0
Pacto Nacional pela Alfabetização              na Idade CertaA APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA   ALFABÉTICA E A CONSOLID...
A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A       CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO     Iniciando a convers...
A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A    CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOIniciando a conversa ... Ne...
A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A   CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Contudo, algumas crianças a...
A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A   CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOPara finalizar, abordaremos ...
A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A   CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOEntretanto, não se pretende ...
Objetivos da unidade•   entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento,    compreendendo que a aprendi...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE                                     ALFABETIZAÇÃO ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO                                DE ALFABETIZAÇÃO  Ana ...
1. Escreve-se com letras que não podem ser     2. As letras têm formatos fixos e pequenasinventadas, que têm um repertório...
9. Além de letras, na escrita de palavras,     10. As sílabas podem variar quanto àsusam-se, também, algumas marcas       ...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO              Ana Catarina dos Santos...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO           Ana Catarina dos Santos Pe...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO              Ana Catarina dos Santos...
A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO              Ana Catarina dos Santos...
A ESTRATÉGIA DE LEITURA• FOI RESSALTADA:• Jogo de palavras que apresentam a mesma grafia e diferentes  sentidos;• A fluênc...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                            alunos ...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                          alunos no...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                            alunos ...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                            alunos ...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                          alunos no...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                          alunos no...
O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos                            alunos ...
A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidação da alfabetização                                   Alexsan...
A consolidação do processo de apropriação do SEA       Propriedades conceituais e convenções do SEA• 1. Escreve-se com let...
A consolidação do processo de apropriação do SEA          Propriedades conceituais e convenções do SEA•   6. As letras not...
•   Ao término do primeiro, espera-se que os alunos já tenham atingido uma    hipótese alfabética de escrita. No segundo a...
• REGULARIDADES ORTOGRÁFICAS: são os casos da  norma ortográfica que têm regras. Por exemplo, o uso  de R ou RR ou de G ou...
Trabalhando com o texto1)-Ler o texto 1 (A compreensão do Sistema de Escrita   Alfabética e a consolidação da alfabetizaçã...
O ensino do Sistema de Escrita Alfabética no segundo ano do ciclo                            de alfabetização             ...
Atividades voltadas para o aprofundamento e a consolidação das                   aprendizagens da escrita alfabética.• 1. ...
2. atividades que envolvem o reconhecimento e o uso de                    diferentes tipos de letra;• É preciso levar os a...
3. atividades que envolvem a utilização do espaço em branco para separar as palavras                                      ...
Trabalhando como texto• Ler o texto 2 (O ensino do Sistema de Escrita  Alfabética no segundo ano do ciclo de  alfabetizaçã...
Leitura deleite• Ler texto para deleite: “Sexa”, de Luíz  Fernando Veríssimo, In Veríssimo, Luiz F.  Comédias para se ler ...
Vídeo• “Alfabetização: apropriação do Sistema de  Escrita Alfabética”  disponível em www.ufpe.br/ceel  http://www.ufpe.br/...
Compartilhando   Analisar o relato de experiência apresentado na  seção Compartilhando e discutir as seguintes  questões:•...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

PNAIC - Ano 3 unidade 3

506,240

Published on

3 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
506,240
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
56
Actions
Shares
0
Downloads
842
Comments
3
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "PNAIC - Ano 3 unidade 3"

  1. 1. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade CertaA APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Ano 03 Unidade 03
  2. 2. A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Iniciando a conversa ... Aprofundando o tema• A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidação da alfabetização• O ensino do Sistema de Escrita Alfabética no terceiro ano do ciclo de alfabetização Compartilhando• Relato de experiência de ensino do Sistema de Escrita Alfabética com o uso do livro didático• Indicações de obras complementares para o ensino do Sistema de Escrita Alfabética Aprendendo mais• Sugestões de leitura• Sugestões de atividades para os encontros em grupo
  3. 3. A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOIniciando a conversa ... Nesta unidade, discutiremos sobre a apropriação do Sistema de Escrita Alfabética (SEA).Entendendo que o ano 3 é o final do ciclo de alfabetização, o foco maior do ensino será o de garantir os processos de consolidação da alfabetização no sentido de que a criança, ao dominar o SEA, seja capaz de produzir e ler com autonomia textos de gêneros distintos.
  4. 4. A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Contudo, algumas crianças ainda podemnecessitar, nesse momento da escolarização,de alguma intervenção mais sistemática paraavançar na apropriação do Sistema de EscritaAlfabética.
  5. 5. A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOPara finalizar, abordaremos o planejamentode situações didáticas destinadas àexploração de algumas regularidades danorma ortográfica a fim de levar o aluno aperceber, de forma consciente, algumasrelações regulares letra/som que já estãosendo compreendidas/percebidas por ele, àmedida que vai aprendendo a usar as letrasconvencionalmente.
  6. 6. A APROPRIAÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃOEntretanto, não se pretende esgotar adiscussão sobre ortografia, até mesmo porcompreendermos que a aprendizagem desseconhecimento acontece, progressivamente,ao longo do Ensino Fundamental.
  7. 7. Objetivos da unidade• entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento, compreendendo que a aprendizagem da escrita alfabética constitui um processo de compreensão de um sistema de notação e não a aquisição de um código;• analisar as contribuições da teoria da psicogênese da escrita para compreensão do processo de apropriação do Sistema de Escrita Alfabética;• entender as relações entre consciência fonológica e alfabetização, analisando e planejando atividades de reflexão fonológica e gráfica de palavras, utilizando materiais distribuídos pelo MEC;• analisar diferentes alternativas didáticas para o ensino do Sistema de Escrita Alfabética com uso de diferentes materiais distribuídos pelo MEC, identificando os objetivos a elas associados.
  8. 8. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaA partir da proposta de “alfabetizar letrando”, os docentes devem levar as crianças à apropriação do Sistema de Escrita Alfabética envolvidos em situações de uso social da escrita, desenvolvendo a capacidade de ler e produzir textos com finalidades distintas.
  9. 9. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• O contato com a diversidade de gêneros e as situações de leitura e produção de textos deve acontecer de forma simultânea ao processo de aprendizagem do SEA.• A organização do ciclo de alfabetização em três anos pode levar à diluição dos objetivos a serem atingidos em cada ano de escolarização, acarretando falta de clareza quanto ao que se pretende atingir em relação ao trabalho com conhecimentos específicos para o processo de alfabetização.
  10. 10. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• É necessário delimitar direitos de aprendizagem para cada ano do primeiro ciclo, mesmo defendendo que não haja reprovações entre as etapas de alfabetização.• De acordo com os direitos de aprendizagem discutidos na Unidade 1, ao iniciar o ano 3 do ensino fundamental, os alunos já poderiam ter compreendido o SEA e o seu funcionamento.
  11. 11. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• Nessa fase o trabalho do professor estaria voltado à consolidação desse processo de modo que a criança possa ler e produzir, com autonomia, textos de gêneros distintos como, por exemplo, poemas, histórias, relatos pessoais, dentro outros.
  12. 12. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaAs práticas de sala de aula devem ser orientadasno sentido de levar a criança, durante asatividades de leitura e produção de textos, acompreender que o que se escreve e a formaque se usa ao escrever estão diretamenterelacionados ao efeito que o texto procuraproduzir no leitor, ou seja, a sua finalidade.
  13. 13. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaComo discutido nos outros cadernos destaUnidade, além de inserir o aluno nas situaçõesde letramento, é necessário levá-lo a refletirsobre os princípios do Sistema de EscritaAlfabética.
  14. 14. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaPROFESSOR: Facilitador indispensável noprocesso de apropriação do SEA.Necessidade do Diagnóstico do que a criançaque chega ao ano 3, já sabe sobre a escrita e oque ainda precisa saber para que possadesenvolver uma metodologia de ensino parapropiciar o avanço do pequeno aprendiz.
  15. 15. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaLeal e Morais (2010) sugerem alguns princípiosque constituem o nosso SEA e que necessitamser compreendidos/dominados pelas criançaspara que elas se apropriem da escrita:
  16. 16. 1. Escreve-se com letras que não podem ser 2. As letras têm formatos fixos e pequenasinventadas, que têm um repertório finito variações produzem mudanças em suae que são diferentes de números e de identidade (p, q, b, d), embora uma letraoutros símbolos. assuma formatos variados (P, p, P, p).3. A ordem das letras no interior da palavra 4. Uma letra pode se repetir no interior denão pode ser mudada. uma palavra e em diferentes palavras, ao mesmo tempo em que distintas palavras compartilham as mesmas letras.5. Nem todas as letras podem ocupar certas 6. As letras notam ou substituem a pautaposições no interior das palavras e nem sonora das palavras que pronunciamos etodas as letras podem vir juntas de nunca levam em conta as característicasquaisquer outras. físicas ou funcionais dos referentes que substituem.7. As letras notam segmentos sonoros 8. As letras têm valores sonoros fixos,menores que as sílabas orais que apesar de muitas terem mais de um valorpronunciamos. sonoro e certos sons poderem ser notados com mais de uma letra.
  17. 17. 9. Além de letras, na escrita de palavras, 10. As sílabas podem variar quanto àsusam-se, também, algumas marcas combinações entre consoantes e vogais(acentos) que podem modificar a (CV, CCV, CVV, CVC, V, VC, VCC, CCVCC...),tonicidade ou o som das letras ou sílabas mas a estrutura predominante noonde aparecem. português é a sílaba CV (consoante – vogal), e todas as sílabas do português contêm, ao menos, uma vogal.Ao entrar no ano 3, muitos dos princípios do SEA já devem ter sido dominados pelacriança; o investimento maior nesse ano de escolaridade visa a levar as crianças aconsolidarem seus conhecimentos das correspondências som-grafia, de modo a ler eescrever palavras formadas por diferentes estruturas silábicas, dando continuidade aotrabalho já desenvolvido no ano 2 em relação a esse aspecto.Infelizmente, em algumas salas de aula, o ensino das relações som-grafia tem ficado emsegundo plano. Para alguns docentes, existe uma questionável compreensão de que termomentos dedicados ao ensino daqueles temas pode significar um retorno a umaabordagem tradicional de alfabetização. A discussão mais relevante, entretanto, não deveser acerca da presença ou ausência do ensino, mas sobre como as correspondências letra-som podem ser ensinadas de forma reflexiva e prazerosa.
  18. 18. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• Com base nessa perspectiva, organizamos, com base em Leal (2004), alguns tipos de atividades que consideramos fundamentais para que os alunos avancem nos seus conhecimentos sobre as relações som-grafia de nossa língua:• 1) Atividades envolvendo a sistematização das correspondências som- grafia.• 2) Atividades envolvendo consciência fonológica.• 3) Atividades para desenvolver a fluência de leitura.• 4) Atividades envolvendo leitura e produção de texto.• 5) Atividades para o ensino da norma ortográfica.
  19. 19. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaNo primeiro bloco deste caderno, trataremos dos quatro tipos de atividadesque poderão ajudar os alunos a consolidarem os seus conhecimentos sobre arelação som/grafia e, no segundo bloco, nos aprofundaremos nas atividadesenvolvendo o ensino da ortografia, mais especificamente nas atividades quepermitem os alunos refletirem sobre as correspondências letra-somregulares diretas (P, B, T, D, F, V) e sobre as correspondências letra-somregulares contextuais (C/QU; G/GU; R/RR);SA/SO/SU em início de palavra; JA/JO/JU;Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final;M e N nasalizando final de sílaba;NH; Ã e ÃO em final de substantivos e adjetivos).
  20. 20. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa1) Atividades envolvendo a sistematização das correspondências som- grafia;2) Atividades envolvendo consciência fonológica;3) Atividades para desenvolver fluência de leitura;4) Atividades envolvendo leitura e produção de texto;• Relato de experiência de ensino do Sistema de Escrita Alfabética com o uso do livro didático “ O guarda -chuva do guarda”.• Bartolomeu Campos de Queirós• Livro, nome, autor, ilustrador e editora.• Sinopse – antecipar algumas informações acerca do conteúdo• Levar os alunos a perceberem: GUARDA – diferentes sentidos• Gravuras do livro – explorar: A conversa inicial foi gancho para tal percepção.
  21. 21. A CONSOLIDAÇÃO DAS CORRESPONDÊNCIAS LETRA-SOM NO ÚLTIMO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• Leitura silenciosa;• Leitura coletiva;• Circular palavras que rimavam;• Incentivou os alunos a pensarem que, mudando uma letra na palavra, muda toda a palavra. Ex:• PATO MUDANDO A e O vira TOPA, RATO vira ROTA;• Solicitou a formação de novas palavras a partir das palavras do texto.• Completarem lacunas das palavras escritas no quadro;• Os diferentes significados das palavras presentes no texto. Ex: GUARDA E PENA
  22. 22. A ESTRATÉGIA DE LEITURA• FOI RESSALTADA:• Jogo de palavras que apresentam a mesma grafia e diferentes sentidos;• A fluência na leitura/Silênciosa e coletiva• ** Lembramos que: para os alunos desenvolverem autonomia e agilidade na leitura, é fundamental que vivenciem, muito frequentemente, a leitura silenciosa. Esse tipo de atividade permite aos alunos pensarem sozinhos sobre correspondência grafema-fonema.• A reflexão sobre o SEA, ao solicitar que as crianças identificassem palavras com o mesmo som, apontando a semelhança na escrita das palavras e a percepção de troca de letras , na palavra, muda-se o som e consequentemente a palavra.
  23. 23. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa1) A ortografia no ano 3: reflexão dos alunos sobre a grafia:• relações som-grafia presentes na norma;• Regularidades ortográficas;• Regularidades e irregularidades;2) Correspondências regulares e irregulares:• Regulares:Tipos: diretas, contextuais e morfológico-gramaticais: Princípios gerativos das normas, das regras.
  24. 24. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaREGULARIDADES DIRETAS:P, B, T, D, F, VEx: PATO/CHAPÉUIndependente posição que apareça na palavra.REGULARIDADES CONTEXTUAIS:C ou QU relaciona-se ao som K mas depende da vogal que forme a sílaba (casa/pequeno).Dificuldades para as crianças: escrita de vogais nasais e ditongos.Ex: M/N (CAMPO/CANTO)Uso do til (manhã)
  25. 25. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• REGULARIDADES MORFOLÓGICAS:• Gramaticais: são compostas de regras que envolvem tanto ligados à formação de palavras por derivação lexical como por flexão ( MORAIS,1998 ).• Ou seja, são aspectos gramaticais que determinam o grafema que será usado.• Ex: o sufixo [ eza ] pode ser escrito com s ou com z dependendo da classificação gramatical da palavra (portuguesa, pobreza).
  26. 26. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• Irregulares:Não apresentam uma regra que ajude o aprendiz a selecionar a letra ou o dígrafo que poderá ser usado. Apenas um dicionário ou a memorização poderá nesses casos (MORAIS, 1998)¨Estão mais na dependência da memorização do aluno.Ex: notação de fonemas/s/(seguro/cidade/auxílio/cassino/piscina/cresça/força/exceto).z/(zebi/casa/exame)s/(enxada/enchente)h/(hora/harpa).
  27. 27. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaDIFICULDADES:P (apesar desse grafema apresentar único som)P/B são muito próximos porém um é surdo e outro é sonoro.O uso do R e RR(rato/cachorro)Perceber que entre vogais , para produzirmos o som do (R/forte), é necessária a utilização do dígrafo RR.CH /X : Conflito ortográfico som-grafia.ABELHA }LIA/LHFAMÍLIA
  28. 28. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves PessoaOBRAS COMPLEMENTARES E JOGOS: possibilidades de uso nas turmas do ano3 e a correspondências com os direitos .1. Eixo da Leitura;2. Eixo da Análise Linguística/Apropriação do Sistema de Escrita ;3. Eixo da produção do texto escrito4. Eixo da oralidadeSequência de atividades: R e RR;Jogos envolvendo a ortografia;Sugestões de Leitura;Sugestões de atividades para o encontro em grupo.
  29. 29. O ensino da ortografia no 3º ano do 1º Ciclo de Alfabetização: O que devemos propor aos alunos no último ano de alfabetização? Ana Catarina dos Santos Pereira Cabral/Ana Cláudia Rodrigues Gonçalves Pessoa• GÊNERO: Materialização do tipo ;• São infinitos ;• Se renovam( email)• TIPO: Estrutura em que o gênero está organizado• Tem mais de um tipo• Predominante• Narrativo• Descritivo• Dissertativo• Expositivo• Injutivo( Instrucional/Bula/Manual/Receitas).
  30. 30. A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidação da alfabetização Alexsandro da Silva / Ana Gabriela de Souza Seal• A consciência fonológica e sua relação com o processo de compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e de sua consolidação• A consciência fonológica consiste na capacidade de refletir conscientemente sobre as unidades sonoras das palavras e de manipulá- las de modo intencional.• Dentre as diversas capacidades de reflexão fonológica, destacamos, por exemplo, a identificação e a produção de rimas ou de aliterações; a contagem de sílabas orais de palavras; a segmentação de palavras em sílabas; e a comparação de palavras quanto ao número de sílabas.• Para ingressar no que Ferreiro (1995) denominou de “período de fonetização da escrita”, que se inicia no nível silábico e culmina no alfabético, a criança precisará, necessariamente, desenvolver capacidades de reflexão fonológica, estabelecendo relações entre a escrita e a pauta sonora, por meio, por exemplo, da segmentação de palavras orais em sílabas, comparação de palavras quanto ao tamanho e às suas semelhanças sonoras.
  31. 31. A consolidação do processo de apropriação do SEA Propriedades conceituais e convenções do SEA• 1. Escreve-se com letras que não podem ser inventadas, que têm um repertório finito e que são diferentes de números e de outros símbolos.• 2. As letras têm formatos fixos e pequenas variações produzem mudanças em sua identidade (p, q, b, d), embora uma letra assuma formatos variados (P, p, P, p).• 3. A ordem das letras no interior da palavra não pode ser mudada.• 4. Uma letra pode se repetir no interior de uma palavra e em diferentes palavras, ao mesmo tempo em que distintas palavras compartilham as mesmas letras.• 5. Nem todas as letras podem ocupar certas posições no interior das palavras e nem todas as letras podem vir juntas de quaisquer outras.
  32. 32. A consolidação do processo de apropriação do SEA Propriedades conceituais e convenções do SEA• 6. As letras notam ou substituem a pauta sonora das palavras que pronunciamos e nunca levam em conta as características físicas ou funcionais dos referentes que substituem.• 7. As letras notam segmentos sonoros menores que as sílabas orais que pronunciamos.• 8. As letras têm valores sonoros fixos, apesar de muitas terem mais de um valor sonor e certos sons poderem ser notados com mais de uma letra.• 9. Além de letras, na escrita de palavras, usam-se, também, algumas marcas (acentos) que podem modificar a tonicidade ou o som das letras ou sílabas onde aparecem.• 10. As sílabas podem variar quanto às combinações entre consoantes e vogais (CV, CCV, CVV, CVC, V, VC, VCC, CCVCC...), mas a estrutura predominante no português é a sílaba CV (consoante – vogal), e todas as sílabas do português contêm, ao menos, uma vogal.
  33. 33. • Ao término do primeiro, espera-se que os alunos já tenham atingido uma hipótese alfabética de escrita. No segundo ano, as práticas de ensino do SEA devem estar voltadas para a consolidação do conhecimento das diferentes relações som-grafia de nossa língua, de modo a permitir que a criança possa ler e escrever palavras, frases e alguns textos de menor extensão.• Escritas alfabéticas sem predomínio de valor sonoro convencional: a criança usa, na maioria das vezes, grafemas não pertinentes para representar os fonemas.• Escritas alfabéticas com algumas falhas na utilização do valor sonoro convencional: a criança usa predominantemente grafemas com valor sonoro convencional, ainda que, às vezes, recorra a letras não pertinentes por desconhecimento do grafema convencional que nota determinado fonema.• Escritas alfabéticas com valor sonoro convencional: além de escrever de acordo com as regras do nosso sistema de escrita, ainda que com ortografia não totalmente convencional, a criança aprendeu o valor sonoro convencional da maioria dos grafemas da língua.
  34. 34. • REGULARIDADES ORTOGRÁFICAS: são os casos da norma ortográfica que têm regras. Por exemplo, o uso de R ou RR ou de G ou GU.• IRREGULARIDADES ORTOGRÁFICAS: são os casos da norma ortográfica que não têm regras. Por exemplo, o uso de H inicial ou de X e CH.
  35. 35. Trabalhando com o texto1)-Ler o texto 1 (A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidação da alfabetização);2)-Discutir coletivamente as seguintes questões:• Por que a aprendizagem da escrita alfabética não deve ser concebida como a aquisição de um código de transcrição gráfica das unidades sonoras da fala?• Por que construir uma hipótese alfabética de escrita não é sinônimo de estar alfabetizado?• Por que é importante ensinar sistematicamente as relações som-grafia no segundo ano do ciclo de alfabetização?
  36. 36. O ensino do Sistema de Escrita Alfabética no segundo ano do ciclo de alfabetização Ana Gabriela de Souza Seal Alexsandro da Silva• No segundo ano do ciclo de alfabetização, os alunos precisarão aprofundar e consolidar alguns conhecimentos e habilidades já introduzidos no primeiro ano: o domínio de correspondências som- grafia; o reconhecimento e o uso de diferentes tipos de letra; a utilização do espaço em branco para separar as palavras dos textos. Espera-se, portanto, que essas aprendizagens já tenham sido iniciadas no primeiro ano do ensino fundamental e agora passem a ser aprofundadas e consolidadas.
  37. 37. Atividades voltadas para o aprofundamento e a consolidação das aprendizagens da escrita alfabética.• 1. atividades que envolvem o domínio de correspondências som-grafia;• as atividades que priorizam o desenvolvimento das habilidades de reflexão fonológica têm um importante papel no ensino das relações som- grafia. O “Bingo dos sonsiniciais”, o “Caça-rima”, o “Dado-sonoro” e a “Trinca-mágica” – todos esses jogos foram distribuídos pelo MEC nas escolas públicas do país – são bons exemplos de materiais que promovem a reflexão fonológica.
  38. 38. 2. atividades que envolvem o reconhecimento e o uso de diferentes tipos de letra;• É preciso levar os alunos a reconhecerem e fazerem uso não só da letra de imprensa maiúscula, cujo reconhecimento e traçado são mais simples, mas também da imprensa minúscula – usada em jornais, revistas, livros infantis no próprio livro didático – e da cursiva maiúscula e minúscula, por meio de situações de leitura e escrita diversas.• Livros didáticos de alfabetização, aprovadas nas últimas edições do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).• Obras complementares
  39. 39. 3. atividades que envolvem a utilização do espaço em branco para separar as palavras do texto.• O reconhecimento e o uso de espaços em branco para separar as palavras em um texto é uma aprendizagem igualmente pertinente para este ano de escolaridade. Atentar para os limites que determinam o início e o final das palavras não se apresenta como uma tarefa fácil para os alfabetizandos.• Atividades: 1- livros didáticos, é possível perceber textos que são inseridos sem nenhum espaço entre as palavras. Às vezes, esses são apresentados como “desafios”, para que os discentes tentem ler. Identificado o texto, pode-se sugerir que os alunos pintem cada palavra de uma cor diferente ou que delimitem com um traço o início e fim das palavras. 2- Reescrita do texto com a inserção dos espaços em branco entre as palavras, apresentando-se seja em formato de texto corrido seja em caixas referentes à quantidade de palavras do texto para serem preenchidas.
  40. 40. Trabalhando como texto• Ler o texto 2 (O ensino do Sistema de Escrita Alfabética no segundo ano do ciclo de alfabetização) - em grupos.• Destacar e discutir as ideias principais do texto.• Compartilhar/ socializar
  41. 41. Leitura deleite• Ler texto para deleite: “Sexa”, de Luíz Fernando Veríssimo, In Veríssimo, Luiz F. Comédias para se ler na escola. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2012. (Acervo PNBE 2009) www.youtube.com/watch?v=-puBCk8pkZs
  42. 42. Vídeo• “Alfabetização: apropriação do Sistema de Escrita Alfabética” disponível em www.ufpe.br/ceel http://www.ufpe.br/ceel/ceel-videos.html
  43. 43. Compartilhando Analisar o relato de experiência apresentado na seção Compartilhando e discutir as seguintes questões:• Quais os objetivos didáticos das atividades desenvolvidas?• Que conhecimentos e habilidades estão sendo desenvolvidos por meio dessas atividades?• Que sugestões você daria de outras atividades que poderiam ser desenvolvidas a partir das atividades propostas pela professora?
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×