Mobile learning - contexto e estado da arte | Tecnologias Telemáticas e a Aprendizagem

2,434 views
2,270 views

Published on

Mobile Learning - contexto e estado da arte | Tecnologias Telemáticas e a Aprendizagem | trabalho Mestrado Multimedia - Elisabete Ferreira , Alípio Ribeiro, Nuno carneiro]

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,434
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
114
Actions
Shares
0
Downloads
107
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mobile learning - contexto e estado da arte | Tecnologias Telemáticas e a Aprendizagem

  1. 1. MESTRADOMULTIMEDIAISCIA Mobile Learning As Tecnologias Telemáticas e a Aprendizagem – NOV 2011 MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIAMobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  2. 2. INDICE Introdução Estado da arte Case studies Conclusão Referências bibliográficas MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 2Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  3. 3. INTRODUÇÃO | NOVOS HÁBITOS As tecnologias móveis entraram nas nossas vidas, e não é exceção na vida da maioria dos professores e alunos. Tráfego de dados da Internet Tomámos como certo que estamos sempre “ligados”, que móvel deve aumentar 26 vezes até podemos falar com outras pessoas em qualquer momento, 2015 onde quer que estejamos. Assumimos como natural o acesso à informação, tirar Cisco prevê um consumo mensal de 6,3 exabytes por dispositivos móveis em fotografias, registar e partilhar momentos com amigos, 2015, 26 vezes mais que em 2010. colegas ou o resto do mundo. Estamos a começar a explorar experiencias através da Fonte: Cisco Visual Networking Index: Global Mobile Data Traffic Forecast Update, 2010–2015 localização de locais ou recursos. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 3Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  4. 4. INTRODUÇÃO | Desafios Geração Y Fará sentido afastar as tecnologias móveis dos ambientes de aprendizagem? As instituições de ensino tradicionais assistem à distância, cada vez maior, das atividades em aula e o dia-a-dia dos alunos. As tecnologias moveis estão a transformar os hábitos das pessoas , como trabalham, ensinam e apreendem. A tecnologia móvel elimina as limitações da aprendizagem na sala de aula, dando acesso a materiais de ensino independentemente do local e do tempo. Fonte: Tamara Erickson – “The Generation Y Guide to Thriving at Work", Harvard Business Press, 2008 As tecnologias móveis aliadas a uma metodologia adequada ao meio podem contribuir para uma prática pedagógica focada no Contexto Social impactado pelas tecnologias móveis: “Sociedade das Comunicações Móveis” (Castells 2004) desenvolvimento de competências numa perspetiva de diálogo “Cultura do Telemóvel” (Goggin, 2006) “Thumb Culture” (Glotz et al., 2005) e cooperação (geração Y). “Mobile Age” (Sharples et al., 2005) MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 4Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  5. 5. INTRODUÇÃO | Novo “paradigma” educacional M- Learning surge como um novo “paradigma” educacional Os avanços da tecnologia móveis sem fios e dos dispositivos computacionais portáteis, tais como PDAs , palmtops, laptops, smartphones, entre outros, aliados a interação humana distante geograficamente e fisicamente, propiciam novos conceitos e processos de aprendizagem. O M- Learning - surge neste cenário como um “novo paradigma” M-learning “a personal, unobtrusive, spontaneous, potenciado pela massificação do uso de tecnologias móveis. ‘anytime, anywhere’ way to learn and to access educational tools and O M-Learning não está relacionado apenas a telemóveis e tablets. material that enlarges access to education for all” (Kukulska-Hulme & Traxler, 2005) Para definir esta aprendizagem, distinguindo-a ou integrá-la com o “tradicional” e-learning é preciso instituir e estabelecer a mesma, uma vez que se encontra relativamente imatura… Ha autores que falam de m-learning como um novo paradigma educacional (Ryu & Parsons, 2009), mas tratando-se de uma área de investigação emergente, optamos por colocar o termo entre aspas. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 5Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  6. 6. ESTADO DA ARTE | O que é o “m-Learning” QUAL É A The point at which mobile computing and eLearning it’s eLearning through mobile computational devices: Palms, DEFINIÇÃO DE intersect to produce an anytime, anywhere learning Windows CE machines, even your digital cell “spontaneous, intimate, situated, connected, informal, experience” (Harris, 2001). phone” (Quinn, 2000). M-LEARNING? lightweight, personal," (Laouris & Eteokleous, “The ability to receive “Some advocates of mobile learning attempt to The future of learning: learning anytime, define and conceptualise it in terms of devices From eLearning to anywhere and on any and technologies; other advocates define and mLearning” (Keegan, device” (Chabra, conceptualise it in terms of the mobility of “Mobile learning is not about 2002) Figueiredo, 2002). learners and the mobility of learning, and in delivering content to mobile terms of the learners’ experience of learning devices but, instead, about with mobile devices” (Traxler, 2007) the processes of coming to “The term M-Learning, or mobile learning", has know and being able to different meanings for different communities. operate successfully in, and Although related to e-learning and distance education, across, new and ever “mobility is about increasing a learners capacity it is distinct in its focus on learning across contexts and changing contexts and to physically move their own learning learning with mobile devices.” WIKIPEDIA learning spaces - Pachler et environment as they move" (Barbosa & Geyer, al. (2010) 2005 FALTA DE CONSENSO! Talvez pela rápida evolução e devido a ambiguidade do termo “mobile” que tanto tende ser definido num contexto técnico, como num contexto de experiência educativa. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 6Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  7. 7. ESTADO DA ARTE | m-Learning, uma área emergente O conceito de m-learning ainda não está instituído. O conceito nasceu com uma preocupação de explorar a forma como as M-learning, tecnologias móveis podem ser utilizadas na aprendizagem e como o seu desenvolvimento tem sido moldados por fatores sociais e culturais. é uma área O m-Learning tem requerido a atenção da comunidade académica Internacional, emergente seja numa componente tecnológica como social - Alexander, 2004; Bowker, da 2000; Kukulska-Hulme & Traxler 2005; Kukulska-Hulme, 2009; Prensky, 2001a, 2005; Sharples, 2000, 2005, 2006; Ryu & Parsons, 2009; Traxler, 2005 2007; educação a Trifonova, 2003; Vavoula et al., 2009. distância A comissão Europeia fundou a MOBIlearn, um projeto destinado à pesquisa e desenvolvimento de tecnologia móvel para a educação -http://www.mobilearn.org Organização sem fins lucrativos que explora o potencial oferecido pelas tecnologias digitais e outras tecnologias através do desenvolvimento de recursos e praticas que suportam novas abordagens para a aprendizagem no seculo XXI. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 7Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  8. 8. ESTADO DA ARTE | PESQUISA E INVESTIGAÇÃO TECNOLOGIAS MÓVEIS M-LEARNING NUM CONTEXTO MÓVEL /TÉCNICO A pesquisa sobre o uso de tecnologias móveis para ensino é conduzido pela capacidade técnicas dos novos dispositivos. Ser móvel adiciona um novo dimensão para as atividades que podem ser apoiadas, tanto pela interatividade pessoal como o apoio com outros alunos e do meio ambiente. Klopfer, Squire, Holland & Jenkins (2002) identificaram 5 propriedades de “affordance”* únicas para a educação: • Portabilidade - o tamanho e peso que permitem levar e mover para todo o lado; • Interatividade Social - troca de dados e colaboração com outros alunos; • Sensores de localização - interagir de acordo com o ambiente local e hora. • Conectividade - partilhar uma rede entre alunos • Individualidade - atividades personalizadas; *Affordance é a qualidade de um objeto, ou de um ambiente, que permite que um indivíduo realize uma ação. - wikipedia MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 8Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  9. 9. ESTADO DA ARTE | PESQUISA E INVESTIGAÇÃO SOCIAL E CULTURAL M-LEARNING CONTEXTO SOCIAL DA APRENDIZAGEM As vantagens assentam em diferentes pressupostos: - Na possibilidade de interação (professor-aluno-aluno); “Mobile learning is unique in - Na portabilidade, pois o telemóvel e mais leve que um PC e permite ao that it allows truly anywhere, utilizador tirar notas ou recolher dados no local; anytime, personalized learning. - Na colaboração, ao permitir que vários alunos possam trabalhar em It can be used to enrich, enliven conjunto numa tarefa mesmo estando em locais distantes; or add variety in conventional - Na promoção do compromisso dos alunos, dada a aceitação que as lessons or courses.” and also “Mobile learning helps to novas gerações tem por dispositivos moveis (particular telemóvel) remove some of the formality - No aumento da motivação; from the learning experience - Na promoção da aprendizagem na hora (just-in-time learning); and engages reluctant - Na melhoria da autonomia e flexibilidade; students.” (Attewell 2005:14) (Attewell, 2005; Attewell & Webster, 2004; Sharples 2006) MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 9Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  10. 10. ESTADO DA ARTE | DESCUBRA AS DIFERENÇAS As diferenças do e-learning do m-learning Laouris, Yiannis e Eteokleous, Nikleia. (2005) e Sharma, S. e Kitchens, F. (2004) enunciarem as diferenças: o e-learning baseia a sua intervenção em documentos (textos e gráficos) e aulas virtuais Para Laouris e Eteokleous (2005) o e- enquanto que no m-learning há maior comunicação verbal e as learning tem sido dominado por termos aulas são em contexto real; na comunicação entre professor e os como, multimédia, interação, alunos também existem diferenças, enquanto que com o e- hiperligação, em contrapartida, o m- learning a comunicação não é instantânea (e-mails e websites) no learning associa- se a termos como caso do m-learning a comunicação é imediata quer por e-mail quer espontâneo, íntimo, localizado , por SMS. No e-learning é necessário calendarizar tarefas no caso informal, leve e pessoal. do m-learning o processo é espontâneo; MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 10Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  11. 11. ESTADO DA ARTE | POTENCIALIDADES POTENCIALIDADES DA APRENDIZAGEM MÓVEL (técnica e social) Segundo Pelissoli & Loyola (2004) o acesso à informação é uma das grandes vantagens dos dispositivos móveis, como também a comodidade e a rapidez que permite uma maior interação, tanto entre um grupo de estudantes, bem como na interação direta com o professor em tempo real. Segundo Klopfer et al (2002), citado na “Futurelab” (2006), existem diversas potencialidades educacionais: a portabilidade, a interatividade, os sensores ao contexto, Conectividade, individualidade – Estes dispositivos permitem, em atividades mais difíceis, um “Scaffolding” mais individualizado por parte do professor. A ubiquidade dos dispositivos móveis conduzirá o m- learning a um importante meio para fornecer educação e formação (Rheingold, 2003). MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 11Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  12. 12. ESTADO DA ARTE | COVERGÊNCIA e-LEARNING e m-LEARNING Convergência de conceitos As tecnologias moveis tem o poder de tornar a aprendizagem mais disponível e acessível. Nesta medida, os dispositivos moveis são uma evolução natural do e-learning (Mostakhdemin-Hosseini “There is a common agreement & Tuimala, 2005). that m-learning is e-learning through mobile computational devices” Trifonova e Ronchetti Para “Para Rosenberg (2006) a construção e implementação de (2003) cursos em elearning que sejam eficazes e eficientes exige esforço, disciplina e experiencia em áreas como o design instrucional, “by nature the m-Learning is a comunicações, psicologia, gestão de projetos e conhecimento do form of existing d-Learning and e- Learning”.” (Georgiev et al -2004) processo de avaliação. “any educational provision where the sole or dominant technologies A evolução das tecnologias moveis leva-nos a um novo conceito, mas are handheld or palmtop devices.” facilmente entendemos a relação intrínseca entre o e-learning e o m- Traxler 2005 learning … MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 12Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  13. 13. ESTADO DA ARTE | CONTEXTO EDUCATIVO Desmond Keegan (2005) defende quatro critérios para que m-learning possa ter presença no contexto educativo: 1º : Divulgação com menção expressa e objetiva do m-learning deverá estar claramente assumida pelas instituições. 2º Nos casos de pagamento de uma propina para a frequência de um curso ou uma disciplina ou grupo de disciplinas, o mlearning deverá fazer parte desse pagamento. Assim, surgem com o mesmo estatuto. PROPOSTA S para a 3º Tal como qualquer outro curso o m-learning deverá ser objeto de uma inclusão do avaliação. A avaliação implica maior rigor o que legitimará mais este tipo de cursos. m-learning em contexto 4º Necessidade de certificar e acreditar nos cursos de ensino a em formato de educativo m-learning, tal como acontece com os cursos que utilizam plataformas de e- learning A sugestão é não existir distinção académica e administrativa dos cursos considerados «tradicionais» de um curso em formato m-learning dado que ambos têm legitimidade em proporcionar o ensino e a aprendizagem. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 13Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  14. 14. ESTADO DA ARTE | NOVA DIMENSÃO NOVA DIMENSÃO do AMBIENTE E CONTEXTO A Nova dimensão de ambiente e contexto também altera o modo de aprendizagem, o mlearning permite a aprendizagem adaptada a cada “Learning environment contexto e ambiente onde decorre o processo de aprendizagem. extends and integrates to the real environment, when Esta opinião também apoiada por Barbosa D. e Geyer, C. (2005) que learning can occur in an defende que o “ambiente e contexto” da sala de aula possa operar em authentic context. ambiente /contexto real e autêntico, onde o aluno está integrado e Communication, corresponde com as suas vivências do seu dia-a-dia. collaborative knowledge building, observations and Toda a logística é parte integral do processo de aprendizagem dos alunos finding new innovations e é o que acompanha o aluno. describe student’s learning activity in the authentic Esta nova dimensão poderá implicar o envolvimento de mais parceiros learning.” Silander, P. e educativos e surgem assim novos vetores educativos como a “family Rytkönen, A. (2005) Learning (Barker, A., Krull, G. e Mallinson, B. (2005).” MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 14Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  15. 15. ESTADO DA ARTE | STANDARDS Ao contrário do tradicional e-learning, a maioria dos projetos de m- learning não envolveram VLEs ou metodologia baseada em padrões. Autores como Traxler (Ally 2009, 9-24) procuram identificar categorias que necessitam de padrões, standards tipo SCORM). A situação atual do mercado de m-learning é semelhante ao que existia no mercado e-learning antes de ser VLE´s , estabelecido: A soluções não integram com outras. SCORM, São utilizadas diferentes plataformas de desenvolvimento. Na maioria dos casos, as soluções são desenvolvidas para responder às necessidades PADRÕES E específicas de uma organização ou grupo de aprendizagem. STANDARDS É preciso estabelecer o conceito de m-learning e saber integra-lo com os padrões de aprendizagem que permitem não só integrar módulos de conhecimento mas tambem como avaliar os alunos atraves desta forma de ensino. VLE - virtual learning environment MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 15Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  16. 16. PLATAFORMAS | TOOLS Mobile Tools for Learning MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 16Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  17. 17. MELHORES PRATICAS| STRATEGY TOOLS “Creating a successful m- learning strategy: From Planning to Implementation “ Judy Brown Branon Rovy Haag Jason Raasch Chris MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 17Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  18. 18. CASE STUDIES| “E tu serás capaz?” E “Diz3” – Universidade de Aveiro PmatE – Ua A Universidade de Aveiro foi uma das universidades pioneiras a apostar nesta nova forma de comunicar - m-learning. Lançado o repto, a Edubox desenvolveu duas aplicações, o jogo E tu, serás capaz? e a Competição multidisciplinar Diz3. O seu principal objectivo é testar os conhecimentos de cada aprendiz nas 3 grandes áreas disciplinares – Matemática, Português e Estudo do Meio. Mais um passo no caminho do «mobile learning» que coloca o PmatE/ Universidade de Aveiro na vanguarda deste tipo de tecnologias, ao permitir que alunos e professores possam aceder aos conteúdos através do telemóvel. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 18Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  19. 19. CASE STUDIES| 2 NHS South Central NHS South Central – Administração de Medicamentos Dois aplicativos móveis produzidos para a área da saúde (NHS South Central). Pelas características do m-learning, tem-se realizado vários conteúdos na área da saúde. O feedback do utilizador tem um papel importante na pertinência e validação da entrega de conteúdos através de dispositivos móveis, nesta área todos os profissionais têm visto a metodologia com enorme satisfação, no limite, a sua facilidade de utilização salva vidas. Os aplicativos foram produzidos para a Apple iPhone, iPad e dispositivos Android. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 19Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  20. 20. CASE STUDIES| GCSE Maths Revision Collins Education – GCSE (General Certificate of Secondary Education - UK) Maths GCSE Maths Revision, é uma ferramenta de apoio a preparação para exames de matemática no Reino Unido. Cerca de 700 mil estudantes preparam-se todos os anos para realizar o exame GCSE Maths. Um bom exemplo de m-learnig, acessível em movimento, o aplicativo consiste em facultar conteúdos de aprendizagem, vídeos, animações, questões práticas e avaliações. Mais de 1.000 downloads nas primeiras semanas, tornando-o num aplicativo de sucesso, bastante útil e popular. São quatro aplicações que equivalem a quatro níveis de conhecimento, cada aplicativo contém 3-5 horas de conteúdo incluindo vídeos e estão disponíveis na Apple App Store e iTunes. A versão Lite gratuita de "Numbers" está disponível para plataformas Apple e Android. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 20Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  21. 21. CONCLUSÃO MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 21Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  22. 22. CONCLUSÃO | MOTIVAÇÕES CRIAR COOPERAR E PARTILHAR Era de informação Informação estruturada /documentada Era do Conhecimento Dispositivos móveis MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 22Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  23. 23. CONCLUSÃO | ANALISE SWOT POTENCIALIDADES FRAQUEZAS - Acesso à informação com comodidade e rapidez que permite uma maior interação; - Grande variedade de plataformas, dispositivos e - Enquadrado com os hábitos das novas gerações; tecnologias dificulta a unificação e a padronização do processo. - Estimula a experimentação; - Tecnologia atualiza muito rapidamente e é difícil - Permite a interação síncrona e assíncrona e até acompanhar. Necessário muito tempo de pesquisa; quando não está online; - Dificuldade no processo de avaliação; - Aumenta o contato do aluno; - Responde à necessidade de aprendizagem imediata OPORTUNIDADES AMEAÇAS - A ubiquidade dos dispositivos móveis como também - Falta de regularização aumenta o receio de sua Portabilidade, a interatividade, os sensores ao segurança; contexto - GPS, Conectividade, individualidade; - A nova dimensão de aprendizagem, fora da sala de - Organizações que já oferecem ensino à distancia, aula aumenta a distração do aluno; como a PT Inovação, já adquiriram know-how em - As tecnologias moveis dependem da ligação e de projetos de aprendizagem em tecnologias móveis; outros fatores que o aluno não controla; - Cada vez mais os dispositivos tem camaras - Falta de controlo do agente educativo; fotograficas, video, gravadores de som, espaço de notas potenciando a sua aplicação para ensino; MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 23Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  24. 24. LESSON LEARNED • As tecnologias móveis entraram nas nossas vidas. Estamos sempre “ligados” e assumimos como normal o acesso a informação, a criação e partilha de informação; • O M-Learning não está relacionado apenas a telemóveis e tablets; • O conceito de m-learning nasceu com uma preocupação de explorar a forma como as tecnologias móveis podem ser utilizadas como e aprendizagem e como o seu desenvolvimento e utilização tem sido moldados por fatores sociais e culturais. • Vantagens da utilização dos dispositivos móveis : Portabilidade, Interatividade Social, Sensores de localização, Conectividade, Individualidade; • Vantagens da aprendizagem móvel : interação (professor-aluno-aluno), portabilidade, colaboração, promoção do compromisso dos alunos, aumento da motivação, autonomia e flexibilidade; • A evolução das tecnologias moveis leva-nos a um novo conceito, mas facilmente entendemos a relação intrínseca entre o e-learning e o m-learning. • o mlearning permite a aprendizagem adaptada a cada contexto e ambiente onde decorre o processo de aprendizagem. MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIA 24Mobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro
  25. 25. OBRIGADA Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro REFERENCIAS: E-learning Standards for an M-learning world – informing the development of e-learning standards for the mobile web September 2010 (PDF, 339 KB) Asi DeGani, Geoff Martin, Geoff Stead, Frances Wade REPORT 11: - Literature Review in Mobile Technologies and Learning Laura Naismith, Peter Lonsdale, Giasemi Vavoula, Mike Sharples - University of Birmingham Learning in a Mobile Age by John Traxler http://wlv.academia.edu/JohnTraxler/Papers/83099/Learning_in_a_Mobile_Age WE NEED AN EDUCATIONALLY RELEVANT DEFINITION OF MOBILE LEARNING - Yiannis Laouris e Nikleia Eteokleous - Cyprus Neuroscience & Technology Institute Cyprus The future of learning: From eLearning to mLearning by Desmond Keegan THE INCORPORATION OF MOBILE LEARNING INTO MAINSTREAM EDUCATION AND TRAINING http://learning.ericsson.net/mlearning2/project_one/book.html Mobile Learning - Transforming the Delivery of Education and Training Edited by Mohamed Ally MESTRADO MULTIMEDIA - ISCIAMobile Learning Alípio Ribeiro - Elisabete Ferreira – Nuno Carneiro

×