• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
 

PNAIC - Direitos de aprendizagem em história

on

  • 13,323 views

 

Statistics

Views

Total Views
13,323
Views on SlideShare
10,745
Embed Views
2,578

Actions

Likes
4
Downloads
307
Comments
3

8 Embeds 2,578

http://pactosalinas.blogspot.com.br 2555
http://pactosalinas.blogspot.com 7
http://www.pactosalinas.blogspot.com.br 6
http://pactosalinas.blogspot.pt 5
http://www.google.com 2
http://www.blogger.com 1
http://pactosalinas.blogspot.in 1
http://pactosalinas.blogspot.mx 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

13 of 3 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    PNAIC - Direitos de aprendizagem em história PNAIC - Direitos de aprendizagem em história Presentation Transcript

    • PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA II ENCONTRO - FORMAÇÃO DE ORIENTADORES DE ESTUDO 20 A 22 DE MARÇO/2013 – UNIMONTES   Temáticas abordadas: - Rotina no ciclo de alfabetização;.Direitos gerais de aprendizagem em História no ciclo de alfabetização; - Materiais no ciclo inicial de alfabetização;
    • Rotina no ciclo inicial de alfabetização
    • Retomando: Rotina no ciclo de alfabetização Vimos que a rotina também é formativa. Na organização do trabalho pedagógico é fundamental entender que as diversas dimensões do ensino são interligadas, que há especificidades a serem contempladas e também que os diferentes componentes curriculares se articulam. Por exemplo: Em língua Portuguesa, os direitos de aprendizagem são organizados em 4 eixos: leitura, produção de textos escritos, linguagem oral e análise linguística, sendo que cada eixo contempla diversas dimensões.
    •  A organização das aprendizagens na rotina deve priorizar as atividades permanentes e dos jogos na alfabetização como atividades diárias importantes que proporcionam reflexões sobre o Sistema de Escrita Alfabética (SEA) contemplando diferentes unidades linguísticas.
    • Organização do  Atividades permanentes são mais repetitivas natrabalho organização, mas não podem ser na realização.pedagógico  As sequências didáticas são situações em que as atividades são dependentes umas das outras e aFormas de ordem das atividades é importante. Um mesmoorganização mais conteúdo pode ser revisitado em diferentes aulas, derecorrentes: modo articulado e integrado.- atividades  Os projetos didáticos surgem da problematização,permanentes; algo que precisa ser resolvido pelo grupo e para isso- sequências diferentes atividades são desenvolvidas. A culminância com a socialização das produções édidáticas; outra característica que marca esse trabalho.- projetosdidáticos.
    • Rotina: diversificação de estratégias e recursos Organização do TrabalhoInteração/ reflexão/ registro Aprendizagem
    • Refletindo... Quando as aulas são bem planejadas, os estudantes se envolvem mais. A melhoria da prática pedagógica por meio dos princípios didáticos dizem respeito ao tipo de atividade planejada, às posturas, aos modos de mediação/interação, à capacidade de explicar e dialogar com as crianças.Fundamental é que sejam contemplados princípios que motivem osestudantes e favoreçam apropriações de modo reflexivo e problematizador.
    • Rotina possível em uma turma de terceiro ano doEnsino Fundamental: SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA -Leitura para -Leitura para -Leitura para -Leitura para -Sequência deleite deleite deleite deleite Didática -Chamada -Chamada -Chamada -Chamada -Contemplando -Retomada da -Retomada da -Retomada da -Retomada da diferentes Tarefa do dia tarefa do dia tarefa do dia tarefa do dia componentes Anterior anterior Anterior Anterior curriculares -Sequência -Hora da Arte -Sequência -Hora da Arte -Hora da -Didática (situações de Didática (situações de biblioteca contemplando apreciação, contemplando apreciação, diferentes reflexão e diferentes reflexão e componentes produção) componentes produção) curriculares curriculares -Hora dos jogos -Projeto didático -Hora dos jogos -Projeto didático -Hora dos jogos (apropriação do contemplando (apropriação do contemplando (apropriação do sistema diferentes sistema diferentes sistema alfabético, Componentes alfabético, componentes alfabético, ortografia, curriculares ortografia, curriculares ortografia, matemática) matemática) matemática)
    • Finalizando...Em uma rotina, temas e conteúdos dassequências didáticas e os projetos sãodefinidos em função dos direitos deaprendizagem que se pretende contemplar emdeterminado período escolar. As fronteiras do tempo e espaço podem ser rompidas em planejamentos mais flexíveis, contanto que se tenha clareza do que se deve ensinar, considerando as necessidades, conhecimentos e desejos dos estudantes.
    • Direitos de aprendizagem em História no ciclo inicial de alfabetização
    • Direitos de aprendizagem em História no ciclo de alfabetização A escola é obrigatória, tem papel relevante na formação do aluno e no seu modo de agir na sociedade. Dentre outros direitos, a compreensão do ambiente natural e social é necessária. Alguns direitos de aprendizagem podem servir como pontos de partida para o debate acerca do ensino de História nos anos iniciais do Ensino Fundamental. A disciplina História: esse componente curricular é contemplado na perspectiva dos direitos de aprendizagem considerando: fatos, sujeitos e tempo histórico.
    • Conceitos fundamentais da disciplina nos anos iniciais FATO HISTÓRICO: práticas/eventos passados, que causaram implicações na vida das sociedades e grupos de convívio (familiares, étnico-culturais, profissionais, escolares, vizinhança, religiosos, recreativos, artísticos, esportivos, políticos etc.) ou dos sujeitos históricos. SUJEITO HISTÓRICO: indivíduos ou grupos de convívio que, ao longo do tempo, promovem e realizam (individual ou coletivamente) as ações sociais produtoras de fatos históricos. TEMPO HISTÓRICO: maneira como indivíduos, grupos e as sociedades sequenciam e ordenam as experiências diariamente vivenciadas por seus membros, com base nas quais organizam suas memórias e projetam suas ações, tanto de forma individual quanto coletiva. Atenção aos quadros dos direitos de aprendizagem em História.
    • Direitos gerais de aprendizagem: HistóriaAlguns direitos gerais de aprendizagem: História Ano 1 Ano Ano 3Identificar-se, a si, e as demais pessoas como I/A I/A/Cmembros de vários grupos de convívio (familiares,culturais, profissionais, escolares, religiosos, etc).Distinguir as práticas sociais, políticas, econômicas e I/A I/A I/A/Cculturais específicas dos seus grupos de convívio edos demais grupos de convívio locais, regionais enacionais, na atualidade e do passado.Identificar e utilizar os diferentes instrumentos I/A I/A/C A/C(individuais e coletivos) destinados à organização dotempo na nossa sociedade, no tempo presente:calendários, folhinhas, relógios, agendas,quadros de horários (horário comum e comercial,horários escolares), dentre outros.Vivenciar os eventos rememorativos (locais, I/A A/C A/Cregionais e/ou nacionais), identificar os fatoshistóricos aos quais se referem.
    •  Direito: Identificar e comparar os diferentes tipos de registros documentais utilizados para a construção, descrição ou rememoração dos fatos históricos: textos manuscritos e impressos, imagens estáticas ou em movimento, mapas, registros orais, monumentos históricos, obras de arte, registros familiares, objetos materiais, dentre outros. Atividade: Solicitar às crianças que tragam cópia de registros e certidões de sua família (recentes e antigos), pesquisar outros modelos desses documentos, analisar a utilidade e função social, as informações, as diferenças e semelhanças encontradas, elaborar problemas integrando os diferentes componentes curriculares, socializar oralmente, fazer registros e organizar uma exposição. Elaborar um roteiro de visita. Atividade de campo: Visitar um cartório da cidade
    • DIREITO: Sujeito Histórico Direito: Identificar as diferentes instituições existentes na localidade, na atualidade e no passado. Atividade: após ter estudado em sala, fazer uma pesquisa sobre as instituições existentes na comunidade. Elaborar com as crianças um roteiro de entrevista. Entrevistar os moradores mais próximos de sua casa, os mais antigos da comunidade para identificarem as instituições existentes na atualidade e no passado. Fazer o registro das informações e discutir as descobertas.
    • DIREITO: Tempo Histórico Direito: Situar-se com relação ao “ontem” (o que já ocorreu), com relação ao “hoje” (que está ocorrendo) e com relação ao “amanhã” (a expectativa do porvir). Atividade: Promover a identificação do tempo histórico através de leitura de textos. Solicitar que encontrem e destaquem marcadores temporais como "depois de", "antes de", "durante", "enquanto isso” e outros. Elaboração de uma linha do tempo (é útil nas 3 dimensões). Sugestão: História do Estado de Minas Gerais, do Município, da família, de si mesmo.
    • Direito: Fatos Históricos Direito: Identificar dados governamentais sobre a história da localidade (rua, bairro e/ou município): origem do nome, data de criação, localização geográfica e extensão territorial, produção econômica, população etc. Atividade: Realizar pesquisa documental (leitura de mapas e imagens) acerca do surgimento da comunidade e outros dados , levantar dados com moradores antigos. Comparar dados antigos com os atuais. Construir uma maquete de forma que registre os dados mais relevantes da região.
    • COMO ENSINAR O USO DE MARCADORES TEMPORAIS NA PRODUÇÃO DE TEXTOS (Revista Nova Escola on line)Ajuda a identificar/compreender: ordem dos acontecimentos numahistória, produzir textos com indicações de passado, presente e futuro.Para quem domina a língua, pode parecer simples situar osacontecimentos no tempo e utilizar o tempo verbal no passado. Mastrata-se de uma competência a ser adquirida e aprimorada nosprimeiros anos do Ensino Fundamental. Recomenda-se utilizar textos de diferentes gêneros.Para Jaime Baratz – UNEB, nas séries iniciais o trabalho deve envolver ouso de advérbios como "hoje", "amanhã" e "ontem". No 4º e no 5º ano, éesperado que os alunos já tenham domínio dessas expressões e utilizemoutras mais elaboradas, que indiquem sucessão, duração esimultaneidade, como "depois disso", "durante" e "enquanto isso". 
    • Alguns marcadores temporais são representados por palavras de diversas classese funções sintáticas, como: - Advérbios "Ontem", "hoje", "amanhã", "já", "agora", "logo", "cedo", "tarde","outrora", "breve", "nunca", "sempre", "jamais". - Locuções adverbiais Duas ou mais palavras com valor de advérbio, como "àsvezes", "em breve", "à noite", "à tarde", "de manhã", "de quando em quando". - Conjunções Aquelas que dão a ideia de progressão na história que está sendocontada, como "enquanto isso", "depois disso", "logo que", "assim que". - Preposições "Durante", "após" etc. É preciso utilizar-se da Leitura coletiva e organização das informaçõescolhidas e Boas atividades em sequência: planejamento, escrita e revisão.Os autores sugerem uma sequencia, mas use também a sua criatividade:1.Leitura dos textos;2.Seleção de termos;3.Planejamento da escrita;  4.Produção de textos;5.Revisão final. 
    • Ao lado das datas e dos tempos verbais, essas expressões dãopistas sobre quando aconteceram os eventos relatados.Na sala de aula, a análise dessas expressões costumaerroneamente ficar restrita aos momentos de revisão daescrita da criança, quando o texto está sendo finalizado.Quando essa atividade faz parte de etapas anteriores - doplanejamento, dos momentos de reescrita e de escrita deautoria, e ainda é objeto de reflexão durante a leitura deproduções de outros autores -, os textos ficam mais coesos erecheados de termos apropriados para transmitir informaçõessobre o tempo das coisas.Esse trabalho ajuda os alunos a organizarem o discurso ecolabora para o aperfeiçoamento da escrita e a compreensãode textos como fábulas, contos de fadas.
    • História:Trabalhando com textosComo ensinar o uso de marcadores temporais naprodução de textos Texto: Branca de Neve (turmas do ciclo inicial)
    • História: Trabalhando com textos Como ensinar o uso de marcadores temporais na produção de textos Texto: Branca de Neve1. Leitura de textos - Com a análise de contos de fadas, a turma reconheceuque "num instante" indicava algo que ocorria depressa e que "depois de umtempo" apontava uma sucessão de eventos. 2. Seleção de termos - As palavras que indicam a ordem dos fatos foramorganizadas - primeiro coletivamente e depois em duplas - em forma de listas.Os termos inspiraram as produções dos alunos. 3. Planejamento da escrita - Antes de escrever, as alunas autoras do texto,elegeram as informações que deveriam aparecer e em que ordem. Essaorganização ajudou a contar a história. 4. Produção de textos - Ao analisar os marcadores temporais, os alunoscompreenderam melhor as histórias contadas, originando produções mais ricas. 5. Revisão final - O que não tinha sido modificado até então foi alterado. Aspalavras "aí" e "daí", usadas na linguagem oral, deram lugar a expressões como"depois disso", "enfim" e "finalmente".
    • História: Trabalhando com textosComo ensinar o uso de marcadores temporais na produção de textosTexto: Os alimentos dos povos egípcios (mais para turmas de 4º/5º ano) produção de textos
    • História: Trabalhando com textos Como ensinar o uso de marcadores temporais na produção de textos Texto: Os alimentos dos povos egípcios1. Leitura de textos - A análise de enciclopédias e livros que contavam ahistória do Egito antigo foi essencial para a turma compreender que a históriaestudada é muito anterior ao momento atual. 2. Seleção de termos - Os alunos destacaram informações dos textos, anotaramas expressões usadas, o tipo de alimento consumido e como ele era preparado. 3. Planejamento da escrita – os alunos autores do texto, acharam importantefalar sobre os tipos de alimentos consumidos e ressaltar as diferenças entre elese os de hoje em dia. 4. Produção de textos - O novo vocabulário foi incorporado pela turma –utilizando novos termos como "naquele tempo" - e os verbos no passado. 5. Revisão final Depois de rever as produções feitas ao longo da sequência -primeiro pequenos trechos e depois verbetes completos -, as criançaselaboraram a última versão do texto.
    • - CRIAR ATIVIDADES A PARTIR DE LEITURAS DE DELEITE:- SUGESTÃO:- Romeu e Julieta - Ruth Rocha-www.youtube.com/watch?v=Y0gcGyVxSTo- Nicolau tinha uma idéia – Ruth Rocha- www.youtube.com/watch?v=fOzbadwvnZs- Desenvolver uma seqüência didáticaTexto: Chico Bento. Confecção de um relógio, manipulação ereconhecimento das horas e trabalhar (explorar de várias formas) amúsica dança das caveiras- www.youtube.com/watch?v=_lr9B5nBUJg
    • Direito: identificar instrumentos emarcadores de tempo elaborados e/ouutilizados por sociedades ou grupos deconvívio locais e regionais, que existiramno passado.Direito: Identificar e comparar a duraçãodos fatos históricos vivenciadosfamiliarmente, localmente, regionalmentee nacionalmente.
    • Clique no quadro parareproduzir o vídeo da música
    • Materiais didáticosno ciclo de alfabetização
    • Materiais didáticos no ciclo de alfabetização - Telma FerrazLeal /Juliana de Melo LimaNo bojo da ação de planejar, está a ação de selecionar os recursos didáticos adequados. É preciso refletir para escolher e ter clareza sobre as finalidades do ensino e da escola e atentar que, nessa instituição, além dos conceitos e teorias, estamos influenciando a construção de identidades,de subjetividades. (Leal e Rodrigues, 2011)Ao situarmos o debate nos direitos de aprendizagem e nos princípios didáticos discutidos, consideramos que alguns tipos de recursos didáticos são essenciais no ciclo de alfabetização:
    • 1 - Livros e materiais que aproximem as crianças do universo literário,ampliem contato com diferentes gêneros e espaços sociais e conhecimentossobre o Sistema de Escrita Alfabética e convenções ortográficas;2 - Revistas e jornais variados para diversão e acesso a informações;3 - Livros didáticos, que agrupam textos e atividades variadas;4 - Materiais que circulam nas ruas, comércio e residências;5 - Materiais cotidianos para organização no tempo/espaço: calendários,relógios, agendas, quadros de horários, catálogos, mapas;6 - Registros materiais da vida da criança e seus grupos de convívio: registrode nascimento/casamento, boletim escolar, cartões de saúde, fotografias,cartas/e-mails, contas, carnês, cheque, cartões de crédito;7 - Recursos sociais que inserem as crianças em ambientes virtuais e quepromovem o contato com outras linguagens: televisão, rádio, computador.
    • Materiais que fazem parte de Programas de Distribuição de RecursosDidáticos do Ministério da Educação: Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) - assegura a distribuição de livros didáticos. Programa Nacional do Livro Didático (PNLD - Obras Complementares) - distribui livros variados para ampliar o universo cultural de alunos e dar suporte ao trabalho pedagógico. Programa Nacional da Biblioteca da Escola (PNBE) – distribui obras de literatura, de pesquisa e de referência, promovendo acesso à cultura e incentivo à leitura nos alunos e professores. Programa Nacional da Biblioteca da Escola – Especial (PNBE Especial) - distribuiu livros em formato acessível aos alunos com necessidades educacionais especiais. Programa Nacional do Livro Didático – Dicionários - obra de consulta que, se não for introduzido no mundo da criança de forma lúdica, dinâmica, tende a ser rejeitado. Jogos de Alfabetização - conjunto de jogos destinados à alfabetização. Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) - distribui obras que dão apoio teórico e metodológico para o trabalho em sala de aula. O objetivo é dar suporte à formação do professor, de modo a contribuir como ferramenta para o planejamento das aulas. Coleção Explorando o Ensino – obras pedagógicas de aprofundamento de estudos dos professores, discute teorias/práticas voltadas para o ensino em diversas áreas do saber.
    • Oito tipos de obras são encontrados nos acervos:1. Livros de divulgação do saber científico / obras didáticas;2. Biografias;3. Livros: instrucionais;4. Livros de cantigas, parlendas, trava-línguas, jogo de palavras;5. Livros de palavras;6. Livros de imagens;7. Livros de histórias, com foco em conteúdos curriculares;8. Livros literários.
    • O acervo Instrumento eficaz de apoio: - ao processo de alfabetização e de formação do leitor; - ao acesso do aluno ao mundo da escrita e à cultura letrada; - ao ensino-aprendizagem de conteúdos curriculares. Os livros selecionados: - abordam os conteúdos de forma lúdica, despertando o interesse e envolvimento dos alunos com os assuntos neles abordados; - recorrem a projetos editoriais capazes de motivar o interesse e despertar a curiosidade de crianças dessa etapa de escolarização; - usam linguagem verbal e recursos gráficos adequados a alunos do 1º, 2º e 3º anos do ensino fundamental; - configuram-se como obras capazes de colaborar com o processo de ensino aprendizagem.
    • Finalizando...Além desses materiais descritos há, na internet, vários livros que podem ser acessados no Portal do MEC no link “Publicações”.Em suma, há muitos livros e recursos acessíveis a professores e estudantes que circulam nos espaços escolares e devem ser objeto de exploração, leitura, discussão.O importante é que o professor tenha autonomia para selecionar os que podem ser mais favoráveis aos seus estudantes e planejar boas situações didáticas.
    • Referencias: BRASIL, Ministério da Educação. Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa. Planejamento e organização da rotina na alfabetização. MEC/SEB: Brasília, 2012. (Caderno: Ano 3, Unidade 2) LOPES, Noêmia. Como ensinar o uso de marcadores temporais na produção de textos. Acesso: 14/03/2013 Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/como-ensinar-uso-marcadores-te - Vídeos do youtube e imagens da internet selecionadas pelo Google.