• Save
17   administração (relaçãos interpessoais)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

17 administração (relaçãos interpessoais)

on

  • 161 views

 

Statistics

Views

Total Views
161
Views on SlideShare
161
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    17   administração (relaçãos interpessoais) 17 administração (relaçãos interpessoais) Presentation Transcript

    • SAIR
    • SAIR Apresentação
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas.
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas. Para que tal ocorra, devemos analisar alguns aspectos do ser humano, como por exemplo, a personalidade dos indivíduos; as habilidades sociais e técnicas; as atitudes; os processos de comunicação, percepção, feedback, entre outros.
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas. Para que tal ocorra, devemos analisar alguns aspectos do ser humano, como por exemplo, a personalidade dos indivíduos; as habilidades sociais e técnicas; as atitudes; os processos de comunicação, percepção, feedback, entre outros. O curso de RELAÇÔES INTERPESSOAIS e, por extensão, a presente apostila, visa analisar esses fatores em busca do aprimoramento e do sucesso profissional, pessoal, familiar e social.
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas. Para que tal ocorra, devemos analisar alguns aspectos do ser humano, como por exemplo, a personalidade dos indivíduos; as habilidades sociais e técnicas; as atitudes; os processos de comunicação, percepção, feedback, entre outros. O curso de RELAÇÔES INTERPESSOAIS e, por extensão, a presente apostila, visa analisar esses fatores em busca do aprimoramento e do sucesso profissional, pessoal, familiar e social. CONCEITO DE RELAÇÕES INTERPESSOAIS Para entender o conceito de relações interpessoais é necessário definir o termo personalidade.
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas. Para que tal ocorra, devemos analisar alguns aspectos do ser humano, como por exemplo, a personalidade dos indivíduos; as habilidades sociais e técnicas; as atitudes; os processos de comunicação, percepção, feedback, entre outros. O curso de RELAÇÔES INTERPESSOAIS e, por extensão, a presente apostila, visa analisar esses fatores em busca do aprimoramento e do sucesso profissional, pessoal, familiar e social. CONCEITO DE RELAÇÕES INTERPESSOAIS Para entender o conceito de relações interpessoais é necessário definir o termo personalidade. Personalidade é o conjunto total de características que torna o indivíduo único e diferente dos outros. Revela-se através da conduta de uma pessoa e das relações dos demais perante essa conduta. Os fatores que determinam a personalidade são: herança biológica, o ambiente e a idade.
    • SAIR Apresentação Nos dias de hoje, as mudanças ocorrem numa velocidade acelerada, aumentando a competição entre as pessoas e as empresas. Deste movimento, surge a necessidade de desenvolver um novo estilo de administração, voltado para o trabalho em equipe e o desenvolvimento das pessoas. Para que tal ocorra, devemos analisar alguns aspectos do ser humano, como por exemplo, a personalidade dos indivíduos; as habilidades sociais e técnicas; as atitudes; os processos de comunicação, percepção, feedback, entre outros. O curso de RELAÇÔES INTERPESSOAIS e, por extensão, a presente apostila, visa analisar esses fatores em busca do aprimoramento e do sucesso profissional, pessoal, familiar e social. CONCEITO DE RELAÇÕES INTERPESSOAIS Para entender o conceito de relações interpessoais é necessário definir o termo personalidade. Personalidade é o conjunto total de características que torna o indivíduo único e diferente dos outros. Revela-se através da conduta de uma pessoa e das relações dos demais perante essa conduta. Os fatores que determinam a personalidade são: herança biológica, o ambiente e a idade. A base para a melhoria das relações interpessoais é a compreensão de que cada pessoa tem uma personalidade própria , que precisa ser respeitada e que cada um traz consigo necessidades sociais, materiais e psicológicas que precisam ser satisfeitas, e que influenciam o seu comportamento.
    • SAIR Apresentação Assim, podemos conceituar relações interpessoais como uma disposição interior, uma aceitação do outro que transparece no modo de falar, de olhar, na postura e, sobretudo, na forma de agir adequadamente.
    • SAIR Diferenças Individuais
    • SAIR Diferenças Individuais Diferentes aspectos da personalidade Na descrição de qualquer pessoa, os detalhes de comportamento que a distinguem podem classificar-se dentro de certos aspectos mais ou menos delimitados, que são os seguintes: - aparência física; - capacidade intelectual; - emotividade; - qualidades sociais; - sistema de valores.
    • SAIR Diferenças Individuais Diferentes aspectos da personalidade Na descrição de qualquer pessoa, os detalhes de comportamento que a distinguem podem classificar-se dentro de certos aspectos mais ou menos delimitados, que são os seguintes: - aparência física; - capacidade intelectual; - emotividade; - qualidades sociais; - sistema de valores. Fatores que determinam a personalidade - Herança biológica ou natureza; - O ambiente ou educação; - Idade ou amadurecimento.
    • SAIR Diferenças Individuais Diferentes aspectos da personalidade Na descrição de qualquer pessoa, os detalhes de comportamento que a distinguem podem classificar-se dentro de certos aspectos mais ou menos delimitados, que são os seguintes: - aparência física; - capacidade intelectual; - emotividade; - qualidades sociais; - sistema de valores. Fatores que determinam a personalidade - Herança biológica ou natureza; - O ambiente ou educação; - Idade ou amadurecimento. SIGNIFICADO DAS DIFERENÇAS INDIVIDUAIS Diferenças individuais são as várias formas em que os indivíduos se distinguem uns dos outros, sejam nos aspectos físicos, psíquicos, intelectuais, emocionais ou sociais.
    • SAIR Diferenças Individuais NECESSIDADES BÁSICAS DO SER HUMANO A motivação humana é constante, infinita, flutuante e complexa. O homem pode ser considerado um animal que deseja e que raramente alcança um estado de completa satisfação, a não ser em certos períodos de tempo. Logo que satisfaz a um desejo surge outro, sucessivamente.
    • SAIR Diferenças Individuais NECESSIDADES BÁSICAS DO SER HUMANO A motivação humana é constante, infinita, flutuante e complexa. O homem pode ser considerado um animal que deseja e que raramente alcança um estado de completa satisfação, a não ser em certos períodos de tempo. Logo que satisfaz a um desejo surge outro, sucessivamente. As necessidades básicas de ser humano foram organizadas por categorias em uma hierarquia de predomínio relativo, das quais as necessidades fisiológicas são as principais. A seguir, temos a representação da hierarquia das necessidades básicas, segundo o autor Maslow:
    • SAIR Diferenças Individuais NECESSIDADES BÁSICAS DO SER HUMANO A motivação humana é constante, infinita, flutuante e complexa. O homem pode ser considerado um animal que deseja e que raramente alcança um estado de completa satisfação, a não ser em certos períodos de tempo. Logo que satisfaz a um desejo surge outro, sucessivamente. As necessidades básicas de ser humano foram organizadas por categorias em uma hierarquia de predomínio relativo, das quais as necessidades fisiológicas são as principais. A seguir, temos a representação da hierarquia das necessidades básicas, segundo o autor Maslow: Auto - realização Profissional, Superação das dificuldades Auto - estima Reconhecimento, Respeito Contato social Amigos, Família, Comunidade Segurança Casa própria, Segurança Material Necessidades fisiológicas Alimentação, Saúde
    • SAIR Diferenças Individuais NECESSIDADES BÁSICAS DO SER HUMANO A motivação humana é constante, infinita, flutuante e complexa. O homem pode ser considerado um animal que deseja e que raramente alcança um estado de completa satisfação, a não ser em certos períodos de tempo. Logo que satisfaz a um desejo surge outro, sucessivamente. As necessidades básicas de ser humano foram organizadas por categorias em uma hierarquia de predomínio relativo, das quais as necessidades fisiológicas são as principais. A seguir, temos a representação da hierarquia das necessidades básicas, segundo o autor Maslow: Auto - realização Profissional, Superação das dificuldades Auto - estima Reconhecimento, Respeito Contato social Amigos, Família, Comunidade Segurança Casa própria, Segurança Material Necessidades fisiológicas Alimentação, Saúde As necessidades básicas não seguem uma hierarquia rígida, podendo variar sua posição e predominância já que os indivíduos são diferentes. Uma certa dose de insatisfação de necessidades é que a caracteriza a saúde física e mental, pois mobiliza energias direcionadas para o crescimento pessoal.
    • SAIR Diferenças Individuais PERCEPÇÃO " É o processo pelo qual toma-se conhecimento do mundo externo" O processo de percepção
    • SAIR Diferenças Individuais PERCEPÇÃO " É o processo pelo qual toma-se conhecimento do mundo externo" O processo de percepção SENTIDOS MUNDO EXTERNO Audição Fatos Visão Pessoas Tato Objetos Olfato Paladar
    • SAIR Diferenças Individuais PERCEPÇÃO " É o processo pelo qual toma-se conhecimento do mundo externo" O processo de percepção SENTIDOS MUNDO EXTERNO Audição Fatos Visão Pessoas Tato Objetos Olfato Paladar Fatores que interferem na percepção - Experiências passadas; - Diferenças individuais; - Estado emocional; - Interesse; - Preconceito.
    • SAIR Diferenças Individuais Condições que aumentam a precisão das percepções: - Autoconhecimento; - Flexibilidade; - Equilíbrio ou ajustamento interno; - Julgamento baseado em fatos.
    • SAIR Diferenças Individuais Condições que aumentam a precisão das percepções: - Autoconhecimento; - Flexibilidade; - Equilíbrio ou ajustamento interno; - Julgamento baseado em fatos. COMUNICAÇÃO Comunicação é o processo que consiste em transmitir e receber uma mensagem, com a finalidade de afetar o comportamento das pessoas.
    • SAIR Diferenças Individuais Condições que aumentam a precisão das percepções: - Autoconhecimento; - Flexibilidade; - Equilíbrio ou ajustamento interno; - Julgamento baseado em fatos. COMUNICAÇÃO Comunicação é o processo que consiste em transmitir e receber uma mensagem, com a finalidade de afetar o comportamento das pessoas. Comunicação interpessoal eficaz: - Trate as pessoas pelo nome. - Olhe para as pessoas enquanto fala. - "Ouça" todos os sentidos. - Coloque-se no lugar dos outros. - Evite pré-conceitos. - Inspire confiança. - Solicite e aceite feedback. - Mantenha o equilíbrio emocional.
    • SAIR Diferenças Individuais INTERAÇÃO SOCIAL O processo de interação humana supõe necessariamente comunicação. Estamos sempre comunicando algo, seja através de palavras, gestos, posturas corporal, etc. O simples fato de estarmos em presença do outro modifica o contexto perceptivo, promovendo a interação que é, afinal, comunicação com mensagens emitidas e recebidas de cada participante da situação conjunta.
    • SAIR Diferenças Individuais INTERAÇÃO SOCIAL O processo de interação humana supõe necessariamente comunicação. Estamos sempre comunicando algo, seja através de palavras, gestos, posturas corporal, etc. O simples fato de estarmos em presença do outro modifica o contexto perceptivo, promovendo a interação que é, afinal, comunicação com mensagens emitidas e recebidas de cada participante da situação conjunta. ADMINISTRAÇÃO DO CONFLITO - Previne a estagnação do grupo; - Estimula o interesse e a curiosidade pelo desafio da oposição; - Descobre os problemas e demanda sua resolução; - Funciona como raiz de mudanças pessoais, grupais e sociais;
    • SAIR Diferenças Individuais INTERAÇÃO SOCIAL O processo de interação humana supõe necessariamente comunicação. Estamos sempre comunicando algo, seja através de palavras, gestos, posturas corporal, etc. O simples fato de estarmos em presença do outro modifica o contexto perceptivo, promovendo a interação que é, afinal, comunicação com mensagens emitidas e recebidas de cada participante da situação conjunta. ADMINISTRAÇÃO DO CONFLITO - Previne a estagnação do grupo; - Estimula o interesse e a curiosidade pelo desafio da oposição; - Descobre os problemas e demanda sua resolução; - Funciona como raiz de mudanças pessoais, grupais e sociais; O dirigente do grupo é de fundamental importância para promover o crescimento do grupo, através da administração eficaz dos conflitos, compreendendo que faz parte da dinâmica interpessoal e é condição básica para sua evolução.
    • SAIR Diferenças Individuais INTERAÇÃO SOCIAL O processo de interação humana supõe necessariamente comunicação. Estamos sempre comunicando algo, seja através de palavras, gestos, posturas corporal, etc. O simples fato de estarmos em presença do outro modifica o contexto perceptivo, promovendo a interação que é, afinal, comunicação com mensagens emitidas e recebidas de cada participante da situação conjunta. ADMINISTRAÇÃO DO CONFLITO - Previne a estagnação do grupo; - Estimula o interesse e a curiosidade pelo desafio da oposição; - Descobre os problemas e demanda sua resolução; - Funciona como raiz de mudanças pessoais, grupais e sociais; O dirigente do grupo é de fundamental importância para promover o crescimento do grupo, através da administração eficaz dos conflitos, compreendendo que faz parte da dinâmica interpessoal e é condição básica para sua evolução. FEEDBACK Feedback é um processo de ajuda para mudança de comportamento. E é a comunicação a uma pessoa, ou grupo, no sentido de fornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas. Feedback eficaz ajuda o indivíduo (ou grupo) a melhorar seu desempenho e assim alcançar seus objetivos.
    • SAIR Diferenças Individuais Regras para dar e receber feedback Para dar: 1. Verifique a disposição do receptor 2. Verifique a conveniência do seu feedback 3. Verifique a medida certa 4. Verifique o tempo do seu feedback 5. Verifique se seu interlocutor deseja o feedback que você pretende transmitir 6. Seja específico 7. Faça com que o feedback seja descritivo e não avaliativo 8. Esclareça os motivos 9. Verifique se está sendo corretamente recebido 10. Verifique sua própria capacidade de julgamento
    • SAIR Diferenças Individuais Regras para dar e receber feedback Para dar: 1. Verifique a disposição do receptor 2. Verifique a conveniência do seu feedback 3. Verifique a medida certa 4. Verifique o tempo do seu feedback 5. Verifique se seu interlocutor deseja o feedback que você pretende transmitir 6. Seja específico 7. Faça com que o feedback seja descritivo e não avaliativo 8. Esclareça os motivos 9. Verifique se está sendo corretamente recebido 10. Verifique sua própria capacidade de julgamento Para receber: 1. Solicite o feedback dos outros, sempre que puder 2. Diga em termos concretos quais as informações que você deseja receber 3. Não discuta nem procure defender-se 4. Examine o sentido das informações recebidas 5. Comunique suas reações
    • SAIR Conclusão
    • SAIR Conclusão Alcançar a excelência em produtos e serviços é, antes de mais nada, resultado do comprometimento das pessoas, conscientes de sua participação no grupo e no trabalho em equipe. Vamos resgatar o valor das pessoas e de suas relações interpessoais, num processo que facilita na apenas o aprimoramento, mas desenvolve a consciência de que o trabalho de cada um é a base sobre a qual os outros constroem a qualidade de seus trabalhos. Com o presente curso de relações interpessoais deu-se o primeiro passo. Agora, caberá a cada um a continuidade. A responsabilidade e o compromisso farão parte do objetivo comum que levará todos ao caminho do sucesso.
    • SAIR Conclusão Alcançar a excelência em produtos e serviços é, antes de mais nada, resultado do comprometimento das pessoas, conscientes de sua participação no grupo e no trabalho em equipe. Vamos resgatar o valor das pessoas e de suas relações interpessoais, num processo que facilita na apenas o aprimoramento, mas desenvolve a consciência de que o trabalho de cada um é a base sobre a qual os outros constroem a qualidade de seus trabalhos. Com o presente curso de relações interpessoais deu-se o primeiro passo. Agora, caberá a cada um a continuidade. A responsabilidade e o compromisso farão parte do objetivo comum que levará todos ao caminho do sucesso. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL "Qualquer um pode zangar-se e isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa, não é fácil" (Aristóteles)
    • SAIR Conclusão Alcançar a excelência em produtos e serviços é, antes de mais nada, resultado do comprometimento das pessoas, conscientes de sua participação no grupo e no trabalho em equipe. Vamos resgatar o valor das pessoas e de suas relações interpessoais, num processo que facilita na apenas o aprimoramento, mas desenvolve a consciência de que o trabalho de cada um é a base sobre a qual os outros constroem a qualidade de seus trabalhos. Com o presente curso de relações interpessoais deu-se o primeiro passo. Agora, caberá a cada um a continuidade. A responsabilidade e o compromisso farão parte do objetivo comum que levará todos ao caminho do sucesso. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL "Qualquer um pode zangar-se e isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa, não é fácil" (Aristóteles) A inteligência emocional tem uma parte inata, outra congênita (adquirida no útero materno pela relação da mãe com o mundo e passa para a criança) e, mais importante, é a adquirida pelos modelos emocionais dos educadores (pais, substitutos e professores) e dos meios social, cultura da mídia, nos primeiros anos de vida.
    • SAIR Conclusão Características da inteligência emocional: Intrapessoal: Usada no convívio de uma pessoa com ela mesma diante de uma situação favorável ou desfavorável. a) Reconhecer suas emoções e como elas se expressam; b) Saber estimular as emoções agradáveis e as expressões desta emoção; c) Saber controlar as emoções desagradáveis; d) Saber usar pensamentos positivos; e) Saber re-significar pensamentos positivos; f) Estimular a auto-estima e a autoconfiança; g) Manter íntegra sua própria dignidade; h) Tomar decisões adultas.
    • SAIR Conclusão Características da inteligência emocional: Intrapessoal: Usada no convívio de uma pessoa com ela mesma diante de uma situação favorável ou desfavorável. a) Reconhecer suas emoções e como elas se expressam; b) Saber estimular as emoções agradáveis e as expressões desta emoção; c) Saber controlar as emoções desagradáveis; d) Saber usar pensamentos positivos; e) Saber re-significar pensamentos positivos; f) Estimular a auto-estima e a autoconfiança; g) Manter íntegra sua própria dignidade; h) Tomar decisões adultas. Interpessoal: Usada no convívio de uma pessoa com outra, em situações agradáveis ou desagradáveis. a) Empatia reconhecer a emoção que a outra pessoa esta sentindo sem necessariamente se envolver; b) Saber respeitar a individualidade das outras pessoas; c) Saber estimular e estimar a dignidade humana das pessoas; d) Saber usar pensamentos positivos; e) Saber re-significar pensamentos negativos transformando-os; f) Manter integra sua própria dignidade; g) Tomar decisões adultas.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA Autoestima é o sentimento que faz com que a pessoa goste de si mesma, aprecie o que faz e aprove suas atitudes. É um dos mais importantes ingredientes do nosso comportamento. Esse conceito se desenvolve desde muito cedo na relação da criança com os outros.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA Autoestima é o sentimento que faz com que a pessoa goste de si mesma, aprecie o que faz e aprove suas atitudes. É um dos mais importantes ingredientes do nosso comportamento. Esse conceito se desenvolve desde muito cedo na relação da criança com os outros. As figuras paternas atuam como espelhos que desenvolvem determinadas imagens ao filho. O afeto é muito parecido com o espelho. Quando demonstro afetividade por alguém, essa pessoa torna-se meu espelho e eu me torno o dela, refletindo um no sentimento do afeto do outro, desenvolvendo um forte vínculo de amor- essência humana em matéria. È nessa interação afetiva que desenvolvemos nossos sentimentos positiva ou negativamente e construímos a nossa autoimagem.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA Autoestima é o sentimento que faz com que a pessoa goste de si mesma, aprecie o que faz e aprove suas atitudes. É um dos mais importantes ingredientes do nosso comportamento. Esse conceito se desenvolve desde muito cedo na relação da criança com os outros. As figuras paternas atuam como espelhos que desenvolvem determinadas imagens ao filho. O afeto é muito parecido com o espelho. Quando demonstro afetividade por alguém, essa pessoa torna-se meu espelho e eu me torno o dela, refletindo um no sentimento do afeto do outro, desenvolvendo um forte vínculo de amor- essência humana em matéria. È nessa interação afetiva que desenvolvemos nossos sentimentos positiva ou negativamente e construímos a nossa autoimagem. AUTO-ESTIMA ESSENCIAL A autoestima essencial é gratuita. É a que recebemos dos nossos pais assim que nascemos, simplesmente porque nascemos, porque somos seus filhos amados ou não. Há situações extraordinárias em que eles amam neuroticamente ou mesmo odeiam seus filhos.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA Autoestima é o sentimento que faz com que a pessoa goste de si mesma, aprecie o que faz e aprove suas atitudes. É um dos mais importantes ingredientes do nosso comportamento. Esse conceito se desenvolve desde muito cedo na relação da criança com os outros. As figuras paternas atuam como espelhos que desenvolvem determinadas imagens ao filho. O afeto é muito parecido com o espelho. Quando demonstro afetividade por alguém, essa pessoa torna-se meu espelho e eu me torno o dela, refletindo um no sentimento do afeto do outro, desenvolvendo um forte vínculo de amor- essência humana em matéria. È nessa interação afetiva que desenvolvemos nossos sentimentos positiva ou negativamente e construímos a nossa autoimagem. AUTO-ESTIMA ESSENCIAL A autoestima essencial é gratuita. É a que recebemos dos nossos pais assim que nascemos, simplesmente porque nascemos, porque somos seus filhos amados ou não. Há situações extraordinárias em que eles amam neuroticamente ou mesmo odeiam seus filhos. Como odiar um filho não é algo aceito social e normalmente, muitos podem compensar esse "ódio" por meio de extremo cuidado ou da negligência diante de perigos e de riscos de vida. Isso é apesar de complexo muito comum.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA FUNDAMENTAL A autoestima fundamental é conquistada quando somos bem-sucedidos e quando apreciamos algo que realizamos. Se essa realização é produto de nossa capacidade, isto é da nossa pessoa sem depender de terceiros, nem de nossos pais, ela alimenta a aprovação de nós mesmos e nossa íntima (e saudável) vaidade pessoal.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA FUNDAMENTAL A autoestima fundamental é conquistada quando somos bem-sucedidos e quando apreciamos algo que realizamos. Se essa realização é produto de nossa capacidade, isto é da nossa pessoa sem depender de terceiros, nem de nossos pais, ela alimenta a aprovação de nós mesmos e nossa íntima (e saudável) vaidade pessoal. O que conseguimos com nossos esforços produzirá ótimas sensações, desde um pequeno prazer até a plena sensação de vitória absoluta.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA FUNDAMENTAL A autoestima fundamental é conquistada quando somos bem-sucedidos e quando apreciamos algo que realizamos. Se essa realização é produto de nossa capacidade, isto é da nossa pessoa sem depender de terceiros, nem de nossos pais, ela alimenta a aprovação de nós mesmos e nossa íntima (e saudável) vaidade pessoal. O que conseguimos com nossos esforços produzirá ótimas sensações, desde um pequeno prazer até a plena sensação de vitória absoluta. Na infância, a autoestima fundamental é alimentada toda vez que a criança realiza alo e isso pode ser dimensionado. Porém, aplaudir ou reprovar fora de hora, quando não é realmente merecido, destrói essa autoestima. Quando os pais fazem tudo pelo filho, mesmo aquilo que ele é capaz de fazer, estão prejudicando essa autoestima.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA FUNDAMENTAL A autoestima fundamental é conquistada quando somos bem-sucedidos e quando apreciamos algo que realizamos. Se essa realização é produto de nossa capacidade, isto é da nossa pessoa sem depender de terceiros, nem de nossos pais, ela alimenta a aprovação de nós mesmos e nossa íntima (e saudável) vaidade pessoal. O que conseguimos com nossos esforços produzirá ótimas sensações, desde um pequeno prazer até a plena sensação de vitória absoluta. Na infância, a autoestima fundamental é alimentada toda vez que a criança realiza alo e isso pode ser dimensionado. Porém, aplaudir ou reprovar fora de hora, quando não é realmente merecido, destrói essa autoestima. Quando os pais fazem tudo pelo filho, mesmo aquilo que ele é capaz de fazer, estão prejudicando essa autoestima. Tanto a autoestima essencial como a fundamental estão presentes em todas as atitudes. Conforme o estado, momento ou desenvolvimento em que a pessoa se encontra, um mesmo fato pode alimentar ou desnutrir a autoestima.
    • SAIR Conclusão AUTO-ESTIMA FUNDAMENTAL A autoestima fundamental é conquistada quando somos bem-sucedidos e quando apreciamos algo que realizamos. Se essa realização é produto de nossa capacidade, isto é da nossa pessoa sem depender de terceiros, nem de nossos pais, ela alimenta a aprovação de nós mesmos e nossa íntima (e saudável) vaidade pessoal. O que conseguimos com nossos esforços produzirá ótimas sensações, desde um pequeno prazer até a plena sensação de vitória absoluta. Na infância, a autoestima fundamental é alimentada toda vez que a criança realiza alo e isso pode ser dimensionado. Porém, aplaudir ou reprovar fora de hora, quando não é realmente merecido, destrói essa autoestima. Quando os pais fazem tudo pelo filho, mesmo aquilo que ele é capaz de fazer, estão prejudicando essa autoestima. Tanto a autoestima essencial como a fundamental estão presentes em todas as atitudes. Conforme o estado, momento ou desenvolvimento em que a pessoa se encontra, um mesmo fato pode alimentar ou desnutrir a autoestima. Como vimos, o ser humano já nasce com o sentimento de importância a que Freud chama de narcisismo primário. Em cada um de nós há, no mínimo, três pessoas: a) o que achamos que somos; b) o que os outros pensam que somos; c) o que somos realmente.
    • SAIR Conclusão FINALIDADE O que é autoestima? É a avaliação pessoal, senso do valor próprio.
    • SAIR Conclusão FINALIDADE O que é autoestima? É a avaliação pessoal, senso do valor próprio. Qual sua finalidade? Sua principal finalidade é manter o indivíduo em equilíbrio, serenidade, brandura e felicidade, ou seja, uma boa interação do seu mundo interno com o mundo externo (meio ambiente).
    • SAIR Conclusão FINALIDADE O que é autoestima? É a avaliação pessoal, senso do valor próprio. Qual sua finalidade? Sua principal finalidade é manter o indivíduo em equilíbrio, serenidade, brandura e felicidade, ou seja, uma boa interação do seu mundo interno com o mundo externo (meio ambiente). Como desenvolver a autoestima (perdida)? Quando a pessoa começa a confiar em si e em sua capacidade de se autogerir. Quanto mais se acredita que se pode fazer, mais se consegue. É importante ensinar à criança, jovem ou adulto que ela pode fazer algumas coisas bem e que pode ter problemas com outras coisas. E que esperamos que faça o melhor que puder. Também é importante admitirmos nossos próprios erros ou fracassos.
    • SAIR Conclusão FINALIDADE O que é autoestima? É a avaliação pessoal, senso do valor próprio. Qual sua finalidade? Sua principal finalidade é manter o indivíduo em equilíbrio, serenidade, brandura e felicidade, ou seja, uma boa interação do seu mundo interno com o mundo externo (meio ambiente). Como desenvolver a autoestima (perdida)? Quando a pessoa começa a confiar em si e em sua capacidade de se autogerir. Quanto mais se acredita que se pode fazer, mais se consegue. É importante ensinar à criança, jovem ou adulto que ela pode fazer algumas coisas bem e que pode ter problemas com outras coisas. E que esperamos que faça o melhor que puder. Também é importante admitirmos nossos próprios erros ou fracassos. É importante sabermos que não somos perfeitos e reconhecer logo isso, ou seja, superar as frustrações que a vida nos impõe.
    • SAIR Conclusão FINALIDADE O que é autoestima? É a avaliação pessoal, senso do valor próprio. Qual sua finalidade? Sua principal finalidade é manter o indivíduo em equilíbrio, serenidade, brandura e felicidade, ou seja, uma boa interação do seu mundo interno com o mundo externo (meio ambiente). Como desenvolver a autoestima (perdida)? Quando a pessoa começa a confiar em si e em sua capacidade de se autogerir. Quanto mais se acredita que se pode fazer, mais se consegue. É importante ensinar à criança, jovem ou adulto que ela pode fazer algumas coisas bem e que pode ter problemas com outras coisas. E que esperamos que faça o melhor que puder. Também é importante admitirmos nossos próprios erros ou fracassos. É importante sabermos que não somos perfeitos e reconhecer logo isso, ou seja, superar as frustrações que a vida nos impõe. Criar bons sentimentos, acreditar em si, procurar incentivos, saber que tem direito de sentir-se importante, que "pode aprender", que "consegue".
    • SAIR Conclusão Quando for uma criança, o cuidado reside em adequar tarefas que cabem a cada idade e permitir que ela tente, por exemplo: jogar objetos no lixo, guardar os brinquedos, solicitara a ajuda da criança partilhando com ela pequenos afazeres e vale até aplausos a suas conquistas. Assim ela forma um conceito positivo de si mesma. E para desenvolver esse sentimento, estimulá-lo quando a pessoa sentir que não tem condições de realizar algo.
    • SAIR Conclusão Quando for uma criança, o cuidado reside em adequar tarefas que cabem a cada idade e permitir que ela tente, por exemplo: jogar objetos no lixo, guardar os brinquedos, solicitara a ajuda da criança partilhando com ela pequenos afazeres e vale até aplausos a suas conquistas. Assim ela forma um conceito positivo de si mesma. E para desenvolver esse sentimento, estimulá-lo quando a pessoa sentir que não tem condições de realizar algo. O que causa a baixa auto-estima? Falta de "perdão": É quando a pessoa não consegue se livrar de dúvidas emocionais, como, abandono, vítima de uma injustiça, etc.
    • SAIR Conclusão Quando for uma criança, o cuidado reside em adequar tarefas que cabem a cada idade e permitir que ela tente, por exemplo: jogar objetos no lixo, guardar os brinquedos, solicitara a ajuda da criança partilhando com ela pequenos afazeres e vale até aplausos a suas conquistas. Assim ela forma um conceito positivo de si mesma. E para desenvolver esse sentimento, estimulá-lo quando a pessoa sentir que não tem condições de realizar algo. O que causa a baixa auto-estima? Falta de "perdão": É quando a pessoa não consegue se livrar de dúvidas emocionais, como, abandono, vítima de uma injustiça, etc. Auto-imagem negativa: É quando a pessoa não vislumbra aspectos positivos, por exemplo: não vê luz no fim do túnel, poço existencial em que está mergulhando.
    • SAIR Conclusão Quando for uma criança, o cuidado reside em adequar tarefas que cabem a cada idade e permitir que ela tente, por exemplo: jogar objetos no lixo, guardar os brinquedos, solicitara a ajuda da criança partilhando com ela pequenos afazeres e vale até aplausos a suas conquistas. Assim ela forma um conceito positivo de si mesma. E para desenvolver esse sentimento, estimulá-lo quando a pessoa sentir que não tem condições de realizar algo. O que causa a baixa auto-estima? Falta de "perdão": É quando a pessoa não consegue se livrar de dúvidas emocionais, como, abandono, vítima de uma injustiça, etc. Auto-imagem negativa: É quando a pessoa não vislumbra aspectos positivos, por exemplo: não vê luz no fim do túnel, poço existencial em que está mergulhando. Indecisão: É quando a pessoa não sabe o que fazer, que rumo tomar. O "ego" é invadido por dúvidas, angústia, etc.
    • SAIR Conclusão Quando for uma criança, o cuidado reside em adequar tarefas que cabem a cada idade e permitir que ela tente, por exemplo: jogar objetos no lixo, guardar os brinquedos, solicitara a ajuda da criança partilhando com ela pequenos afazeres e vale até aplausos a suas conquistas. Assim ela forma um conceito positivo de si mesma. E para desenvolver esse sentimento, estimulá-lo quando a pessoa sentir que não tem condições de realizar algo. O que causa a baixa auto-estima? Falta de "perdão": É quando a pessoa não consegue se livrar de dúvidas emocionais, como, abandono, vítima de uma injustiça, etc. Auto-imagem negativa: É quando a pessoa não vislumbra aspectos positivos, por exemplo: não vê luz no fim do túnel, poço existencial em que está mergulhando. Indecisão: É quando a pessoa não sabe o que fazer, que rumo tomar. O "ego" é invadido por dúvidas, angústia, etc. Mágoa, ira, psicoenergia destrutiva: Uma pessoa que se diz magoada, na verdade ela está dizendo que não consegue aceitar suas imperfeições, pois a mágoa está ligada à perda. E isso requer um esforço energético muito alto e quase sempre deixa o indivíduo sem reservas. Daí a apatia e o desânimo.
    • SAIR Conclusão Conseqüências da baixa auto-estima · Neutraliza nosso potencial: O indivíduo não se sente capaz de produzir, não há crescimento. · Impede os sonhos: O indivíduo não consegue se projetar mais no futuro de forma construtiva. · Prejudica a relação interpessoal: O relacionamento com o outro fica precário, não há uma realimentação de "feedback".
    • SAIR Conclusão Conseqüências da baixa auto-estima · Neutraliza nosso potencial: O indivíduo não se sente capaz de produzir, não há crescimento. · Impede os sonhos: O indivíduo não consegue se projetar mais no futuro de forma construtiva. · Prejudica a relação interpessoal: O relacionamento com o outro fica precário, não há uma realimentação de "feedback". Resolvendo o problema da auto-estima · Quando fica claro que a auto-estima está muito baixa, é necessário: · Reprogramar a memória; · Procurar viver no limite da capacidade; · Estabelecer um perdão multilateral (mesmo que simbólico); · Lazer, Cultura, Boa música, ou seja, desenvolver bons hábitos ou reativá-los; · Reconhecer o que é patológico do que é uma pequena crise existencial; · Buscar uma orientação terapêutica
    • SAIR Conclusão Algumas idéias que fazem crescer a auto-estima: - Abraço de corpo e alma; - Beijo estalado; - Sorriso verdadeiro; - Elogio verbal simples e direto; - Relato casual sem exageros com outros membros da família; - Uma sida só com você; - Fazer companhia a alguém que você estime; - Olhar para as pessoas nos olhos; - Saber perdoar a si e aos outros; - Não adiar uma alegria; - Dar às pessoas uma segunda chance; - Não se privar de ter esperança.
    • SAIR FIM da Aula