• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
JAD e levantamento de requisitos
 

JAD e levantamento de requisitos

on

  • 5,756 views

apresentacao sobre os principais conceitos da tecnica JAD e seu udo no levantamento de requisitos.

apresentacao sobre os principais conceitos da tecnica JAD e seu udo no levantamento de requisitos.

Statistics

Views

Total Views
5,756
Views on SlideShare
5,756
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
146
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    JAD e levantamento de requisitos JAD e levantamento de requisitos Presentation Transcript

    • www.quaddract.com.br O uso da técnicaJAD – Joint Application Designpara levantamento de requisitos Eduardo Castro, MSc ejrcastro@gmail.com
    • Eduardo Castro Agenda • Introdução • Eternos Problemas • Visão do Desenvolvedor x Usuário • A Pirâmide de Requisitos • Técnicas de Elicitação • JAD – Joint Application Design • Referências Bibliográficas 2 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Uma questão fundamental na Engenharia de Requisitos é como encontrar as reais necessidades do usuário para a implementação do software. • Pesquisas tem comprovado que muitos projetos de implementação de software têm falhado por problemas de elicitação dos requisitos do software, ou seja, os requisitos obtidos muitas vezes são incompletos, mal entendidos e ambíguos 3 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Identificar corretamente os requisitos do software não é uma tarefa fácil, em parte devido à própria natureza abstrata do software. • Para entendermos melhor os problemas enfrentados na elicitação dos requisitos podemos analisá-los a partir de dois grandes grupos: • problemas acidentais e • problemas essenciais. 4 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Os problemas acidentais são aqueles oriundos da falta de controle sobre aquilo que precisa ser construído, dentre os quais podemos destacar: • pouco esforço despendido no levantamento de informações junto ao usuário, • documentação pobre sobre o requisitos obtidos, • pouca revisão dos requisitos obtidos, • definição e especificações incorretas dos requisitos e • tendência em iniciar logo o processo de desenvolvimento do software 5 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Os problemas acidentais podem ser considerados menos difíceis de serem superados. • A adoção de um processo sistemático que oriente a elicitação, análise, especificação, validação e gerenciamento dos requisitos tende a solucionar, ou pelo menos minimizar, os problemas dessa categoria 6 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Os problemas essenciais são aqueles inerentes à elicitação dos requisitos, dentre os quais podemos destacar: • dificuldade do usuário em saber efetivamente o que ele quer, • Dificuldade de comunicação entre usuário e desenvolvedor e a • natureza mutante dos requisitos 7 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Problemas essenciais são mais difíceis de serem superados, uma vez que fazem parte da natureza dos requisitos. • A problemática que naturalmente existe no processo de comunicação e compreensão humana, que está no cerne da elicitação de requisitos, necessitará de uma abordagem que leve em consideração: • o contexto em que as pessoas exercem suas atividades e reconhecem os objetos que lhe são pertinentes, • o histórico de evolução dessas atividades e seus instrumentos de mediação, e • outros aspectos de relevância social e psicológica que afetam os usuários do software a ser desenvolvido 8 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro INTRODUÇÃO • Sendo assim, os problemas essenciais da elicitação de requisitos não poderão ser resolvidos numa abordagem puramente tecnológica, uma vez que os aspectos sociais assumem grande importância nessa atividade. • É preciso aplicar uma metodologia para operacionalizar a participação e envolvimento do usuário no desenvolvimento de sistemas. • O objetivo é facilitar interações entre usuários e analistas, onde técnicas de dinâmica de grupo são empregadas para elicitar e refinar idéias 9 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS • Vamos analisar alguns problemas na elicitação dos requisitos a partir dos problemas essenciais • Comunicação: • Não era isso que eu queria! • Você tem que diminuir este prazo! • Os nossos usuários não conseguem ser criativos! • O usuário não sabe o que quer! 10 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS Não era isso que eu queria ! • Com essa simples afirmação o usuário acabou de jogar por terra o trabalho árduo de todo um grupo; que pode significar desde mais um esperado atraso na entrega do sistema até a "fritura" da equipe do projeto. • Não adianta mostrar documentos, especificações ou layouts com a assinatura do usuário aprovando produtos intermediários do desenvolvimento, porque se o sistema não servir, êle não será implantado. • O que é que provoca essa distância entre a expectativa do usuário e o produto do analista? Porque o usuário esperava um cavalo e o analista entregou um camelo? • Certamente a principal razão é a barreira de comunicação existente entre êles. 11 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS Você Tem Que Diminuir o Prazo ! • - Daqui a 18 mêses o mundo já mudou e não precisamos mais dêsse sistema! Quem sabe se a empresa até lá ainda estará operando? • Com êste argumento jogado em cima do seu plano de desenvolvimento, o analista se prepara para reduzir prazos daqui e dali, provavelmente aumentando o risco do projeto. • O tempo de levantamento junto ao usuário, a identificação das reais necessidades do negócio, suas prioridades, a especificação do sistema é minimizado • Infelizmente, não há como transferir o conhecimento do cérebro do usuário para o do analista de forma mecanizada. • E não há como suprimir essa fase no desenvolvimento, sob pena de se construir um sistema que vai ficar engavetado por não atender as necessiades do seu usuário 12 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS Os nossos usuários não conseguem ser criativos! • O pessoal da informática lamenta que os sistemas se limitam a automatizar as velhas rotinas de trabalho. • Esta tendência a manter o status quo é uma faceta da nossa velha conhecida resistência a mudanças. • É um problema que, obviamente, transcende aos usuários da informática e passa a ser de toda a empresa. • A discussão sobe de nível e envolve a área de estratégia de negócios. • Não se trata tão somente de se ter um bom sistema de conta corrente ou de controle de estoques, mas, sim, em como ter tudo isso melhor que o concorrente seguindo as estratégias de negócio. • É evidente que êste desafio exige uma nova forma de relacionamento entre analistas e usuários. 13 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS O Usuário não sabe o que quer! • Esta é a contrapartida do analista às queixas dos usuários. • Na verdade, o usuário sabe o que quer, mas não sabe como pedir. • Diante de perguntas como "quais são as suas necessidades de informações?", "que entidades externas se comunicam com o sistema?", "qual o tempo de resposta requerido pela transação xyz?", o usuário se inibe por não estar familiarizado com a linguagem e, portanto, teme falar bobagens. • A tendência é que êle coloque suas dificuldades atuais, explique como realiza as tarefas do setor e fique esperando que os analistas tragam soluções miraculosas. • Por sua vêz, a sensação que o analista experimenta é a de que o usuário não sabe o que quer. 14 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS O Usuário não sabe o que quer! • Quanto mais usuários o analista ouvir, mais dificuldades terá em conciliar interêsses e alcançar consenso nas decisões. • Essas entrevistas fornecem uma falsa sensação de que o analista entende o sistema atual e conhece seus principais problemas • Eu já conheço o bastante da aplicação e não posso perder mais tempo visitando os usuários, porque o prazo está curto. • O resultado é o chamado "sistema centrado no analista". • Êle resolve os conflitos de opiniões surgidos no levantamento, decide sobre questões típicas do negócio (que êle imagina dominar), estabelece novos procedimentos, etc. 15 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS O Usuário não sabe o que quer! • Muito provavelmente, o resultado será satisfatório. • O analista experiente, com certeza, irá pesquisar sistemas semelhantes; quem sabe já desenvolveu um parecido em outra empresa? • No entanto, a expectativa do usuário estava muito alta. O sistema entregue não chegou a impressionar. • A solução miraculosa não apareceu. • A informática continua devendo, mesmo depois dos milhares de reais investidos. 16 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS Síndrome do “Usuário e o Desenvolvedor” • Derivada do gap de comunicação entre o usuário e o desenvolvedor. • Scharer (1981) identificou as razões do problema e sugeriu algumas soluções. 17 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro ETERNOS PROBLEMAS Síndrome do “Usuário e o Desenvolvedor” •Usuários não sabem o que querem ou não conseguem Reconhecer os usuários como articular o que eles querem especialistas naquele domínio; tentar outras técnicas de elicitação; •Usuários pensam que sabem o que querem até os Implementar mais cedo, outras desenvolvedores entregarem o que técnicas de elicitação eles haviam dito que queriam •Desenvolvedores pensam que entendem os problemas dos usuários melhor que eles Colocar-se no lugar do usuário. 18 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Visão do Desenvolvedor x Usuário 19 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro A Pirâmide de Requisitos “O reflexo de um problema negocial, pessoal ou operacional (ou uma Domínio do oportunidade) que será resolvido PROBLEMA Necessidades pela aquisição e o uso de um novo sistema” “Um serviço que o sistema irá Características prover para atender uma ou mais necessidades do cliente” Domínio da SOLUÇÃO Requisitos de Software ou de Sistema 20 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro A Pirâmide de Requisitos Requisitos do Domínio do Necessidades Negócio (Necessidades PROBLEMA do Cliente) Recursos, Capacidade, Características Comportamento (Necessidades do Domínio da Sistema) SOLUÇÃO Requisitos de Software ou de Sistema Funcionais Complementares Não Funcionais Regras de Negócio Qualidade 21 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro A Pirâmide de Requisitos Cliente: “Eu preciso de um cadastro com os dados de todos os meus Domínio do funcionários...” PROBLEMA Necessidades Analista Negócio: “O sistema vai precisar de uma opção para manter o cadastro de funcionários sempre atualizado” Características Analista de Requisitos: Domínio da “O sistema deve ter funções de SOLUÇÃO INCLUSÃO, ALTERAÇÃO e EXCLUSÃO dos dados de funcionário” Requisitos de Software ou de Sistema 22 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro A Pirâmide de Requisitos Necessidades e Características • O usuário ou cliente não reconhece essa divisão. • Ele tentará transmitir as suas necessidades ou as características desejadas sem essa distinção ou classificação. • A iniciativa de desenvolver um bom processo de elicitação deve ser da equipe de projeto. 23 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação Técnicas mais conhecidas: • Entrevistas e Questionários • Brainstorming • Storyboarding e Demonstrações • Workshops 24 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • Simples, baratas e objetivas • Nenhuma técnica é perfeita para todos os casos • A escolha de uma técnica depende: • Tipo e complexidade da aplicação • Perfil da equipe de desenvolvimento • Perfil do cliente • Criticidade da aplicação e da tecnologia 25 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • Entrevistas e Questionários 26 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Simples, direta e pode ser utilizada na quase totalidade das situações. • Chave para uma boa entrevista: predisposição do entrevistador em não interferir na troca de informações, pois... • Deficiência natural para “ouvir” • Modelos mentais • Experiências anteriores 27 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Preparação é importante: • Pesquisar os entrevistados • Preparar um roteiro ou uma lista de perguntas independentes de qualquer contexto de solução • Previsão de tempo • Reservar local adequado 28 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Durante a Entrevista: • Apresentar-se... • Repassar a agenda (objetivos, patrocinador, motivo da escolha do entrevistado) • Manter postura de entrevistador: credibilidade, isenção, discrição; não criar ressentimentos • Deixar o entrevistado falar (redução da interferência) • Direcionar a discussão para os objetivos • Seguir a agenda, o roteiro e o tempo • Notar sinais de impaciência • Anotar tudo... 29 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Estilo para entrevistar: • Relacione a parte da entrevista c/ partes do sistema • Obtenha pontos de vista alternativos • Solicite detalhes do item que você estiver interessado • Estabeleça a dependência do assunto com outros • Confirme os dados obtidos • Não confunda sintomas com o problema 30 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Possíveis problemas: • “Você está tomando tempo demais” • “Você está ameaçando meu emprego” • “Você não conhece a nossa empresa” • “Você está tentando mudar o modo que as coisas são feitas aqui” • “Não queremos esse sistema” • “Mudei de opinião” • “Aqui não há consenso de como a coisa deve ser feita” 31 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Entrevistas e Questionários • Questionários não devem substituir as entrevistas: nada substitui o contato pessoal e a interação que a entrevista proporciona. • Se precisar, agende uma visita e observe as instalações e a forma de trabalho. • Entrevistar as pessoas certas, com perguntas corretas, de forma apropriada, certamente produzirá uma sólida compreensão das necessidades e das características do sistema. 32 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • Brainstorming 33 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Brainstorming • Ideal para a geração de novas idéias ou soluções criativas. • Pode complementar os Workshops. • Benefícios: • Encoraja a participação de todos • Permite o desenvolvimento das idéias • Produz-se muito em pouco tempo • Permite o livre pensamento 34 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Brainstorming • Regras: • Liberdade para todos expressarem suas opiniões • Nenhuma crítica prévia deve ser feita • São válidas as colocações por impulso • O que vale é a quantidade de idéias • Relacionadas as idéias, passa-se para a redução das idéias e a interpretação dos resultados 35 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • StoryBoarding 36 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • O propósito da técnica é obter uma reação antecipada dos usuários com relação aos conceitos propostos para uma aplicação. • Amigável, informal e interativa. • Ótima para validar interfaces do sistema. • Fácil de criar e fácil de modificar. 37 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • Na prática, não há regras ou restrições para a aplicação da técnica. • Entretanto, storyboards podem ser categorizadas em três tipos, dependendo do modo de interação com o cliente: • Passiva • Ativa • Interativa 38 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • Storyboard Passiva: • Conta-se uma história para o cliente • Sketches, figuras, apresentações PowerPoint, etc. • O analista de requisitos executa o papel do sistema e simplesmente “navega” com o cliente pelo storyboard. • “Quando você faz assim, acontece isso...” 39 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • Storyboard Ativa: • Tenta-se fazer com que o cliente veja “um filme que ainda não foi feito”. • Animação ou automação. • Provê uma descrição automatizada do comportamento do sistema numa utilização típica ou num cenário operacional. • Wireframe 40 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • Storyboard Interativa: • Deixa-se o cliente experimentar o sistema de forma realística e prática. • Requer a participação intensiva do usuário. • “Demonstração” do sistema. 41 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Storyboarding • Nos 3 casos, o storyboarding exercita 3 elementos essenciais em qualquer atividade: • Quem são os envolvidos (atores) • O que acontece com os envolvidos (comportamento) • Como isto acontece (descrição da interação) 42 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • Workshop 43 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • Se tiver que escolher apenas uma técnica de elicitação... • ...que pode ser aplicada em qualquer circunstância... • ...independente do contexto do projeto... • ...a melhor opção é o workshop de requisitos. 44 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • A técnica é projetada para encorajar o consenso e a concordância em um curto espaço de tempo. • Benefícios: • Todos trabalham visando um único propósito: o sucesso do projeto • Envolve todos os interessados (stakeholders) • Consenso sobre o que a aplicação deve fazer • Expõe e resolve aspectos políticos que podem interferir no projeto • Avaliação imediata da identificação preliminar das características da aplicação 45 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • Preparação: • Vender o conceito: comunicar os benefícios • Garantir a participação dos principais envolvidos: identificação prévia dos stakeholders • Preparar a logística: organização detalhada • Prover material preparatório: aumento da produtividade • Escolher o facilitador: não envolvido, independente 46 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • Definição da Agenda: • Horários de início e término • Local apropriado • Pausas • Atividades • Etc... 47 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • O Facilitador tem um papel crucial no processo: • Estabelece o tom profissional e objetivo do encontro • Começa e termina no tempo pré-definido • Estabelece e reforça as regras do encontro • Introduz os objetivos e a agenda do encontro • Mantém a agenda elaborada • Facilita o processo de decisão e de geração de consenso, sem se envolver • Não exarceba os problemas entre os envolvidos • Garante a participação de todos • Controla comportamentos de ruptura ou contraproducentes 48 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Workshop • A saída do processo será uma lista de idéias ou de sugestões a respeito das características da aplicação. • Esta lista pode, mais adiante, ser entendida, detalhada e validada pela equipe de projeto. 49 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Técnicas de Elicitação • JAD – Joint Application Design 50 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • JAD – Joint Application Design • Técnica que virou “marca”. • Origem na IBM. • Workshop com regras, formalizado, padronizado. 51 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • Usuários e desenvolvedores trabalham juntos em uma reunião com o objetivo de: – identificar o problema – propor elementos de solução – negociar diferentes abordagens – especificar um conjunto preliminar de requisitos de solução 52 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • Com as reuniões de trabalho, os usuários se sentem prestigiados e parte integrante do processo de desenvolvimento. • Decisão obtida por consenso (não necessariamente unânime...). • Facilitador elimina os conflitos e conduz um processo produtivo. 53 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • Cada um tem um papel bem definido na reunião: • Principais stakeholders • Equipe de projeto • Facilitador • Documentador • Observadores • Processo de trabalho é muito estruturado. 54 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • Visão geral: 2 3 1 Pesquisa Preparação Definição do Projeto JAD 4 5 Sessão Documento Final 55 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design • Visão geral: PROJETO Dados Resultados revisados Preparação Sessão Revisão Agenda Resultados 56 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Preparação • Estabelecer as condições básicas para garantir uma sessão de trabalho produtiva. • Escolha dos participantes apropriados • Agenda • Participantes de acordo quanto aos objetivos • Material de apoio 57 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Preparação - Etapas 1. Examinar se é adequada a utilização do JAD  Perspectiva de sucesso?  Tamanho do projeto?  Domínio da técnica?  Espírito da equipe e do cliente? 2. Planejar as sessões  Quantas?  Finalidade? 58 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Preparação - Etapas 3. Elaborar a perspectiva gerencial para nivelamento e informação sobre as expectativas da alta administração  Objetivos?  Escopo?  Premissas e Restrições? 59 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Preparação - Etapas 4. Familiarizar-se com a área de negócio  Documentação?  Pesquisa dos envolvidos?  Convocação? 5. Preparar a agenda da sessão  Elemento básico !  Regras?  Abordagem? 60 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Preparação - Etapas 4. Preparar os participantes  Ganhar tempo antes da sessão... 5. Preparar ferramenta de documentação 61 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão  Realizar a reunião de trabalho com os participantes selecionados, com o objetivo de produzir as informações necessárias ao desenvolvimento do sistema. 62 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão - Etapas 1. Preparar o ambiente físico  Arrumação em “U” !  Equipamentos audiovisuais testados?  Check-list do material?  Pastas com agenda, documentação e material para anotação? 63 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão - Exemplo 64 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão - Etapas 2. Condução da sessão  Apresentação de todos  Explicar a agenda e a logística  Revisar a perspectiva gerencial  Eventualmente, explicações dos envolvidos  Revisar as regras de conduta ou código de cooperação  Começar... 65 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão - Etapas 3. Documentação  Responsabilidade do Documentador, auxiliar do Facilitador !  Observar os passos da Agenda ...  Seguir indicação do Facilitador ...  Confirmar dados ?  Gerar documentação para os participantes ... 66 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Sessão - Etapas 4. Encerramento  Itens da Agenda atendidos?  Expectativas atingidas?  Resultado satisfatório?  Recursos adequados?  Facilitador? 67 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Revisão  Rever a documentação produzida na sessão e examinar possíveis melhorias na sistemática adotada. 68 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Revisão - Etapas • Rever a documentação  Informações completas?  Falhas entre Facilitador e Documentador?  Encaminhada a documentação aos participantes • Examinar as avaliações  Informações completas? 69 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Revisão - Etapas 3. Preparar a pasta do JAD  Material valioso para o projeto !  Perspectiva Gerencial...  Plano das Sessões...  Agenda de cada sessão...  Participantes...  Documentação produzida...  Avaliações... 70 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro JAD – Joint Application Design Visão Geral Primeira Fase Guia de Segunda Fase Definição Definições Pesquisa Gerenciais Documento de Trabalho Terceira Agenda Quarta Fase Fase A Sessão JAD Preparação Documentos de Apoio Anotações dos Quinta Fase Documento Documentadores Documento Final Final Aprovado 71 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Obrigado! Eduardo José Ribeiro de Castro ejrcastro@gmail.com www.quaddract.com.br 72 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos
    • Eduardo Castro Referência Bibliografica • COSTA, Osvaldo Wilson, JAD, joint application design. 2ª. Edição. Rio de Janeiro: Liv. e Edit. Infobook, 1994 • DINSMORE, Paul - Como se tornar um Profissional em Gerenciamento de Projetos - 2ª Edição; • HACKETT, D., Martin, C.; Facilitation Skills for Team Leaders, Crisp Publications, 1993. • JUSTICE, T., Jamieson, D.; The Facilitators Fieldbook, HRD Press, 1999 • LEFFINGWELL, Dean Managing Software Requirements, Second Edition: A Use Case Approach, ed. Pearson , 2003 • PFLEEGER, Shari Lawrence. Engenharia de Software: Teoria e Prática. 2ª edição – 2004 • PRESSMAN, Roger. S. Engenharia de software: um enfoque prático. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 1995. • SOMMERVILLE, Ian.Engenharia de Software. 6ª ed. São Paulo: Addison Wesley, 2003 • WOOD, J.; Silver, D.; Joint Application Development, 2a edição, John Wiley & Sons, 1996. 73 JAD (Joint Application Design) para levantamento de requisitos