• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Reunião com Analistas e Investidores
 

Reunião com Analistas e Investidores

on

  • 412 views

 

Statistics

Views

Total Views
412
Views on SlideShare
412
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Reunião com Analistas e Investidores Reunião com Analistas e Investidores Presentation Transcript

    • Reunião com Analistas e Investidores Junho, 2006
    • Aviso Importante Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados apresentaç declaraç futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas regulamentaç mobiliá declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a declaraç suposiç aná sua experiência e o ambiente econômico e nas condições de mercado e nos eventos futuros condiç esperados, muitos dos quais estão fora do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre diferenç declaraç eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, as condições estraté negó condiç econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira, desenvolvimentos da indústria estraté indú de serviços públicos, condições hidrológicas, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito serviç pú condiç hidroló condiç dos resultados de suas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções, entre outros. Em opera ç intenç razão desses fatores, os resultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles diferir indicados ou implícitos nas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. implí declaraç As informações e opiniões aqui contidas não devem ser entendidas como recomendação a potenciais informaç recomendaç investidores e nenhuma decisão de investimento deve se basear na veracidade, atualidade ou completude dessas informações ou opiniões. Nenhum dos assessores da Companhia ou partes a eles informaç relacionadas ou seus representantes terá qualquer responsabilidade por quaisquer perdas que possam terá decorrer da utilização ou do conteúdo desta apresentação. utilizaç conteú apresentaç Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se declaraç quais baseiam- nas atuais expectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios projeç negó da Companhia. Essas declarações incluem projeções de crescimento econômico e demanda e declaraç projeç fornecimento de energia, além de informações sobre posição competitiva, ambiente regulatório, alé informaç posiç regulató rio, potenciais oportunidades de crescimento e outros assuntos. Inúmeros fatores podem afetar Inú adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações se baseiam. suposiç declaraç 2
    • Estratégia “Ser uma empresa líder no setor energético brasileiro, com foco na criação de valor” Vantagem Crescimento competitiva Eficiência Solidez com ênfase em advinda do operacional na financeira geração expertise do distribuição hidroelétrica acionista controlador 3
    • Estratégia “Ser uma empresa líder no setor energético brasileiro, com foco na criação de valor” Eficiência operacional na distribuição 4
    • Distribuição Crescimento com melhoria da produtividade Energia distribuída (GWh) (GWh) Produtividade (Cliente/Colaborador) 1.135 1.135 5,2% 1.071 1.071 890 900 890 900 5.669 5.966 776 776 762 769 762 769 793 795 654 654 585 585 1.876 2.037 502 502 456 456 462 462 149% 79% 66% 2.998 3.136 Bandeirante Bandeirante Escelsa Escelsa Enersul Enersul 1T05 1T06 1998 1998 2001 2001 2005 2005 1T06 1T06 Bandeirante Escelsa Enersul 5
    • Distribuição Programa de Combate às Perdas Investimentos no 1T06 de R$ 9,4 milhões em programas voltados a contenção do crescimento do nível de perdas técnicas e comerciais, visando a uma gradual redução a partir de 2006 Evolução das perdas comerciais (% da energia distribuída nos últimos 12 meses) 6,0 5,9 6,3 6,3 5,2 5,0 2,2 2,4 2,3 Jun/05 Mar/06 Abr/06 Jun/05 Mar/06 Abr/06 Jun/05 Mar/06 Abr/06 Comerciais Técnicas 4,1 • ~ 177 mil inspeções 3,9 3,8 9,3 9,2 realizadas no 1T06 8,5 • + de 600 mil inspeções programadas para 2006 • Crescimento das perdas técnicas devido à alteração do ponto de medição da Jun/05 Mar/06 Abr/06 Enersul Jun/05 Mar/06 Abr/06 6
    • Gestão Abordagem gerencial integrada Gestão de Mudança Centro Corporativo Unidade de Negócios Locais (Distribuição, Geração e (Distribuiç Geraç Comercialização) Comercializaç Serviços Compartilhados (TI, Administrativo e Suprimentos) 7
    • Distribuição Eficiência Operacional Programa Vanguarda: Cronograma Módulos 2004 2005 2006 2007 1– Definição Estratégica Desenho e implementação da nova estrutura 2 organizacional 3– Redesenho de processos 4– Projetos de desenvolvimento de RH 5– Adequação de TI 6– Adequação de controle e monitoramento 7– Gestão da Mudança e Implementação Etapas Realizadas 8
    • Distribuição Avanços e reconhecimentos Prêmio Abradee – As três distribuidoras da Energias do Brasil – Bandeirante, Escelsa e Enersul – estão entre as oito indicadas da categoria "Qualidade da Gestão" da edição 2006 do Prêmio Abradee (Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica). 16 Novas Lojas 9
    • Comercialização Redução de self-dealing compensada pelo aumento de clientes Mercado de clientes livres - Energia comercializada (GWh) (GWh) expectativa de crescimento (GWmed) (GWmed) 1.604 1.657 Nota: Estimativas da Companhia 11,8 303 303 11,0 683 683 3,3% Empresas do Empresas do 10,2 Grupo ENBR Grupo ENBR CAGR 1.354 1.354 Outros Outros 921 7,6% 921 47,0% 2006E 2007E 2008E 1T05 1T06 Enertrade – Número de Clientes Clientes - setor de atividade (Mar-06) (Mar- Outros Setores Aluminio 54 9% 12% Siderurgia 34 16% Químico 58% 9% Automotivo Agentes do 3% Mercado Alimentos 48% 3% 1T05 1T06 10
    • Estratégia “Ser uma empresa líder no setor energético brasileiro, com foco na criação de valor” Solidez financeira 11
    • Receita e Ebitda Crescimento consistente Receita Líquida Trimestral (R$MM) Lí Receita Líquida (R$MM) – Últimos 12 meses Lí 2,4% 1.120 1.094 13,3% 4.347 9% 10% 3.838 9% 2% 4% 9% 5% 2% 89% 86% 86% 89% 1T05 1T05 1T06 1T06 Abr/04-Mar/05 Abr/04-Mar/05 Abr/05-Mar/06 Abr/05-Mar/06 Distribuição Geração Comercialização Distribuição Distribuição Geração Geração Comercialização Comercialização Distribuição Geração Comercialização Ebitda Trimestral (R$MM) Ebitda (R$MM) – Últimos 12 meses 280 0,7% 282 11,8% 915 818 5% 8% 6% 7% 5% 12% 15% 5% 87% 79% 88% 83% 1T05 1T06 Abr/04-Mar/05 Abr/04-Mar/05 Abr/05-Mar/06 Abr/05-Mar/06 Distribuição Geração Comercialização Distribuição Distribuição Geração Geração Comercialização Comercialização Distribuição Geração Comercialização 12
    • Detalhamento de Custos e Despesas1 Os custos gerenciáveis apresentam potencial de redução, fruto do programa de sinergias e da reorganização societária Detalhamento dos Custos e Detalhamento dos Custos e Despesas1 – 1T06 Despesas Gerenciáveis – 1T06 Gastos Gerenciáveis Acumulado R$ milhões 1T06 1T05 Var.% Pessoal 71 64 10,3% Custos não Material 8 9 -9,7% Custos gerenciáveis gerenciáveis R$651 milhões Serviços de Terceiros 67 48 39,1% R$188 milhões (78%) (22%) Provisões 22 18 17,0% Outros 20 22 -10,5% Total 188 162 15,7% R$839 milhões Gastos Gerenciáveis (Programas Corporativos) - Programa de Combate às Perdas: R$ 6,0 milhões - Serviços de consultoria e TI: R$ 4,9 milhões Nota: 1 Exclui depreciação e amortização 13
    • Resultado Financeiro Gestão eficiente da exposição cambial contribuiu para um melhor desempenho financeiro Resultado Financeiro – R$ milhões Evolução da SELIC e do US$ (jan/05) (jan/05) % aa R$/US$ Acumulado 22% 2,9 1T06 1T05 Var.% 2,7 20% 2,5 Receita Financeira 55 79 -31,2% 18% 2,3 Despesa Financeira (84) (103) -19,3% 16% 2,1 1,9 Resultado Cambial Líquido (9) (32) -77,8% 14% 1,7 SWAP - resultado líquido (55) (24) 129,6% 12% 1,5 Variação cambial 46 (8) n.a. jan-05 abr-05 ago-05 dez-05 SELIC M édia Dólar final período TOTAL (39) (56) -30,6% 14
    • Lucratividade Melhor desempenho operacional e financeiro Lucro Líquido antes da participação de Lí participaç minoritários (R$MM) minoritá Lucro Líquido (R$MM) Lí No 1T05, inclui o efeito da BRR da Enersul de R$74,8 milhões 104 103 99 1,2% 216,2% 31 1T05 1T06 1T05 1T06 15
    • Endividamento Alavancagem e exposição cambial em baixos níveis A estrutura de capital foi fortalecida pelo IPO e capitalização das senior notes da Escelsa, gerando capacidade financeira para o crescimento da empresa Endividamento – 1T06 (R$MM) Dívida bruta por indexador (Mar/06) 4% (551) 32% (754) 1,9x* 1,9x* 3.037 60% 1.731 1.710 4% US$ TJLP Pré-fixado Taxas Flutuantes * * Dívida Bruta (-) Caixa e (-) Ativos Dívida Líquida Dívida Líquida Mar.06 Valores Regulatórios Mar.06 Dez. 05 Mobiliários * Rácio: Dívida Líquida / EBITDA 12 meses cio: Dí Lí ** Inclui Selic, CDI, IGP-M e INPC IGP- 16
    • Endividamento Alongamento a custos competitivos Cronograma de vencimentos da dívida – Mar/06 (R$MM) dí Operações em curso – Stand-by Facilities (R$700 Milhões) Stand- – Emissão de debêntures: 965 – Bandeirante (R$250 Milhões / concluída) concluí – Enersul (R$337 Milhões / concluída) concluí – Escelsa (R$200 Milhões / em curso) 737 657 551 32% 24% 301 22% 209 168 10% 7% 5% Caixa e Mar-Dez/06 2007 2008 2009 2010 Após 2010 Equivalentes Benefícios das operações em curso: - Redução da dívida de curto prazo: de 32% para 9% da dívida total - Extensão do prazo médio de vencimentos de 3,4 anos para 4,3 anos - Redução do custo médio da dívida de 17,4% para 14,9% 17
    • Plano de Investimento Mais de R$ 2,5 Bi investidos nos últimos 3 anos Distribuição dos Investimentos (exclui novos projetos em geração) – R$MM Distribuiç geraç 1.072 125 651 118 612 126 * 26 182 42 335 343 50 2005 2006E 1T06 Distribuição Geração Universalização * Preliminar 18
    • Estratégia “Ser uma empresa líder no setor energético brasileiro, com foco na criação de valor” Crescimento com ênfase em geração hidroelétrica 19
    • Demanda de Energia Potencial de Crescimento Expansão da Oferta vs. Energia Demandada MW-Médio 62.500 Oferta Total Demanda - Cenário Otimista Demanda - Cenário Base 57.500 52.500 Capacidade Atual 47.500 42.500 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 20
    • Setor energético: cenário atrativo Crescimento de demanda e de investimentos Cenário 2005-2015 • Geração: Crescimento da capacidade instalada de 94 GW para 135 GW – Investimentos: R$ 85 bilhões • Transmissão: + 64.000 km – Investimentos: R$ 39,5 bilhões • Consumo per capita: – 34% de crescimento Fonte: Ministério de Minas e Energia e Jornal O Estado de São Paulo Ministé 21
    • Geração Capacidade Instalada - MW Mimoso S. João I Lajeado Mascarenhas 516 MW Suiça Alegre Coxim S. João II Jucu Fruteiras Costa Rica Corumbá Paraíso Viçosa Rio Bonito 22
    • Geração Estratégia 1.043 MW EBITDA* Mg Ebitda 19% Margem Geração 516 MW EBITDA de caixa 83% Novos contratos Mg Ebitda 12% negociados a preços 65% superiores 5% Diluição de risco com equilíbrio do portfólio Mg Ebitda 11% Distribuição Geração Distribuição Geração Comercialização * Últimos 12 meses 23
    • Retomada dos investimentos em geração Expansão 1.043 MW Ganhos adicionais pela valorização dos ativos Peixe Angical Mascarenhas São João 24
    • Geração Investimentos: AHE Peixe Angical 25
    • Geração Investimentos: AHE Peixe Angical • Localização: Rio Tocantins - TO • Capacidade instalada: 452 MW • Energia assegurada anual: 2.374 GWh • Área do reservatório: 294 Km² • Investimento: R$1,6 Bi (89% realizado • 98% da construção concluída • Abril 2006 – enchimento do lago concluído e início dos testes • Novo cronograma da 1ª turbina: – Início da operação: Julho/2006 • Contrato de Compra e Venda de Energia – 10 anos, a partir de 2006. Preço: VN • Estrutura de Capital – R$ 670 milhões (linhas BNDES) 26
    • Geração Investimentos: UHE Mascarenhas: 4ª Máquina • Localização: Rio Doce - ES • Capacidade Instalada: 50 MW • Energia Assegurada: 23,9 MWh • Investimento: R$ 65 milhões • Inicio de Operação: 3T06 • Contrato de Compra e Venda de Energia – Até dez/07: mercado. De jan/2008 à dez/ 2037 no leilão à R$ 115,98 (dez/05) 27
    • Geração Investimentos: PCH São João • Localização : Rio Castelo - ES • Capacidade Instalada: 25 MW • Energia Assegurada: 14,7 MWh • Investimento: R$ 88,4 Milhões • Inicio de Operação: Janeiro/2007 • Contrato de Compra e Venda de Energia – Até julho de 2025. Preço: VN 28
    • Geração Oportunidades de repotenciação • UHE Mascarenhas - ES – Capacidade instalada atual: 130 MW – Potência assegurada: 103 MW Médio – Repotenciação em estudo: 17,5 MW • UHE Suiça - ES – Capacidade instalada atual: 30 MW – Potência assegurada: 19 MW Médio – Repotenciação em estudo: 12 MW • PCH Rio Bonito - ES – Capacidade instalada atual: 17 MW – Potência assegurada: 8 MW Médio – Repotenciação em estudo: 5 MW 29
    • Estratégia “Ser uma empresa líder no setor energético brasileiro, com foco na criação de valor” Vantagem competitiva advinda do expertise do acionista controlador 30
    • Governança Corporativa Melhores práticas 9 membros no Conselho de Administração (2 independentes e 2 minoritários) 3 Comitês de Suporte Auditoria Supervisão Remuneração Políticas de Dividendos e de Sarbanes-Oxley Código de Ética Transparência Negociação de Ações 31
    • Sustentabilidade Principios de Sustentabilidade Princípios do desenvolvimento sustentável da Energias do Brasil 1 - Criação de valor 2 - Eficiência na utilização dos recursos 3 - Proteção do meio ambiente 4 - Integridade 5 - Diálogo com as partes interessadas 6 - Gestão do capital humano 7 - Promoção do acesso à energia elétrica 8 - Apoio ao desenvolvimento social 32
    • Desempenho das Ações Volume R$mil 230 70.000 210 60.000 190 50.000 170 40.000 +61% 150 30.000 +54% 130 20.000 +48% 110 10.000 +48% 90 0 12/7/2005 10/8/2005 9/9/2005 10/10/2005 10/11/2005 12/12/2005 11/1/2006 10/2/2006 15/3/2006 13/4/2006 17/5/2006 Volume R$ ENBR3 ENBR3 Ibovespa IEE IBX Atualizado até 01 de junho de 2006 até 33
    • Conclusão Um modelo de negócio voltado para criação de valor Coerência Estratégica Padrão Superior Estrutura de Governança Organizacional Corporativa Solidez Eficiência Financeira / Operacional / Capacidade de Rentabilidade Auto- Investimento Sustentabilidade 34
    • Reunião com Analistas e Investidores Junho, 2006