Senhor ou Senhor é Dia “SOL”). Entendeu porque o vaticano impõe com muito ímpeto que todos devem adorar a “deus” no domingo 1º dia da semana? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 11
  12. 12. IMAGEM DE DYEUS, SÉC. 4 AC. ENCONTRADA NA UCRÂNIA E YU- PITER COMO DYOS- PATER DO CRISTIANISMO Bom, o dicionário grego já mostrou que ZEUS era escrito ZEU sem o (S), o que já confirmamos com a própria Bíblia católica em latim na página de GÊNESIS 1:1. Depois, nas declinações, vimos como ZEU tornou-se DIOS. O que também mostramos testificando com a Bíblia católica espanhola também em GN 1:1. TERCEIRA DECLINAÇÃO ZEUS É DIA A primeira coisa a considerar é que DIA em inglês tem o mesmo fonema que Deus em latim. Será isto uma coincidência ou uma confirmação daquilo que dizem os historiadores e o professor de gramática grega? Dia ou Dies, Dios, Diaus, ou inacreditavelmente Deus, são formas diferentes para Zeus. Repare que domingo em inglês é SUN- DAY (DIA DO SOL, OU DIA DE SE ADORAR A ZEUS). Daí vem também a pronuncia IGREJA que deriva de uma palavra grega que quer dizer CHAMADOS PARA FORA! Era isso o que acontecia, todos eram convidados a saírem de suas casas para reverenciarem o grande sol em cada manhã de domingo. Domingo – português (dia do “Senhor” – dia de “deus”) Domni-Dei – latim (o senhor é o Sol = Dia), Sun-day - inglês que tem a mesmíssima conotação (dia do sol). UM LEGADO MUITO ARCAICO 1º 2º 3º 4º (Z)EUTH (Z)EUS (T)EUS (D)EUS PARA OS EGÍPCIOS; PARA OS GREGOS; PARA OS GREGOS CRISTÃOS; PARA OS DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 12
  13. 13. A revista SUPER INTERESSANTE – EDIÇÃO ESPECIAL – Nº 280-A / JULHO 2010, título: O LIVRO DAS MITOLOGIAS, página 19: O SINCRETISMO ROMANO, por Eduardo Szlarz afirma: “Assim Zeus e Júpiter correspondiam ao deus indo-europeu do céu. Tanto que o nome ZEUS tem a mesma raiz do latim DIES (“DIA”). Esses termos remetem a DYEUS (“DEUS DO CÉU, ILUMINADO E BRILHANTE”) – o pai dos deuses do panteão indo-europeu. Isso explica por que os romanos diziam “DIEUS PATER” , que derivou para JU-PITER em latim”. Neste livro de Pierre Maraval que é professor de Historia da Antiguidade Cristã, e Diretor do Centro de Análise e Documentação Patrísticas da Universidade de Strasbourg – França. Pierre cita um trecho da carta em que Jerônimo, tradutor da Bíblia, responde ao papa Dâmaso que lhe pedira para que alterasse as Sagradas Escrituras. Confessa estar preocupado com a reação das pessoas ao fazer tal coisa: JERÔNIMO TRADUTOR DA BÍBLIA DA EDITORA PAULINAS PG 44 Veja agora a Torah Peshita ; uma Bíblia aramaica datada do 4º século que não deu uma voltinha pelo Vaticano, um pulinho no grego, não passou pelo cunho de Jerônimo. Veio quentinha para nós! -Em hebraico: ‫( ב ר א ש י ת ב ר א א ל ה י ם‬se lê da direita para a esquerda); -Transliterado: BERESHIT BARÁ ELOHIM (se lê Elorrim); -Traduzido: NO PRINCÍPIO CRIOU ELOHIM; OS CÉUS E A TERRA! E nunca DomneZeu, diós, ou dies, dia, dei, zebu, zevs, zeus, deus, deo,téo, god, etc...Veja que ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 13
  14. 14. no idioma hebraico quem criou os céus e a terra foi ELOHIM YÁHUH ‫ א ל ה י ם‬O grande ‫.י ה ו ה‬ O TETRAGRAMA ‫ה‬ ‫יהו‬ Tetragrama são as quatro letras (consoantes) em hebraico que correspondem ao Nome de Elohim: ‫ה‬ puseram JEOVÁ! ‫ :י ה ו‬YÚD (‫ ,)י‬Hê (‫ ,)ה‬VAV (‫ ,)ו‬Hê (‫ )ה‬que na corruptela eles Algumas pessoas pensam que o Nome do Eterno de Israel é Javé ou Jeová. Estes termos nunca poderiam ter a fonética do tetragrama; pois não existe um fonema como a do jota (J) no hebraico! Jeová era um deus romano, tido como Pai dos deuses: (Tópico enciclopédia ilustrada) um exemplo da deturpação do nome de Elohim para Jeová, está na enciclopédia em cores, martins vol. –IX. Veja o que afirmam os próprios doutores e líderes das Testemunhas de Jeová concernente aos termos Jeová e Jesus, na sentinela O Nome Divino Que Durará Para Sempre - páginas 9,19 e 11: Apesar de certamente (os Testemunhas de Jeová) se importarem com o fato de Elohim ter um Nome próprio, acabam por confessar este não ser Jeová, e finalizam ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 14
  15. 15. admitindo ser Jesus um nome falso para ‫ י ש ו ע‬Ye’shua o verdadeiro Nome do Messias e o único para nossa salvação!Também apresentam o Nome do Eterno em hebraico ‫הוהי‬Yáhuh, dentro da pirâmide ILUMINATE, o que só reforça um laço forte com a maçonaria. (No lugar do “Olho de Hórus” eles puseram o Tetragrama). O Nome JEOVÁ é um dos quarenta nomes de demônios invocados na maçonaria. Sendo o principal deles GADU (Grande Arquiteto Do Universo) Por isso este esforço grandioso de Roma papal, por fazer de Jeová o criador dos céus e da terra. Gadu também é Bafometh, um demônio hermafrodita com cara de bode; também chamado pela maçonaria de Jabulom (acrônimo de JÁ + Bul= Baal + OM= Lua). Não é a toa que a bola oficial da copa da África se chame Jabulane! Uma forma carinhosa de se homenagear Jabulom. BARURH HA’SHEM! BENDITO SEJA O NOME! Não o de Jeová ou Gadu. E sim o de ‫הוהי‬YÁHUH; O Eterno de Israel! Está caindo Babilônia, a GRANDE PROSTITUTA que embebedou as nações!!! JESUS Voltemos nossa atenção ao termo IESUS. Que em hebraico é escrito: ‫יסוס‬ (iúd)+(sâmek)+(vav)+(sâmek), isto é: IESUS – (‫ )י‬Ye (a abreviatura do nome do Eterno) + (‫ )ס ו ס‬SUS = Cavalo. As duas pronúncias juntas formam: O Eterno é Cav....! Vai aí uma cópia do dicionário hebraico-português – português-hebraico de Huzeff Zlochevsky na página 54. Tente pregar Iesus em Israel e terá noção de como essa fonética é uma blasfêmia na língua santa. Insultaria e muito os judeus que, diferente de nos brasileiros, tem grande estima pelo nome sagrado de Elohim. É realmente curioso o fato de O Nome que saiu de Yerushalaim para as nações com a conotação de ‫( י ש ו ע‬Ye’shua) O ETERNO SALVA, ser devolvido para os judeus no mesmo idioma como ‫(י ס ו ס‬Ye’sus) O ETERNO É CAVALO....! Outro erro gritante na alegação de alguns opositores está na divisão de Iesus. Alegam dizendo que Iesus é grego e não hebraico. Portanto, afirmam os mesmos, que ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 15
  16. 16. em grego SUS não é cavalo e sim HYPPOS. Muito bem, desconsideremos a blasfêmia do termo Iesus no hebraico e analisemos no grego. Repare o que afirma o professor João Flávio Martinez: “Um nome em um determinado idioma, cuja divisão silábica daria significado em o mesmo idioma, o que seria correto”. Então veremos em grego (já que é a origem de Jesus). Novamente no dicionário de gramática grega de S. J. Freires têm a informação de que SUS em grego é PORCO! Daí declinou-se a palavra suíno que vem de Sus! Veja, esta aí a prova que nós falamos e mostramos. Observe que essa argumentação tentando se esconder atrás do grego é falha. Sus em hebraico é cavalo, segundo o dicionário hebraico página 54. Esta aí no dicionário grego: Sus é porco! Para onde correr? “Seita” Os que criam no messias (Mashiach = ungido) eram chamados por três adjetivos: 1º “Seita do Caminho”, 2º “Seita dos nazarenos” e 3º “Judeus Messiânicos”. Roma mente ao dizer que os nazarenos passaram a se denominarem “Cristãos”. Esta expressão grega que tem a conotação de “ungido” vem de CRESTAS que era os raios solares como nesta imagem do Sol Invictos Deus. Veja em volta da cabeça do ser iluminado as crestas solares. Desta expressão herdamos as cristas dos galos. Até mesmo nos dias atuais em Israel os que crêem no Messias são chamados Natzirí (Nazarenos) palavra masculina de Natzaret (Nazaré). Cristo significa, na integra “Ungido do Sol”. Messiânico quer dizer seguidor do Mashiarh, ungido de Elohim. Saia querido rapidamente de Roma, fuja da Grécia em quanto é tempo. Pare de defender estas deidades solares. O Eterno esta tendo infinita misericórdia de nos fazendo que tanta luz da verdade brilhe para que também não tenhamos desculpas no dia de Yon Kippur (dia do Juízo). JE – SUS Outra questão que gostaria de resolver sem delongas é a questão da divisão silábica de Jesus. Este não poderá ser dividido de outra forma que não seja JE – SUS, uma vez que estamos falando de IE’SHUA. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 16
  17. 17. Porém na bíblia arcaica Romana, em latim (a mesma que denomina Elohim como Domne Zeu), também mostra-nos como Jesus era anteriormente transliterado: ISUS HRISTOS. Isus ou Esus era uma deidade celebrada no sul de Roma! Os articuladores defensores dessa deidade solar fabricada pelos bispos que assumidamente se opuseram à Ye’shua também enfatizam: “Existem tantos deuses mitológicos em tanto países que qualquer nome que pegarmos e dividirmos em sílabas, certamente encontraremos uma expressão pagã para ele”. Porém quero salientar que não estamos usando o holandês, japonês, inglês ou outro qualquer idioma. Estamos sim, usando o hebraico e o grego, considerando que Ie’shua é hebraico e na mudança grega temos Ie’sus. Pois bem, esqueçamos o jota e qualquer outra forma que muitos sem conhecimento pleno, infelizmente lançam mão e acabam por atrapalhar. O nome Ie’shua em hebraico é um acróstico de duas palavras: Ie’ e Shua; o nome do Eterno e Salvação. Então, não sou eu quem dividiu o nome, mas ele próprio é uma junção de palavras, como o termo Emanu’el = Elohim ou “El conosco”. Também Dani’el (Dan = juízo e El = Elohim, ou seja, Juízo de Elohim). Como você pode ver também Ie’shua é um nome com duas palavras e com dois significados. O grande problema em Ie’sus é que Ie como é a abreviatura do nome pessoal do Eterno, não se traduz e ficou corretamente Ie. A mudança esta em SUS, que em grego é Porco hebraico; CAVALO σοσς e em ‫ .ס ו ס‬Deveria ser transliterado como shua ou no máximo Sua devido à deficiência do grego em relação ao som da consoante SHIM (‫ )ש‬que da o som de xis. Uma vez que os gregos não têm uma letra equivalente substituem pelo Sigma que tem o som do nosso (S), ficando SUA em lugar de SHUA e jamais SUS. Alguns tentam defender-se dizendo que Ye’shua soa como uma palavra feminina por isso o IE’SUS em lugar do IE’SHUA. Então pergunto: Porque lemos Tanaka na camisa do jogador da seleção japonesa, mesmo parecendo feminino? Ou porque não mudaram para o masculino o nome de Jonas? Pare e pense! Ouve então uma acepção na tradução entre Ye’shua, Jonas ou Malaquias? O Padre João Ferreira D’almeida Muitos evangélicos não sabem, e a teologia não comenta, ma a bíblia que todas as igrejas protestantes usam foi traduzida por um padre chamado João Ferreira de Almeida. Alguns argumentam que João Ferreira era um pastor, porém tenho em meus registros uma Bíblia datada do século XVI (1681) e prova que João Ferreira D’almeida era sim padre. Além desta informação importante temos outra peculiar: Iesu Christo era como nossos tataravôs foram doutrinados a chamarem o seu Messias. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 17
  18. 18. Veja a página e a ampliação ao lado: O Nome do Salvador como conhecemos hoje, foi tão somente uma evolução de adaptações sistemáticas. Primeiro Iesu, depois o “s” sacral ficando Iesus e posteriomente o Jota substituindo o I: (J)esus! A confusão é tão grande que nesta mesma bíblia do século dezesseis, ora Jesus é chamado de Jesu outrora Iesu. Foram mesmo os judeus quem transliteraram os nomes na septuaginta? Para se ter uma idéia da mentira que teólogos padres e pastores sempre repetiram, darei um exemplo claro da importância dos Nomes Sagrados para os judeus. Tanto é que neste fragmento da Septuaginta, I século EC e que contém Zacarias 8:19-21 e 8:23 a 9:4, que encontra-se no museu de Israel, em Jerusalém. Contém o nome do Eterno ‫ י ה ו ה‬que aparece quatro vezes, três das quais aqui indicadas. No entanto, no manuscrito Alexandrino (abaixo), vemos uma cópia da Septuaginta feita 400 anos mais tarde, o Nome de ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 18
  19. 19. Elohim foi substituído nesses mesmos versículos por KY e KC, formas abreviadas da palavra grega Ky-ri-os (“Senhor”). Alguns fragmentos antiguíssimos da versão grega Septuaginta, mostram que o Tetragrama nem sequer era transliterado para o grego, mas continuaram sendo grafado, (mesmo na versão grega) com caracteres hebraicos, como vemos na 1ª imagem. Quem da esta informação é O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento (Volume 2, Página 512), diz: “Descobertas textuais recentes LANÇAM DÚVIDA sobre a idéia de que os compiladores da LXX (Septuaginta) TRADUZIRAM O TETRAGRAMA ‫הוהי‬YHWH POR KYRIOS. Os mais antigos MSS LXX (fraguimentos) agora disponíveis trazem o Tetragrama escrito em caracteres hebraicos no texto Grego. Este costume foi continuado por posteriores tradutores judaicos do Antigo Testamento nos primeiros séculos AD”. Da mesma forma o professor Geore Howard, da Universidade da Geórgia, EUA, afirma: “Quando a Septuaginta que a Igreja do “Novo Testamento” usava e citava CONTINHA A FORMA HEBRAICA DO NOME DIVINO, os escritos do “Novo Testamento” sem DÚVIDA INCLUÍRAM O TETRAGRAMA EM SUAS CITAÇÕES” (Biblical Archaeology Review, março de 1978, página 14) E agora o que dizer? Foram mesmos os judeus quem fizeram as mudanças? Entenda que os mesmos se quer transliteraram, quanto mais traduziram! O TEXTEMUNHO DE ORÍGENES: “E nos manuscritos mais exatos O NOME aparece em caracteres hebraicos, embora não nos caracteres hebraico moderno ‫ , י ה ו ה‬mas sim nos mais arcaico ” JERÔNIMO EM SEU PRÓLOGO PARA OS LIVROS DE SAMUEL E REIS: “E encontramos o NOME Divino, o Tetragrama ( me ,(‫הוהי‬certos volumes gregos mesmo até hoje (4º séc), expresso em letras antigas” O TEXTEMUNHO DE LUTERO EM 1543: “Que eles (os judeus) alegam agora que o Nome YHWH é impronunciável, não sabem do que estão falando... Se pode ser escrito com pena e tinta, por que não deve ser pronunciado, que é muito melhor do que ser escrito com pena e tinta? Por que não dizem também que não se deve escrevê-lo, Lê-lo ou pensar nele? Tudo considerado a algo de errado nisso.” Nota: Não entendo como Lutero tendo este pensamento que é verdadeiro deixara de fora o Tetragrama substituindo por HEER (Senhor) em alemão? Devo alertar que NOMES PRÓPRIOS NÃO SE TRADUZEM! Tente trocar o nome de um escritor em seu livro ou simplesmente trocar o nome de uma pessoa em um passaporte. Faça isto e será logo acusado de plagiador. Seria menos grave com certeza do que mudar o Nome do autor das escrituras ou o Nome do ser que garante seu ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 19
  20. 20. passaporte para a salvação! Quão seria bom que todos aprendessem a amar este nome Maravilhoso puro e salvador! SOBRE A BIOGRAFIA DE FLÁVIO JOSEFO O escritor judeu Flavio Josefo escreveu como os gregos apoderavam-se de tudo e de todos e para serem considerados os fundadores e donos das cidades, países e pessoas, simplesmente mudavam seus nomes. Trocaram o nome do escritor hebreu, dando-lhe um nome romano “honrando-o” com o sobrenome do seu novo imperador. O mesmo aconteceu com a própria cidade Eterna Yerushalaim chamando-a de Heliocaptulina (Capital do Sol). Flávio Josefo em a História dos Hebreus relata: “Algumas dessas nações conservam ainda os nomes dados por aqueles que lhes deram origem, outras as mudaram e outras ainda, por fim, em vez dos nomes bárbaros que antes possuíam, RECEBERAM NOMES QUE ERAM DO AGRADO DAQUELES QUE NELAS VINHAM SE ESTABELECER. Os gregos foram os principais autores dessa mudança, pois, havendo-se tornado senhores de todos esses países, davam-lhes nomes e como bem desejavam impunham leis aos povos conquistados, usurpando, assim, a glória de passar por seus fundadores.” Em Roma até hoje é comum mudarem os nomes (Crismar); um exemplo disto é a mudança de nome de todos os papas. Assim também era Bavel, ao entrar para lá os nomes tinham que ser trocados: “E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Rananiáhu, Mizael e Azariáhu; E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel (Significa Elohím é a minha Justiça) pôs o de Bel’tescha’ts’tsár (Amado de Bel ou Baal), e a Rananiáhu (Elohím é Misericordioso) o de Shadh’rák (Inspirado de Akul, deus Sumeriano do fogo), e a Mizael (Quem é Semelhante a Elohím?) o de Meh’schák (Quem é semelhante a Akul?), e a Azariáhu (Elohím é a minha Ajuda) o de Abédh’neghóh (Servo de Nego, deus do fogo)” DN 1:7. Portanto, o fato deles obrigatoriamente possuírem estes nomes, não prova em hipótese alguma que isto é comum e regra para tomarmos por exemplos. O mesmo aconteceu com Flavio Josefo ou aliava-se com Roma ou morreria. A cultura hebraica é oposta à helênica. JOSEFO E O NOME Josefo viveu em uma época em que o Nome ainda era conhecido. Sabemos pela citação em “Antigüidades 2:12:4” que Josefo sabia qual era o Nome, mas dizia não ser lícito dizê-lo explicitamente. Porém, Josefo deixa uma importante dica. Ao falar da cobertura de cabeça do Cohen Gadol (Sumo Sacerdote). Veja o texto em Hebraico e sua tradução para o Português logo abaixo. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 20
  21. 21. “E farás lâmina [Tsits] de ouro puro e gravarás sobre ela, como gravuras de selo, "Santidade a " JOSEFO EXPLICA: "Nela estava gravado o Nome Sagrado. Ele consistia de quatro vogais." (Guerras 5:5,7) Ora, vemos aqui algo muito interessante. Josefo, ao escrever, relata que o Nome de , além das quatro letras consonantais Yud-He-Vav-He, consistia também de QUATRO VOGAIS. Mas por que Josefo relataria isso? Tal informação era particularmente relevante para o mundo grego, visto que, ao contrário das línguas semitas, os gregos eram acostumados às vogais: "Quando os Gregos adaptaram o sistema de escrita fenício para a sua língua... eles criaram sinais para vogais e o utilizaram a cada vez que uma vogal ocorria..." (The New Book of Knowledge Vol. 1 página 193. Alphabet - artigo de Robert M. Whiting) Josefo falando da coroa Sacerdotal: “Esta era rodeada por uma espécie de correia de ouro, bastante larga, sobre a qual, EM CARACTERES SAGRADOS, estava escrito o Nome de Elohim” História dos Hebreus cap. 8 parág. 119 Nota: Repare que o historiador ao falar aos gregos e romanos, exalta o hebraico dizendo: “A qual, em caracteres sagrados, estava escrito o Nome de Elohim” “...E escutaram os preceitos que Mosheh lhes deu depois, os quais estavam escritos nas duas Tábuas da Lei. Não me é permitido referir as mesmas palavras, mas vou transcrever-vos apenas o sentido” História dos hebreus cap. 4 parág. 113 Não seria por causa do Nome sagrado de Elohim ‫ ,יהוה‬escrito em caracteres hebraico? Nota: O que e porque Josefo não poderia falar as mesmas palavras das tábuas dá Lei? Ou seja, em língua Santa (Separada). IE’SHUA TRANSFORMANDO-SE EM IE’SUS Veja que contradição na transliteração de Ie’shua para Ie’sus. = ‫י‬IE =‫ש‬sH = ‫ו‬U =‫ ע‬A Transliteraram IE (corretamente) Transliteraram ς Transliteraram U Transliteraram caso de Ye’shua). ς (o shim (som de Sh) foi trasl. Pelo sigma (som de (S)) (corretamente) (Ain consoante muda que ganha o som de (A) no ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 21
  22. 22. Como pode a letra hebraica shim ‫ ש‬que tem o som de SH ser representado pelo Sigma ς som de (S) e ao mesmo tempo a letra Ain ‫ ע‬equivalendo ao (A) em Ye’shu(a) ser representado pelo mesmo Sigma (ς)? A transliteração deveria ser Ie’sua, e jamais Iesus. Um sigma (ς) para o shim ‫( ש‬SH) e o mesmo sigma (ς) para o Ain (A). Absurdo! 1º- Prova- Ie’shu(a) que deveria ser transliterado no final com o alfa repetiram o sigma ς Ie(s)u(s). ά Iesu(á) eles 2º- Prova- NEEMIAS 11:26 – Em Neemias temos uma lista de cidades, sendo que uma delas tinha o mesmo nome de nosso salvador YE’SHUA. Como os gregos não expressam o Sh, nas declinações chegou para nós como Iesua (Jesua): “E quanto às aldeias com os seus campos, alguns dos filhos de Judá habitaram em Quiriate-Arbal e suas aldeias; em Jesuá, em Molada, em Bete-Pelete,” NE 11:25,26 O mesmo texto que acabamos de ler (ao lado), em grego. Repare que a cidade que tem o mesmo nome de Ie’shua (Іησοσά) está aqui transliterado para o grego como IESUÁ. Baruch haShem Adoneino (Bendito seja o teu Nome, Nosso Senhor!) ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 22
  23. 23. Porque ainda que o lobo se disfarce de ovelha sempre deixa o rabinho de fora! 3º- Prova- Como pode ‫ י ש ו ע‬Ye’shua ser transliterado de duas formas totalmente diferente: Ie’suá para a cidade e Ie’sus para o Messias? Que regra é esta? Em hebraico Judá é Yehudah ‫י:הדוה‬ ‫ י‬Ye ‫ה‬RR ‫ ו‬u ‫ ד‬dá ‫(ה‬o He acrescenta um acento no A de Yerrud(á)). VEJA A CONTRADIÇÃO: J – Em lugar do iúd ‫( י‬Ie) U – Em lugar do He e vav ‫( וה‬Hu), comeram o He ‫( ה‬H) e deixaram o vav ‫( ו‬U) D – corretamente o D, já que em hebraico seria o dálet (‫)ד‬ A – o A também não esta errado na fonética S – mais uma vez o sigma (ς) colocado sem nenhum sentido em lugar do Hê que no final de uma palavra ganha o som de acento agudo: Judá e não Judas. PORQUE TANTO SIGMA NAS TRANSLITERAÇÕES DOS NOMES BÍBLICOS? (1º)- O sigma grego (ς) já equivaleu ao Shim ‫(ש‬som de Sh) em Ie(sh)ua – Ie(ς)ua (2º)- O mesmo sigma (ς) já equivaleu ao Ain ‫( ע‬som de A) em Ieshu(a) – Ie(ς)u(ς) (3º)- O insistente sigma grego (ς) equivalendo também ao He ‫( ה‬que no final dá o som de acento agudo) em Jud(á) - Juda(ς). Que confusão! B-a-b-i-l-ô-n-i-a! Como uma única letra pode ter tantas variações? Segundo o dicionário de língua português GAMMA: “SGMATISMO é a repetição viciosa da letra (s) e outras sibilantes”. Vemos então esta “doença viciosa” nas traduções dos nomes bíblicos. No livro de Sophia, na parte de Mitologia no parágrafo sobre as Runas, o autor afirma claramente que a Runa de letra “S”, (Sowulo) se referia ao SOL que mitologicamente era adorado por diversas nações. O autor afirma que a adoração ao sol estava diretamente ligada ao Cavalo. Os Padres observavam os cavalos como divinos, dignos de adoração. (O mundo de Sophia, Runas CD COMPUTER). Por isso todas as vezes que aparecia o prefixo do Nome do Eterno YAR no final de um nome bíblico judaico, logo o sigma (símbolo do sol) entrava como substituto. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 23
  24. 24. EXEMPLO: YRMEIAHU puseram Jeremias ZACARIAH puseram Zacarias YESHAIÁHUH puseram Isaías COMO YA’AKOV (“JACÓ”) TORNOU-SE THIAGO? Veja a mentira: YA’AKOV - Tanto é o nome do patriarca de Israel (“Jacó”) quanto do discípulo e meio irmão de Ye’shua (“Tiago”). No entanto, Ya’akov chegou a nos como Jacó para o patriarca e Thiago para o discípulo. Thiago era o nome de uma deidade pagã. Quero que os Teólogos defensores de Roma expliquem este fenômeno! A regra diferencial de transliteração usada foi “Velho” e “Novo Testamento?” Pois Ya’akov o da primeira aliança virou Jacó e Ya’akov o da segunda aliança transformaram-o em Tiago. Loucura! JUDAS OU JUDÁ? Outra deturpação: Yehudá é o nome da cidade bíblica de onde descende Ye’shua, mas é também o nome de dois de seus discípulos, dos quais um foi o seu algoz. Repare como na transliteração a cidade Yehudá, chegou como Judá e os seguidores de Ye’shua com o mesmo nome eles puseram Judas. Olhe o sigma solar aí novamente! Bom, nem precisaria tamanha argumentação para se entender uma coisa tão fácil, tão somente bastaria não está o coração preso em salários, cabeças (membros), influências, títulos e amizades. Certamente sairíamos bem rápido de Bavel. REALMENTE A IMPORTÂNCIA DO NOME: “Não tomarás o nome de Yáhuh teu Elohim em vão; porque Yáhuh não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão” Shemot (EX) 20:7 “E o filho da mulher israelita blasfemou o Nome, e praguejou; pelo que o trouxeram a Mosheh. Puseram-no, pois, em detenção, até que se lhes fizesse declaração pela boca do Há’Shem. Então disse Yáhuh a Mosheh: Tira para fora do arraial o que tem blasfemado; todos os que o ouviram porão as mãos sobre a cabeça dele, e toda a congregação o apedrejará. E dirás aos filhos de Israel: Todo homem que amaldiçoar o seu Elohim (importância para o ser), levará sobre si o seu pecado. 16 E aquele que blasfemar o nome de Yáhuh (importância para o nome do ser), certamente será morto; toda a congregação certamente o apedrejará. Tanto o estrangeiro como o natural, que blasfemar o nome de Yáhuh, será morto”. Vaikrá (LV) 24 :11-16 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 24
  25. 25. “E farei conhecido o meu separado nome no meio do meu povo Israel, e nunca mais deixarei profanar o meu separado nome; e as nações saberão que eu sou o Yáhuh, o Separado em Israel” Yehezek’el (EZ) 39: 7 “Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Yáhuh Elohim: Não é por amor de vós que eu faço isto, ó casa de Israel; mas em atenção ao meu separado nome, que tendes profanado entre as nações para onde fostes; Yehezek’el (EZ) 36:22 “E o Yáhuh será rei sobre toda a terra; naquele dia um será Elohim, e um será o seu nome” Zakariáhuh (ZC) 14:9 VEJA UMA INSCRIÇÃO COM O NOME DO NOSSO SALVADOR YE’SHUA FILHO DE ELOHIM. ETE É UM DOS SELOS DE AP 14:1 ‫י ש ו ע‬O “Olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte T’sion, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinha escrito o Nome dele e o Nome de seu Pai” “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro NOME há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” AT 4:12 “Até quando, ó Elohim, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre?” SL 174:10 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 25
  26. 26. O SOL POR DETRAS DE CRISTO O QUE QUER DIZER “CRISTO”? Estamos acostumados com a nomenclatura CRISTO; do grego CRESTÓS, que segundo o que aprendemos tem a conotação de “Ungido”. Em Israel o povo judeu sempre esperou a vinda do seu Mashiach (Ungido), prometido na Torá (Pentateuco) pelo próprio Elohim Criador. Ungido em hebreu é Mashiach (Lê-se Mashiar) que nas declinações chegou para nos de língua latina como Messias. Toda palavra tem sua origem em outra palavra que é chamada “raiz”. Dessa raiz ou palavra mãe podemos perceber o verdadeiro propósito e caráter de um determinado termo. Um exemplo que podemos dar é o termo “bacana”. Logo quando ouvimos ou pronunciamos essa palavra, tomamos imediatamente por sinônimo de “legal”, “muito bom”, “maneiro”, etc. No entanto, bacana vem de uma raiz que poucos conhecem; BACO! Este era um dos deuses mais populares do império romano. O deus do vinho e das festividades promíscuas chamadas “carnavalias” (festa da carne ou festa carnal). Da expressão Baco surgiu as “BACANÁLIAS”; orgias sexuais em forma de agradecimento e culto a essa divindade pagã. Das bacanálias herdamos a pronúncia “BACANAL” que todos sabem ter o mesmo significado de “SURUBA”; sexo em grupo. A cultura greco-romana era acostumada com essas festividades. Muitas destas festas tinham o nome do seu ídolo de adoração. A festa que abria o ano novo pagão e ainda abre, é dedicado à divindade Jano, por isso é conhecido como “Janeiro”. Também festa à Saturno era a “saturnália” e a Baco, como já vimos, as “bacanálias” ou “bacanais”; por isso tem a conotação de “legal” (legalizado, juridicamente de acordo com a lei, permitido, tudo liberado). Baco era o filho do deus Solar Júpiter (para os gregos Zeus) e da mortal Sêmele. Deidade do vinho, representava seu poder embriagador, suas influências benéficas e sociais. Promotor da civilização, legislador (legalizador, “legal”, “bacana”) e amante da paz. Seu nome latino é Líber (daí declinou-se a palavra “Liberdade” principalmente no contexto sexual) e Dionisio é seu equivalente em grego. Quando pronunciamos “bacana” quase que obrigatoriamente fazemos um gesto que apelidamos de “jóia”, “tinindo”. Este gesto com o polegar para cima representa o órgão fálico de Baco, a muito representado pelo obelisco piramidal (símbolo do pênis do ídolo) e que se encontra em quase todos os lugares do planeta, principalmente em Roma, dentro do vaticano: Baco de Da Vinci e seu símbolo sexual, o obelisco “bacana!” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 26
  27. 27. Mesmo que você nunca tenha pensado em Baco ao dizer “bacana” e automáticamente fazer o gesto de seu maior simbolo, o obelisco. Mesmo assim o termo usado e o símbolo não deixaram de ser de Baco, mesmo que por pura inocencia. Bacana é quem pratica bacanal e seguidor de Baco. O SOL POR DETRAS DE CRISTO Agora que você tem uma pequena idéia do que é uma palavra e sua “raiz”. Então voltando ao termo Cristo, vamos buscar sua fonte de origem. Analisando mais de perto o termo Cristo podemos nitidamente perceber um elemento solar, pagão, que deu origem a essa terminologia. Cristo; do grego Crestos, que afirmam ter a conotação: “Ungido”. O dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa GAMMA, faz claríssima alusão ao elemento solar nesta palavra, veja: CRESTA s.f. - Efeito produzido pelo calor do Sol (queimar com os raios solares); CRESTAR - Queimar com cresta (raio solar); Veja a hóstia descaradamente queimada pela cresta (que segundo o dicionário Gamma significa Raio Solar). Também a pomba sendo “ungida” pelo Sol (crestas do grego Crestos – Ungido do Sol). DICIONÁRIO GAMMA: CRIS s.m. - (ant) Eclipse (Solar); O dicionário mostra o cris ou o criso (Eclipse do Sol) e o livro de símbolos na página 33 mostra-nos que Cris (XP) é um monograma usado pelo clero romano para “Cristo” CRIS = ECLIPSE ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 27
  28. 28. DICIONÁRIO GAMMA: CRISTA s.m. ¹Exelencia carnosa na cabeça dos galos; ² Ponto mais elevado. CHISUS (em grego Χρσοσς) - “Douradas" – (como o Sol) A “crista” é exatamente o que você esta vendo na cabeça dos seres “iluminados”; os raios solares. Daí herdou-se a “crista” do galo. Ou seja, ponto mais elevado como a cresta solar. DICIONÁRIO GAMMA: CRISOL s.m.(Ant) Eclipse do Sol. (Cris + Sol (criso/cristo = raios) do Sol). CRISMA s.m. (Chisma) sacramento de confirmação (mudança de nome). CRISMAR – Alcunhar, apelidar, cognominar-se. Nota: Todos os papas ao serem queimados por Cris, Criso, Cristo, Cresta, Crestós, mudam imediatamente seus nomes como no velho costume babilônico e isto eles chamam de “Crisma” (chisma). DICIONÁRIO GAMMA: CRESTO – cordeiro castrado com oito dias de vida, neste caso, o Cristo. (1) - As Cristas Solares na deusa Diana (Estátua da Liberdade); (2) - As cristas em Dionísio (Baco) representado como “Cristo” o Filho de Deus (Deus = Dei, Dia, Sol); (3) - Também Semíramis e Thamuz como Maria e Jesus “Cristo”; (4) - O frade sendo queimado pela crista (repare o sol em sua cabeça). COMCLUSÃO: Cristo do grego crestos (“Ungido”) incontestavelmente traz em seu embrião histórico e linguístico provas que se trata de uma unção solar. Portanto é impossível fazer uma separação entre o termo Cristo e o Sol. Chega de tantas mentiras, curemonos da ressaca universal causada pelo vinho mitráico solar contido no cálice romano. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 28
  29. 29. Sei que alguns já estão tão viciados que amam a levedura doutrinal. São ébrios não hebreus! MASHIARH E SUA RAIZ HEBRAICA O termo hebraico e verdadeiro de onde se originou o conceito “Ungido” é Mashiar – ‫( מ ש י ח‬Que chegou na corruptela linguística como Messias) - Vem do radical Mashar – ‫ = מ ש ח‬Ungir. Este por sinal deriva de Meshihá – ‫= מ ש י ח‬ Unção somente no sentido espiritual, capacitar para alguma missão. Ser Mashiar (Ungido) é ser revestido para liderar, libertar e salvar. Daí surgiu Moshia – ‫ = מ ו ש י ע‬Salvador. Mashiar soa para o povo de Israel como Salvador, Libertador, Ungido pelo Eterno. Mosheh (Moisés) foi um tipo de Moshia e Mashiar (Salvador e Ungido) para o povo judeu, assim como muitos outros que foram capacitados por Elohim para salvar a nação de Israel tal como Sansão. Ungido em hebraico tem esta conotação. Porém diferentemente, os gregos ao ouvirem a expressão “Cristos” entendiam se tratar de seres iluminados pelo poder Solar. Veja a imensurável discrepância dos sentidos quando buscamos a fonte de origem das palavras! Aqui, todos os “santos” tanto nas representações antigas quanto nas modernas são apresentados com cristas solares. Santo Agostinho explicando sobre a emanecia da natureza divina em Jesus assim ilustrou: “Deus é o Sol e Cristo os raios Solares” Na verdade o termo Deus do latim Dei e nas linguas latinas Dios quer dizer dia ou Luz do Sol (Zeus). Então agostinho estava certo ao afirmar que Deus é o Sol e Cristo os raios solares (Cristas ou Cresta ou Cris ou Criso ou Crisol = Cristo do Sol). CRISTÃOS OU NAZARENOS? Na verdade quem tinha a fé no Mashiarh em Israel era chamado pelos judeus que não criam em Ye’shua de NATZIRÍ e não de cristão. Natzer vem de Natzaret (Nazaré). Ou seja, ate mesmo nos dias atuais os judeus desconhecem ou ignoram o termo cristão e ainda utilizam Natzirí (“Nazarenos”). Os judeus que acreditam em Ye’shua são chamados Yehudim Natzirí (Judeus Nazarenos) e não cristãos. UM CONSELHO: Nunca acredite em Roma... E no tocante as coisas espirituais, nada que vem da Grécia é aproveitável! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 29
  30. 30. A GRANDE PROSTITUTA PREPARE-SE PARA CONHECER A MERETRIZ UM DOS MAIORES TEMAS APOCALÍPTICOS “E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas (povos), com a qual se prostituíram (com as idolatrias) os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho (doutrina) da sua prostituiç~o (mudanças)” Apocalipse 17:1- 4 AS CORES DA MERETRIZ “E a mulher (a Igreja) estava vestida de PÚRPURA e de ESCARLATA, e adornada com OURO, e pedras preciosas e pérolas” É mais do que obvio que nenhuma outra instituição religiosa combinaria estas cores. A MERETRIZ TEM UM CÁLICE DE OURO (APOCALIPSE – 17:4) “E tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição” IGREJA APOSTÓLICA ROMANA, A DETENTORA DO “CÁLICE DE OURO” Quantos não têm se embriagado deste cálice de prostituição! A MERETRIZ ADORNADA EM OURO ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 30
  31. 31. “E a mulher (a Igreja) estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas” SEU LÍDER TERIA APARÊNCIA DE UM CORDEIRO - AP 13:11 “Portanto, n~o é grande coisa se os ministros dele também persistem em transformar-se em ministros da justiça. Mas o fim deles será segundo as suas obras” 2 Coríntios 15 ALÉM DA APARENCIA DE CORDEIRO…. “falava como o drag~o” O sistema papal matou milhões de Judeus durante a famosa Santa Inquisição e foi o mesmo sistema papal que guiou Hitler para destruir a mais de 6 milhões de Judeus! “Nela se achou o sangue de todos que mandou matar” APOCALIPSE 18:24 “Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis” APOCALIPSE 17:13 O POVO JUDEU VENCEU! ISRAEL VIVE E HITLER NÃO EXISTE MAIS! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 31
  32. 32. TEM UM ALCANCE MUNDIAL – APOCALIPSE 17:15 “As |guas que viste, onde a meretriz est| sentada (estabelecida), significam povos, e multidões, e nações, e línguas” APOCALIPSE 17:15 Não há dúvida, onde quer que seu líder se encontre, é recebido por multidões. Consegue nomear outra instituição com este alcance? OS REIS DA TERRA ESTÃO COM ELA - APOCALIPSE 17:2 “Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho (doutrina) da sua prostituiç~o” APOCALIPSE 17:2 “Porque Elohim tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Elohim” APOCALIPSE 17:17 A MERETRIZ ENSINA A IDOLATRIA - APOCALIPSE 13:14 “E enganavam aos que habitam na terra dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta” DT 5:8: “Não deves fazer para ti imagem esculpida, semelhança alguma do que há nos céus em cima ou do que há na terra em baixo, ou do que há nas águas abaixo da terra” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 32
  33. 33. A VERDADE POR DETRÁS DA MENTIRA … CRUZ DEFORMADA O Crucifixo é o símbolo máximo do INÍQUO criado pelos satanistas no século VI. Este, mostra um aspecto de “Jesus Cristo” muito magro, delgado como se fosse uma vítima da força da fome, patéticamente executado na cruz, com seus braços e pernas dolorosamente delgadas e quebradiças. CRUZ INVERTIDA Utiliza-se como símbolo de blasfemia e negação ao verdadeiro Messias Yeshua. SÍMBOLOS DE ADORAÇÃO AO ELOHIM SOL Sol em hebraico – Shemesh = brilho do sol, em inglês “shamash”. O símbolo mais importante é um círculo, que representa a esfera redonda do Sol. Además, os oito raios que saem da esfera e que se encontram em sua volta representam, para os Satanistas, a totalidade de seu treinamento ocultista, como é simbolizado pelo Óctuplo Sendeiro . ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 33
  34. 34. SACERDOTE DE SATANÁS Rei Shamshi Adad V. Note a forma de usar a Cruz Pátea num antigo rei à 2800 anos atrás, o uso desta cruz simbolizava a adoração pagâ ao Deus Sol. Manto (Pallium) papal. Note o uso do “Pallium” pelo papa, ver| que encontra a mesma cruz. (Pattée o Formée). Antigo rei pagão Ashur-nasir-pal II e o Papa, sacerdote Pagão moderno No círcilo azul a mesma mitra no rei pagão e no papa; No quadrado azul, a mesma tiara na parte detrás da mitra; No círculo vermelho, a cruz sobre o peito do sacerdote do sol e no o papa da mesma forma; No círculo verde, manto de pano listrado sob os ombros; No círculo amarelo, o sol na mão esquerda. Que imitação maligna heim? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 34
  35. 35. Repare este círculo de oito pontas, pois falaremos muito a respeito. ADORAÇÃO PAGÃ AO DEUS DAGÓN (Dag = Peixe + On = Lua: “Peixe Lua”) A marcação em verde mostra o incensário utilizados pelos sacerdotes de Dagón. Também utilizado pelo Papa no sistema dagoniano atual! Em amarelo, a Mitra Sacerdotal em forma de cabeça de peixe, ou seja, Dag. Todas as vezes que os bispos romanos se mostram em um ofício religioso importante, lá esta a mitra de Dagon. Quantos utensílios pagãos a Igreja Apostata Romana utiliza não? Usam vestes que, sem sombra de dúvida, deixariam pasmos os verdadeiros discípulos se assim os vissem! Tira sobre os ombros “Porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias. E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos” APOCALIPSE 18:23,24 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 35
  36. 36. “CORSIER”, BASTÃO DA SERPENTE Símbolo Satânico da antiguidade 1º - Rei Tut, com o seu “Crooker Augur” (bast~o episcopal) para identificarse com “Osiris”, o Deus dos mortos. 2º - Deusa Atena, com o bast~o “Corsier” em forma de serpente na sua mão, símbolo de poder. Na atual Instituição Católica Corsier “bast~o episcopal” da instituição católica romana, usado pelo papa, bispos e os seus mais altos funcionários. “O TRIDENTE” Em Babilônia, o tridente foi posto na mão de todos os deuses pagãos. Tambêm representa a união entre o órgão sexual masculino (linha do meio) e do feminino (linhas externas). No satanismo, representa a arma de satã, pois uma vez fisgando a presa difícilmente permite-se sair. Símbolo da TRINDADE. tridente de Netuno ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 36
  37. 37. Na atual Instituição Católica Catedral de São Paulo em Londres, pode-se notar que saem 4 tridentes da cruz. Perceba que a cruz romana com os tridentes cruzados formam o símbolo de Íshtar A esquerda, pode-se notar o tridente postado em cima da cabeça do pequeno “Iesús”. Deus Hindú, com seu tridente à sua direita. Tanto o deus sol de Babilônia como o diabo são representados com o mesmo tridente! GESTO PAGÃO (Adoração ao quarto minguante e quarto crescente) Gesto satânico do paganismo romano encontrado em milhares de estátuas bem como ao longo de todo o Vaticano, em pinturas, bem como inúmeras catedrais e igrejas católicas romanas em todo o mundo. Representa o quarto minguante e o quarto crescente. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 37
  38. 38. O menino Jesus é na verdade uma réplica imitativa do demônio hermafrodita Bafometh. Também conhecido como Jabulom. ROSÁRIO - Símbolo Satânico Mateus 6:7: “Mas, ao orares, n~o digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras” Nota: Temos um conselho de Ye’shua, nosso Salvador ordenando aos seus discípulos (judeus) a não imitarem as nações (os povos gentios) a não orarem utilizando de vãs repetições! Esquerda, divindade Hindú com um ros|rio “adoraç~o pag~”. As seitas pagãs no Oriente, também usavam rosário de Esféras em suas práticas. Era comun enterrar os faraós do Egipto com seus rosários. Hoje ainda pode ser encontrado a utilização do rosário por muçulmanos. À esquerda, nota o uso do rosário por um sacerdote pagão neste esculpido de origem Mesopotâmio. O rosário é uma prática que põe em evidência a Igreja Católica Romana como adépta do sincretismo das religiões antigas em nossos tempos. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 38
  39. 39. PINHA E O “CONE DE PINHEIRO” O cone de pinheiro representa o poder da regeneração do paganismo e pode ser encontrado a partir de "Tamuz" Deus babilonico. A figura abaixo, mostra-nos uma deídade mexicana que representa a reencarnação e o sol. Em sua mão direita a árvore de pinheiro (que a Igreja batizou como o símbolo do Natal). Em sua mão esquerda, duas pinhas como os frutos da fertilidade. Imagine onde se encontra a maior escultura em forma de pinha do mundo? Vaticano! A maior pinha está no Vaticano “Elohim” grego-romano da bebida e da rebeldia com o cone de pinho no seu bastão. Como símblolo da fertilidade. Percebe-se a “bênç~o” proferida com bastão do cone de pinho sobre a criança que nascera. A representação ao lado, Bafometh com seu órgão fálico envolto com serpentes. Do lado, a mesma representação com a pinha representando um pênis no Vaticano. “E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que n~o incorras nas suas praga” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 39
  40. 40. “CORAÇÃO SAGRADO” Á esquerda, Quetzalcoatl, Senhor da vida e da morte, mostrando seu Coração Sagrado. Á direita, o Coração Sagrado da igreja Católica. “CHAVES DO CÉU E DO INFERNO” Imagem do paganismo segurando as chaves que abrem o paraíso e o inferno, para a guerra e paz. No ano 437, o Papa da época, proclamou a igreja católica como proprietária das chaves que abrem o céu e inferno. Veja claramente as “chaves” do céu e do inferno no escudo por detrás do Papa Bento XVI. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 40
  41. 41. A VERDADEIRA E A FALSA ADORAÇÃO Á esquerda um altêntico judeu com o Kipá sob a cabeça adorando o Eterno de Israel em sua sinagoga. Á direita, o falso judeu, também com o Kipá judaico sob a cabeça adorando seu poste-ídolo. Satã! “Eis que eu farei aos da SINAGOGA DE SATANÁS, aos que se dizem JUDEUS (“O Novo Israel” – Teologia da substituição), e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo” APOCALIPSE 3:9 “Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a BLASFÊMIA dos que se dizem JUDEUS, E NÃO O SÃO, mas são a SINAGOGA DE SATANÁS” APOCALIPSE 2:9 O SACRIFÍCIO DA MISSA E A HÓSTIA SOLAR “Bala~o, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e se prostituíssem. APOCALIPSE 2:14,15 A missa é a repetiç~o da morte de “C risto”. Cristo do grego crestos significa “Raio Solar”, ent~o Cristo indica uma unção pelas Cristas solares. O ponto determinante da missa de Cristo é o sacrifício, pois sempre a mesma termina com a morte do Cristo-Sol (Thamuz). As hóstias são oferendas á Semíramis (Ischtar), mãe do menino solar. “Os filhos apanham lenha, os pais acendem fogo e as mulheres amassam a farinha, para fazerem bolos à Rainha dos Céus” JR 7:18. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 41
  42. 42. Símbolo arcaico de Ischtar–Baalat. Hoje é uma marca importante para as sociedades secretas praticantes do ocultismo. Este “amuleto” de Baalat simboliza os oito degraus para uma autoiluminação. Pode ser encontrado em qualquer lugar, mesmo no coração do vaticano, na basílica de São Pedro. Estela em que Yehalmilk invoca Baalat Altar ao deus sol “shamash” Na figura acima o altar pagão do deus Sol em relevo do século IX AC com o círculo primitivo da “ILUMINAÇÃO” simbolizando o masculino com o feminino. Esta representação também é indiscutivelmente encontrada nos altares romanos. Isso é o Cristianismo! Não é a toa que tenha homenageado Biblos, a cidade da deusa solar Baalat! Veja a idolatria no antigo e no moderno. NA primeira imagem, o símbolo solar e na segunda um Ostensório em ouro. Notou alguma semelhança? ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 42
  43. 43. O círculo óctuplo (8) como adoração ao sexo Este círculo também representa o órgão sexual femenino na doutrina espiritual satânica. O obelisco, que provêm da adoração pagã egípcia representa o órgão sexual masculino. Neste ritual satânico, os egípcios punham-se diante do obelisco pelo menos uma vêz por dia, mas se possível três veses. Para representar “O Grande Acto Sexual”, OBELISCO simplemente se insere o obelisco no círculo. IMAGENS DO VATICANO Vista Papal da basílica Vista de cima para baixo Ao ter o obelisco no meio do “o caminho de 8 passos para a iluminação", na basílica de São Pedro, o papa está em perfeitas condições de “estar de frente” para o obelisco diariamente, muitas vezes por dia, as vezes que assim o desejar, adaptando o mesmo ritual satânico ao Deus Sol, Rá, exatamente como faziam os egípcios. Observe como o Papa inclina o símbolo máximo satânico (crucifixo do Anti-Mashiach) em direção ao obelisco, adorando a seu verdadeiro deus; Satã. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 43
  44. 44. O mesmo sistema no antigo e no moderno Deus sol “Baal-Hadad” Deusa lunar “Nanna” Ostensório que se utiliza em comunhões O Amom-Rá (Sol-Lua) do cristianismo Santo Miquitório Imagine em sua casa um vaso sanitário com o formato de Santa, principalmente as três Marias. Então olhe a blásfema figura ao lado e entenda que urinar na barriga da mãe do nosso Salvador é despresar o fruto de seu ventre! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 44
  45. 45. Homenagens pagãs dentro da Bíblia “E em tudo o que vos tenho dito, guardai-vos; e do nome de outros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca” Shemot (EX)23:13 É difícil de acreditar, mas é a pura verdade. Existem inúmeras palavras em nossa Bíblia latina com nomes e títulos pagãos. Honrarias a deidades solares, lunares, cidades espúrias e utensílios idolátricos são comuns e ganharam a primazia em nossos lábios. Até as palavras de exaltação ao Criador as quais achamos ser para engrandecimento ao Altíssimo, pode, no entanto, ser dizeres de blasfêmias. O grande trunfo de Ha’Sat~ (O Acusador) foi colocar uma adoração paralela nas Escrituras, fazendo que inconscientemente nossa adoração caia em seu colo. Por conseguinte, o Eterno Criador, está finalmente restaurando sua Palavra Eterna em nossas mentes e corações. Ouçamos a voz da Ruach (Espírito)! A linguagem egípcia “E o YÁHUH destruir| totalmente a língua do mar do Egito” IS 11:15 “Porque ent~o darei uma linguagem pura aos povos, para que todos invoquem o nome do YÁHUH, para que o sirvam com um mesmo consenso” SOFONIAS 3:9 A linguagem em questão é simbólica, pois representa toda palavra de afronta à Elohim. É interessante notar que, para uma restauração definitiva, é necess|rio que o Eterno faça uma “limpeza” no idioma “egípcio”, ou seja, Mundano! Só então o nome do Eterno poderá ser invocado com toda a sua honra e majestade! As adulterações foram tamanhas, que até mesmo as Sagradas Escrituras ganharam um nome que homenageia uma cidade espúria; centro de uma terrível idolatria, Biblos! Biblios recebeu uma tremenda homenagem; teve seu nome estampado na capa do livro mais importante, mais vendido e traduzido de todos os tempos, mesmo não tendo nenhuma conexão com a Palavra Divina. Pelo contrário, a terminologia “Bíblia Sagrada” esconde dentro de si a verdadeira intenção da frase: “Biblos Sagrada”. Logo você saber| por que a cidade de Biblos é “Sagrada”, mas antes, é importante destacar o mandamento de Ye’shua (verdadeiro Nome do nosso Salvador) para seus talmidim (discípulos): “Ficai em Yerushalaim (Jerusalém) até que do alto sejais revestidos de poder” Nota: Primeiro os talmidim (apóstolos) tiveram que esperar em Yerushalaim (Jerusalém, não Biblos) para depois saírem à divulgação das Boas Novas, ou seja, de dentro para fora, de Israel para as nações. Seria de fácil compreensão que as Escrituras tivessem o título de “Jerusalém Sagrada” ou “Israel Santo”, quem sabe “Cidade Amada”, “Terra Santa”, algum nome que tenha de fato alguma origem com á Palavra Eterna. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 45
  46. 46. Escavações revelam-nos a cidade que foi tão sublimemente homenageada pelos papas romanos, a “Biblos Sagrada”. A teologia de alguma forma tenta associar Biblos com os Escritos hebreus, compilados pelos profetas barbudos de Israel, muitos dos quais tiveram suas visões em cavernas, totalmente isolados do mundo exterior. Estes naviím (profetas) no certo se revoltariam em saber que seus santos relatos receberam um nome goy (gentio). Mais uma prova do terrível anti-semitismo que permeia o mundo Grecoromano. Dentre as tribos de Israel no reinado de Davi, Biblos que era uma cidade marítima da fenícia, localizava-se mais próximo de Dã. Em Biblos acontecia uma grandiosa idolatria em que se adorava a tríade imbatível em popularidade em qualquer continente mesmo nos dias atuais: Baal (ou Ninrode), Baal-Adonis (ou Thamuz, Dumuzi, Melkart, Iesus...) e sua mãe e esposa, Astartéia, conhecida também Escavações em Biblos como Astarte, Astarote, Ischtar, Columbia, Ísis, Afrodite dependendo da localidade em que esta divindade se encontre. Porém, para os íntimos, ela permitia-se ser aclamada amavelmente de Baalat, que livremente quer dizer “Nossa Senhora”, a intoc|vel “Rainha do Céu”. Paganismo nas Escrituras VITÓRIA – TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS Segundo o livro Os Símbolos Místicos de Brenda Mallon – Volume I, diz-nos que Vitória é a deusa alada conhecida também como Niké. Antes e após as batalhas ou competições, um sacrifício era feito a esta deidade. Os vencedores eram coroados com “Os louros da Vitória” “E olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa (de louros), e saiu VITORIOSO (nome da deusa inserido nas Escrituras), e para vencer” Ap 6:2 Nota: Esta palavra provem do paganismo. Foi propositalmente adaptado na Palavra em honra a essa deusa das batalhas e competições. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar a palavra vitória ou vitorioso use vencer ou vencedor! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 46
  47. 47. ARCO-ÍRIS - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Certamente dou meu arco nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens” Bereshit (GN)9:13,14 Nota: Na primeira aliança, ou seja, na Tanak (hebraico), aparece o Sinal (B’rit) do Eterno Elohim nas nuvens como o “Sinal da Aliança” ou “O Arco da Aliança”. O estranho é que este Sinal da Aliança em Apocalipse os tradutores deram um nome muito diferente para este Sinal; chamaram-no de “Arco-Íris”: “E vi outro anjo forte, que descia do céu, vestido de uma nuvem; e por cima da sua cabeça estava o arco-íris” Apocalipse 10:1 (versão João Ferreira de Almeida – Edição Contemporânea Revisada e Aumentada – 1996) Nota: Na mitologia antiga o Arco da Aliança é associado à deusa Íris, filha de Taumas e de Eléctra, filha do deus Oceano (Outra palavra de origem pagã). Íris era a mensageira de Zeus e de sua esposa Hera, ela deixava o *Olimpo (monte de Zeus) apenas para transmitir os ordenamentos divinos à raça humana, deixando sempre como rastro seu arco no céu. Por isso até hoje se diz: Arco-Íris, ou Arco de Íris. Veja que os tradutores com suas mentes diabólicas ousaram fazer; O que na verdade simboliza um pacto entre o Eterno Elohim e Noach (Noé), passou a ser uma afronta ao nosso Criador. *Olimpo era o monte onde os atletas disputavam os jogos esportivos como forma de adoração aos deuses. Até nos dias de hoje pessoas cultuam aos demônios do Olimpo nas atuais OLIMPÍADAS, assim como nos jogos Panamericanos. Pã é um demônio das florestas com cara de bode, aparece sempre tocando flauta. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar esta espúria palavra Arco-Íris, use o termo legítimo, Arco da Aliança! GRAÇA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS As três Graças (Cárites), eram filhas de Zeus. Seus nomes eram AGLAE (“A Brilhante”), TÁLIA (“A Verdejante”) e EUFROSINA (“Alegria da Alma”). As três Graças no sincretismo religioso romano s~o “As Três Marias”. Recomendação do Rosh: Em hebraico a expressão para graça é Réssed que significa misericórdia, favor. Peça ao Altíssimo seu favor, sua benevolência! GLÓRIA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Disse mais o Y|huh ‫...הוהי‬E acontecerá que, quando a minha GLÓRIA passar, pôr-te-ei numa fenda da penha, e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado” EX 33:21,22 ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 47
  48. 48. Glória também é um dos nomes de demônios da mitologia. No hebraico a expressão é Kevod que denota Peso, Presença Majestosa de Elohim. Recomendação do Rosh: Use presença, poder, majestade, grandeza. MITRA - TERMO PAGÃO DENTRO DAS ESCRITURAS “Também farás uma lâmina de ouro puro, e nela gravarás como as gravuras de selos: SANTIDADE AO IÁHUH (QUEDOSHÍM IÁHUH). E atá-la-ás com um cordão de azul, de modo que esteja na MITRA, na frente da MITRA estará; E estará sobre a testa de Aaron” EX 28:36,37 Mitra é o Sol na antiga religião romana, o mitraísmo. Este foi mais uma homenagem ao diabo que entrou nas Escrituras. Nunca o verdadeiro e único Elohim mandou que estivesse na cabeça do Korrém (Sacerdote) uma mitra representando o deus sol. De Mitra ,o sol, herdamos SOLIDEU que conota Soli = Sol e Deu que vem de Dei, Teu = Deus; no entanto “Sol’Deus”. Recomendação do Rosh: Ao invés de usar os termos Mitra e solidéu, use cobertura, qualquer uma palavra que implique o sentido, menos Mitra e Deus-Sol. Muitos nomes de deuses fazem parte do nosso vocabulário. É provavelmente impossível passarmos VINTE QUATRO HORAS sem pronunciar um nome de demônio. Que loucura! Quando, por exemplo, falamos bacana! Estamos nos referindo ao deus romano Baco. Outro nome para Baco é Líber, que derivou a palavra “Liberdade”. Dia também é uma palavra derivada do Sol, Dei, Dyus, Zeus. Já Noite é uma declinação da deusa das trevas NITH. Oceano também é um nome de uma deidade grega tanto quanto Higiene e Medicina (o próprio símbolo da medicina, o caduceu; bastão alado com duas serpentes denota essa intenção); são nomes de Deuses. Assim como Hóstia (palavra declinada de Héstia, deusa dos laços familiares), deu origem também ao termo Hostil, pois os não cristãos (principalmente os judeus) tinham que obrigatoriamente comer essa oferenda solar sob pena de morte. Aos domingos em Heliopólis (cidade do sol), os sacerdotes ofereciam os bolinhos dos céus (hóstia) aos adoradores, interessante é que dentro da hóstia havia três letras IHS, referindo-se a Ísis, Hórus e Seth, ou seja, a Sagrada Família. Paulo também é um nome satânico que entrou nas Escrituras e nunca foi o nome do talmid (discípulo) Sha’ul. Os gregos por n~o pronunciarem o shim (letra hebraica com o som do nosso x) o chamavam de Saul, assim como o rei de Israel antecessor a Davi, que também se chamava Sha’ul (“Alcançado por Orações”) e ficou como Saul devido a influencia grega na língua latina. O que tem Sha’ul a ver ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 48
  49. 49. com o nome Paulo? Esta mudança aconteceu pelo fato dos politeístas pagãos de Listra, adoradores do sol o associarem a Apolo (Paolo/Paulo) deus solar. “Este ouviu falar Sha’u (Paulo), que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou. E as multidões, vendo o que Sha’ul fizera, levantaram a sua voz, dizendo em língua licaônica: Fizeram-se os deuses semelhantes aos homens, e desceram até nós. E chamavam Júpiter (Zeus, Deus) a Bar Naba, e Hermes (Mercúrio, Apolo) a Sha’ul; porque este era o que falava. E o Kohén de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para a entrada da porta touros e grinaldas, queria com a multidão sacrificar-lhe.” ATOS 14:-13 De Apolo surgiu o termo Apologia (Apolo + Logia, ou seja, Estudo de Apolo). Os adoradores de Apolo eram famosos pela eloqüência em que defendiam seu Ídolo. Por isso toda forma de defesa consistente a algo denomina-se “Apologia”. Veja como essa palavra entrou nos textos sagrados: “Porque, quanto cuidado não produziu isto mesmo em vós que, segundo Deus, fostes contristados! que apologia, que indignação, que temor, que saudades, que zelo, que vingança! Em tudo mostrastes estar puros neste negócio” II Coríntios 7:11 Sha’ul foi associado a Apolo (em outras verssões diz Hermes, deus do comércio). Esta deidade é homegiado uma revista comercial com este atributo: HERMES. Outras palavras do nosso dia a dia também pertencem ao mundo mitológico, tais como: CAOS, ÉTER, ARES, HADES (Hades - nome tanto para um lugar de tormento quanto do deus do submundo. Este recebeu homenagens dos tradutores gregos, pois esta palavra substituiu o termo hebraico She’ou/sepultura) - PLUTÃO, SATURNO, MERCÚRIO, URANU, NETUNO, VÊNUS (Vênus - deusa da sedução que foi homegeada nos preservativos masculinos “Camisa de Vênus”). Também a extrema ciumenta HERA (Pode ter surgido daí e expressão IRA) ATLAS (aquele que sustenta o céu sob os ombros. Ficou muito orgulhoso por seu nome ser lembrado nos mapa-mundis) - EROS (daí a express~o “erótica”) AFRODITE (“afrodisíaco” pode ser um cheiro, uma comida ou mesmo um paraíso, todos atribuídos à deusa). Afrodite com Hermes deram à luz Hermafrodito (Herm+Afrodite), que tinha os dois sexos, daí o termo que se usa até hoje. MORFEU, deus do sono (de Morfeu derivou “Morfina”), Morfeu era filho de HIPNOS (nome do deus que usamos para “Hipnose”) - MINERVA (mesmo que ATENAS para os gregos) - INVÍCTO (o sol invencível) - PROMETEU (muitas jovens e diversas ninfas se apaixonaram por ele, mas não tiveram sucesso. Por isso é dito: “Prometeu mais n~o cumpriu”) - HARMONIA, PRÍAPO (Este deus representado com um órgão sexual grotesco deu origem a um distúrbio da sexualidade usado até hoje) - EUROPA, BRAHMA e muitos outros nomes que conhecemos e que permeiam nossos lábios. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 49
  50. 50. Evangélho do termo Evangélio, sobrenome de um terrível general romano. Terrível para os judeus messiânicos que de maneira alguma rediam-se à nova religião de Roma, Cristianismo! Em hebraico a expressão para o anuncio das boas novas é Besserot. No entanto o termo usado pelo Mashiach (“Messias”) foi “Ide por todo o mundo e pregai as Besserot | toda criatura”. Nas traduções, em lugar de “Boas novas” entrou o sobrenome do general anti-semita Evangélio. Ent~o, levar o “Evangélho” a toda criatura importa levar a perseguição aos judeus em todo o mundo, como fazia o digno de homenagem Evangélio. “E em tudo o que vos tenho dito, guardai-vos; e do nome de outros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca” Shemot (EX)23:13 “Porque ent~o darei uma linguagem pura aos povos, para que todos invoquem o nome do YÁHUH, para que o sirvam com um mesmo consenso” SOFONIAS 3:9 Para meditar: “Toda pergunta é respondida com apenas quatro letras; TORÁ” Rosh Mosheh Ben Shalom ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 50
  51. 51. AS ÁGUAS DO SHAMAYIM Estive muito impressionado com a similaridade das expressões CÉUS e ÁGUAS em hebraico. Principalmente por virem de um mesmo radical. A expressão para ÁGUA em hebraico é MAIYM (‫ם‬ ‫)מ י‬ e a expressão para CÉUS é SHA’MAYIM (‫ ,)ש מ י ם‬tendo apenas uma letra extra adicionada, o SHIN (‫ .)ש‬É difícil ouvir CÉUS em hebraico e não associar imediatamente com águas. Partindo deste pré-suposto, vamos analisar Bereshit (Gênesis) 1: Gn. 1:1: “Bereshit bará Elohim et haShamayim v’et haÉretz (No princípio criou Elohim os céus (Shamayim) e a terra (Éretz....)” A expressão Bereshit – ‫ ב ר א ש י ת‬tem seu radical em Rosh – ‫ ר א ש‬que significa cabeça, líder, primeiro, principal. Por isso é a palavra inicial das escrituras: “Bereshit” - “No princípio”. a)- OS PRIMEIROS ATOS DA CRIAÇÃO FORAM: 1º - os Céus (ajuntamento de águas) 2º - A terra, ainda vazia e sem forma. Os Céus era apenas um infinito ajuntamento de águas Shamayim Céus = Ajuntamento de águas Shamayim Céus Terra Shamayim Céus Shamayim Céus Tehilin (Salmos) 136:6: “Àquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua benignidade dura para sempre” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 51
  52. 52. b) – AS PRELIMINARES DO UNIVERSO: TOHÚ BOHÚ Verso 2: “A terra (Éretz) era sem forma (tohú –‫ו‬ trevas (Afelá) sobre a face do abismo...” ‫ )ת ה‬e vazia (bohú-‫ ;)ב ה ו‬e havia Shamyaim Céus (ajuntamento de águas) Céus Terra Céus Céus Imagine um universo envolto em um infinito de águas. A terra estava no meio dessas águas do Shamayim (Céus), apenas águas e isto sem a claridade do sol, da lua ou das estrelas. “...E o Espírito (Ruach = sopro/vento) de Elohim se movia sobre a face das águas (Mayim)” Ruach Elohim = Sopro Divino Ruach Espírito Terra Terra Céus Shamaim Shamayim Céus/ Ajuntamento de águas Quantas pessoas ainda no cristianismo (religião advinda de Roma), tendo a mente moldada pela filosofia grega, ao ler esta passagem imaginam um “deus” (a terceira pessoa da trindade) voando como que tirando tinta das águas dos nossos oceanos que, por sinal, ainda não tinham se formados. É claro que uma grande demanda de pessoas tem ou tinha este pensamento superficial e sem nenhuma base. Deste grupo também não escapo eu. Mas agora com uma mente mais adulta, mais judaica, desassociada do romanismo e com respaldo nas Escrituras hebraicas, entendo ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 52
  53. 53. que de fato a Ruach (Espírito/Sopro) de Elohim o Criador, que não tem uma forma física (até mesmo o gráfico sai do contexto, pois acabei por dá uma forma representativa a Ruach) ser tomado como um ser físico ou até mesmo invisível pairando sob este oceano que conhecemos. Tehilin (Salmos) 18:11: “Fez das trevas o seu retiro secreto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas” Tehilin (Salmos) 29:3 “A voz do Eterno ouve-se sobre as águas; o Elohim da Kevod troveja; o Eterno está sobre as muitas águas” Verso 3: “Vayó’mer Elohim Yhieh ór (E disse Elohim: haja luz. E houve luz)”. Sha’maim Céus Ruach Espírito Terra Céus Sha’maim Nota: Esta luz não pode ser a luz do sol, da lua ou das estrelas, pois estes elementos só aparecem a partir do quarto dia da criação no verso 11. Esta luz veio do próprio esplendor do Ha’Shem, o Eterno Criador. Compare com Guiliana (AP) 22:5: “E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz do sol, porque o Eterno Elohim os alumiará; e reinarão pelos séculos dos séculos”. Verso 5: “E Elohim chamou à luz dia (Yom) , e às trevas (Afelá) noite (Laila). E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro”. Nota: Também este dia primeiro não pode ser computado como um dia de vinte e quatro horas, uma vez que não haviam sido criados o sol, a lua ou as estrelas, já que são os astros responsáveis pelo tempo cronológico que temos. Ou seja, um tempo capaz de ser somado. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 53
  54. 54. Verso 6: “E disse Elohim: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas” Águas do Shamayim Expansão Terra Expansão Águas do Shamayim Versos 7,8: “Fez, pois, Elohim o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi. Chamou Elohim ao firmamento céus. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo”. Nota: Esta EXPANSÃO ou FIRMAMENTO, diferentemente do que afirmam muitos teólogos, não é uma simples camada de ozônio, pelo fato de Elohim tê-lo chamado Céus! A EXPANSÃO ou FIRMAMENTO, é simplesmente uma mega bolha que chamamos de universo com milhares de galáxias onde não possui as águas do shamayim que estão muito além da capacidade humana. Aquilo que os cientistas e os astrólogos estudam e que não conseguem penetrar nem mesmo na primeira camada; é tão somente uma bolhinha criada pelo nosso Eterno e Pai Elohim. NOTE O QUE AFIRMA JÓ: Jó10:26: “Marcou um limite circular sobre a superfície das águas, onde a luz e as trevas se confinam”. Nota: Como poderia Jó ter feito tal alegação, se até pouco tempo se acreditava que a terra era quadrada? Tehilin (SL) 104:3 “És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada” No tocante a camada de ozônio, camada esta que permite a vida no nosso planeta. O Eterno a fez com uma proporção incrível; Imagine uma maçã e a casa que a protege. Bom, com a mesma proporção da casca de uma maçã, a terra tem “sua casca”, a camada de ozônio. A camada de ozônio circunda toda a Terra ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 54
  55. 55. Versos 9,10: “E disse Elohim: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu (Expansão), e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Elohim ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Elohim que isso era bom”. Nota: Pela primeira vez aparecem as porções de terra seca sobre nosso planeta. Estas porções dividem os mares e formam os continentes que temos. Somente agora podemos retratar Mayim (águas) como Mar (Ian). Obs: Não confundir com as águas dos Shamaym que a Ruach Elohim se movia! Versos 11,12: “E disse Elohím: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie [Leminóh], cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Elohím que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro” Nota: Aqui temos a Lei da Similaridade e a Lei da Geratividade: a) - Lei da Geratividade: A palavra direcionada a algo gerando algo; b) - Lei da Similaridade: O produto gerado não vive sem o que o gerou! No versículo onze, percebemos o princípio da Lei da Geratividade, quando Elohim direciona sua palavra/ordem para a terra e esta prontamente o obedece. Elohim não gera de si erva verde, Ele outorga a terra essa responsabilidade que é produzir erva verde que dê semente. . “E disse Elohim : Produza a terra relva, ervas que dêem semente... A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies” Também podemos aplicar a segunda Lei, que é o da similaridade (O produto gerado não vive sem o que o gerou). Como a erva originou-se da terra, logo a mesma possui a mesma genética e, por conseguinte, não vive sem ela. Verso13 “E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro”. Verso14: “E disse Elohim: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite...” ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 55
  56. 56. Águas do Shamayim Expansão Terra Shamayim Nota: A grande bolha que chamamos de firmamento ou expansão, ganha suas galáxias e seus astros brilhantes para garantirem uma auto-iluminação. A luz dos versos anteriores provinha da própria imanência de ‫ הוהי‬Elohim. “Sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos; e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi” Nota: Somente a partir do quarto dia da criação é que temos um sistema cronológico para contarmos o tempo. Isto sugere que os três dias antecedentes, não são dias literais uma vez que o “relógio do universo” (os astros), não havia sido criado. Estes “três dias” podem ter sido grandes espaços de tempos. Talvez isto ajude a explicar a discrepância entre o tempo do nosso planeta (que realmente pode ter milhares de anos) com o tempo dos seres viventes na face da terra (Apenas cinco mil setecentos e setenta e um anos. Isto em dois mil e dez segundo o calendário judaico). Ao aludirem as Escrituras uma criação em seis dias, isto é, em 144 horas, reporta-nos para o simbolismo deste número: 12 X 12 = 144. Ye’shua o Messias andou com os doze apóstolos que representavam (multiplicavam-se) em as doze tribos. Não esqueçamonos dos 144.000 selados pelo Eterno em Apocalipse 7:4, assim como os 144 côvados da cidade santa (AP 21:17). No entanto, sabemos que os três primeiros dias da criação podem ter milhares ou milhões de anos a depender do prisma que se olha. A TEORIA DA RELATIVIDADE NA CRIAÇÃO O estudo da relatividade, desenvolvido pelo judeu-alemão Albert Einstein, mostrou ao mundo que o tempo e o espaço não são absolutos, mas relativos. Um exemplo é que se uma pessoa X estiver a olhar outra pessoa Y de fora de um trem em alta velocidade, neste caso a pessoa X estará parado observando alguém (Y) em movimento passar. Mas para este alguém (Y) dentro do trem, a noção do tempo e espaço é diferente, pois a pessoa (Y) estará em movimento observando outro (no caso a pessoa X) parado passar. São sensibilidades diferentes para o mesmo acontecimento. Como o mocinho que anseia por beijar a mocinha, duas horas passam tão ligeiro quanto dois minutos. Mas para a mocinha que não quer beijar o mocinho, dois minutos duram tanto como duas longas horas. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 56
  57. 57. Outro exemplo dado pelo próprio Einstein em seu discurso sobre a relatividade quando deu dois socos seguidos em uma mesa, sem que sua mão desviasse a trajetória. Depois do susto, os espectadores (dentre estes alunos e críticos) ouviram Einstein perguntar-lhes se teria batido no mesmo lugar. Todos responderam que sim, pois testemunharam o acontecido. Porém a resposta do cientista judeu foi enfática: É relativo! Para vocês que estão comigo nesta sala a impressão é que realmente bati com a mão no mesmo lugar, ou seja, na mesa. No entanto, não se esqueçam da rotação do nosso planeta. De um soco para o outro ouve um deslocamento da terra e se comparado com os outros planetas, sem dúvidas ouve uma mudança de direção de um soco para o outro devido à rotação terra. Assim também, o que para o Eterno Elohim (sem começo e sem fim), pode ter durado seis dias, para você pode ter durado milhares de anos. Pois a sensibilidade dos acontecimentos não é a mesma para ambos. Versos 16-18: “Elohim, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas. E Elohim os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra, para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Elohim que isso era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto”. A lua para clarear a terra de noite E o sol para clarear a terra ao dia Nota: Enxergamos no versículo 16 o grande propósito de o sol e a lua existirem; Iluminar a terra e, isto implica que foram criados para nos servirem. A adoração à lua e, principalmente a adoração ao sol, são as duas maiores e piores idolatrias em que a humanidade sempre adotou. O cristianismo romano é a maior adepta da adoração ao sol (Mitra). Versos 20,21: “E disse Elohim: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu. Criou, pois, Elohim os monstros marinhos, e todos os seres viventes que se arrastavam, os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies” Nota: Novamente, as duas Leis foram aplicadas por Elohim. Tanto a Lei da similaridade quanto da geratividadede. Elohim não cria propriamente os peixes e os ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 57
  58. 58. seres marinhos, mas ordena que seja de total responsabilidade das águas aparecerem com seus habitantes marinhos: “E disse Elohim: Produzam as águas cardumes de seres viventes... os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies” Como foram propriamente as águas, segundo a ordem de Elohim, que criaram suas espécies, evidentemente que estes também possuam suas características e não vivam sem as mesmas (essa é a lei da similaridade). Versos 24 “E disse Elohim: Produza a terra (Lei da geratividade) seres viventes segundo as suas espécies (Lei da similaridade): animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi. “Então Elohim os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos (Lei individual da multiplicação), e enchei as águas dos mares; e multipliquem-se as aves sobre a terra. E foi a tarde e a manhã, o dia quinto” Nota: Quando ouvimos falar da antiga TORRE DE BAVEL ou da presente NOVA ORDEM MUNDIAL, deparamo-nos com dois princípios divinos sendo quebrados: 1º) O desejo de Elohim para a terra é que esta esteja povoada e o plano de Samael (Satã) é a idéia de uma terra centralizada para um monopólio global (Torre de Bavel); 2º) O desejo do Eterno para as espécies terrestres é: “Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra”, o desejo de Ha’Satan é a de uma despopulação em massa chamada Nova Ordem Mundial já em andamento em ritmo demasiadamente acelerado. Verso 26,27: “E disse Elohím: Façamos o homem à nossa imagem (Na’aséh adam betsalménu), conforme a nossa semelhança; e domine (Lei da superioridade humana) sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Elohím o homem à sua imagem; à imagem de Elohím o criou; homem e mulher os criou” Nota: Temos no verso 26 uma passagem diferenciada, Elohim diferentemente das passagens antecedentes, super valoriza o homem prestando-lhe mais cuidados. Elohim pessoalmente age na formação da raça humana. Apesar de o homem vir da terra (Adamá), o Criador não ordena a mesma que tire de si o homem, mas o faz sua imagem e semelhança. Verso28: “E Elohím os abençoou, e Elohím lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se arrasta (Haroméseth) sobre a terra. Nota: O versículo 28 é importante em vários aspectos: 1º fomos abençoados e as bênçãos de Elohim são irrevogáveis. Não importa o que o inimigo diz; você é uma bênção! 2º Temos a Mitsvá (Mandamento) para Frutificarmos e multiplicarmos e enchermos a Terra. Então a superpopulação não é uma preocupação de Elohim, e sim dos homens. ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 58
  59. 59. Também essa informação é mentirosa, uma vez que toda a população mundial, suprida de uma casa com um belo jardim para plantar e regrar caberia dentro do território da Austrália. A mentira da superpopulação vem para justificar o extermínio global de 90% da raça humana que deverá ocorrer muito em breve. “E criou Elohím o homem à sua imagem; à imagem de Elohim o criou; macho e fêmea os criou” Nota: Embora Hava (Eva) não tenha nascido nos seis dias da criação. E, consequentemente não tenha podido guardar o primeiro shabat (sábado) da história. Neste texto Elohim deixa explícito que quando criara o Homem, macho e fêmea os fez. Isto implica que mesmo Eva não estando presente no sexto dia de criação; seu projeto já estava bem definido nos planos de Elohim. Outro fator é a questão “Macho e fêmea”; satanás diria “macho, fêmea e afeminados”. Conclusão: Voltando a lei da similaridade (o produto gerado não vive sem o que gerou). Assim como a planta não vive sem a terra, também os cardumes não vivem sem as águas. O homem também não vive sem a Ruach Elohim (fôlego de vida) que procede do Pai. Yohanam (João) 5:26: “Pois assim como o Pai tem vida (Ruach Chaiym) em si mesmo, assim também deu ao Filho ter vida (Ruach Chaiym) em si mesmos” Para meditar: “Quando um sábio deixa de aprender é porque deixou de ser sábio” Rosh Mosheh Ben Shalom! ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 59
  60. 60. O SELO E O PÁCTO DOS ANJOS Fonte: Extraído do Sefer Hanor – Livro de Enoque (Hanor deve ser lido Ranor) 1 - A INSPIRAÇÃO DO SEFER HANOR O Sefer Hanor (Livro de Enoque) era considerado pelos nazarenos antigos como um livro inspirado de profecia escrito pelo próprio Hanor (Enoque). A Bíblia, no livro de Judas cita o sefer Hanor (livro de Enoque): "Para estes também profetizou Hanor, o sétimo depois de Adam, dizendo: Eis que veio YHWH Yáhuh com os seus milhares de santos, para executar juízo sobre todos e convencer a todos os ímpios de todas as obras de impiedade, que impiamente cometeram, e de todas as duras palavras que ímpios pecadores contra ele proferiram” Judas 1:14-15 2 - O USO DO SEFER HANOR Na realidade, os nazarenos antigos tratavam o Sefer Hanor e o utilizavam lado a lado com os livros que conhecemos hoje como canônicos. Isto é evidenciado pelo fato de que Yehudá (Judas) cita Hanor. R.H. Charles lista 128 lugares onde os "Escritos Nazarenos", comumente conhecidos hoje como o "Novo Testamento" são claramente influenciados pelas afirmações no Sefer Hanor. O Sefer Hanor era usado dentro do Judaísmo até pelo menos o segundo século DC. Sete fragmentos de cópias do aramaico foram encontradas entre os Manuscritos do Mar Morto em Qum’ram. O Zohar, principal fonte da Kabal| Judaica, também cita o Sefer Hanor pelo nome (vide Zohar 1:37b) e faz muito uso da narrativa dos anjos caídos Shemirrazá (a quem o Zohar chama de Uzael e Azazel). Até mesmo o cristianismo primitivo aceitava e usava o Sefer Hanor. Muitos dos chamados "pais da igreja" ou citavam Hanor, ou usavam o mesmo. Dentre estes estava o autor da Epístola de Pseudo Barnabás, Justino Mártir (século 2 DC), Irineu (século 2 DC), e Orígenes (século 3 DC). Tertuliano (160-230 DC) até chamou o livro de "Sagrada Escritura". O livro foi inclusive canonizado pela Igreja da Etiópia. 3 - A PERDA DO SEFER HANOR No quarto século, o Sefer Hanor foi alvo de chumbo grosso por tais "pais da igreja" (católica), tais como Agostinho, Hilário e Jerônimo. O Sefer Hanor foi logo banido, salvo na remota Igreja da Etiópia, que o havia canonizado. O manuscrito hebraico original se perdeu completamente no tempo e ainda está por ser descoberto. As versões em aramaico e grego também desapareceram ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 60
  61. 61. (embora porções das mesmas já tenham sido descobertas). O texto completo sobreviveu apenas na Etiópia. 4 - A RESTAURAÇÃO DO SEFER HANOR O Sefer Hanor prediz a sua própria restauração nos últimos dias! "Mas quando eles escreverem verdadeiramente todas as minhas palavras nas línguas deles, e não mudarem nem diminuírem nada de minhas palavras, mas escreverem-nas verdadeiramente - tudo o que eu primeiro testifiquei sobre elas. Então, eu conheço outro mistério, que LIVROS SERÃO DADOS AOS JUSTOS PARA A RETIDÃO e aos sábios para se tornarem uma causa de alegria e retidão e muita sabedoria. E A ELES TODOS OS LIVROS SERÃO DADOS, E ELES CRERÃO NELES E SE ALEGRARÃO ACERCA DELES, e então todo o justo que houver aprendido, portanto todos os caminhos de retidão serão recompensados." (1 Hanor 104:10-13) 6 - A MENSAGEM DO SEFER HANOR E A APOSTASIA Ye’shua (O Messias) nos alertou que os últimos dias seriam como os dias de Noach (Noé) Mt. 24:37-38, e este é um tema importantíssimo no Sefer Hanor. Hanor alerta da vinda do juízo do dilúvio, e traça paralelos com o Juízo Final dos últimos dias. O Sefer Hanor até mesmo profetiza que nos últimos dias “mulheres ficar~o gr|vidas e abortar~o os seus bebês e os expulsar~o do meio delas” 1 Hanor 99:5. O Sefer Hanor fala de como 200 anjos caídos liderados por Shemirrazá e Azazel “viram e desejaram” fêmeas humanas e copularam com elas, produzindo uma raça de “nefilim” (gigantes - vide 1 Hanor 6) e ensinaram à humanidade segredos tais como magia, a confecção de armas (1 Hanor 7-8) e como fazer um aborto (1 Hanor 69:12). O juízo de YHWH finalmente chega. Shemirraz| e “todos os seus associados” s~o mantidos cativos “por setenta gerações” até “o juízo que é permanente ser consumado” (1 Hanor 9:11-12). 6 - CONCLUSÃO A longa noite de apostasia está chegando ao fim. E, tal qual profetizado, o Sefer Hanor está novamente sendo trazido à luz para que ele possa ser um motivo de alegria e retidão e muita sabedoria para aqueles que observarem a Torá nos últimos dias. A consumação de todas as coisas está próxima. A concepção sobre anjos segundo o Zohah: São criados por Elohim, que se subdividem em 10 grupos (ou hierarquias, para usar seus termos. Ou seja, os 72 anjos estão ligados com os 72 adjetivos do Eterno). Estes anjos são eternos. Maimônides escreve sobre este assunto, dando o ESTUDOS ROSH MOSHEH BEN SHALOM 61

×