PERÍODO  ENTRE GUERRAS Alexandre Joanes Eduardo Ansaloni Lúcio Viana Luiz Eduardo Pedro Vitor Vinícius Rodrigues Agosto de...
 
<ul><li>Tratado de Versalhes, 14 pontos de Woodrow Wilson, </li></ul><ul><li>Doutrina Monroe,  Soberania da Nações </li></...
14 pontos de Wilson <ul><li>Woodrow Wilson , presidente norte-americano, é considerado o grande  precursor da Liga das Naç...
Princípios da Liga <ul><li>Sociedade das Nações surge com intuito de  guiar o mundo para a paz . As disputas entre os Esta...
Tratado de Versalhes <ul><li>Em 25 de janeiro de 1919 reúnem-se em Paris dirigentes de 32 países para assinar o  Tratado d...
Origem da Liga
Estados Unidos fora da  Liga das Nações <ul><li>Iniciam-se no Congresso americano as eleições e  Wilson , tentando angaria...
<ul><li>A  não  presença  dos  Estados  Unidos  na  Liga  revela  que  os  interesses da política  interna  ainda  são mai...
 
Empecilhos para criação da Liga <ul><li>A  Alemanha  é um empecilho para criação da Liga, pois, em princípio, demanda que ...
Bandeiras e Línguas Oficiais
Estrutura da Liga <ul><li>Sede da Liga das Nações </li></ul><ul><li>A  Liga  das  Nações  é  uma  pessoa  jurídica   que  ...
Secretariado <ul><li>A Secretaria permanente funciona na  sede da Sociedade , ou seja, em Genebra. </li></ul><ul><li>É um ...
Países Membros da Liga
Conselho de segurança <ul><li>No projeto de Wilson  havia cinco Estados promotores da Sociedade  que seriam  “membros de u...
Unanimidade <ul><li>As decisões do Conselho e da Assembléia eram “tomadas por  unanimidade ”. O entendimento desse princíp...
Tribunal de Internacional de Justiça <ul><li>Instituída pelo  artigo quatorze do Pacto . Suas três funções principais são:...
Conselho <ul><li>As  funções  do  Conselho   são,  no  geral,  de  “ mera  fiscalização  e  recomendação ”. Dentre essas f...
Assembléia <ul><li>As funções da  Assembléia  se resumem em: “escolher os quatro Estados que, em adição às cinco  grandes ...
Mandatos de Classe A <ul><li>Províncias turcas da Palestina  3 , Iraque  5 , (Inglaterra); Síria  1  e Líbano  2  (França)...
Mandatos Classe B e C <ul><li>O Tanganica  11  foi atribuído ao Reino Unido e o Ruanda-Urundi  10  à Bélgica. A Togolândia...
Doutrina Monroe <ul><li>De  acordo  com  um  dispositivo  contido  no  Pacto,  a  doutrina  não  é incompatível  com  suas...
Brasil na Liga <ul><li>Artur Bernardes </li></ul><ul><li>diplomacia externa num objetivo constante de busca pelo assento p...
Liga das Nações <ul><li>O coelho: &quot;Meu equipamento ofensivo é praticamente nulo, resta-me a hipnotizá-lo com a força ...
A Liga e a ONU <ul><li>2ª Guerra - Palácio vazio por 6 anos </li></ul><ul><li>1943 – Conferência do Teerã </li></ul><ul><l...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Periodo Entre Guerras

3,995

Published on

Periodo Entre Guerras
Coltec - UFMG

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,995
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Periodo Entre Guerras

  1. 1. PERÍODO ENTRE GUERRAS Alexandre Joanes Eduardo Ansaloni Lúcio Viana Luiz Eduardo Pedro Vitor Vinícius Rodrigues Agosto de 2009 Profa. Rogata Soares Del Gaudio M-34
  2. 3. <ul><li>Tratado de Versalhes, 14 pontos de Woodrow Wilson, </li></ul><ul><li>Doutrina Monroe, Soberania da Nações </li></ul>Liga das Nações
  3. 4. 14 pontos de Wilson <ul><li>Woodrow Wilson , presidente norte-americano, é considerado o grande precursor da Liga das Nações pois para ele o mundo precisava de “remodelação e aperfeiçoamento dos costumes e práticas internacionais”, “o reinado da lei, baseado no assentimento dos governados e firmado na opinião organizada da humanidade”. </li></ul><ul><li>Wilson elabora os 14 Pontos fundamentais para se conseguir a paz , neles ele considera importante a diplomacia aberta, liberdade dos mares, desarmamento generalizado, remoção de barreiras comerciais e o último ponto defende exatamente a criação da Liga das Nações. </li></ul>
  4. 5. Princípios da Liga <ul><li>Sociedade das Nações surge com intuito de guiar o mundo para a paz . As disputas entre os Estados devem ser resolvidas pela arbitragem ou qualquer outro meio de mediação . Intenta-se estabelecer um tribunal permanente. O princípio básico da Liga é que cada nação possui um interesse idêntico na paz , e que toda nação que deseje perturbar a paz é, portanto, irracional e imoral. </li></ul><ul><li>Apesar de ter boas intenções, várias tentativas de desarmamento não saem do papel, muitas conferências não são ratificadas e questões ligadas à soberania impedem que as ações da política externa sejam guiadas para o bem comum </li></ul><ul><li>Há uma superposição de valores. As idéias de um mundo regido pela paz têm de coexistir com as tradicionais relações entre Estados . </li></ul>
  5. 6. Tratado de Versalhes <ul><li>Em 25 de janeiro de 1919 reúnem-se em Paris dirigentes de 32 países para assinar o Tratado de Versalhes . Este armistício de paz em suas 440 cláusulas trata, dentre outras coisas, das reparações de guerra, desarmamento e segurança, indenizações e da criação da Liga das Nações. Alguns autores como Keynes, por exemplo, critica o tratado por ter se “afastado demasiadamente” dos 14 pontos de Wilson . Versalhes não consegue produzir uma estrutura estável no continente, o que acaba multiplicando as áreas de tensão e os atritos. O presidente americano, todavia, rebate a constatação de Keynes afirmando que a Liga das Nações corrigirá as imperfeições e compensará os erros do Tratado de Versalhes. </li></ul><ul><li>Clemenceau no dia da assinatura do armistício: “vencemos a guerra, agora, temos que vencer a paz e isso pode ser mais difícil” </li></ul>
  6. 7. Origem da Liga
  7. 8. Estados Unidos fora da Liga das Nações <ul><li>Iniciam-se no Congresso americano as eleições e Wilson , tentando angariar votos para seu partido, discursa pedindo ao povo que vote por uma maioria democrata a fim de facilitar as negociações e apoiar o plano de paz. Esse fato indigna os republicanos, que acreditam que Wilson está se aproveitando da situação para influenciar a votação interna do país. </li></ul><ul><li>O resultado final das eleições é uma vitória para o Partido Republicano e uma derrota para Wilson. Como resultado, é formada nos Estados Unidos uma campanha contra a Sociedade das Nações feita por seus opositores que defendem “uma política de afastamento dos perigos e misérias da Europa”. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>A não presença dos Estados Unidos na Liga revela que os interesses da política interna ainda são mais acentuados que a dedicação a um plano de ordem internacional em prol da paz. Os reflexos da atitude norte-americana fazem-se sentir por toda a história da Liga. Num primeiro momento, geram insegurança e insatisfação entre alguns membros em relação à eficácia que a Liga pode produzir. </li></ul><ul><li>A Liga perde recursos financeiros dos E.U.A. </li></ul>
  9. 11. Empecilhos para criação da Liga <ul><li>A Alemanha é um empecilho para criação da Liga, pois, em princípio, demanda que seja oferecido um lugar para ela na Sociedade das Nações como prova da reconciliação entre os beligerantes . </li></ul><ul><li>A grande oposição à entrada da Alemanha na Liga das Nações é a França . </li></ul><ul><li>A geopolítica explica bem essa situação, pois o que está em jogo são fatores de fronteiras e domínio de territórios . </li></ul><ul><li>A França espera precaver-se contra o ressurgimento do poderio alemão. </li></ul><ul><li>A Inglaterra é o principal país a intermediar as relações franco-alemãs com o único objetivo de conter a França nas questões referentes à Alemanha, uma vez que “uma Alemanha extremamente fragmentada pode alterar o equilíbrio de poder europeu em favor do franceses”. </li></ul><ul><li>As tentativas de entrada na Liga por parte da Alemanha são rejeitadas. </li></ul><ul><li>A Liga é uma organização dos vencedores. </li></ul>
  10. 12. Bandeiras e Línguas Oficiais
  11. 13. Estrutura da Liga <ul><li>Sede da Liga das Nações </li></ul><ul><li>A Liga das Nações é uma pessoa jurídica que goza de vários direitos como o de intervenção, o de declarar a guerra e fazer a paz, além de operar nos campos político, financeiro, administrativo, filantrópico, cooperação internacional, etc. </li></ul><ul><li>O órgão vai se democratizando na medida em que o aparelho governamental da Liga se constitui de “ membros natos e de outros elegíveis como vitalícios e temporários.” </li></ul><ul><li>“ conveniência de que os trabalhos tenham certa continuidade, que só se alcança com a permanência de alguns dos seus membros; segundo, a necessidade de se conservarem alguns Estados como principais mantenedores da Instituição” </li></ul><ul><li>O Pacto não chega a estabelecer quais serão essas potências natas, apenas aponta que “o Conselho se comporá das Principais Potências aliadas e associadas ” </li></ul>
  12. 14. Secretariado <ul><li>A Secretaria permanente funciona na sede da Sociedade , ou seja, em Genebra. </li></ul><ul><li>É um órgão de continuidade que informa, orienta e prepara estudos para serem discutidos na Assembléia e no Conselho. </li></ul><ul><li>Há comissões temporárias para tratarem de assuntos mais específicos. </li></ul>
  13. 15. Países Membros da Liga
  14. 16. Conselho de segurança <ul><li>No projeto de Wilson havia cinco Estados promotores da Sociedade que seriam “membros de um Comitê que, por assim dizer, só tem por fim assegurar a garantia da execução do Tratado de Paz ”. Esse comitê seria apenas um aparelho preventivo contra a guerra por meio da execução do Pacto. Um outro projeto é lançado pelos franceses modificando essa primeira versão a qual “prevê uma Conferência Internacional Anual de todos os Estados ligados pelos tratados e que serão representados por uma delegação permanente de quinze membros .” </li></ul><ul><li>Liga começa a “perder seu primitivo caráter particularista de executora de um Pacto, para ir se tornando um grande aparelho de cooperação internacional ” </li></ul>
  15. 17. Unanimidade <ul><li>As decisões do Conselho e da Assembléia eram “tomadas por unanimidade ”. O entendimento desse princípio é um atributo à igualdade jurídica dos Estados e parece ir ao encontro da “proteção à soberania das Nações ,” além de “impedir que a Liga adquira um caráter de super-Estado. </li></ul><ul><li>A idéia de unanimidade também vem para evitar qualquer “desigualdade de direitos e deveres entre os membros do Conselho”. “Ela é susceptível de tornar-se também, em muitos casos, obstáculo sério e, às vezes, prejudicial às funções mais importantes do Conselho.” </li></ul>
  16. 18. Tribunal de Internacional de Justiça <ul><li>Instituída pelo artigo quatorze do Pacto . Suas três funções principais são: a jurisdição obrigatória, a função arbitral e a função consultiva. </li></ul><ul><li>Tribunal Internacional de Justiça , com sede em Haya, analisa hipóteses como se um membro recorrer à guerra isso será visto como uma agressão a todos os outros membros que devem romper relações comerciais com esse Estado. A Corte é, por essas marcas, a primeira tentativa em colocar a justiça racional e permanente no anárquico sistema internacional </li></ul><ul><li>A Corte de Justiça ; uma ação política, quando intervém entre Estados e uma ação orgânica, quando constitui centros da vida internacional como Organização do Trânsito, da Higiene, do Trabalho, etc. </li></ul><ul><li>Manter a paz e resolver as controvérsias. </li></ul>
  17. 19. Conselho <ul><li>As funções do Conselho são, no geral, de “ mera fiscalização e recomendação ”. Dentre essas funções está a de “preparar planos para a redução dos armamentos”, “repelir a agressão ao território de algum dos membros da Sociedade”, “preparar projeto para uma Corte Permanente de Justiça Internacional”, “propor medidas para a execução das sentenças arbitrais”, “publicar os fatos, as explicações e os termos dos acordos propostos”, “fiscalizar a proibição do tráfico </li></ul><ul><li>Por ser político » relações amistosas </li></ul><ul><li>As reuniões do Conselho devem ser pelo menos uma vez ao ano. </li></ul><ul><li>“ Desenvolvimento da composição do Conselho tem como resultado diminuir o prestígio da Assembléia”. Para ele, o Conselho e a Assembléia são “ duas competências paralelas, dois órgãos que agem paralelamente ” e isso é uma das fissuras do Pacto. </li></ul>
  18. 20. Assembléia <ul><li>As funções da Assembléia se resumem em: “escolher os quatro Estados que, em adição às cinco grandes potências, terão representantes no Conselho”, “aprovar, se convir, o aumento de tais representantes”, “admitir, por dois terços de votos, novos membros à Sociedade”, “confirmar a escolha do Secretário Geral”, “convidar os membros da Sociedade a reverem os tratados que se tornem inaplicáveis, assim como a examinarem as situações internacionais, cuja manutenção possa trazer perigo à paz do mundo.” </li></ul>
  19. 21. Mandatos de Classe A <ul><li>Províncias turcas da Palestina 3 , Iraque 5 , (Inglaterra); Síria 1 e Líbano 2 (França). </li></ul>
  20. 22. Mandatos Classe B e C <ul><li>O Tanganica 11 foi atribuído ao Reino Unido e o Ruanda-Urundi 10 à Bélgica. A Togolândia 67 e os Camarões 89 divididos entre a França e o Reino Unido. </li></ul><ul><li>A colônia alemã do Sudoeste Africano 12 (Namíbia) foi colocada sob a administração da África do Sul, a Samoa Ocidental 4 sob administração da Nova Zelândia e a Nova Guiné 2 e Nauru 3 sob administração da Austrália). Um pequeno grupo de ilhas no Pacífico 1 foi atribuído ao Japão. </li></ul>
  21. 23. Doutrina Monroe <ul><li>De acordo com um dispositivo contido no Pacto, a doutrina não é incompatível com suas disposições gerais. </li></ul><ul><li>A Doutrina Monroe mantém o “Velho e o Novo Mundo em dois compartimentos separados,” de modo que a “conflagração que surja em um não pode fazer-se extensiva ao outro”. Com efeito, “submeter a política de Monroe a um conselho composto principalmente de potências européias, é abandoná-la”. Dessa maneira, para tentar aliviar a situação com os Estados Unidos , é aceita a compatibilidade da doutrina com o Pacto da Liga. </li></ul>
  22. 24. Brasil na Liga <ul><li>Artur Bernardes </li></ul><ul><li>diplomacia externa num objetivo constante de busca pelo assento permanente na Liga </li></ul><ul><li>veto a entrada da Alemanha no Conselho </li></ul><ul><li>unilateral e intransigente </li></ul><ul><li>o Brasil que perdeu com toda essa “estratégia” de política externa brasileira. </li></ul>
  23. 25. Liga das Nações <ul><li>O coelho: &quot;Meu equipamento ofensivo é praticamente nulo, resta-me a hipnotizá-lo com a força do meu olho.&quot; </li></ul><ul><li>Moral da História </li></ul>
  24. 26. A Liga e a ONU <ul><li>2ª Guerra - Palácio vazio por 6 anos </li></ul><ul><li>1943 – Conferência do Teerã </li></ul><ul><li>1946 – Última reunião Liga </li></ul><ul><li>1946 – Primeira reunião ONU </li></ul>

×