• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Depressão , unipolar ou bipolar
 

Depressão , unipolar ou bipolar

on

  • 8,614 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,614
Views on SlideShare
8,614
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
42
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Depressão , unipolar ou bipolar Depressão , unipolar ou bipolar Presentation Transcript

    • Depressão Algumas diferenças entre quadros unipolares e bipolares Eduardo Guagliardi Médico Psiquiatra – Prof. UNIPLAC
    • Leia antes de usar...ou diagnosticar Para uma avaliação mais completa dos casos de depressão deveríamos considerar: Sinais e sintomas Curso dos sintomas ou das manifestações do comportamento Temperamento e estilo História familiar que avalie o componente genético como fator de risco (ou seja, um fato que aumenta as chances de algum evento acontecer) Fatores de risco ambientais (como abuso e traumas na infância ou perdas recentes, no caso de depressão) Resposta a fármacos (terapêuticos ou drogas de abuso)
    • Falando de Temperamento e Caráter Temperamento (“gênio”):Ligado às sensações e motivações básicas e automáticas da pessoa no âmbito emocional. Herdado geneticamente e regulado biologicamente Caráter: Decorre mais das experiências e modelos que formam nossas memórias e padrões psicológicosO temperamento define o que mais naturalmente se salienta no mundopara cada um e influencia os tipos de experiência em que nosenvolvemos e como reagimos a elas. A interpretação destas experiênciasgera um significado que por sua vez lapida a expressão dotemperamento, que é o caráter.
    • PERSONALIDADE gera significadoTEMPERAMENTO (natureza CARÁTER emocional (aprendido pelas herdada vivencias) geneticamente) define saliência
    • Relações entre Temperamento e Humor Importante frisar que nosso tipo de temperamento é o alicerce do nosso humor e, por consequência, os possíveis transtornos de humor que sofremos também são compatíveis com nosso temperamento. Pessoas com temperamento mais “apimentado” e dinâmico podem ter alterações de humor com franca agressividade ou euforia, o que seria mais raro em pessoas com temperamentos brandos e serenos.
    • Classificação dos Temperamentos como “estilos afetivos”ou padrões predominantes de humor (Akiskal): Hipertímicos: Manifestam dinamismo, busca por estímulos e sensações prazerosas, exploradores, impulsivos, otimistas, entusiasmados, extravagantes, curiosos, desorganizados, reações afetivas rápidas e intensas, potencial para criação, inovação, liderança, carisma etc.. Adaptam-se pouco a sistemas regrados, rotineiros, previsíveis, podendo ficar inquietos, irritados, desanimados. Depressivos: Preocupados, pessimistas, passivos, cautelosos, quietos, tímidos e indecisos. Reservados, reflexivos, resignados, toleram bem situações monótonas, preservam e gostam da ordem. Ciclotímicos: Alternância entre períodos de autoconfiança alta e baixa, estados apáticos e energéticos, humor tristonho e brincalhão, momentos introvertidos/calados e expansivos/falantes etc.. Irritáveis: Marcante e constante irritabilidade. Podem ser ameaçadores, desconfiados, combativos e destrutivos.
    • Falando de humor Estados de humor deprimido (tristeza, desânimo, lentificação, falta de sensação de prazer) são muito conhecidos e discutidos, além de intuitivamente fáceis de entender, porque todos já os vivenciamos, por períodos mais ou menos curtos e por motivos diferentes. Estes estados depressivos podem ir do simples “baixo astral” até estados de profunda melancolia. Além do estado normal de humor, chamado de EUTIMIA, momentos de euforia e alegria são naturais e comuns de acordo com os momentos da vida. O que define se o humor está sadio é o quanto ele está adequado à situação real.
    •  Tristezas, alegrias, ansiedades ou irritações sem motivo aparente podem configurar um transtorno de humor. Existem situações em que a euforia pode chegar a extremos tão inadequados e prejudiciais quanto a melancolia grave. Entre o humor eutímico (normal) e o extremo da euforia, há gradações, como a HIPERTIMIA, que não chega a atrapalhar, e a HIPOMANIA (pequena mania), que pode atrapalhar razoavelmente, até a MANIA, que certamente carrrega consequências e prejuízos maiores em diversos níveis.
    • EUTIMIA HIPERTIMIA HIPOMANIA MANIAHumor Normal Magnético Exibicionista Escandalosotransmitido Com brilho Exagerado + Arrogante(afeto) Expansivo Dramático Centro das Confiante + Expansivo atenções Enfático Arrogante Agressivo Bom pique Muita energia Elétrico Pouco sono Dorme pouco
    • EUTIMIA HIPERTIMIA HIPOMANIA MANIAGastos Moderados Um pouco menos Age c/ Fora de controle controlados desproporção Dívidas gndes Sem Impulsivo Vendas e consequencias Algumas dívidas doações maiores descabidasRiscos Evita Experimenta Arrisca-se s/ Busca ativamente desnecessários riscos necessidade Consequências desnecessários Consequências sérias mas sem contornáveis consequências
    • EUTIMIA HIPERTIMIA HIPOMANIA MANIAContato e Escolhe modo + + Efusivo Distribui abraços Indiscretoconvívio social adequado Toma iniciativa e beijos Invasivo Harmonia de cumprimentos exagerados Provoca ou se + íntimos Causa surpresa envolve em Cativante ou rechaço brigas Fala + ao Briga por motivos telefone pequenosComunicação Fala e ouve Influencia a Domina a Faz discursoverbal Ritmo e volume conversa conversa Grita normais Interage Discute Fala mt rápido Opiniões firmes Não aceita Mistura assuntos Aumenta pouco outras opiniões Ameaça ou ritmo e volume Fala rápido ofende Fala muito e c/ Palavrões volume + alto Cria palavras, faz Intimida rimas
    • EUTIMIA HIPERTIMIA HIPOMANIA MANIAPensamento Fluxo e conteúdo Vivaz Acelerado Mt acelerado normais Criativo Contestador Mt grandioso Espirituoso Algo grandioso e Polêmico Irônico polêmico Fora da Otimista Às vezes se realidade Vários planos perde Dispersivo Mil planos Ideias se perdemRelações Estáveis Estáveis Vários Relacionamentosafetivas Bom apetite relacionamentos curtos sexual mas sem “Tapas e beijos” Turbulentos indiscrições Casos Indiscrições Eventuais extraconjugais sexuais “puladas de Gnde apetite Orgias cerca” sexual Gndes noitadas
    • EUTIMIA HIPERTIMIA HIPOMANIA MANIAVisual Não chama a Chama a Chama atenção Chama atenção atenção atenção em algum em um ou mais positivamente aspecto aspectos Vaidoso Roupas ousadas Pode chegar a Vistoso ou diferentes exageros Roupas Cores vibrantes Gosto coloridas Exuberante escandaloso RadicalEstilo de dirigir Cauteloso e Um pouco + Queima alguns Trafega em alta regrado rápido sinais velocidade Costura um Não tolera ser Não respeita pouco ultrapassado sinais Buzina Anda rápido Canta pneu Obedece sinais Arranca na Roleta-russa frente Buzina muito
    • A depressão no espectro bipolar Depressões costumam ser a apresentação inicial do Transtorno Bipolar, principalmente na adolescência, mas também se desenvolvem após episódios maníacos ou hipomaníacos. Mais de 20% dos deprimidos da atenção primária à saúde e até metade dos atendidos em ambulatórios psiquiátricos são na realidade bipolares. A expressão clínica mais comum do bipolar é a depressão, subsindrômica ou não.
    • Bipolares...a maior parte do tempodeprimidos Em estudo prospectivo de 20 anos, os bipolares permaneceram sintomáticos durante metade do tempo, sendo que 3x mais com sintomas subsindrômicos (depressivos ou hipomaníacos) que sindrômicos, e principalmente depressivos (pacientes com TB II mantiveram-se deprimidos durante 59,1% das semanas e hipomaníacos em apenas 1,9% do mesmo tempo).
    • Características sugestivas de bipolaridadena depressão Idade de início precoce (antes dos 25 anos) Depressão com sintomas atípicos e depressão psicótica Depressão puerperal Início e término abrupto do episódio depressivo Episódios depressivos breves (menor que 3 meses) Depressão recorrente Retardo psicomotor importante
    •  Sazonalidade História familiar de TB em parente de 1º grau Temperamento ciclotímico ou hipertímico Mania ou hipomania induzidas por antidepressivos Perda de efeito antidepressivo (resposta aguda, mas não profilática) Falha de resposta a pelo menos 3 ensaios adequados com antidepressivos Presença de sintomas de hiperativação (aumento de energia, inquietação, redução da necessidade de sono), irritabilidade importante, pensamentos acelerados e aumento de libido e outros impulsos aumentados durante um episódio depressivo.
    •  O principal diagnóstico diferencial psiquiátrico é a depressão bipolar, que tipicamente cursa com depressões recorrentes, mais graves, crônicas e de difícil tratamento. Mesmo na ausência de relatos de história familiar positiva de TB, a presença de sintomas maníacos, ainda que subsindrômicos (p.ex., hipomanias de 1 dia de duração), em deprimidos recorrentes, agrava o prognóstico e cursa com: Risco 3x maior de má resposta a antidepressivos 2x maior de psicose Maior número de episódios Maior risco de ser hospitalizado
    • O que induz ao diagnóstico errôneo detranstorno bipolar como sendo depressãounipolar Fatores do paciente Falta de insight quanto a mania; Prejuízo da memória durante o estado depressivo e/ou memória seletiva quanto a depressões anteriores (memória dependente de estado); Concepção de hipomania como “bons tempos” normais; Feedback positivo cultural para sintomas maníacos/hipomaníacos
    •  Fatores do clínico: Omissão da inclusão de um familiar na avaliação diagnóstica; Estrutura do DSM-IV, a qual separa a bipolaridade de todas as outras depressões “de saída”; Conhecimento inadequado dos critérios maníacos; Abordagem diagnóstica por meio do “protótipo” intuitivo; Desejo prático de fazer um diagnóstico (p.ex., depressão unipolar) para o qual existem vários tratamentos eficazes;Falta de consciência do alto índice de doença bipolar na população.
    •  Fatores da doença: O primeiro episódio da doença costuma ser depressão e não mania; Episódios depressivos duram mais tempo do que os quase sempre breves estados hipomaníacos.
    • Obrigado! Palestra disponibilizada no SlideShare: http://www.slideshare.net/eduardoguagliardi Siga-nos no Twitter: @eduguagliardi Curta no FaceBook: e-Saúde Mental Email: humana.mente@hotmail.com
    • Referências e fontes consultadas: Doença Maníaco-Depressiva Frederick K. Goodwin & Kay Redfield Jamison Artmed - 2ª Edição Clínica Psiquiátrica Editora Manole – 1ª Edição Temperamento forte e bipolaridade Diogo Lara – 9ª edição